Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Sábado, 27 de Dezembro de 2014
OLIVENTINOS QUEREM SER PORTUGUESES – NÃO ESQUECEMOS OLIVENÇA!

Dezenas de habitantes de Olivença obtêm nacionalidade portuguesa

80 habitantes de Olivença, território português de jure sob ocupação de Espanha, adquiriram recentemente a nacionalidade portuguesa, tendo sido entregues mais 90 pedidos junto do Estado português para obter a dupla nacionalidade, anunciou hoje a associação Além Guadiana.

Olivença (48)

A associação tem sido a entidade "canalizadora" deste processo, uma vez que tem como missão «divulgar e preservar» naquele território, que considera «singular e bicultural», o património e a cultura portuguesa.

«Além de outros oliventinos que possam ter adquirido a nacionalidade portuguesa por outras vias, há 80 pessoas com dupla nacionalidade. E já estão solicitados mais 90 pedidos para obter a nacionalidade portuguesa», explicou Eduardo Machado, um dos fundadores da Além Guadiana.

De acordo com o responsável, que falava à Lusa à margem da apresentação dos resultados obtidos com esta iniciativa, numa unidade hoteleira em Olivença, «muitos destes novos pedidos» que estão em curso são de descendentes de oliventinos (naturais de Olivença, historicamente disputada entre Portugal e Espanha) que já adquiriram a nacionalidade portuguesa.

Os cidadãos que já obtiveram a dupla nacionalidade possuem ascendência portuguesa, sendo a associação um «veículo» que contribui para que todo o processo seja concluído com sucesso.

Aliás, uma das atividades «mais importantes» da associação, formada em 2008, tem sido o acompanhamento do processo de adquisição da nacionalidade portuguesa para os oliventinos que o desejarem. «Nós fomos uns meros canalizadores desta vontade popular», sublinhou.

Eduardo Machado explicou que o processo burocrático junto do Estado português «não é complicado», apesar de longo.

Em Olivença fala-se português desde a Idade Média, embora o seu uso se encontre hoje reduzido às camadas mais idosas, quando estão em «ambiente familiar». A presença portuguesa em Olivença é evidente em vários locais, sendo um dos maiores exemplos a igreja de Santa Maria da Madalena, o único espaço religioso espanhol de estilo manuelino.

O templo, obra da arquitetura portuguesa do século XVI, rico na talha dourada, na azulejaria e nos elementos marítimos, é visitado diariamente por centenas de turistas. Olivença está localizada na margem esquerda do rio Guadiana, a 23 quilómetros da cidade portuguesa de Elvas e a 24 quilómetros de Badajoz (Espanha).

Fonte: Lusa

Olivença (10)

Olivença (9)

Olivença (39)

Olivença (34)

Olivença (41)

Olivença (4)

Olivença (21)

Olivença (16)

Olivença (7)

Olivença (5)

Olivença (44)



publicado por Carlos Gomes às 10:25
link do post | favorito

Quinta-feira, 25 de Dezembro de 2014
AS ORIGENS NÓRDICAS DO PAI NATAL

Odin, rei do Asgard na mitologia nórdica, é para os povos escandinavos o mesmo que Zeus e Júpiter foram respectivamente para os gregos e os romanos. Quando não habita o seu palácio dourado, o Gladsheim, Odin, ou Woden encontra-se no Valhala que é o "salão dos mortos", entre os heróis e onde pontificam as formosas valquírias a quem compete manter permanentemente cheios os vasos de bebida que são feitos de chifre. É ainda às valquírias que compete eleger os heróis e decidir a sua sorte no campo de batalha, quem haverá de morrer e, finalmente, conduzir os bravos ao Valhala. "Val" significa morto.

Por seu turno, Odin possui como companheiros inseparáveis dois corvos - Hugin e Munin - que representam respetivamente o Pensamento e a Memória, os quais voam diariamente através do mundo para lhe levarem as notícias acerca dos atos cometidos pelos humanos. Uma vez convenientemente informado pelos seus corvos, Odin parte num trenó puxado por renas levando consigo presentes com que irá recompensar as boas ações praticadas ao longo do ano. Eis o mito que verdadeiramente se encontra na origem da fabulosa crença do "Pai Natal", séculos mais tarde adaptado pela Igreja Católica a uma versão mais cristianizada, com a substituição de Odin por um corpulento bispo que também distribuía presentes - São Nicolau. Em qualquer dos casos, trata-se de um enxerto efetuado na nossa cultura cujas tradições, durante séculos, apenas conheceram a veneração ao "menino Jesus".

Carlos Gomes / http://www.folclore-online.com/

A gravura é uma representação de Odin, divindade da mitologia nórdica da qual se originou a figura do "Pai Natal".

Nicolau de Bari procurou cristianizar uma tradição pagã de origem nórdica, a qual não possui quaisquer raízes bíblicas.



publicado por Carlos Gomes às 19:45
link do post | favorito

Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2014
O BLOGUE DE LISBOA DESEJA A TODOS OS SEUS LEITORES E AMIGOS UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO MAIS PRÓSPERO!

 


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 13:52
link do post | favorito

AS ORIGENS PAGÃS DO BOLO-REI

À semelhança do que sucede com a generalidade dos costumes atuais, perde-se no tempo a verdadeira origem do bolo-rei (ou bolo dos reis), da mesma forma que também este apresenta formas e designações variadas consoante as culturas. Assim, em Inglaterra mantém-se a tradição de comer e efetuar corridas com panquecas por ocasião da Terça-feira Gorda. Tratam-se, na realidade, de festividades de origem pagã que se encontram ligadas a rituais de fertilidade que outrora se realizavam por ocasião do Entrudo e visavam preparar a chegada da Primavera e, como ela, o renascimento dos vegetais.

Bolo-Rei

A própria designação de Terça-feira Gorda remete-nos para o antigo costume de fazer desfilar pela cidade um boi gordo antes de sacrificá-lo, prática cujas reminiscências ainda se preservam nomeadamente através das largadas de touros e na corrida da Vaca das Cordas. Da mesma forma que nos festejos carnavalescos se preserva a figura do respetivo Rei que cabia outrora àquele que no bolo encontrasse a fava ou o feijão dourado, sendo como tal tratado durante o ano inteiro.

Por seu turno, os romanos introduziram tal prática por ocasião das saturnais que eram as festividades que se realizavam em 25 de Dezembro, em celebração do solstício de Inverno, também eles elegendo um rei da festa escolhido á sorte pelo método da fava. À semelhança do que se verifica com a Coroa do Advento, a sua forma circular remete para antigos ritos solares perfeitamente enquadrados nas festividades solsticiais e nas saturnais romanas.

Com vista à conversão dos povos do Império Romano que preservavam em geral as suas crenças pagãs, o Cristianismo passou a identificar o “bolo-rei” com a celebração da Epifania e, consequentemente, aos Reis Magos. E, assim, aos seus enfeites e condimentos passaram a associar-se as prendas simbólicas oferecidas ao Messias ou seja, a côdea, as frutas secas e cristalizadas e o aroma significam respetivamente o ouro, a mirra e o incenso. Apesar disso e atendendo a que eram três os reis magos, esta iguaria não passou a ser identificada como “bolo dos reis”, conservando apenas a sua designação como “bolo-rei” ou seja, contrariando a sua própria conversão.

Durante a Idade Média, este costume enraizou-se na Europa devido à influência da Igreja a tal ponto que passou a ser celebrado na própria corte dos reis de França e a ser conhecido como Gâteau des Rois. Porém, com a revolução francesa, o mesmo veio a ser proibido em virtude da sua alusão á figura real, o mesmo tendo sucedido entre nós, imediatamente após a instauração da República, tendo alguns republicanos passado a designá-lo por “bolo-presidente” e até “bolo Arriaga”, em homenagem ao então Presidente da República.

Quanto aos seus condimentos e método de confeção, é usual associar-se à tradição da pastelaria francesa a sul do Loire, o que parece corroborar com a informação de que foi a Confeitaria Nacional a primeira casa que em Portugal produziu e vendeu o bolo-rei a partir de uma receita trazida de França, por volta de 1870. Resta-nos saber, até que ponto, também esta não terá buscado inspiração no tradicional bolo inglês.

Com a aproximação da Páscoa associada à chegada da Primavera e, com ela, o renascimento da Vida, o tradicional folar não trará favas escondidas no seu interior mas ovos que simbolizarão a fertilidade, de novo a evocar ritos ancestrais a um tempo anterior à nossa conversão ao Cristianismo.

Carlos Gomes / http://www.folclore-online.com/



publicado por Carlos Gomes às 00:00
link do post | favorito

Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014
METRO DE LISBOA CELEBRA 55 ANOS COM INICIATIVAS DESTINADAS AOS SEUS CLIENTES

O Metropolitano de Lisboa E.P.E. comemora, no próximo dia 29 de dezembro, os seus 55 anos ao serviço de Lisboa e de quem o visita. Para assinalar esta data junto de todos os seus clientes, vão decorrer várias iniciativas em algumas estações de Metro, nomeadamente:

- Estação Marquês de Pombal, às 17:00h, apresentação de um excerto da peça “A lenda do Rei Artur”, um espetáculo do Teatro de Carnide, em que o humor e a música são soberanos.

- Estação Cais do Sodré, recebe duas atividades:

Às 17:30h, será inaugurada a exposição “O outro lado do METRO”, que reúne a visão de 10 colaboradores do Metropolitano de Lisboa, que desempenham o mais diverso tipo de tarefas e funções: Agente de Tráfego, Inspetor de Movimento, Maquinista,Oficial Eletricista, Oficial Eletromecânico e Operador Comercial. Esta mostra pretende dar a conhecer o olhar de quem diariamente trabalha para prestar um serviço de transporte de qualidade à população da Área Metropolitana de Lisboa.

Às 18:00h decorrerá a apresentação ao grande público da curta-metragem “A carruagem”, um filme da autoria de Anne Victorino d´Almeida e João Vasco que contou com a coprodução do Metropolitano de Lisboa. Esta curta retrata o espaço de partilha e a imposta intimidade de uma carruagem do Metro. O peso da jornada que começa, ou acaba, e a bucólica melodia do acordeão que passa, vão vencendo o desconforto de olhares que não se querem cruzar e de braços que não se querem tocar. Sem paisagem exterior para apreciar, cada personagem inicia uma nova viagem, desta vez por pensamentos, angústias, memórias passadas e presentes. Para além dos passageiros, a carruagem transporta agora os seus sonhos e desejos mas também a possibilidade de encontros imprevistos e confrontos indesejáveis. A sequência de flashbacks que caracteriza cada personagem irá revelar também que o refúgio de uma qualquer carruagem é, por vezes, apenas ilusório.

O Metropolitano de Lisboa salienta ainda que, durante este dia, em algumas estações da rede, será distribuída aos clientes uma pequena recordação desta data histórica. Estas iniciativas reforçam o espírito que faz mover o METRO desde 29 de dezembro de 1959, data de abertura ao público da rede do Metropolitano de Lisboa. 


tags:

publicado por Carlos Gomes às 18:52
link do post | favorito

MOITA REALIZA FEIRA DE ARTESANATO

No primeiro e segundo sábado de cada mês

Feira de artesanato “Artes e Talentos” continua no Mercado Municipal da Moita

A Feira de Artesanato “Artes e Talentos” continua a realizar-se, durante o ano de 2015, no interior do Mercado Municipal da Moita, sempre no primeiro e segundo sábado de cada mês. Assim, nos dias 3 e 10 de janeiro, entre as 9:00h e as 13:30h, vai encontrar artesãos de várias áreas: madeira, tecido, metal, cerâmica, cortiça, crochet, entre outras.

Esta feira de artesanato insere-se no Programa de Dinamização e Animação do Mercado Municipal da Moita. Para participar, deve inscrever-se através do endereço eletrónico pav.mun.exposicoes@mail.cm-moita.pt, indicando nome, morada, telemóvel, número de contribuinte e tipo de produtos a expor (com fotos exemplificativas). Mais informações na Divisão de Atividades Económicas e Turismo da Câmara Municipal da Moita (T: 210816914).



publicado por Carlos Gomes às 15:20
link do post | favorito

CENTRO DE PATRIMÓNIO DA ESTREMADURA DESEJA BOAS FESTAS

unnamed



publicado por Carlos Gomes às 15:17
link do post | favorito

MOITA PREPARA QUINZENA DA JUVENTUDE

Até 11 de janeiro: “Apresenta o Teu Projeto” para Quinzena da Juventude/2015

Até 11 de janeiro, estão abertas as candidaturas para apresentação de projetos a integrar o programa da Quinzena da Juventude/2015, no concelho da Moita.

As associações de estudantes, associações e estruturas juvenis, grupos informais ou jovens a título individual que tenham projetos nas áreas do teatro, música, dança, desporto ou outras devem enviar a ficha de inscrição (disponível emwww.cm-moita.pt, no canal Juventude) por email: juventude@mail.cm-moita.pt, por carta ou pessoalmente.

Contactos do Gabinete da Juventude da Câmara Municipal da Moita:

Centro de Experimentação Artística, Avenida Vasco da Gama – Vale da Amoreira. T: 211810030.

Participa!


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 00:45
link do post | favorito

Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014
MOITA PROMOVE ATELIÊ DOS TEIS PARA OS MAIS PEQUENOS

Na Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira

A Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira começa o ano de 2015 com o Ateliê dos Reis, nos dias 2 e 3 de janeiro, a partir das 15:00h, dirigido a crianças dos 6 aos 12 anos.

Ateliê dos Reis

Nestes ateliês, os participantes vão criar uma marioneta com o seu Rei Mago favorito, com rolos de papel, dando assim vida a uma figura milenar. No final, e com muita imaginação, as marionetas vão ser as protagonistas de uma história divertida.

A participação é gratuita.



publicado por Carlos Gomes às 19:41
link do post | favorito

Domingo, 21 de Dezembro de 2014
BOMBEIROS PARA SEMPRE DESEJA BOAS FESTAS

image006



publicado por Carlos Gomes às 11:06
link do post | favorito

NATALE SOLIS INVICTI OU O SOLSTÍCIO DO INVERNO

Celebra-se hoje o Solstício do Inverno

Todo o mundo cristão celebra por esta altura o nascimento de Jesus, não obstante desconhecerem-se quaisquer referências históricas ou bíblicas que mencionem a data em que tal acontecimento se verificou. Por conseguinte, o Natal é festejado a 25 de Dezembro ou a 7 de Janeiro de acordo com as tradições católica ou ortodoxa, em virtude da adoção dos calendários juliano ou gregoriano. Ora, é nesta ocasião que ocorre o solstício do inverno ou nascimento do sol, precisamente a altura em que os raios solares deixam de decrescer e passam de a aumentar, fazendo de novo crescer os dias em relação às noites.

Os cultos solares são bastante remotos entre nós como atesta a suástica (na foto) encontrada na citânia de Briteiros, em Guimarães

 

Desde a mais remota antiguidade que o ser humano adorou o sol, deificando-o e atribuindo-lhe a primazia sobre as demais divindades. Tal sucedeu na Caldeia, na Palestina e no Egipto, aqui adorado sob o nome de Ra. Na antiga Pérsia e na Índia, o deus Sol era designado por Mitra tendo o seu culto dado origem ao mitraísmo que viria mais tarde a rivalizar com o cristianismo a sua influência no Império romano, acabando por vir a sucumbir com a sua queda e mais tarde acabando por desaparecer por completo com o avanço do islamismo na Pérsia. Antes, porém, o mitraísmo fora assimilado pelos gregos e espalhou-se por todo o Império romano. O deus Mitra era geralmente representado por um jovem com um boné frígio, túnica e manto sobre o ombro esquerdo. Esta religião era superiormente dirigida por um sumo pontífice a os seus sacerdotes ostentavam sobre a cabeça uma mitra. Curiosamente, trata-se do chapéu com que os bispos se apresentam quando envergam as vestes pontificais, tendo a sua origem na Pérsia e no Egipto, correspondendo ao turbante e por conseguinte aludindo à adoração de Mitra.

Não admira, pois, que ao culto solar tenha sido sobreposta a adoração ao menino Jesus, sendo-lhe atribuída a data do seu nascimento precisamente numa altura em que os romanos celebravam o natale solis invicti consagrado ao deus Sol, à semelhança do que se verifica com inúmeras festividades pagãs que foram de algum modo adaptadas e "convertidas" à crença cristã. Na mesma ocasião realizavam os romanos as saturnais ou saturnálias que, como o próprio nome indica, eram festividades consagradas a Saturno, trocavam de presentes e organizavam um banquete público, aspetos que de alguma forma podemos relacionar com as tradicionais "festas dos rapazes" em várias localidades de Trás-os-Montes. Aliás, o culto a Saturno chegou a ser muito difundido na Península Ibérica, tendo diversos escritores da antiguidade referindo-se à existência de santuários entre os quais se supõe ter havido um na Ínsua do rio Minho, um local onde atualmente as gentes locais vão em peregrinação ao Senhor Jesus dos Mareantes, fazendo festa rija em Agosto. Saturno era o deus protetor dos semeadores e das sementes, pelo que os romanos acreditavam que durante as saturnais regressava a abundância, assegurando a fertilidade durante essa época do ano.

Ainda em relação ao mitraísmo, também este possuía extraordinárias semelhanças com o cristianismo, entre as quais a crença no céu e no inferno, na ressurreição, nos pastores que tal como os reis magos ofereciam presentes, no dilúvio, na santificação do domingo, na prática da confissão e da comunhão e, finalmente, a própria celebração do 25 de Dezembro!

A celebração do nascimento de Jesus constitui atualmente uma festa que é vivida com grande intensidade pelo povo português e que, apesar da sua significação profundamente religiosa, também não escapa às regras de funcionamento de uma sociedade mercantilizada, virada cada vez mais para os interesses materiais em detrimento dos valores espirituais. Não obstante, as festividades da quadra natalícia encontram-se profundamente enraizadas no nosso folclore revelando-se através das mais diversas manifestações de cariz popular, na gastronomia, na música, nas lendas e de um modo geral em todos os aspetos que envolvem tais celebrações. Não obstante, temos principalmente nos últimos tempos vindo a constatar que tradições oriundas de outros países têm vindo a substituir alguns costumes genuínos do nosso povo, como sucede com a reverência ao "Pai Natal", agora destituído para dar lugar a S. Nicolau, quando outrora as festividades decorriam exclusivamente em torno do "menino Jesus". Da mesma forma que o tradicional presépio cedeu o lugar ao nórdico pinheiro de Natal enfeitado com flocos de neve, mesmo em locais onde jamais nevou...

Carlos Gomes / http://www.folclore-online.com/



publicado por Carlos Gomes às 10:53
link do post | favorito

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014
FITNESS HUT ACONSELHA A MANTER A FORMA MESMO QUANDO NÃO TEM TEMPO DE IR AO GINÁSIO

7 MINUTES CHRISTMAS WORKOUT NO FITNESS HUT

Quando a preparação para o Natal não permite idas frequentes ao ginásio há um plano infalível para manter a figura

A azáfama da época natalícia relega para segundo, terceiro ou quarto plano a rotina de treino no ginásio. Para que o sentimento de culpa não exista quando comer a deliciosa rabanada ou a segunda fatia do tronco de Natal, o Fitness Hut faz um plano de treino diário em apenas 7 minutos.

FH_LOGO

Na época de Natal, os argumentos para faltar ao ginásio multiplicam-se: são os presentes para comprar, os preparativos para a ceia de natal, escrever cartões de Boas Festas para a família e amigos, refeições com os colegas de trabalho, etc. E quando chega o dia 24, a falta de ginasticar oferece à consciência o sentimento de culpa quando quer provar a fatia dourada quentinha ou lhe apetece o segundo prato de bacalhau com couves.

Para que não se iniba a provar as delícias do Natal, Amâncio Santos, Club Manager Fitness Hut Amoreiras, define o 7 minute workout - um plano de 7 exercícios diários que utilizam apenas o peso do corpo e que podem ser realizados por qualquer pessoa, em qualquer lugar.

Cada exercício deverá ser cumprido em 1 minuto e o nível de repetições ao circuito deverá ser efetuado mediante o nível de prática – nível iniciado: 1 repetição do circuito; nível intermédio: 2 repetições; nível avançado: 3 repetições.

7 minutes Christmas Workout

  1. Squats ou Squat Jumps
  2. Mountain Climb
  3. Push Ups
  4. Lunges ou Power Lunges
  5. Plank
  6. Burpees

Lateral Plank

Mais informações

Sandra Santos

sandra.santos@fitnesshut.pt

+351 926 791 926

www.fitnesshut.pt


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:47
link do post | favorito

FITNESS HUT ACONSELHA NATAL SAUDÁVEL

As iguarias da época natalícia exaltam o pecado da gula. Para desfrutar das tentações de Natal sem estragar a linha, o Fitness Hut apresenta a lista de compras para uma ceia saudável e truques para ingerir menos calorias.

Aceite o desafio e prepare uma ceia de Natal saudável, com a ajuda dos clubes Fitness Hut e das receitas da Nutricionista Lillian Barros.

Os ingredientes sugeridos são pouco usuais, mas plenos de vantagem e as iguarias ganham um sabor extra com menos calorias.

A sua lista de compras deve, assim, incluir: açúcar de coco, açúcar mascavado, farelo, bagas de goji, canela, frutos secos, arandos, castanhas, natas de soja, azeite, iogurte e leite magros, semente de chia, sementes de linhaça, pão de forma integral ou de mistura, farinha de centeio, farinha integral, farelo de aveia e Weetabix.

Atenção: com estes ingredientes vai poder não cortar no arroz, nas batatas doces, no perú e ilustre bacalhau.

E, para quem não aprecia bacalhau, desenvolva receitas alternativas e baixas em calorias sem desvirtuar a tradição: rabanadas no forno, arroz doce light e muito mais.

Aprenda a desfrutar das iguarias da época sem comprometer a sua saúde, com o Fitness Hut.

CEIA NATALÍCIA MAIS SAUDÁVEL

BY LILLIAN BARROS & FITNESS HUT

Aprenda a preparar receitas baixas em calorias, saborosas e sem desvirtuar a tradição:

rabanadas no forno, arroz doce light e muito mais!

Saiba como se proteger das tentações natalícias, a compensar eventuais excessos e a minimizar a fatura a pagar na balança em 2015, utilizando estratégias simples, mas eficazes. Aprenda a melhor forma de “desintoxicar” o organismo em 2015 depois da quadra festiva que vai desde a preparação para o Natal até ao dia de Reis.

Não deixe que este momento de partilha e felicidade estrague o compromisso com a sua saúde e alie, ainda, as melhores receitas aos exercícios mais adequados, para que passe esta época desfrutando devidamente e livre de repercussões negativas.

EXERCÍCIOS

Mulher

  1. Corrida de 400 metros
  2. 15 thrusters

 De pé, com as pernas afastadas, o fundo das costas ligeiramente arqueadas e os braços fletidos com os pesos virados para cima em que, as mãos, não ultrapassam a parte superior dos ombros;

 A cabeça e o peito erguidos, puxar as ancas para trás e ir descendo até à posição de squat;

 Fazer o movimento contrário para ficar com o corpo esticado e estender os braços para que os pesos fiquem por cima a cabeça;

 Terminar na posição inicial e repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 push ups

 Deitar o corpo de barriga voltada para baixo. Ficar suspensa em bicos de pés e braços esticados com as mãos ligeiramente ao lado dos ombros;

 Encolha a barriga e comece a descer o corpo mantendo o pescoço e a coluna alinhados;

 Quando o peito estiver à distância de um punho do chão, devagar, voltar à posição inicial;

 Para quem tem mais dificuldade, pode fazer o exercício apoiado nos joelhos e pernas fletidas;

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 kettlebell swing

 Colocar as pernas semi fletidas, com os pés posicionados à largura dos ombros, o torso inclinado para a frente e as ancas movidas para trás. As duas mãos agarram a kettlebell e começam a balançar o equipamento para a frente e para trás, entre as pernas;

 Erguer as pernas, endireitar o torso, comprimir os glúteos e posicionar as ancas à frente, de forma a impulsionar o balanço da kettlebell para a frente. O equipamento deverá alcançar uma altura nunca superior ao nível dos olhos.

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 Air Squat

 Em pé, braços em extensão a 90º do chão, pés à largura dos ombros, joelhos ligeiramente fletidos, costas direitas, abdominal contraído, coluna neutra;

 Descer ao mesmo tempo, os joelhos fletidos sem que estes ultrapassem a linha limite do pé, inclinar ligeiramente o tronco à frente, colocando a bacia para trás, como se fosse sentar;

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. Corrida de 400 metros
  2. 15 deadlifts

 Colocar as pernas abertas com os pés ligeiramente mais afastados que os ombros. Os pesos deverão estar colocados ao lado dos pés;

 Agarrar os pesos fazendo um squat: descida com as pernas semi fletidas, o torso direito, os braços esticados e os pés bem firmes no chão;

 Quando se começar a elevar, a coluna deverá ficar direita, tendo para isso a ajuda da força dos abdominais. Os pesos deverão permanecer perto do corpo.

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 power lunges lunges

 Torso direito, cabeça elevada a olhar em frente e braços ao lado do corpo a agarrar os pesos;

 As pernas começam a fletir: a perna direita ajoelha para trás, sem tocar no chão, a formar um ângulo de 90 graus, e a perna esquerda flete para a frente, num ângulo perfeito de 90 graus;

 Voltar à posição inicial e fazer a flexão trocando as pernas.

 Inalar quando se eleva, exalar quando se faz a flexão;

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 Wall Ball

 Posicionar junto à parede - a distância deverá ser medida colocando a bola entre a parede e o peito do atleta – com o torso direito, pés firmes no chão e mãos a agarrar a bola medicinal de lado;

 O corpo vai assumir a posição de squat;

 Impulsionar o corpo para a posição inicial e, ao mesmo tempo, atirar a bola medicinal contra a parede. Quando a bola medicinal voltar para trás, agarrar de lado e fazer o squat;

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. 15 mountain climbs

 Colocar o corpo na posição inicial de um push up;

 Fletir a perna direita em direção à mão direita – esta posição é similar a quando se escalada uma montada. Colocar a perna na posição original e fazer o mesmo exercício com a perna esquerda;

 Repetir a sequência 15 vezes.

  1. Corrida de 400 metros

Homem

  1. 500m rowing
  2. 10 back squat

 Colocar os halteres em descanso nos ombros;

 Fletir os joelhos enquanto inicia um movimento descendente;

 Inclinar ligeiramente o tronco à frente, colocando a bacia para trás, como se fosse sentar;

 Voltar à posição inicial;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 box jumps

 Posicionar-se frente à caixa de salto (preferencialmente de 40 a 60 cm de altura) com as pernas abertas à largura dos ombros;

 Iniciar o exercício na posição squat – impulsionar através da extensão das ancas, balanço dos braços e ímpeto nos pés para um salto que culminará no topo da caixa;

 Aterrar na posição squat com os joelhos fletidos ligeiramente acima dos 90 graus e o peito levantado;

 Permanecer de 2 a 3 segundos nesta posição;

 Fazer o mesmo salto, mas de costas, para voltar à posição inicial;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 bench press

 Deitar-se no banco com os cotovelos junto ao corpo e as costas ligeiramente arqueadas;

 Tirar o haltere do descanso e descer até ao peito. O corpo vai assumir nova posição durante o trajeto do haltere: as ancas são retroceder ligeiramente, os glúteos e pernas começam a contrair e as pernas a fazer um triângulo;

 O haltere vai descer até ao peito. Segurar de forma firme e segura;

 Fazer o movimento contrário para colocar o haltere no descanso;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 pull ups

 Agarrar a barra com as mãos separadas à distância dos ombros e os braços esticados de forma a que o corpo esteja pendurado;

 Começar a puxar o corpo para cima onde, o peito deverá ultrapassar a barra;

 Voltar à posição inicial;

  1. Repetir a sequência 10 vezes.
  2. 500m rowing
  3. 10 clean & press

 Iniciar com o haltere no chão, frente aos pés, joelhos ligeiramente fletidos, peito elevado, torso e braços direitos;

 Agarrar o haltere em posição de squat;

 Quando o haltere chegar à altura da anca, o corpo deverá ser esticado para permitir impulsionar o haltere para cima – os cotovelos vão apontar para fora à medida que o haltere é colocado à medida do peito;

 Posicionar num ligeiro squat à medida que o haltere sobe até à altura do pescoço. Os ombros relaxam;

 Estender as pernas enquanto estica os braços e eleva o haltere a cima da cabeça;

 Voltar à posição inicial;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 burpees over the bar

 Colocar ao haltere no chão e deitar ao lado;

 Levantar o corpo através do impulso das mãos e ficar na posição de squat ao lado do haltere;

 Erguer o corpo e saltar de lado por cima do haltere;

 Posição de squat;

 Deitar no chão;

 Fazer o mesmo movimento para efetuar um salto para o lugar inicial;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 walking lunges com halteres

 Torso direito, cabeça elevada a olhar em frente e braços a agarrar o haltere atrás da cabeça, ligeiramente apoiado nos ombros;

 As pernas começam a fletir: a perna direita ajoelha para trás, sem tocar no chão, a formar um ângulo de 90 graus, e a perna esquerda flete para a frente, num ângulo perfeito de 90 graus;

 Iniciar uma caminhada em linha reta com as pernas a continuarem a fletir da forma

anteriormente exposta;

 Inalar quando se eleva, exalar quando se faz a flexão;

 Repetir a sequência 10 vezes.

  1. 10 remadas no TRX
  2. 500m rowing

 NÍVEL INICIAL: repetir o circuito 1 vez

 NÍVEL INTERMÉDIO: repetir o circuito 2 vezes

 NÍVEL AVANÇADO: repetir o circuito 3 vezes

RECEITAS

As receitas são da autoria da nutricionista Lillian Barros. Os ingredientes deverão ser, sempre que possível, biológicos, pois são isentos de químicos entre outros aditivos prejudiciais à saúde.

BACALHAU COM NATAS

Ingredientes

 (6 pessoas)

 4 postas de bacalhau demolhado

 2 cebolas

 4 dentes de alho

 1 folha de louro

 2 colheres de sopa de azeite

 1 cenoura ralada

 800g de batatas

 Sal e Pimenta q.b.

 200ml de natas de soja light

Para o molho bechámel:

 40g de margarina light (Becel)

 50g de farinha de trigo integral

 250ml leite magro

 250ml de água de cozer o bacalhau

 Sal e Pimenta q.b.

 Noz moscada q.b.

 Sumo de limão q.b.

Modo de Preparação

  1. Coza o bacalhau em água a ferver. Quando estiver cozido retire-o e deixe arrefecer. Guarde 250ml da água para o molho. Depois elimine as peles e as espinhas e separe em lascas. Reserve.
  2. Descasque e corte as batatas em cubos pequenos. Coloque as batatas em água com pouco sal e leve ao lume. Aguarde até que ferva e deixe cozer por mais 5 minutos. Retire do lume, escorra, tempere com pimenta e reserve. (Utilize batatas que não se desfaçam facilmente)
  3. Corte as cebolas às rodelas, pique os alhos e coloque-os numa frigideira anti-aderente. Junte o azeite, a cenoura ralada e uma folha de louro. Leve ao lume para refogar. Quando a cebola estiver translúcida, junte o bacalhau e deixe cozinhar durante alguns minutos. Retire o louro e reserve.
  4. Coloque a farinha e a margarina num fervedor de leite e leve a lume brando. Mexa rapidamente com uma colher de pau para não ganhar caroços. Junte o leite e a água de cozer o bacalhau aos poucos e continue a mexer até obter um creme grosso e bem cozido. Se, por acaso, o molho formar caroços, utilize a varinha mágica para os desfazer.
  5. Junte as natas de soja e tempere com pouco sal, pimenta, noz-moscada e sumo de limão a gosto.
  6. Num tabuleiro, junte as batatas, o bacalhau e o molho. Envolva bem e leve ao forno durante cerca de 20 minutos ou até estar dourado por cima.
  7. Sirva quente e acompanhe com uma salada.

Sugestões: Quando juntar o bacalhau ao refogado, acrescente uma colher de sopa de salsa picada.

PERÚ RECHEADO COM CASTANHAS

Ingredientes

 (8-10 pessoas)

 1 peru (3kg)

 2 laranjas

 2 limões

 2 folhas de louro

 400g de pão de mistura de cerais ou integral

 1l de leite magro

 3 ovos

 4 c. de sopa de pão ralado

 100g de miolo de pistácio

 150g de cebolinhas congeladas

 1 cálice de vinho do Porto

 1 raminho de poejos

 600g de castanhas congeladas

 2 cebolas

 1dl de azeite

 1dl de vinho

 água, sal grosso, sal e pimenta q.b.

Modo de Preparação

  1. Arranje o peru, cortando-lhe o pescoço, junto ao papo, sem danificar a pele. Elimine as pontas das asas. Retire também os pulmões ou outras gorduras desnecessárias. Lave e seque bem a carne.
  2. Coloque o peru num recipiente com água temperada de sal grosso, as laranjas e os limões, ambos cortados em rodelas, e o louro e deixe de molho de um dia para o outro. Retire a carne da marinada e escorra.
  3. Amoleça o pão de mistura no leite magro e esprema-o bem. Junte-lhe os ovos, o pão ralado, os pistácios, as cebolinhas, o vinho do Porto, um pouco de poejos e as castanhas. Mexa bem.

Tempere com pouco sal e pimenta. Recheie-o na cavidade abdominal e no papo.

  1. 4. Coza o papo com o auxílio de uma agulha e fio de cozinha, de modo a fechar as aberturas.

Ate as pernas.

  1. Coloque num tabuleiro as cebolas cortadas em rodelas e os restantes poejos. Sobreponha o peru.
  2. Regue com o 1-2 colheres de sopa de azeite e leve ao forno (a 230º C), por cerca de três horas. Após 40 minutos, diminua para 180ª C. Regue com o vinho e adicione um pouco de água.

Vá regando o peru com o próprio molho. Retire o peru, elimine o fio e sirva.

Sugestões: Como assar o Peru?

Envolto em papel de alumínio Coloque a ave, envolta no papel de alumínio numa assadeira.

Ponha o peito virado para cima e asse a 230º. Retire o papel de alumínio nos últimos 20 a 30 minutos de cozedura, para que fique mais dourado. Como verificar se já está assado O peru está assado quando a parte grossa das coxas ficar macia e a articulação do osso girar com facilidade. O sumo da carne não deverá ser cor-de-rosa quando se espetar a coxa com o garfo.

Se o perú for recheado, a temperatura do recheio, no centro, deverá atingir, no mínimo, 73º.

RABANADAS NO FORNO

Ingredientes

 (8 pessoas)

 8 fatias de pão de forma integral

 200 ml de leite magro

 1 colher de chá de essência de baunilha

 1 colher de sobremesa de açúcar light

 3 colheres de sopa de água

 1 ovo inteiro

 1 clara

 Canela em pó

Modo de Preparação

  1. Misture o leite magro, o açúcar e a baunilha.
  2. Bata ligeiramente o ovo inteiro e a clara. Adicione três colheres de água e misture bem.
  3. Passe cada fatia de pão no leite e em seguida no ovo batido. Coloque as fatias na forma e leve ao forno bem quente, pré-aquecido (280º), aproximadamente 8-10 minutos. Vire as rabanadas na metade do tempo, para dourarem dos dois lados.
  4. Sirva e polvilhe com canela.

ARROZ DOCE LIGHT

Ingredientes

 100 g de arroz carolino

 1 casca de limão

 1 pau de canela

 ½ colher (café) de sal

 5 decilitros de leite magro

 65 g de açúcar light

 3 gemas de ovos

 Canela em pó q.b.

Modo de Preparação

  1. Coza o arroz em três vezes o seu volume de água, juntamente com a casca de limão, o pau de canela e o sal.
  2. Quando o arroz estiver cozido escorra a água que ficou e adicione o leite quente, pouco a pouco, mexendo sempre.
  3. Quando o arroz tiver absorvido todo o leite, retire-o do lume e junte-lhe imediatamente o açúcar e as gemas.
  4. Deite o arroz-doce em pratinhos e enfeite com canela em pó. Nota: Antes de juntar o leite e o açúcar, o arroz tem de estar completamente cozido.

(www.lillianbarros.com)

Mais informações: s: http://www.fitnesshut.pt | n: Sandra Santos | e: sandra.santos@fitnesshut.pt |

FH_LOGO

Mais informações

Sandra Santos

sandra.santos@fitnesshut.pt

+351 926 791 926

www.fitnesshut.pt



publicado por Carlos Gomes às 20:41
link do post | favorito

ESPAÇOS FITNESS LOW-COST PREMIUM CHEGAM A LOURES E LINDA-A-VELHA

Loures, Linda-A-Velha e Setúbal recebem os mais recentes espaços de fitness low-cost premium e elevam para 11 os clubes da rede

O Fitness Hut, primeira cadeia ginásios premium low-cost, inaugura espaços em Linda-A-Velha, Loures e Setúbal e perfaz um total de 11 ginásios. Com este marco, os objetivos estabelecidos para 2014 foram ultrapassados.

O clube de Linda-A-Velha respira fitness em 1.671m2. O clube de Setúbal abre portas no maior e mais recente espaço comercial da cidade, o Alegro Setúbal, ocupando uma dimensão de 1.620m2. E o clube de Loures, por sua vez, ocupa uma área de 2.400m2. Estes 3 clubes oferecem condições especiais para sócios-pioneiros, membros que se inscrevem antes do clube abrir (6,60€/semana | livre-trânsito: acesso a aulas e ginásio em qualquer horário).

Os três novos clubes integram as pioneiras Aulas Virtuais e oferecem aos sócios as melhores condições, com espaços específicos para cada tipo de treino, espaço cardio-fitness, resistência, musculação, treino funcional, combate, sprint e stretch, grande variedade de aulas e com preços únicos, a partir de 4,40€ por semana.

A 11ª abertura ultrapassou a meta dos responsáveis Fitness Hut definida para o presente ano e revela a excelente aceitação que os clubes têm no nosso país. Nick Coutts, fundador e gestor da empresa afirma: “Estabelecemos como objetivo para 2014 ter 8 clubes em Portugal e, prestes a terminar o ano, contamos com 8 espaços abertos e 3 em pre-sale, prontos a iniciar atividade no primeiro trimestre de 2015! Estamos muito satisfeitos pelos resultados obtidos. Para o próximo ano, as expetativas são elevadas, mas seguramente estamos a dar os passos certos para concretizar a nossa ambição - ser a maior cadeia de ginásios em Portugal.”

Com a abertura dos novos clubes Fitness Hut, a cadeia estende-se aos 11 ginásios – Grande Lisboa: Amoreiras, Arco do Cego, Picoas, Olivais, Odivelas, Loures, Linda-A-Velha, Cascais; Sul de Lisboa: Setúbal; Norte: Trindade e Braga). Para 2015, o objetivo é continuar a expandir a marca, de norte a sul do país, a um ritmo de um ginásio por mês terminando o ano com uma rede de 20 espaços Fitness Hut.

Mais informações

Sandra Santos

sandra.santos@fitnesshut.pt

+351 926 791 926

www.fitnesshut.pt



publicado por Carlos Gomes às 20:27
link do post | favorito

FUNDAÇÃO INATEL DESEJA BOAS FESTAS


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:12
link do post | favorito

CLUBES ROTÁRIOS ENTREGAM ALIMENTOS

Os mais de 200 clubes rotários, incluindo as novas gerações, dos dois distritos portugueses, começaram a entregar os alimentos, que se comprometeram a angariar, de acordo com o projeto "Postais por Alimentos".

Os rotários assumiram a compra de um quilo de alimentos, por cada um dos cinco mil postais que enviaram. Esta iniciativa foi partilhada pelos clubes e sócios rotários, que escolheram a associação destinatária dos bens alimentares.

Muitas entidades e associações, que receberam os postais de Rotary, quiseram associar-se a este momento, contribuindo para o aumento dos valores de alimentos previstos. É o caso do Rotary Club de Arouca, que vai fazer chegar os alimentos, na próxima segunda, dia 22 de dezembro, ao Centro Social e Cultural de Fermedo / Escariz e Mato, no lugar do Corouto, em Escariz (Arouca). O clube rotário conseguiu, com parcerias locais, angariar mais de 400 quilos de alimentos, que vai entregar na associação, a partir das 14,00 horas, na presença de entidades públicas locais.

Um momento de partilha, assente no compromisso de Rotary de encontrar soluções, junto das suas comunidades.

A Comissão de Relações Públicas e Imagem D1970



publicado por Carlos Gomes às 14:05
link do post | favorito

MIGUEL BOIM APRESENTA EM SINTRA O LIVRO "SINTRA LENDÁRIA"

Entrada Livre

Sexta-feira, 19 de Dezembro

21h30

Indicações para a Casa do Fauno:

Seguir até à Quinta da Regaleira; entrar para a rua do parque de estacionamento, que se encontra à frente de um antigo palácio abandonado (em estilo mourisco); seguir pela rua sem saída (Rua Trindade Coelho); após 400 metros encontrará à esquerda o portão da Quinta dos Lobos, onde se localiza a Casa do Fauno.



publicado por Carlos Gomes às 08:51
link do post | favorito

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014
MUSEU DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ABRE AO PÚBLICO EXPOSIÇÃO DE PRESÉPIOS EM FÁTIMA

19 de dezembro a 25 de janeiro, Terça a domingo, das 10h00-17h00, no MASE - Museu de Arte Sacra e Etnologia de Fátima

O Museu da Presidência da República abre ao público, no próximo dia 19 de dezembro, em parceria com o MASE - Museu de Arte Sacra e Etnologia e a LaMASE - Liga dos Amigos do MASE, a exposição temporária “Contemplar a Glória – Representação da Natividade na Arte Contemporânea”, no Museu de Arte Sacra e Etnologia, dos Missionários da Consolata, em Fátima.

A mostra integra cerca de 40 presépios da coleção de Maria Cavaco Silva, selecionando-se os exemplos mais significativos da arte presepista contemporânea. Trabalhos de conceituados autores que possuem já obras no Santuário de Fátima, como os de Siza Vieira, Cristina Leiria, Clara Menéres, José Aurélio, entre outros, estarão em exposição até ao dia 25 de janeiro.

Esta iniciativa pretende dar a conhecer aos visitantes a diversidade da representação da Natividade, a partir de um olhar contemporâneo sobre o tema e do gosto informado da colecionadora.

CristinaLeiria.jpg

ClaraMeneres.jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:13
link do post | favorito

Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2014
BANDA DA ARMADA REALIZA CONCERTO DE NATAL NO MUSEU DE MARINHA



publicado por Carlos Gomes às 19:11
link do post | favorito

UNIÃO EUROPEIA DÁ UM CHOURIÇO A QUEM LHE DEU O PORCO

Bruxelas concede a Portugal aumento das quotas de pesca em 7,8% na ZEE portuguesa

Os ministros das Pescas da União Europeia concederam aos pescadores portugueses a possibilidade de poder capturar mais pescada e carapau e menos lagostim, traduzido num aumento global de 7,8% em relação ao ano anterior.

1278500_584453134951093_173487309_n

A União Europeia autoriza Portugal a aumentar as quotas individuais como na pescada em 15%, o equivalente a mais 634 toneladas, no carapau em 10% e no tamboril em6%. Em contrapartida, terá de diminui a pesca de lagostim em 10%, ou menos 18 toneladas, comparativamente ao ano ainda em curso, e de raias, também de 10%, ou menos 117 toneladas. Noutras espécies, Portugal mantém as quotas que lhe foram atribuídas em 2013, casos do biqueirão, juliana, linguado e solha.

A generosidade deste acordo que a ministra da Agricultura e do Mar classifica como “histórico” sugere-nos o dito popular segundo o qual “a União Europeia dá-nos um chouriço após lhe oferecermos o porco”. Refira-se que, aquando do Tratado de Lisboa, o governo português transferiu para a União Europeia a gestão das pescas na área da Zona Económica Exclusiva (ZEE) portuguesa.

Carlos Gomes

Fotos: Luís Eiras / http://esposendealtruista.blogspot.pt/



publicado por Carlos Gomes às 14:16
link do post | favorito

Terça-feira, 16 de Dezembro de 2014
PARTIDO "OS VERDES" DESEJA FESTAS FELIZES

image001


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:52
link do post | favorito

CONVENTO DOS CARDAES REALIZA CHÁ E VENDA DE NATAL

untitled


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:50
link do post | favorito

CONCELHO DA MOITA ENCERRA COMEMORAÇÕES DOS 500 ANOS DO FORAL DE ALHOS VEDROS

Comissão Executiva dinamizou mais de 30 iniciativas ao longo de um ano

O encerramento das comemorações dos 500 Anos do Foral de Alhos Vedros, que decorreu, dia 14 de dezembro, ficou marcado pela grande participação da população, tanto no último concerto do Encontro de Música e Canto de Compositores do Seculo XVI, na Igreja Matriz de Alhos Vedros, como na apresentação do livro “Alhos Vedros: Economia, Administração e Demografia Séculos XIV-XVIII”, de António Gonçalves Ventura, na Igreja da Misericórdia.

Apresentação do Livro

O concerto de música antiga foi protagonizado pelo Mediaevus Ensemble, Grupo Coral do Montijo e Grupo Coral Alius Vetus.

O livro agora publicado – “Alhos Vedros: Economia, Administração e Demografia Séculos XIV-XVIII” – surge na sequência do Programa Municipal de Apoio à Investigação e Divulgação – Moita Património, lançado durante estas comemorações, e resulta da adaptação das dissertações de Mestrado e de Doutoramento do autor, dando uma visão abrangente do concelho de Alhos Vedros de uma forma integrada, ao mesmo tempo que aborda temas que ainda não tinham sido objeto de estudo. Segundo o vice-presidente da Câmara Municipal da Moita, Daniel Figueiredo, trata-se de um estudo “metodicamente bem planificado e estruturado, com carácter inovador e de grande valia para a comunidade escolar do Município da Moita”. António Gonçalves Ventura, o autor, dedicou o seu livro a toda a população de Alhos Vedros e valorizou o Programa Municipal “Moita Municipal” que possibilitou a publicação deste livro.

Apresentação do livro 2

No encerramento oficial, foi feito o balanço destas comemorações. Ao longo de um ano – de dezembro de 2013 a dezembro de 2014 –, realizaram-se mais de 30 iniciativas que envolveram diferentes entidades e instituições, destacando-se a reedição do livro “Foral de Alhos Vedros”, a Oficina de Danças Medievais, Ciclo de Conferências, Música em Movimento, Cortejo Histórico e Etnográfico, Ceia Medieval, Rota Manuelina, Edição do livro “Azulejos da Igreja de São Lourenço”, entre muitas outras.

Comissão Executiva das Comemorações

O presidente da Câmara Municipal da Moita, Rui Garcia, valorizou o empenho de toda a comissão executiva – Câmara Municipal, Junta de Freguesia de Alhos Vedros, Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros, Agrupamento de Escolas José Afonso, Centro Paroquial de Alhos Vedros, Alius Vetus – Associação Cultural História e Património e CACAV – Círculo de Animação Cultural de Alhos Vedros – e também de outras associações do concelho, escolas, forças de segurança e população, que contribuíram para o sucesso destas comemorações. “Este é um exemplo que devemos aprender e registar; estes são os resultados que podemos obter da cooperação entre todos”, reforçou o autarca. A terminar esta iniciativa, foi apresentada a Medalha Comemorativa dos 500 Anos do Foral de Alhos Vedros, da autoria de António Tapadinhas, artista plástico e pintor do concelho da Moita.

A 15 de dezembro, foi também lançado o selo comemorativo dos 500 Anos do Foral de Alhos Vedros que pode ser adquirido na “Casa Amarela” – CACAV, em Alhos Vedros.

Encontro de Música e Canto -  Mediaevus Ensemble

Encontro de música e Canto - Grupo Coral Alius Ve

Encontro de música e canto - Grupo Coral do Monti



publicado por Carlos Gomes às 11:23
link do post | favorito

Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2014
SERÁ QUE A “REFORMA ADMINISTRATIVA TERRITORIAL AUTÁRQUICA” VALEU A PENA?

Decorridos que são cerca de dois anos desde que foi implementada a chama “Reforma Administrativa Territorial Autárquica”, é tempo de fazer o balanço acerca das alegadas vantagens que decorrem dessa decisão política.

ManifestaçãoFreguesias 093

Desde logo, convém saber quanto representa em termos de custos a implementação da referida “reforma administrativa” ou seja, qual o valor economizado no Orçamento de Estado com a fusão de freguesias. E, constituindo a uma melhor gestão dos recursos disponíveis um dos seus principais fatores, em que medida a mesma se traduziu numa maior racionalização de meios logísticos e humanos, mormente instalações, equipamentos, gastos e telecomunicações, transportes e melhor gestão do pessoal.

Desde que a polémica “reforma” foi implementada e ao contrário do que foi propalado, não assistimos a qualquer redução de meios logísticos e até, nalguns casos, estes aumentaram como sucede com a obtenção de novas instalações para sede das freguesias entretanto surgidas da fusão das anteriores, sem que no entanto tenham prescindido das existentes.

Se a fusão de freguesias nos grandes centros urbanos parece uma medida aceitável, o mesmo já se torna questionável nas áreas rurais sobretudo do interior do país onde as mesmas aparentemente só trouxeram desvantagens para as populações. Resta saber se, ao contrário do pretendido, a “Reforma Administrativa Territorial Autárquica” não acabou por traduzir-se num acréscimo de encargos no Orçamento de Estado?

ManifestaçãoFreguesias 092

ManifestaçãoFreguesias 091



publicado por Carlos Gomes às 00:00
link do post | favorito

Domingo, 14 de Dezembro de 2014
ORIGENS E SIGNIFICADO DA COROA DO ADVENTO

A Coroa do Advento constitui um dos símbolos da época do Natal a anunciar o nascimento do Messias. Nos domingos do Advento, considerado o primeiro tempo do Ano Litúrgico correspondendo às quatro semanas que antecedem o Natal, as quais surgem representadas nas quatro velas. A família reúne-se à sua volta para rezar e celebrar. Seguindo a sua liturgia, é acesa a vela que corresponde à respetiva semana, entoando cânticos e fazendo leitura de passagens da Bíblia alusivas ao Advento.

As origens desta tradição remontam a antigos ritos colares praticados pelos povos europeus através dos quais celebravam o nascimento do Sol ou seja, o solstício de Dezembro, os quais vieram mais tarde a dar origem às saturnais romanas.

A sua forma circular representava precisamente a divindade solar que ocupava um lugar central em todos os ritos pagãos. Durante o inverso, os povos antigos acendiam enormes fogueiras que, simbolizando a luz e o calor em cujo regresso se depositavam as esperanças, aparece simbolizado nas velas que fazem parte dos rituais da nossa fé.

Com efeito, através do rito, os povos antigos celebravam a ação criadora dos Deuses, assegurando dessa forma a ininterrupção do ciclo da vida e da morte num perpétuo renascimento e conferindo ao ritual um cunho de magia.

Porém, partindo de tais costumes e tradições, os cristãos transmitiram a esses povos pagãos uma nova espiritualidade, levando-os a substituir as suas crenças ancestrais. E, desse modo, também a Coroa do Advento adquiriu uma nova simbologia e um novo significado.

Para o cristão, a infinidade do círculo representado na forma circular da Coroa do Advento representa o amor de Deus e a sua eternidade, bem assim como a aliança entre Deus e o Homem.

Os seus ramos verdes simbolizam a Esperança e a Vida na crença da Vida Eterna e da Ressurreição que constitui precisamente aquilo que distingue o verdadeiro cristão.

Carlos Gomes / http://www.folclore-online.com/



publicado por Carlos Gomes às 13:06
link do post | favorito

Sábado, 13 de Dezembro de 2014
MINHOTOS EM LISBOA SÃO UM CAPITAL HUMANO SUBAPROVEITADO PELOS MUNICÍPIOS DA SUA REGIÃO

Vivem e trabalham em Lisboa e concelhos limítrofes milhares de minhotos, oriundos dos mais diversos concelhos da nossa região, mas predominantemente daqueles que por razões de ordem económica e social, nomeadamente a falta de emprego, não conseguiram fixar as suas populações e viram-nas partir à procura de melhores condições de vida. A título de exemplo, quantos esposendenses, barcelenses, monçanenses, terra-bourenses, fafenses, cabeceirenses, vila-verdenses e tantos outros minhotos se encontrarão radicados na região de Lisboa?

ManifestaçãoFreguesias 090

A essa leva migratória sucede já várias gerações de descendentes que, apesar de nascidos na capital do país, mantêm o afeto pela terra dos seus pais e, identificando-se de uma maneira geral como minhotos nascidos em Lisboa. São pessoas que, graças ao esforço e sacrifício dos seus pais a que juntaram a sua inteligência e espírito empreendedor, obtiveram elevados níveis de formação e estatuto social.

À exceção de alguns concelhos do distrito de Viana do Castelo representados na capital através de associações regionalistas, a maior parte desta imensa colónia migratória encontra-se dispersa, sem qualquer elemento congregador a promover a sua união e a canalizar as suas energias para a promoção da nossa região.

A aparente falta de interesse por parte de muitos concelhos minhotos em promover o associativismo dos seus filhos que vivem distantes da sua terra natal representa o desperdício de uma força que, devidamente aproveitada e orientada, poderia ser a todos os títulos vantajosa para a região. E, se atentarmos na importância estratégica de Lisboa na divulgação das potencialidades do Minho em geral e de cada um dos seus concelhos em particular, nomeadamente como principal porta de entrada do país, tal desatenção em relação às nossas gentes aqui radicadas afigura-se-nos ainda mais gritante.

O Homem é o capital mais valioso e o Minho deve saber aproveitar todas as suas potencialidades, incluindo aquelas que poderão permitir-lhe uma maior divulgação na capital do país!

Carlos Gomes / http://bloguedominho.blogs.sapo.pt/ (Título adaptado)



publicado por Carlos Gomes às 22:55
link do post | favorito

LOURES VAI AOS FADOS!



publicado por Carlos Gomes às 11:54
link do post | favorito

Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2014
FEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS CONFRARIAS GASTRONÓMICAS DESEJA-LHE BOAS FESTAS

Imagem do Presépio de Machado de Castro

Quando começa e acaba o Natal? Quando o doce e o salgado se misturam no nosso coração e nos transportam para as recordações doces do que foi o Natal. 

O Natal está à porta e este ano quisemos lembrar-lhe que, para além da norma padronizada pelos meios de comunicação social, existem várias formas de viver a mais bela quadra do Ano. O Natal é para todos e de todos, vive-se na mesa do pobre, na mesa do remediado e na mesa do rico, mas a todos sabe da mesma maneira. São como as lágrimas que se choram na Noite de Natal, há quem chore e as lágrimas sejam doces, pois, doce é a presença de quem nos acompanha nessa noite. E há quem chore e as lágrimas sejam mais salgadas que a água do mar, pois, sente-se a ausência de quem não está ou já partiu. Mas essa é também a beleza do Natal, sentirmos mais intensamente os sentimentos que nos unem aos outros.

Não se pode medir a felicidade de cada um, já que isso faria supor que as expectativas são iguais, mas podemos dizer que na Noite de Natal não há quem não sinta o doce e o salgado misturarem-se na boca e no coração dando origem à descoberta de novas atitudes perante a vida. Chegamos nesta altura ao fecho do ano, ao início de um novo ciclo e o Natal transporta-nos para essas contas entre o deve e o haver entre nós e os outros, entre nós e a vida.

Poderemos pensar quão diferentes podem ser as “noites de Natal” e como a família pode não ser a de sangue, mas a que nos dá carinho e alento nas horas difíceis e solitárias. Apreciem o doce e o salgado de uma noite que é de todos e que por todos é sentida com o presépio, o Menino Jesus, a árvore de Natal, o frio de Inverno em noite de lua cheia que nos alumia nas viagens entre famílias, a emoção, a expectativa, a aconchegante lareira, a cozinha, pela manhã seguinte, enfim, o Natal começa e acaba quando? Quando o doce e o salgado se misturam no nosso coração e nos transportam para recordações doces do que foi o Natal.  

Com um excerto belíssimo do “O Presépio” de D. João da Câmara, que nos mostra que por vezes perdemos gratuitamente a beleza do momento, desejo a todos a oportunidade de viver o Natal naquilo que ele tem de maior, o encontro com o outro, o encontro com a vida!

“(…) Lembrou-se de fazer muito misteriosamente um presépio. O segredo em que havia de trabalhar mais o animava na tarefa. (…) Assim modelou o menino Jesus, que deitou num berço de caixas de fósforos, Nossa Senhora de mãos postas, São José de grandes barbas, os três Reis Magos a cavalo, e os pastores, um a tocar gaita-de-foles, outro com um cordeirinho às costas, e uma mulher com uma bilha. Não se pareciam lá muito; mas ele deu provas de que sabia puxar pela imaginação. (…) Aos anjos fez asas com as penas de uma galinha que depenou para um jantar que não comeu. Moeu vidro para fingir as águas do rio, e no papel de embrulho recortou um moinho que só havia de armar à última hora. (…) O que mais o encantava era o menino Jesus, com a cabeça do tamanho de um grão de milho, com buraquinhos a fingirem olhos, ouvidos, nariz e boca. Tinha mãos com cinco dedos riscados a canivete e dois pezinhos que ele achava um encanto. Era a véspera do Natal. Às dez e meia, o patrão mandou-o deitar e saiu.

Que alegria estar só! (…) Não lhe deixavam luz; mas que importava? Às escuras armaria o presépio. E logo principiou. Enrolou o moinho, pôs-lhe as velas; esticou o papel azul que fingia o céu e pregou nele com um alfinete a meia Lua; espalhou o vidro moído, num S em volta das palhas; dispôs as figurinhas, suspendeu os anjos. Depois fez uma carreira de fósforos de cera, que todos se haviam de acender ao mesmo tempo, num deslumbramento, quando desse meia-noite. (…) Batia-lhe o coração, que lhe parecia que deviam de ser milagrosas as figurinhas, que delas lhe viria algum bem, consolação de sua vida triste.

Meia noite! Acendeu os fósforos e ficou embasbacado! (…) Nunca assim vira coisa tão perfeita. Os anjos voavam deveras, os cavalos dos reis galopavam, o rio corria, as velas giravam no moinho e os pontinhos do Menino Jesus sorriam-lhe no rosto a São José e a Nossa Senhora!

Tão enlevado cantava, que nem ouviu o patrão abrir a porta, entrar na loja, chegar ao desvão.

Acordou-o do êxtase um pontapé.

- Isso… Agora larga-me fogo à escada!... Varre-me já esse lixo!

E ele, a chorar, levantou-se, foi buscar a vassoura. O bruto continuava aos pontapés.

- Vá?... Vá! Mas quando se deitou, encontrou na enxarga uma figurinha. Apalpou-a, conheceu-a logo: era a do Menino Jesus. Beijou-a muito. Pior vida levara do que ele…

Sentiu de repente um dó muito grande do patrão, que não vira nada, nem que era tão bonito aquele Menino, com um olhar tão meigo nos seus olhinhos picados.”

Um Bom e Santo Natal

Olga Cavaleiro


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 18:08
link do post | favorito

CLUBES ROTARY TROCAM POSTAIS POR ALIMENTOS

Cinco mil postais estão a ser trocados por 5 toneladas de alimentos. Este é o compromisso assumido pelos clubes rotários, dos dois distritos portugueses, nesta época de Natal.

postal

Os três mil rotários em Portugal, dos clubes distribuídos por todo o território nacional, estão a enviar postais de Natal, para associações e entidades, responsabilizando-se pela entrega de um quilo de alimento, por cada postal enviado. Os clubes rotários decidem quem é beneficiário deste compromisso, junto das suas comunidades.

   Esta iniciativa procura dar alento a várias associações, para que fiquem melhor preparadas para os pedidos de alimentos. A intenção dos rotários portugueses visa alertar, mas também mostrar o seu vínculo na busca de soluções.

Os dois Governadores apoiam este projeto, porque ambos acreditam que faz sentido mostrar que Rotary quer estar presente, pois os clubes rotários são constituídos por mulheres e homens profissionais ou de negócios, unidos no Mundo inteiro, que prestam serviço humanitário, fomentam um elevado padrão de ética e ajudam a estabelecer a boa vontade e a paz nas suas comunidades e em todo o Mundo.

Para o Governador do Distrito 1960, António Mendes, este é momento em que Rotary deve mostrar que faz parte de uma busca de soluções, pois são "muitos os desafios que temos pela frente".

Também o Governador do Distrito 1970, Fernando Laranjeira, acredita que o Rotary é permanente na busca de melhores condições de vida. E como "o companheirismo, de sócios e clubes, é o motor do movimento", deve ser partilhado com as comunidades.

Comissão de Relações Públicas e Imagem



publicado por Carlos Gomes às 10:56
link do post | favorito

Terça-feira, 9 de Dezembro de 2014
MUSEU BORDALO PINHEIRO REALIZA TERTÚLIA RISOTTO MA NON TROPPO

Tertúlia RISOTTO MA NON TROPPO | Museu Bordalo Pinheiro |

Amanhã, às 19 horas

O Museu Bordalo Pinheiro vai encerrar o primeiro ciclo de tertúlias Humor, Desenho e Gastronomia com Augusto Cid, que acompanhou com os seus desenhos alguns dos mais complicados anos da vida política portuguesa até aos nossos dias e a sua filha Mónica Cid, arquiteta e professora - e ativista - de desenho.

Já sabe: 4a feira, dia 10, às 7 da tarde, no Museu Bordalo Pinheiro.

unnamed (1)



publicado por Carlos Gomes às 20:38
link do post | favorito

AMADORA REALIZA CICLO DE PALESTRAS SOBRE ROQUE GAMEIRO

unnamed (2)



publicado por Carlos Gomes às 20:20
link do post | favorito

CONVENTO DOS CARDAES REALIZA CHÁ E VENDA DE NATAL

untitled


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 15:33
link do post | favorito

METRO DE LISBOA OFERECE CONCERTOS DE NATAL

No seguimento do que já vem sendo uma tradição de Natal no Metropolitano de Lisboa, a empresa oferece aos seus clientes, de 15 a 23 de dezembro, os tradicionais concertos de Natal.

Esta iniciativa regressa às estações do Metropolitano de Lisboa, como forma de partilhar e festejar a época de festas que se aproxima oferecendo um vasto programa de animação musical nas estações.

A tradicional iniciativa de concertos natalícios no METRO conta com a participação de coros, duetos, bandas e orquestras, envolvendo como parceiros o Grupo Coral do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, a Banda de Música dos Empregados da Companhia Carris de Ferro de Lisboa, a Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública, a Metropolitana de Lisboa, o Coro da EDP e a Casa de Pessoal do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Os concertos deste ano decorrem nas estações Alameda, Amadora-Este, Cais do Sodré, Jardim Zoológico, Marquês de Pombal e Odivelas, entre as 17h30 e as 19h00 horas.

A programação detalhada dos eventos encontra-se disponível em www.metrolisboa.pt


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 15:31
link do post | favorito

PARTIDO “OS VERDES” QUER ANULAR DISPOSIÇÕES FISCAIS PARA OS PEQUENOS E MÉDIOS AGRICULTORES

“Os Verdes” entregaram na Assembleia da República um Projeto de Resolução que recomenda ao Governo a anulação das disposições fiscais sobre os pequenos e médios agricultores que decorrem do Orçamento de Estado para 2013.

1003141_139756409564853_38033895_n

A pequena agricultura familiar tem desempenhado um papel muitíssimo importante no desenvolvimento rural, sendo responsável por três quartos da produção alimentar a nível mundial. É de tal forma fundamental que a ONU declarou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar com o objetivo de colocá-la no centro das políticas agrícolas e alimentares das agendas nacionais.

Em Portugal, a agricultura de pequena e média dimensão representa, não só, um pilar fundamental da nossa alimentação, mas também o suporte basilar da evolução da sociedade portuguesa a nível económico, ambiental e cultural, base de emprego e de ocupação do território, com um papel de extrema importância nas economias rurais. No entanto, as medidas fiscais que o governo tem vindo a implementar, refletidas no Orçamento do Estado (OE) para 2013, constituem uma enorme ofensiva contra esta pequena e média agricultura. São desproporcionais e desajustadas face à atividade desenvolvida por muitos pequenos agricultores, em que a venda de produtos, corresponde por vezes ao escoamento do excedente da produção alimentar para auto consumo e/ou consumo familiar.

A profunda alteração fiscal em curso está a obrigar os agricultores a pagar mais IRS e mais contribuições para a segurança social, a despender de mais tempo e dinheiro com burocracias, nomeadamente ao nível da contabilidade, tornando-se num incentivo evidente para o abandono da lavoura, contribuindo para o definhamento económico e social do mundo rural e ao subsequente desequilíbrio ambiental.

No sentido de contribuir para inverter esta realidade, o PEV entregou no Parlamento a iniciativa legislativa em causa que será discutida amanhã, dia 10 de dezembro, em plenário da Assembleia da República, a partir das 15.00h.

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 1176/XII/4ª

Pela anulação das disposições fiscais, sobre os pequenos e médios agricultores, que decorrem do Orçamento do Estado para 2013

A pequena agricultura familiar, tem desempenhado um papel muitíssimo importante no desenvolvimento rural, não só do ponto de vista económico e social, como também ambiental e cultural. Este tipo de agricultura é responsável por três quartos da produção alimentar a nível mundial.

A agricultura familiar é de tal forma fundamental que a Organização das Nações Unidas declarou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar com o objetivo de colocá-la no centro das políticas agrícolas e alimentares das agendas nacionais, identificando lacunas e oportunidades para promover uma mudança rumo a um desenvolvimento mais equitativo e equilibrado.

A nível nacional, a agricultura de pequena e média dimensão, aliada à mão de obra familiar, representa não só um pilar fundamental da nossa alimentação, mas também o suporte basilar da evolução da sociedade portuguesa ao nível económico, ambiental e cultural, base de emprego e de ocupação do território.

A agricultura familiar tem um papel de extrema importância nas economias rurais, pese embora as violentas ofensivas por parte dos sucessivos governos que têm conduzido à delapidação da nossa atividade produtiva, sobretudo desta pequena agricultura, tornando o país mais permeável ao endividamento e à dependência do exterior.

Os pequenos e médios agricultores excluídos dos grandes circuitos da distribuição agroalimentar têm sobrevivido e dinamizado as economias locais, através de formas de comércio tradicional ou de proximidade como são os mercados e vendas diretas, permitindo perpetuar o saber ancestral e valorizar os recursos naturais e o território na produção de alimentos, garantes da segurança alimentar.

As medidas fiscais que o governo tem vindo a implementar, refletidas no Orçamento do Estado (OE) para 2013, constituem uma enorme ofensiva contra esta pequena e média agricultura.

Entre as alterações fiscais mencionadas estão: a revogação do n.º 33 do artigo 9º do Código do IVA (CIVA), deixando de existir isenção de IVA aplicável aos agricultores ou produtores agrícolas (atividades de produção e prestações de serviços agrícolas), a obrigatoriedade da declaração de início ou reinício de atividade, junto da Autoridade Tributária e Aduaneira, a emissão de faturas independentemente do volume de vendas ou prestação de serviços agrícolas e a obrigatoriedade de declaração de início de atividade, para os agricultores, que embora fora do circuito comercial, acedam a apoios comunitários.

Estas medidas fiscais são desproporcionais e desajustadas face à agricultura familiar e ao tipo de atividade desenvolvida por muitos pequenos agricultores, em que a venda de produtos, corresponde por vezes ao escoamento do excedente da produção alimentar para auto consumo e/ou consumo familiar. Noutras situações, a pequena agricultura serve de complemento aos baixos salários e às baixas reformas.

As medidas fiscais impostas pelo governo, com a justificação da União Europeia, têm conduzido a uma enorme onda de indignação e protesto por parte dos pequenos agricultores e das associações da área, o que se relaciona com o facto de estas opções políticas não terem em consideração as especificidades do sector agrícola nacional nomeadamente: a dimensão da propriedade; a dimensão e o carácter familiar da exploração; a idade e o tempo despendido pelo agricultor; a produtividade dos solos; os elevados custos dos fatores de produção; as dificuldades de venda dos produtos; o esmagamento dos preços pelos grandes sectores de distribuição; entre outros fatores.

A profunda alteração fiscal está a obrigar os agricultores a pagar mais IRS e mais contribuições para a segurança social, a despender de mais tempo e dinheiro com burocracias, nomeadamente ao nível da contabilidade, tornando-se num incentivo evidente para o abandono da lavoura.

Neste sentido, estas alterações fiscais não vão proporcionar mais receita para o Estado, bem pelo contrário, vão fomentar as injustiças no acesso aos fundos comunitários, assim como o abandono da pequena agricultura conduzirá do ponto de vista fiscal a uma perda indireta de impostos associados à dinamização das economias locais, nomeadamente no que concerne à aquisição dos fatores de produção pelos agricultores, que por vezes são adquiridos recorrendo aos parcos salários e reformas.

Não deixa de ser curioso, que a acrescentar ao aumento de impostos, contribuições e outras despesas associadas, os agricultores que iniciem a atividade, fiquem também obrigados ao “relacionamento” desmaterializado com Autoridade Tributária, por exemplo ao nível das notificações eletrónicas, mesmo que essas não estejam associadas diretamente à atividade agrícola como é o caso do Imposto Municipal sobre Imóveis.

A fiscalidade negra que o governo está a implementar no setor agrícola, é extremamente prejudicial para os pequenos e médios agricultores e conduzirá não só ao abandono de muitas explorações agroalimentares familiares, como também ao definhamento económico e social do mundo rural e ao subsequente desequilíbrio ambiental, por exemplo com a proliferação de infestantes e espécies de crescimento rápido propicias à ocorrência de incêndios no verão.

Assim, o Grupo Parlamentar “Os Verdes” propõe, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, que a Assembleia da República recomende ao Governo:

Que proceda à revogação das imposições fiscais sobre os pequenos e médios agricultores que decorrem da aprovação da Lei do Orçamento de Estado para 2013.

Assembleia da República, Palácio de S. Bento, 05 de Dezembro de 2014



publicado por Carlos Gomes às 13:46
link do post | favorito

Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2014
MOITA PROMOVE EXPOSIÇÃO E DEBATE “CONSTRUIR A PAZ COM OS VALORES DE ABRIL”

Iniciativa realiza-se na Biblioteca da Moita

No dia 16 de dezembro, pelas 14:30h, abre ao público, na Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, na Moita, a exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”. Meia hora depois, pelas 15:00h, tem início o Debate com o mesmo tema – “Construir a Paz com os Valores de Abril” – que vai contar com a participação do Presidente da Câmara Municipal da Moita, Rui Garcia, e da Presidente do Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ilda Figueiredo.

Logo CPPC

Estas iniciativas surgem na sequência de um protocolo celebrado entre a Câmara da Moita e o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) que engloba a realização de duas exposições – “Construir a Paz com os Valores de Abril” e “100 Anos da I Guerra Mundial e a Luta pela Paz”, esta última durante o primeiro trimestre de 2015 –, bem como a promoção de conferências, debates, ações e outras iniciativas sobre a temática da paz, a solidariedade entre os povos, o direito à autodeterminação e o fim da militarização, dirigidas não apenas à população em geral, mas também à comunidade educativa.



publicado por Carlos Gomes às 18:53
link do post | favorito

Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2014
METRO DE LISBOA FAZ PARCERIA COM MUSEUS DE LISBOA

Passeios com arte e ciência, entre as Amoreiras e o Chiado

O Metropolitano de Lisboa associa-se aos “Passeios com Arte e Ciência - Entre as Amoreiras e o Chiado". Uma iniciativa de oito museus que se localizam no eixo entre as Amoreiras e o Chiado, apresentada hoje, que se distinguem pela importância e diversidade dos seus acervos e que abrangem várias áreas museológicas desde a Arqueologia à Historia e História da Arte, das Belas Artes às Ciências. São eles o Museu Arqueológico do Carmo, o Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, Museu da Farmácia, Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Museu Geológico, Museu da Água da EPAL – Reservatório da Mãe de Água e Reservatório da Patriarcal, Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva e o Museu de São Roque da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Uma vez que o eixo onde se integram os oito museus é servido por estações do Metropolitano de Lisboa – entre o Rato e Baixa-Chiado -, e que o METRO é igualmente um museu pelas suas obras de arte, a parceria com o Metro surge naturalmente sendo a Empresa o parceiro principal deste projeto.

Esta iniciativa com o Metropolitano de Lisboa acontece em dois momentos:

- “Exposição fotográfica dos 8 Museus”, uma exposição fotográfica itinerante sobre os museus da parceria, que se iniciou em julho último e decorre até Março de 2015. Na presenta data, podem visitar a exposição na estação Baixa-Chiado, seguindo-se as estações Rato, Amadora-Este e Odivelas;

- “Oito Museus/Oito estações” – esta segunda iniciativa parte da premissa de que o Metro deve ser olhado e usufruído, não só como um meio de transporte mas também como um museu de arte moderna. Assim, vai basear-se na realização de oito visitas guiadas entre as estações e os museus e explorará a dimensão artística das galerias do Metro e as ligações temáticas com os museus parceiros. Estas visitas serão realizadas por técnicos de cada museu. Têm início numa estação de Metro e terminam no Museu correspondente (estação escolhida por afinidade temática com o museu).

As visitas terão início em 2015, previsivelmente em janeiro de 2015, sendo que em cada mês cada Museu realizará uma visita guiada (mediante inscrição prévia junto de cada museu).

Na perspetiva do Metropolitano de Lisboa a presente parceria é uma oportunidade de divulgação do seu património artístico, reforçando igualmente o seu papel enquanto agente cultural.

A empresa sempre considerou a dimensão estética das estações como indispensável, não numa opção do estético pelo estético, mas como motor de vitalização artístico-cultural, não perdendo de vista que o embelezamento e a animação dos espaços públicos constituem um meio de dissuasão contra o vandalismo e a violência, contribuindo-se assim para a melhoria da qualidade de vida na cidade.

Com esta ligação aos Oito Museus, designadamente através das visitas guiadas, os visitantes terão oportunidade de conhecer com detalhe as estações escolhidas, descobrindo o enorme manancial estético e cultural aí existente.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 20:54
link do post | favorito

Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2014
ALHHOS VEDROS ENCERRA COMEMORAÇÕES DOS 500 ANOS DO FORAM MANUELINO

É no dia 14 de dezembro que terminam as comemorações dos 500 Anos do Foral Manuelino com duas iniciativas na freguesia de Alhos Vedros.

Às 15:00h, tem início, na Igreja Matriz de São Lourenço, o último concerto do Encontro de Música e Canto de Compositores do Século XVI com Mediaevus Ensemble, Grupo Coral do Montijo e Grupo Coral Alius Vetus.

Na Igreja da Misericórdia irá realizar-se a cerimónia de encerramento das comemorações, a partir das 16:30h, com a apresentação do livro “Alhos Vedros: Economia, Administração e Demografia Séculos XIV-XVIII”, de António Gonçalves Ventura, no âmbito do Programa de Apoio à Investigação e Divulgação Moita Património, lançado pela Câmara Municipal da Moita.

Este livro retrata o concelho de Alhos Vedros, num contexto alargado e de forma integrada, o Estuário do Tejo e também a cidade de Lisboa, abordando temas como a geografia do território, a economia, a administração municipal e a demografia. António Gonçalves Ventura, o autor, tem um doutoramento na especialidade de História Moderna pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi Professor de História, Formador de Professores e Investigador.

No dia 15 de dezembro, será lançado um Selo Comemorativo dos 500 Anos do Foral de Alhos Vedros que pode ser adquirido na “Casa Amarela” – CACAV – Círculo de Animação Cultural de Alhos Vedros.

De referir que durante um ano, de 15 de dezembro de 2013 a 14 de dezembro de 2014, uma Comissão Executiva composta pela Câmara Municipal da Moita, Junta de Freguesia de Alhos Vedros, Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros, Agrupamento de Escolas José Afonso, Centro Paroquial de Alhos Vedros, Alius Vetus – Associação Cultural História e Património e CACAV – Círculo de Animação Cultural de Alhos Vedros, organizou o programa comemorativo dos 500 Anos do Foral de Alhos Vedros, que englobou encontros sobre história e património, exposições, colóquios, cortejo histórico, percursos pedestres, espetáculos de música e dança, exibição de filmes e documentários, entre muitas outras iniciativas, valorizando, desta forma, este importante período da história de Alhos Vedros.



publicado por Carlos Gomes às 20:23
link do post | favorito

BIBLIOTECAS DA MOITA PROPÕEM ATIVIDADES PARA O NATAL

Para crianças dos 6 aos 12 anos. Férias de Natal com diferentes atividades nas bibliotecas municipais da Moita

A Câmara Municipal da Moita, através das suas bibliotecas municipais, preparou diferentes iniciativas para ocupar, de forma lúdica e didática, as férias de Natal dos mais pequenos.

Assim, de 16 a 19 de dezembro, sempre a partir das 15:30h, a Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira vai promover a iniciativa “Hora e Meia de Diversão nas Férias do Natal”, dirigida a crianças entre os 6 e os 12 anos. No dia 16, está previsto um Ateliê de Modelagem, a 17, um Ateliê de Culinária, no dia 18, vai realizar-se um Ateliê de Recorte e Construção de Presépio e, no dia 19, um Ateliê de Pintura. As inscrições gratuitas são limitadas ao número de vagas existentes (máximo 20) e devem ser efetuadas através dos telefones 210888902/210888914.

Ainda na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira, vão estar expostos as decorações de Natal que os leitores de palmo e meio realizaram recentemente. Entre 6 de dezembro e 6 de janeiro, visite esta Exposição de Natal.

Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira desafia os mais novos, crianças dos 6 aos 12 anos, a participar na decoração da Árvore de Natal da biblioteca e também a escrever, de forma criativa, a sua carta ao Pai Natal, durante o Ateliê Férias de Natal, que irá decorrer entre 17 e 23 de dezembro, a partir das 15:00h. Para participar, basta levar os mais pequenos à biblioteca.



publicado por Carlos Gomes às 20:20
link do post | favorito

ULTRA MARATONA SOLIDÁRIA A CAMINHO DA PRAÇA DO COMÉRCIO EM LISBOA SAI DE CAMINHA NA QUINTA-FEIRA PELAS 20 HORAS

É uma das iniciativas do projeto “Toca a Todos”, campanha da RTP contra a pobreza infantil

A Ultra Maratona Solidária é a resposta de Carlos Sá conjuntamente com outros maratonistas ao apelo lançado pela mega operação “Toca a Todos” da Antena 3 e do Grupo RTP 1, contra a pobreza infantil, que vai decorrer de 3 a 6 de dezembro.

O “Toca a Todos” é um evento de solidariedade. De 3 a 6 de Dezembro de 2014, a Rádio e Televisão de Portugal acompanha uma emissão de 73 horas, uma missão que convoca Portugal a ajudar na luta contra a Pobreza Infantil.

Organizada por alguns dos principais grupos de maratonistas de Portugal, com destaque para os grupos: Carlos Sá, Cães da Avenida, Armando Teixeira, João Colaço e Sul, a Ultra Maratona Solidária visa sensibilizar e angariar fundos a favor da Cáritas a favor do combate à pobreza infantil. Os maratonistas vão percorrer mais de 1000 km por esta causa.

A organização de Toca a Todos desafia os portugueses a associarem-se à Ultra Maratona Solidária: “o desafio é também que pontualmente em cada zona de passagem, mesmo que por alguns Kms apenas, muitos portugueses a eles se associem. E eles vão pedir a todos quantos queiram endereçar a cada um dos Grupos Líder, donativos, eles deixarão o dinheiro recolhido pelo caminho, no “Estúdio de Vidro” da Praça do Comércio, numa chegada que será transmitida em direto na rádio e televisão, depois das 3 da tarde de sábado”.

Assim, Carlos Sá irá sair de Caminha, às 20h00, do dia 4, em direção a Gaia onde se encontrará com o Grupo “Cães da Avenida” pelas 6h00, do dia 5.

O Município de Caminha apoia esta causa solidária, já que é uma missão que “Toca a Todos”, e desafia os caminhenses a se associarem também acompanhando Carlos Sá a percorrer alguns quilómetros. A saída está marcada para as 20 horas, do dia 4 de dezembro, no Terreiro em Caminha.

Carlos Sã, no seu facebook oficial, escreve: “Sou um dos Ultramaratonistas de Portugal na luta contra a pobreza infantil. Vamos percorrer Portugal continental. Eu virei do norte, (Caminha). Outros virão do Porto, e do interior (Manteigas), do centro (Leiria) e do sul (Sagres). Porque em Portugal uma em cada três crianças está em risco de pobreza! Unimo-nos e juntos vamos ajudar a chamar à atenção de todos para ajudar a resolver este problema. Vamos rumo à Praça do Comércio em Lisboa onde deixaremos o contributo em dinheiro de todos os que nesta viagem se queiram encontrar connosco, correr e contribuir financeiramente para esta causa. Juntos! Todos os Ultramaratonistas de Portugal”.

O grupo liderado por Armando Teixeira, irá sair de Manteigas às 09h00, do dia 5. O grupo com comando de Miguel Reis e Silva (Campeão Nacional de Orientação), ruma de Sul, pelas 5h00 do dia 4.



publicado por Carlos Gomes às 11:33
link do post | favorito

HORÁRIO DO CONCERTO DO MEDIAEVUS ENSEMBLE FOI ALTERADO

O horário do concerto com Mediaevus Ensemble marcado para sábado, dia 6 de dezembro, foi alterado das 16:00h para as 18:00h.

Mediaevus Ensemble



publicado por Carlos Gomes às 10:42
link do post | favorito

Terça-feira, 2 de Dezembro de 2014
SÓNIA LOURO APRESENTA O SEU NOVO LIVRO “FERNANDO PESSOA – O ROMANCE” NA BIBLIOTECA DA MOITA

No dia 6 de dezembro, pelas 21:30h, Sónia Louro vai estar na Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, na Moita, para apresentar o seu mais recente livro, “Fernando Pessoa – O Romance”.

Sónia Louro nasceu em 1976, em França, e reside no concelho da Moita desde os 9 anos. Bióloga de formação, desde cedo mostrou a sua paixão pelas ciências e pela literatura e, no seu currículo como escritora, conta já com obras bem conhecidas, como “Viriato, o Filho Rebelde”, “A Vida Secreta de Dom Sebastião”, o “Cônsul Desobediente”, “A Verdadeira Peregrinação” e “Amália”.

“Fernando Pessoa” é o primeiro romance biográfico do poeta que foi muitos poetas. Órfão de pai aos cinco anos de idade, cedo perde a atenção da mãe quando esta volta a casar. Forçado a partir para a distante África do Sul, onde o nascimento de irmãos o isolam ainda mais, refugia-se em si mesmo e aí cria novos mundos. No fim da adolescência, regressa a Lisboa, na vã tentativa de resgatar os poucos momentos da vida em que fora feliz. Aí conhece personalidades do mundo das artes e da literatura, como Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro ou Adolfo Casais Monteiro. É um dos fundadores da Orpheu, uma revista artística que foi recebida com escândalo pela crítica.

Correspondente comercial, inventor, tradutor, editor, publicitário e astrólogo, Fernando Pessoa procurou várias formas de ganhar a vida. E até o amor lhe bateu à porta quando conheceu Ophélia Queiroz.

“Fernando Pessoa – O Romance” é fruto de uma pesquisa meticulosa e uma verdadeira homenagem ao maior poeta da língua portuguesa. Entrada livre.



publicado por Carlos Gomes às 15:58
link do post | favorito

CONVENTO DOS CARDAES REALIZA VENDA DE NATAL

untitled3


tags:

publicado por Carlos Gomes às 13:21
link do post | favorito

CENTRO INTERNACIONAL DE CULTURA PROMOVE AÇÃO SOLIDÁRIA

untitled2



publicado por Carlos Gomes às 10:56
link do post | favorito

MOITA ASSISTE A ESPETÁCULO DE DANÇA “DE PERNAS PARA O AR”

Projeto “De Pequenote” no Fórum Cultural – Baixa da Banheira

Dança “De Pernas para o Ar” para assistir em família

“De Pernas para o Ar” é o nome do espetáculo de dança, da DançArte, que integra o Projeto “De Pequenote”, no dia 6 de dezembro, pelas 16:00h, no auditório do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira.

De Pernas para o Ar

Sinopse:

Estamos todos convidados a dançar e a pensar ou a pensar e depois dançar?! Enfim, veremos...Fechamos os olhos e entre o sonho e a realidade, motivamos vontades. Lembramos a importância do desejo, da criação e das artes na construção dos nossos percursos. De salto em salto, desafiando a gravidade, olhamos o mundo numa outra perspetiva, de pernas para o ar.

A brincar, abordamos temas sérios e provocamos as crianças a acreditar num mundo melhor e a filosofar, através da dança! O projeto “De Pequenote” é dirigido a crianças com mais de três anos e seus familiares. Passe uma tarde diferente em família. A entrada é gratuita, mediante levantamento prévio dos bilhetes.



publicado por Carlos Gomes às 10:47
link do post | favorito

Segunda-feira, 1 de Dezembro de 2014
MUSEU BORDALO PINHEIRO REALIZA TERTÚLIA SOBRE HUMOR, DESENHO E GASTRONOMIA

 



publicado por Carlos Gomes às 21:43
link do post | favorito

MOITA REALIZA FEIRA DE VELHARIAS

Dias 13 e 27 de dezembro: Feira de Antiguidades e Velharias

Como habitualmente, no segundo e quarto sábado de cada mês, realiza-se a Feira de Antiguidades e Velharias, no Largo do Mercado Municipal da Moita. Neste mês de dezembro, será nos dias 13 e 27, a partir das 8:00h.

Feira de Antiguidades e Velharias

Passe por lá e quem sabe se entre os gira-discos, rádios, Ip’s e singles de vinil, pequenos móveis, livros, loiças, postais, artigos de decoração e de colecionismo, não encontra aquele presente de Natal diferente.

A Feira de Antiguidades e Velharias insere-se no Programa de Dinamização e Animação do Mercado Municipal da Moita.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 14:30
link do post | favorito

BLUES NIGHTS ATUA NA BAIXA DA BANHEIRA

13 de dezembro, na Baixa da Banheira: Blues Nights de regresso ao Fórum Cultural com King & The Turbo Dog

blues volta a marcar encontro no Café-Concerto do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, no dia 13 de dezembro, a partir das 22:00h, em mais uma Blues Nights by BBBF, com King & Turbo Dog.

Blues NightsKing

King & The Turbo Dog é um projeto inspirado nos blues tocados em formato acústico. Duas guitarras e uma saca de harmónicas revisitam os clássicos e criam novas canções, através da reformatação de um “punhado” de canções que se tornaram universalmente conhecidas nas mais diversas áreas do universo musical.

O espírito mais inquieto do blues, conjugado com o aproximar do espírito da quadra natalícia, fazem, deste, um espetáculo único a não perder.

As Blues Nights acontecem mensalmente, aguçando o apetite para a próxima edição do BB Blues Fest e são promovidas pela Associação BB Blues Portugal, em parceria com a Câmara Municipal da Moita e a União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira.

O preço dos bilhetes é de 3 euros.



publicado por Carlos Gomes às 12:04
link do post | favorito

MOITA PROMOVE VENDA DE NATAL

Venda de Natal da CERCIMB no Posto de Turismo da Moita

Até 8 de janeiro, o Posto de Turismo Municipal, na Moita, recebe uma venda de Natal especial. Trata-se da Venda de Natal da CERCIMB – Centro de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas Moita/Barreiro, composta por presépios originais executados pelos próprios formandos, bem como doces, compotas, licores, utensílios de cozinha e bijuteria, entre outros trabalhos artesanais.

Venda de Natal CERCIMB

Visite esta mostra e aproveite para fazer compras de Natal originais, económicas e, ao mesmo tempo, contribuir para apoiar uma boa causa. A receita resultante desta venda reverterá a favor da CERCIMB.

A Venda de Natal da CERCIMB pode ser visitada no Posto de Turismo Municipal da Moita, de segunda a sexta-feira, das 9:30h às 12:30h e das 14:00h às 18:00h.



publicado por Carlos Gomes às 11:41
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

PONTE DE LIMA LEVA A LOUR...

PAROQUIANOS DE LOURES CAN...

MAZGANI ANUNCIA PRIMEIRAS...

RANCHO FOLCLÓRICO DA CASA...

LOURES VAI OUVIR CANTARES...

CASCAIS: VILAÇA INTERIORE...

REVISTA DE MARINHA COMEMO...

GRUPO DANÇAS E CANTARES A...

MUSEU BORDALO PINHEIRO IN...

MINHOTOS RUMAM A LOURES P...

MINHOTOS EM LISBOA CANTAM...

PARABÉNS, MARINHA PORTUGU...

NÃO KAHLO!

NATAL NO METRO DE LISBOA ...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

ALMOÇO DE NATAL JUNTA EM ...

MINHOTOS RUMAM A LOURES P...

RUI AGUILAR CERQUEIRA VAI...

METRO DE LISBOA ACOLHE O ...

“FIREFLIES” - O AMOR SEGU...

STEVE TILSTON ATUA AO VIV...

ALMADA REALIZA MERCADO DE...

JOSÉ RIBEIRO E CASTRO FOI...

CGTP DEFENDE REFORMA AOS ...

PAN QUER TRANSFORMAR CANT...

DISCURSO DO COORDENADOR-G...

PAI NATAL PERCORRE LISBOA...

CONGRESSO DO BOMBO REÚNE ...

MINHOTOS EM LOURES CANTAM...

ALFRAGIDE FOI AOS FADOS

BANDAS DE MÚSICA DE TODO ...

BANDAS FILARMÓNICAS DE TO...

PAULO DUQUE É O NOVO PRES...

MÄBU MARCAM ESTREIA EM PO...

COMUNICADO DO PAN SOBRE O...

BANDAS FILARMÓNICAS DESFI...

MOVIMENTO 1º DE DEZEMBRO ...

PAN NÃO QUER CIRCO COM AN...

SINTRA: NAS MERCÊS CONTIN...

PAN LEVA A DEBATE NO PARL...

COCA-COLA ASSINALA 40 ANO...

MOVIMENTO 1º DE DEZEMBRO ...

BANDAS FILARMÓNICAS DESFI...

PAN VOTA FAVORAVELMENTE O...

LOURES VIRA CAPITAL DO FO...

MINHOTOS RUMAM A LOURES P...

PONTE DE LIMA LEVA A LOUR...

RUI AGUILAR CERQUEIRA VAI...

SARGENTO APRESENTA-SE CO...

arquivos

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds