Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Sexta-feira, 10 de Março de 2017
PORTUGAL COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

16730402_1415877805129400_8301267926308102056_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:45
link do post | favorito

MINHOTOS EM LISBOA LEVAM ARRAIAL A BENFICA

Cartaz ARRAIAL 2017.jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:41
link do post | favorito

CASA DO MINHO EM LISBOA REALIZA ALMOÇO DA LAMPREIA

17103676_1462231853810617_7709160420655928622_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:40
link do post | favorito

Quinta-feira, 9 de Março de 2017
“ME BEIJA” – A DOCE E CARINHOSA ODE DE TALMA & GADELHA

Talma & Gadelha são um daqueles projetos que deslumbram qualquer um à primeira audição. Seis membros compõem este coletivo brasileiro, provenientes da região de Natal, que navega nas águas onde a irreverência do rock se encontra com o sentimento do pop e com a alma da MPB.

Talma & Gadelha_Promo.jpg

“Me Beija” é o single que apresenta o mais recente trabalho discográfico de Talma & Gadelha, “Mira” (2015), e serve de apresentação à digressão que realizarão ainda este ano pelos palcos nacionais através do selo da Music For All.

Talma & Gadelha são um projeto brasileiro composto por Luiz Gadelha (voz e baixo), Simona Talma (voz), Adriano Sudário (guitarra), Henrique Rocha (voz e guitarra) e Daniel Garça (bateria).

A sua discografia conhece a primeira referência em 2011 quando é editado o disco “Matando o Amor”. Depois de passarem por inúmeros estados, palcos e festivais um pouco por todo o país dedicam-se, de corpo e alma, ao segundo álbum de originais.

Todo o trabalho e empenho deu, assim, origem a “Maiô”, marcava o calendário a chegada do ano de 2013. Do primeiro para o segundo disco podemos dizer que continuaram a surfar a onda pop onde já estavam mas que começaram, simultaneamente, a acrescentar cada vez mais uma dimensão rock às suas criações. O artwork de “Maiô” foi concretizado por Gustavo Rocha, a produção ficou a cargo do guitarrista da banda, Henrique Geladeira e todas as dez faixas foram disponibilizadas para download gratuito, prova maior do apreço, e da relação, que o colectivo brasileiro construiu com os fãs que tão fielmente os acompanham.

No decorrer da promoção deste segundo disco Simona Talma, vocalista e compositora da banda, participa no reality show brasileiro “The Voice Brasil 2”. Simona classifica-se para a segunda fase do programa e fica na equipa de Carlinhos Brown, nome maior da cena musical brasileira. Posteriormente participou ainda em “Cante Outra Vez”, momento do conhecido programa “Caldeirão do Huck”, ambos da Rede Globo.

Entretanto chegamos a Março…de 2015. É nesta data que a banda brasileira lança o seu terceiro trabalho, intitulado “Mira”. O disco fez parte do projeto Incubadora Dosol 2014/2015 que nesta série de lançamentos teve apoio do Rumos Itaú Cultural. “Mira” é um álbum para os verdadeiros fãs de música pop, tendo sido feito com extremo cuidado e carinho, e conta com a participação de Adriano Sudário em algumas faixas. Luiz Gadelha e Simona Talma criaram um disco coeso, daqueles que requer uma boa companhia e tempo suficiente para o ouvir de um extremo ao outro.

As gravações decorreram no Estúdio Dosol, em Natal, com produção de Henrique Geladeira (guitarrista da banda) Direção Musical em 5 faixas de Cris Botarelli (do projeto Far From Alaska) e Direção Artística de Anderson Foca e Ana Morena (Incubadora Dosol). A mixagem e masterização ficaram a cargo da equipe do Estúdio Costella em São Paulo, liderada Chuck Hipolhito e Paulo Senoni.

Para 2017 está reservada a entrada, de rompante, no mercado português. Tudo começa com o single “Me Beija”, retirado do disco “Mira” (2015), apresentação ao público nacional em jeito de preparação para a digressão que realizarão durante o Verão!


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:40
link do post | favorito

Quarta-feira, 8 de Março de 2017
PEDRO MELO E A PASSAGEM À IDADE ADULTA EM “TIME TO GROW”

Crescer tem que se lhe diga. Dúvidas, temores e responsabilidades que temos que acatar enquanto nos despedimos do mundo que conhecemos. É um sentimento bem repercutido por “Time to Grow”, o novo single de Pedro Melo, delicada composição indie folk que nos traz à memória o cancioneiro de Passenger ou Damien Rice.

Pedro Melo_promo (2).JPG

Depois de “Pete, The Little Giant”, este é já o segundo single retirado de “The Storyteller”, o registo de estreia do cantautor bracarense que já se encontra disponível para escuta nas principais plataformas digitais.

Pedro Melo nasceu a 21 de Dezembro de 1993 em Braga, onde reside até aos dias de hoje. Com o gosto pela música despertado pelos discos dos anos 70 e 80 que escutava em casa, foi já enquanto adolescente, aos 14 de idade, inspirado pelo álbum “Where The Light Is” de John Mayer, que decidiu comprar a sua primeira guitarra clássica, que aprendeu a tocar sozinho. Dois anos mais tarde começaria por acompanhá-la também com a voz, tendo registado as primeiras experiências no YouTube.

Aos 17 formaria a sua primeira banda com outros dois amigos, os Giant’s Magazine, de onde resultaram canções como “Tartarus” e trechos de letras que mais tarde deram origem a faixas como “The Storyteller” ou “The Bourbon Tissue”.

Pouco depois ingressaria na Universidade do Minho onde estudou Engenharia Informática durante dois anos, até que optou por mudar para Economia. Durante esse período, Pedro foi atuando em alguns eventos académicos e expandindo a sua vertente de instrumentista, ao aprender a tocar de forma autónoma banjo, bandolim e ukulele.

Aos 21 de idade, detetado pelos populares covers do seu canal de YouTube, foi convidado a participar na terceira edição do programa The Voice (RTP1) onde, na equipa de Mickael Carreira, enfrentou as “Provas Cegas” e as “Batalhas”, tendo sido eliminado na fase do “Tira Teimas”.

Com a participação no concurso chegaram as primeiras actuações ao vivo em nome próprio: Doçaria História à Mesa, A Toca e a B Concept Store foram alguns dos espaços que acolheram os primeiros originais de Pedro Melo.

Em 2017 edita o seu EP de estreia,“The Storyteller”, com o selo da Music In My Soul.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:12
link do post | favorito

MOITA ESTREIA MOSTRA DE TEATRO COM GRUPOS DO CONCELHO

ContraCena

A primeira edição da Mostra de Teatro do Concelho da Moita – ContraCena – um projeto de parceria entre a Câmara Municipal da Moita e os Grupos de Teatro do Concelho – vai ter lugar, entre 14 e 19 de março, em diversos espaço do concelho, entre os quais, o Fórum Cultural José Manuel Figueiredo.

ContraCena Cartaz.jpg

Dar a conhecer o trabalho desenvolvido pelos Grupos de Teatro e os seus métodos de trabalho, todos diferentes, mas unidos por linhas de gosto pela representação teatral, é o principal intuito da realização desta mostra que se realiza no mês em que se comemora o Dia Mundial do Teatro. Além da mostra de peças de teatro, a ContraCena terá ainda uma dimensão formativa, aberta à participação das escolas.

Com a colaboração dos encenadores Carina Silva, Célia Figueira e Luciano Barata, serão dinamizadas oficinas de teatro, de improviso e aulas abertas, destinadas ao 1º ciclo do Ensino Básico e ao Ensino Secundário. Tendo como denominador comum a experimentação, a criatividade e a partilha de conhecimentos, pretende-se estimular a aproximação ao universo do teatro, potenciando o autoconhecimento e a descoberta do outro, formulando hipóteses e desenvolvendo capacidades de expressão.

A Mostra de Teatro do Concelho da Moita – ContraCena termina a 19 de março, às 17:00h, com a realização de uma mesa redonda dedicada ao tema “O Teatro no Concelho da Moita”, no Café-concerto do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira. 

 

PROGRAMA CONTRACENA – MOSTRA DE TEATRO DA MOITA

 

ESPETÁCULOS

16 DE MARÇO, 21:30H

A FARSA DO PATRÃO

PELO GRUPO DE TEATRO OS ZECAS

Direção e encenação: Luciano Barata

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Destinatários: geral | M/12 anos

Duração: 85 min.

Os Operários, da equipa dos Zecas, vêm apelar à compreensão e solidariedade da população em geral por eventuais prejuízos materiais e morais, ocasionados pela GREVE desencadeada, por nós, no último mês, motivada pelo patrão ter decidido descontar um terço dos salários dos trabalhadores, para aquisição de máquinas a fim de fazer face à concorrência.

O epílogo de todo este processo terá lugar a 21 de janeiro de 2017, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, prevendo-se um desfecho surpreendente e inovador em todos os processos de luta desencadeados em Portugal, pelo que vos aconselhamos vivamente a não perderem este espetáculo teatral.

Esclarecemos, entretanto, que contrariamente ao divulgado nos órgãos de comunicação social (mais na imprensa falada do que escrita), esta greve não é conduzida por dirigentes teatrais instrumentalizados por qualquer partido político e que essa difamação tem por único objetivo difamar-nos e demover-nos da nossa justa luta e manipular a opinião pública.

Exigimos a vossa presença!

A Luta continua!

Encenação Luciano Barata

Interpretação Grupo de teatro “Os Zecas”: Beatriz Bárbaro (Franca e Viúva) | Dora Silvestre (Clara e Amante) | Joana Guerreiro (Giovana e Influente) | Joel Santos (Comissário e Cabo) | Mariana Bárbaro (Eduarda, Médica e Deputada) | Miguel Gomes (Roberto e Prof. Barnard e Deputado) | Pedro Reis (Médico, Operário e Camponês) | Ricardo Fernandes (António e Padre) | Rute Almeida (Ângela e Operária) | Samuel Fitas (Secondo, Guarda e Deputado) | Tiago Caixinha (Grande Milhafre).

 

17 DE MARÇO, 21:30H

AQUILO QUE SOMOS

CRIAÇÃO COLETIVA DE NTOPÉ

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Destinatários: Geral | M/12 anos

Duração: 60 min.

Todos nós viemos de “algum lado” e vamos para “algum lado”.

Não somos apenas o que pensamos ser. Somos muito mais: somos o sítio de onde viemos, somos as nossas lembranças, as nossas viagens, as palavras que trocamos, os enganos que cometemos e que os outros cometem, somos o que fazemos…

Mas somos principalmente a nossa cultura ou não?

“Na verdade, somos aquilo que recordamos e até o que esquecemos. O acervo das nossas memórias torna-nos únicos e irrepetíveis, um ser para o qual não existe outro igual, uma vez que temos uma história única, construída por inúmeras experiências pessoais. As nossas memórias são para nós um tesouro, uma vez que nos faz quem somos. Neste sentido, o conjunto das memórias determina aquilo que chamamos de personalidade.” (Izquierdo, 2002)

E este espetáculo é sobre isso mesmo: as histórias que vivemos, as histórias que nos contaram, as nossas memórias e, sobretudo, a nossa herança cultural.

Direção: Carina Silva | Elenco: Alegria Gomes, Ana Jossim, Daiana Na N’Hada, Geicibel Correia, Jéssica Ribeiro, Joãozinho da Costa, Luís Mucauro, Kyrah Ié, Magali Bonaparte, Rolaisa Embaló e Wilson Teixeira.

 

18 DE MARÇO, 21:30H

TUDO A NU

PELO TEATRO SINGULAR

Grupo de Teatro do Ginásio Atlético Clube

Direção e encenação de Abílio Apolinário

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Destinatários: Geral | M/12 anos

Duração: 45 min.

 

Um diálogo entre duas personagens onde o amor, as recordações, as alegrias e todas as emoções são lembradas e discutidas. 

Um texto belo e emocionalmente forte e trágico. É o poema do nosso dia-a-dia.
Onde a poesia e o texto da peça se integram e formam uma escrita original em que um dos atores é simultaneamente o autor.

Direção e encenação: Abílio Canha Apolinário | Atrizes: Andreia Bernardo; Rita Rocha | Texto: de André Nuno com poemas inseridos de Rita Rocha.

 

19 DE MARÇO, 16:00H

TEATRO

TEMOS DE SER?!

PELO GRUPO DE TEATRO “@S CÓDIGO DE BARRAS”

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Destinatários: Geral | M/8 anos

Duração: 40 a 60 min.

 

Fomos criad@s e moldad@s a não refletir quem somos, pensamos que chegamos ao produto final. Mas ao longo do nosso percurso de vida apercebemo-nos que influenciamos e somos influenciad@s e isso reflecte-se nos nossos comportamentos, pensamentos e ações.

Direção: Inês Lourenço, Kyra Lé, Reginaldo Spínola, Vânia Lopes; | Cenografia e Adereços: Reginaldo Spínola; | Elenco: Inês Lourenço, Kyra Lé, Reginaldo Spinola, Vânia Lopes.

 

BILHETEIRA DO FÓRUM CULTURAL JOSÉ MANUEL FIGUEIREDO

Horário da bilheteira: terça-feira a Sábado, das 14h30 às 19h30 | Telefone: 210 888 900

Morada: Rua José Vicente, 2835-116 Baixa da Banheira

Levantamento de reservas até ao máximo de 1 hora antes do início do espetáculo

Caso a reserva inclua pessoa portadora de mobilidade reduzida (PMR) agradecemos que dê essa indicação aquando da reserva, para uma melhor gestão dos lugares.

Entrada gratuita em todos os espetáculos. Levantamento de bilhetes a partir de dia 1 de Março.

 

FORMAÇÃO

Inscrição prévia pelo telefone

Centro De Experimentação Artística – Telefone: 211 810 030

 

14 MARÇO | 10:00H - 12:00H
BIBLIOTECA MUNICIPAL
BENTO DE JESUS CARAÇA - MOITA
AULA ABERTA UNISEN
Formador: Célia Figueira
Destinatários: 1º Ciclo
Duração: 60 min.
Lotação: 1 turma

 

14 MARÇO | 14:30H - 17:00H
ESCOLA SECUNDÁRIA - MOITA
OFICINA DE TEATRO
Formador: Luciano Barata
Destinatários: Secundário
Duração: 60 min.
Lotação: 1 turma

 

15 MARÇO | 9:30H - 11:00H
ESCOLA SECUNDÁRIA - MOITA
OFICINA DE IMPROVISO
Formador: Célia Figueira
Destinatários: Secundário
Duração: 60 min.
Lotação: 1 turma

 

15 MARÇO | 14:30H
BIBLIOTECA MUNICIPAL
BENTO DE JESUS CARAÇA - MOITA
ENSAIO ABERTO
Formador: Núcleo de Teatro
EB Fragata do Tejo
Destinatários: 2º e 3º Ciclo
Lotação: 1 turma

 

15 MARÇO | 15:00H - 17:00H
CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO
ARTÍSTICA
OFICINA DE TEATRO
Formador: Carina Silva
Destinatários: Secundário/ESBB
Duração: 60 min.
Lotação: 1 turma

17 MARÇO | 9:30H - 12:00H
CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO
ARTÍSTICA
OFICINA DE TEATRO
Formador: Luciano Barata
Destinatários: Secundário/ESBB
Duração: 60 min.
Lotação: 1 turma



publicado por Carlos Gomes às 13:43
link do post | favorito

LISBOA VIVE ARRAIAL MINHOTO

Cartaz ARRAIAL 2017 (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:41
link do post | favorito

ESTÚDIO DE DANÇA DE CARNAXIDE LEVA CIRANDA AO MERCADO DE SANTA CLARA EM LISBOA

Quem disse que os mercados são só para comprar e vender?

No Mercado de Santa Clara também se dança!

Partindo das danças e cantares tradicionais portugueses, levamos ao Mercado um espetáculo que faz uma ponte entre o tradicional e o contemporâneo, entre o popular e o erudito: a Ciranda.

17191332_1828777174038245_1993098416544484637_n (1).jpg

Ciranda é uma dança comunitária, para todas as idades e sem limite de participantes.

Começa com uma roda pequena que vai crescendo, à medida que as pessoas vão entrando, abrindo o círculo e mãos nas mãos com quem já dança.

Simultaneamente, uma orquestra de câmara e músicos convidados interpretam canções tradicionais portuguesas, numa viagem pelo país de lés-a-lés, com paragens no Minho, em Trás-os-Montes, nas Beiras, no Ribatejo e Alentejo.

Cabe Portugal inteiro no Mercado de Santa Clara, um edifício datado de 1877 e situado num terreno que testemunhou momentos decisivos da história de Lisboa. 

Tragam a família, venham cirandar e aproveitem para olhar com outros olhos para um conjunto de edifícios que, num raio de alguns metros, contam inúmeras histórias da cidade.



publicado por Carlos Gomes às 00:41
link do post | favorito

Terça-feira, 7 de Março de 2017
PORTUGAL RECEBE FESTIVAL INTERNACIONAL DE BALONISMO

RUBIS GÁS UP TRAZ 35 BALÕES A CORUCHE 28 MARÇO A 2 ABRIL 2017 CORUCHE, PORTUGAL

Entre os dias 28 de Março e 2 de Abril de 2017, os céus da pacata vila ribatejana de Coruche, em Santarém, vão encher-se de cor e fantasia. É esta a proposta da Rubis Gás, patrocinador principal, e da Windpassenger, empresa organizadora da primeira edição do Rubis Gás UP — Festival Internacional de Balonismo Coruche

primage_18646 (1).png

Com o apoio das instituições locais como a Câmara Municipal de Coruche e o Turismo do Alentejo e Ribatejo, bem como das empresas Paladin, Arroz Cigala, Delta Café, Aero Club de Portugal, TAP Portugal, SACOB Seguros, e da Quercus, o Festival já confirmou 35 equipas oriundas de todo o Mundo, como Brasil, Espanha, França, Alemanha, Luxemburgo, Holanda, Inglaterra e, claro, Portugal.

Se um balão regular já impressiona pela sua imponente dimensão, imagine um céu repleto de figuras invulgares, como balões em forma de mota, dragão marinho, pelicanos, gelados, piratas, garrafas de gás, etc. O céu é o limite da imaginação na hora de criar um balão de formato especial. E nos céus de Coruche vão desfilar alguns dos mais originais e surpreendentes exemplares do Mundo!

Através do website www.rubisgasup.com poderá ainda ajudar a plantar uma árvore nesta região de Portugal e ganhar um voo de balão de ar quente. Ao comprar um sobreiro ou pinheiro, que será plantado no Município de Coruche, recebe uma viagem grátis de balão com duração estimada de 1h/1h30. Parte da receita reverterá a favor da organização ambiental portuguesa QUERCUS, uma ação integrada na política de sustentabilidade do Festival.

Durante o dia de sábado, 1 de abril, será transmitido em direito a partir do recinto do festival, o programa de televisão “AQUI PORTUGAL”, da RTP, entre as 14h30 e as 20h.

Em simultâneo com os passeios de balão, irão realizar-se atividades lúdicas para crianças e toda a família, no Parque do Sorraia, na zona envolvente da Praça de Touros, como uma feira de artesanato, caminhadas, street food para todos os gostos e o espetáculo noturno de luz dos balões com música (Night Glow).

Ao longo deste mês, fique atento aos passatempos na página de Facebook Rubis Gas UP e da Windpassenger e habilite-se a ganhar viagens de balões de ar quente!

Vamos estar na BTL - Visite-nos e pode habilitar-se a ganhar uma viagem de balão para voar no Festival Rubis Gás Up!

WINDPASSENGER | Voar sem Asas

Na Windpassenger amamos o que fazemos. Quantas pessoas poderão dizer que passam o dia a passear pelo céu?

Desde 1987 temos experiência a sobrevoar de balão Portugal, Açores, Madeira, Holanda, Espanha, França, Suíça, Emirados Árabes Unidos, Marrocos e Angola. Criámos a marca Windpassenger para poder partilhar esta sensação incrível de subir em altitude a bordo de um balão de ar quente.

Somos uma empresa com a cabeça nas nuvens e os pés bem assentes no chão. Porque gostamos de ir mais alto e proporcionar os melhores momentos de lazer e diversão. Desde 2004 já voámos mais de 24.000 pessoas com a nossa equipa de pilotos experientes, bem-dispostos e altamente qualificados.

Somos uma empresa portuguesa dedicada em exclusivo ao transporte de passageiros em balão de ar quente, com todos os certificados, seguros e licenças da EASA (European Aviation Safety Agency) e inspecionada anualmente por uma empresa CAMO (Continuing Airworthiness Management Organisation). Tudo para lhe garantir a máxima qualidade e segurança, desde o primeiro momento.

A Windpassenger está habilitada para voar de balão em todo o país, tendo como principais pontos de descolagem:

- Coruche/Ribatejo (sede Windpassenger)

- Lisboa/Vale do Tejo

- Setúbal/Troia

- Montemor-o-Velho/Centro

- Porto/norte

- Alentejo

- Algarve

www.windpassenger.pt



publicado por Carlos Gomes às 22:16
link do post | favorito

ARARUR DESFIAM “NOVELO DE LÔ NO NOVO SINGLE

Após termos sido transportados a “Abril” em pleno Outono, voltamos a acertar as agulhas temporais com “Novelo de Lã”, caloroso manto jazz que crepita lentamente em suave cama de sopros, percussão e voz harmoniosa – eis o novo single dos Ararur, que continua a estabelecê-los enquanto um dos mais singulares e interessantes projectos do panorama português.

15085620_702081096607311_4877398708242188769_n.jpg

Este é já o segundo single retirado de “Mielikki”, o mais recente disco do coletivo - uma encantatória coleção de 8 canções em que o intimismo do jazz se cruza com temas marcados por laivos de música portuguesa e world music, numa pacífica comunhão com as raízes e o universo – já disponível em formato físico com o selo da Music For All.

Após a conclusão do curso na Escola Superior de Música de Lisboa, o guitarrista e compositor António Miguel Silva foi aceite na primeira edição das residências artísticas do Músibéria – Centro Internacional de Músicas e Danças no Mundo Ibérico (Serpa), vendo

 assim o seu CD ser financiado pela União Europeia e pela Câmara de Serpa. Durante os primeiros sete meses de 2013 foram trabalhados os temas e o conceito do grupo a que chamou Ararur.

Para a gravação do CD convidou os seus amigos e antigos colegas de curso: Ângela Maria Santos, cantora com a qual trabalha desde longa data e em quem confia para escrever as letras dos temas, João Capinha nos saxofones, Francisco Brito no contrabaixo e João Rijo na bateria.

A música que criam em conjunto junta melodias com as quais as pessoas se conseguem identificar, letras em português, ambientes e sonoridades da world music e uma liberdade para cada um se exprimir no seu instrumento que nos remete para o jazz e para a música improvisada.

Em 2013 editaram o seu primeiro álbum homónimo, ano em que foram também seleccionados enquanto Jovens Criadores do Ano pelo Clube Português de Artes e Ideias, sendo escolhidos para representar Portugal na VI Bienal de Jovens Criadores da CPLP, em Salvador da Bahia, Brasil. No ano seguinte conquistariam dois prémios no 13th Independent Music Awards, entre eles o de Melhor Álbum de Jazz Vocal, eleito segundo um painel de ilustres figuras ligadas ao mundo do espetáculo e das artes.

Na aurora de 2017 chegou o segundo registo do projeto, “Mielikki” - com inspiração na deusa filandesa da floresta com o mesmo nome - uma encantatória coleção de 8 canções em que o intimismo do jazz se cruza com temas marcados por laivos de música portuguesa e world music, numa pacífica comunhão com as raízes e o universo.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 21:24
link do post | favorito

ORQUESTRA DA ACADEMIA DE ARTES DA MOITA APRESENTA “OS MISERÁVEIS”

Projeto “Os Nossos Autores”

No dia 10 de março, pelas 21:30h, a Orquestra da Academia de Artes da Moita apresenta “Os Miseráveis”, no âmbito do projeto “Os Nossos Autores”, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira. Este espetáculo vai contar com a participação especial do Coro do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

Academia da Moita (1).jpg

“Les Misérables” é um musical francês, composto por Claude-Michel Schönberg, em 1980, com libreto de Alain Boublil e letras de Herbert Kretzmer. É um dos musicais mais famosos e mais encenados pelo mundo. É baseado no romance épico francês “Les Misérables”, de Victor Hugo, e passa-se em França, no início do século XIX. Acompanha as histórias entrelaçadas de um elenco de personagens que lutam por redenção e pela revolução.

“Os Nossos Autores” é o nome do projeto que o Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, estreou no ano passado na sua programação. Valorizar a relação que este equipamento cultural tem com os artistas e os autores locais e destacar o trabalho inovador e original que desenvolvem nas diferentes áreas artísticas, sejam criadores residentes ou com trabalho a decorrer no concelho da Moita, é o grande propósito desta rúbrica de programação.

A entrada é gratuita mediante o levantamento prévio de bilhetes.

RESERVA DE BILHETES

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Rua José Vicente, Baixa da Banheira

Tel. 210888900

Horário da Bilheteira:

De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h

Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão
Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

Compra de bilhetes online:

http://ticketline.sapo.pt

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda



publicado por Carlos Gomes às 21:20
link do post | favorito

FRANCISCO GOIANA DA SILVA É O NOVO CURADOR DO GLOBAL LISBON HUB
  • Comunidade do Fórum Económico Mundial integra jovens que colocam o seu reconhecido potencial de liderança ao serviço da sociedade;
  • Inês Relvas, Afonso Reis Cabral, Vhils, Cristina Fonseca, Miguel Santo Amaro, Rui Maria Pêgo, Miguel Nunes são alguns dos jovens que querem contribuir com projetos com impacto social;

10389489_806087002757081_8713872196219836521_n.jpg

Três anos após a sua fundação, o Global Shapers Lisbon Hub tem uma nova curadoria. Francisco Goiana da Silva assumiu a liderança do grupo de Lisboa, ao tornar-se no novo curador, acompanhado por Inês Relvas, a nova vice-curadora.

Com um vasto currículo na área da medicina e políticas de saúde, o jovem médico de 27 anos trabalhou na Organização Mundial de Saúde, é docente da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade da Beira Interior, na única cadeira obrigatória de Gestão e Liderança para estudantes de medicina, passou pelo Gabinete do Conselho Pontifício para a Paz e Justiça, no Vaticano, e assumiu há um ano a posição de Adjunto do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

Francisco Goiana da Silva assume agora a liderança do Global Shapers Lisbon Hub, um dos vários grupos de jovens espalhados pelo mundo pertencentes à comunidade Global Shapers, criada a partir do Fórum Económico Mundial, que colocam o seu potencial de liderança ao serviço da comunidade, implementando projetos locais com impacto social.

“Durante a minha curadoria, prometo centrar a intervenção do Grupo de Jovens Líderes na área política não partidária, dando voz aos jovens e colmatando uma necessidade social”, afirma Francisco Goiana da Silva. O novo curador pretende ainda “aumentar a intervenção política dos Global Shapers, através da manutenção de um contacto próximo com a Presidência da República e com os diferentes líderes partidários”.

Os Global Shapers de Lisboa são 27 jovens talentosos dedicados a contribuir para a solução de problemas dentro da sua comunidade e região. Este grupo conta com empreendedores, empreendedores sociais, cientistas, docentes universitários, artistas e atletas das mais variadas áreas e sectores.

A Inês Relvas, vice-curadora e consultora na Boston Consulting Group, juntam-se nomes como os de Stephan Morais (fundador do Global Shapers Lisbon Hub e diretor executivo da Caixa Capital); Afonso Reis Cabral (escritor); Alexandre Farto (escultor conhecido por Vhils); Cristina Fonseca (co-fundadora da Talkdesk); Miguel Santo Amaro (co-fundador da Uniplaces); Rui Maria Pêgo (apresentador); Miguel Nunes (Ator).



publicado por Carlos Gomes às 16:42
link do post | favorito

PAN PROPÕE REVISÕES À LEI DO CONTEXTO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
  • Gabinete de atendimento à vítima em todas as esquadras da PSP e da GNR e formação dos agentes de segurança
  • Cruzamento de informação entre os distintos órgãos de polícia criminal
  • Mecanismos específicos para as situações em que o agressor seja agente de segurança

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza debate na próxima sexta-feira um projeto de lei e um projeto de resolução que pedem revisões legislativas no âmbito da violência doméstica, um dos fenómenos criminológicos com maior grau de incidência na sociedade portuguesa, correspondendo a uma realidade transversal a todos os grupos sociais e faixas etárias. De acordo com o Relatório Anual de Segurança Interna de 2015, registaram-se em todo o território nacional, 26783 ocorrências (preocupante média de 73 ocorrências/dia).

projeto de Lei do PAN pretende alterar a Lei n.º 112/2009 de 16 de Setembro relativa ao regime jurídico aplicável à prevenção da violência doméstica e proteção e assistência das suas vítimas e defende a obrigatoriedade de haver um gabinete de atendimento à vítima de violência doméstica em todas as esquadras da PSP e da GNR e que os agentes de segurança que fazem este tipo de atendimento tenham formação específica para o efeito.

O PAN entende que tão ou mais importante que a existência dos gabinetes de atendimento e informação à vítima são as competências direcionadas e específicas do agente que presta o respetivo atendimento – as competências comunicacionais destes profissionais representam um dos aspetos fundamentais na relação empática que deve ser estabelecida com a vítima.

Já o Projeto de Resolução do PAN sobre esta matéria recomenda ao Governo que preveja o redimensionamento de pressupostos na aplicação do regime jurídico aplicável à prevenção da violência doméstica e proteção e assistência das suas vítimas. Ou seja, pretende melhorias específicas no apoio à vitima e que as salas de atendimento devam possuir características específicas, proporcionando condições dignas de atendimento, onde seja garantida tanto a confidencialidade como a segurança, num momento de frágil estado emocional e/ou físico.

O PAN considera também que é necessária a definição de processos de comunicação mais eficientes entre as várias forças de segurança (GNR e PSP), refira-se a necessidade de cruzar informação entre os distintos órgãos de polícia criminal, os quais apresentam plataformas próprias mas incapazes de partilhar estes dados, que pode ser fundamental na análise e consequente resposta aos casos de violência doméstica. Finalmente, o partido pretende ainda a criação de um mecanismo de resposta específico para as situações em que o agressor pertença a um órgão de polícia criminal envolvido no processo de apoio às vítimas.



publicado por Carlos Gomes às 16:29
link do post | favorito

Segunda-feira, 6 de Março de 2017
RANCHO DA BOBADELA REPRESENTA A REGIÃO SALOIA NO FOLKLOURES’17

O Rancho da União Cultural e Folclórica da Bobadela – Loures vai no próximo dia 1 de Julho participar no FolkLoures’17 – Encontro de Culturas, uma grandiosa iniciativa de cariz tradicional organizada pelo Grupo Folclórico Verde Minho em colaboração com a Câmara Municipal de Loures, a ter lugar por ocasião das festas do concelho de Loures. Trata-se de um evento que privilegia o folclore da região saloia e ainda de todo o país e das comunidades que constituem actualmente o mosaico social e cultural da região, contribuindo para a inclusão e a promoção da paz entre os povos através do encontro das suas culturas tradicionais.

969870_209986322489112_234369670_n.jpg

Como não podia deixar de suceder, os usos e costumes das gentes da região saloia em geral e do concelho de Loures em particular não poderiam deixar de estar presentes. As tradições saloias constituem a matriz etnográfica de um concelho que acolheu de braços abertos os minhotos, beirões, transmontanos, alentejanos e as mais variadas gentes de todo o país, dos países de expressão portuguesa e de todo o mundo. Por essa via, Loures tornou-se porventura um dos concelhos mais cosmopolitas do nosso país. Eis a razão pela qual o FolkLoures – Encontro de Culturas adquiriu um novo formato, mais abrangente e inclusivo, inédito no domínio do folclore e da cultura tradicional cujo modelo em breve inspirará outras organizações de eventos semelhantes. Por conseguinte, o Rancho da Bobadela representará na edição deste ano os usos e costumes da região saloia e do concelho de Loures.

48156_158805134273898_1093445292_n.png

O Rancho da União Cultural e Folclórica da Bobadela iniciou a sua actividade etnográfica com as marchas dos santos populares em Junho de 1983.

Nos primeiros anos, este rancho foi uma secção de uma outra colectividade da freguesia até que, a 26 de Fevereiro de 1987, se celebrou a escritura pública que deu corpo à União Cultural e Folclórica da Bobadela, o que o torna mais antigo do que a colectividade a que actualmente pertence.

Localizada na zona oriental do concelho de Loures, a freguesia da Bobadela era banhada pelos rios Tejo (a leste) e Trancão (a sul e a oeste), sendo que este último a separava das freguesias de Unhos (a oeste) e de Sacavém (a sul e sudoeste); a norte e noroeste fazia fronteira com a freguesia de São João da Talha, da qual se desmembrou. Pelo facto da Vila da Bobadela pertencer ao Concelho de Loures, o qual se encontra inserido na zona Saloia, e ainda junto ao Ribatejo e às “portas” de Lisboa, as danças e cantares são o espelho do cruzamento das três zonas acima descritas, bem como das actividades económicas que se viveram por aquelas bandas.

Sendo a etnografia desta zona bastante rica e diversificada, o rancho da Bobadela tem no seu repertório musical bailaricos, fadinhos, viras, valsas e os famosos verde-gaios.

Quanto aos trajes, inicialmente no Rancho da União Cultural e Folclórica da Bobadela, os homens usavam trajes Saloios Domingueiros e as mulheres o traje Usual no Ribatejo. Ou seja, as raparigas usavam saias e lenços vermelhos, camisa e meias brancas, chapéu e cesto de palha. E os rapazes vestiam camisa branca e calças, colete, cinta e barrete preto.

No entanto, no princípio do ano de 1997, a Direcção decidiu iniciar a mudança dos trajes para a representação da etnografia saloia. Esta representação é mantida até hoje e dela se destacam os Trajes de Abastados, Trabalho de Cocheiro, de Lavadeira, de Ceifeira, de Carroceiro, de Aguadeira, de Leiteira e de Campino das Lezírias Saloias.

“O folclore é a tradição e usos populares, constituído pelos costumes e tradições transmitidos de geração em geração. O rancho da Bobadela procura viver e transmitir sempre melhor e de forma feliz essa cultura tão sua.

Além do Rancho da União Cultural e Folclórica da Bobadela – Loures, a edição deste ano do FolkLoures vai contar com a participação do grupo de folclore da Associatia Miorita Portugalia em representação da comunidade moldava radicada no nosso país, a Associação Tira-me da Rua (ATR) – Brasil que apresentará a tradicional dança da capoeira, o Grupo de Danças e Cantares da Madeira, Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba – Alentejo, do Grupo Folclórico O Cancioneiro de Ovar – Beira Litoral e ainda mais uma representação da Estremadura que divulgaremos oportunamente, para além do anfitrião Grupo Folclórico Verde Minho.

Mais do que qualquer outra manifestação de índole cultural e desportiva, é o Folclore a forma de expressão cultural que melhor contribui para a paz entre os povos, no respeito das suas diferenças e identidade.

Cartaz2017Novo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:38
link do post | favorito

DILMA ROUSSEFF REALIZA CONFERÊNCIA EM LISBOA

16939168_1465628033469973_5523022332088589104_n (1).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 21:39
link do post | favorito

FOLKLOURES’17 VIBRA AO RITMO DA CAPOEIRA DO BRASIL

A Associação Tira-me da Rua (ATR) vai no próximo dia 1 de Julho participar no FolkLoures’17 – Encontro de Culturas, uma grandiosa iniciativa de cariz tradicional organizada pelo Grupo Folclórico Verde Minho em colaboração com a Câmara Municipal de Loures, a ter lugar por ocasião das festas do concelho de Loures. Trata-se de um evento que privilegia o folclore da região saloia e ainda de todo o país e das comunidades que constituem actualmente o mosaico social e cultural da região, contribuindo para a inclusão e a promoção da paz entre os povos através do encontro das suas culturas tradicionais.

20160416_145547 (1).jpg

Constituído por brasileiros radicados em Portugal, a Associação Tira-me da Rua (ATR) é quiçá o mais representativo grupo musical a preservar e divulgar uma das mais apreciadas manifestações da cultura tradicional do povo brasileiro – a capoeira!

Logo ATR Capoeira Brasil.png

A capoeira constitui um misto de dança, arte marcial, desporto, música e cultura popular. As suas origens são remotas, calculando-se que tal tradição tenha origem em rituais iniciáticos dos povos do sul de Angola. Em resultado da colonização portuguesa, a capoeira terá a partir do século XVII sido levada para o Brasil onde foi desenvolvida por descendentes de escravos africanos.

Ao som rítmico dos berimbaus, a Associação Tira-me da Rua (ATR) vai mostrar como se canta, dança e luta a capoeira, oferecendo m espectáculo que certamente vai agradar ao público que vai afluir ao FolkLoures’17, incluindo a numerosa comunidade brasileira radicada na região de Lisboa.

14264885_1155472347866155_2807760375958106450_n (1).jpg

Além da Associação Tira-me da Rua (ATR), a edição deste ano do FolkLoures vai contar com a participação do grupo de folclore da Associatia Miorita Portugalia em representação da comunidade moldava radicada no nosso país, Grupo de Danças e Cantares da Madeira, Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba – Alentejo, do Grupo Folclórico O Cancioneiro de Ovar – Beira Litoral e ainda com representações da Estremadura que divulgaremos oportunamente, para além do anfitrião Grupo Folclórico Verde Minho.

Mais do que qualquer outra manifestação de índole cultural e desportiva, é o Folclore a forma de expressão cultural que melhor contribui para a paz entre os povos, no respeito das suas diferenças e identidade.

Cartaz2017Novo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 20:59
link do post | favorito

GOVERNO LANÇA PROGRAMA QUALIFICA

A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS- Aprendências congratula-se com a decisão do XXI Governo Constitucional de lançar a iniciativa de qualificação, o Programa Qualifica, assumida como um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento integrado, social e económico do país.

Em boa hora, o Governo, auscultando os parceiros setoriais e sociais, justamente identificado pela importância da formação e qualificação das pessoas, num contexto de desenvolvimento integrado e sustentado dos territórios, lançou, hoje, o “Programa Qualifica”, simbolicamente anunciado num território vulnerável e do interior profundo, mas no seio de uma estrutura empresarial empreendedora que faz das dificuldades e debilidades deste território, as suas linhas de força e de temperança. Também assim e com a mesma simbologia, a APEFA reclama que se torne possível a definição de uma Política Pública de Educação e Formação de Adultos estrutural, integrada, estável e continuada.

Pese embora a expectativa reconhecidamente positiva e louvável desta iniciativa, e após um período tão sombrio de indiferença e destemperança, de abandonadas pessoas e de recursos do campo de EA, nos últimos anos, a APEFA, hoje, não pode deixar de manifestar o seu desencanto e lamentar a continuidade de uma lógica de mais um programa e assistirmos a mais uma oportunidade perdida de afirmação do campo de Educação de Adultos que, doravante se devia inscrever.

A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS, tal como até aqui, vai prosseguir a sua linha de atuação e missão, no apoio, defesa, estudo e valorização da Educação de Adultos em Portugal, colaborando com todos os atores territoriais e institucionais, numa lógica assumidamente colaborativa e construtiva, plural e abrangente.

unnamedqualiff.png


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:19
link do post | favorito

“AMOR DE ESCOLA” MARCA A ESTREIA D’OS CLÁSSICOS

“Amor de Escola” é título do single de estreia de mais uma aposta nacional da Music For All – Os Clássicos! Este quarteto navega nas inebriantes águas do pop e do rock, cruzando-se também com os movimentos slow-rock e pop/funk, naquela que é uma junção vencedora de talento e arrojo.

Os Clássicos (1).jpg

No ano em que celebram o terceiro aniversário d'Os Clássicos, Edgar Santos, Leandro Martins, José Moreno e Edgar Milhões anunciam o lançamento do primeiro álbum de longa duração, intitulado “Primeiro Acto”.  

Para falar do nascimento do projecto “Os Clássicos” temos de entrar na nossa máquina do tempo e recuar até ao, não muito distante, ano de 2014.

Foi precisamente esse o momento em que Edgar Santos, Edgar Milhões, Leandro Martins e José Moreno deram o derradeiro passo e criaram uma banda. Nessa altura ainda não sabiam mas viriam a chamar-se “Os Clássicos”, escolheriam navegar entre o pop e o rock, mas sempre com um pé no slow-rock e no pop/funk de quando em vez, e marcariam a diferença pela forte interacção com o público em todas as apresentações ao vivo do seu talento.

Mas para compreender na totalidade este fenómeno é necessário colocar a viagem temporal em modo pausa, e dedicarmo-nos por completo à exploração do percurso individual de cada um dos membros da banda.

Comecemos a nossa nova missão pelo compositor, vocalista, guitarrista, baixista, baterista, percussionista, teclista e pianista Edgar Santos. Nasceu em 1993 e desde 1998 que está ligado ao mundo da música. Com a tenra idade de cinco anos entrou para a Musilândia, Escola de Música de Mirandela, desenvolvendo e evoluindo sempre até aos dias de hoje. Em 2012 entra para a ESPROARTE no curso de Percussão, naquele que foi um passo seguro e firme rumo à profissionalização. Foi percussionista da Orquestra Sinfónica, o que o levou a actuar na Casa da Música com o Maestro Pedro Neves, na Orquestra de Sopros, com a qual venceu o concurso Eixo Atlântico, e na Brassband.

Paralelamente foi também guitarrista e vocalista em diversas bandas do nordeste transmontano, tendo ao todo subido a palco mais de 50 vezes! Em Setembro de 2015 rumou ao Algarve para frequentar o curso técnico de Produção Musical, tendo-o concluído com a melhor média do curso: 17 valores! Outra das suas paixões é a representação não sendo, por isso, de estranhar as várias participações enquanto figurante ou o anúncio da estreia, em 2017, de uma curta-metragem por si protagonizada. 

Falemos agora de Edgar Milhões, o baixista d’Os Clássicos! Nasceu em 1997 e sempre foi considerado um músico com talento muito acima de média. Em Setembro de 2012 entra para a ESPROARTE, mais concretamente para o curso de Contrabaixo, o que o leva a, dois anos depois, atingir a orquestra APROARTE e a Jovem Orquestra Portuguesa (JOP). A eterna busca por conhecimento levou-o a participar em diversas master classes com nomes como Alberto Bocini, Yury Aksenov, Manuel Rego, Vladimir Kouznetsov ou Alexandre Storojouk.

2014 seria o ano em que se tornaria Chefe de Naipe da Classe de Contrabaixos da Orquestra Sinfónica ESPROARTE e Segundo Chefe de Naipe da Orquestra APROARTE. Entre 2014 e 2015 integrou a Orquestra Geração Murça/Mirandela, o que o levou a actuar em cidades como São Paulo ou Paris, tendo sido também contrabaixista da JOP em palcos como o CCB, em Lisboa, Bucareste ou Berlim. Actualmente para além de se dedicar ao projecto Os Clássicos é também músico nas Orquestras APROARTE, Jovem Orquestra Portuguesa e Orquestra Clássica Transmontana!

José Moreno, tal como os dois membros acima referidos, tem uma profunda ligação ao mundo da música. Aos cinco anos inicia-se na banda de Vilarandelo, aos doze ingressa na Academia de Artes de Chaves, na classe de percussão, aos catorze entra para a Escola Profissional de Música de Espinho, também na classe de percussão, e aos 16 anos ingressa na ESPROARTE. Integrou a Orquestra de Sopros da Academia de Artes de Chaves e actualmente para além de baterista d'os Clássicos é também Chefe de Naipe de Percussão na BrassBand portuguesa, na Orquestra Clássica Transmontana, e na Escola Profissional de Artes de Mirandela.

O quarto, e último, membro dos clássicos é o Trompetista Leandro Martins. Nasceu em pleno verão de 1999, contudo a sua história com o trompete tem inicio apenas em 2007, ano em que entra para a Banda Marcial de Murça para tocar esse mesmo instrumento. Três anos depois é selecionado para a vaga de violino na Orquestra Geração (actualmente denominada Orquestra Energia) de Murça, através da qual realizou diversas formações e concertos em cidades tão díspares quanto Porto, São Paulo ou Paris. Um ano depois preenche uma das vagas disponíveis na ESPROARTE para trompete, mantendo ainda hoje os estudos com o professor Maciel Matos. Os anos seguintes seriam de grandes desafios musicais: em 2014 é convidado a integrar a DogmaBrassBand e, dois anos depois, à Orquestra Clássica de Trás-os-Montes e Alto-Douro (OCTAD). Provando que o talento não conhece idade Leandro pode hoje em dia ser visto em palco com diversos projectos musicais, sendo o principal a banda Os Clássicos.

2017 é, assim, o ano do maior desafio até agora para Os Clássicos. A banda edita o seu single de estreia, “Amor de Escola”, através da Music For All, estando previsto “Primeiro Acto”, o primeiro álbum da banda para meados do presente ano.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:13
link do post | favorito

“BE DIFFERENT”, O NOVO SINGLE DE DANIEL MOON

Navegar contra a corrente não devia ser tão difícil quanto soa. A normalidade aborrece e a comodidade impede-nos de viver a vida tal como deve ser vivida – sem reservas. É deste sentimento que nasce “Be Different”, canção que integra o EP com o mesmo nome do músico lisboeta Daniel Moon, já disponível em pré-venda em formato digital.

Daniel Moon_promo (2).JPG

A canção, envolta na melhor tradição pop jazz de contemporâneos como Michael Bublé ou Jamie Cullum, serve de segundo single do registo e incita precisamente à proactividade e força intrínseca necessárias à mudança.

A aventura de Daniel Moon no atribulado e exigente mundo da música inicia-se sete anos após o seu nascimento. Foi precisamente com essa tenra idade que começou a ter aulas de piano, um instrumento tão complexo quanto encantador e tão desafiante quanto versátil.

Apenas dois anos mais tarde entra na Escola de Música do Conservatório Nacional, mais concretamente para o 1º Grau. O seu esforço e paixão pela música permitiram-lhe concluir com mérito oito graus, obtendo assim o merecido, e recompensador, diploma.

É neste fase que a Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal entra na sua vida. Durante os dois anos seguintes dedica-se afincadamente ao piano e à voz, perseguindo o objectivo de entrar no Ensino Superior de Jazz. E se até então o objectivo parecia de difícil concretização tudo viria a mudar quando, em pleno ano de 2010, começa a frequentar a Licenciatura de Jazz, na Variante de Piano, na Universidade de Évora. É por entre as arrebatadoras paisagens alentejanas, e o seu característico calor, que conclui com sucesso a referida licenciatura, concretizando assim uma das suas maiores ambições pessoais.

A fase inicial da sua carreira é marcada pela participação em diversos eventos musicais. Do Dia Mundial da Voz a celebrações de matrimónios, de membro de projectos de escola a parte integrante de bandas com os seus próprios originais e até de pianista num hotel a autor de música ambiente para espaços públicos, passou por de tudo um pouco, tornando este num período fervilhante e marcado por uma aprendizagem constante. 

A recta final de 2014 marca o nascimento do seu projecto musical a solo assim como dos primeiros temas originais. O segundo mês do ano seguinte, Fevereiro de seu nome, ficará para sempre associado à gravação das suas primeiras cinco músicas, em quarteto, assim como o penúltimo mês de 2015 foi testemunha da divulgação, e promoção nas plataformas digitais, do seu EP de estreia (sendo de destacar o single “Precious Love” que conquistou mais de cinco mil visualizações no YouTube).

Dito isto chegamos ao presente e à actual fase da sua carreira: este ano assinou contracto com a Music For All e abraçou uma vez mais a composição de temas originais. Os novos temas possuem uma maior diversidade, e riqueza, instrumental e preparam-se para integrar o seu primeiro EP a ser distribuído já no primeiro semestre de 2017.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 19:09
link do post | favorito

PAN RECLAMA MELHORES CONDIÇÕES PARA AS FORÇAS DE SEGURANÇA

PAN pede mais apoio para os estudantes do ensino superior e melhores condições para as Forças e Serviços de Segurança

  • Esclarecimento dos estudantes sobre o processo de atribuição de bolsa para evitar atrasos administrativos
  • Maior celeridade e alteração dos critérios da atribuição de bolsas de estudo e no seu pagamento
  • Um psicólogo em cada comando territorial da GNR e da PSP 

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza debate esta sexta-feira duas iniciativas legislativas. A primeira pretende facilitar o acesso às bolsas de estudo por estudantes do ensino superior para que mais alunos possam aceder a estes apoios e recomenda ao governo o reforço das medidas de apoio aos estudantes do ensino superior, como forma de combate ao abandono escolar.

O PAN recomenda que se promova o esclarecimento dos estudantes sobre o processo de atribuição de bolsa em articulação com as instituições de ensino superior, como os requisitos de acesso, as informações que devem ser prestadas por eles e a documentação a ser entregue, nomeadamente por via de sessões de esclarecimento ou de distribuição de panfletos. Defende ainda que se pondere sobre a criação de mecanismos que permitam aos alunos bolseiros que se candidatem a bolsa de estudos no ano letivo seguinte tenham o apoio automaticamente renovado, desde que se mantenham as mesmas condições, evitando a submissão de nova candidatura e que sejam criados mecanismos que permitam conferir maior celeridade na atribuição de bolsas de estudo e no seu pagamento. O partido pede ainda a alteração do regulamento de atribuição de bolsas de estudo, para permitir o acesso a este apoio aos estudantes inscritos no ciclo de estudos conducente ao grau de Doutor que, encontrando-se em situação de carência ou insuficiência económica, não usufruam de apoios concedidos através de bolsas de investigação.

O projeto pede também que se pondere sobre a alteração dos critérios de atribuição de bolsas de estudo, nomeadamente os respeitantes ao rendimento do agregado familiar e ao valor do património imobiliário, por forma a permitir o acesso a mais estudantes em situação de carência económica. Para permitir uma atribuição mais rigorosa de bolsas de estudo, recomenda que se proceda ao reforço da fiscalização dos serviços de ação social, nomeadamente pelo reforço de meios humanos, por forma a contribuir para a diminuição das situações de fraude, garantindo que o acesso a estes apoios se destina apenas àqueles que dele verdadeiramente precisam.

A segunda inicitiva recomenda ao governo que promova a melhoria das condições de saúde mental, em ambiente laboral, nas Forças e Serviços de Segurança, criando um programa de promoção da resiliência psicológica dos operacionais. Os profissionais das forças e serviços de segurança estão sujeitos a situações de elevado stress o que pode provocar depressões, ansiedade e até levar ao suicídio. É necessário que estes profissionais sejam devidamente acompanhados por psicólogos para prevenir estas situações. Para além de um acompanhamento constante estes profissionais deveriam ser dotados a priori de ferramentas que lhes permitissem lidar com as situações de stress que vivenciam no dia-a-dia.

O PAN recomenda, então, que se proceda ao levantamento do número de psicólogos que fazem o acompanhamento dos profissionais das forças e serviços de segurança, que se pondere o reforço do número de psicólogos para acompanhamento dos profissionais das forças e serviços de segurança, distribuindo-os por todo o território nacional, por forma a tornar os seus serviços acessíveis a todos os profissionais.

No que diz respeito à Guarda Nacional Republicana e à Polícia de Segurança Pública, o partido recomenda que se pondere o reforço do número de psicólogos para acompanhamento daqueles operacionais, para que cada comando territorial disponha de pelo menos um psicólogo. A criação de um programa de promoção da resiliência psicológica dos operacionais das forças e serviços de segurança, permitirá dotar os profissionais de ferramentas que lhes permitam aprender a lidar com situações de stress, diminuindo os riscos psicossociais e consequências ao nível da saúde ocupacional, como as baixas por doença profissional, absentismo e suicídio, aumentando a produtividade no cumprimento da missão e melhorando as condições de trabalho.



publicado por Carlos Gomes às 13:39
link do post | favorito

MOLDÁVIA DANÇA NO FOLKLOURES'17

O Grupo de Folclore da Associatia Miorita Portugalia vai no próximo dia 1 de Julho participar no FolkLoures’17 – Encontro de Culturas, uma grandiosa iniciativa de cariz tradicional organizada pelo Grupo Folclórico Verde Minho em colaboração com a Câmara Municipal de Loures, a ter lugar por ocasião das festas do concelho de Loures. Trata-se de um evento que privilegia o folclore da região saloia e ainda de todo o país e das comunidades que constituem actualmente o mosaico social e cultural da região, contribuindo para a inclusão e a promoção da paz entre os povos através do encontro das suas culturas tradicionais.

12540961_136845383358170_7679897381605889880_n (2).jpg

Formado por moldavos e seus descendentes imigrados no nosso país, a Associatia Miorita Portugalia está sediada no Barreiro e representa os usos e costumes tradicionais das gentes da Moldávia.

Situada na Europa oriental, a Moldávia possui fronteiras com a Ucrânia e a Roménia. No século XV, a Moldávia – oficialmente República Moldova – ocupou toda a região da Bessarabia, Moldávia Ocidental e Bucovina, constituindo à época uma importante potência regional.

Em consequência da sua história atribulada que incluiu o período feudal, o Tratado de Bucareste em 1812 que retalhou o seu território, submetendo a Bessarabia à Rússia e, mais tarde, a independência da Roménia e a sua unificação com a Moldávia Ocidental, é actualmente controversa a definição de identidade étnica e linguística entre moldavos e romenos.

16117528_358245924551447_773916443_n (1).jpg

Além do grupo de folclore da Associatia Miorita Portugalia em representação da comunidade moldava radicada no nosso país, a edição deste ano do FolkLoures vai contar com a participação do Grupo de Danças e Cantares da Madeira, Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba – Alentejo, do Grupo Folclórico O Cancioneiro de Ovar – Beira Litoral e ainda com representações da Estremadura e Brasil que divulgaremos oportunamente, para além do anfitrião Grupo Folclórico Verde Minho.

Mais do que qualquer outra manifestação de índole cultural e desportiva, é o Folclore a forma de expressão cultural que melhor contribui para a paz entre os povos, no respeito das suas diferenças e identidade.

Cartaz2017Novo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:58
link do post | favorito

MADEIRENSES LEVAM O BAILINHO AO FOLKLOURES’17

O Grupo de Danças e Cantares da Madeira vai no próximo dia 1 de Julho participar no FolkLoures’17 – Encontro de Culturas, uma grandiosa iniciativa de cariz tradicional organizada pelo Grupo Folclórico Verde Minho em colaboração com a Câmara Municipal de Loures, a ter lugar por ocasião das festas do concelho de Loures. Trata-se de um evento que privilegia o folclore da região saloia e ainda de todo o país e das comunidades que constituem actualmente o mosaico social e cultural da região, contribuindo para a inclusão e a promoção da paz entre os povos através do encontro das suas culturas tradicionais.

15669943_kl80v (1).jpeg

Constituído há mais de três décadas por madeirenses radicados na região de Lisboa, este grupo folclórico está sediado no vizinho concelho da Amadora e é o único que no continente representa os usos e costumes tradicionais das gentes do Arquipélago da Madeira, actualmente constituída como Região Autónoma.

Além do Grupo de Danças e Cantares da Madeira, a edição deste ano do FolkLoures vai contar com a participação do Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba – Alentejo, do Grupo Folclórico O Cancioneiro de Ovar – Beira Litoral e ainda com representações da Estremadura, Brasil e Moldávia que divulgaremos oportunamente, para além do anfitrião Grupo Folclórico Verde Minho.

Cartaz2017Novo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:45
link do post | favorito

CANCIONEIRO DE OVAR LEVA AO FOLKLOURES’17 TRADIÇÕES DAS GENTES VAREIRAS DE OVAR

O Grupo Folclórico “Cancioneiro de Ovar” vai no próximo dia 1 de Julho participar no FolkLoures’17 – Encontro de Culturas, uma grandiosa iniciativa de cariz tradicional organizada pelo Grupo Folclórico Verde Minho em colaboração com a Câmara Municipal de Loures, a ter lugar por ocasião das festas do concelho de Loures. Trata-se de um evento que privilegia o folclore da região saloia e ainda de todo o país e das comunidades que constituem actualmente o mosaico social e cultural da região, contribuindo para a inclusão e a promoção da paz entre os povos através do encontro das suas culturas tradicionais.

15966232_1346712782048002_1373540090048415406_n (2).jpg

De Ovar e ainda de toda a região vareira que inclui nomeadamente Estarreja e Murtosa vieram para Lisboa as graciosas peixeiras ovarinas cujo gentílico acabaria por dar origem ao termo varina. Fixadas nos bairros mais típicos da capital, sobretudo na Madragoa, as gentes daquela região vão afluir a Loures para aplaudir o Grupo Folclórico “Cancioneiro de Ovar”.

Este grupo folclórico representa uma zona essencialmente rural, sendo possuidor de um apreciável número de danças e cantares que, ao mesmo tempo, alegravam os duros trabalhos do campo e que agora, procuramos transmitir o mais fiel possível, aos jovens de hoje.

Os trajes que apresenta nas suas actuações, eram usados na região de trabalho em geral e alguns de festa, em particular, remontando a sua época entre 1830 e 1920.

Tem a sua sede, na Associação Cultural e Atlética de Guilhovai a qual lhe deu origem e, por isso, é parte integrante, cujas instalações se situam na Vila de S. João do Concelho de Ovar.

1011304_571855422867079_560564853_n (1).jpg

O  “Cancioneiro de Ovar” tem participado em festivais Nacionais e Internacionais de Folclore, bem como em festas e romarias. Organiza o seu próprio Festival de Folclore todos os anos, conjuntamente com outros dois grupos, no âmbito do grupo de acções culturais e tradicionais de Ovar e vem organizando o Festival Pró-emigrante na avenida do Furadouro.

O Grupo Folclórico “Cancioneiro de Ovar” foi inaugurado em Agosto de 1979 e está filiado na Federação do Folclore Português e no INATEL.

Cartaz2017Novo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:14
link do post | favorito

MUSEU BORDALO PINHEIRO CONTA A HISTÓRIA DA ARTE MUNDIAL ATRAVÉS DA CARICATURA

Pense bem: já imaginou o tecto de uma biblioteca com a representação de 1.695 personalidades da História da Arte Mundial?

Foi o que o caricaturista Rui Pimentel fez para a sua casa e que agora apresenta aqui no Museu Bordalo Pinheiro, na exposição Uma História da Arte Mundial.

Irene Flunser Pimentel, historiadora, Osvaldo Macedo de Sousa, historiador do humor e o próprio Rui Pimentel vão sentar-se a conversar sobre esta exposição e a interpretar a razão de ser desta escolha tão pessoal e a forma como as personagens foram representadas.

Caricatura, História e Iconografia são assim os temas que vão iniciar a conversa, que se adivinha animada !

Na próxima 2a feira, dia 6 de Março, às 18.30

image007bordalllo.jpg



publicado por Carlos Gomes às 00:27
link do post | favorito

Domingo, 5 de Março de 2017
OEIRAS: RIBEIRA DA LAGE ACOLHE ENCONTRO DE TRADIÇÕES

A localidade da Ribeira da Lage, no concelho de Oeiras, foi hoje palco do I Encontro de Tradições, numa iniciativa organizada pelo Rancho Folclórico Os Minhotos da Ribeira da Lage – Oeiras e que contou com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras e da Junta de Freguesia de Porto Salvo.

lage5.bmp

A iniciativa teve lugar no Centro Cultural da Ribeira da Lage e atraiu largas centenas de pessoas que, durante toda a tarde, puderam assistir à reconstituição de diversos quadros etnográficos como a debulha do milho e a realização de uma procissão religiosa. Com os bombos abrindo caminho ao andor de Nossa Senhora da Conceição.

O eventou contou com a participação do Rancho Folclório de São João Batista de Cavez – Cabeceiras de Basto, o Rancho Folclórico Alegria do Minho – Assorpim, da Amadora, o Rancho Folclórico de Vila Facaia – Leiria e o Rancho Folclórico Cultural Danças e Cantares da Região do Forninho – Palmela, além naturalmente do anfitrião Rancho Folclórico Os Minhotos da Ribeira da Lage – Oeiras que, de dia para dia, tem vindo a surpreender com as sucessivas melhorias na sua forma de se apresentar e no arrojo das iniciativas que organiza.

O numeroso público que afluiu à Ribeira da Lage viveu hoje uma jornada de cultura popular tradicional num ambiente fraterno, rodeado da simpatia e alegria que muito bem caracteriza as gentes do Minho.

lage1.bmp

lage4.bmp

lage3.bmp

lage2.bmp

lage7.bmp

lage6.bmp

lage8.bmp

lage9.bmp

lage10.bmp

lage11.bmp

lage12.bmp

lage13.bmp



publicado por Carlos Gomes às 23:15
link do post | favorito

RIBEIRA DA LAGE ESTÁ EM FESTA!

siteriblaje (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 09:45
link do post | favorito

Sábado, 4 de Março de 2017
O QUE É UMA CASA REGIONAL?

Em Portugal, uma “casa regional” é – ou deveria ser! – uma associação de carácter regionalista constituída com o propósito de congregar os indivíduos de alguma forma ligados à sua região com vista a promover os laços de solidariedade entre si e contribuir para o apoio e a divulgação das potencialidades económicas, culturais, sociais e turísticas da região que se propõe representar, seja ela uma província, um concelho ou simplesmente uma freguesia.

578087_442609552486230_1187675705_n

Fundada em 23 de Setembro de 1905 com a designação de “Clube Transmontano”, a Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro é a mais antiga associação regionalista constituída em Lisboa. Desde então, outras foram sucessivamente surgindo, a maior parte das quais adotando a denominação de “grémio” que, mais tarde, sob a égide do Estado Novo, vieram a alterá-la para a designação de “Casa”. Tal verificou-se indistintamente com associações de âmbito provincial, de comarca ou simplesmente de concelho.

Porém, apesar das semelhanças que possuem relativamente às outrora designadas “sociedades recreativas” ou seja, as coletividades de cultura, desporto e recreio surgidas sobretudo nos bairros operários como uma forma de intervenção da Maçonaria e dos partidos republicanos junto das classes populares, as casas regionais são um tipo de associações distintas daquelas, quer no que respeita à sua génese como à sua organização e à atividade que devem desenvolver.

Os estatutos de uma casa regional asseguram a sua manutenção e orientação nas mãos de pessoas ligadas à sua região, a começar pelos seus próprios naturais, sob pena de descaracterizar-se e ver alienadas as suas finalidades. É por essa razão que todas as associações regionalistas sem exceção, estabelecem nos seus estatutos a categoria de sócio auxiliar, sem direito a eleger, ser eleito ou tomar parte ativa nas decisões que à respetiva casa regional dizem respeito. E, quando assim não procedem, apenas se limitam a entregar os destinos da associação a estranhos e, a prazo, vê-la condenada à falência… ou à usurpação!

Sucede que, existem pessoas que se ligam às casas regionais por outros interesses estranhos às mesmas e às regiões que dizem representar, dirigindo os seus destinos sem um mínimo de entendimento. E essa situação possui efeitos nefastos que se traduzem na descaracterização completa de uma casa regional: a promoção dos interesses da região cedem lugar a espetáculos de entretenimento mais próprios de um mero clube de bairro, almoços com especialidades estrangeiras e campeonatos de sueca e dominó para animação das tabernas, muitas das quais concessionadas e a funcionar em concorrência desleal com o comércio de restauração.

Apesar da sua inutilidade, as câmaras municipais das respetivas regiões são muitas vezes chamadas a financiar a sua existência, o mesmo é dizer, desperdiçar o dinheiro dos contribuintes como se, nos respetivos concelhos não existissem necessidades a suprir e projetos válidos cujo apoio é mais merecido. Não faz qualquer sentido esbanjar dinheiros públicos para um punhado de pândegos fazerem uma matança do porco e beberem uns copos… que o façam à sua custa!

À semelhança de qualquer outra entidade, as casas regionais não constituem um fim em si mesmo mas um meio de melhorar o ser humano e contribuir para algo de interesse para a comunidade. Apesar de felizmente existirem bons exemplos de dedicação regionalista, não é lamentavelmente o caso de algumas casas regionais que, de regionalistas, só têm o nome que ostentam e mais não serve do que para encobrir uma existência inútil, dando mau nome à própria região que diz representar.

- É tempo de separar o trigo do joio!

Carlos Gomes

img293



publicado por Carlos Gomes às 20:29
link do post | favorito

ROTARY CLUBE DE LOURES ORGANIZA SESSÃO DE FADOS

16729462_1242891482468428_4799523143732397841_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 19:27
link do post | favorito

Sexta-feira, 3 de Março de 2017
TOCADORES DE CONCERTINA MARCAM ENCONTRO NA CASA DA COMARCA DE ARGANIL

16265276_1716252182023022_4888488633013136946_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:24
link do post | favorito

THE OAFS ATUA EM LISBOA

The Oafs formaram-se em 2013 em Vila Franca, Viana do Castelo, como resultado de uma combinação de diversos gostos musicais. Assumem-se como uma banda Indie e Folk, através de 4 vozes e instrumentos como o clarinete, percussão, baixo e guitarra.

TheOafs_cartaz.jpg

 

“Oaf” caracteriza uma pessoa desajeitada. Com esta descrição o quarteto pretende apelar à face mais descontraída de cada pessoa, a face que permite que esta se liberte e aproveite a sua música.

Em finais de 2016 editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos de The Oafs.

The Oafs são: Eva Gomes: voz, guitarra e percussão João Dias: guitarra e vozes Afonso Carvalho: clarinete, percussão, vozes Raul Carvalho: baixo e vozes



publicado por Carlos Gomes às 20:44
link do post | favorito

HILTON BARCELOS – NOVO SINGLE, E DIGRESSÃO NACIONAL, EM 2017

Hilton Barcelos espalha talento, letras açucaradas e ritmos quentes pelos palcos brasileiros desde os anos 70 e este é o ano em que o público português também vai ter oportunidade de presenciar tamanha alegria de viver.

Hilton_Barcelos_Promo.JPG

A preparar uma digressão nacional, que acontece no próximo verão com o selo da Music For All, Hilton Barcelos dá-se a conhecer aos portugueses com o single “Brasileiro”. Este supremo pedaço de MPB é apenas a porta de entrada para uma longa discografia que faz dançar mas também pensar e refletir, através dos seus temas sociais e espirituais.

Hilton Barcelos é um compositor, poeta e intérprete brasileiro que se revela um músico e produtor instigante e moderno. As suas influências vão da Soul Music ao Rock Progressivo, passando pelos ritmos orientais, Bossa Nova, Jazz, World Music e a Música Popular Brasileira, algo que o torna um homem do mundo e que leva a sua música ainda mais longe.

Nas suas criações encontraremos temas sociais, espirituais e as paixões humanas, chegando assim às mentes, e aos corações, de quem ouve.

O seu percurso é longo e rico, tendo inúmeros feitos e notas dignas de destaque. Estreou-se no mundo da música em 1976, mas foi apenas em 1982 que lançou o seu primeiro álbum, “Confissões de um Retrato Falado”. Cinco anos mais tarde integra o “Projecto Pixinguinha” e participa em concertos desde o Rio de Janeiro ao Nordeste do Brasil.

O próximo capítulo da sua carreira tem início em 1990, com o lançamento do LP “Arquétipos”. Aí mostra uma sonoridade moderna e intemporal, surpreendendo tudo e todos. Sete anos depois produz o livro “Nas Águas do Verbo”, onde é possível encontrar poesia e monólogos.

O seu terceiro lançamento acontece em 1998, data em que edita o álbum “Olhos de Luz” onde contou com a participação de grandes instrumentistas brasileiros. Um ano depois volta á literatura ao ser o responsável pela direção artística e produção do livro de poemas “Palavras de Fogo”, de Lyra Barcelos.

A partir de 2002 começa a fase mais intensa do seu percurso. Em 2002 revisita o disco “Arquétipos”, reeditando-o e adicionando-lhe alguns temas inéditos assim como a participação com artistas de renome internacional. Em 2006 idealiza e produz o songbook “Música Feira no Paraná”, contendo 100 partituras, letras e biografias de mais de sessenta compositores. Apenas um ano depois edita um novo songbook, “Além das Pérolas”, onde podemos encontrar partituras, letras de músicas, poemas e parte do seu próprio material artístico. O ano de 2009 traz consigo um terceiro songbook, “Nas Trilhas do Tempo”, com partituras, poemas e letras próprias e o de 2010 uma a coletânea “In the Paths of Time”, através do selo alemão Boodsugar Records.

Em 2011 vê três temas seus, “Hombre Niño”, “Piraquara” e “Soplo de Amor”, todos gravados em parceria com Carlitos Ayala (Doc Ayala), serem apresentadas em espetáculos no Paraguai e noutros países da América Latina, naquela que é uma consagração do seu talento e percurso artístico.

E assim, como que num sopro de vida, chegamos ao presente. Chegamos ao momento em que Hilton trabalha e compõe temas inéditos que, muito em breve serão editados, e onde dá o derradeiro passo de afirmação no continente europeu.

Embora tenha estado ao longo dos anos por diversas vezes na Europa, e por cá tenha divulgado a sua obra através de parcerias e espetáculos, este é o momento em que mais se dará a conhecer ao público português. Para tal está previsto o lançamento de um single, “Brasileiro”, e uma digressão que o trará aos palcos nacionais. É caso para dizer: 2017 é um ano que promete, que o diga Hilton Barcelos!


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:36
link do post | favorito

FENÓMENO ESPANHOL SWEET CALIFORNIA CHEGA A PORTUGAL COM “GOOD LIFE”

São o maior fenómeno ibérico da actualidade e prometem continuar a disseminar o girl power cada vez mais em voga graças a grupos femininos como Fifth Harmony ou Little Mix. Abram alas para Tamy, Alba e Sonia, o trio que compõe as Sweet California, girlsband espanhola que chega até nós com o pegadiço “Good Life”, objecto de vício pop que nos transporta ao sol, calor e boa disposição característicos da estação favorita de toda a gente.

Sweet California_promo.jpg

O single que integra o terceiro álbum de estúdio do colectivo – apropriadamente intitulado “3” – é a porta de entrada no universo das Sweet California, que se estrearão ao vivo nos palcos portugueses no último trimestre de 2017 com o selo da Music In My Soul.

Existentes desde 2013, as Sweet California são a banda feminina mais bem-sucedida de todos os tempos de Espanha. Compostas por Tamy Nsue, Alba Reig e Sonia Gómez, contam no currículo com três álbuns de estúdio que venderam mais de 100 mil unidades e com uma série de outros indicadores

que atestam bem o seu sucesso.

Nos últimos dois anos passaram de promessa a um grupo consolidado entre o público adolescente e juvenil em Espanha, granjeando também uma crescente legião de fãs no estrangeiro. A par disso, são também uma sensação no YouTube, onde os seus videoclipes e Vlogs acumulam milhões de visualizações em tempo recorde.

Com o seu primeiro álbum, “Break of Day”, chegaram ao nº1 da tabela de discos mais vendidos em Espanha, alcançando a marca de ouro. Os seis singles extraídos do registo acumulam mais de 70 milhões de reproduções no YouTube, tendo tocado massivamente nas principais emissoras de rádio espanholas.

O segundo trabalho, “Head For the Stars”, bateu recordes, permanecendo quatro semanas no nº1 um de vendas em Espanha. Nunca antes nenhum outro grupo ou duo feminino, nacional ou internacional, havia conseguido o nº1 na lista de vendas com dois dos seus discos. O álbum é reeditado em 2016, contando com colaborações com artistas internacionais como Madcon, Jake Miller ou Benjamin e é editado além-fronteiras.

A girlsband, que tem emprestado a sua imagem a marcas como a Philips, Nintendo, Coca-Cola ou Nívea, já ganhou um MTV EMA em 2015 na categoria de Melhor Artista Espanhol e foi nomeada para os Prémios 40 Principais e Prémios Neox.

No final de 2016 editam o seu terceiro registo de estúdio, “3”, que em apenas três semanas obteve a certificação de disco de ouro, colecção que inclui o êxito “Good Life” e que servirá de pretexto para a digressão portuguesa que têm prevista para o último trimestre deste ano.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:27
link do post | favorito

REVISTA DE MARINHA PROMOVE 2ª EDIÇÃO DE “ENCONTROS DO MAR”

06 DE MARÇO NA NAZARÉ

A Revista de Marinha, a mais antiga e prestigiada revista nacional dedicada aos assuntos do mar, vai promover a segunda edição da iniciativa “Encontros do Mar” na Nazaré, na próxima 2ª feira, dia 6 de Março, no Auditório da Biblioteca Municipal.

image001revistamarinha (1).jpg

Os “Encontros do Mar” da Revista de Marinha têm como objetivo motivar e informar as empresas e as forças vivas da comunidade onde se realizam sobre as oportunidades que o Mar suscita, direta e indiretamente, à economia local. A primeira edição teve lugar na Ericeira e a segunda será acolhida pela Nazaré, uma das localidades nacionais mais reconhecidas internacionalmente pela sua ligação ao Mar.

Realizados com o apoio da Câmara Municipal da Nazaré, da Náutica Global, do Clube do Mar e da Docapesca, os “Encontros do Mar” da Revista de Marinha terão lugar no dia 6 de Março, entre as 14h00 e as 18h00, no Auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré, onde se poderão assistir, entre outros temas de discussão, aos seguintes painéis:

15h00: A Nazaré e o Mar

15h20: A Pesca, a comercialização e segurança

16h50: O Surf na Nazaré

17h20: Atividades Marítimas – Investimentos e Financiamento

Como oradores, a iniciativa irá receber Alexandre Fonseca, Orlando Themes de Oliveira, João Delgado, José Poças Esteves, José Velho Gouveia, Sérgio Faias, Rui Vaz, Eduardo Almeida Faria, João Vitorino, João de Macedo e Miguel Marques.

A partir das 18h00, os participantes poderão experimentar uma degustação de aperitivos de peixe regional e assistir à apresentação aberta “As empresas, os produtos e os serviços” que decorrerá na sala ao lado do auditório da Biblioteca Municipal.

Encontros do Mar da Revista de Marinha

2ª Edição - 06 de Março de 2017

Auditório da Biblioteca Municipal da Nazaré

Entrada Livre

Revista de Marinha online em

http://www.revistademarinha.com/
https://www.facebook.com/revistademarinha/



publicado por Carlos Gomes às 15:43
link do post | favorito

SEM-ABRIGO DE LISBOA PASSAM A SER AVISADOS POR SMS

Constando-se que um significativo número de pessoas em condição de sem-abrigo possui telemóvel, numa iniciativa do Núcleo de Intervenção Social de Lisboa da Associação de Proteção e Socorro, começou este dia 2 de Março na cidade de Lisboa a recolha de números de telemóvel para constituição de uma base de dados com o objectivo de avisar atempadamente os seus utilizadores sobre situações de riscos ou vulnerabilidades de proteção civil, bem como das recomendações de autoproteção, nomeadamente locais de abrigo temporário, mas também para a difusão das campanhas de vacinação e respectivos locais de vacinação, entre outras informações de interesse público.

Esta iniciativa é inteiramente suportada pelos voluntários e associados da Associação de Proteção e Socorro, a par da intervenção social já desenvolvida pela associação.

DSC_0419.JPG

DSC_0447.JPG

DSC_0450.JPG

DSC_0487.JPG

DSC_0500.JPG

 



publicado por Carlos Gomes às 15:19
link do post | favorito

ESCOCESES DED RABBIT EM DIGRESSÃO POR PORTUGAL

A chegada dos primeiros raios de sol e do tempo quente costuma anunciar também o início da época festivaleira e do habitual desfile de projectos indie que tantas multidões atraem. Para os Ded Rabbit, praticantes do melhor indie rock escocês da actualidade, não será necessário um tão grande compasso de espera.

Ded Rabbit_Flyer Tour Portugal.png

O quarteto estreia-se em palcos nacionais já no mês de Março, vindo de Espanha, mesmo a tempo da sagração da Primavera. À chamada não faltarão os viçosos “Only Dating” ou “Figurine”, que lhes têm valido comparações a projectos como Catfish and The Bottlemen, The Libertines ou The Hives. Os bilhetes podem ser adquiridos aqui.

Conheçam as datas e locais da digressão:

15.03 | Musicbox, 22h (Lisboa)

16.03 | TOCA, 22h30 (Braga)

17.03 | Plano B, 23h (Porto)

18.03 | Espaço A, 22h30 (Freamunde)

Escócia: país conhecido pela simpatia das suas gentes, pela beleza das suas paisagens e monumentos e, a partir de agora, pelo magnetismo dos Ded Rabbit! É da união, cumplicidade e talento dos irmãos Eugene, Fergus, Donal e Eoin Gaine que nasce uma das bandas mais promissoras da cena indie-rock do Reino Unido.

Individualizando: Eugene tem a seu cargo a voz e guitarra, Fergus é o guitarrista principal, Donal domina o baixo e por fim, mas não menos importante, Eoin completa o quarteto com a sua portentosa bateria.

Originalmente de Yorkshire, foi uma mudança para as Terras Altas em pleno ano de 1996 que despoletou aquilo a que hoje chamamos de Ded Rabbit. Devido ao isolamento, e à paixão que todos partilhavam pela música, os quatro irmãos começaram a trabalhar em temas próprios, situação que se manteve inalterada durante uma década. Depois de uma nova mudança, desta vez para Edimburgo, por motivos escolares, não só a união criativa que criaram não acabou como deram um passo em frente: a ida para estúdio.

O trabalho deu frutos e assim nasceu, em 2014, o EP “Wash Away”. No ano seguinte intensificam os trabalhos e surgem os EP’s “Wake Up In A Dream” e “Moving In Slow Motion”, cujo tema “Step Off Your Shoes” foi o single de maior sucesso e reconhecimento.

O ano de 2015 marca o início daquilo que hoje sabemos ser uma parceria muito bem-sucedida. Os Ded Rabbit estabeleceram uma proveitosa relação com os estúdios Rocket Science Studios, de Glasgow, casa que já havia recebido os mundialmente aclamados Belle & Sebastian.

Entre os seus feitos mais recentes contam-se: o 2º lugar da Playlist “Spotify Viral Top 50”, do Spotify; foram cabeças-de-cartaz do palco TBreak Stage no festival T in the Park, em 2015; a nomeação na categoria de “Best Live Act 2015” dos Scottish Alternative Music Awards ou ainda o constante airplay na BBC Radio 6 e na KROQ (Los Angeles). Para 2017 está prometido um novo EP bem como uma digressão ibérica.

Citações de imprensa sobre os Ded Rabbit:

“Com uma pitada de The Housemartins e dos primórdios de Arctic Monkeys mergulhado com um toque de funk e letras originais, eles criaram um som distintivo e altamente audível” – Olaf Furniss e Derick Mackinno,  Artist Of The Week: Scotland On Sunday

“Eles estão a trabalhar muito, e bem, e estão a construir um excelente following na capital inglesa…clássico som indie” - Vic Galloway, BBC Radio Scotland.

"É uma relação explosiva quando vês os Ded Rabbit ao vivo! Coloco-os lado a lado com os Catfish and The Bottlemen como uma das melhores bandas ao vivo actualmente!” - Jim Gellatly, Amazing Radio


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 01:24
link do post | favorito

KADYPSLON E O AMOR À CULTURA HIP HOP

Kadypslon sabe do que fala. Natural do subúrbio de Santo António dos Cavaleiros, conhece as ruas como a palma da mão. O hip hop está-lhe nos genes. É nesta forma de ser e estar na vida e na absorção de ensinamentos de figuras como J Dilla, Snoop Dogg, Biggie ou A Tribe Called Quest que dá agora a conhecer “A Cultura”, prosa de amor ao hip hop clássico que nunca partiu e resiste a tendências, movimentos e sub-géneros.

Kadypslon_ promo (2).jpg

 

Este é já o segundo single extraído de “Refúgio”, o primeiro longa-duração de Kadypslon que já chegou em formato físico às lojas tradicionais com o selo da Music In My Soul e que tem sido apresentado ao vivo pelo país fora.

Nascido em meados dos anos 90 nos subúrbios de Lisboa, em Santo António dos Cavaleiros, Kadypslon descobriu por volta dos 14 anos a paixão pela poesia e pelo movimento hip hop. Durante cinco anos foi aperfeiçoando o seu dom juntamente com dois primos, até que decidiu emigrar, devido à falta de condições e oportunidades no seu país.

Depois de uma pequena temporada em Peterborough, em Inglaterra, e depois de quase dez anos de paragem, Kadypslon decidiu voltar a Portugal e a dedicar-se à música, agora com toda outra maturidade, garra e perspetiva.

Em 2010 gravou a sua primeira demo com seis faixas promocionais. Três anos mais tarde disponibilizaria o seu primeiro projeto, intitulado “Pandemonium”, que refletia um resumo de experiências passadas narradas na primeira pessoa. No primeiro trimestre de 2017 edita o seu primeiro longa-duração, “Refúgio”, que recolhe influências de boom bap e gravita em torno da temática da consciência urbana.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 01:18
link do post | favorito

Quinta-feira, 2 de Março de 2017
“DISTANCE”, O NOVO SINGLE DOS WELLMAN

Depois de se terem apresentado ao vivo no Musicbox no passado mês de Janeiro, é tempo de conhecermos agora o novo single dos Wellman, “Distance”, soalheira composição pop/rock que versa acerca da problemática da distância nos relacionamentos amorosos, e como esta tanto os pode fortalecer ou deitá-los por terra.

Wellman_promo.jpg

Este é então o primeiro avanço revelado do registo de estreia do quinteto lisboeta a ser editado com o selo da Music For All e com edição agendada para Abril próximo.

Os Wellman nasceram ao mesmo ritmo da amizade de Afonso Teixeira (vocalista), Afonso Lima (guitarrista), José Miguel Saraiva (baixista), Mateus Carvalho (saxofonista) e Francisco Marcelino (baterista).

Afonso Teixeira apresentou aos restantes membros uma série de originais que desejava que tivessem outra roupagem. Inicialmente apenas com o intuito de conferir às músicas uma outra dimensão, os cinco acabaram por "recriar" as mesmas. Em Junho de 2016, surgiu a

oportunidade de ir a estúdio gravar os temas e aquilo que começou por ser uma forma de descontração da vida universitária sem qualquer divulgação pública, passou a ser uma verdadeira banda, à qual Afonso Teixeira emprestou o seu nome artístico (Wellman).

O quinteto que se move nos meandros da pop/rock com leves influências folk, assume com orgulho a sua sonoridade viciante, envergando sempre um sorriso cativante e uma alegria contagiante. Para o primeiro semestre de 2017 está prevista a edição do seu primeiro trabalho.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 23:15
link do post | favorito

OEIRAS: RIBEIRA DA LAGE RECEBE ENCONTRO DE TRADIÇÕES

siteriblaje (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:37
link do post | favorito

JOVENS DEBATEM FOLCLORE NA ERA DIGITAL

O Gabinete da Juventude da Federação do Folclore Português, está a organizar o Encontro Nacional de Jovens Folcloristas, cujo tema principal é Folclore na Era Digital e terá lugar no Centro Cultural de Mira de Aire, dia 01 de abril de 2017

17039123_1461628397204296_4126510639722558949_o.jpg

Queremos, neste encontro, refletir o trabalho de cada um dos jovens dentro dos nossos grupos e no seio das nossas comunidades culturais, não esquecendo as temáticas já debatidas nos últimos anos.

Planeamos assim:

  1. Debater aceções de etnografia e folclore na contemporaneidade;
  2. Formar e capacitar os jovens folcloristas, nas diferentes áreas, para melhor desempenho nos seus grupos;
  3. Compreender a etnografia e o folclore enquanto eixos estratégicos na construção da sociedade global;
  4. Facultar abordagens de ações inovadoras nos grupos de folclore;
  5. Promover a representatividade e a qualidade global do movimento folclórico português;

Este encontro destina-se a jovens dos 10 aos 35 anos, mas toda a gente pode participar.

São considerados observadores, os jovens até 35 anos de grupos não federados, as pessoas com mais de 35 anos de grupos federados e não federados.



publicado por Carlos Gomes às 21:17
link do post | favorito

Quarta-feira, 1 de Março de 2017
PORTUGAL COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

16730402_1415877805129400_8301267926308102056_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:01
link do post | favorito

“STARRY NIGHT” – SINGULARIDADES DE UMA LAGOSTA

É das cordas vocais de Duarte Cadete Inácio, e das promissoras mentes e dedos de João Costa, Rafael Burguete e João Henriques, que nos chega a mais recente aposta nacional da Music For All. Sob o nome Crying Lobster, este é um projecto de rock onde existe espaço para a riqueza do jazz, para a alma do funk e para a irreverência do stoner e do punk.

Crying Lobster_Artwork Single.jpg

A estreia acontece ao ritmo de “Starry Night”, poderoso single que apresenta o quarteto ao público nacional. Para o Verão está marcado o lançamento do primeiro EP, ainda sem título, naquela que marcará a estreia do colectivo lisboeta.

No início havia o nada. E do nada surgiu a Lagosta. Das suas lágrimas floresceu o Universo, dando assim início a uma jornada tão longa quanto a mais antiga das estrelas. Crying Lobster não é um mero projecto musical.

É uma irmandade composta sob a égide da criatividade musical e da diversidade sonora dos seus quatro elementos.

Duarte Cadete Inácio (voz), João Costa (guitarra), Rafael Burguete (bateria) e João Henriques (baixo) são os protagonistas desta aventura maior do que a vida. Navegando nas profícuas águas do rock, jazz, funk, stoner e punk preparam-se, finalmente, para editar o EP de estreia.

O single “Starry Night” serve, assim, de antecipação ao novíssimo EP mas também de celebração do segundo aniversário da Lagosta. Tudo isto apenas se tornará realidade graças ao selo da Music For All.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 21:23
link do post | favorito

IMPOSSIBLE LABS É UMA EMPRESA QUE TRANSFORMA IDEIAS E RESOLVE PROBLEMAS APARENTEMENTE IMPOSSÍVEIS

KwameCorp junta-se à Impossible e nasce a Impossible Labs

  • Empresa fundada e liderada pelo português Kwame Ferreira inicia processo de rebranding para simplificar significado e mensagem;
  • Nova agência de inovação, arte e design projeta e desenvolve soluções tecnológicas e produtos de impacto social a partir de Lisboa;

Cinco anos depois de ter sido criada, a KwameCorp, co-fundada pelo empreendedor português Kwame Ferreira, decidiu juntar-se à marca global Impossible e relançar a empresa sob um novo nome. Nasce assim a Impossible Labs que, através da tecnologia, da arte e do design, pretende transformar ideias e resolver problemas, aparentemente impossíveis, em realidade.

Em 2013, a Impossible nasceu como uma plataforma de economia social, com a missão de ser uma rede social dirigida a altruístas. Criada pela atriz e modelo Lily Cole, a plataforma tem vindo a expandir-se para outras áreas, às quais a Impossible Labs se junta agora para contribuir com a sua experiência e conhecimento em tecnologia e design, e com o objetivo de “Reimaginar o mundo com um produto de cada vez”.

Da união entre a KwameCorp e a Impossible nasce uma nova empresa global de design, engenharia e inovação mundial que tanto fornece soluções tecnológicas para várias gigantes internacionais – como Google, Samsung, Roche, Intel, entre outras - como projeta e desenvolve produtos e serviços digitais com impacto social positivo, assentes em responsabilidade sustentável e ética. A empresa é uma das poucas a deter a certificação B Corporation (empresa social e ambientalmente responsável).

De Lisboa para o mundo

A Impossible Labs tem já em Lisboa cerca 35 profissionais que pretendem mudar o mundo, e a forma como as empresas desenvolvem a inovação.

“Como empresa, a KwameCorp foi criada sem uma identidade de marca intencional, foi apenas um grupo de pessoas que se uniu para resolver problemas”, afirma Kwame Ferreira. O co-fundador e CEO da KwameCorp acrescenta que “percebemos que, juntamente com a Impossible, partilhamos uma visão de resolução de problemas através de produtos, pelo que decidimos juntar forças sob uma identidade comum, a Impossible Labs”.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 20:11
link do post | favorito

PESCADORES PEREGRINAM AO SANTUÁRIO DE FÁTIMA

pescadoresperegfatima.png



publicado por Carlos Gomes às 19:35
link do post | favorito

PINTORA CLOTILDE FAVA EXPÕE NO PALÁCIO DE SÃO BENTO

image003assrep.jpg



publicado por Carlos Gomes às 19:02
link do post | favorito

BAIXA DA BANHEIRA RECEBE RECITAL DE CANTO E VIOLAS PORTUGUESAS

“Nos Cantos da Memória”: Canções com Estórias no Fórum Cultural na Baixa da Banheira

“Nos Cantos da Memória” é o nome de espetáculo que Francisco Naia e Ricardo Fonseca apresentam no dia 3 de março, pelas 21:30h, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, um recital de canto e violas portuguesas repleto de canções com estórias.

Francisco naia.jpg

Este recital de câmara é composto por uma antologia de vinte canções, por onde perpassam lendas, gestas e cenas do quotidiano; histórias verídicas ou criadas pela imaginação popular, que atravessaram os séculos na tradição oral e, ainda hoje, mantêm o caráter de proveito e de exemplo, que lhes conferem mesmo a universalidade comum a todos os clássicos.

Da recuperação de temas desde o período medieval, passando pelo século XII, até ao século XIX, este projeto traduz-se numa viagem pela história da música popular e tradicional portuguesa. Este é um trabalho com adaptações do musicólogo e guitarrista João Pimentel Carreiro, sobre recolhas suas e de Francisco Naia.

O preço dos bilhetes é de 3,66 euros.

Compra de bilhetes online:

http://ticketline.sapo.pt

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda

Reserva de bilhetes:

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Rua José Vicente, Baixa da Banheira

Tel. 210888900

Horário da Bilheteira:

De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h

Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão

Os bilhetes podem ainda ser reservados, através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.



publicado por Carlos Gomes às 14:42
link do post | favorito

COMBOIOS DA LINHA DE SINTRA NÃO CUMPREM HORÁRIOS: PASSAGEIROS VIVERAM HOJE SITUAÇÃO CAÓTICA!

Transporte ferroviário está a degradar-se!

Milhares de pessoas apinharam-se esta manhã nos comboios da linha de Sintra como já não sucedia desde que foram retiradas de circulação as antigas composições. O motivo prendeu-se com a supressão de sucessivas ligações, levando a uma concentração anormal de passageiros nas gares à espera dos comboios que não chegavam. Os altifalantes repetiam de forma desconexa sucessivas mensagens a informar os atrasos verificados. E, entre o público que impacientemente aguardava, havia quem ironizasse com os efeitos da folia do Carnaval.

FIL - Happy Life 021

Desde há algum tempo que o serviço prestado naquela linha vem degradando-se nomeadamente com a supressão e o não cumprimento de horários dos transportes, a falta de higiene e segurança dentro das composições e nas próprias gares, incluindo os equipamentos sanitários. Os próprios martelinhos para quebrar as janelas em caso de emergência foram saqueados.

Os utentes – aliás clientes! – dos comboios da linha de Sintra mantêm ainda bem presente na memória a degradação a que chegou o serviço que outrora ali era prestado e receiam que a situação volte a repetir-se.



publicado por Carlos Gomes às 10:55
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

PORTO DE LISBOA APRESENTA...

PROLONGAMENTO ORIENTE / A...

PAN CONSEGUE MAIS DIREITO...

PAN INTEGRA DELEGAÇÕES DO...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PAN ACUSA PSD, CDS E PCP ...

PAN CONSEGUE QUE OS ESTUD...

SINTRA: TERRUGEM RECEBEU ...

ACABOU O PRAZO INTERNUPCI...

PAN GARANTE 1ª VICE-PRESI...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

PAN QUESTIONA MINISTRO SO...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

FOLKLOURES'19 CELEBRA A A...

METRO DE LISBOA ASSINALA ...

PAN QUESTIONA COBRANÇA DE...

TOMAR ESTÁ EM FESTA!

COMUNIDADE MOLDAVA CONFRA...

COMUNIDADE MOLDAVA CONFRA...

SARDINHADA JUNTA TOMARENS...

PAN PROPÕE PROJETO-PILOTO...

PARLAMENTO EUROPEU: PAN E...

FOLKLOURES'19: VEM AÍ A G...

PROF. DOUTORA TERESA SOEI...

FEIRA INTERNACIONAL DO AR...

PROF. DOUTORA TERESA SOEI...

FEIRA INTERNACIONAL DE AR...

METRO DE LISBOA CELEBRA 7...

PAN CELEBRA MÊS ARCO-ÍRIS

PAN QUER QUE GOVERNO APRO...

FIA RECEBE ARTESANATO DE ...

GENTES DE ARGANIL TRAZEM ...

BELAS REALIZA FESTIVAL DE...

FESTA DA AMIZADE JUNTA MI...

SINTRA: BELAS REALIZA FES...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

OEIRAS: PEDREIRA ITALIANA...

CASA DO CONCELHO DE PENAC...

GENTES DE ARGANIL TRAZEM ...

FIA RECEBE ARTESANATO DE ...

COMUNIDADE MOLDOVA CONFRA...

RIO DE MOURO: NEM TUDO É ...

ARTESÃOS DE TODO O MUNDO ...

ARTESÃOS DE TODO O MUNDO ...

FESTA DOS TABULEIROS EM T...

PAN INCENTIVA A UMA MAIOR...

UNIVERSIDADE DE AVEIRO AS...

LOURES PREPARA-SE PARA A ...

RIO DE MOURO: ESTE É O CA...

METRO DE LISBOA PROLONGA ...

arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds