Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Sexta-feira, 14 de Outubro de 2016
CASA DO CONCELHO DE GÓIS EM LISBOA PROMOVE INICIATIVA DE SOLIDARIEDADE

14446207_311629012537657_3856269146482884203_ngois (1).jpg

14454711_1200996633309991_624609669_ngois (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:57
link do post | favorito

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016
GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO: ORGANIZAÇÃO DA EDIÇÃO DE 2017 DO FOLCKLOURES JÁ ESTÁ EM MARCHA!

Ainda não decorreu a Desfolhada Tradicional do Milho associada ao Entro de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio que vai ter lugar no próximo dia 22 de Outubro, em A-das-Lebres, no concelho de Loures, e já o Grupo Folclórico Verde Minho está a iniciar os preparativos com vista à próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas a ter lugar em meados do próximo ano.

FOLKLOURES'16 260

A dinâmica que está a ser imposta a estas iniciativas está a registar uma adesão crescente e um movimento que se afigura imparável. Com mais de quatro dezenas de grupos de tocadores de concertina, incluindo três grupos de bombos e zés pereiras, espera-se uma afluência de alguns milhares de pessoas que muito provavelmente irão constituir uma autêntica maré humana na localidade de A-das-Lebres. Aliás, esta é já considerada a maior iniciativa do género na região de Lisboa.

Entretanto, pese embora a organização do FolkLoures encontrar-se ainda na fase de preparação, atendendo nomeadamente às alterações do formato do evento relativamente a anos anteriores, começaram já a chegar à organização várias propostas de participação por parte de agrupamentos culturais de vários pontos do país ligados ao folclore e à cultura tradicional em geral. O FolkLoures constitui já uma marca de sucesso!

FOLKLOURES'16 260

FOLKLOURES'16 031

FOLKLOURES'16 172



publicado por Carlos Gomes às 23:01
link do post | favorito

FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA REALIZA FESTA DE NATAL

NATAL É NA FIL de 7 a 11 de Dezembro!

O NATAL É NA FIL é um evento de Natal que inclui o Mercado de Natal, o Mercado Outlet, o Mercado do Chocolate e a FIL Diverlandia.

image001fil (1).png

Um conjunto de iniciativas, com comunicação e layout próprios, que apelam à compra associada ao Espirito Natalício e à experiencia de um conjunto de actividades alusivas à época, prova de algumas iguarias características da época, muita diversão e excelentes prendas para toda a família. Solução para todos os gostos, desde pequenas prendas criativas a produtos de Outlet ou as melhores delícias de chocolate.

A simultaneidade das iniciativas tem como objectivo criar sinergias e atrair à FIL cerca de 40.000 pessoas.

O evento FIL DIVERLÂNDIA – A Sua Feira Popular Indoor, cuja apresentação se anexa, decorre de 7 de Dezembro 2016 a 8 de Janeiro 2017 e acolhe todos os anos cerca de 150.000 visitantes.

Destinado a fabricantes, representantes ou distribuidores de grandes Marcas, o Mercado de Outlet pretende distinguir-se do comércio local pela qualidade versus preços imbatíveis em produtos dos sectores da Moda e Acessórios, Casa, Desporto, Livros, Brinquedos entre outros

O Natal é por excelência uma época de doces iguarias. O Mercado de Chocolate é um espaço de venda a quem não resiste a bom chocolate, bem como para transformar este produto em excelentes prendas de Natal. É também um evento para experimentação, aprendizagem e lúdico através de workshops, exposições…

Uma oportunidade para, num espaço único, transformar os seus produtos em prendas de Natal, independentemente do tipo de produto ou target a que se destina. Um evento multissectorial, alternativo ao comércio tradicional que se deve distinguir pela singularidade e criatividade dos produtos.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 22:04
link do post | favorito

MINHOTOS EM OEIRAS ORGANIZAM ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA

14289880_940632609398539_1201079290229255002_o (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 19:41
link do post | favorito

CASA CERVEIRENSE COMEMORA NO SEIXAL 7 ANOS DE EXISTÊNCIA

14454589_1389032431125749_758628095_n (5).jpg



publicado por Carlos Gomes às 19:40
link do post | favorito

PNR COMEMORA RESTAURAÇÃO NACIONAL EM SANTA MARIA DA FEIRA

14690826_1310489012317210_8189448629093254705_n (1).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 19:06
link do post | favorito

CANTOR VITORINO SALOMÉ DÁ CONCERTO EM LISBOA NO TEATRO MUNICIPAL S. LUIZ

"Não sei do que é que se trata, MAS NÃO CONCORDO"

Inevitavelmente um nome à parte no panorama cultural português.

Se fosse produzida uma lista com 10 nomes da música portuguesa, que fossem embaixadores dessa mesma música, Vitorino teria de lá estar, ao lado da Amália, do Zeca Afonso e de uma outra mão cheia das personalidades que foram produzidas em cima da ideia poética do que é Portugal.

vitorin.jpg

Não há uma única pessoa em Portugal ou que ame Portugal que não saiba quem ele é e que não tenha já cantado uma das suas canções. Mas a sua obra e o seu contributo, visto ser um artista multi-dimensional, vai muito além do conhecimento geral. Já trocou colaborações com Fausto, Sérgio Godinho, João Gil, Rui Veloso, Tim, Jorge Palma, Carminho, entre tantos outros nomes da música portuguesa. Todos lhe reconhecem o mérito de cancionista extraordinário. Com o espectáculo “Não sei do que é que se trata, MAS NÃO CONCORDO”,  é lançado o ano em que Vitorino comemora os 40 anos da edição do seu primeiro disco.

Um espectáculo que será único, onde participarão Manuel João Vieira (Ena Pá 2000 e Irmãos Catita), Camponeses de Pias ..... e outras surpresas.

Convidados: MANUEL JOÃO VIEIRA e CAMPONESES DE PIAS .....

“Tanto o meu convidado como eu, temos sido frequentadores regulares deste bairro vivo e agitado que envolve o Teatro São Luiz - o Chiado. E este concerto faz parte dessa narrativa que não pára.

O Manuel João Vieira é um artista completo. Os Camponeses de Pias cantam modas Alentejanas há décadas. E bem!

Assim entra por Lisboa um pedaço do mundo rural vindo do Sul. E eu, lembro com canções o que vivi nestes últimos quarenta e tal anos.

O nome do concerto é uma homenagem a um carpinteiro nascido no Redondo que interrompia as assembleias gerais do Redondense Futebol Clube com a sentença que dá título ao concerto.

A última vez que o vi convidou-me para um copo de vinho e desapareceu numa rua do Bairro Alto. Chamava-se Zé Embirra”.

Vitorino Salomé


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 13:17
link do post | favorito

FEIRA DAS MERCÊS REABRE AMANHÃ NO CONCELHO DE SINTRA

14606365_1160276240727330_1871008483739897541_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:36
link do post | favorito

MINHOTOS REALIZAM EM LOURES ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA QUE É O MAIOR EVENTO DO GÉNERO NA REGIÃO DE LISBOA

Cartaz Desfolhada 2016-2 (1) (9).png



publicado por Carlos Gomes às 00:21
link do post | favorito

Quarta-feira, 12 de Outubro de 2016
OEIRAS REALIZA FESTIVAL DE FOLCLORE NA RIBEIRA DA LAGE

14370287_1190500604326940_4788530454045455937_n (3).jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:46
link do post | favorito

TOCADORES DE CONCERTINA MARCAM ENCONTRO NA LAGE, EM OEIRAS

14289880_940632609398539_1201079290229255002_o (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:42
link do post | favorito

CASA DO MINHO EM LISBOA JUNTA EM TELHEIRAS TOCADORES DE CONCERTINA

A Casa do Minho em Lisboa realizou no passado dia 9 de Outubro mais uma edição do Encontro de Tocadores de Concertina, uma iniciativa que regista sempre grande adesão sobretudo por parte dos nossos conterrâneos radicados naquela região.

14517433_1204852599558407_2279445633244767203_n (1).jpg

Em Telheiras, o local escolhido foi o Auditório Orlando Ribeiro. E a festa foi bem minhota, muito ao gosto das nossas gentes. E, concertinas não faltaram, tal como não faltaram exímios tocadores que deram mostras do seu talento.

Sucedâneo de vários instrumentos musicais cujo som, produzido por palhetas que vibravam por meio da pressão de ar, a concertina difundiu-se por toda a Europa e ainda no Brasil a partir da segunda metade do século XVIII, tornando-se graças à peculiar sonoridade que o caracteriza, um dos instrumentos de música popular que mais rapidamente foi adotado pelo povo, tornando-se porventura o mais apreciado sobretudo pelas gentes do Minho.

Os encontros de tocadores, bem assim as respetivas escolas, têm vindo a popularizar ainda mais um instrumento musical que há alguns anos corria o risco de desaparecer devido à falta de tocadores.

Fotos: Manuel Santos

14590377_1204852646225069_336611105478226345_n (1).jpg

14590463_1204853272891673_5203681440355617319_n (1).jpg

14610912_1204851549558512_3676980033484761982_n (1).jpg

14632886_1204847376225596_245895220873795413_n (1).jpg

14656306_1204955916214742_2887299756331672183_n (1).jpg

14670657_1204846252892375_3262239597374337045_n (1).jpg

14690869_1204853569558310_5618295075012969862_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:38
link do post | favorito

PAN REGISTA REACÇÕES ÀS SUAS PROPOSTAS AO ORÇAMENTO DE ESTADO

Orçamento de Estado 2017: Primeiras reações do Governo às medidas propostas pelo PAN

  • É urgente a formação de técnicos do Ministério em Agricultura Biológica para investimento de fundos europeus nesta fileira
  • Portugal deve estabelecer uma meta para que apenas veículos elétricos sejam comercializados no país
  • Estímulo ao abate de automóveis para quem optar por utilizar transportes públicos

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza começou já a receber pareceres do governo em relação a algumas das medidas propostas no âmbito do Orçamento do Estado para 2017. O partido esteve esta manhã reunido com o governo, para além da audiência formal que decorreu também esta manhã com o Ministro das Finanças, de onde trouxe apreciações mais concretas a algumas das medidas que têm estado a ser apresentadas.

No âmbito dos vinte contributos que o PAN apresentou em reunião com Ministério da Agricultura para a Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica que será apresentada até ao final do mês, o governo concorda que é prioritário incluir, desde já, a formação de técnicos do Ministério em Agricultura Biológica, por ser estratégico o investimento de fundos europeus nesta fileira. Recorde-se que os projetos de investimento submetidos aos programas de apoio são muitas vezes subavaliados, ou mesmo reprovados, por falta de conhecimento teórico e de domínio de práticas culturais. Para que esta estratégia seja realista é necessária outra medida proposta pelo PAN para este orçamento, o aumento da taxa de Iva aplicada aos produtos fitofarmacêuticos, entenda-se um desincentivo ao uso massivo de pesticidas na agricultura convencional que introduz químicos na cadeia alimentar e se traduz numa fonte de receita para o estado.

Duas medidas relacionadas com a Mobilidade Elétrica estão a ser bem acolhidas pelo governo, a mobilidade elétrica para todas as frotas públicas visa um compromisso por parte do Estado, já a partir de 2017 e ao longo dos próximos anos, ao garantir que a renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros se efetue através da aquisição de veículos elétricos. O objetivo do PAN é que à semelhança do que já acontece na Holanda e na Alemanha, também Portugal deve estabelecer uma meta de médio para que apenas veículos elétricos sejam comercializados no país.

Considerando ainda a necessidade de redução do número de veículos automóveis a circular, principalmente nos grandes centros urbanos, nomeadamente os mais antigos e mais poluentes, o PAN propõe um estímulo ao abate de automóveis para quem optar por utilizar transportes públicos (atualmente este incentivo existe para quem adquirir um veiculo elétrico). Esta medida traduz-se num apoio do Estado a ser concedido ao ex-proprietário do automóvel na compra dos títulos de transporte público, entenda-se passe de transporte, durante um período de tempo que ainda está a ser analisado mas que poderá ser de 3 a 5 anos.

As negociações com o governo continuam numa reunião agendada para a próxima Segunda-feira, onde será discutida a possibilidade de dedução de despesas com TNCs em sede de IRS entre outras medidas que contribuam para fazer do pensamento ecológico profundo uma prioridade política e ideológica transversal a todas as forças políticas.



publicado por Carlos Gomes às 19:39
link do post | favorito

MIRA SINTRA REGRESSA À IDADE MÉDIA

14700770_344649322553290_7777836967578882455_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 16:18
link do post | favorito

MINHOTOS EM LOURES PREPARAM FESTA DE ARROMBA COM DESFOLHADA DO MILHO, TOCADORES DE CONCERTINA E CANTARES AO DESAFIO

LOCALIDADE DE A-DAS-LEBRES VAI SER PEQUENA PARA RECEBER TANTA GENTE!

Grupo Folclórico Verde Minho organiza em A-das-Lebres uma festa que inclui desfolhada do milho, encontro de tocadores de concertina e cantadores ao desafio e fogo-de-artifício. E todos os minhotos que vivem na região de Lisboa vão certamente responder à chamada e demonstrar a sua união.

A adesão não pára de aumentar e, a avaliar pelas inscrições já efetuadas, a organização prevê a participação no evento de mais duzentos e cinquenta tocadores de concertina, o que o torna o maior evento do género realizado na região de Lisboa. De diversas regiões do país, deslocam-se a Loures cerca de 40 grupos que levam consigo as tradições e os cantares das respetivas regiões. Apesar de espaçoso, o local onde o encontro se realiza vai certamente ser exíguo para o numeroso público que ali vai acorrer, o que obrigará a organização a repensar a localização para futuras edições deste evento. Pelas ruas da localidade, o Grupo Bombrando vai rufar os seus bombos e estremecer aquela localidade do concelho de Loures, fazendo o povo sair à rua e aderir à festa.

Cartaz Desfolhada 2016-2 (1) (9).png

A iniciativa é do Grupo Etnográfico Verde Minho e tem lugar no próximo dia 22 de Outubro, a partir das 15 horas. A recriação da desfolhada decorre no terreiro fronteiro às instalações do Grupo União Lebrense, em A-das-Lebres, no concelho de Loures.

Os grupos de zés-pereiras percorrem as ruas da aldeia anunciando a festa com o rufar dos seus bombos. As moças exibem os seus trajes de trabalho característicos. Rapazes e raparigas cuidam de desfolhar o milho à procura da maçaroca… e do “prémio” da conversada!

Não falta o vinho e o petisco oferecido aos trabalhadores que participam no serão. Os trabalhadores da jorna recordam com nostalgia a juventude e a alegria de tempos idos. E, como a festa é minhota, dança-se o vira, a chula e a cana-verde.

Como manda a tradição, não falta sequer a broa de milho e a boa pinga de vinho verde a lembrar costume antigo.

Predominando no Minho a cultura de regadio, é por altura da festa de S. Miguel que ocorre o corte do milho e se seguem as desfolhadas.

Para o minhoto, tudo é pretexto para a festa: o trabalho e a romaria, a religião e a gastronomia. Em todas as ocasiões, o minhoto é alegre, levando sempre desse modo de vencida as agruras da vida, mesmo quando vividas em terras distantes.

Para onde quer que vá, o minhoto leva consigo a alma grandiosa da sua terra e a cor da esperança porque o Minho é verde e o folclore… é Verde Minho!

Remonta há mais de quatro séculos a introdução da cultura do milho no nosso país. A sua cultura foi iniciada no noroeste peninsular onde a região do Minho se insere, tendo com o decorrer do tempo se propagado para outras regiões do país.

A cultura do milho teve origem nas Américas e foi trazida para a Península Ibérica nas naus do navegador Cristóvão Colombo, aliás Salvador Fernandes Zarco, oficialmente ao serviço dos reis de Espanha, secretamente ao serviço do rei D. João II, com o propósito de afastar os reis católicos da rota da Índia, levando-os a celebrar o Tratado de Tordesilhas.

A abrir as hostilidades, percorrerão as ruas da freguesia o Grupo de Bombos Bombrando, o Grupo de Gaiteiros da Freiria e o Grupo de Zés Pereiras e Gigantones Os Amarantinos.

Entretanto, encontram-se já inscritos para o evento os seguites grupos de tocadores de concertina e de cantadores ao desafio:

1-CONCERTINAS E CANTIGAS DO VERDE MINHO

2-SONS DA SERRA DE OLIVEIRA DO HOSPITAL

3-ESCOLA DE CONCERTINAS DA BARRENTA, RICARDO

4-EM ARMÓNICA EDUARDO BONANÇA

5-CASA DO CONCELHO DE PONTE DE LIMA EM LISBOA

6-INTERNACIONAL EM ACORDEÃO, TINO COSTA

7-GRUPO DE CONCERTINAS CASA DO POVO DE CORROIOS

8-GRUPO ETNOGRÁFICO DANÇAS E CANTARES DO MINHO

9-ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA

10-GRUPO DE CONCERTINAS DO RANCHO DANÇAR É VIVER DA BRANDOA

11-CONCERTINAS DO GRUPO NOVO BANCO “BESCLORE”

12-GRUPO DE CONCERTINAS TROIKA Á PORTUGUESA

13-GRUPO DE CONCERTINAS DA LOUSÃ

14-GRUPO DE ACORDEÕES AMIGOS DE FERREL

15-GRUPO DE CONC. CASA DO BENFICA VILA DE REI

16-TEMOS ENTRE NÓS O GRUPOVILA FRIA PORTO SALVO

17-GRUPO DE CONCERTINAS DA SERRA DA SILVEIRA, RAMOS

18-GRUPO DE CONCERTINAS DE CARENQUE

19-GRUPO DE CONCERTINAS AGUIAS VERMELHAS, CH, CAPARICA.

20-JOÃO TOMAZ, ÁS DA CONCERTINA

21- GRUPO, SILVIA MORENA DA CONCERTINA

22-CONCERTINAS DA CASA DO MINHO EM LISBOA

23-GRUPO DE CONCERTINAS SOMOS DO NORTE, JOÃO MOTA

24-GRUPO DE FOLCLORE TERRAS DA NOBREGA

25-CASA DO CONCELHO DOS ARCOS DE VALDVÊZ EM LISBOA

26-ESCOLA DE CONCERTINAS E ACORDEÃO, VASCO LOPES

27-GRUPO DE CONCERTINAS OS RESINEIROS

28-GRUPO DE CONC. CANTE-O-EIRAS

29 -GRUPO DE CONC. ESCOLA FRANCISCO TEIXEIRA

30-JOÃO DA CONCERTINA ESCOLA DO PINTO

31-JOAQUIM GASPAR E AMIGOS

32-GRUPO DE CONCERTINAS ALEGRIA DO MINHO ASSOPRIM

33-GRUPO DE CONCERTINAS ECOS DO BASTO JOSÉ LUIS

34- GRUPO DE CONCERTINAS MALHA NA GAITA, AMADORA

35-GR. DE CONCERTINAS OS DESAFINADOS DO CATUJAL

36-GRUPO DE CONCERTINAS DA RIBEIRA DA LAGE

Aguarda-se ainda a confirmação do famoso Trio Lopes.



publicado por Carlos Gomes às 15:50
link do post | favorito

SEM-ABRIGO DESAFIADOS A FOTOGRAFAR O PORTO RECEBEM AS MÁQUINAS DIA 17 NO DIA MUNDIAL PARA A ERRADICAÇÃO DA POBREZA E DOS SEM-ABRIGO

As 15 pessoas sem-abrigo que aceitaram o repto da Dreambooks para fotografar a cidade do Porto vão receber as suas máquinas fotográficas na próxima segunda-feira, dia 17 de outubro, às 14h30, no Instituto Português de Fotografia.

Os participantes desta iniciativa, inserida no projeto “Portugal, o Melhor Destino”, vão ainda participar num workshop ministrado por formadores do Instituto Português de Fotografia.

Depois disso, terão uma semana para a captação das imagens, finda a qual devolverão as câmaras à organização que, depois do processo de revelação das películas, irá colocar as imagens numa plataforma on-line onde as fotografias mais votadas irão integrar uma exposição no Centro Português de Fotografia.

O objetivo é a recolha de imagens que promovam a cidade do Porto enquanto destino turístico, e a primeira edição conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, Centro Português de Fotografia e Instituto Português de Fotografia, da Fujifilm e do Olhares.

O projeto, que prevê percorrer várias cidades do país, arranca no Porto, sendo que no próximo ano poderá ser Lisboa a recebê-lo.

A organização quer conseguir um olhar diferente sobre as cidades, ao mesmo tempo que promove a integração e valorização dos participantes, assim como a recolha de fundos que irão reverter a favor de instituições com fim social.

Recorde-se que “Portugal, o Melhor Destino” envolveu milhares de fotografias enviadas por portugueses e recebeu o certificado oficial do Guinness do maior álbum fotográfico do mundo. Com 4,5 metros de altura e 8 metros de comprimento por página , incluía 10 mil fotografias que ilustravam todas as regiões de Portugal e várias expressões da portugalidade. O objetivo foi, então, promover Portugal enquanto destino turístico, e contou com Diogo Morgado como embaixador da iniciativ

A Dreambooks é especialista na produção de álbuns digitais, presentes e produtos de decoração personalizados com fotografia.

Desde 2009, é líder do setor em Portugal, tendo uma carteira de mais de 190 mil clientes na vertente consumo, cerca de 40 mil encomendas anuais e estando já presente em mais de mil lojas de fotografia a nível nacional e em várias cadeias de lojas multi-especialistas.

A marca representa cerca de 20% do negócio do grupo LFM Corporate, a que pertence, e conta já com uma forte presença internacional.



publicado por Carlos Gomes às 11:16
link do post | favorito

Terça-feira, 11 de Outubro de 2016
PORTUGUESES SÃO DOS QUE MENOS INVESTEM NO CASAMENTO

Os portugueses são dos mais poupados na hora de casar, não ultrapassando em média os €22.700 com a cerimónia, revela um estudo sobre o casamento que a portuguesa DreambooksPro realizou junto de 700 profissionais de fotografia portugueses, espanhóis, franceses e britânicos.

Casamento_créditos Hélder Couto.jpg

O estudo realizado pela empresa nacional, líder na produção de álbuns fotográficos profissionais, chegou à conclusão que os espanhóis são dos que mais investem na hora de casar, com uma média de gastos que ultrapassa os €24.900, seguidos dos britânicos com €23.700 e dos franceses com pouco mais de €23.400.

Os valores incluem o catering, o aluguer do espaço, a animação e a fotografia.

Dos quatro países em estudo, os franceses são os que preparam a festa com mais antecedência, seguidos dos britânicos, dos portugueses e dos espanhóis.

Assim, 37% dos franceses começa a planear o grande dia mais de um ano antes da data marcada, sendo que apenas 21% dos britânicos o fazem com a mesma antecedência. De entre os portugueses e espanhóis, só 10% optam por organizar a festa a longa distância.

A maioria opta mesmo por fazê-lo com 6 meses a 1 ano de antecedência, com 58% dos portugueses, 73% dos espanhóis, 54% dos britânicos e 43% dos franceses a optarem por este intervalo temporal.

Já em relação à altura do ano preferida para casar o verão é a estação com mais casamentos, com os portugueses a preferirem agosto, os britânicos e os espanhóis a optarem por julho, e os franceses por junho.

Nos quatro países o mês de janeiro recolhe também muitas preferências, ficando sempre em terceiro ou quarto lugar no ranking das opções.

A DreambooksPro é uma marca exclusiva para fotógrafos profissionais, vocacionada para a produção e venda de álbuns digitais e acessórios.

Está presente em vários países, vendendo para todo o mundo, sendo que só em Portugal trabalha com mais de oito mil clientes. Está no Brasil desde 2014, sendo que espera um crescimento de cerca de 120% neste mercado em 2016.

A marca representa cerca de 50% do negócio do grupo LFM Corporate, a que pertence


tags:

publicado por Carlos Gomes às 21:12
link do post | favorito

FIRA D’ANDORRA LA VELLA VAI TER “SABOR” LUSITANO

“A capital do Principado de Andorra, Andorra la Vella, vai acolher nos próximos dias 21, 22 e 23 de Outubro a 38ª edição da “Fira d’Andorra la Vella”, uma feira multissectorial de Andorra e Pirineus, evento que no ano passado recebeu cerca de 70.000 visitantes.

Fira 2015a (1).gif

Este ano a portugalidade estará representada pelo Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ integrada na 6ª Feira de Associações formada por 55 stands de entidades culturais, escolares, de solidariedade e desportivas, entre outras.

O Grupo de Folclore vai dispor, juntamente com as comunidades de Filipinas, Russia, Equador, Perú, entre outros, dum espaço para a promoção e venda de produtos de artesanato e de produtos alimentares destinados ao imenso publico que visita a amostra.
Além do artesanato regional português tem sido um êxito, ano após ano, os tradicionais petiscos portugueses como: bolinhos e pataniscas de bacalhau, rissóis, moelas e fêveras, tudo bem regado com vinho branco ou tinto e que os andorranos e outros apreciam e não arredam pé até acabar com o stock.
No sábado 22 o Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ apresenta em palco a partir das 19 horas, o folclore tradicional do seu repertório como os viras, rusgas e gótas, momento que, como vem sendo tradição, atrai o imenso publico que não quer perder as danças, as cantigas e a riqueza do trajar do Minho.
Este ano 2016 tem sido especial para os elementos do Grupo que celebram no Principado duas décadas de cultura e amizade e tem tido uma intensa atividade cultural e lúdica para celebrar a efemérida destacando o concerto do artista Mike da Gaita, a primeira edição do festival de folclore “Danças do Mundo”, a terceira edição do mercado tradicional “O Feirão” que contou com a presença do Cante Alentejano de Serpa e a digressão a Maiorca no passado mês de Setembro.”

Fira2015 (1).gif

Fira 2015 (1).gif



publicado por Carlos Gomes às 16:57
link do post | favorito

PAN DEFENDE AUTODETERMINAÇÃO DO GÉNERO

Direitos Humanos: PAN quer assegurar a autodeterminação de género

  • Projeto pede afastamento da esfera clínica da legal e privilegia a autodeterminação de género no processo de mudança de sexo e de nome próprio no registo civil
  • Alerta para fragilidades e incongruências da atual Lei da Identidade de Género
  • Situações de estigmatização e discriminação têm vindo a dificultar e até mesmo impossibilitar processos de transição social

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza avança esta semana com uma iniciativa legislativa que pretende assegurar o direito à Autodeterminação de Género. Um gesto tão banal para muitos cidadãos como é o apresentação do documento de identificação continua a ter, em Portugal, uma forte implicação negativa na vida de inúmeras pessoas cuja identidade de género difere do sexo atribuído à nascença, pessoas que continuam a ser estigmatizadas e discriminadas nas mais diversas áreas, nomeadamente no que toca ao acesso a cuidados de saúde competentes, assim como  a bens e serviços, educação e abitação.

Após cinco anos de entrada em vigor da lei nº7/2011 – Lehi da Identidade de Género –, que surgiu com o objetivo de alterar esta realidade, possibilitando em Portugal o procedimento de alteração de sexo e de nome próprio no registo civil, são cada vez mais as associações, ativistas e cidadãos que passaram ou estão a passar por este procedimento e que vêm alertando para as fragilidades e incongruências do diploma.

Na altura da sua aprovação, esta lei foi considerada uma das mais avançadas a nível mundial. No entanto, as evidentes situações de estigmatização e discriminação das pessoas transgénero devido à excessiva burocratização do processo têm vindo a dificultar e até mesmo impossibilitar esta transição, colocando em causa a finalidade do próprio diploma.

Atualmente para se proceder à alteração da identidade de género no documento de identificação é necessário, para além da apresentação de outros documentos, um relatório que comprove o diagnóstico de perturbação de identidade de género, também designada como transexualidade, elaborado por equipa clínica multidisciplinar de sexologia clínica em estabelecimento de saúde público ou privado, nacional ou estrangeiro e o relatório deve ser subscrito pelo menos por um médico e um psicólogo.

Acontece que a restrição da maioridade e o requisito do diagnóstico de “perturbação de identidade de género” têm criado as principais dificuldades no acesso e na concretização deste procedimento: por um lado, tendem a atrasar processos de transição social já em curso em crianças, adolescentes e/ou adultas/os, com todos os desafios pessoais e sociais que isso implica. Por outro, fazem com que o processo fique dependente da avaliação de terceiros, o que tem vindo a criar barreiras desnecessárias a uma decisão individual e consciente de mudança de sexo e de nome próprio no registo civil, colocando em causa a finalidade do próprio diploma e continuando a contribuir para a estigmatização e discriminação das pessoas transgénero, já que não garantem a sua autodeterminação, retirando-lhes a capacidade e o direito de decisão.

Várias entidades por todo o país, nomeadamente associações como a ILGA Portugal, a API – Ação pela Identidade ou a AMPLOS Bring Out – Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual e Identidade de Género têm vindo a reivindicar a criação de nova legislação que retire a obrigatoriedade de apresentação destes diagnósticos e que afaste a esfera clínica da legal, dando prioridade à autodeterminação de género no procedimento de mudança de sexo e de nome próprio no registo civil, tornando-a assim individual e independente de relatórios médicos e/ou de eventuais processos clínicos que venham ou não a surgir na vida destas pessoas, dando ainda ênfase à necessidade de alargar a possibilidade de mudança de sexo e de nome próprio no registo civil a menores, acompanhados pelos seus representantes legais ou pelo Ministério Público.

O PAN considera então urgente respeitar a autodeterminação e a autonomia das pessoas transgénero, eliminando a obrigatoriedade da entrega do relatório que comprove o diagnóstico de perturbação de identidade de género nas conservatórias do registo civil e atribuindo a legitimidade a menores, acompanhados pelos seus representantes legais ou pelo Ministério Público, para requerer judicialmente a alteração do registo civil, que será decidida caso a caso. O partido avança ainda com a proposta de que, caso o requerente tenha filhos, os seus documentos pessoais devem ser atualizados de acordo com as alterações efectuadas pelo progenitor, sejam maiores ou menores de idade.



publicado por Carlos Gomes às 16:48
link do post | favorito

Segunda-feira, 10 de Outubro de 2016
BICHO DO MATO – “A VINGANÇA DO BICHO DO MATO”, ÁLBUM EDITADO A 7 DE OUTUBRO, VAI PASSAR PELAS FNAC’S DE NORTE A SUL DO PAÍS

Bicho do Mato -  “A Vingança do Bicho do Mato”

A(s) História(s):

Se La Fontaine vivesse em Évora no Séc. XXI e, em vez de pena e papel, usasse guitarras clássicas, violas campaniças e bateria, poderia ter escrito – se não sobre o leão e o rato, o menino e a mula ou a lebre e a tartaruga – sobre outros animais bem mais actuais: as novas galinhas dos ovos de ouro, as vacas sagradas de agora, os patos psicopatas, as toupeiras que rastejam na lama e as doninhas perfumadas.

unnamedbicho.jpg

Se o ainda mais longínquo Ésopo dissertava na Grécia Antiga sobre as diferenças entre a cigarra e a formiga, os Bicho do Mato – que ainda assim são cigarras pela música e formigas pelo seu trabalho - escrevem sobre outros insectos e afins, cantando sobre aranhas coxas, moscas sem asas, libelinhas e um raro escorpião amável. E o nosso Bocage – também célebre pelo seu poema satírico “O Corvo e a Raposa”, bem como outras fábulas em verso do mesmo calibre – talvez se revisse nas raposas matreiras do Portugal de agora e nas ratoeiras que fintamos no nosso dia-dia.

O Disco:

“A Vingança do Bicho do Mato” é o primeiro álbum da banda eborense Bicho do Mato, que tem quatro pés: Daniel Catarino (voz, guitarras, baixo, coros, latapau e sonoplastia), Tó Zé Bexiga (viola campaniça, guitarra acústica, teclados e coros), Zé Peps (guitarra acústica, guitarra slide, ukulelé, bandolim e coros) e Daniel Meliço (bateria cocktail), que durante a gravação contaram com a colaboração de Ana Miró (voz e coros) e Pedro Pinto (coros e "trompete de boca"). E as canções que cantam – que toda a gente poderá começar a ouvir no início de Outubro – são fábulas adaptadas à realidade humana, política, social e cultural da primeira metade da segunda década deste século, em Portugal e no Mundo. E estas fábulas encerram uma moral? Talvez sim, talvez não… O melhor mesmo é perguntar-lhes.

A Música:

A música dos Bicho do Mato, essa, não é nenhum bicho de sete cabeças. Mas se acaso as tivesse, seis delas poderiam responder por nomes estrangeiros: Acid Blues, Psychedelic Rock, Grunge, Alt.Country, Heavy-Metal e Garage. Mas a sétima e maior – ou a primeira e a mais pequena, vá-se lá contabilizar – responde pela singela designação de Música Tradicional Portuguesa. Porque, se muitas vezes, é a enciclopédia (incompleta) do imenso universo do rock anglo-saxónico que se ouve, por outras vezes – muitas – é o assomo da nossa tradição musical rural que se ouve aqui e ali e mostra todo o seu esplendor. Seja num tema em que à voz se junta apenas uma viola campaniça, seja noutras ocasiões em que a mesma campaniça, o ukulele-irmão-do-cavaquinho ou o bandolim se intrometem decisivamente no meio dos seus primos eléctricos.

O Padrinho:

Nada disto acontece por acaso. Como também não foi certamente por acaso que o Bicho do Mato nasceu em 2011, quando o realizador e recolector de muitas das nossas músicas Tiago Pereira desafia o músico Tó Zé Bexiga – já seu conhecido de outro grupo que junta os róques à tradição, Uxu Kalhus – a reunir outros músicos de Évora e a gravar alguns temas originais para A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria. Tó Zé (Uxu Kalhus, NMB – No Mazurka Band, Ocarina, Bonecos & Campaniça) chamou à liça Zé Peps (Prós & Contras, Gasgânia, Hands on Approach, Pucarinho, Aqui Há Baile), Daniel Catarino (Uaninauei, O Rijo, Cajado, Long Desert Cowboy, Oceansea e em nome próprio) e Daniel Meliço (Pucarinho, Bandex), e a partir daí, dezenas de canções começaram a jorrar nos ensaios e nos trabalhos de casa… Mas, para já, são treze as que podemos ouvir neste disco.

A Vingança:

O primeiro álbum dos Bicho do Mato, “A Vingança do Bicho do Mato”, é editado a 7 de Outubro pela AVM – Alain Vachier Music Editions, em parceria com a Capote Música.

As Fábulas:

1 – Mãos de Aranha Coxa

2 – A Galinha dos Ovos de Ouro

3 - Vaca Sagrada de Tetas Espremidas

4 – Mosca Sem Asa

5 - Pato Psicopata

6 – Os Ossos no Portão da Cova do Cão

7 – Libelinha

8 – A Toupeira

9 – Doninha Perfumada

10 – Raposa Matreira

11 – A Ratoeira

12 – Escorpião Amável

13 – A Vingança do Bicho do Mato



publicado por Carlos Gomes às 15:14
link do post | favorito

Domingo, 9 de Outubro de 2016
CASA CERVEIRENSE COMEMORA NO SEIXAL 7 ANOS DE EXISTÊNCIA

14454589_1389032431125749_758628095_n (5).jpg



publicado por Carlos Gomes às 00:06
link do post | favorito

Sábado, 8 de Outubro de 2016
MINHOTOS EM LOURES PREPARAM FESTA DE ARROMBA COM DESFOLHADA DO MILHO, TOCADORES DE CONCERTINA E CANTARES AO DESAFIO

LOCALIDADE DE A-DAS-LEBRES VAI SER PEQUENA PARA RECEBER TANTA GENTE!

Grupo Folclórico Verde Minho organiza em A-das-Lebres uma festa que inclui desfolhada do milho, encontro de tocadores de concertina e cantadores ao desafio e fogo-de-artifício. E todos os minhotos que vivem na região de Lisboa vão certamente responder à chamada e demonstrar a sua união.

A adesão não pára de aumentar e, a avaliar pelas inscrições já efetuadas, a organização prevê a participação no evento de mais duzentos e cinquenta tocadores de concertina, o que o torna o maior evento do género realizado na região de Lisboa. De diversas regiões do país, deslocam-se a Loures cerca de 40 grupos que levam consigo as tradições e os cantares das respetivas regiões. Apesar de espaçoso, o local onde o encontro se realiza vai certamente ser exíguo para o numeroso público que ali vai acorrer, o que obrigará a organização a repensar a localização para futuras edições deste evento. Pelas ruas da localidade, o Grupo Bombrando vai rufar os seus bombos e estremecer aquela localidade do concelho de Loures, fazendo o povo sair à rua e aderir à festa.

Cartaz Desfolhada 2016-2 (1) (9).png

A iniciativa é do Grupo Etnográfico Verde Minho e tem lugar no próximo dia 22 de Outubro, a partir das 15 horas. A recriação da desfolhada decorre no terreiro fronteiro às instalações do Grupo União Lebrense, em A-das-Lebres, no concelho de Loures.

Os grupos de zés-pereiras percorrem as ruas da aldeia anunciando a festa com o rufar dos seus bombos. As moças exibem os seus trajes de trabalho característicos. Rapazes e raparigas cuidam de desfolhar o milho à procura da maçaroca… e do “prémio” da conversada!

Não falta o vinho e o petisco oferecido aos trabalhadores que participam no serão. Os trabalhadores da jorna recordam com nostalgia a juventude e a alegria de tempos idos. E, como a festa é minhota, dança-se o vira, a chula e a cana-verde.

Como manda a tradição, não falta sequer a broa de milho e a boa pinga de vinho verde a lembrar costume antigo.

Predominando no Minho a cultura de regadio, é por altura da festa de S. Miguel que ocorre o corte do milho e se seguem as desfolhadas.

Para o minhoto, tudo é pretexto para a festa: o trabalho e a romaria, a religião e a gastronomia. Em todas as ocasiões, o minhoto é alegre, levando sempre desse modo de vencida as agruras da vida, mesmo quando vividas em terras distantes.

Para onde quer que vá, o minhoto leva consigo a alma grandiosa da sua terra e a cor da esperança porque o Minho é verde e o folclore… é Verde Minho!

Remonta há mais de quatro séculos a introdução da cultura do milho no nosso país. A sua cultura foi iniciada no noroeste peninsular onde a região do Minho se insere, tendo com o decorrer do tempo se propagado para outras regiões do país.

A cultura do milho teve origem nas Américas e foi trazida para a Península Ibérica nas naus do navegador Cristóvão Colombo, aliás Salvador Fernandes Zarco, oficialmente ao serviço dos reis de Espanha, secretamente ao serviço do rei D. João II, com o propósito de afastar os reis católicos da rota da Índia, levando-os a celebrar o Tratado de Tordesilhas.

Para além da atuação do Grupo de Bombos Bombrando que percorrerá as ruas da freguesia, encontram-se já inscritos para o evento os seguites grupos de tocadores de concertina e de cantadores ao desafio:

1-CONCERTINAS E CANTIGAS DO VERDE MINHO

2-SONS DA SERRA HOLIVEIRA DO HOSPITAL

3-ESCOLA DE CONCERTINAS DA BARRENTA, RICARDO

4-EM ARMÓNICA EDUARDO BONANÇA

5-GRUPO DE FOLCLORE TERRAS DA NOBREGA

6-INTERNACIONAL EM ACORDEÃO, TINO COSTA

7-GRUPO DE CONCERTINAS CASA DO POVO DE CORROIOS

8-GRUPO DE CONCERTINAS DA RIBEIRA DA LAGE

9-ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA

10-GRUPO DE CONCERTINAS DO RANCHO DANÇAR É VIVER DA BRANDOA

11-GRUPO DE CONCERTINAS ECOS DO BASTO JOSÉ LUIS

12-JOÃO DA CONCERTINA ESCOLA DO PINTO

13-GRUPO DE CONCERTINAS DA LOUSÃ

14-GRUPO DE ACORDEÕES AMIGOS DE FERREL

15-GRUPO DE CONC. CASA DO BENFICA VILA DE REI

16-GRUPO DE CONCERTINAS ALEGRIA DO MINHO ASSOPRIM

17-GRUPO DE CONCERTINAS DA SERRA DA SILVEIRA, RAMOS

18-GRUPO DE CONCERTINAS DE CARENQUE

19-GRUPO DE CONCERTINAS AGUIAS VERMELHAS, CH, CAPARICA.

20-JOÃO TOMAZ, ÁS DA CONCERTINA

21- GRUPO, SILVIA MORENA DA CONCERTINA

22-CONCERTINAS DA CASA DO MINHO EM LISBOA

23-GRUPO DE CONCERTINAS SOMOS DO NORTE, JOÃO MOTA

24-CASA DO CONCELHO DE PONTE DE LIMA EM LISBOA

25-CASA DO CONCELHO DOS ARCOS DE VALDVÊZ EM LISBOA

26-ESCOLA DE CONCERTINAS E ACORDEÃO, VASCO LOPES

27-GRUPO DE CONCERTINAS OS RESINEIROS

28-GRUPO DE CONC. CANTE-O-EIRAS

29 –GRUPO DE CONC. ESCOLA FRANCISCO TEIXEIRA

30-GRUPO DE CONCERTINAS TROIKA Á PORTUGUESA



publicado por Carlos Gomes às 16:22
link do post | favorito

Sexta-feira, 7 de Outubro de 2016
CASA DO MINHO EM LISBOA REALIZA ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA

Encontro de Concertinas 2016 (4).jpg



publicado por Carlos Gomes às 19:04
link do post | favorito

MINHOTOS REALIZAM EM CARNAXIDE SERÃO TEMÁTICO DE FOLCLORE

14500589_707499502735736_3176746120815351494_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 18:59
link do post | favorito

Quinta-feira, 6 de Outubro de 2016
MESQUITA CENTRAL DE LISBOA REALIZA TERTÚLIAS

Lisboa Mesquita (4).JPG

No próximo dia 13 de Outubro, tem início um grupo de jantares tertúlia na Mesquita Central de Lisboa.

Clube de Filosofia Al-Mu'tamid

JANTAR TERTÚLIA

Dia 13 de Outubro (5ª feira) – das 19h00 às 22h30 - Mesquita Central de Lisboa

Debate:

"Citizenship, Dialogue and Peace"

Oradores:

Ismail Serageldin

(Director da Biblioteca de Alexandria, Egipto)

Jorge Sampaio

(Antigo Presidente da República)

Eduardo Lourenço

(Fundação Calouste Gulbenkian)

Apresentação e Moderação:

Joaquim Franco

Mahomed Abed

Paulo Mendes Pinto

Inscrições para este mesmo e-mail

Preço: 12 Euros (Jantar Buffet com um prato vegetariano)

Organização:

Clube de Filosofia Al-Mu'tamid, uma parceria entre:

- Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona

- Comunidade Islâmica de Lisboa (Comissão Social, Cultural e de Formação)



publicado por Carlos Gomes às 20:18
link do post | favorito

NOBAT PARTE Á CONQUISTA DE PORTUGAL

Depois de arrebatar o público e a crítica brasileira chegou finalmente a vez de Nobat se apresentar ao vivo em Portugal! O músico nativo de Belo Horizonte inicia no final de Outubro uma digressão composta por cinco datas.

Nobat_ Flyer Tour Portugal (2).png

“LSD” e “Não Sei Dançar”, os dois singles já extraídos do seu novo trabalho discográfico, “O Novato”, são apenas a porta de entrada para a efervescente realidade alternativa da actual cena musical brasileira. As cidades de Lisboa, Porto, Coimbra e Braga serão o palco para a estreia de Nobat em solo lusitano, tudo através do selo da Music For All.

Conheça as datas e locais da digressão:

27.10 | CRU Espaço Cultural (Braga)

28.10 | Fábrica Braço de Prata (Lisboa)

29.10 | Titanic Sur Mer (Lisboa)

30.10 | FNAC @ Alfragide (Lisboa)

30.10 | Pensão Amor (Lisboa)

Nobat, cantor e compositor de Belo Horizonte, inaugurou o seu projeto musical a solo no ano de 2012, com a edição do álbum “Disco Arranhado”. Depois de se apresentar ao vivo em diversas cidades do Brasil (Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro), o músico avançou para uma nova etapa da sua carreira com a edição de “O Novato”, lançado em Novembro último e considerado pela crítica especializada como um dos melhores trabalhos daquele ano.

“O Novato” representa não só o “ser um novo para o todo”, aquele a ser revelado e descoberto dentro de um contexto já existente, mas também denuncia uma nova percepção acerca de si mesmo e da sua própria órbita artística e estética. O trabalho tem por proposta principal a mescla entre elementos do indie electrónico experimental cruzados com as possibilidades da música brasileira contemporânea, sendo composto por tópicos minimalistas que contribuem pontualmente para uma música que preenche o silêncio, conceito que desfila pelo imaginário do artista.

Desde então Nobat tem captado a atenção da imprensa nacional como o Jornal O Globo Cultural, Scream & Yell, Revista O Grito! ou Rock In Press - isto depois de ter sido considerado em 2014 pela revista Rolling Stone Brasil como a maior “revelação mineira” daquele ano - e de publicações internacionais como a Beehype, a Sound and Colours Magazine ou o português Bodyspace.



publicado por Carlos Gomes às 19:54
link do post | favorito

CASA DO MINHO EM LISBOA REALIZA ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA

Encontro de Concertinas 2016 (4).jpg



publicado por Carlos Gomes às 13:25
link do post | favorito

MINHOTOS REALIZAM EM CARNAXIDE SERÃO TEMÁTICO DE FOLCLORE

14500589_707499502735736_3176746120815351494_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 13:23
link do post | favorito

Quarta-feira, 5 de Outubro de 2016
MINHOTOS RECRIAM DESFOLHADA TRADICIONAL DO MILHO EM LOURES

Centenas de tocadores de concertina vão atuar em A-das-Lebres. A adesão não pára de crescer!

As gentes minhotas radicadas na região de Lisboa recriam a tradicional desfolhada do milho. A iniciativa é do Grupo Etnográfico Verde Minho e tem lugar no próximo dia 22 de Outubro, a partir das 15 horas, no terreiro fronteiro às instalações do Grupo União Lebrense, em A-das-Lebres, no concelho de Loures.

Cartaz Desfolhada 2016-2 (1) (9).png

Os grupos de zés-pereiras percorrem as ruas da aldeia anunciando a festa com o rufar dos seus bombos. As moças exibem os seus trajes de trabalho característicos. Rapazes e raparigas cuidam de desfolhar o milho à procura da maçaroca… e do “prémio” da conversada!

Não falta o vinho e o petisco oferecido aos trabalhadores que participam no serão. Os trabalhadores da jorna recordam com nostalgia a juventude e a alegria de tempos idos. E, como a festa é minhota, dança-se o vira, a chula e a cana-verde.

Como manda a tradição, não falta sequer a broa de milho e a boa pinga de vinho verde a lembrar costume antigo.

Predominando no Minho a cultura de regadio, é por altura da festa de S. Miguel que ocorre o corte do milho e se seguem as desfolhadas.

Para o minhoto, tudo é pretexto para a festa: o trabalho e a romaria, a religião e a gastronomia. Em todas as ocasiões, o minhoto é alegre, levando sempre desse modo de vencida as agruras da vida, mesmo quando vividas em terras distantes.

Para onde quer que vá, o minhoto leva consigo a alma grandiosa da sua terra e a cor da esperança porque o Minho é verde e o folclore… é Verde Minho!

Remonta há mais de quatro séculos a introdução da cultura do milho no nosso país. A sua cultura foi iniciada no noroeste peninsular onde a região do Minho se insere, tendo com o decorrer do tempo se propagado para outras regiões do país.

A cultura do milho teve origem nas Américas e foi trazida para a Península Ibérica nas naus do navegador Cristóvão Colombo, aliás Salvador Fernandes Zarco, oficialmente ao serviço dos reis de Espanha, secretamente ao serviço do rei D. João II, com o propósito de afastar os reis católicos da rota da Índia, levando-os a celebrar o Tratado de Tordesilhas.

Grupos inscritos:

CANTARES AO DESAFIO

GRUPO DE GAITAS, OS GAITEIROS DA FREIRIA

GRUPO DE BOMBOS “BOM-BRAMDO”

ZÉS PEREIRAS E GIGANTONES AMARANTINOS

1-CONCERTINAS E CANTIGAS DO VERDE MINHO

2-SONS DA SERRA HOLIVEIRA DO HOSPITAL

3-ESCOLA DE CONCERTINAS DA BARRENTA, RICARDO

4-EM ARMÓNICA EDUARDO BONANÇA

5- CASA DO CONCELHO DE PONTE DE LIMA EM LISBOA

6-INTERNACIONAL EM ACORDEÃO, TINO COSTA

7-GRUPO DE CONCERTINAS CASA DO POVO DE CORROIOS

8-GRUPO DE CONCERTINAS DA RIBEIRA DA LAGE

9-ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA

10-GRUPO DE CONCERTINAS DO RANCHO DANÇAR É VIVER DA BRANDOA

11-GRUPO DE CONCERTINAS ECOS DO BASTO JOSÉ LUIS

12- GRUPO DE CONCERTINAS TROIKA Á PORTUGUESA

13-GRUPO DE CONCERTINAS DA LOUSÃ

14-GRUPO DE ACORDEÕES AMIGOS DE FERREL

15-GRUPO DE CONC. CASA DO BENFICA VILA DE REI

16-GRUPO DE CONCERTINAS ALEGRIA DO MINHO ASSOPRIM

17-GRUPO DE CONCERTINAS DA SERRA DA SILVEIRA, RAMOS

18-GRUPO DE CONCERTINAS DE CARENQUE

19-GRUPO DE CONCERTINAS AGUIAS VERMELHAS, CH, CAPARICA.

20-JOÃO TOMAZ, ÁS DA CONCERTINA

21- GRUPO, SILVIA MORENA DA CONCERTINA

22-CONCERTINAS DA CASA DO MINHO EM LISBOA

23-GRUPO DE CONCERTINAS SOMOS DO NORTE, JOÃO MOTA

24- GRUPO DE FOLCLORE TERRAS DA NOBREGA

25-CASA DO CONCELHO DOS ARCOS DE VALDVÊZ EM LISBOA

26-ESCOLA DE CONCERTINAS E ACORDEÃO, VASCO LOPES

27-GRUPO DE CONCERTINAS OS RESINEIROS

28-GRUPO DE CONC. CANTE-O-EIRAS

29 –GRUPO DE CONC. ESCOLA FRANCISCO TEIXEIRA

30- JOÃO DA CONCERTINA ESCOLA DO PINTO

31-GR. DE CONCERTINAS OS DESAFINADOS DO CATUJAL



publicado por Carlos Gomes às 20:44
link do post | favorito

REVOLUCIONÁRIOS DA REPÚBLICA DERAM FESTIM NA ROTUNDA

Passam hoje precisamente 106 anos desde a implantação da República em Portugal. Após uma série de escaramuças em diversos pontos da cidade e alguns tiros travados entre um punhado de soldados e meia centena de carbonários entrincheirados na Rotunda e as tropas monárquicas estacionadas no Rossio, o novo regime foi aclamado da varanda dos Paços do Concelho, em Lisboa.

A25800.jpg

 

A imagem mostra o reduzido número de militares e civis que permaneceram no acampamento da Rotunda nos dias da Revolução.

 

Pelo meio, registaram-se numerosos incidentes e equívocos, de entre os quais se salienta a tentativa do embaixador alemão negociar com ambas as forças em confronto, a retirada em segurança do pessoal diplomático, atitude que ao ser avistada uma bandeira branca subindo o que é agora a avenida da Liberdade, foi confundida como uma rendição, o que acabaria precipitando o desfecho dos acontecimentos.

Já em 1640, perante a hesitação do Duque de Bragança em deixar-se aclamar rei pelos conspiradores que restauraram a independência de Portugal face ao domínio espanhol, colocara-se a hipótese de se implantar o regime republicano no nosso país. Porém, foi no Porto, em 31 de Janeiro de 1891, que ocorreu o primeiro movimento revolucionário destinado a implantar o regime republicano, tentativa que resultou em fracasso. O mesmo veio a verificar-se com nova tentativa ocorrida em 28 de Janeiro de 1908, do qual resultou o assassinato do rei do Rei D. Carlos, quatro dias após falhado o golpe.

Nas vésperas do dia aprazado para o desencadear da revolução, afluíram a Lisboa “primos” provenientes dos mais diversos pontos do país para participarem no levantamento. Cortaram as comunicações e as linhas férreas para impedir que as unidades militares na província fossem em socorro das forças leiais à monarquia. No dia 4 de Outubro, algumas localidades como Loures e Aldeia Galega, actual Montijo, proclamaram a República como manobra de diversão. Ainda assim, a revolta republicana foi dada como perdida, tendo inclusive levado ao suicídio de um dos seus principais chefes, o Almirante Cândido dos Reis.

Valeu à República um punhado de soldados e meia centena de carbonários que se entrincheiraram às ordens do Comissário Naval Machado dos Santos. Os políticos aguardavam nos Banhos de São Paulo o sucesso dos acontecimentos para então dirigirem-se aos Paços do Concelho e aí proclamarem a implantação do novo regime que os haveria de alcandorar ao poder.

Uma vez alcançado cessadas as hostilidades, os mais ardorosos combatentes travaram-se de novas e mais suculentas batalhas, atacando alvos mais comestíveis e nutritivos. O acampamento da Rotunda manteve-se por mais cinco dias que foram preenchidos com a realização de um autêntico festim que, a avaliar pelas quantidades de alimentos digeridos, reuniu largas centenas de comensais que, não tendo embora participado directamente nos combates, não quiseram deixar os seus créditos de bravura por mãos alheias.

Desse extraordinário sucesso dá-nos conta a insuspeita revista “Ilustração Portugueza”, na sua edição de 7 de novembro de 1910, sob o curioso título “Subsídios photographicos para a História da Revolução”:

O reducto da Avenida, que foi o verdadeiro baluarte da republica, offereceu aspectos deveras curiosos, mesmo depois de passados os combates. Durante os dias que os soldados e os civis ali se encontraram foi montado um serviço regular de subsistências, confeccionando-se em improvisadas cosinhas, rancho de que partilharam todos os que lá se tinham juntado nos dias da revolta. Na manhã do dia seis foram cozinhadas no acampamento duas mil pescadas em nove fogões de campanha e desde que se estabeleceu o serviço regular até ao dia 10, em que se retiraram os militares e paisanos, consumiu-se dez mil kilos de carne de vacca e quarenta mil kilos de pão, não sendo possível averiguar o numero de pessoas que foram alimentadas durante esse tempo na rotunda que se tornou um logar histórico”.- Não mencionou o cronista quantos litros de vinho regaram tão lauto repasto!

capture1

A confecção do rancho no acampamento da Rotunda. O corneteiro, ao centro, aguardando ordens para tocar para o rancho…

capture2

Os cestos com as duas mil pescadas. Um aspecto da confraternização. À esquerda vê-se um militar agarrado à sua namorada.



publicado por Carlos Gomes às 09:48
link do post | favorito

Terça-feira, 4 de Outubro de 2016
PAN CONCORRE ÀS ELEIÇÕES REGIONAIS DOS AÇORES

Eleições regionais de 2016  – 16 de Outubro. André Silva nos Açores pela representação Parlamentar do PAN no arquipélago

  • 08 e 09 de Outubro - contacto com os cidadãos para despertar consciências para valores sociais, éticos e ecológicos fundamentais
  • Vasto programa por um novo paradigma de relações económico sociais
  • PAN pretende eleger dois deputados, um por São Miguel e outro pelo círculo de compensação

Nos próximos dias 8 e 9 de Outubro o porta-voz e Deputado do PAN – Pessoas-Animais-Natureza na Assembleia da República, André Silva, junta-se ao candidato a Deputado Regional dos Açores e Porta-voz do PAN nos Açores, Pedro Neves, para apoiar a candidatura do partido à eleição dos deputados para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, que acontece no dia 16 de Outubro.

No dia 08 Outubro, pelas 09h00, o Deputado André Silva e o Candidato Pedro Neves, e a comitiva PAN, estarão em Ponta Delgada para um contacto mais próximo com os cidadãos e esclarecimento de dúvidas sobre as bandeiras do PAN, que tem início no Mercado da Graça, passando pelo Largo da Matriz e terminando nas Portas do Mar. O PAN aguarda confirmação de um pedido de reunião com os responsáveis dos cuidados paliativos do Hospital Divino Espírito Santo, pelas 14h00, para aprofundar o debate e a reflexão conjunta de uma matéria tão complexa e sensível como esta.

Pelas 15h30 de Sábado o Deputado André Silva e o Candidato Pedro Neves continuam com a iniciativa de aproximação aos cidadãos na Ribeira Grande, com um percurso por vários locais e passagem pelo Largo da Câmara Municipal e pela praia do areal de Santa Bárbara, entre outros locais. No final do dia o objetivo será promover um encontro e reflexão informal entre os apoiantes locais do PAN num jantar com a equipa.

No Domingo, dia 09 Outubro, pelas 10h00, o PAN pretende visitar uma Quinta de Agricultura Biológica com alojamento local de natureza para fomentar as medidas do partido que incentivam a produção biológica e o consumo local. E pelas 15h00, André Silva e Pedro Neves, dirigem-se ao Centro Comercial Parque Atlântico para continuar com esta campanha de proximidade aos cidadãos que pretende contribuir o mais possível para despertar consciências para valores sociais, éticos e ecológicos fundamentais que pretendem alterar o atual paradigma de produção e consumo ilimitado.

“O modelo de crescimento atual só é rentável na condição de fazer recair o seu peso e o seu preço sobre a natureza, as gerações futuras, a saúde dos consumidores e as condições de trabalho dos assalariados. Não se podem resolver problemas sociais sem repensar os modelos económicos dominantes e a recessão ecológica em que vivemos e estou confiante de que teremos possibilidade de aprofundar estas mudanças, alcançando mais um passo histórico que será representação parlamentar do PAN nos Açores”, explica André Silva, Deputado do PAN.

O programa do PAN para as eleições regionais de 2016 é vasto e inclui medidas que não se limitam a mitigar as questões ligadas ao agravamento das condições de vida dos açorianos, mas que iniciem um novo paradigma de relações económico sociais que devolvam a felicidade e o bem-estar às pessoas, protejam a nossa casa comum – o ecossistema, e dignifiquem moral e juridicamente a vida e a existência dos animais que connosco partilham o planeta.

 "Nestas regionais de 16 de Outubro, estamos confiantes de que conseguiremos eleger dois deputados, um por São Miguel e outro pelo círculo de compensação, que reúne os votos que não permitiram eleger deputados nos restantes círculos do arquipélago", reforça Pedro Neves, cabeça de lista do PAN pelo círculo de São Miguel.

Para mais informações sobre a candidatura e cabeças de lista PAN Açores às regionais de 16 de Outubro consultar o site oficial da campanha aqui:

http://panacores2016.com.pt/



publicado por Carlos Gomes às 21:06
link do post | favorito

Segunda-feira, 3 de Outubro de 2016
INATEL ORGANIZA CONCURSO DE COMPOSIÇÃO PARA ORQUESTRA DE SOPROS

znat (1).jpg

Concurso de Composição para Orquestra de Sopros Fundação Inatel – Banda Sinfónica do Exército 2017

Regulamento

1 - Definição e Objectivos

Com o intuito de fomentar e valorizar a escrita musical para Orquestra de Sopros, foi instituído um concurso de composição para esta formação, através de uma parceria entre a Fundação Inatel e a Banda Sinfónica do Exército, aberto a autores de todas as nacionalidades residentes em Portugal, sem restrições de idades.

2 - Prémios

Ao vencedor será atribuído um prémio monetário no valor de € 2000, bem como a edição e publicação da partitura da obra vencedora, sendo que não serão atribuídos prémios ex-aequo.

No caso de existirem menções honrosas estas serão premiadas com um fim-de-semana para duas pessoas numa unidade hoteleira da Fundação Inatel, à escolha, em época média, e ainda com a edição da partitura. O valor do prémio considera-se como pagamento dos direitos de autor da obra vencedora e de aluguer da partitura e partes instrumentais.

3 - Requisitos Essenciais

3.1. A composição deverá obedecer à instrumentação para Orquestra de Sopros, com a seguinte formação: 1 Flautim, 2 Flautas, 2 Oboés, 1 Corne Inglês (opcional como 2º Oboé), 2 Fagotes, 1 Clarinete Eb, 3 Clarinetes em Bb (cada uma das partes executada por 4 instrumentistas), 1 Clarinete Baixo, 1 Clarinete Alto, 2 Saxofones Alto, 1 Saxofone Soprano, 2 Saxofones Tenor, 1 Saxofone Barítono, 4 Trompas, 5 Trompetes (podem ser divididas em Trompetes, Cornetins e Fliscornes), 2 Trombones, 1 Trombone Baixo, 2 Eufónios, 2 Tubas, Tímpanos, Percussão (5 executantes com o seguinte instrumental: Marimba, Xilofone, Vibrafone, Glockenspiel, Sinos Tubulares, peles e acessórios standard), Violoncelos, Contrabaixos, Piano.

3.2. Cada concorrente deverá apresentar, obrigatoriamente, uma peça de concerto (excluindo peças a solo) com a duração compreendida entre 10 (dez)  e 15 (quinze) minutos.

3.3. A composição a concurso terá de ser inédita, que nunca tenha sido tornada publica por qualquer meio, nem premiada noutro concurso.

3.4 Quaisquer futuras execuções, edição da partitura ou CD da obra vencedora, deverão obrigatoriamente incluir nas notas de programa a menção: Obra vencedora do Concurso de Composição Inatel - Banda do Exército

4 - Entrega da Composição

4.1. A composição deverá ser assinada sob pseudónimo e acompanhada de um envelope fechado e lacrado, contendo a identificação (fotocópia de cartão do cidadão), endereço, contactos telefónicos e e-mail do autor. No exterior desse envelope deverão constar o título da peça e o pseudónimo.

4.2. A composição a concurso deverá ser entregue na Banda Sinfónica do Exército, Regimento de Artilharia Antiaérea nº l, Largo do Palácio 2745-181 Queluz, ou enviada pelo correio para a mesma morada até ao dia 28 de Fevereiro de 2017.

4.3. Deverão ser entregues 3 (três) cópias da partitura geral impressas, uma cópia de cada parte de instrumentista, bem como o respetivo suporte digital da partitura geral, partes em formato pdf e um ficheiro midi da composição.

5 - Condições de Participação

5.1. O Concurso está aberto a todos os compositores nacionais ou estrangeiros, cujas candidaturas obedeçam ao disposto no presente Regulamento.

5.2. A participação no concurso obriga à aceitação de todas as cláusulas deste regulamento.

6 - Nomeação e Funcionamento do Júri

6.1. Para apreciação das obras a concurso, será constituído um júri, composto por 3 (três) elementos, de mérito musical reconhecido:

Chefe de Banda Militar convidado

Professor de composição

Chefe Titular da Banda Sinfónica do Exército.

6.2. O júri fará a seleção de uma máximo 5 (cinco) obras semifinalistas que serão objeto de ensaio a realizar com a Banda Sinfónica do Exército, para a seleção final de um máximo de três obras, que serão presentes a audição final. 

6.3. Não podem ser nomeados para membros do Júri, quaisquer concorrentes.

6.4. O Júri decidirá por unanimidade ou por maioria simples, lavrando em acta a sua decisão.

6.5. O Júri reserva-se o direito de não atribuir o prémio, se a qualidade das obras apresentadas assim o impuser.

6.6. As decisões do Júri são inapeláveis.

7 - Exclusões

As candidaturas que não obedeçam ao disposto nos artigos anteriores serão excluídas.

8 - Divulgação dos Resultados e Entrega de Prémios

8.1. A Fundação Inatel e a Banda Sinfónica do Exército divulgarão os resultados até ao dia 20 de Março de 2017.

8.2. Os prémios serão entregues em sessão pública a realizar para o efeito, em local e data a determinar.

9 - Situações Omissas

Todos os aspectos omissos neste Regulamento serão apreciados e decididos pela Fundação Inatel e pela Banda Sinfónica do Exército de cuja decisão não haverá recurso.



publicado por Carlos Gomes às 23:10
link do post | favorito

PAN MARCA PRESENÇA NO GREENFEST CONSIDERADO O MAIOR EVENTO DE SUSTENTABILIDADE DO PAÍS
  • Centro de Congressos do Estoril - 6 e 9 de Outubro - Economia Circular será tema âncora desta edição
  • Plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências para um futuro melhor
  • Modelos alternativos que permitam inverter a cultura económica e social de produzir e consumir sem ter em conta os limites do planeta: Desperdício Zero

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza vai marcar presença, pela primeira vez, naquele que é considerado o maior evento de sustentabilidade do país. O Greenfest regressa ao Centro de Congressos do Estoril, entre 6 e 9 de Outubro, tendo a economia circular como tema âncora da nona edição.

Banner1_960ÔÇå+ùÔÇå960 (1).jpg

Esta iniciativa pretende celebrar anualmente o que de melhor se faz ao nível da sustentabilidade nas suas três vertentes ambiental, social e económica. O Greenfest posiciona-se como uma plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências envolvendo empresas, autarquias e cidadãos que querem contribuir para um futuro melhor. Encontrar novas soluções para o desafio do crescimento, coesão e integração social, poupando o ambiente e todos os seus recursos naturais é o desafio a que este festival se propõe.

Os objetivos do Greenfest cruzam inteiramente as causas que o PAN assume como prioritárias e pelas quais tem orientado o seu trabalho. É fundamental garantir que os ecossistemas se mantêm em equilíbrio e que a diminuição do uso dos recursos se torne uma realidade a curto prazo.

Neste contexto é imperativo repensar novas formas de Economia que permitam internalizar fatores até hoje têm sido tratados como externalidades negativas – custos ambientais e sociais, como a emissão de gases com efeito de estufa, desregulação climática, destruição de habitats, poluição de aquíferos, contaminação e desertificação do solo, desflorestação, etc.

A política ecológica não pode ser remetida para o longo prazo, ela é a condição de uma mudança profunda. Não se poderá resolver o problema social sem resolver a recessão ecológica que vivemos.

“ É muito estimulante perceber que é possível encontrar uma ética de colaboração, de consensos e de compromissos, públicos e privados, em torno do bem comum. Felicitar o Greenfest e todos os parceiros por esta iniciativa e agradecer a possibilidade de podermos estar presentes e colaborar para estas trocas de aprendizagens e de pontos de vista que só enriquecem o processo de transição para uma economia de energias realmente limpas e renováveis que promova a independência e a eficiência energética, bem como a soberania alimentar dos cidadãos e das nações.”, explica André Silva, Deputado e Porta Voz do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 21:53
link do post | favorito

GRUPOS FOLCLÓRICOS DEVEM DIVULGAR ARTESANATO POPULAR

O folclore constitui a sabedoria popular traduzida nos usos e costumes populares, perpetuados ao longo de gerações por meio da tradição e manifestado nomeadamente através do traje, das danças e cantares, mas também dos contos e lendas, dos jogos e provérbios, da gastronomia e da doçaria, da religiosidade e dos dialectos e ainda do próprio artesanato, porventura a forma de manifestação artística que melhor exprime o talento e nível de desenvolvimento de um povo.

Aos grupos folclóricos, enquanto entidades que possuem como missão conservar e divulgar o património cultural do povo, cabem também promover o artesanato local como uma das manifestações vivas do folclore do nosso povo.

Vem isto a propósito da tendência que actualmente se vem verificando relativamente às características das lembranças que nos tempos mais recentes têm servido para presentear grupos folclóricos e outras entidades que participam ou colaboram na organização de eventos de cariz folclórico.

Trata-se de peças que, pese embora o seu valor artístico, são produzidos em materiais sintéticos na maior parte dos casos, frequentemente em acrílicos, com recurso às novas tecnologias que permitem a impressão e recorte em toda a espécie de materiais, mas que nada têm a ver com o artesanato tradicional, aquele que constitui a criação mais genuína do nosso povo, na latoaria e cestaria, na cerâmica e na tecelagem entre outros.

Sem desprimor para a qualidade e generosidade das lembranças que os ranchos folclóricos geralmente oferecem aos grupos participantes nos seus eventos, seria adequado que procedessem a uma reavaliação dos objectos escolhidos para o efeito e passassem a dar primazia a produtos característicos das regiões que representam, mormente peças do artesanato local, encarando isso como uma forma coerente de promoverem a sua região e o respectivo folclore.



publicado por Carlos Gomes às 15:14
link do post | favorito

CINFANENSES EM LISBOA REALIZAM BAILE DE OUTONO

14556625_920486181418412_5843858428052003230_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 14:01
link do post | favorito

FEIRA INTERNACIONAL DE LISBOA REALIZA FESTA DE NATAL

NATAL É NA FIL de 7 a 11 de Dezembro!

O NATAL É NA FIL é um evento de Natal que inclui o Mercado de Natal, o Mercado Outlet, o Mercado do Chocolate e a FIL Diverlandia.

image001fil (1).png

Um conjunto de iniciativas, com comunicação e layout próprios, que apelam à compra associada ao Espirito Natalício e à experiencia de um conjunto de actividades alusivas à época, prova de algumas iguarias características da época, muita diversão e excelentes prendas para toda a família. Solução para todos os gostos, desde pequenas prendas criativas a produtos de Outlet ou as melhores delícias de chocolate.

A simultaneidade das iniciativas tem como objectivo criar sinergias e atrair à FIL cerca de 40.000 pessoas.

O evento FIL DIVERLÂNDIA – A Sua Feira Popular Indoor, cuja apresentação se anexa, decorre de 7 de Dezembro 2016 a 8 de Janeiro 2017 e acolhe todos os anos cerca de 150.000 visitantes.

Destinado a fabricantes, representantes ou distribuidores de grandes Marcas, o Mercado de Outlet pretende distinguir-se do comércio local pela qualidade versus preços imbatíveis em produtos dos sectores da Moda e Acessórios, Casa, Desporto, Livros, Brinquedos entre outros

O Natal é por excelência uma época de doces iguarias. O Mercado de Chocolate é um espaço de venda a quem não resiste a bom chocolate, bem como para transformar este produto em excelentes prendas de Natal. É também um evento para experimentação, aprendizagem e lúdico através de workshops, exposições…

Uma oportunidade para, num espaço único, transformar os seus produtos em prendas de Natal, independentemente do tipo de produto ou target a que se destina. Um evento multissectorial, alternativo ao comércio tradicional que se deve distinguir pela singularidade e criatividade dos produtos.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 10:51
link do post | favorito

JOGOS DE TABULEIRO POTENCIAM RACIOCÍNIO LÓGICO E TRABALHO DE EQUIPA EM ALUNOS

Os jogos de tabuleiro ajudam a ampliar a memória e a desenvolver o raciocínio lógico em crianças e adultos.

primage_17246 (1).png

Vários estudos comprovam o benefício deste tipo de atividade em jovens em idade escolar, podendo mesmo potenciar o gosto por áreas como a Economia, a Engenharia e as Ciências Naturais.

Ricardo Biscaia, docente e investigador da UPT na área de Economia, salienta ainda o caráter lúdico dos jogos de tabuleiro.

“Está nos genes da criança a necessidade de se divertir de forma descomplexada - algo que nós adultos temos já dificuldade de fazer. No entanto, os jogos de tabuleiro possibilitam esta diversão enquanto fortalecem o raciocínio lógico e criativo da criança, o que certamente trará dividendos ao nível escolar; e enquanto promovem a sua interação com outras crianças e adultos, o que entra em contraciclo com uma era em que temos cada vez mais crianças e jovens adultos incapazes de encontrar diversão e interação social fora do tablet, do telemóvel ou do computador", refere o docente.

Já Pedro Silva, presidente do grupo Boardgamers Porto, realça o desenvolvimento de competências no âmbito da cooperação, do trabalho de equipa e na tomada de decisões.

“Os jogos de tabuleiro funcionam como um ginásio para o cérebro onde, consoante o tipo de jogo, se podem desenvolver diferentes competências. Por exemplo, nos jogos de estratégia desenvolvemos o raciocínio lógico, enquanto que os jogos de personagens potenciam o trabalho de equipa”, salientou o responsável.

No sentido de potenciar o interesse por este tipo de jogos, a Universidade Portucalense acolhe, entre os dias 7 e 9 de outubro, a 10ª edição do InvictaCon.

Este encontro nacional de jogos de tabuleiro, organizado pelo Boardgamers Porto, a decorrer durante sexta-feira e sábado das 10h00 às 02h00 e domingo das 10h00 às 20h00, é destinado a todas as faixas etárias, numa iniciativa que promete divulgar centenas de jogos, desde os de estratégia modernos, passando pelos clássicos e pelos de personagens.

De entrada livre, a participação no InvictaCon pode traduzir-se num momento lúdico, ideal em família ou com os amigos, onde o único requisito será pensar um pouco para divertir-se muito.

No final do evento, o Boardgamers Porto irá doar uma ludoteca a uma instituição de apoio social a crianças.

A Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT) é um estabelecimento de ensino superior cooperativo que iniciou a sua atividade em 1986.

A UPT funciona exclusivamente na cidade do Porto, no pólo Universitário da Asprela, ministrando cursos nas sete áreas seguintes: Direito, Economia, Gestão, Informática, Psicologia, Educação, Turismo e Hospitalidade, Património e Cultura.

board-game-933165 (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:42
link do post | favorito

VITORINO APRESENTA NOVO ESPETÁCULO

"Não sei do que é que se trata, MAS NÃO CONCORDO"

...É o título do novo espectáculo de Vitorino, que será apresentado dia 18 de Novembro, no S. Luiz Teatro Municipal, Lisboa.

Nós então já sabemos bem do que se trata e até concordamos muito: o cantor alentejano comemora 40 anos de carreira discográfica e faz a ponte com novas canções que serão editadas em 2017 num novo disco... E também sabemos que vai haver muitas surpresas e muitos convidados, mas mais não podemos dizer.

Outras novidades muito em breve.

vittt (1).jpg

 


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 09:20
link do post | favorito

Domingo, 2 de Outubro de 2016
AMIGOS DOS CAMINHOS DE FÁTIMA JUNTAM PEREGRINOS EM LISBOA

14352412_1261049957246584_3396622651611925979_o.jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:42
link do post | favorito

MINHOTOS RECRIAM EM LOURES DESFOLHADA DO MILHO

As gentes minhotas radicadas na região de Lisboa recriam a tradicional desfolhada do milho. A iniciativa é do Grupo Etnográfico Verde Minho e tem lugar no próximo dia 22 de Outubro, a partir das 15 horas, no terreiro fronteiro às instalações do Grupo União Lebrense, em A-das-Lebres, no concelho de Loures.

Cartaz Desfolhada 2016-2 (1) (9).png

Os grupos de zés-pereiras percorrem as ruas da aldeia anunciando a festa com o rufar dos seus bombos. As moças exibem os seus trajes de trabalho característicos. Rapazes e raparigas cuidam de desfolhar o milho à procura da maçaroca… e do “prémio” da conversada!

Não falta o vinho e o petisco oferecido aos trabalhadores que participam no serão. Os trabalhadores da jorna recordam com nostalgia a juventude e a alegria de tempos idos. E, como a festa é minhota, dança-se o vira, a chula e a cana-verde.

Como manda a tradição, não falta sequer a broa de milho e a boa pinga de vinho verde a lembrar costume antigo.

Predominando no Minho a cultura de regadio, é por altura da festa de S. Miguel que ocorre o corte do milho e se seguem as desfolhadas.

Para o minhoto, tudo é pretexto para a festa: o trabalho e a romaria, a religião e a gastronomia. Em todas as ocasiões, o minhoto é alegre, levando sempre desse modo de vencida as agruras da vida, mesmo quando vividas em terras distantes.

Para onde quer que vá, o minhoto leva consigo a alma grandiosa da sua terra e a cor da esperança porque o Minho é verde e o folclore… é Verde Minho!

Remonta há mais de quatro séculos a introdução da cultura do milho no nosso país. A sua cultura foi iniciada no noroeste peninsular onde a região do Minho se insere, tendo com o decorrer do tempo se propagado para outras regiões do país.

A cultura do milho teve origem nas Américas e foi trazida para a Península Ibérica nas naus do navegador Cristóvão Colombo, aliás Salvador Fernandes Zarco, oficialmente ao serviço dos reis de Espanha, secretamente ao serviço do rei D. João II, com o propósito de afastar os reis católicos da rota da Índia, levando-os a celebrar o Tratado de Tordesilhas.

Grupos inscritos:

CANTARES AO DESAFIO

GRUPO DE BOMBOS “BOM-BRAMDO”

1-CONCERTINAS E CANTIGAS DO VERDE MINHO

2-SONS DA SERRA HOLIVEIRA DO HOSPITAL

3-ESCOLA DE CONCERTINAS DA BARRENTA, RICARDO

4-EM ARMÓNICA EDUARDO BONANÇA

5-GRUPO DE FOLCLORE TERRAS DA NOBREGA

6-INTERNACIONAL EM ACORDEÃO, TINO COSTA

7-GRUPO DE CONCERTINAS CASA DO POVO DE CORROIOS

8-GRUPO DE CONCERTINAS DA RIBEIRA DA LAGE

9-ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA

10-GRUPO DE CONCERTINAS DO RANCHO DANÇAR É VIVER DA BRANDOA

11-GRUPO DE CONCERTINAS ECOS DO BASTO JOSÉ LUIS

12-JOÃO DA CONCERTINA ESCOLA DO PINTO

13-GRUPO DE CONCERTINAS DA LOUSÃ

14-GRUPO DE ACORDEÕES AMIGOS DE FERREL

15-GRUPO DE CONC. CASA DO BENFICA VILA DE REI

16-GRUPO DE CONCERTINAS ALEGRIA DO MINHO ASSOPRIM

17-GRUPO DE CONCERTINAS DA SERRA DA SILVEIRA, RAMOS

18-GRUPO DE CONCERTINAS DE CARENQUE

19-GRUPO DE CONCERTINAS AGUIAS VERMELHAS, CH, CAPARICA.

20-JOÃO TOMAZ, ÁS DA CONCERTINA

21- GRUPO, SILVIA MORENA DA CONCERTINA

22-CONCERTINAS DA CASA DO MINHO EM LISBOA

23-GRUPO DE CONCERTINAS SOMOS DO NORTE, JOÃO MOTA

24-CASA DO CONCELHO DE PONTE DE LIMA EM LISBOA

25-CASA DO CONCELHO DOS ARCOS DE VALDVÊZ EM LISBOA

26-ESCOLA DE CONCERTINAS E ACORDEÃO, VASCO LOPES

27-GRUPO DE CONCERTINAS OS RESINEIROS

28-GRUPO DE CONC. CANTE-O-EIRAS

29 –GRUPO DE CONC. ESCOLA FRANCISCO TEIXEIRA

30-GRUPO DE CONCERTINAS TROIKA Á PORTUGUESA



publicado por Carlos Gomes às 13:11
link do post | favorito

Sábado, 1 de Outubro de 2016
OEIRAS: GRUPO CULTURAL DE VILA FRIA ORGANIZA ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA

Realizou-se hoje pela primeira vez na freguesia de Porto Salvo um encontro de tocadores de concertina. A iniciativa do Grupo Cultural de Vila Fria e realizou-se nas suas instalações, naquela localidade.

ConcertinasVilaFria 083.JPG

A festa foi um sucesso, tendo registado a participação de perto de duas centenas de tocadores de concertina e outros instrumentos tradicionais que fizeram o acompanhamento. A repetição da iniciativa está já garantida para o próximo ano, valendo-se da experiência acumulada e esperando-se ainda uma maior adesão.

E, como onde há uma concertina está um minhoto, entre os tocadores que aderiram à iniciativa, registou-se a participação massiva de muitos minhotos radicados no concelho de Oeiras e arredores, entre os quais salientamos os grupos de tocadores do Rancho Folclórico Os Minhotos da Ribeira da Lage – Oeiras, O Rancho Folclórico Alegria do Minho – Amadora e o Rancho Folclórico Verde Minho – Loures.

Estes encontros de tocadores vêm revelando-se de grande interesse na medida em que tem popularizado a concertina como instrumento musical popular, incentivando o aparecimento de novos tocadores e colmatando uma lacuna que se vinha verificando ao longo de muitas décadas a nível das tocatas dos ranchos folclóricos.

Uma nota digna de registo é a forma carinhosa como a Grupo Cultural de Vila Fria acolhe os idosos do lar que existe na vizinhança, proporcionando-lhes momentos de alegria, prática que como pudemos apurar é recorrente por parte daquela instituição e merecedora do maior apreço nomeadamente por parte das autarquias locais.

Apenas a lamentar a perda de oportunidade de iniciativas válidas como a que hoje teve lugar e a disponibilidade da entidade organizadora – o Grupo Cultural de Vila Fria – para promover os produtos característicos da região junto dos numerosos visitantes, mormente o delicioso vinho generoso de Carcavelos que, apesar de bastante prestigiado, permanece no desconhecimento da maioria dos portugueses.

ConcertinasVilaFria 004 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 006 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 008 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 011 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 017 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 021 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 023 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 029 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 030 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 040 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 041 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 048 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 051 (1).JPG

ConcertinasVilaFria 059 (1).JPG



publicado por Carlos Gomes às 20:51
link do post | favorito

TOCADORES DE CONCERTINA JUNTAM-SE HOJE EM OEIRAS

14322487_1057783117638634_3471869809646603121_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:33
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

PORTO DE LISBOA APRESENTA...

PROLONGAMENTO ORIENTE / A...

PAN CONSEGUE MAIS DIREITO...

PAN INTEGRA DELEGAÇÕES DO...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PAN ACUSA PSD, CDS E PCP ...

PAN CONSEGUE QUE OS ESTUD...

SINTRA: TERRUGEM RECEBEU ...

ACABOU O PRAZO INTERNUPCI...

PAN GARANTE 1ª VICE-PRESI...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

PAN QUESTIONA MINISTRO SO...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

FOLKLOURES'19 CELEBRA A A...

METRO DE LISBOA ASSINALA ...

PAN QUESTIONA COBRANÇA DE...

TOMAR ESTÁ EM FESTA!

COMUNIDADE MOLDAVA CONFRA...

COMUNIDADE MOLDAVA CONFRA...

SARDINHADA JUNTA TOMARENS...

PAN PROPÕE PROJETO-PILOTO...

PARLAMENTO EUROPEU: PAN E...

FOLKLOURES'19: VEM AÍ A G...

PROF. DOUTORA TERESA SOEI...

FEIRA INTERNACIONAL DO AR...

PROF. DOUTORA TERESA SOEI...

FEIRA INTERNACIONAL DE AR...

METRO DE LISBOA CELEBRA 7...

PAN CELEBRA MÊS ARCO-ÍRIS

PAN QUER QUE GOVERNO APRO...

FIA RECEBE ARTESANATO DE ...

GENTES DE ARGANIL TRAZEM ...

BELAS REALIZA FESTIVAL DE...

FESTA DA AMIZADE JUNTA MI...

SINTRA: BELAS REALIZA FES...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

OEIRAS: PEDREIRA ITALIANA...

CASA DO CONCELHO DE PENAC...

GENTES DE ARGANIL TRAZEM ...

FIA RECEBE ARTESANATO DE ...

COMUNIDADE MOLDOVA CONFRA...

RIO DE MOURO: NEM TUDO É ...

ARTESÃOS DE TODO O MUNDO ...

ARTESÃOS DE TODO O MUNDO ...

FESTA DOS TABULEIROS EM T...

PAN INCENTIVA A UMA MAIOR...

UNIVERSIDADE DE AVEIRO AS...

LOURES PREPARA-SE PARA A ...

RIO DE MOURO: ESTE É O CA...

METRO DE LISBOA PROLONGA ...

arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds