Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores

Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018
PENAFIEL LEVA AO FOLKLOURES O TRADICIONAL “BAILE DOS PEDREIROS”

O Grupo Folclórico de Penafiel vai no dia 7 de Julho de 2018 trazer ao FolkLoures uma das tradições mais genuínas e pouco conhecidas da sua região – o Baile dos Pedreiros!

A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures. Trata-se de uma grandiosa iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho e conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures.

CapturarBailePedreirosPenafiel

Perdem-se nos tempos as origens do “Baile dos Pedreiros”, aliás à semelhança de outras tradições do concelho de Penafiel como o “Baile dos Ferreiros” e o “Baile dos Pretos”. Estes bailes devem a sua existência ao Tombo das festas de Corpo de Deus em que cada corporação de artes e ofícios teria de apresentar, nas referidas festas, um baile bem constituído, bem trajado e com uma dança bem conseguida.

Descreve o escritor valenciano José Augusto Vieira, na sua obra “O Minho Pitoresco”, que no ano 1887, os Pedreiros vestiam de branco com faixa vermelha na cinta, barrete encarnado na cabeça, e traziam a tiracolo uma cabaça com bebida e a merenda. Sustentavam ainda numa das mãos um pico.

O mestre vestia de igual modo com excepção da casaca preta e de uma régua e de um esquadro que trazia nas mãos. A mestra vestia de lavradeira, o rapaz dos picos, do mesmo modo que os pedreiros. O meirinho, que era a figura da justiça naquela altura, vestia uma levita, cartola na cabeça, trazia uma bengala e empunhava uma arma…

Desfilavam pela cidade ao som de uma marcha, tocada por uma rebeca, instrumento pouco habitual hoje em dia, quando paravam encenavam uma dança em que o Mestre cumprimentava as entidades e relatava as obras que tinha realizado, desafiando os Pedreiros a dizer também.

A certa altura entre o Meirinho, o mestre e a mestra, desenrola-se uma pequena discussão, em que tudo acaba em paz.

Estes bailes correram o risco de se perderem. Porém, graças à Câmara Municipal de Penafiel e ao Grupo Folclórico de Penafiel, foram os mesmos reavivados, constituindo o FolkLoures’18 o palco privilegiado para destacar uma das tradições mais genuínas do povo português.

Capturarfolk



publicado por Carlos Gomes às 01:10
link do post | favorito

Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
BLOGUE DE LISBOA DESEJA BOA SORTE A TODOS OS GRUPOS FOLCLÓRICOS MINHOTOS QUE ESTÃO NA AMADORA A SER AVALIADOS PELA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS

Decorre hoje na cidade da Amadora a reunião do Conselho Técnico Regional do Alto Minho da Federação do Folclore Português com os grupos folclóricos minhotos sediados na região de Lisboa, sócios aderentes daquela entidade, no âmbito do processo de avaliação com vista à análise dos requisitos para a sua posterior admissão como sócios efectivos.

O BLOGUE DE LISBOA deseja sinceramente que todos os grupos submetidos a apreciação reúnam condições para passarem a efectivos. E, àqueles que tais requisitos ainda não reúnam, espera que se esforcem com vista à introdução de eventuais correcções a fim de que possam vir a engrossar o movimento folclórico observando o rigor e qualidade.

- A todos os nossos sinceros votos de boa sorte!



publicado por Carlos Gomes às 15:17
link do post | favorito

Sábado, 17 de Fevereiro de 2018
GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO TEM PÁGINA OFICIAL NO FACEBOOK

O Grupo Folclórico Verde Minho sediado em Loures e a representar os usos e costumes do Alto Minho na região de Lisboa tem vindo a renovar a sua imagem e o formato das suas próprias iniciativas, sendo de relevar a organização de conferências temáticas e a realização do FolkLoures – Encontro de Culturas.

CapturarVM

Para muito breve está prevista a edição em livro das conferências que vem organizando. Entretanto, acaba de criar a sua página oficial no facebook à qual serão agregadas outras páginas de grupos. Uma iniciativa que está a registar uma adesão surpreendente.

A página oficial do Grupo Folclórico Verde Minho no Facebook possui o endereço: https://www.facebook.com/grupofolcooricoverdeminho/



publicado por Carlos Gomes às 21:55
link do post | favorito

CARNAXIDE RECEBE ENCONTRO DE RUSGAS À MODA DO MINHO

28054008_10215423280325881_2047142726_n



publicado por Carlos Gomes às 13:26
link do post | favorito

Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2018
GENTES D'ENTRE-O-DOURO-E-MINHO DANÇAM NO MERCADO SALOIO

27993899_10211414007052029_58604695_n



publicado por Carlos Gomes às 21:38
link do post | favorito

Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2018
MINHOTOS DA RIBEIRA DA LAGE PROMOVEM ENCONTRO DE TRADIÇÕES

27994843_2043042965980976_1767739995_n



publicado por Carlos Gomes às 22:32
link do post | favorito

SIGA A RUSGA EM CARNAXIDE... À MODA DO MINHO!

O III Encontro de Rusgas "À Moda do Minho" é uma co-organização do Rancho Folclórico "Dançar é Viver" e do Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega. Este evento, realizado pela primeira vez em 2015, pretende trazer um pouco da Festa do terreiro das Romarias minhotas à região de Lisboa vincando o inegável papel identitário e indelevelmente popular que estas exercem no panorama nacional.

28054008_10215423280325881_2047142726_n

Dado o elevadíssimo número de minhotos, e seus descendentes, na Região de Lisboa, é também inegável a importância que estas recriações desempenham na matriz cultural de concelhos como Oeiras, Amadora, ou até mesmo Loures, Sintra ou Mafra. Desta forma, iremos tentar recriar em conjunto as Rusgas minhotas de Ponte da Barca, as danças no Largo do Urca e até mesmo o cesto com o presunto e o vinho oferecido a todos os Rusgueiros. Enfim, as marcas identitárias das Rusgas da Barca!

Com localização partilhada entre a Brandoa (Amadora, em 2015 e 2016), e Carnaxide (2018), a edição deste ano será no próximo dia 24 de Fevereiro (sábado), pelas 21h30, no Centro Cívico de Carnaxide.

As Rusgas presentes são:

Rusga das "Terras da Nóbrega"

Rusga da Casa do Minho

Rusga Limiana

Rusga "Flores da Beira"

Rusga "Alegria do Minho"

Rusga das "Lavadeiras da Lage"

Rusga do "Verde Minho"

Rusga "Danças e Cantares do Minho"

Rusga "Dançar é Viver"

Apesar de contar com duas Rusgas cujas regiões que representam não é o Minho, esta presença insere-se num espírito de salutar convívio entre Grupos de Folclore (alguns dos mesmos Concelhos), que partilham laços de Amizade e o mesmo Amor e Respeito pela raiz Popular Tradicional. Por outro lado, sendo as Romarias uma matriz identitária comum a Portugal de Norte a Sul, a inclusão destas Rusgas, Beirã e Saloia, no evento apenas engrandecerá mais o mesmo!



publicado por Carlos Gomes às 17:25
link do post | favorito

HOJE CELEBRA-SE O DIA MUNDIAL DA RÁDIO E O BLOGUE DE LISBOA ELEGE UMA VEZ MAIS A RÁDIO DO FOLCLORE PORTUGUÊS PARA COMEMORAR A EFEMÉRIDE

No dia em que mundialmente se celebra a Rádio, o BLOGUE DE LISBOA distingue a Rádio do Folclore Português porque, constituindo uma emissora que utiliza as redes sociais, representa o futuro sem que, contudo, esqueça a tradição do folclore português, como tantas vezes se verifica com aquelas estações que ainda se enontram na era das válvulas…

554359_383265078376921_1372495359_n

Com efeito, o dia 13 de fevereiro foi em 2011 declarada pela UNESCO como Dia Mundial da Rádio em virtude de ter sido neste dia, no longínquo ano de 1946, que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez um programa radiofónico para seis países em simultâneo. Este ano, a data será celebrada em alusão ao seu papel em situações de desastres e emergência social.

Desde o seu aparecimento, a radiofonia acompanhou os grandes acontecimentos mundiais e prestou valioso auxílio às populações em situações de guerra e catástrofes. Com o aparecimento das novas tecnologias soube adaptar-se e continua a cumprir a missão que lhe é destinada. Mais ainda, tornou-se um meio ao alcance das comunidades locais para dar conhecer o seu património histórico e cultural, mormente o folclore e a etnografia das suas gentes.

z

E, porque hoje é o Dia Mundial da Rádio, elegemos uma vez mais a Rádio do Folclore Português como um dos melhores veículos de divulgação da nossa cultura tradicional.

A emitir há 11 anos através da Internet no endereço www.rfpfolclore.com, a Rádio do Folclore Português tem sido a voz da cultura e das tradições portuguesas a transmitir via Internet para todo o mundo.

Esta estação radiofónica entra-se licenciada pela Sociedade Portuguesa de Autores e mantém padrões de qualidade invulgares, sobretudo quando comparadas com outras iniciativas do género no Internet e até nas ondas hertzianas no panorama das rádios locais.

A Rádio do Folclore Português (RFP) surgiu em Abril de 2005, para combater uma lacuna na radiodifusão da música folclórica e da etnografia em geral

Assim, difunde e divulga a música tradicional portuguesa e música folclórica. A etnografia e folclore são temas de aprofundamento nomeadamente através da realização de entrevistas a dirigentes de agrupamentos folclóricos.

A RFP é uma estação radiofónica temática na internet sediada em Coimbra, com estúdios também em Vila Nova de Gaia, Castelo Branco e nos Estados Unidos da América, a transmitir via internet.

A sua programação tem por base a música tradicional e folclórica e a informação sobre esta área temática. A sua filosofia é que tudo tem o seu tempo, e que no global há tempo para tudo. É isso que pretendem mostrar ao ouvinte.

logo



publicado por Carlos Gomes às 15:38
link do post | favorito

Sábado, 10 de Fevereiro de 2018
PENSAMENTO ORIENTAL – PROMOÇÃO DA CULTURA CHINESA: FOLKLOURES’18 RECEBE DANÇA TRADICIONAL DO TIBETE

Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa representará a comunidade chinesa no FolkLoures’18

A comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

CapturarTibete

Kumara é uma formação de dança tradicional da etnia Zang (Tibete), o que representa as tradições, os costumes através de movimentos livres e de grande amplitude. As danças tibetanas transmitem sempre uma atitude firme, de cabeça erguida e de peito cheio para os homens e uma postura de curvatura e suavidade para as mulheres, imagens essas inspiradas na vida quotidiana do povo tibetano nos grandes planícies. Contudo, devido à diversidade de culturas naquela região, a própria dança tibetana sofre de influências culturais das outras regiões vizinhas no seu resultado final.

Os movimentos das danças tibetanas tem subcategorias tanto para homens como para mulheres, um dos nomes atribuídos a uma subcategoria é "Chinese Tap Dance".

Os trajes utilizados para danças tibetanas correspondem ao vestuário comum do povo tibetano, cheios de cores e figuras.

A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

O FolkLoures é uma iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures.

FOLKLOURES 18 接受西藏传统舞蹈

东方思维中国文化的弘扬将代表中国社区在 FolkLoures 18

居住在葡萄牙的华人社区将参加下一期的 FolkLoures--文化会议, 更具体地说, 将于2018年7月7日举行的文化艺术节。在澳门圣保禄教堂遗址的复制品旁边, "东方思维的中国文化促进" 将呈现西藏之舞 "随想曲奈特·库马拉"。

奈特·库马拉是藏 (藏) 的传统舞蹈, 代表着传统、自由的风俗和大振幅的运动。藏族的舞蹈总是以坚定的姿态, 正面和胸部为男人, 并为妇女的曲率和柔软的姿态, 这些图像的启发, 藏族人民在大平原的日常生活。然而, 由于该地区文化的多样性, 藏族舞蹈本身也受到其他相邻地区的文化影响。

藏族舞蹈的运动对男女都有子范畴, 其中一个类别的名字是 "中国踢踏舞"。

藏族舞蹈所用的服饰, 与藏族人民的共同服饰相呼应, 色彩和人物都十分鲜艳。

下一版的 FolkLoures 源于6月30日至 2018年7月7日, 将包括会议, 展览, 传统产品和民俗节日在城市公园, 在洛里什。

Capturarfolk



publicado por Carlos Gomes às 19:34
link do post | favorito

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO REPRESENTA PORTUGAL NAS FESTAS DO ANO NOVO CHINÊS

A Festa do Ano Novo Chinês ficou simbolicamente marcado pela celebração da secular amizade entre os povos chinês e português, nestes festejos representado pelas gentes do Minho – berço de Portugal – mais concretamente através do Grupo Folclórico Verde Minho.

DSCF8052

O Grupo Folclórico Verde Minho desfilou em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobiu ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. No próximo mês de Julho, a Comunidade Chinesa vai participar no FolkLoures’18, representada pela associação “Pensamento Oriental – Promoção da Cultura Chinesa”.

A concentração de todos os grupos participantes teve lugar da parte da manhã, no jardim António Feijó – o mais celebrado dos poetas limianos! – na zona dos Anjos, tendo seguido em direcção ao Largo do Martim Moniz. Junto à igreja ali existente, o Grupo Folclórico Verde Minho foi bastante solicitado para se deixar fotografar junto de várias personalidades da Embaixada da República Popular da China e dos grupos chineses participantes.

Após o desfile e um breve almoço, teve lugar a actuação de grupos musicais, de dança, perfomance e artes marciais chinesas e, a meio do espectáculo, o Grupo Folclórico Verde Minho com as danças tradicionais da nossa região, sempre muito aplaudido pelo numeroso público que assistiu à ua actuação.

No desfile, à frente do Grupo Folclórico Verde Minho, segurando a placa identificativa, Ruiyiang Wo, uma jovem estudante chinesa a residir em Portugal e que durante dois anos consecutivos frequentou a Universidade do Minho, em Braga.

DSCF7961

O vermelho – símbolo da felicidade, da fortuna e da alegria na cultura chinesa – constituiu a cor predominante, quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

A comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupoPensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

DSCF7994

DSCF8024

DSCF8026

DSCF8027

DSCF8034

DSCF8040

DSCF8104

DSCF8160

DSCF8161

DSCF8167

DSCF8189

DSCF8219

DSCF8217

DSCF8231

DSCF8236

DSCF8238

DSCF8241

DSCF8253

DSCF8254

DSCF8255

DSCF8262

DSCF8265

DSCF8269

DSCF8272

DSCF8052

DSCF8077

DSCF8087

DSCF8097

DSCF8098

DSCF8100

DSCF8123

DSCF8144

DSCF8146

DSCF8317

DSCF8288



publicado por Carlos Gomes às 18:00
link do post | favorito

MINHOTOS EM LISBOA PARTICIPAM HOJE NA FESTA DA COMUNIDADE CHINESA QUE CELEBRA A ENTRADA DO ANO NOVO CHINÊS

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobe ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. Em Julho, Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Igreja dos Anjos até ao Largo do Martim Moniz. Da parte de tarde, sobe ao palco dos festejos que vão ter lugar no Martim Moniz para exibir os trajes, as danças e cantares do Minho.

CapturarAnoNovoChinês2

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

TibeteLoures



publicado por Carlos Gomes às 03:27
link do post | favorito

Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2018
AMADORA REALIZA MERCADO SALOIO

27993899_10211414007052029_58604695_n



publicado por Carlos Gomes às 19:10
link do post | favorito

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO PARTICIPA AMANHÃ NA FESTA DO ANO NOVO CHINÊS

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa desfila amanhã no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobe ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. Em Julho, Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Igreja dos Anjos até ao Largo do Martim Moniz. Da parte de tarde, sobe ao palco dos festejos que vão ter lugar no Martim Moniz para exibir os trajes, as danças e cantares do Minho.

CapturarAnoNovoChinês2

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

TibeteLoures



publicado por Carlos Gomes às 09:35
link do post | favorito

Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2018
FOLKLOURES: A CULTURA TRADICIONAL PORTUGUESA E DAS COMUNIDADES IMIGRANTES SOBE AO PALCO EM LOURES

Capturarfolk

 



publicado por Carlos Gomes às 21:37
link do post | favorito

ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA REGRESSA A LOURES NO PRÓXIMO ANO

A segunda edição do Almoço do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima vai ter lugar no próximo dia 3 de Fevereiro de 2019, na Cantina da Câmara Municipal de Loures, junto aos Paços do Concelho de Loures.

CapturarAlmoçoSarrabulho2019

O extraordinário sucesso que constituiu este ano a realização do Almoço do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima e a grande satisfação por parte dos cerca de trezentos comensais que participaram neste evento levou a organização do evento – o Grupo Folclórico Verde Minho – a combinar com a Confraria do Arroz de Sarrabulho de Ponte de Lima a repetição desta iniciativa.

Devidamente planeada e divulgada, aguarda-se que a próxima edição venha a registar mais de meio milhar de pessoas e, à semelhança deste ano, a contar com a participação das entidades representativas dos concelhos de Loures e Ponte de Lima.



publicado por Carlos Gomes às 19:50
link do post | favorito

Segunda-feira, 5 de Fevereiro de 2018
CARDÁPIO DO ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA REALIZADO EM LOURES

img006

img007

img008

img010

27545346_1797306150289038_181670145948475152_n



publicado por Carlos Gomes às 19:59
link do post | favorito

ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA REGRESSA NO PRÓXIMO ANO A LOURES

De acordo com informação que obtivémos junto de Teotónio Gonçalves, Director do Grupo Folclórico Verde Minho, está já confirmada a realização de uma segunda edição em Loures do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, em data a combinar.

DSCF7869

Teotónio Gonçalves acabara de agradecer pessoalmente ao Comendador Adelino Tito de Morais, da Confraria do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima, tendo ficado assente a reedição desta iniciativa gastronómica que, para muitos dos participantes, foi a primeira vez que tiveram oportunidade de se deliciarem com os magníficos paladares de Ponte de Lima. E, quem perdeu foi quem não teve oportunidade de estar presente!

De resto, esta iniciativa resultou num grandioso sucesso a todos os níveis, a começar pela excelente confecção das iguarias, a organização demonstrada e a elevada adesão que se espera ver redobrada no próximo ano. Refira-se que, após uma previsão inicial de duas centenas de pessoas, o evento acabou por registar a participação de perto de três centenas de comensais.

DSCF7903



publicado por Carlos Gomes às 18:39
link do post | favorito

Domingo, 4 de Fevereiro de 2018
MINHOTOS QUEREM QUE O ALMOÇO DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA SE REPITA NO PRÓXIMO ANO

O sucesso do Almoço do Sarrabulho à moda de Ponte de Lima foi de tal ordem que todos os convívas responderam em uníssono que desejam que a iniciativa se repita no próximo ano.

27655218_1605055202908320_6908242771843199184_n

A ideia consiste em preparar a disposição das mesas para que o próximo encontro permita acolher um maior número de pessoas. Refira-se que, este ano, apesar de 220 pessoas inscritas, a iniciativa recebeu quase três centenas de convivas, muitos dos quais aderindo no último instante.

O repto foi lançado no decorrer do próprio evento e resta agora as entidades envolvidas acertarem os pormenores para a sua realização. E, seguramente, a Câmara Municipal de Loures irá ter um maior empenho na garantia do seu sucesso!

27459350_1605055012908339_4822883334595316396_n



publicado por Carlos Gomes às 22:37
link do post | favorito

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO PARTICIPA NA FESTA DO ANO NOVO CHINÊS QUE SE REALIZA NO PRÓXIMO FIM-DE-SEMANA

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobe ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. Em Julho, Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Alameda D. Afonso Henriques até ao Largo do Martim Moniz. Da parte de tarde, sobe ao palco dos festejos que vão ter lugar no Martim Moniz para exibir os trajes, as danças e cantares do Minho.

CapturarChina2

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

CapturarAnoNovoChinês2



publicado por Carlos Gomes às 21:56
link do post | favorito

CHEFE PAULO SANTOS FEZ PROVAR EM LOURES A ARTE DA GASTRONOMIA LIMIANA

Trabalhadores da Cantina da Câmara Municipal de Loures revelaram grande profissionalismo e espírito de colaboração

Sob a experiente batuta do Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia limiana de S. Pedro de Arcos, perto de três centenas de pessoas tiveram hoje a oportunidade de degustar uma das elevadas obras de arte da gastronomia minhota e portuguesa em geral – o arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima!

IMG_6308

Muitos dos comensais tiveram hoje pela primeira vez o contacto com os paladares da nossa região. Apenas lamento que o Presidente da Câmara Municipal de Loures, Dr Bernardino Soares, não tivésse podido estar presente por razões de agenda pessoal pois, estou convencido de que teria ficado um adepto incondicional da cozinha tradicional da nossa região. Mas ainda vai a tempo e acredito sinceramente que o Minho vai contar com ele para muitas causas!

Peço desculpa pelo lapso que cometerei ao involuntariamente omitir alguns nomes mas não quero deixar de lembrar que este grande sucesso se deveu a alguns dos mais conceituados Restaurantes de Ponte de Lima – o Restaurante Casa de S. Sebastião, Fátima Amorim, Goreti, Restaurante “Sonho do Capitão” e Solar do Taberneiro – e, naturalmente, ao Comendador Adelino Tito de Morais, um dos fundadores da Confraria do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima e dedicado ao estudo das tradições enológicas e folclóricas de Ponte de Lima.

Porém, seria injusto se não registássemos aqui o elevado profissionalismo e espírito de colaboração com que os funcionários da Câmara Municipal de Loures a laborar na Cantina Municipal, se empenharam para que este evento fosse um grandioso sucesso, razão pela qual são todos meritórios do nosso público louvor.

A Câmara Municipal de Loures tem sido a todos os títulos de uma generosidade e cooperação institucional que só pode ser considerada louvável. O Grupo Folclórico Verde Minho é considerado uma das mais dinâmicas associações do concelho de Loures. Mas, para levar ainda mais longe os seus objectivos, necessita de que lhe sejam proporcionadas condições para o efeito. E, pode Loures crer que tem nos minhotos que ali vivem o melhor aliado para promover a sua região!

Carlos Gomes

Fotos: Teotónio Gonçalves

IMG_6273

IMG_6274

IMG_6276

IMG_6278

IMG_6279

IMG_6280

IMG_6281

IMG_6282

IMG_6304

IMG_6305

IMG_6306

IMG_6307



publicado por Carlos Gomes às 21:43
link do post | favorito

LOURES FOI HOJE A CAPITAL DA GASTRONOMIA MINHOTA: CENTENAS DE PESSOAS AFLUÍRAM À CANTINA MUNICIPAL PARA DEGUSTAR O ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA

O arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo fizeram hoje em Loures as delícias dos melhores apreciadores da cozinha tradicional minhota. Tratou-se de uma grandiosa jornada gastronómica levada a cabo pelo Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com a Confraria do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima e alguns dos mais conceituados Restaurantes de Ponte de Lima – o Restaurante Casa de S. Sebastião, Fátima Amorim, Restaurante “Sonho do Capitão” e Solar do Taberneiro – sob a experiente batuta do Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia limiana de S. Pedro de Arcos.

DSCF7853

O evento teve lugar no refeitório da Câmara Municipal de Loures e contou com a presença do Comendador Adelino Tito de Morais em representação da Confraria do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, do Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, de autarcas do concelho de Loures em representação do Presidente da edilidade, Dr. Bernardino Soares e do Presidente da Confederação das Colectividades de Cultura, Desporto e Recreio, Dr. Augusto Flor.

DSCF7903

O repasto foi um manjar digno de deuses que surpreendeu muitos convivas que, pela primeira vez, tiveram oportunidade de apreciar o magnífico paladar da alheira de galo e do arroz de sarrabulho à moda de Ponte de Lima. Tudo isto bem regado com os magníficos vinhos verdes da região, desde os brancos até ao vinhão e demais tintos. E, como sobremesa, jamais poderia faltar o delicioso leite creme tão característico de Ponte de Lima.

Entre as várias organizações que aderiram ao evento e se renderam aos encantos da gastronomia da nossa região, contamos os membros da Confraria do Arinto de Bucelas, do Rancho Folclórico de Lousa e de outras instituições que estiveram bem representadas.

A registar ainda a participação de um número apreciável de sócios e dirigentes da Casa do Concelho de Ponte de Lima, incluindo o seu presidente da Direcção e a presidente da Assembleia Geral, curiosamente numa ocasião em que aquela instituição regionalista celebra 31 anos de existência com referência ao dia 2 de Fevereiro.

O Grupo Folclórico Verde Minho animou a festa, devidamente trajado e privilegiando os cantares típicos do concelho de Ponte de Lima.

DSCF7914

E, como não existe uma boa mesa sem cardápio, transcrevemos o texto que o mesmo apresenta:

“O porco foi desde sempre uma das principais fontes de rendimento do camponês. Relativamente fácil de alimentar, ele aproveita quase tudo do que sobra à mesa do lavrador juntamente com aquilo que o campo oferece. E, depois de abatido, era mantido na salgadeira durante o ano inteiro. Dava os enchidos que iam ao fumeiro, o toucinho que dava sabor ao caldo e, entre muitos outros aproveitamentos, o sangue que se juntava ao caldo de farinha de milho – as papas de sarrabulho. Não é sem motivo porque é no imaginário popular o porco frequentemente associado ao mealheiro!

Porém, sempre atentos aos requintes dos melhores paladares, os limianos passaram a confeccioná-lo com arroz e o resultado foi a criação de uma das mais ricas especialidades da cozinha tradicional minhota – um autêntico manjar próprio dos deuses! – o afamado Arroz de Sarrabulho com rojões à Moda de Ponte de Lima.

Exímios na arte da culinária, aos limianos devemos de igual modo mais uma rica especialidade da nossa gastronomia: a alheira de galo.

A sabedoria popular manifesta-se em todos os aspectos da vida humana a uma época em que tudo era feito de forma artesanal, portanto ainda sem a interferência das técnicas industriais e a padronização de hábitos, saberes e paladares. Ela jamais se limita às formas de trajar, cantar e dançar. É precisamente esse o entendimento do Grupo Folclórico Verde Minho e a razão pela qual decidiu realizar este evento com a finalidade de divulgar o que de melhor vai à mesa das gentes de Ponte de Lima.”

DSCF7919

DSCF7920

DSCF7925

DSCF7943

DSCF7897

DSCF7895

DSCF7881

DSCF7869

DSCF7868

DSCF7865

DSCF7838

DSCF7837

DSCF7832

DSCF7826

DSCF7809

DSCF7824



publicado por Carlos Gomes às 20:08
link do post | favorito

MINHOTOS EM LOURES TEMPERAM ARROZ DE SARRABULHO AO SOM DA CONCERTINA

Grupo Folclórico Verde Minho vai animar o convívio em torno do Almoço do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima que hoje se realiza no refeitório da Câmara Municipal de Loures. À volta da melhor gastronomia minhota não podia faltar a alegria contagiante do toque da concertina e das mais belas rapsódias do nosso folclore.

SarrabulhoLoures

Chegados ontem de Ponte de Lima, os exímios cozinheiros limianos já temperaram as carnes que hoje vão confeccionar a fim de serem degustadas por mais de duas centenas de convivas.

Daqui a instantes, o arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo vão fazer as delícias dos melhores apreciadores da cozinha tradicional minhota. Trata-se de uma jornada gastronómica levada a cabo pelo Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes de Sarrabulho em Ponte de Lima.



publicado por Carlos Gomes às 02:13
link do post | favorito

MINHOTOS EM LISBOA PARTICIPAM NA FESTA DA COMUNIDADE CHINESA QUE CELEBRA A ENTRADA DO ANO NOVO CHINÊS

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobe ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. Em Julho, Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Alameda D. Afonso Henriques até ao Largo do Martim Moniz. Da parte de tarde, sobe ao palco dos festejos que vão ter lugar no Martim Moniz para exibir os trajes, as danças e cantares do Minho.

CapturarChina2

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupoPensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

CapturarAnoNovoChinês2



publicado por Carlos Gomes às 01:40
link do post | favorito

JORNAL "FOLCLORE" DIVULGA ALMOÇO DO SARRABULHO EM LOURES

Capturar1vm



publicado por Carlos Gomes às 00:29
link do post | favorito

Sábado, 3 de Fevereiro de 2018
LOURES RECEBE AMANHÃ GRANDE ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA

SarrabulhoLoures



publicado por Carlos Gomes às 08:26
link do post | favorito

Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2018
PONTE DE LIMA LEVA A LOURES NO PRÓXIMO DOMINGO A ALHEIRA DE GALO E O ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes do Sarrabulho em Ponte de Lima

O arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo vão fazer as delícias dos melhores apreciadores da cozinha tradicional minhota. Trata-se de uma jornada gastronómica levada a cabo pelo Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes de Sarrabulho em Ponte de Lima e vai ter lugar no próximo dia 4 de Fevereiro, no refeitório da Câmara Municipal de Loures.

De Ponte de Lima virão restaurantes e cozinheiros – Restaurante Casa de S. Sebastião, Fátima Amorim, Restaurante “Sonho do Capitão” e Solar do Taberneiro – e consigo trazem as carnes já temperadas, as tripas e as belouras, a chouriça de cebolada e, como não podia deixar de ser, o melhor verdasco da região. Os participantes vão ainda ter oportunidade de apreciar a alheira de galo, um dos mais recentes requintes da cozinha limiana.

AlheiraLoures

O arroz de sarrabulho é uma das mais ricas especialidades da cozinha portuguesa em geral e minhota em particular. Um autêntico manjar próprio dos deuses!

Ao invés das papas de sarrabulho que são feitas à base de farinha de milho, aqui impera o arroz como a própria designação indica.

Desde a perna do porco às belouras, do chouriço verde às farinhotas e outros aromas e delícias de fazer crescer àgua na boca, o porco compromete-se na elaboração deste magnífico prato. As carnes são temperadas com louro, cravinho e noz-moscada, sal e pimenta e, no final, com os cominhos que lhe conferem um paladar muito peculiar e único. As carnes, depois de cozinhadas e desfiadas, juntam-se ao arroz e vão de imediato à mesa.

Por sua vez, a alheira de galo, especialidade produzida pela Minho Fumeiro, situada na Correlhã, no concelho de Ponte de Lima, e já galardoada com a medalha de ouro no concurso da Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, é justamente considerada a “melhor das melhores” alheiras do país.

Com baixo teor de sal e calorias, contendo apenas 13 gramas de gordura e 14 gramas de proteína, a sua confecção possui alguns segredos que vão do pão amolecido no caldo da cozedura das carnes de galo até aos temperos.

E porque onde há Minho há alegria e tradição, lá estará o Grupo Folclórico Verde Minho para animar o evento com as mais alegres rapsódias do folclore do Alto Minho.

Por sua vez, entendendo que o folclore ou seja, a sabedoria popular não se restringe ao canto e à dança mas abrange todos os aspectos da vida social, incluindo nela a própria gastronomia, o Grupo Folclórico Verde Minho juntou esforços com os restaurantes do Sarrabulho de Ponte de Lima para em Loures – às portas da capital do país! – dar a conhecer a Alheira de Galo e o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima.

- Venham, pois, provar o nosso património!

SarrabulhoLoures



publicado por Carlos Gomes às 15:56
link do post | favorito

MINHOTOS EM LISBOA PARTICIPAM NOS FESTEJOS DO ANO NOVO CHINÊS

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês e sobe ao palco dos festejos no Largo do Martim Moniz. Em Julho, Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Alameda D. Afonso Henriques até ao Largo do Martim Moniz. Da parte de tarde, sobe ao palco dos festejos que vão ter lugar no Martim Moniz para exibir os trajes, as danças e cantares do Minho.

CapturarChina2

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

CapturarAnoNovoChinês2

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribuiu para a paz e amizade entre os povos.

CapturarAnoNovoChines1



publicado por Carlos Gomes às 15:07
link do post | favorito

Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2018
VAI HAVER SARRABULHO EM LOURES... À MODA DE PONTE DE LIMA!

SarrabulhoLoures



publicado por Carlos Gomes às 18:37
link do post | favorito

Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2018
GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO LEVA A LOURES ALHEIRA DE GALO E ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA

AlheiraLoures



publicado por Carlos Gomes às 10:35
link do post | favorito

Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2018
ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA A REALIZAR-SE EM LOURES JÁ TEM LOTAÇÃO ESGOTADA

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes do Sarrabulho em Ponte de Lima conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures e da Confraria do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima

A organização do Almoço de Sarrabulho com rojões à Moda de Ponte de Lima já cancelou as inscrições em virtude da lotação da sala se encontrar completamente esgotada com mais de duas centenas de pessoas inscritas.

AlheiraLoures

Conforme tem sido anunciado, o evento vai ter lugar em Loures, no próximo dia 4 de Fevereiro, no refeitório da Câmara Municipal de Loures. O arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo vão fazer as delícias dos melhores apreciadores da cozinha tradicional minhota. O arroz de sarrabulho é uma das mais ricas especialidades da cozinha portuguesa em geral e minhota em particular. Um autêntico manjar próprio dos deuses!

Ao invés das papas de sarrabulho que são feitas à base de farinha de milho, aqui impera o arroz como a própria designação indica.

Desde a perna do porco às belouras, do chouriço verde às farinhotas e outros aromas e delícias de fazer crescer àgua na boca, o porco compromete-se na elaboração deste magnífico prato. As carnes são temperadas com louro, cravinho e noz-moscada, sal e pimenta e, no final, com os cominhos que lhe conferem um paladar muito peculiar e único. As carnes, depois de cozinhadas e desfiadas, juntam-se ao arroz e vão de imediato à mesa.

Por sua vez, a alheira de galo, especialidade produzida pela Minho Fumeiro, situada na Correlhã, no concelho de Ponte de Lima, e já galardoada com a medalha de ouro no concurso da Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, é justamente considerada a “melhor das melhores” alheiras do país.

Com baixo teor de sal e calorias, contendo apenas 13 gramas de gordura e 14 gramas de proteína, a sua confecção possui alguns segredos que vão do pão amolecido no caldo da cozedura das carnes de galo até aos temperos.

E porque onde há Minho há alegria e tradição, lá estará o Grupo Folclórico Verde Minho para animar o evento com as mais alegres rapsódias do folclore do Alto Minho.

Por sua vez, entendendo que o folclore ou seja, a sabedoria popular não se restringe ao canto e à dança mas abrange todos os aspectos da vida social, incluindo nela a própria gastronomia, o Grupo Folclórico Verde Minho juntou esforços com o melhor da restauração limiana para em Loures – às portas da capital do país! – dar a conhecer a Alheira de Galo e o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima.

- Venham, pois, provar o nosso património!

SarrabulhoLoures



publicado por Carlos Gomes às 21:43
link do post | favorito

Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2018
QUAL A GARANTIA DE IMPARCIALIDADE NA AVALIAÇÃO TÉCNICA DOS GRUPOS FOLCLÓRICOS QUANDO OS CONSELHEIROS TÉCNICOS INTEGRAM RANCHOS SEDIADOS NA MESMA REGIÃO?

Vai no próximo dia 18 de Fevereiro ter lugar em Lisboa a avaliação técnica dos ranchos folclóricos do Alto Minho ali sediados a fim de se proceder à admissão de sócios efectivos da Federação do Folclore Português.

v1

Espera-se que nessas reuniões seja feita uma avaliação justa e rigorosa que dignifique o movimento folclórico, seleccionando os melhores e deixando a porta aberta a que outros venham no futuro a atingir o patamar que lhes é exigido.

Importa ajudar sempre que tal é solicitado e jamais humilhar quem quer que seja, mesmo que não satisfaça os requisitos suficientes para ser admitido como membro efectivo da Federação do Folclore Português.

Assiste-se, porém, a um certo mal-estar e desconfiança em relação aos resultados da avaliação que vai ser feita, apontando-se o facto de um dos membros do Conselho Técnico Regional fazer parte de um dos grupos folclóricos que vai ser avaliado, em relação ao qual não se conhecem quaisquer críticas. Não obstante, o mal-estar é praticamente generalizado mas produzido em surdina, porventura com receio a represálias…

Este sentimento de desconfiança que coloca em causa a imparcialidade da avaliação teve recentemente novos contornos com a difusão propositada junto de vários elementos do CTR de fotos “assassinas” de um dos grupos folclóricos que vai ser sujeito a avaliação, procurando-se claramente influenciar à priori a decisão do próprio CTR.

Não se pretende de algum modo escamotear os erros técnicos seja de que grupo folclórico for. Mas devemos reconhecer que certas atitudes colocam em causa a imparcialidade do “júri” e a credibilidade do próprio Conselho Técnico Regional junto dos ranchos folclóricos… e isso em nada dignificará o associativismo folclórico!

Carlos Gomes



publicado por Carlos Gomes às 21:39
link do post | favorito

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS PREPARA PEREGRINAÇÃO AO SANTUÁRIO DE FÁTIMA

Capturarffp1

Capturarffp2

Capturarffp3

Capturarffp4

Capturarffp5



publicado por Carlos Gomes às 20:55
link do post | favorito

Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018
ONDE VAI REALIZAR-SE EM LOURES O ALMOÇO DE ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA?

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes do Sarrabulho em Ponte de Lima conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures e da Confraria do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima

Muitos são os minhotos radicados na região de Lisboa que no próximo dia 4 de Fevereiro vão afluir a Loures a fim de participar no almoço de arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima. A iniciativa vai decorrer nas magníficas instalações do refeitório da Câmara Municipal de Loures, situadas bem no centro daquela cidade dos arredores da capital. Mas, afinal, onde fica exactamente o referido refeitório da Câmara Municipal de Loures?

CapturarMapaLoures

Em pleno coração da cidade, situa-se o edifício dos Paços do Concelho, tendo defronte um pequeno espaço ajardinado com um monumento dedicado aos combatentes da primeira grande guerra. Por detrás do edifício, situa-se o Posto da PSP, o Cine-Teatro e o refeitório da Câmara Municipal de Loures. Trata-se da rua Frederico Tarré, nº 3. A imagem que publicamos indica a localização exacta.

CapturarRefeitorio

De Ponte de Lima virão restaurantes e cozinheiros – Restaurante Casa de S. Sebastião, Fátima Amorim, Restaurante “Sonho do Capitão” e Solar do Taberneiro – e consigo trazem as carnes já temperadas, as tripas e as belouras, a chouriça de cebolada e, como não podia deixar de ser, o melhor verdasco da região. Os participantes vão ainda ter oportunidade de apreciar a alheira de galo, um dos mais recentes requintes da cozinha limiana.

A iniciativa está a registar elevada adesão, devendo a lotação ficar esgotada muito em breve.

Foram convidadas várias personalidades ligadas a Loures e a Ponte de Lima. E, a Casa do Concelho de Ponte de Lima vai fazer-se representar pelos Presidente da Direcção e da Assembleia Geral, convite plenamente justificado por se tratar do prato por excelência mais representativo da cozinha tradicional limiana. De resto, muitos pontelimenses já asseguraram a sua presença.

Também os Confrades que representarão a Confraria do Arinto de Bucelas vão apresentar-se nesta grandiosa jornada gastronómica envergando capa, chapéu e tambuladeira. A título de curiosidade, lembramos que também Teotónio Gonçalves, responsável pelo Grupo Folclórico Verde Minho que animará o evento, é de igual modo Confrade do Arinto de Bucelas.

E, porque onde há Minho existe alegria e tradição, lá estará o Grupo Folclórico Verde Minho para animar o evento com as mais alegres rapsódias do folclore do Alto Minho.

SarrabulhoLoures

O arroz de sarrabulho é uma das mais ricas especialidades da cozinha portuguesa em geral e minhota em particular. Um autêntico manjar próprio dos deuses!

Ao invés das papas de sarrabulho que são feitas à base de farinha de milho, aqui impera o arroz como a própria designação indica.

Desde a perna do porco às belouras, do chouriço verde às farinhotas e outros aromas e delícias de fazer crescer àgua na boca, o porco compromete-se na elaboração deste magnífico prato. As carnes são temperadas com louro, cravinho e noz-moscada, sal e pimenta e, no final, com os cominhos que lhe conferem um paladar muito peculiar e único. As carnes, depois de cozinhadas e desfiadas, juntam-se ao arroz e vão de imediato à mesa.

Por sua vez, a alheira de galo, especialidade produzida pela Minho Fumeiro, situada na Correlhã, no concelho de Ponte de Lima, e já galardoada com a medalha de ouro no concurso da Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, é justamente considerada a “melhor das melhores” alheiras do país.

Com baixo teor de sal e calorias, contendo apenas 13 gramas de gordura e 14 gramas de proteína, a sua confecção possui alguns segredos que vão do pão amolecido no caldo da cozedura das carnes de galo até aos temperos.

E porque onde há Minho há alegria e tradição, lá estará o Grupo Folclórico Verde Minho para animar o evento com as mais alegres rapsódias do folclore do Alto Minho.

Por sua vez, entendendo que o folclore ou seja, a sabedoria popular não se restringe ao canto e à dança mas abrange todos os aspectos da vida social, incluindo nela a própria gastronomia, o Grupo Folclórico Verde Minho juntou esforços com o melhor da restauração limiana para em Loures – às portas da capital do país! – dar a conhecer a Alheira de Galo e o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima.

- Venha provar o nosso património!

AlheiraLoures



publicado por Carlos Gomes às 22:14
link do post | favorito

Domingo, 21 de Janeiro de 2018
MERCADO DE ALGÉS RECEBE FOLCLORE MINHOTO

Grupo Folclórico Verde Minho alegrou a 3ª edição do evento “Os Sabores de Portugal”

O Grupo Folclórico Verde Minho levou ontem ao Mercado de Algés, no concelho de Oeiras, a alegria e o folclore das gentes minhotas, tendo constituído a principal atração da 3ª edição do evento “Os Sabores de Portugal”.

IMG_6231

Sob a divisa “Mercado de Algés: Comer, Beber, Amar e (Re)viver”, o Mercado de Algés leva a efeito até ao próximo dia 11 de Fevereiro receber a 3ª edição de “Os Sabores de Portugal”.

Este evento propõe dar a conhecer a riqueza gastronómico-cultural do nosso país com o tema “Saberes e Tradições”. Como destino, Norte, Sul, Centro e Ilhas serão o ponto de partida de cada semana que se irá desenrolar com inúmeras atividades todos os dias.

Durante um mês, os visitantes poderão assistir a workshops e mostras de artesanato, sessões de showcooking com convidados célebres, jogos tradicionais, noites de stand-upcomedy, exposições de pintura, escultura e fotografia, provas de chá, café e vinho nacionais, criação de cocktails de autor, pratos regionais, apresentação de casos de sucesso e tantas outras atividades.

Organizado e promovido pelo Mercado de Algés, o evento terá uma forte aposta na comunicação, no sentido de captar todo o seu potencial e dinamizar o número de visitantes.

Fotos: Teotónio Gonçalves

IMG_6227

IMG_6228

IMG_6229



publicado por Carlos Gomes às 12:25
link do post | favorito

Sábado, 20 de Janeiro de 2018
REVISTA “LOURES – ODIVELAS – MAGAZINE” DESTACA CÂNTICOS TRADICIONAIS AO MENINO JESUS LEVADO A EFEITO EM LOURES POR INICIATIVA DO GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO

Capturarlouresmagazine



publicado por Carlos Gomes às 17:17
link do post | favorito

Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018
“OS SABORES DE PORTUGAL” LEVAM GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO A DANÇAR NO MERCADO DE ALGÉS

O Grupo Folclórico Verde Minho vai no próximo sábado, dia 20 de janeiro, às 13 horas, participar na 3ª edição do evento “Os Sabores de Portugal”, organizado pelo Mercado de Algés.

Sob a divisa “Mercado de Algés: Comer, Beber, Amar e (Re)viver”, o Mercado de Algés vai a partir de amanhã e até ao próximo dia 11 de Fevereiro, receber a 3ª edição de “Os Sabores de Portugal”.

Este evento propõe dar a conhecer a riqueza gastronómico-cultural do nosso país com o tema “Saberes e Tradições”. Como destino, Norte, Sul, Centro e Ilhas serão o ponto de partida de cada semana que se irá desenrolar com inúmeras atividades todos os dias.

Durante um mês, os visitantes poderão assistir a workshops e mostras de artesanato, sessões de showcooking com convidados célebres, jogos tradicionais, noites de stand-upcomedy, exposições de pintura, escultura e fotografia, provas de chá, café e vinho nacionais, criação de cocktails de autor, pratos regionais, apresentação de casos de sucesso e tantas outras atividades.

Organizado e promovido pelo Mercado de Algés, o evento terá uma forte aposta na comunicação, no sentido de captar todo o seu potencial e dinamizar o número de visitantes.

Capturar4



publicado por Carlos Gomes às 09:31
link do post | favorito

Sábado, 13 de Janeiro de 2018
GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO: A DANÇAR É QUE OS MINHOTOS SE ENTENDEM!

Ainda a procissão vai no adro e já o Grupo Folclórico Verde Minho, sediado em oures, possui uma agenda bastante preenchida para todo o ano de 2018. Para além das numerosas iniciativas que organiza das quais o FolkLoures constitui a mais saliente, o “Verde Minho” tem calendarizadas uma série de actuações, às quais ainda se virão acrescentar o estabelecimento de outras contratações e permutas que o levarão as mais diversos pontos do país e, naturalmente, à nossa região no auge das festas que coincidirá com as férias dos seus componentes.

Fotos do Verde Minho 028

As iniciativas já calendarizadas por parte do Grupo Folclórico Verde Minho são as seguintes:

20 de Janeiro – 13h00, no Mercado de Algés, no âmbito do evento “Sabores de Portugal”

21 de Janeiro – 15h00, no 13º Encontro de Concertinas da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, a ter lugar em Marvila, no concelho de Lisboa

4 de Fevereiro – 11h00, na Jornada Gastronómica da Alheira de Galo e do Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, a ter lugar em Loures, no refeitório da Câmara Municipal de Loures

10 e 11 de Fevereiro – Comemorações do Ano Novo Chinês. Participação no desfile às 10h30 e actuação em palco

17 Fevereiro – Rusgas a serem organizadas em Alfragide, concelho da Amadora, pelo Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega (a confirmar)

18 de Fevereiro – No âmbito da visita técnica do Conselhor Técnico Regional do Alto Minho, na Freguesia da Mina, no Concelho da Amadora, a ter lugar na Rua dos Bombeiros Voluntários

24 de Março – Conferência de Rui Aguilar Cerqueira subordinada ao tema “Folclore e Regionalismo na África Austral: A Casa do Minho em Lourenço Marques”, a ter lugar no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, em Loures

9 de Junho – Actuação no jardim público da Lousa, ás 19h00h

30 de Junho – Às 15h00, Conferência pelo Prof. Doutor. Manuel Antunes, subordinada ao tema “ Vilarinho da Furna: História e Tradições Populares de uma Aldeia Afundada”

7 de Julho – FolkLoures’18

29 de Setembro – Barrenta. Encontro de Tocadores de Concertina

13 de Outubro – Desfolhada e Encontro de Tocadores em Concertina, a partir das 14h00, no Grupo União Lebrense

20 de Outubro – Conferência a ser proferida pelo Dr. Augusto Flor, Presidente da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, subordinada ao tema “Rodopiando entre a Tradição e a Inovação – O Folclore comoCausa”

15 Dezembro – Almoço do Grupo Folclórico Verde Minho

16 Dezembro – A partir das 15h00, Cantares ao Menino Jesus a ter lugar na Igreja Matriz de Loures

Capturarfolk



publicado por Carlos Gomes às 18:20
link do post | favorito

“OS SABORES DE PORTUGAL”: MINHOTOS DANÇAM NO MERCADO DE ALGÉS

O Grupo Folclórico Verde Minho vai no próximo dia 20 de janeiro, às 13 horas, participar na 3ª edição do evento “Os Sabores de Portugal”, organizado pelo Mercado de Algés.

Sob a divisa “Mercado de Algés: Comer, Beber, Amar e (Re)viver”, o Mercado de Algés vai a partir de amanhã e até ao próximo dia 11 de Fevereiro, receber a 3ª edição de “Os Sabores de Portugal”.

Este evento propõe dar a conhecer a riqueza gastronómico-cultural do nosso país com o tema “Saberes e Tradições”. Como destino, Norte, Sul, Centro e Ilhas serão o ponto de partida de cada semana que se irá desenrolar com inúmeras atividades todos os dias.

Durante um mês, os visitantes poderão assistir a workshops e mostras de artesanato, sessões de showcooking com convidados célebres, jogos tradicionais, noites de stand-upcomedy, exposições de pintura, escultura e fotografia, provas de chá, café e vinho nacionais, criação de cocktails de autor, pratos regionais, apresentação de casos de sucesso e tantas outras atividades.

Organizado e promovido pelo Mercado de Algés, o evento terá uma forte aposta na comunicação, no sentido de captar todo o seu potencial e dinamizar o número de visitantes.

Capturar1

Capturar2

Capturar3

Capturar4



publicado por Carlos Gomes às 13:35
link do post | favorito

Sexta-feira, 12 de Janeiro de 2018
CONSELHO TÉCNICO REGIONAL DO ALTO MINHO DA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS DESLOCA-SE A LISBOA PARA AVALIAR GRUPOS MINHOTOS E ESTABELECER LIGAÇÃO COM CASAS REGIONAIS

Capturarffp



publicado por Carlos Gomes às 14:22
link do post | favorito

Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018
PORQUE FUMAM AS CRIANÇAS NA FESTA DOS RAPAZES EM MIRANDELA?

Existem tradições que chegadas aos nossos dias e, sobretudo no contexto social e cultural em que vivemos, afiguram-se-nos profundamente estranhas e por vezes até repudiáveis. Trata-se de antigos usos e costumes que foram com o tempo adquirindo novas formas, mas que não deixaram, porém, de representar resquícios da antiga religiosidade pagã e de normas de comportamento social.

img_797x448$2018_01_10_10_39_43_277891

Desde sempre, a burguesia foi avessa a certas formas de celebração populares tidas como mais rudes e que tinham origem nos meios rurais e eram trazidos para o espaço urbano como sucedia com os corsos carnavalescos e o típico xe-xé cujas tiradas constituíam uma autêntica crítica social que não raras as vezes punha a nu os podres e a hipocrisia de importantes figuras da sociedade. Assim, na cidade, os festejos do carnaval retiraram-se para as casas particulares – ou para o interior das agremiações recreativas, vulgo colectividades, nos ambientes mais populares habitualmente situados nas vilas e bairros operários.

Idêntico horror verifica-se em relação a formas de divertimento popular originário dos meios rurais como sucede com jogos e práticas que envolvem a participação de animais, nem sempre brutalizadas como sucede com as que implicam o sofrimento animal, absolutamente repudiável à luz dos novos valores civilizacionais.

Todas estas mudanças culturais mais não reflectem do que a alteração dos valores culturais e os padrões morais impostos a partir do Romantismo por uma nova classe social – a burguesia – que acabou por tomar o poder político e estabelecer uma nova ordem social.

Entre tais práticas que causam uma profunda estranheza encontra-se a curiosa tradição mantida em dia de Reis, na aldeia de Vale de Salgueiro, no concelho de Mirandela, por ocasião da Festa dos Rapazes em Honra de Santo Estêvão, que consiste na permissão por parte dos pais em deixarem as crianças fumar e andarem pelas ruas com maços de tabaco durante os dois dias da festa.

Este costume inscreve-se nos antigos ritos de iniciação que ainda actualmente se observam nas sociedades mais primitivas e que ao longo dos tempos foram adquirindo diferentes formas de representação consoante a evolução da sociedade, as mudanças religiosas e a alteração dos padrões mentais. Tal como o consumo de cigarros constitui um hábito relativamente recente e, portanto, uma influência moderna sobre costumes antiquíssimos, outras práticas também denunciam semelhantes origens como sucede com a “noite de núpcias” e o correspondente afastamento da comunidade, a “ida às sortes” e o seu ritual na taberna da aldeia ou ainda, na sua forma mais cristianizada, a “comunhão solene” a culminar alguns anos de preparação através da catequese cristã.

Por essa ocasião, nesta região de Trás-os-Montes, o povo tem por costume dançar a murinheira ao ritmo dos bombos e som das gaitas-de-foles, uma dança originária da cultura celta que também é executada na Galiza.

A figura do Rei – alusiva aos Reis Magos – organizando a festa e percorrendo as casas da aldeia a recolher os donativos, constitui já um traço da influência do Cristianismo a modificar uma ancestral prática pagã.

Mais do que julgar, compete ao etnólogo – tal como ao historiador – compreender a evolução das culturas e das mentalidades, colocando de lado preconceitos ideológicos que mais não correspondem a uma moral vigente numa determinada época de acordo com um modelo de sociedade.

A70777

O Xé-xé era a figura mais típica do carnaval no século XIX e que entretanto desapareceu

Fotos: http://www.sabado.pt/ / Arquivo Municipal de Lisboa

Carlos Gomes



publicado por Carlos Gomes às 13:20
link do post | favorito

Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2018
ACTUAL DIRECÇÃO DA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS COMPLETA PRIMEIRO ANO DE MANDATO

26231611_1507484005967884_7755944041545912928_n



publicado por Carlos Gomes às 01:16
link do post | favorito

Terça-feira, 9 de Janeiro de 2018
GRUPO DE FOLCLORE DAS TERRAS DA NÓBREGA DESEJA BOM ANO AOS LEITORES DO BLOGUE DE LISBOA

GFTN_PostalAnoNovo



publicado por Carlos Gomes às 18:41
link do post | favorito

Segunda-feira, 8 de Janeiro de 2018
ARGANILENSES EM LISBOA CANTAM OS REIS NA IGREJA DE SANTA CATARINA

O Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa, conjuntamente com a Junta de Freguesia de Santa Catarina, levou ontem a efeito em Lisboa a segunda edição “Do Natal aos Reis”, um Encontro de Cantares do Ciclo Natalício que começa já a ser uma referência cultural na capital.

26730741_1662660320444297_8696837612526093559_n

À semelhança do ano anterior, a Igreja de Santa Catarina foi o local escolhido para a realização do espectáculo e dificilmente poderia ser melhor. Ricamente ornamentada a talha dourada, a Igreja de Santa Catarina foi mandada construir no século XVI por D. Catarina de Áustria, esposa do rei D. João III. Integrava o antigo Convento dos Paulistas onde actualmente se encontra instalado o Comando Territorial de Lisboa da GNR. Bastante danificada pelo terramoto de 1755, foi reconstruída dois anos depois. Em 1835, um incêndio voltou a destruir uma parte considerável do edifício. A partir desse ano, a Igreja do Convento dos Paulistas passa a servir como igreja da paróquia sob o orago de Santa Catarina.

Para além do anfitrião – o Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa – a iniciativa contou ainda com a participação do Rancho Folclórico e Etnográfico de Eira Pedrinha – Condeixa-a-Nova e do Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira.

Fotos: Manuel Santos

26168996_1662699273773735_6720887219736761265_n

26169081_1662660793777583_6409068105049134972_n

26169604_1662702667106729_703769743825883210_n

26169962_1662659490444380_3780791251251981472_n

26195590_1662701157106880_3177437561497121597_n

26195720_1662660163777646_1762035604443614930_n

26195785_1662702553773407_5736698930172171488_n

26195795_1662660633777599_3055417818069213537_n

26195797_1662698073773855_4704265210224796238_n

26219308_1662698573773805_2580966557971325346_n

26219858_1662699937107002_7523443285379986524_n

26220089_1662702560440073_3212776675520850274_n

26229855_1662698547107141_7268346667581804337_n

26231470_1662660097110986_5788947734356394722_n



publicado por Carlos Gomes às 10:54
link do post | favorito

MINHOTOS DANÇAM EM LISBOA E CANTAM OS REIS

Os minhotos dançaram ontem o vira e a chula de Viana tendo como cenário o magnífico portão sul do Mosteiro dos Jerónimos com o seu deslumbrante rendilhado manuelino.

26731512_2005084399817346_6645480201243571263_n

O Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho andou ontem pela zona monumental de Belém e, para gáudio de muitas pessoas que escolheram o domingo para passear naquela zona de Lisboa, sobretudo números turistas estrangeiros, ofereceu algumas danças do nosso folclore. Foi a sua primeira actuação no ano que agora se inicia.

Como já é tradição, este grupo folclórico percorre alguns pontos da cidade a cantar os reis e a pedir alvíssaras. E, com a baixa temperatura que ontem se fez sentir, cantaram e dançaram com mais ânimo para espalhar o frio e aquecer os corações!

26169234_2005083769817409_9162231023785891681_n

26169259_2005084119817374_4905854130108077901_n



publicado por Carlos Gomes às 10:16
link do post | favorito

Sábado, 6 de Janeiro de 2018
MINHOTOS EM LISBOA FESTEJAM ANO NOVO CHINÊS

Grupo Folclórico Verde Minho desfila em Lisboa no Cortejo do Ano Novo Chinês. Comunidade Chinesa participa no FolkLoures’18

O Grupo Folclórico Verde Minho vai desfilar no cortejo alusivo às festas do Ano Novo Chinês que se realiza em Lisboa, a partir das 10h30 do próximo dia 10 de Fevereiro, desde a Alameda D. Afonso Henriques até ao Largo do Martim Moniz.

CapturarAnoNovoChines1

O vermelho vai constituir a cor predominante quer nos trajes tradicionais chineses como ainda nos trajes à vianesa que os minhotos vão exibir em virtude de se tratar da cor  da fortuna, da alegria e da felicidade, sendo que a sua influência é tão forte na cultura chinesa que até as noivas costumam usar o vermelho.

As celebrações em Portugal do Ano Novo Chinês antecipam-se quase uma semana uma vez que, na realidade, o primeiro dia do calendário chinês recai este ano a 16 de Fevereiro, sendo o Cão o animal do zodíaco cuja energia vai prevalecer ao longo deste ano, juntamente com a Terra.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

Por sua vez, a comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupoPensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

Este intercâmbio entre a comunidade chinesa e as gentes do Minho radicadas na região de Lisboa, através do Grupo Folclórico Verde Minho e do Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa”, constitui um gesto que valoriza a amizade luso-chinesa e contribui para a paz e amizade entre os povos.

CapturarChina2



publicado por Carlos Gomes às 11:07
link do post | favorito

Sexta-feira, 5 de Janeiro de 2018
AUGUSTO FLOR, PRESIDENTE DA CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS COLETIVIDADES DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO, VAI A LOURES FALAR SOBRE FOLCLORE E ASSOCIATIVISMO POPULAR

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho

“Rodopiando entre a tradição e a inovação – o Folclore como causa” é o tema que o Dr. Augusto Flor, Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto vai proferir em Loures no próximo dia 20 de Outubro, pelas 15 horas, no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, local onde habitualmente se reúne a Assembleia Municipal. A iniciativa é do Grupo Folclórico Verde Minho e conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures.

CapturarAugustoFlor

O Dr. Augusto Flor é licenciado em Antropologia pelo ISCTE, possui o Curso de Especialista da Escola Militar de Eletromecânica (EMEL) e o Curso de Montador Eletricista na Escola Industrial Emídio Navarro.

É dirigente associativo voluntário desde 1970, tendo em 2012 sido nomeado pelo Secretário de Estado do Desporto e Juventude para Embaixador para a Ética no Desporto- Em 2011, foi nomeado Comissário Nacional para o Ano Europeu do Voluntariado. Em 2007, desempenhou funções de Presidente da Assembleia-geral da Confederação do Desporto de Portugal, sendo desde essa data, Presidente da Direção da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto.

É membro do Partido Comunista Português e, nesse âmbito, detém responsabilidades nas áreas do Movimento Associativo Popular, coordenação de atos eleitorais e referendos, bem como das áreas do Desporto, Teatro, Animação e Exposições de Ciência e Tecnologia da Festa do Avante. Entre 1993 e 1997, foi deputado na Assembleia Municipal de Sesimbra e entre 2003 e 2007 – Chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República.

Entretanto, o Grupo Folclórico Verde Minho promove no próximo dia 24 de Março uma conferência subordinada ao tema “Folclore e Regionalismo Minhoto na África Austral: A Casa do Minho em Lourenço Marques” a ser proferida por Rui Aguilar Cerqueira. E, no dia 30 de Junho, o Prof. Doutor Manuel Antunes dissertará sobre “Vilarinho da Furna: História e Tradições Populares de uma Aldeia Afundada”. Ambas as conferências terão lugar no mesmo local, em Loures.



publicado por Carlos Gomes às 18:36
link do post | favorito

Segunda-feira, 1 de Janeiro de 2018
QUATRO MIL ANOS DE TRADIÇÃO INDO-EUROPEIA

Em Terra de Miranda, nos confins de Trás-os-Montes, resiste uma velha tradição cujos traços se perdem na noite dos tempos, reminiscência, talvez, das danças rituais guerreiras indo-europeias presentes em todas as comunidades agro-pastoris a partir da Idade do Ferro e da qual dão conta sucessivos testemunhos de Plínio, Estrabão e Tácito. Os antropólogos encontram similitudes entre os Pauliteiros e as danças que os mancebos da Grécia Antiga, da Roma republicana e da Germânia primitiva executavam por ocasião das festividades religiosas em honra dos deuses protectores dos guerreiros. Tais rituais subsistiram um pouco por toda a Europa até ao advento da era industrial - na Suíça, no sul de França, no País Basco - mas desapareceram assim que as sociedades camponesas entraram em colapso.

26195873_2019780911613599_5968597959153070000_n

A coreografia insere movimentos que lembram o adestramento militar - o ataque, a defesa, a agilidade - bem como a unidade ritmada. Nas mãos dos dançarinos, dois paus substituindo a espada e o punhal, simulam a luta corpo-a-corpo em que a espada interceptava e detinha a estocada, e o punhal assestava o golpe mortal no inimigo. O saio branco substitui a túnica, o colete lembra o peitoral em couro ou bronze e o chapéu com fitas coloridas evoca o capacete emplumado. As danças são ritmadas por tambores, acompanhados por gaitas-de-foles e adufes, instrumentos antiquíssimos entrados na Península Ibérica por volta do primeiro milénio a.C e já comuns entre os Celtiberos. As castanholas surgem no fim do combate e são executadas pelos bailadeiros-guerreiros como representação da alegria da vitória.

Graças ao empenho das associações defensoras da identidade cultural dos povos de Miranda, os Pauliteiros são hoje um dos florões do folclore português, actuando um pouco por todo o mundo como embaixadores de um povo orgulhoso da sua exclusividade.

Fonte: MCB / https://www.facebook.com/pg/novaportugalidade/about/?ref=page_internal



publicado por Carlos Gomes às 17:21
link do post | favorito

Domingo, 31 de Dezembro de 2017
ATLETA DO SPORT LISBOA E BENFICA VENCE CORRIDA DE S. SILVESTRE DA AMADORA

Beleza minhota encanta a festa do desporto

Terminou há instantes mais uma edição da prestigiada Corrida de S. Silvestre da Amadora, por sinal a mais antiga do nosso país. Posicionadas na meta de chegada como já vem sendo tradição desde há várias décadas, a beleza das jovens minhotas do Grupo Folclórico Dançar é Viver, rigorosamente trajadas à vianesa, conferiu à festa um especial brilho e encanto.

26169735_1772875046119299_8967831068826039870_n

Ao longo das artérias desta cidade dos arredores da capital, milhares de pessoas apinhavam-se para assistir à passagem dos atletas, apoiando os seus ídolos e incentivando-os a prosseguir no seu esforço.

O atleta do Sport Lisboa e Benfica voltou este ano, pela terceira vez consecutiva, a alcançar a vitória ao cortar a meta com apenas 30.10 segundos, logo seguido de Lucínio Pimentel, do Sporting Clube de Portugal e de Eduardo Mbengani, tam ele do Sport Lisboa e Benfica. Na quarta posição ficou André Costa, do Clube de Praças da Armada, seguindo-se-lhe Andrelino Furtado (SCP), Hugo Almeida (SC Braga) e, em sétimo lugar, o amadorense Hugo Correia (SCP).

Iniciada em 1975, com a denominação de "1º Grande Prémio da Amadora", a São Silvestre da Amadora começou a transformar-se no ano seguinte, quando foi para a estrada a primeira edição.

Para o baptismo, nada mais significativo do que a presença de Carlos Lopes que, ainda em 1976, conquistou a medalha de prata na final dos 10.000 metros dos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá). A primeira São Silvestre da Amadora teve a participação de 156 atletas, representando alguns clubes de nomeada como o Sporting e o Benfica. Em 2017, celebra a 43ª edição, sendo a corrida de São Silvestre mais antiga de Portugal Continental. Realiza-se no último dia do ano, pelas 18h00.

Fotos: Miguel Quesada

26112467_1772873979452739_7684543972800102010_n

26114248_1772873722786098_3198254848650043937_n

26166165_1772873819452755_1940869439624377090_n

26166789_1772871876119616_3232045222662897662_n

26167740_1772873666119437_2611982248896235558_n

26219468_1772868586119945_8760431621612854252_n



publicado por Carlos Gomes às 21:54
link do post | favorito

ARGANILENSES EM LISBOA ORGANIZAM ENCONTRO DE CANTARES DO CICLO NATALÍCIO

O Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa, juntamente com a Junta de Freguesia da Misericórdia, levarão a cabo a 2ª edição do evento ‘DO NATAL AOS REIS’, que consiste num Encontro de Cantares do Ciclo Natalício, do qual farão parte 3 grupos folclóricos, que exibirão cantares tradicionais da época.

26114288_2024734490870818_1656886955975877793_n

O evento terá o seguinte horário:

16h00m – Abertura do espetáculo com sessão solene

16h15m – Atuação dos Grupos de Folclore:

  1. Rancho Folclórico e Etnográfico de Eira Pedrinha
  2. Condeixa-a- Nova | Beira Litoral Mondego
  3. Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira
  4. Santa Maria da Feira | Douro Litoral Sul
  5. Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa
  6. Arganil | BeiraSerra

Deste modo singelo, convidamos todos os sócios, amigos, conterrâneos e conhecidos a estarem presentes nesta festividade, para deste modo engrandecê-la e fazer parte dela; só com a união e colaboração de todos é que o movimento folclórico ganha força para continuar vivo! Venha conviver, divertir-se e conhecer um pouco mais das tradições deste belo país “à beira-mar plantado”.



publicado por Carlos Gomes às 11:22
link do post | favorito

Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2017
VISEU PREPARA "REVÉILLON" PARA SE DECLARAR "CIDADE EUROPEIA DO FOLCLORE"

Viseu vai declarar-se "Cidade Europeia do Folclore" na passagem do ano

O município de Viseu vai declarar-se "Cidade Europeia do Folclore" na passagem de ano, num espetáculo com música folk, folclore e fogo de artifício junto ao centro histórico, foi esta quarta-feira anunciado.

mw-860

Com palco na Praça da Feira de São Mateus, o espetáculo de fim de ano será marcado por um espetáculo de fogo-de-artifício e atuação da "banca-ícone do folk nacional Oquestrada, dj Moullinex e o melhor do folclore local".

Em comunicado, a autarquia beirã explica que o réveillon vai ser aproveitado para promover Viseu como "Cidade Europeia do Folclore" em 2018, decorrente de ser a organizadora do festival Europeade, que se vai realizar entre 25 e 29 de julho.

O espetáculo de fogo de artifício que vai assinalar a entrada em 2018 terá como cenário o centro histórico, tendo como banda sonora temas de grandes autores nacionais que "reinterpretaram as raízes da música popular portuguesa, como Oquestrada, Virgem Suta, Deolinda, Miguel Araújo ou Os Azeitonas".

No recinto, a Câmara de Viseu vai ainda instalar uma praça de "tasquinhas" e bares para garantir uma oferta variada de petiscos e bebidas, além de garantir transporte entre a ligação da rotunda do Campo de Viriato ao Rossio e ao Centro Histórico, das 20h00 às 04h00.

Fonte: http://sicnoticias.sapo.pt/



publicado por Carlos Gomes às 20:44
link do post | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


21
22
23
24

25
26
27
28


posts recentes

PENAFIEL LEVA AO FOLKLOUR...

BLOGUE DE LISBOA DESEJA B...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

CARNAXIDE RECEBE ENCONTRO...

GENTES D'ENTRE-O-DOURO-E-...

MINHOTOS DA RIBEIRA DA LA...

SIGA A RUSGA EM CARNAXIDE...

HOJE CELEBRA-SE O DIA MUN...

PENSAMENTO ORIENTAL – PRO...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

MINHOTOS EM LISBOA PARTIC...

AMADORA REALIZA MERCADO S...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

FOLKLOURES: A CULTURA TRA...

ARROZ DE SARRABULHO À MOD...

CARDÁPIO DO ALMOÇO DO ARR...

ALMOÇO DO ARROZ DE SARRAB...

MINHOTOS QUEREM QUE O ALM...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

CHEFE PAULO SANTOS FEZ PR...

LOURES FOI HOJE A CAPITAL...

MINHOTOS EM LOURES TEMPER...

MINHOTOS EM LISBOA PARTIC...

JORNAL "FOLCLORE" DIVULGA...

LOURES RECEBE AMANHÃ GRAN...

PONTE DE LIMA LEVA A LOUR...

MINHOTOS EM LISBOA PARTIC...

VAI HAVER SARRABULHO EM L...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

ALMOÇO DO ARROZ DE SARRAB...

QUAL A GARANTIA DE IMPARC...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

ONDE VAI REALIZAR-SE EM L...

MERCADO DE ALGÉS RECEBE F...

REVISTA “LOURES – ODIVELA...

“OS SABORES DE PORTUGAL” ...

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MI...

“OS SABORES DE PORTUGAL”:...

CONSELHO TÉCNICO REGIONAL...

PORQUE FUMAM AS CRIANÇAS ...

ACTUAL DIRECÇÃO DA FEDERA...

GRUPO DE FOLCLORE DAS TER...

ARGANILENSES EM LISBOA CA...

MINHOTOS DANÇAM EM LISBOA...

MINHOTOS EM LISBOA FESTEJ...

AUGUSTO FLOR, PRESIDENTE ...

QUATRO MIL ANOS DE TRADIÇ...

ATLETA DO SPORT LISBOA E ...

ARGANILENSES EM LISBOA OR...

VISEU PREPARA "REVÉILLON"...

arquivos

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds