Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2016
LESADOS DO BANIF MANIFESTAM-SE EM LISBOA

Perto de uma centena de pessoas desfilou hoje ao final da manhã na baixa lisboeta, numa manifestação organizada pela Associação de Lesados do Banif. Os manifestantes acusam o Estado de ser o responsável pela situação em que se encontram, criticam como o processo está a ser conduzido e exigem uma solução para os seus problemas. “Queremos que o Governo resolva o problema” – é sua principal palavra de ordem!

BES Lesados (4).JPG

BES Lesados (8).JPG

BES Lesados (9).JPG



publicado por Carlos Gomes às 20:38
link do post | favorito

COMERCIANTES DA BAIXA LISBOETA ESTENDEM CARPETES NA CALÇADA PORTUGUESA

Os passeios da baixa lisboeta estão a ser revestidos de carpetes, das mais variadas cores e feitios, que muitos comerciantes estendem á porta dos seus estabelecimentos, anexando dessa forma um pedaço do espaço público à sua própria loja.

carpetes (2).JPG

Para além de inestético e encobrir a calçada portuguesa que constitui um dos motivos mais apreciados por quem visita Lisboa – e atualmente são inúmeros os turistas que se passeiam naquela zona da cidade! – constitui uma atitude abusiva uma vez que também subtrai um espaço considerável à circulação pedonal.

carpetes (3) (1).JPG

carpetes (1).JPG


tags:

publicado por Carlos Gomes às 19:36
link do post | favorito

Quinta-feira, 15 de Setembro de 2016
OS SARGACEIROS DA APÚLIA VÊM DANÇAR EM LISBOA NO PRÓXIMO SÁBADO

Já alguma vez assistiu ao vivo a uma atuação do Grupo de Sargaceiros da Casa do Povo da Apúlia – Esposende? Não perca esta oportunidade… eles vêm no próximo sábado, dia 17 de setembro, a Lisboa e vão atuar no Largo do Martim Moniz a partir das 16h45. Antes, porém, desfilam a partir do Rossio, através da Praça da Figueira, rumo ao local onde se realiza o espetáculo.

Trata-se do Festival Nacional de Folclore que é anualmente organizado pelo BESCLORE – Grupo de Danças e Cantares do Grupo Novo Banco e conta também com a participação do Rancho Folclórico de Vilela, o Grupo Folclórico de S. Miguel da Carreira, o Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Santana do Mato e o Grupo de Percussão “Bombbrando”.

Em relação às condições meteorológicas, o Instituto do Mar e da Atmosfera prevê para o próximo sábado, céu geralmente limpo com temperatura variável entre os 19 graus e os 30 graus, o ideal para assistir ao festival de folclore que vai ter lugar no Largo do Martim Moniz, em Lisboa.

 A não perder!

14192596_10207291304660281_4384082262671658141_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 23:14
link do post | favorito

AMADORA: GENTES D’ENTRE-O-DOURO-E-MINHO DANÇAM EM ALFRAGIDE

Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho realizou o XVIII Festival de Folclore de Alfragide

O Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho, no concelho da Amadora, realizou no passado sábado mais uma edição do Festival de Folclore de Alfragide, o qual contou este ano com a participação do Rancho Regional de Mindelo – Vila do Conde, Rancho Folclórico “Os pescadores de Matosinhos” – Porto e do Rancho Folclórico de Vila Nova da Erra – Coruche, além naturalmente do próprio grupo anfitrião. A organização teve o apoio da Câmara Municipal da Amadora e da Junta de Freguesia de Alfragide.

CX8A1841 (1).JPG

O anfitrião, Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho, foi fundado em 1987 e encontra-se sediado na Associação de Moradores Alto do Moinho, no Bairro do Zambujal, concelho da Amadora, nos limites geográficos com a cidade de Lisboa. No entanto, este grupo representa com fidelidade os usos e costumes das gentes do Douro Litoral, na realidade a região geo-etnográfica de Entre-Douro-e-Minho.

Este é um grupo que apresenta variadíssimos trajes de entre os quais se destacam, os trajes de trabalho, traje de romaria, traje de vendedeiras de bolos, traje de aguadeira, traje de lavadeira, traje de vindimador, entre outros.

De modo a representar fidedignamente o folclore do Douro Litoral, aliás região d’Entre-o-Douro-e-Minho para sermos mais rigorosos do ponto de vista geo-etnográfico, este grupo fez uma recolha das modas e trajes das regiões de Gondomar, Trofa, Maia e outras regiões do grande Porto.

No seu repertório, este grupo, apresenta modas de roda como a caninha verde, cantares ao desafio como a Desgarrada, danças melodiosas e em coluna como a Pastorinha e a real Caninha, entre outras bastante demonstrativas da região do Douro Litoral.

O Grupo está inscrito na Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto. Inicialmente com o nome de Rancho Folclórico Alto do Moinho, após 20 anos de atividade decidiu com o apoio da Associação de Moradores, fazer uma reestruturação completa, nascendo assim o Grupo Danças e Cantares Alto do Moinho, composto por cerca de 50 elementos, com idades compreendidas entre os 5 e os 80 anos com gente oriunda de norte a sul do país, sendo esta uma das razões pela qual foi motivado a representar as danças e cantares de todo o país, exibindo trajes de diversas regiões.

Fotos: Manuel Santos

CX8A1610 (1).JPG

CX8A1635 (1).jpg

CX8A1682 (1).JPG

CX8A1720 (1).JPG

 CX8A1713.JPG

CX8A1726.jpg

CX8A1728.jpg

CX8A1729.jpg

CX8A1732.JPG

CX8A1739.JPG

CX8A1743.JPG

CX8A1762.JPG

CX8A1828.JPG



publicado por Carlos Gomes às 19:11
link do post | favorito

SARA SERPA E ANDRÉ MATOS EDITAM “ALL THE DREAMS”

A dupla de jazz Sara Serpa e André Matos acaba de lançar o seu segundo álbum de estúdio, “All The Dreams”, com o selo da norte-americana Sunnyside Records. “Espelho”, “Story of a Horse” ou “Estado de Graça” são alguns dos temas já conhecidos que integram este novo registo.

All the Dreams_Sara Serpa.jpeg

Para o sucessor do aclamado “Primavera” (2014), a dupla mantém o entusiasmo da experimentação, refina processos e da criatividade vivida em comunhão sai um conjunto de canções que nos fazem sonhar todos os sonhos do mundo, que afinal é só um. 

Magia, encanto, sintonia. Cumplicidade e audácia. Calmo e deslumbrante. Assim se pode descrever o trabalho da dupla lisboeta - agora-nova-iorquina - Sara Serpa e André Matos. A colaborarem desde 2005, a cantora e o guitarrista criaram um mundo sonoro muito pessoal e

único, comprometendo-se numa música de atmosferas, sons puros com recurso à melodia e poesia. Juntos, revelam-se numa identidade que combina a sua cultura portuguesa com a criatividade de Nova Iorque.

Nascidos em Lisboa, mas radicados em Nova Iorque, Sara Serpa e André Matos conheceram-se em Boston e actuam juntos há mais de dez anos, tendo vindo a apresentar a sua música em países como o Brasil, Argentina, Uruguay, Estados Unidos, Alemanha, Holanda, Espanha e claro está, Portugal. Sara Serpa (nos últimos dois anos destacada pela prestigiada revista Downbeat como Rising Star Vocalist, numa votação dos críticos) e André Matos estão em ascensão na cena musical Nova Iorquina, sendo ambos músicos activos,  que têm vindo a colaborar colectiva e individualmente com músicos proeminentes como Ran Blake, John Zorn, Leo Genovese, Tony Malaby, Pete Rende, Thomas Morgan, Greg Osby, Danilo Perez, Guillermo Klein entre outros.

“Primavera” (Inner Circle Music), o álbum de estreia do duo, saiu em 2014, sendo um trabalho desenvolvido maioritariamente em  torno de música original, criada especificamente de um para o outro, dando ênfase à melodia e poesia e criando um arco de magia para quem ouve o disco do princípio ao fim. As palavras, através de letras originais ou recorrendo a poemas de Alberto Caeiro, e.e. Cummings ou Jeanne Lee, são perfeitamente ilustradas com  um ambiente musical que nos envolve na história de cada canção.

No novo trabalho do duo, “All The Dreams”, Serpa e Matos continuam e aprofundam o uso da palavra na língua Portuguesa com poemas de Álvaro de Campos (seguindo nessa viagem Pessoana), Luís Amaro e ainda letras originais quer de Matos, quer de Serpa.

O novo álbum é uma afirmação reforçada da individualidade e originalidade destes dois músicos. O rigor dos arranjos, a criação de camadas sonoras, em que a voz e a guitarra se confundem, e a carga emocional dos poemas selecionados, revelam em Serpa e Matos uma contínua procura e empenho em assumirem a sua música de uma forma natural e honesta.

Para o novo álbum, “All The Dreams”, Serpa e Matos, mantendo o entusiasmo da experimentação, refinaram processos e da criatividade vivida em comunhão sai um conjunto de canções que nos fazem sonhar todos os sonhos do mundo, que afinal é só um.

Citações de imprensa sobre o disco “All The Dreams”:

“É capaz de não existir melhor combinação capaz de pintar e promover a iridescência aural que a da vocalista Sara Serpa e do guitarrista André Matos. (...) Este sedutor registo opõe a consistência contra a natureza transitória da coloração sonora, de forma discreta mas incrível”, All About Jazz

“All The Dreams é um disco maravilhoso.(...) O duo libertou um álbum de tamanha beleza que consegue mover montanhas como um pôr do sol que almeja mais espaço para a sua luz brilhante”, Bird Is the Worm

“(...) A atmosfera predominante continua a ser gentil e suave, com apenas as mais subtis e ocasionais sugestões de discórdia, escuridão ou urgência (...)”, Jazz Times

“Sonhador e atmosférico, All The Dreams soa maior a cada nova audição. (...) Prepara-se para uma experiência minimalista, complexa e sofisticada através desta eclética fusão”, Jazz Trail


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:45
link do post | favorito

SARGAÇO! SARGAÇO!

- grita o sargaceiro ao avistar as algas que a mareada arroja, exortando os companheiros a entrarem mar dentro e enfrentarem com arrojo a rebentação das ondas. Após a maresia, a mareada é invariavelmente mais abundante, arrojando o mar as algas que se desprendem dos rochedos quase submersos. O grito do sargaceiro ecoa longínquo na praia. Os homens, vestidos de branqueta e a cabeça e pescoço protegido com o sueste, levam consigo o galhapão ou a gaiteira se o sargaço estiver próximo da praia. No areal, as mulheres transportam o sargaço nas carrelas para mais longe do alcance do mar, fazendo as camas onde fica a secar. Apó a secagem, as algas serão empregues como fertilizantes das terras, em produtos fito-sanitários e cosméticos, sendo cada vez mais conhecidas também as suas virtudes alimentares.

Sargac (25).jpg

No próximo dia 17 de Setembro, o Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia, no concelho de Esposende, vai atuar em Lisboa, no Festival Nacional de Folclore que o Grupo BESCLORE leva a efeito no Largo do Martim Moniz. O espetáculo será antecedido de um desfile etnográfico a partir da Praça D. Pedro IV, vulgo Rossio, um momento sempre muito apreciado pelo público.

Fundado em 1934, o Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia é um representante ímpar do folclore da Região do Baixo-Minho e vai seguramente constituir a grande atracão deste Festival de Folclore.

A iniciativa conta ainda com a participação do Rancho Folclórico de Vilela, o Grupo Folclórico de S. Miguel da Carreira, o Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Santana do Mato, o Grupo de Percussão “Bombbrando” e o anfitrião, BESCLORE – Grupo de Danças e Cantares do Grupo Novo Banco.

Fotos: http://www.sargaceiros.com.pt/

Sargac (3) (1).jpg

Sargac (4) (1).jpg

Sargac (6) (1).jpg

Sargac (9) (1).jpg

Sargac (10) (1).jpg

Sargac (12) (1).jpg

Sargac (13) (1).jpg

 14192596_10207291304660281_4384082262671658141_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:04
link do post | favorito

Quarta-feira, 14 de Setembro de 2016
TOCADORES DE CONCERTINA MARCAM ENCONTRO NA LAGE, EM OEIRAS

14289880_940632609398539_1201079290229255002_o (2).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 19:41
link do post | favorito

EM CONTRASTE LANÇAM SINGLE DE ESTREIA

A kizomba nacional acaba de ganhar um novo projecto musical que combina o universo típico deste estilo africano com o espírito baladeiro e popular tipicamente português.

Em Contraste_promo.jpg

Os Em Contraste fazem-se anunciar com “Serás Tu”, apaixonado e caloroso single para saborear nesta recta final de Verão – e muito depois deste ter chegado ao fim. Integrará o EP de estreia da dupla, a ser editado até ao final do ano com o selo da Music For All.

Em Contraste é uma banda musical de kizombas/baladas composta por dois elementos. Um Angolano, Mauro Carvalho, nascido em Luanda, e um Português, João Figueiredo, nascido em Lisboa.

Como melhores amigos de longa data e jovens que cresceram rodeados de música sempre presente no seu dia-a-dia, fazendo parte dum coro de igreja e tendo diversas aulas de música, decidiram juntar as suas qualidades e diferentes sonoridades e características, misturando uma vertente mais mexida e gingona, tipicamente africana, com uma vertente

 mais baladeira e popular ao bom jeito português, formando oficialmente o grupo há cerca de 2 anos quando foram lançadas as primeiras músicas oficiais: "Vai Aquecer" (ainda hoje a mais conhecida) e "Fantasmas do Passado", uma kizomba e uma balada. A kizomba foi então adoptada como estilo predominante do grupo e foram lançadas outras músicas no mesmo registo, "Chacheiro" e "Consciência Pesada".

O grupo tem tido diversas actuações em palco, principalmente no Norte de Portugal (Paços de Ferreira e Porto), para além de Lisboa, de onde são residentes os integrantes. Mais recentemente foram convidados do programa “Bem-Vindos” da RTP África.

O objectivo do grupo é, como diz o nome, "Em Contraste", ser diferente, imprimir algo de genuinamente único nas suas músicas e, sem dúvida, primar pela diferença, ou seja, contrastar.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:29
link do post | favorito

INATEL ORGANIZA ENCONTRO NACIONAL DE TOCADORES DE CAVAQUINHO

O INATEL promove o Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho que terá lugar em Vila Verde no próximo dia 5 de Outubro de 2016. Trata-se de uma iniciativa conjunta da Fundação INATEL e do Município da Vila Verde, no recinto da Festa das Colheitas.

As inscrições dos grupos de cavaquinhos participantes terão de ser feitas até dia 30 de Setembro, através do preenchimento da respetiva ficha de inscrição.

Este Encontro tem uma componente de arruadas e de atuações em palco.

A organização garante o almoço a todos os tocadores de cavaquinho que se inscreverem dentro dos prazos regulamentados.

Nome do evento: Encontro Nacional de Tocadores de Cavaquinho 2016

Datas e Local: Vila Verde | 05 de Outubro de 2016 (Recinto da Festa das Colheitas)

PROGRAMAÇÃO

09h00 – Abertura do Secretariado (confirmação do grupos)

Local - Tenda de Conferências - Campo da Feira

10h00 – Inicio de atuações no Palco Local - Recinto da Feira (Palco das Colheitas)

10h30 – Inicio das Rusgas pelo recinto da Feira

12h30 – Almoço

Local -Restaurantes / Tasquinhas no recinto do evento

14h00 – Continuação das atuações no Palco

Local - Recinto da Feira (Palco das Colheitas)

14h30 – Continuação das Rusgas pelo recinto da Feira

20h00 – Uníssono (Encerramento do Encontro)

EXPOSIÇÃO 10:00H AS 20:00 - EXPOSIÇÃO E OFICINAS DE INSTRUMENTOS DE CORDAS

Local - Tenda de Conferências - Campo da Feira Inscrições até dia 30 de Outubro (através de ficha de inscrição própria)

Co-organização: Fundação INATEL e Município de Vila Verde

Colaboração: Grupo de Cavaquinhos de Soutelo / Estrelas Milenares Associação

Logótipos a inserir:

  • Fundação INATEL;
  • Municio de Vila Verde
  • Grupo de Cavaquinhos de Soutelo

Contactos: INATEL de Braga

Fundação INATEL

Avenida Central 77

4710-228 Braga

Tel. 253 613 320

Email: Raul.fernandes@inatel.pt

Inatel.braga@inatel.pt

Inscrições até dia 30 de Outubro (através de ficha de inscrição própria)



publicado por Carlos Gomes às 18:46
link do post | favorito

PAN PEDE IGUALDADE DE ACESSO AO ARRENDAMENTO POR QUEM POSSUI ANIMAIS DE COMPANHIA
  • Quando procuram uma nova casa muitos cidadãos debatem-se frequentemente com a proibição de levarem os seus animais de companhia
  • Estando os direitos do senhorio assegurados no Código Civil não existe fundamento para tal proibição
  • Os inquilinos devem ter o direito de manter os seus animais de companhia consigo respeitando a regulamentação existente

No seguimento da discussão da petição pública acerca do número de animais por apartamento, o PAN - Pessoas-Animais-Natureza discute amanhã um Projeto de Lei que visa assegurar a igualdade de acesso ao arrendamento por quem possui animais de companhia.

Quando procuram uma nova casa muitos cidadãos debatem-se frequentemente com a proibição de levarem os seus animais de companhia. Esta situação provoca uma grande perturbação aos detentores de animais, pois existem casos em que estas famílias não conseguem encontrar um senhorio que os aceite, restando-lhes entregar o animal num centro de recolha oficial (sendo que nem todos têm possibilidade de os aceitar) ou abandoná-lo, cometendo um crime.

Considerando que os direitos do senhorio estão já assegurados no capítulo IV do Código Civil, referente ao arrendamento, não existe, na perspetiva do PAN, fundamento para permitir tal proibição aos inquilinos. Aliás, uma das obrigações do senhorio é precisamente permitir o uso da casa ao inquilino, o que nestes casos, em particular, não acontece. A pessoa vê-se coagida a abdicar de um ser que considera parte da sua família para conseguir assegurar um teto a si próprio e aos restantes familiares.

Por outro lado, o Código Civil, já prevê que, com ou sem animais, não possam ser violadas regras de higiene, de sossego, de boa vizinhança ou normas constantes do regulamento do condomínio, e também é possível ao senhorio exigir o pagamento de uma caução, o que normalmente até já acontece.

Atendendo a estas circunstâncias e ao princípio da igualdade, uma das pedras basilares da Constituição Portuguesa, todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei. Por tudo isto, não deve continuar a ser permitido que os senhorios proíbam de forma abusiva os inquilinos de fazer o uso pleno da casa arrendada e de manter os seus animais de companhia consigo.



publicado por Carlos Gomes às 10:30
link do post | favorito

Terça-feira, 13 de Setembro de 2016
CIDADÃOS PROTESTAM CONTRA A DESTRUIÇÃO DOS BRASÕES FLORAIS DA PRAÇA DO IMPÉRIO EM BELÉM

Está a correr um abaixo-assinado na internet promovido por um grupo de cidadãos entre os quais se contam muitas personalidades conhecidas ligadas à cultura, insurgindo-se contra a intenção da Câmara Municipal de Lisboa em destruir os brasões florais da Praça do Império, em Lisboa.

O abaixo-assinado é dirigido à Assembleia Municipal de Lisboa e encontra-se no endereço http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=pt82251

005_Lisboa

Preservar a Praça do Império é defender a Portugalidade

Para: Assembleia Municipal de Lisboa

A Nova Portugalidade, grupo de cidadãos que visa o estudo, promoção e defesa do património material e espiritual da Portugalidade, lastima a decisão, anunciada ontem por diversos órgãos de comunicação social, de remover da Praça do Império o conjunto de brasões florais que presentemente a adornam. A Câmara Municipal de Lisboa, iniciadora do processo, fá-lo precipitadamente, pois não podemos – não no-lo permitiria a fé que temos nessa alta instituição - crer que o faça por preconceito ideológico e em atentado à nossa memória colectiva. Parece claro, contudo, que a decisão obedece à visão, aliás conhecida e insistentemente difundida, de importantes responsáveis camarários para o local. Ora, os canteiros alusivos às antigas províncias portuguesas do ultramar não são marca de anacronismo, mas dessa história que a Praça evoca e deve celebrar. 
Os canteiros floridos da Praça do Império são, pese embora o desprezo que lhes parecem votar alguns espíritos menos avisados, um símbolo vivo, actual, da viva e actual globalização portuguesa. Representam-se ali, com os seus brasões de armas, os pedaços de Portugalidade que mais longamente se mantiveram ligados entre si; hoje, o jardim é testemunho forte de uma aventura colectiva que marcou o nosso passado e pode bem determinar o nosso futuro. Como atestado pelas impressivas manifestações de carinho com que os povos da Portugalidade nos brindaram aquando do Euro 2016, o mundo português é bem mais que um slogan: o largo espaço que os portugueses descobriram, habitaram e abraçaram é uno no sentimento que lhe é comum, fecundo nos benefícios que promete e sólido como fórum alternativo de afirmação do Estado português. É hoje tão actual como em 1500. 
Não pode existir argumento financeiro, estético ou histórico que concorra para a destruição de algo tão belo e pleno de significado. Se avançar com o projecto de requalificação agora aprovado para a Praça do Império, a CML cometerá um crime contra Lisboa, o património nacional e a profunda amizade que mantemos com os povos da Portugalidade. Mais, tratar-se-ia de um crime contra a História e, portanto, contra o próprio país. O povo português, residente ou não em Lisboa, não pode permitir semelhante barbaridade. A Câmara Municipal de Lisboa, crêem os signatários, também não. A Praça do Império, com tudo o que nela sugere a grandeza passada e potencial futuro do país, não pode ser devorada pela falsa religião do progresso. 
Pela memória, 
Rafael Pinto Borges, Fundador da Nova Portugalidade 
Abel Matos Santos, Psicólogo clínico 
Ana Cristina Pinto, Escritora 
António Carvalho Capela, Economista 
Alexandre Franco de Sá, Professor Universitário 
Aline Gallasch-Hall de Beuvink, Professora universitária e historiadora 
Benigno Guterres, Estudante timorense residente em Lisboa 
Carlos Fino, Jornalista 
Eurico Barros, Crítico de cinema 
Fernando Ribeiro Rosa, presidente da Junta de Belém 
Filipe Anacoreta Correia, Jurista e deputado do CDS – Partido Popular 
Francisco Quelhas Lima, presidente da AE da Faculdade de Direito da Universidade Católica do Porto 
Hugo Dantas, Jurista 
Isabel Santiago Henriques, Fotógrafa e assistente de realização 
Jaime Nogueira Pinto, jurista, professor universitário, escritor 
Joaquim Magalhães de Castro, Fotógrafo e escritor 
José António Rodrigues Pereira, Oficial superior na situação de Reforma, investigador de história marítima 
João Borges, Designer e museógrafo 
Luís Bonifácio, Engenheiro 
Luís Farinha Franco, Assessor do Ministério da Cultura, heraldista 
Mamede Broa Fernandes, Estudante 
Manuel Azevedo Graça, Historiador da Arte 
Manuel Ribeiro de Faria, Oficial Superior na Reserva, ex-director do Museu Militar 
Marcelo Mendes Pinto, Arqueólogo e investigador 
Maria do Guadalupe Mègre Pinto Teixeira, Jurista, quadro superior dirigente da ONU 
Mário Cunha Reis, Engenheiro 
Pe. Mário Tavares de Oliveira 
Miguel Castelo-Branco, Assessor do Ministério da Cultura, investigador 
Nuno Canas Mendes, Professor universitário 
Nuno da Motta Veiga C. Alves, Arquitecto 
Pedro Pestana Bastos, Jurista 
Pedro Quartin Graça, Jurista e ex-deputado independente eleito pelo PSD 
Pedro Sanchez, Arquitecto 
Raul Almeida, Gestor, politólogo e ex-deputado do CDS - Partido Popular 
Rui Brito Fonseca, Professor universitário, investigador, consultor 
Vasco Silva, Editor 

unnamed



publicado por Carlos Gomes às 23:46
link do post | favorito

AMADORA VIRA CAPITAL DO FOLCLORE

14021563_502840203240452_2306354394672929042_n (7).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 22:31
link do post | favorito

PEDRO ALSAMA LANÇA SEGUNDO SINGLE

Depois do lançamento do primeiro single, “Sinking The Pleasure”, chegou a vez das atenções se virarem para “A Wish”, novo single do cantor Pedro Alsama.

Pedro Alsama (2).jpg

Com um vasto leque de influências, nomeadamente indie e folk, este tema é o segundo retirado do futuro álbum “Madrugada”, que será editado no final do ano.

Pedro Alsama é um projeto a solo existente desde 2000 – quase 15 anos de histórias musicadas e espalhadas ao longo de mais de 100 temas feitos pelo compositor de Rio Maior.

O Rock, o jazzístico, a poesia cantada, entre outros estilos, são experiências que Pedro leva a cabo na já sua longa carreira, pretendendo fazê-las chegar a um público mais abrangente.

Na primeira metade do milénio o cantautor assinou uma trilogia de discos a que chamou “The Anti-Music Machine”. “Childhood Stereotype” (2000), o capítulo inicial – obra ambiciosa de 20 temas construídos com guitarra acústica, elétrica, baixo e percussão - nasce do seu fascínio por “Kid A” dos Radiohead.

No segundo tomo, “The Dark Light at the End of the Tunnel It’s Growing” (2004), deixa-se abraçar pelas trevas, em temas que priveligiam a voz e o asbtrato. Com o último “Hard on End” (2009), o título mais descomprometido e ambivalente da trilogia, o músico explora universos díspares que vão desde a pop, jazz e rock até ao experimentalismo.

Em 2015 Pedro Alsama edita um novo registo homónimo, que proporcionou canções como “Health” e “Shine”, num espetro mais derivativo da indie e folk rock. Para o segundo semestre deste ano está escalada a edição de um novo álbum, “Madrugada”, antecedido pelo single “Sinking the Pleasure”.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:42
link do post | favorito

NEVEIROS DO COENTRAL DESCEM À CAPITAL

13920601_1637638573214620_555650529727382393_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 17:33
link do post | favorito

LISBOA ACOLHE FESTIVAL NACIONAL DE FOLCLORE

14192596_10207291304660281_4384082262671658141_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:34
link do post | favorito

FANFARRAS DOS BOMBEIROS DESFILAM NA AMADORA

14238088_1741678719404586_5363269484313792576_n.png



publicado por Carlos Gomes às 09:49
link do post | favorito

Segunda-feira, 12 de Setembro de 2016
PAN AFIRMA QUE MINISTÉRIO PÚBLICO NEGA CONHECER PRÁTICA DAS CORRIDAS DE GALGOS EM PORTUGAL
  • Denúncias de graves maus tratos aos animais envolvidos nas corridas de galgos dá origem a uma queixa de crime ao Ministério Público
  • MAFDR nega ter conhecimento das referidas corridas que são públicas, amplamente divulgadas pelas autarquias e em eventos com a presença do Secretário de Estado
  • Tutela responsável pelo bem-estar animal declara-se alheia a esta prática que continua sem fiscalização e sem licenciamento

Após a publicação recente de uma investigação jornalística, que denuncia graves maus tratos aos animais envolvidos nas corridas de galgos e que deu origem a uma denúncia de crime pelo PAN - Pessoas-Animais-Natureza, ao Ministério Público, o deputado André Silva questionou por duas vezes o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (MAFDR) na tentativa de obter mais informação.

Questionado o MAFDR sobre o conhecimento e legalidade da atividade de corridas de galgos, se já ocorreu alguma ação de fiscalização a estas corridas, se sim quando, quantas e qual o resultado das ações, se tem conhecimento dos violentos métodos de treino utilizados nesta atividade, se tem conhecimento da administração de drogas estimulantes, que medidas estão a ser adotadas para garantir o bem-estar dos animais e de que forma acontece o licenciamento e fiscalização destes eventos, o referido ministério envia uma resposta idêntica para todas as questões, das duas vezes que foram colocadas perguntas: "O MAFDR não tem conhecimento da existência das corridas referidas na pergunta parlamentar".

Estas corridas são do conhecimento público, via meios de comunicação social e redes sociais e de opiniões manifestadas pelas autarquias. Inclusivamente com o Município de Cuba a assumir publicamente que deseja ser a capital desta prática e a realizar ainda em Agosto deste ano, Corridas de Galgos, na Pista Municipal de Cuba. É pública a presença do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, em eventos com programas que preveem a realização de Corridas de Galgos, como a Expocaça realizada em Maio deste ano no Centro Nacional de Exposições de Santarém ou 21ª Feira de Caça, Pesca e do Mundo Rural em Tavira (consultar links).

“Perante estas evidências não é aceitável que este Ministério, responsável pela tutela do bem-estar animal, continue a declarar-se alheio a esta prática. A ausência de conhecimento, ou a recusa de partilhar informação, manifestada por este Ministério é preocupante. Se existem corridas de animais públicas, estas têm que estar devidamente regulamentadas, mas acima de tudo, fiscalizadas ao nível da proteção e bem-estar animal pela tutela.” esclarece, André Silva, Deputado do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 13:54
link do post | favorito

MUÇULMANOS EM PORTUGAL CELEBRAM A FESTA DO SACRIFÍCIO

Hoje é dia de Eid-ul-Adha, a Grande Festa que celebra o episódio narrado no Corão segundo o qual, quando Abraham se preparava para sacrificar seu filho Ismael cumprindo a vontade de Deus, o sacrifício humano acabaria por ser substituído pelo sacrifício de um carneiro. Uma história aliás que possui paralelo na Bíblia Hebraica. Desde então, por esta ocasião festiva, muçulmanos de todo o mundo trocam presentes matam e comem carneiro e repartem com familiares e com os pobres.

10270648_905451349487647_8858587662974361976_n

No Largo do Martim Moniz, em Lisboa, milhares de muçulmanos enchem a praça e, ajoelhados sobre os seus tapetes, fazem as suas orações, perante o olhar curioso da gente que passa.

As festividades têm começo 70 dias após o Ramadão e coincidem com a peregrinação a Meca, tendo a duração de 4 dias.

A caminho do local de oração, os fieis devem recitar, no mínimo uma vez depois de cada oração obrigatória, a frase: “Allah é o maior. Allah é o maior. Não há nenhuma divindade a não ser Allah. Allah é o maior. Allah é o maior e a Ele pertence todo o louvor.”

Começa dia 11 de Setembro, no Salah tul Fajr e termina quinta-feira dia 15 de Setembro no Salah tal Assr. Mesmo quando o crente faz sozinho a sua oração, tem que a recitar.

Ontem celebrou-se o Dia de Arafat. Jejuar nesse dia é Sunnah, e recordar Allah constantemente e recitar o seguinte Dua. A melhor das súplicas é a súplica do dia de ‘Arafah, e o melhor que eu e os profetas que me antecederam dissemos foi: “Não há divindade real a não ser Allah, O Único, que não possui sócio. Sua é a soberania, e para Ele são os louvores, Ele tem o poder sobre todas as coisas" (Sahih Attirmidhi 3/184.).

Calcula-se atualmente em cerca de 50 mil, o número de muçulmanos que vivem em Portugal, na sua maioria originários dos antigos territórios ultramarinos da Guiné-Bissau e de Moçambique, aos quais nos últimos anos vieram juntar-se muitos imigrantes sobretudo de origem paquistanesa mas também do Bangladesh, Senegal, Tunísia e Argélia. No que respeita às ramificações do Islão, rondam os 80% de sunitas, 15% de xiitas e 2% de wahabitas, estes últimos considerados mais ortodoxos e tendo na Arábia Saudita a sua maior influência.

Apesar de disporem na capital da chamada Mesquita Central de Lisboa, têm vindo nos últimos anos a serem abertos nos concelhos ao redor de Lisboa, mormente na margem sul do rio Tejo, novas mesquitas e outros locais de culto em virtude de grande parte dos muçulmanos viverem nos bairros da periferia. O mesmo vem sucedendo no Porto e outras cidades do país para onde a crise económica levou muitos imigrantes.

Ao contrário do que sucede com outros países europeus, o respeito pelas diferenças religiosas tem possibilitado uma saudável convivência entre pessoas que partilham diferentes religiões. A comprová-lo, registe-se o facto de jamais ter ocorrido até ao momento qualquer incidente em Portugal originado por motivos religiosos, o que se espera que continue a verificar-se.

Contribuirão em primeiro lugar para esta convivência pacífica, entre outros fatores, a sensatez das próprias pessoas que seguem os diferentes credos religiosos, a começar pelos seus próprios dirigentes. Mas também o caráter que, sobretudo desde as navegações dos Descobrimentos, moldaram os portugueses ao longo de séculos de convivência com outros povos de diferentes culturas.

Quem alguma vez teve a oportunidade de assistir às comemorações que as associações de antigos combatentes no Ultramar levam anualmente a efeito em Lisboa, por ocasião do Dia de Portugal, não foi sem alguma emoção que constatou a presença nas cerimónias de um número significativo de muçulmanos de origem africana, acompanhados das respetivas famílias, exibindo orgulhosamente a boina e outros distintivos que os distinguem como ex-militares que um dia combateram sob a bandeira de Portugal e como portugueses continuam a identificar-se. Os muçulmanos constituem, pois, uma comunidade plenamente integrada, à semelhança do que se verifica com portugueses que perfilham outras crenças religiosas.

14331788_10207040843600602_697370848_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:43
link do post | favorito

VOGUE FASHION’S NIGHT OUT REGRESSA A LISBOA

Os preparativos para a próxima edição do Vogue Fashion's Night Out já se iniciaram e decorrem em ritmo alucinante...

Foi enorme satisfação que a JFD Ideas and Details viu o seu conceito uma vez mais aprovado pela Vogue e fará parte do programa/roteiro oficial do mesmo.

14291806_1169829096425079_4955927903828931295_n.jpg

A intenção é aliar a moda à arte, acreditando que esta "parceria" funciona na perfeição.

Assim sendo, e em conjunto com a galeria Espaço Arte Livre, localizada num edifício nobre da cidade, precisamente na Av. da Liberdade, onde nasceu e viveu o pintor Carlos Botelho, foi elaborado um programa com inúmeras dinâmicas.

Em conjunto com a exposição de arte e o showroom de moda, haverá espaço também para muita animação. A JFD Ideas and Details assegurou já a presença de um DJ bem como de uma pianista e cantora, que animarão o evento, havendo ainda uma "red carpet" na rua (Av. da Liberdade) com "montras vivas" onde os  manequins farão uma  "mostra in loco" das marcas presentes, entre outras surpresas.

Contamos neste momento com mais de uma dezena de parceiros na área da moda e design entre outros. Nomes como Sandra Bravo da Rosa com a marca Joan Auguni (Angola), Moms Amade (Moçambique), Jaqueline Roxo, a designer nupcial Natália Mil-Homens Pereira para Vestidos de Sonho, Escola de Moda de Lisboa ou ainda Alfaparf Milano e BellaPierre, são alguns dos parceiros presentes.

O evento criado na rede social do facebook vai dando a conhecer diariamente as marcas confirmadas.

https://www.facebook.com/events/175442389530962/

Além desta mostra existirão ainda os habituais descontos, pequenas ofertas, animação e muitas surpresas.

Por todos estes motivos, gostaríamos de poder contar com vossa visita. Será um prazer poder receber-vos.

Acompanhe-nos através das nossas redes sociais e fique ao corrente de inúmeras atividades

Entrada Livre


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 00:42
link do post | favorito

Domingo, 11 de Setembro de 2016
ARGANILENSES EM LISBOA REALIZAM HOJE FESTIVAL DE FOLCLORE

14102346_1213099378710882_6160103532628682836_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:54
link do post | favorito

Sábado, 10 de Setembro de 2016
O QUE SÃO E PARA QUE SERVEM OS COMANDOS PORTUGUESES?

A morte recente de dois militares comandos causou forte consternação na opinião pública e até já existe quem no meio político reclame a extinção do próprio Regimento de Comandos. Não sabemos se tal proposta se deverá aplicar de igual modo a todas as forças militares e policiais onde possa vir a ocorrer um incidente do género nem tão pouco se os respetivos autores serão as pessoas mais avalizadas para emitir uma opinião a esse respeito, apenas pelo facto de diariamente se sentarem no parlamento e deambularem pelos “Passos Perdidos”. Por esse motivo, com a devida vénia, decidimos transcrever a missão e o historial do referido Regimento de Comandos – na nossa região ainda conhecidos como os “Comandos da Amadora” apesar de há vários anos já lá não se encontrarem! – do site oficial do Exército Português.

comandos-portugal-1x.jpg

“O Batalhão de Comandos conduz operações de combate, de natureza eminentemente ofensiva, de forma independentemente ou em apoio de outras Forças, em condições de elevado risco de exigência. Prepara-se para cumprir outros tipos de missões do espectro das operações militares.”

“Os Comandos nasceram no Exército Português como forças especiais de contra guerrilha

A criação doas Comandos correspondeu à necessidade do Exército dispor de unidades especialmente adaptadas ao tipo de guerra que, em 1961, começou em Angola e que, depois, se estendeu à Guiné e a Moçambique

O primeiro objectivo que se pretendeu atingir foi: “…constituir uma tropa especialmente preparada para as operações de contra guerrilha…”

A história dos Comandos começou em 25 de Junho de 1962, quando em ZEMBA, no norte de Angola, foram constituídos os primeiros seis grupos de combate, daqueles que seriam os antecessores dos Comandos

Os seis grupos obtiveram excelentes resultados operacionais

Em 1963 surgiu então, pela primeira vez, a designação de COMANDOS para as tropas instruídas no Centro de Instrução 16 em QUIBALA (Angola)

Em 13 de Fevereiro de 1964, iniciou-se na NAMAACHA (Lourenço Marques) o 1º Curso de Comandos de Moçambique

1965 - Passa a funcionar em LUANDA o Centro de Instrução de Comandos, criado por decreto-lei nº 46410 de 29 de Junho 65, que formaria Companhias de Comandos durante 10 anos, com destino às Regiões Militares de Angola e Moçambique (RMA, RMM)

1966 - Em Abril, é criado em LAMEGO um novo CI, onde passam a ser formadas Companhias de Comandos para os Teatros de Operações da Guiné e de Moçambique

1969 - Em Julho, é criado em BISSAU (Guiné) o Batalhão de Comandos da Guiné, que passa a integrar todas as Companhias de Comandos em actuação no Teatro de Operações da Guiné e, simultaneamente , funciona como CI, onde são formadas e recompletadas as 1ª, 2ª e 3ª Companhia de Comandos da Guiné

04Jul74 - É criado o Batalhão de Comandos nº 11, que fica aquartelado na Amadora, onde são integradas ou formadas as Companhias de Comandos

25Nov75 – O Regimento de Comandos intervém vitoriosamente e de forma altamente meritória nos destinos político-militares de Portugal, consolidando em definitivo a democracia e a liberdade conquistada em 25 de Abril de 1974 1976 - Nos diversos Centros de Instrução e até 1976, formaram-se um total de 67 Companhias de Comandos, que souberam sempre combater com determinação e valor, em todos os Teatros de Operações

01Out93 - É extinto o Regimento de Comandos 1996 – É ministrado o 99º Curso de Comandos, no Centro de Instrução de Operações Especiais / Lamego 09Maio02 - É reactivada a Unidade de Comandos, de escalão Batalhão a 2 Companhias, sedeada no Regimento de Infantaria Nº 1 - Serra da Carregueira

16Set02 - Início do 100º Curso de Comandos.

01Jul06 – É criado o Centro de Tropas Comandos (CTCmds). Por Despacho nº 131/CEME/2006 de 26Junho, com base no Anexo ao DL nº 115/2006 (2ª série) de 16 de Junho.

31Mar08 - O CTCMDS é transferido do Quartel do Alto da Vela para o Quartel da Carregueira pela Directiva Nº12/CEME/08 de 10 de Janeiro.

31Jul15: Em cumprimento do determinado no Decreto Regulamentar n.º11/2015, o Centro de Tropas Comandos retomou a designação de Regimento de Comandos (RCmds).”

Fonte: http://www.exercito.pt/



publicado por Carlos Gomes às 19:29
link do post | favorito

LISBOA REALIZA FEIRA DO CAVALO

14202772_1079961858720427_1049009766357226142_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 16:09
link do post | favorito

QUELUZ REGRESSA AO SÉCULO XVIII

13921206_509432605920309_1279917278878581532_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 12:54
link do post | favorito

FOLCLORE ANIMA CONCELHO DA AMADORA

14159809_10207220139487961_1555738778_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 12:53
link do post | favorito

Sexta-feira, 9 de Setembro de 2016
CONGRESSO DO BOMBO REALIZA-SE AMANHÃ EM LISBOA

14222216_612302492262681_6702979824542394662_n (1).jpg


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:26
link do post | favorito

Quinta-feira, 8 de Setembro de 2016
ARGANILENSES EM LISBOA REALIZAM FESTIVAL DE FOLCLORE

14102346_1213099378710882_6160103532628682836_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 23:13
link do post | favorito

QUELUZ REGRESSA AO SÉCULO XVIII

13921206_509432605920309_1279917278878581532_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:00
link do post | favorito

FOLCLORE ANIMA CONCELHO DA AMADORA

14159809_10207220139487961_1555738778_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 20:26
link do post | favorito

PAN PARTICIPA EM MADRID EM MANIFESTAÇÃO CONTRA A TAUROMAQUIA

Deputado do PAN participa em Madrid naquela que se prevê como a maior manifestação pelo fim da tauromaquia

No próximo dia 10 de Setembro, sábado, o deputado do PAN – Pessoas-Animais-Natureza, André Silva, participará na #MisiónAbolición, uma manifestação pelo fim da tauromaquia organizada pelo PACMA, partido político espanhol que trabalha pelos direitos dos animais, a defesa do meio ambiente e pela justiça social.

MisionAbolicion.png

Esta presença surge no seguimento da cooperação ibérica já estabelecida entre os dois partidos e da posição comum sobre o impacto negativo da indústria tauromáquica nos dois países, tanto pelo peso nas contas públicas, como pelos atentados aos direitos dos animais provocados por uma atividade que perpetua a violência em vários âmbitos, nomeadamente junto de crianças e jovens.

A manifestação, que decorrerá pelas ruas da cidade de Madrid entre as 17h00 e as 20h00 espanholas, terá início e fim na Puerta del Sol e contará, segundo as expectativas do PACMA, com muitos milhares de manifestantes. Esta será uma das várias iniciativas previstas pelo PAN para dar continuidade ao trabalho iniciado na passada sessão legislativa, na qual o partido apresentou vários projetos-lei direcionados à tauromaquia, propondo nomeadamente o fim da transmissão de espetáculos tauromáquicos na estação televisiva pública RTP, a não utilização de menores de idade nestes espetáculos e o fim da utilização de dinheiros públicos para financiamento direto ou indireto de atividades tauromáquicas.

André Silva acompanhará a presidente do PACMA Silvia Barquero na linha da frente daquela que se prevê como a maior manifestação pelo fim da tauromaquia dos últimos tempos em Espanha, esperando também conseguir mobilizar a população portuguesa para ações com a mesma dimensão relativa no nosso país.



publicado por Carlos Gomes às 14:49
link do post | favorito

MINISTÉRIO DO AMBIENTE CONSIDERA A MORTE DE CENTENAS DE PEIXES NA BARRAGEM DE VALE DE GAIO, EM ALCÁCER DO SAL, PROCEDIMENTO NORMAL E NECESSÁRIO
  • Testes de descarga na barragem de Vale de Gaio, realizados de forma incorreta, provocaram a morte de centenas de peixes
  • Questionado pelo PAN sobre apuramento de responsabilidades, o Ministério considera estes acontecimentos normais - danos colaterais de uma operação técnica “imprescindível”
  • Resposta valida inoperância das várias entidades na resolução do problema cíclico que a morte de peixes nas albufeiras alentejanas representa

No seguimento da notícia de que testes de descarga na barragem de Vale de Gaio, realizados de forma incorreta, provocaram a morte de centenas de peixes, o PAN - Pessoas-Animais-Natureza efetuou uma denúncia ao Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), que por sua vez remeteu para a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), tendo a mesma respondido que não havia necessidade de recolher amostras, essenciais para perceber o real impacto deste incidente na poluição da água.

Sendo a APA a entidade responsável pela fiscalização das situações passíveis de serem enquadradas em crimes contra a Natureza e processos contraordenacionais, tutelada pelo Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, o PAN questionou este ministério sobre o motivo pelo qual não se efetuaram diligências no sentido de apurar responsabilidade sobre este incidente e a resposta veio validar a inoperância das várias entidades relacionadas com este processo.

De acordo com o Ministério, estes acontecimentos são inclusive considerados normais e pode ler-se que “esta operação (teste de circuito hidráulico) torna-se imprescindível para garantir a operacionalidade da transferência de água solicitada pela Associação de Beneficiários de Vale do Sado”. A resposta do Ministério revela uma despreocupação e desresponsabilização perante um acidente, não contemplando este provável crime ambiental que acontece repetidamente nestas operações, perpetuando uma abordagem utilitária dos animais e da natureza e encarando-os comos danos colaterais.

De acordo com o artigo 278.º do Código Penal, “Danos contra a natureza”, “Quem eliminar, destruir ou capturar exemplares de espécies protegidas da fauna ou da flora selvagens ou eliminar exemplares de fauna ou flora em número significativo ou destruir ou deteriorar significativamente habitat natural protegido ou habitat natural não protegido causando a este perdas em espécies protegidas da fauna ou da flora selvagens ou em número significativo (…) é punido com pena de prisão até 5 anos”.



publicado por Carlos Gomes às 11:45
link do post | favorito

MUNICÍPIO DE LISBOA REQUALIFICA RUA DE CAMPOLIDE

Sede da Casa de Ponte de Lima também deverá ser demolida

A Câmara Municipal de Lisboa está a proceder a obras de demolição de vários prédios na rua de Campolide com vista ao alargamento daquela movimentada artéria da cidade e requalificação daquela zona degradada e dar continuidade ao "corredor verde" que atravessa aquele local.

CCPL 008 (1).JPG

As demolições incluirão também a sede social da Casa do Concelho de Ponte de Lima que ali tem funcionado há perto de trinta anos, nas antigas instalações de uma fábrica de elevadores. Os edifícios em causa são propriedade municipal.

CCPL 011 (1).JPG

CCPL 014 (1).JPG

CCPL 017.JPG



publicado por Carlos Gomes às 09:45
link do post | favorito

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2016
PAN QUER DISCUTIR MOBILIDADE ELÉCTRICA

Orçamento de Estado 2017: PAN quer discutir mobilidade elétrica para todas as frotas públicas e bebidas vegetais nas escolas

  • Efetuar a renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros do Estado através da aquisição de veículos elétricos
  • Alternativa vegetal saudável e nutritiva para crianças que, por motivos de saúde, éticos e ambientais, não consomem leite de vaca

No âmbito das negociações do Orçamento do Estado (OE) para 2017, o PAN - Pessoas-Animais-Natureza, esteve ontem reunido com o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, para apresentar as primeiras, de várias medidas que pretende ver integradas no próximo OE.

A mobilidade elétrica para todas as frotas públicas visa um compromisso por parte do Estado, já a partir de 2017 e ao longo dos próximos anos, ao garantir que a renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros se efetue através da aquisição de veículos elétricos. A definição de metas, seja temporal ou em número de veículos, ainda está em análise. Esta opção revela um exemplo de consciência ambiental que o Estado dá aos cidadãos, tendo em conta que os veículos elétricos são uma alternativa de mobilidade ambientalmente mais sustentável. Esta medida vai ao encontro da necessidade de reduzir a dependência energética e de reduzir a nossa pegada ecológica. Outros países europeus têm demonstrado ser este o caminho, como é o caso da Holanda que já anunciou que até 2025 pretende que apenas carros elétricos sejam comercializados no país. Na Alemanha tem-se apostado nos estímulos à compra de viaturas elétricas, sendo a sua meta a de um milhão de veículos deste tipo a circular naquele país até 2020.

Quanto à distribuição de bebidas vegetais, conhecidas como leite vegetal, nas escolas e atendendo a que o regime jurídico aplicável à atribuição e ao funcionamento dos apoios no âmbito da ação social escolar, já prevê a distribuição gratuita de leite nas escolas, o PAN considera que esta opção poderá acompanhar a necessidade de muitos pais e crianças que, por motivos de saúde, éticos e ambientais, não consomem leite de vaca. Para o PAN é essencial garantir uma alternativa saudável e nutritiva a estas crianças. Esta é também uma medida inclusiva que pretende reconhecer todas as opções. Para além do exposto, são cada vez mais os estudos científicos que demonstram que o consumo de leite pode ter efeitos negativos na saúde e bem-estar pelo que a sua substituição por bebidas vegetais alternativas ao leite tem-se mostrado vantajosa. Relembrar ainda que, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira, 5 de Setembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o consumo de leite mantém a tendência de redução dos últimos anos, tendo baixado 10%.

Outra medida apresentada prende-se com a dedução em sede de IRS para atividades relacionadas com o mercado da reparação e conversão de bens a incluir numa categoria já existente. O PAN pretende estimular este mercado através da dedução destas despesas em sede de IRS. O objetivo é aumentar a vida útil de bens e equipamentos do quotidiano, como calçado, roupa ou eletrodomésticos, em contraponto com a atual tendência para tornar tudo descartável.



publicado por Carlos Gomes às 16:20
link do post | favorito

ANYA KARIN AO VIVO NA FNAC

Anya Karin, nova voz da soul music, prepara-se para dar início a uma série de showcases em lojas FNAC com o propósito de dar a conhecer ao público as canções do seu EP de estreia.

anya_fnac_2_1024.png

“Owner”foi lançado em novembro último com o selo da Music In My Soul. O registo composto por quatro temas apresenta-a enquanto uma das mais promissoras intérpretes da nova colheita da soul.

Conheçam o roteiro das datas:

16 Setembro | FNAC Cascais Shopping, 22h

17 Setembro | FNAC Almada Fórum, 17h

18 Setembro | FNAC Alegro Alfragide, 17h

Uma das primeiras memórias musicais que tenho são os passeios de bicicleta a cantar e a assobiar com o meu pai. Não me recordo qual era a minha idade ao certo. Mas era pequena o suficiente para viajar no cesto da bicicleta.

Mais tarde, as brincadeiras com um teclado musical motivaram os meus pais a gravar as minhas invenções musicais enquanto fingia dar concertos no quarto usando a cama como um palco. Já na adolescência,entrei numa pequena escola de música para aprender guitarra clássica. A partir dessa altura, a paixão pela música tomou proporções mais sérias e tive a certeza que este seria o meu caminho.

Emigrei para o País de Gales, por força das circunstâncias, onde frequentei um curso de canto no Yale College. Nesta altura, o meu marido também me influenciou musicalmente a gravar e a compor para o meu primeiro projeto de originais, “Deep Dream”.Um projeto totalmente amador mas que me deu experiência de gravação.

Ao regressar às minhas origens decidi levar a minha carreira musical para os palcos e para o ensino, trabalhando como professora de canto na escola RockGP e participando em inúmeros projetos de covers de estilos variados. Durante anos tive aoportunidade de atuar em diversos bares, hotéis, casinos, festas privadas, etc, que me fez adquirir uma vasta experiência e fazendo me crescer como artista.

Contudo, foi com o meu projeto de covers pessoal, intitulado Anya Karin, que vi a minha carreira a atingir novos patamares de aceitação e sucesso. Tratava­se de umespetáculo de covers onde interpretava as minhas próprias versões de grandes temas Soul conhecidos de todos. Era natural que o projeto Anya Karin evoluísse para a gravação de música original. É assim com grande prazer que apresento ao mundo o meu primeiro EP.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:15
link do post | favorito

Terça-feira, 6 de Setembro de 2016
BESCLORE TRAZ O FOLCLORE DO MINHO AO CORAÇÃO DE LISBOA

14192596_10207291304660281_4384082262671658141_n (2).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 18:49
link do post | favorito

SUPERMERCADO PORTUGUÊS DE COMBATE AO DESPERDÍCIO LANÇA “CLICK AND COLLECT STORE”

2016 é o ano do combate ao desperdício alimentar

Os clientes do supermercado português de combate ao desperdício alimentar – GoodAfter.com, têm agora a possibilidade de levantar as suas compras no novo espaço, no Porto, através do modelo “click and collect store”. Em apenas três meses foi evitado o desperdício de 5,5 toneladas de bens alimentares e não alimentares que se encontravam perto ou fora da data de consumo preferencial.

O supermercado português de combate ao desperdício alimentar - GoodAfter.com acaba de lançar o modelo “click and collect store”, que permite, a partir de hoje, que os clientes possam fazer o levantamento das compras realizadas através do site www.goodafter.com, no próprio dia da encomenda, no novo espaço situado no Hipercentro, Parque Industrial, no Porto.

AF Logo Good After_v2.jpg

Este novo modelo de levantamento in-store torna-se assim na forma mais rápida para os consumidores que pretendem ter acesso aos produtos no próprio dia em que a encomenda é realizada. A seleção e pagamento dos produtos continua a ser feita através da plataforma online, onde o consumidor tem acesso imediato ao nível de poupança alcançado com os produtos selecionados, e o levantamento pode ser feito de imediato, no Porto. Os clientes das restantes zonas do país podem continuar a receber comodamente as suas compras numa morada de sua conveniência.

Nos primeiros três meses de existência, o supermercado português de combate ao desperdício já permitiu que se evitasse o desaproveitamento de 5,5 toneladas de produtos alimentares e não alimentares.

“O balanço que fazemos desde o momento em que o GoodAfter.com foi lançado é muito positivo, superando mesmo as nossas expectativas e fazendo com que tivéssemos de encontrar um novo espaço para armazenar os produtos. Temos clientes muito fieis, outros que nos perguntam quando lançamos a primeira loja física e o “click and collect store” é uma aproximação desse modelo físico e para melhorarmos cada vez mais a experiência do consumidor”, explica Chantal de Gispert, co-fundadora do projeto. 

O GoodAfter.com comercializa bens alimentares e não alimentares que se encontram perto ou fora da data preferencial de consumo. Os consumidores têm acesso a mais de 300 produtos de mercearia, saúde e bem-estar, higiene, bebidas, produtos para a casa, automóvel, entre outros, e que podem ser consumidos sem que a segurança alimentar dos mesmos seja comprometida.

Este projeto tem ainda por base informar e consciencializar as pessoas para a diferença entre “consumir até”, que é uma data limite máxima relacionada com a segurança alimentar, e “consumir de preferência antes de” em inglês“Best Before”, que é a data de consumo mínima, mas que não compromete a segurança alimentar do produto.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:22
link do post | favorito

CINEMATECA PORTUGUESA HOMENAGEIA MUSEU DE CINEMA E JEAN LOUP PASSEK

JEAN LOUP PASSEK CONDECORADO COM MEDALHA DE MÉRITO CULTURAL

DIA 9, ÀS 19H00, na Sala M. Félix Ribeiro, na Cinemateca

Na próxima sexta-feira a Cinemateca Portuguesa vai homenagear o Museu de Cinema de Melgaço e Jean Loup Passek, numa cerimónia a realizar em Lisboa, na Sala M. Félix Ribeiro da Cinemateca, pelas 21h30.  Na cerimónia Jean Loup Passek vai ser condecorado pelo Governo de Portugal com a insígnia Medalha de Mérito Cultural. A cerimónia contará com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado.

Museu do Cinema (1).jpg

Após a sessão de homenagem e da atribuição da Medalha de Mérito Cultural pelo Secretário de Estado da Cultura, será apresentado o filme MORTE A VENEZIA, de Luchino Visconti.

Integrada no Ciclo de homenagem a Jean-Loup Passek e ao Museu de Cinema de Melgaço, a Cinemateca apresenta uma exposição de cartazes do acervo do Museu, centrada em duas das áreas mais fortes da coleção: os cartazes do cinema clássico francês e os cartazes da escola gráfica da Polónia. A mostra está patente ao público com entrada gratuita na Sala dos Carvalhos e Sala 6ª té 1 de outubro, de 2ª a 6ª feira das 15h00 às 19h30.



publicado por Carlos Gomes às 13:28
link do post | favorito

BEJA PROMOVE CAVALO LUSITANO

Salão do Cavalo – Puro-sangue Lusitano em evidência

De 6 a 9 de Outubro, Beja organiza, mais uma vez, o Salão do Cavalo onde a raça Puro-sangue Lusitano estará em evidência.

cavalbeja.png

Contamos, por isso e desde a primeira edição, com a colaboração da prestigiada Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo de raça Puro-sangue Lusitano, associada a este grande evento no Alentejo.

Teremos 2 grandes espetáculos, na sexta-feira e no sábado à noite onde o cavalo será rei. Destacamos a Gala Ibérica dirigida pelo Mestre Luís Valença Rodrigues que se realizará sexta-feira, dia 7.

Para além do Cavalo Lusitano, animal de excelência representativo de Portugal, também o azeite, o vinho e outros produtos da agricultura estarão presentes ao mais alto nível na Rural Beja.

Este ano, o principal objetivo é tornar o Salão do Cavalo de Beja mais internacional, com uma maior dinâmica que favoreça os criadores de cavalos Lusitanos.

Nesta edição, mantemos as competições e teremos ainda um momento de pista aberta, para que todos possam montar a cavalo, tal como o desfile e apresentação de criadores.

Anexamos o programa detalhado para conhecimento, contando com a Vossa melhor divulgação.



publicado por Carlos Gomes às 13:15
link do post | favorito

OS MUNDOS ALTERNATIVOS DE JOÃO C. SOUSA

Do Porto chega-nos João C. Sousa, compositor não instrumentista com percurso traçado no mundo audiovisual e que se prepara agora para lançar o seu primeiro registo a solo com o selo da Music For All.

João_C_Sousa_promo (1).jpg

“How to Switch Dimensions” é o single que precede esta nova fase do músico, uma criação sem lugar, tempo ou espaço que leva o ouvinte numa viagem pelos labirínticos confins da mente. Para explorar, sem reservas.

João C. Sousa é um compositor não-instrumentista do Porto com um grande fascínio pelo mundo audiovisual.

Desde a adolescência que compõe e grava a música que faz, tendo inclusivé feito parte de várias bandas de garagem em contexto pop. Em criança iniciou-se no estudo do piano na Escola de Jazz do Porto, tendo já em adulto dedicado-se ao violoncelo, no Conservatório de

Música da Maia.

Ao longo do seu percurso, João C. Sousa tem tido a oportunidade de musicar cinema e publicidade. Em 2005 foi agraciado com o prémio “Novos Criadores” na categoria de composição musical. Em 2007 compôs a banda sonora original para a longa-metragem “Sombras- Um Filme Sonâmbulo” de João Trabulo sobre os universos multifacetados do poeta Teixeira de Pascoaes. Em 2013 assinou a música para o spot publicitário do IIIº Festival Internacional de Cinema (CINECOA) e para a exposição “3 Mini” realizada na “Máquinas de Outros Tempos”. Dois anos mais tarde compôs a música para o vídeo promocional de suporte ao livro de fotografia de Júlio Aires intitulado “6:30 a.m.”.

Melómano confesso, conserva na sua redoma intocável figuras comoBach, Purcell, Rameau, [...] Laurie Anderson, John Lurie, JeffBuckley, Kraftwerk, EinstürzendeNeubauten, Swans, DepecheMode, Coil, ou os portugueses Noiserv, Clã, Mão Morta e Madredeus.Acalenta ainda o sonho de poder vir a compor para teatro e para videojogos e para outros artistas/bandas.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 10:58
link do post | favorito

Segunda-feira, 5 de Setembro de 2016
LOURES REGRESSA AO SÉCULO XVIII

14225500_10202320406607434_7129294658960763144_n (1).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 23:23
link do post | favorito

"O CAMINHEIRO DE SINTRA" ORGANIZA VISITA CULTURAL NOTURNA À DESCOBERTA DOS FANTASMAS DO CASTELO

14183964_1089272027831282_970443686745654508_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:19
link do post | favorito

FAPWINES ACRESCENTA ROSÉ À LINHA DE VINHOS GIROFLÉ E APOSTA NA EXPANSÃO INTERNACIONAL DA MARCA

Vendas internacionais já pesam 25% no volume de negócios, que deverá registar aumento superior a 30% em 2016, impulsionado pela entrada em novos mercados até ao final do ano.

A FAPWINES, projeto iniciado por João Matos em 2013, acaba de lançar o vinho Giroflé Rosé e está apostada em aumentar a presença da linha de vinhos Giroflé nos mercados internacionais.

garrafa_rose (1).jpg

Além de estar listado em mais de 200 restaurantes de referência de norte a sul do país, onde a marca Giroflé já está presente, o novo Giroflé Rosé destina-se, essencialmente, à exportação, tendo já assegurado colocação em 3 mercados externos.

"Vamos iniciar, muito em breve, exportações para os E.U.A. com o Rosé, onde o Giroflé Douro Tinto já é comercializado através da cadeia Whole Foods Market. Ao mesmo tempo, está também assegurada a colocação em apenas mais dois países europeus - Bélgica e Suíça -, uma vez que a produção deste vinho foi limitada", revela João Matos, fundador da FAPWINES.

O mesmo responsável explica que as transformações das tendências de consumo a nível global estão na origem da aposta na criação de um vinho rosé:

"Os consumidores de vinho estão, cada vez mais, a optar por vinhos rosé e, se até há alguns anos as escolhas recaiam, sobretudo, nos vinhos tintos, hoje as tendências de consumo apontam para um maior equilíbrio entre tintos, brancos e rosés, observando-se uma clara preferência por vinhos mais leves, com menos álcool", considera João Matos.

Destinado a um público-alvo que compreende a faixa etária entre os 25 e os 45 anos e que "cada vez mais aprecia beber vinho à refeição, e a copo fora dela", o Giroflé Rosé é essencialmente indicado para acompanhar pratos de comida asiática e italiana, peixes e mariscos, ou simplesmente como aperitivo.

Resultante da vinificação de uvas das castas Touriga Nacional e Syrah plantadas na margem esquerda do rio Tejo, o Giroflé Rosé apresenta um aroma intenso a frutos vermelhos. Na boca, onde a acidez confere persistência, revela-se fresco, devendo ser bebido entre os 10º e os 14ºC.

Recorde-se que, através da FAPWINES, a marca Giroflé exporta atualmente para os E.U.A, Alemanha, Bélgica e Brasil, mercados que são já responsáveis por 25% das vendas globais da empresa.

Em 2017, o peso das exportações no volume de negócios deverá cifrar-se nos 50%, impulsionado pela previsão da entrada, até ao final deste ano, no Canadá e na Polónia, encontrando-se ainda em fase de estudo a penetração no mercado asiático.

Refira-se que, depois de em 2015 as vendas da FAPWINES terem aumentado 60% face a 2014, a empresa prevê encerrar 2016 com o registo de novo crescimento, superando em mais de 30% os resultados alcançados no último ano.

Formado em Enologia pela UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, e com 12 anos de experiência na criação e comercialização de vinhos, em junho de 2013, João Matos redesenhou o seu percurso no mundo dos vinhos com a FAPWINES.

A amizade que o une a vários enólogos e o gosto pela partilha permite-lhe construir vinhos em diversas regiões, tirando partido da identidade de cada uma delas, sempre com o objetivo de agradar aos consumidores que tão bem conhece.

A linha de vinhos Giroflé, à qual se soma agora o Giroflé Rosé, inclui o Giroflé Loureiro, o Giroflé Alvarinho, o Giroflé Douro Branco, o Giroflé Douro Tinto e o Giroflé Espumante Bruto.



publicado por Carlos Gomes às 19:10
link do post | favorito

ESTUDO REVELA QUE 62% DOS PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS SOFREM DE BURNOUT

Stress ocupacional, confiança nos chefes e relacionamento com a gestão de recursos humanos associados a Burnout

Um estudo realizado pela Universidade Portucalense, no âmbito de uma tese de mestrado em psicologia, revela que 62% dos professores universitários inquiridos sofre de sintomas de burnout, associado a fadiga física.

Os resultados do estudo indicam que o stress inerente à função e cargos que cada docente ocupa está diretamente associado ao burnout. Por outro lado a confiança nas chefias e o relacionamento com a gestão de recursos humanos constituem-se como factor amortecedor do burnout.

O burnout é considerado como um tipo de stress de carácter duradouro ligado às situações de trabalho, resultado da constante e repetitiva pressão emocional relacionada com a intensa ligação com pessoas por longos períodos de tempo.

Os dados apoiam a necessidade de rever as funções que o professor deve desempenhar dentro da instituição e a devida carga horário, favorecendo o desempenho do professor e o bem-estar, sendo especialmente relevante os relacionamentos dos professores universitários com a gestão.

A fadiga física e a exaustão são apontadas, contrariamente ao que se poderia pensar (fadiga cognitiva), como os principais fatores de desencadeamento deste quadro.

Isto deve-se ao facto de cada professor ter uma carga horária (16 horas) superior à recomendada, acrescida da necessidade de conciliar as aulas com a investigação e orientação de alunos, podendo acumular funções burocráticas ou de maior responsabilidade como é o caso de 60% dos inquiridos, ou a coordenação de um determinado curso ou departamento da universidade, como são 42% dos docentes participantes no estudo.

Da amostra total dos 131 inquiridos, 66% são professores auxiliares, 15% professores associados, 10% professores convidados e com menor prevalência, 4% professores catedráticos.

O estudo revela ainda que o burnout é transversal a todas as áreas científicas sendo que  22% dos docentes afetados por este quadro, se encontram nas ciências naturais, 24% nas ciências sociais e humanas, 22% nas ciências matemáticas e novas tecnologias e 23% nas ciências artísticas.

Apesar de nenhum dos inquiridos apresentar um quadro de burnout total, verifica-se que 62% dos professores têm sintomas de burnout associado a fadiga física, 27% apresentam sintomas de burnout associado a fadiga cognitiva e 5% sintomas de burnout associado a exaustão emocional.

Com o objetivo de compreender e medir a relação entre o stress ocupacional e burnout, a autora, Ana Rita Ferreira, realizou o estudo junto de professores universitários de quatro instituições do ensino superior da cidade do Porto, três públicas e uma privada.

Tinha ainda como objetivo específico explorar e medir o efeito da relação com diferentes chefias, através da confiança, e do relacionamento com a gestão de recursos humanos, na origem de sintomas de burnout em professores universitários.  

A confiança e o stress nos professores universitários têm uma associação negativa com o burnout, ou seja, quando o ambiente de trabalho é positivo, o docente encontra mais recursos sociais e psicológicos para superar os desafios profissionais.

Os inquiridos deste estudo tinham idades compreendidas entre os 23 e os 74 anos, apresentando uma idade média de 45 anos, sendo que, todos lecionam em apenas uma universidade.

Em relação à escolaridade dos questionados, 83% têm doutoramento, 9% mestrado, 3% licenciatura e apenas 0,7% um pós-doutoramento, e no que toca à área de formação da amostra, está dividida de forma semelhante entre ciências naturais (27%), ciências sociais e humanas (28%), ciências matemáticas e novas tecnologias (37%) e em menor parte as ciências artísticas (5%).

O estudo demonstra que as universidades devem dar mais importância aos relacionamentos dos professores universitários com a liderança direta e com a gestão de recursos humanos como factor promotor de saúde mental.

A Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT) é um estabelecimento de ensino superior cooperativo que iniciou a sua atividade em 1986.

A UPT funciona exclusivamente na cidade do Porto, no Pólo Universitário da Asprela, ministrando cursos nas nove áreas seguintes: Direito, Economia, Gestão, Informática, Psicologia, Educação, Turismo e Hospitalidade, Património e Cultura, e Relações Internacionais.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 18:47
link do post | favorito

CHEGARAM AS FESTAS DA MOITA

De 9 a 18 de setembro

Às 21:30h do dia 9 de setembro acende-se o arraial e ouvem-se os 21 morteiros, dando inicio às Festas em Honra de Nossa Srª da Boa Viagem, na Moita. Os “dez dias mais longos do ano” para as gentes da Moita vão contar com atividades ligadas ao rio, à religião e à festa brava, concertos diário e muita animação e convívio pelas principais ruas da vila.

Festa da Moita Largada.jpg

Do programa deste ano, destacamos ainda, na área musical, JPAC, Alia Clark, Like The Main Said, David Carreira, Quim Barreiros, Deolinda, HMB, DJ Kamala e Diogo Piçarra, no palco da Marginal da Moita. Mas estão previstos muitos outros espetáculos nos outros dois palcos das festas: Praça da República e Largo Conde Ferreira. Todos os concertos são ao ar livre e com entrada gratuita.

Logo no primeiro domingo, dia 11, pelas 17:30h, realiza-se a Procissão em Honra de Nossa Srª da Boa Viagem, com a bênção dos barcos engalanados no Cais da Moita. A procissão irá percorrer as principais artérias da vila, acompanhada por milhares de devotos e também pela Charanga a Cavalo da Guarda Nacional Republicana, Fanfarra dos Bombeiros Voluntários da Moita, Banda da Associação de Desportos e Recreio “O Paraíso”, da Azambuja, Banda da Sociedade Filarmónica União Samorense, de Samora Correia e pela Banda Musical do Rosário.

As tradicionais largadas de toiros continuam a atrair milhares de pessoas à principal avenida da vila e, este ano, a Comissão de Festas preparou mais uma largada, na noite de 12. Assim, as largadas de toiros na Avenida Dr. Teófilo Braga estão marcadas para os dias 9, 12 e 16 de setembro, à 1:00h, nos dias 12, 13, 14, 15, 16 e 18, às 10:00h, e no dia 17, às 17:00h. Todas as largadas são antecedidas pela entrada de toiros a pé, a partir do Largo Conde Ferreira.

É também nesta altura do ano que acontece a maior e melhor feira taurina do País, na Praça de Touros Daniel do Nascimento.

Ainda na vertente de convívio popular, o destaque vai para a Tarde do Fogareiro, a partir das 13:00h do dia 16 de setembro, na Avenida Dr. Teófilo Braga, com a participação de milhares de pessoas em grande convívio pela tarde fora. A Charanga Huga Huga da Banda Musical do Rosário, o Grupo de Bombos de São Lourenço de Marco de Canavezes e o “Fogareiro Elétrico”, com Nélio Pinto, preenchem a animação.

Rio Tejo é outro dos palcos privilegiados para a promoção de diferentes iniciativas. A tradicional Regata em Honra de Nossa Sr.ª da Boa Viagem, com barcos típicos do Tejo, está marcada para o dia 17, às 15:00h. O Concurso de Barcos Engalanados, no Cais da Moita, vai decorrer no dia 11, pelas 12:00h. A tarde de quinta-feira, dia 15, vai ser dedicada ao rio, com mais uma edição do “Cais Vivo”, a partir das 14:30h, num convite à população e visitantes para passeios nos barcos típicos do Tejo. A não menos conhecida Noite do Fragateiro vai decorrer no dia 10, a partir das 23:30h, junto ao Cais e vai contar com fados e baile popular.

De 9 a 18 de setembro, realiza-se também a XXIII FECI – Feira Comercial e Industrial, no Pavilhão Municipal de Exposições, na Moita. Horário: dia 9, das 20:00h à 1:00h, dias 10 e 17, das 17:00h à 1:00h, dia 11, das 15:00h às 24:00h, de 12 a 15, das 20:00h às 24:00h, dia 16, das 20:00h à 1:00h, e dia 18, das 16:00h à 1:00h. A entrada é gratuita.

O programa completo da Festa em Honra de Nossa Sr.ª da Boa Viagem está disponível em www.cm-moita.pt.

Festa da Moita Procissão.jpg

Festas da Moita Barcos engalandos.jpg

Festas da Moita Tarde do Fogareiro (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:38
link do post | favorito

MEM MARTINS FESTEJA A NOSSA SENHORA DA NATIVIDADE

14088649_574910739368356_6311128929123962089_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:34
link do post | favorito

Domingo, 4 de Setembro de 2016
MADRE TERESA ERA TANTO DE CALCUTÁ COMO SANTO ANTÓNIO ERA DE PÁDUA!

A Igreja Católica acaba de canonizar Madre Teresa de Calcutá. De etnia albanesa, Madre Teresa nasceu em 1910 na cidade de Skopje – atual capital da República da Macedónia – à época sob o domínio do Império Otomano.

SantAntonio-da-Padova006.jpg

Batizada no século com o nome Anjezë Gonxhe Bojaxhiu, Madre Teresa foi uma religiosa fundadora das Missionárias da Caridade que desenvolveu importante ação evangelizadora e de caridade na Índia e em numerosos países onde se estabeleceu. Faleceu em 1997, em Calcutá, aos 87 anos de idade, vítima de ataque cardíaco, encontrando-se sepultada naquela cidade.

Não obstante Calcutá ter sido o local onde Madre Teresa viveu e veio a falecer, ela não deixa de ser uma albanesa da Macedónia porque foi precisamente ali que nasceu. Creio que jamais ocorreria a alguém tratá-la como chinesa se porventura aí tivesse falecido…

Vem isto a propósito das origens portuguesas de Santo António, porventura o santo português mais venerado em todo o mundo, mas frequentemente identificado com a cidade italiana de Pádua.

Considerado um dos mais insignes doutores da Igreja, Santo António nasceu em Lisboa onde foi batizado com o nome de Fernando, tendo vivido entre os séculos XII e XIII.

Foi frade no Convento de São Vicente de Fora, em Lisboa, pertencente à Ordem dos Regrantes de Santo Agostinho, tendo-se mais tarde tornado franciscano, o que o levou até Itália, tendo em 1221 feito parte do Capítulo Geral da Ordem, em Assis, a convite do fundador, Francisco de Assis, tendo posteriormente seguido para Bolonha e, mais tarde, para Pádua onde veio a falecer com 36 anos de idade segundo alguns biógrafos, ou com 40 anos conforme outros asseveram.

Por conseguinte, Santo António era lisboeta de nascimento e português de nacionalidade porque foi aqui que nasceu e, como tal, deve ser reconhecido como Santo António de Lisboa… e não em Pádua!



publicado por Carlos Gomes às 15:18
link do post | favorito

TOCADORES DE CONCERTINA RUMAM A PORTO DE MÓS

14045642_1107925055960885_6125870327084735008_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 13:08
link do post | favorito

Sábado, 3 de Setembro de 2016
DEPUTADO MENDES CORREIA EXALTOU EM 1956, NA ASSEMBLEIA NACIONAL, AS VIRTUDES DO FOLCLORE PORTUGUÊS, REFERINDO-SE AO CONGRESSO REALIZADO EM BRAGA

Na sessão de 29 de junho de 1956 da VI Legislatura da Assembleia Nacional, o deputado Mendes Correia falou sobre o Congresso de Etnografia e Folclore que se realizou em Braga naquele ano, exaltando as suas virtualidades e qualidades artísticas. A sessão foi presidida por Albino dos Reis Júnior e secretariada por José Paulo Rodrigues e Alberto Pacheco Jorge.

capture2

O Sr. Mendes Correia: - Sr. Presidente: na sessão de ontem o nosso colega Dr. Alberto Cruz referiu-se, a propósito das impressões que teriam deixado a terra e a gente bracarenses e o Minho em geral nos membros do recente Congresso de Etnografia e Folclore, realizado em Braga, as tradições regionais de hospitalidade e à necessidade de se apoiar o desenvolvimento do turismo naquela província.

Não precisa o nosso colega da minha solidariedade nas aspirações que formulou, e que naturalmente perfilho sem restrições, mas pedi a palavra para, ainda com um mandato que me permite traduzir o sentir de todos os congressistas, sublinhar a hospitalidade e a cortesia que todos encontrámos em Braga e na boa gente do Minho, aproveitando este ensejo para, mais uma vez, salientar o significado nacional e político da assembleia realizada e a importância - nos mesmos aspectos, além do cientifico- de muitas matérias nela versadas e de muitos dos votos finais ali adoptados.

Vozes: - Muito bem!

O Orador:-Não trago, evidentemente, a esta Câmara um relato pormenorizado do que foi o Congresso e do que ele representa na vida cultural e social do Pais.

Mas acentuarei que a sua magnitude decorre do tema dos seus relatórios e das suas duzentas comunicações. Esse tema é o povo português, a sua psicologia, as suas tradições, a sua arte, os seus anseios, as suas tendências e as suas capacidades.

Tema que é hoje versado cientificamente, com métodos e técnicas adequados, de maneira sistemática, imparcial e objectiva, e não ao modo antigo, por coleccionadores

a esmo, por simples amadores sem preparação, por devaneadores e fantasistas, com maior ou menor brilho literário, maior ou menor sentimento e entusiasmo, mas numa ausência total, ou quase, de espirito cientifico. Há ainda quem suponha que etnografia e folclore são puras colectâneas amenas de temas pitorescos da vida popular.

Ora, o último Congresso definiu posições nítidas e úteis quanto à natureza dos objectos dessas disciplinas e quanto à maneira de os tratar e utilizar. Pôs em evidência o interesse de certas investigações. Salientou as ligações entre o âmbito das ditas disciplinas e a história, a filosofia, a religião, a arte, a sociologia, a política, a economia, etc. Pôs sobretudo em relevo o valor nacional daqueles estudos.

E a todos foi grato verificar que, a par das contribuições mais singelas sobre um ou outro facto local ou regional, surgiram naquela assembleia teses de conjunto ou de carácter genérico e doutrinário, como as de metafísica, do folclore e da ética dos provérbios populares, tratados pelos reverendos Drs. Bacelar e Oliveira e Craveiro da Silva, da Faculdade Pontifícia de Filosofia, de Braga.

Não faltaram outros elementos universitários e académicos, participantes do Brasil, Espanha e México, os temas mais variados. Mas desejo aqui congratular-me, sobretudo, com o apoio e interesse manifestados ao Congresso, não só por corpos administrativos, como as Camarás Municipais de Braga -a autora da iniciativa e sua grande realizadora-, Viana do Castelo, Santo Tirso e Porto, e algumas juntas de província, mas também por organizações como o Secretariado Nacional da Informação e Cultura Popular, a Mocidade Portuguesa, a Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho, etc.

O Governo da Nação, o Governo de Salazar, dispensou ao Congresso o apoio mais expressivo, sendo notáveis os discursos proferidos no mesmo pelos ilustres Ministro das Corporações e Subsecretário de Estado da Educação Nacional.

Verificou-se, assim, este facto altamente consolador: é que de sectores os mais variados da vida nacional, de todos os planos hierárquicos, dos domínios directamente ligados ao assunto como de outros, do Governo ao próprio povo - como o de Braga e como o que participou nos festivais folclóricos então realizados-, houve geral concordância no reconhecimento do vasto e profundo significado da bela iniciativa da Câmara de Braga, e especialmente do seu extraordinário presidente.

Como ó oportuna e confortante tal verificação, precisamente quando nesta Assembleia se está discutindo o Plano de Formação Social e Corporativa, marcando-se o desejo de, abrindo os braços a todos os progressos reais e fecundos, conservar as melhores e mais sãs tradições nacionais!

O Congresso emitiu numerosos votos, como em matéria de ensino, investigação, propaganda, museus, protecção, etc., de assuntos etnográficos e folclóricos. Sublinharei apenas, neste instante, os que dizem respeito às actividades ultramarinas nesse domínio e à recusa ao fado do título, tão correntemente usado, de canção nacional por excelência.
O estudo da etnografia e folclore das populações ultramarinas mereceu ao Congresso uma atenção especial, salientando-se a necessidade dessa matéria nos centros de estudos sociais e políticos e nos novos institutos de investigação cientifica de Luanda e Lourenço Marques, entre as ciências humanas ou sociais.

Quanto ao fado, proclamou-se o inconveniente nacional e folclórico da sua difusão excessiva, quer pela sua proveniência, quer pelo pessimismo e desanimo que traduz, em contradição com as fontes e as manifestações mais autenticas e construtivas da inspiração popular. O fado lembra as guitarras plangentes de Alcácer, não um brado de vitória ou de fé.

Não pretendo negar a beleza de alguns fados, das toadas mais melancólicas, de versos profundamente tristes. Mas não se chame canção nacional por excelência a uma canção folclòricamente tão discutível e tão distinta, em tudo, das belas, joviais e empolgantes canções de que é felizmente tão rico. O autentico folclore nacional.

Vozes: - Muito bem!

O Orador:-Vi um dia, num festival folclórico, no Porto, centenas de visitantes estrangeiros, como um só homem, perante uma exibição de ranchos de Viana, erguerem-se a aplaudir e a gritar: «Viva Portugal»! Em vez do fado depressivo, como não hão-de ser estimulantes e gratas para nós, Portugueses, essas manifestações da nossa música popular que tom assim o dom de arrebatar os próprios estrangeiros?

Sem recusar a possibilidade de introdução e adopção de factos novos, ou seja do processo chamado de aculturação pelos etnógrafos e sociólogos, o Congresso pronunciou-se pela definição do facto etnográfico e folclórico como caracterizado por serem tradicionais e de origem espontânea e anónima na alma popular.

A aculturação só pode dar-se quando esta alma lhe é favorável, quando nesta encontra eco, aceitação, concordância psicológica. Nos nossos territórios ultramarinos é do maior interesse o estudo da aculturação das populações nativas sob a influência da cultura que tenho chamado luso-cristã.

Por estas singelas considerações creio ter dado uma ideia da importância nacional e científica do Congresso de Braga. Mas o que sobretudo desejei sublinhar, usando da palavra, foi a gratíssima impressão que congressistas nacionais e estrangeiros trouxeram do convívio, da hospitalidade, da afabilidade, da cortesia, do trato, da doçura, do irradiante poder de simpatia, da boa gente de Braga e do Minho, daquele admirável povo em que se conservam e florescem tantas virtudes tradicionais de suavidade de alma, de bondade, de apego ao lar, de dedicação pelo trabalho, de amor pelo seu berço e de fidelidade aos altos valores espirituais que garantem a perenidade da Pátria e da civilização.

Vozes: - Muito bem, muito bem!

O Orador:-Posso depor com firmeza que na multidão que em avalancha jovial festejava o S. João, na noite de 23, em Braga, não vi senão atitudes simpáticas e dignas. Quem dava involuntariamente um encontrão pedia desculpa.

Ausência de palavrões, de qualquer grosseria, de brutalidade. Bom povo, admirável povo, que a dissolução tendenciosa de outros meios ainda não inquinou nem perverteu.

Tenho a certeza de que a acção de organizações como as que citei manterá indemnes a sua alma e as suas tradições sãs contra a vaga cosmopolita ou exótica de materialismo pretensamente científico e humano que ameaça subverter o que há de melhor e mais luminoso no património moral da nossa civilização. Bom povo de Portugal, porque creio em ti e nos valores espirituais que te animam, creio na eternidade da Pátria.

Tenho dito.

Vozes: - Muito bem, muito bem!

O orador foi muito cumprimentado.



publicado por Carlos Gomes às 15:21
link do post | favorito

Sexta-feira, 2 de Setembro de 2016
LISBOA ABRE AO PÚBLICO GALERIAS ROMANAS DA RUA DA PRATA

Dia 12 de setembro abrem as inscrições e reservas para visitar as Galerias Romanas da Rua da Prata, inseridas no programa do Museu de Lisboa para as Jornadas Europeias de Património.

O link para as inscrições estará disponível nos sitios do Museu de Lisboa, da EGEAC Cultura Em Lisboa e Câmara Municipal de Lisboa.

A entrada nas galerias é 2,00€ (crianças até aos 12 anos inclusive, não pagam).

14203360_1265217023523102_2789412749886306862_n.png



publicado por Carlos Gomes às 14:41
link do post | favorito

ALFRAGIDE REALIZA FESTIVAL DE FOLCLORE

10331614_10207080063586151_349745740_n (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:23
link do post | favorito

PAÇO DE ARCOS FESTEJA AO SENHOR JESUS DOS NAVEGANTES

13923623_894340500709651_2624012655845175986_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:22
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11


20
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

CASA DO MINHO REALIZA EM ...

CASAS REGIONAIS EM LISBOA...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

BLOGUE DE LISBOA FAZ PARC...

FIA LISBOA – HÁ MAIS DE 3...

PAN REDUZ PEGADA ECOLÓGIC...

ARROZ DE CABIDELA JUNTA M...

DURIENSES EM CARNAXIDE RE...

MUSEU BORDALO PINHEIRO É ...

PAN NÃO VAI EM TOURADAS

LISBOA RECEBEU GALA DO CI...

PORTUGUESES NÃO CONFIAM N...

CONVENTO DOS CARDAES ASSI...

PAN VAI DAR UMA VASSOURAD...

EDP LISBOA A MULHER E A V...

PAN QUER PROTEGER CAVALOS...

CASA DO MINHO EM LISBOA L...

PAN FAZ CAMPANHA ELEITORA...

PAN ALCANÇA IMPORTANTE VI...

LISBOA É CAPITAL DO REGIO...

LISBOA É A CAPITAL DO ART...

SANTANA LOPES E PAULO SAN...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

GRUPO MUNICIPAL DO PAN IN...

PAN NÃO QUER BEATAS NA RU...

REGIONALISMO EM MOVIMENTO...

PAN APRESENTA DECLARAÇÃO ...

ASSOCIAÇÃO DAS CASAS REGI...

MINHOTOS LEVAM FOLCLORE À...

PAN QUER QUE O GOVERNO DE...

V FESTA DAS COLECTIVIDADE...

MINHOTOS LEVAM FOLCLORE A...

CASTRO DAIRE ABRAÇA LISBO...

NO MÊS DE MAIO A MAGIA DA...

TENOLOGIA FOTÓNICA DA UNI...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

METRO DE LISBOA E CÂMARA ...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

PAN QUER DIREITO DE VOTO ...

PAN QUER LÍNGUA GESTUAL P...

OEIRAS: RANCHO FOLCLÓRICO...

PAN REALIZA EM LISBOA CON...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

PAN PROMOVE MEGA AÇÃO DE ...

METRO DE LISBOA CELEBRA D...

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃ...

MINHOTOS EM LISBOA CELEBR...

MOITA VAI AOS TOIROS!

COMUNIDADE MOLDOVA RECEBE...

CANTORA MOLDOVA ADRIANA O...

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds