Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Quinta-feira, 30 de Novembro de 2017
MÄBU MARCAM ESTREIA EM PORTUGAL PARA JANEIRO

De Espanha podem não chegar bons ventos nem bons casamentos mas vem, com toda a certeza, alguma da melhor música Pop da atualidade! E a melhor ilustração disso são os Mäbu, um trio sediado em Madrid liderado pela doce María Blanco e onde despontam os talentos de Txarlie Solano e César Uña.

MÄBU PROMO

Perante o público português estrearam-se com “Los Amantes”, saboroso sucedâneo Pop que serviu de amostra a “Buenaventura” (2016), terceiro álbum de originais que a banda se prepara para nos mostrar ao vivo. Para Janeiro estão, assim, marcados dois concertos (dias 19 e 20), estando os restantes detalhes, para já, ainda no segredo dos Deuses da música. Estas serão oportunidades únicas para presenciar um dos grandes projetos representados pela Music For All.

MÄBU é uma banda de Pop instalada em Madrid (Espanha), que nasceu no início de 2008, com María Blanco (voz e guitarra), Txarlie Solano (baixo, teclados e coros) e Cesar Uña (bateria e percussão) na formação.

Com mais de duzentos concertos dados em Espanha, os MÄBU converteram-se numa banda imprescindível na cena musical independente espanhola e também têm projeção no México, onde já realizaram várias tours.

Bebendo de fontes clássicas como a canção de autor (principalmente anglo-saxónica), os MÄBU são capazes de se desfazerem de tópicos e fórmulas comuns, absorvendo influências do Rock independente e das bandas sonoras, mas também da Pop, com o intuito de definir um estilo pessoal inequívoco.

“MÄBU é magia; pura magia para os sentidos. E também têm uma forte veia experimental que seduz de imediato”. (El Heraldo)

O interesse dos meios espanhóis para com este projeto foi espontâneo e culminou quando, em 2013, a banda recebeu o prémio de música da rádio nacional Onda Cero e passou a integrar a lista de artistas do Instituto Cervantes para a promoção da cultura espanhola noutros lugares do mundo.

Ainda antes, em 2012, fizeram a primeira parte de Luz Casal a convite da própria, em vários eventos como o concerto organizado para o Dia Mundial de Luta contra o Cancro, na Arena de Madrid, o Festival de Música en Grande em Santander e o Festival de la Luz. Também colaboraram com importantes artistas espanhóis, como Rayden, Vega ou Marlango.

Também em 2012, através da Embaixada de Espanha na Venezuela, cruzaram o Atlântico para participar no festival Somos Más (em Caracas), onde deixaram uma excelente impressão junto do público, que ficou a aguardar o seu regresso.

Em 2013 voltaram a atravessar o oceano, desta feita para uma tour em várias cidades do México, onde obtiveram um grande reconhecimento por parte da imprensa especializada e conquistando um vasto público, tendo aliás que regressar por duas vezes ao país para concertos em 2014.

Na sua discografia contam-se três trabalhos editados, “Buenos Días” de 2011, “Detrás de las luces” de 2013 e “Buenaventura” de 2016. Todos receberam excelentes críticas, mas foi este último que os levou a participar nos Conciertos de Radio3, no A Solas da Sol Música e a atuar em vários festivais do panorama espanhol, entre eles o Sansan Festival e o Leturalma. É também com “Buenaventura” que a banda espanhola quer dar a conhecer o seu trabalho aos portugueses. Nunca a língua espanhola soou tão bem aos nossos ouvidos!


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 21:30
link do post | favorito

COMUNICADO DO PAN SOBRE OS JARDINS ZOOLÓGICOS EM PORTUGAL

Foi recentemente divulgado pela Fundação Born Free o relatório “Investigação da União Europeia aos Zoos 2011”, onde publica as conclusões das visitas efectuadas aos jardins zoológicos no espaço da União Europeia. As conclusões no que diz respeito aos jardins zoológicos nacionais são verdadeiramente decepcionantes: “Muitos dos parques zoológicos licenciados em Portugal não cumprem plenamente a lei, enquanto outros funcionam sem licença há muito tempo.” Segundo a Born Free, o Zoo da Maia não tem licença, quando “a lei portuguesa determina que qualquer zoo detectado em inconformidade com os requisitos legais deve ser encerrado”, recorda a fundação.

Perante estes resultados, o PAN não pode deixar de se interrogar sobre a utilidade destas "prisões zoológicas" na nossa sociedade nos dias de hoje. Actualmente, com o recurso à Internet bem como os excelentes documentários sobre a vida selvagem, é possível observar os animais ameaçados e espécies exóticas em reservas no seu local de origem, onde vivem no seu habitat natural e convivem com outros indivíduos da sua espécie e da sua cadeia alimentar, sejam plantas ou animais, cumprindo assim a função pedagógica para a qual os jardins zoológicos foram criados no século XVIII.

Por outro lado, os jardins zoológicos representam uma grande fonte de despesas no que diz respeito ao tratamento dos animais e conservação das infra-estruturas. Quanto maior é o jardim zoológico e mais variedade de espécies animais tem, mais caro se torna fornecer cuidados adequados aos animais. Assim, apesar dos milhares de pessoas que os visitam todos os anos, a maior parte apresenta prejuízos financeiros. Para compensar essas perdas, as direcções vendem animais a circos (como aconteceu no passado) ou concebem atracções especiais, deixando para último plano o bem-estar dos animais. Segundo o estudo agora publicado, 81% dos jardins zoológicos não cumpre “os padrões mínimos exigíveis”.

É o caso do Zoo da Maia, que há anos que opera sem licença, não obedecendo às disposições impostas por lei, colocando em risco animais e visitantes. Neste espaço, os leões apresentavam excesso de peso por não terem espaço para andar. Em vários parques, os animais não tinham material de cama ou sombras para se abrigarem do calor. Foram ainda detectados animais mutilados – como aves com asas partidas para que não pudessem voar. Além disso, contrariando a lei, mais de um quarto das espécies era exibida sem qualquer sinalização explicativa. Nos casos em que esta existia, 19% estava em mau estado e 9% apresentava as designações científicas dos animais mal escritas.

O PAN defende o encerramento destes espaços que não apresentam as condições mínimas de higiene e segurança para albergar os animais e a entrega destas espécies a santuários no seu habitat natural onde a sua principal função é resgatar e preservar os animais, em lugar de os vender ou criá-los em cativeiro em espaços exíguos nos meios urbanos, onde desenvolvem psicoses e outras perturbações nervosas. É ainda de lamentar que as autoridades responsáveis pela tutela dos jardins zoológicos continuem a ignorar as condições pouco dignificantes em que estas espécies sobrevivem.

Só através de uma investigação mais aprofundada por parte da Direcção-Geral de Veterinária, que tem a competência para emitir as licenças e fiscalizar os jardins zoológicos e aplicar as sanções previstas na lei, será possível alterar as condições de vida destes animais, que vivem por vezes décadas em cativeiro, para entretenimento do público que lá passa algumas horas.



publicado por Carlos Gomes às 01:20
link do post | favorito

BANDAS FILARMÓNICAS DESFILAM AMANHÃ EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA EM 1640

Bandas Filarmónicas de todos os distritos do país vão participar amanhã nas comemorações do dia da Restauração da Independência Nacional em 1640.

A organização pertence ao Movimento 1º de Dezembroque lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios. É possível realizá-lo também graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro.

CapturarTBouro

Está também prevista a edição este ano de um livro em forma de álbum fotográfico que constitui um interessante registo das participações das bandas filarmónicas nas comemorações do 1º de Dezembro.

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas que este ano se realiza tem o seguinte programa:

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)

15h00 - Início do Desfile

16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.900 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 6ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:

Tocá Rufar (Seixal)

Mareantes do Rio Douro (Gaia)

BANDA NACIONAL:

Banda da Armada

BANDAS FILARMÓNICAS:

Banda Musical de Figueiredo (Arouca)

Sociedade Recreativa e Filarmónica 1º de Janeiro de Castro Verde (Castro Verde)

Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)

Banda de Música da Carvalheira (Terras de Bouro)

Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)

Associação Recreativa Musical Covilhanense | Banda da Covilhã (Covilhã)

Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)

Banda Filarmónica da União de Aldeia de João Pires (Sociedade Recreativa e Musical) (Penamacor)

Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense (Sertã)

Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense (Vila Velha de Ródão)

Sociedade Musical Recreativa de Alqueidão / Filarmónica do Alqueidão (Figueira da Foz)

Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira (Montemor-o-Velho)

Sociedade Filarmónica Sangianense (Oliveira do Hospital)

Sociedade Filarmónica Portimonense (Portimão)

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense (Seia)

Sociedade Filarmónica Avelarense (Ansião)

Sociedade Artística Musical 20 de Julho de Santa Margarida do Arrabal (Leiria)

Sociedade Filarmónica Pedroguense (Pedrógão Grande)

Associação Musical e Artística Lourinhanense (Lourinhã)

Banda da Escola de Música da Juventude de Mafra (Mafra)

Banda Juvenil do Município de Gavião (Gavião)

Sociedade Musical Nisense (Nisa)

Sociedade Recreativa Musical Alegretense (Portalegre)

Banda Filarmónica de Crestuma (Gaia)

Sociedade Filarmónica Gualdim Pais (Tomar)

Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal)

Banda Musical do Barreiro (Barreiro)

Banda Nova de Barroselas (Associação Banda Escuteiros de Barroselas) (Viana do Castelo)

Banda Marcial de Tarouquela e Municipal de Cinfães (Cinfães)

Banda de Música de São Cipriano “A Nova” (Resende)

Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias (Santa Comba Dão)

Será um total de 32 entidades, integrando 1 grupo de persussão, 1 banda nacional militar e 30 bandas filarmónicas civis.

Serão cerca de 1900 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país que irão descer a Avenida da Liberdade, para celebrar Portugal, a Independência e a Restauração através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes sob a direcção do Maestro Capitão-Tenente Délio Gonçalves, da Banda da Armada.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas, bem como o Hino da Restauração. O alinhamento do momento colectivo conta também, além do Hino da Restauração, com a interpretação dos Hino da Maria da Fonte e Hino Nacional.

Banda Nova de Barroselas - 2015



publicado por Carlos Gomes às 01:02
link do post | favorito

MOVIMENTO 1º DE DEZEMBRO ACABA DE LANÇAR LIVRO SOBRE AS BANDAS FILARMÓNICAS QUE DESDE 2016 DESFILAM NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA NACIONAL

Obra conta com a colaboração fotográfica de Carlos Gomes e Manuel Santos, respectivamente Administrador e Colaborador Fotográfico do Blogue do Minho e Blogue de Lisboa

O Movimento 1º de Dezembro procedeu hoje ao lançamento do livro “O Novo 1º de Dezembro”, em cerimónia público que decorreu no Palácio da Independência, ao Largo de São Domingos, 11, em Lisboa.

24251864_1624973804212949_1281807346_n (1)

O livro foi apresentado por José Ribeiro e Castro, coordenador da obra e do Movimento 1º de Dezembro, por José Alarcão Troni, presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal e Martinho Caetano, Presidente da Confederação Musical Portuguesa.

Com esta iniciativa, pretendeu o Movimento 1º de Dezembro assinalar cinco anos do Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas (2012-16), visando enriquecer e valorizar o dia em que celebramos a independência nacional.

Sob chancela da "Casa Sassetti", uma marca da Editora Princípia, trata-se de um livro-álbum elaborado sob coordenação de José Ribeiro e Castro, apresentando imagens de bandas filarmónicas e outros grupos que, nos últimos cinco anos, já vieram representar 71 concelhos neste "novo 1º de Dezembro", festivo e popular.

Fotos: Manuel Santos

24257719_1624973750879621_558763996_n

A obra tem como promotores o Movimento 1º de Dezembro, a Sociedade Histórica da Independência de Portugal e a Confederação Musical Portuguesa e como patrocinadores 16 Câmaras Municipais: Baião, Cabeceiras de Basto, Cantanhede, Carrazeda de Ansiães, Castelo Branco, Chaves, Leiria, Lisboa, Mafra, Mangualde, Montijo, Odemira, Pedrógão Grande, Ponte de Lima, Portimão, Seia, Viana do Alentejo e Viana do Castelo.

As fotografias usadas no livro-álbum são de Isabel Santiago Henriques, José Ribeiro, Castro e Rui Ochoa e ainda de Carlos Gomes e Manuel Santos, respectivamente o Administrador e o Colaborador Fotográfico do Blogue do Minho e do Blogue de Lisboa.

23379892_1520430041397445_2625663396626254591_n

CapturarLivroBandas

24203554_1624794057564257_512183635_n

24282060_1624973730879623_839173409_n

24204968_1624975660879430_1346794183_n

24204996_1624975317546131_1629685488_n

24252232_1624973794212950_984169644_n



publicado por Carlos Gomes às 00:35
link do post | favorito

Quarta-feira, 29 de Novembro de 2017
PAN NÃO QUER CIRCO COM ANIMAIS

PAN agenda Projeto-Lei para abolir a utilização de animais em circos

  • Proibida a aquisição ou reprodução de animais nos circos
  • Moratória para adaptação dos circos e para o reencaminhamento dos animais para reservas
  • Regime contraordenacional para o incumprimento da lei e criminalização de certas condutas
  • A abolição do uso de animais em circos já é uma realidade em muitos países

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza, agendou hoje em conferência de líderes o debate da proposta de lei que visa a proibição de utilização de animais, de qualquer espécie, em circos. O projeto-lei que será debatido a 21 de Dezembro resulta de vários meses de estudo e reuniões com várias entidades e ONGs nacionais e internacionais.

A proposta prevê que após a aprovação da lei seja proibida a aquisição ou reprodução de animais para além dos já previstos na Portaria 1226/2009, de 12 de Outubro. Para os animais actualmente detidos pelos circos estabelecer-se-á uma moratória, por um lado, para que os circos se possam adaptar a uma realidade sem animais e, por outro, para que haja tempo para se reencaminharem os animais para reservas. Os tratadores/ treinadores dos circos que cedam gratuitamente os animais ao Estado terão direito a um apoio para efeitos de reconversão profissional. Será ainda estabelecido um regime contraordenacional para o incumprimento da lei e para os casos mais graves será prevista a criminalização de certas condutas.

Apesar de em diversos países já existir legislação que proíbe a utilização de animais nos circos como são os exemplos de Chipre, Malta, Grécia, Holanda, Bélgica, Áustria, Itália entre outros na Europa e no Mundo, Portugal tem agora a oportunidade de dar mais um passo para um relacionamento mais ético com os animais.

Vários circos e promotores culturais têm vindo a abdicar dos espetáculos que utilizam animais das mais diversas formas. Os Coliseus dos Recreios de Lisboa e do Porto já o fizeram adotando uma decisão ética e de consciencialização da sociedade ao deixar os números artísticos entregues, exclusivamente, a seres humanos.

Nos últimos anos tem havido uma crescente discussão sobre o uso de animais em circos. Isto reflete-se em várias alterações legislativas sobre esta matéria sendo que, até agora, 19 países da UE adotaram limitações ao uso de animais em circos, assentes num amplo consenso académico fundamentado por consistentes argumentos científicos. Esta discussão adquire particular relevância nos períodos festivos com um aumento da oferta de espetáculos de circo um pouco por todo o país. É importante fazermos escolhas informadas sobre o tipo de atividades que escolhemos para nos divertirmos e para entreter e educar as nossas crianças. A declaração do Intergrupo do Bem-Estar e Conservação de Animais sobre os efeitos da vida de circo em animais selvagens, de Setembro de 2015 apresenta as principais implicações para o bem-estar de animais selvagens numa vida de circo, que vão do confinamento extremo de espaço, à impossibilidade de expressão dos seus comportamentos naturais, à separação precoce da progenitora, à restrição forçada das interações sociais, aos treinos rigorosos e comprovadamente desconfortáveis para os animais e às viagens frequentes que perturbam os seus ritmos naturais entre outros constrangimentos.

É relevante recordar que o ano passado a TripAdvisor anunciou que deixou de ser possível comprar bilhetes para atrações que envolvam animais selvagens. O maior website de viagens do mundo não vai vender mais entradas para centenas de atrações nas quais os turistas estão em contacto direto com animais selvagens ou espécies em vias de extinção que estão em cativeiro e numa iniciativa que coloca a responsabilidade social à frente do lucro e que contribui para uma sociedade civil mais participativa e organizada.

“Os animais explorados nos circos são meras sombras daqueles que se encontram na natureza. Os animais que se encontram nos circos devem ser resgatados e colocados em reservas onde possam recuperar e preservar a sua integridade. As pessoas devem ser sensibilizadas e incentivados a escolher apenas circos onde não haja animais.” – refere André Silva.



publicado por Carlos Gomes às 21:45
link do post | favorito

SINTRA: NAS MERCÊS CONTINUA A VENDER-SE PEIXE JUNTO AOS ESGOTOS DA RIBEIRA DA LAGE

Apesar de oficialmente desativado o antigo mercado das Mercês, junto á Ribeira da Lage, continua-se ali a vender o peixe sem observância das mínimas condições de higiéne.

BL-Merces 013

Mesmo ao lado, os esgotos lançam para a ribeira toda a espécie de imundície e o local encontra-se infestado de insectos, roedores e outras pragas.

A requalificação tarda, as bancas não são demolidas e alguns vendedores, aproveitando a indiferença das entidades responsáveis, continuam a fazer a sua venda de peixe naquele espaço degradado e sujo que, pelos vistos, continua a ter consumidores que não se importam da falta de condições de higiéne… desconhecendo-se se tais produtos alimentares vão ser servidos nomeadamente a crianças!

BL-Merces 014

BL-Merces 019

BL-Merces 015



publicado por Carlos Gomes às 09:29
link do post | favorito

Terça-feira, 28 de Novembro de 2017
PAN LEVA A DEBATE NO PARLAMENTO MAIOR RESPONSABILIZAÇÃO NA PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS
  • Agravar a moldura penal para incendiários
  • Responsabilidade criminal para pessoas, empresas e autarquias que não efetuem a limpeza dos terrenos
  • Voltar a incluir o crime de incêndio florestal no leque de crimes de investigação prioritária
  • Acabar com as nomeações políticas para a proteção civil e estabelecer procedimento concursal
  • Integrar veterinários na proteção civil e criar uma de equipa de salvação e resgate animal

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza leva a debate esta quarta-feira, dia 29 de Novembro, 14 medidas que visam contribuir para uma mudança de paradigma na área da prevenção e combate aos incêndios, com foco numa responsabilização penal mais robusta, na intensificação das medidas de prevenção, na aposta na biodiversidade e na definição de estratégias imediatas de apoio às populações e equipas no terreno.

Para o PAN é urgente rever a moldura penal, aumentando os limites mínimos das penas para os crimes de incêndio florestal, e quer voltar a incluir o incêndio florestal no leque de crimes de investigação prioritária definidos pela Lei de Política Criminal 2017-2019. Proprietários, entidades gestoras e câmaras municipais também deverão estar sujeitos a responsabilidade penal em caso de não cumprimento das obrigações previstas no Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, nomeadamente nos casos de falta de limpeza dos terrenos florestais.

Sem ignorar o real impacto das Alterações Climáticas e tendo em conta que este ano os dois maiores focos de incêndios aconteceram antes e depois da atual janela temporal, o PAN queralterar o período crítico denominado por “Fase Charlie” para que se inicie a 15 de maio e termine a 30 de outubro.

O partido pede a alteração da orgânica da Autoridade Nacional de Proteção Civil com uma iniciativa legislativa que estabelece a imposição de procedimento concursal para atribuição de cargos decisórios preponderantes da Proteção Civil, ao invés da prática da nomeação política.

Constatando também a falta de meios de socorro a animais, o PAN defende a integração de médicos-veterinários na Proteção Civil e, consequentemente, a inclusão dos animais nos planos de emergência e socorro com a criação de uma equipa de salvação e resgate animal.

Ainda em resposta a estes incêndios, o PAN pretende ver suspensa a permissão de caça acima do Rio Tejo de forma a permitir a regeneração dos ecossistemas nas zonas mais afetadas, seguindo o apelo já transmitido pela Quercus ao Governo depois da morte de um número incalculável de animais e da destruição dos seus habitats. Na sequência dos incêndios que deflagraram na zona Centro e Norte do país, o partido pretende também a criação de uma equipa de apoio psicológico para as pessoas afetadas e para os bombeirosintervenientes no combate, apoio a ser disponibilizado por um período não inferior a três anos e dotado de meios de deslocação ao terreno.

No que toca às ações de arborização e de rearborização, a biodiversidade deve ser privilegiada. Para isso, o PAN pretende que seja criado um programa específico para apoio à instalação e implementação de modelos de silvicultura que utilizem carvalhos, castanheiros e outras folhosas e que compense a eventual perda de rendimento, dando opções aos proprietários e associações de produtores de se encaminharem para uma floresta nativa, mais ecológica e mais rentável a médio e longo prazo.



publicado por Carlos Gomes às 16:44
link do post | favorito

COCA-COLA ASSINALA 40 ANOS EM PORTUGAL COM GARRAFAS GIGANTES DECORADAS PELO ARTISTA VISUAL RAM

20 garrafas contour serão expostas por todo o país, no dia 3 de Dezembro, às 16h30

No âmbito da comemoração dos 40 anos da chegada da Coca-Cola a Portugal, a Coca-Cola está a oferecer a todos os distritos de Portugal Continental bem como às duas Regiões Autónomas uma icónica garrafa “contour” em grandes dimensões decorada pelo artista visual Miguel Caeiro, a.k.a. RAM.

IMG-20170717-WA0008

O Parque Radical junto ao Museu Dom Diogo de Sousa é o local em Braga escolhido para a colocação da garrafa comemorativa, depois dos Açores, Macedo de Cavaleiros, Viseu, Setúbal e Porto. A inauguração terá lugar no Domingo, dia 3 de Dezembro, às 16h30, coincidindo com um torneio de skate organizado pelo Braga Skate. A inscrição no torneio será validada através entrega de um bem alimentar doado a uma entidade social da cidade. O evento terá a presença de um Dje um graffiter que irá criar um desenho sobre a cidade.

Com a entrega desta obra de RAM, a Coca-Cola pretende simbolicamente agradecer a todo o país o enorme reconhecimento da marca nestas quatro décadas de presença em Portugal. Ao mesmo tempo que sublinha a preferência dos consumidores, esta iniciativa cumpre uma das mais inovadoras e antigas características da essência da marca: a ligação às artes visuais, o estímulo à produção artística contemporânea e a disponibilização para usufruto das populações de obras originais produzidas a partir de bens de consumo identificadores da cultura popular.

Ciente da sua enorme responsabilidade social e corporativa, a Coca-Cola decidiu desafiar o artista visual Miguel Caeiro, a.k.a. RAM a levar a cabo a decoração original de 20 garrafas com 2,5 metros de altura para poder devolver à população de cada distrito e regiões autónomas, sob a forma de obra de arte, a ligação emocional, carinho e fidelidade à Coca-Cola. O artista decidiu trabalhar o sentido humano e a essência colorida da marca, exibindo estes 40 anos sob a forma de 40 círculos, que representam não só toda a nação, mas também todas as raças presentes em Portugal. Enquanto viajante que tem percorrido vários cantos do Mundo, o artista sempre encontrou na Coca-Cola uma sensação de liberdade e é essa liberdade que as suas cores e traços significam. Por fim, RAM pretendeu ainda adicionar os emblemáticos slogans usados pela Coca-Cola em Portugal nos últimos 40 anos, utilizando para isso uma vasta caligrafia gráfica baseada em letras de graffiti, representando todas aquelas frases que de alguma forma fazem parte da vida dos portugueses.

Sobre o artista:

RAM é o nome sob o qual o artista Português Miguel Caeiro (n. 1976) tem operado desde que começou a intervir clandestinamente nas ruas em 1997. Precursor do graffiti e arte urbana de cariz experimental, RAM tem trilhado um caminho singular na construção de uma linguagem inteiramente original no mundo da nova estética urbana. As suas explosões energéticas de cor e formas dinâmicas aproximam-se de uma action painting contemporânea impregnada de um visionarismo de raiz psicadélica, numa linha de intensa vitalidade que exprime a construção de realidades etéreas – projecções de um fértil imaginário do sub e inconsciente onde impera a força dinâmica e primeva da natureza.

Natural de Sintra, cresceu na intersecção entre o mundo natural e selvagem e o mundo urbano e civilizado. Com uma predisposição inata para complementar opostos, o seu trabalho reflecte a assimilação de ambos na criação de uma visão nova. Uma viagem pelo fantástico que começou com o fascínio pela arqueologia e os mundos perdidos que encontrou eco no seu anseio pela exploração, pela transcendência. Uma fusão de mistério e misticismo, viagem e aventura, expressão gráfica e visual, poesia em movimento. RAM é, aliás, um diminutivo de Ramsés, reflexo desse mesmo gosto pelos mundos antigos e civilizações perdidas. Com o tempo, porém, o nome tornou-se acrónimo, adquirindo um significado e importância que reflecte a sua realidade criativa presente com precisão: Rapid Aerosol Movement.

Com um pendor instintivo pela experimentação, o artista foi apurando o lado técnico da pintura e soltando o traço expressivo. Das formas pesadas e sólidas foi transitando para o improviso, o movimento solto, a fluidez. A acção performativa e a energia ganharam presença, levando-o à linguagem individual que hoje caracteriza um estilo aparentemente selvagem e indomado, mas minucioso, preciso e pleno de equilíbrio. Ao longo dos anos, esse mesmo movimento incansável tem-no levado a explorar uma multiplicidade de suportes – do intimismo detalhado da aguarela à manifesta imponência dos murais em grande escala, da instalação conceptual à performance interdisciplinar.

Tido como um dos mais inovadores artistas urbanos contemporâneos, tem participado em inúmeros festivais e eventos expositivos à volta do mundo e exposto regularmente o seu trabalho em mostras quer individuais, quer colectivas. Tem participado igualmente na curadoria artística de vários eventos, da célebre VSP – pioneira exposição de arte urbana realizada em Lisboa entre 2004 e 2009 – ao conceituado Boom Festival, entre muitos outros.

Tem desenvolvido também uma linha de land art, edificando grupos escultóricos efémeros a partir de elementos naturais que tem deixado nos quatro cantos do mundo por onde tem viajado – em busca de paredes para pintar, mas também de outras para deslizar, sobre a água, no surf que o acompanha sempre que pode. Na tal busca de equilíbrio entre mundos, realidades, dimensões.

Miguel Moore, Outubro 2014

Sobre Coca-Cola European Partners

A Coca-Cola European Partners plc (CCEP) é uma empresa líder na Europa no sector de grande consumo que produz, distribui e comercializa uma vasta gama de bebidas não alcoólicas, sendo o maior engarrafador independente da Coca-Cola do mundo no que se refere às receitas.

A Coca-Cola European Partners emprega uma população de mais de 300 milhões de pessoas em 13 países da Europa Ocidental, que inclui Espanha, Andorra, Portugal, Alemanha, Bélgica, França, Reino Unido, Holanda, Luxemburgo, Mónaco, Noruega, Islândia e Suécia. A empresa é cotada nas bolsas Euronext Amsterdão, Nova Iorque, Euronext Londres e nas bolsas espanholas com o ticker“CCE”.

Espanha, Portugal e Andorra constituem a divisão ibérica da Coca-Cola European Partners, com uma equipa de mais de 4.400 empregados, servindo 400.000 clientes e um total de 143 milhões de consumidores, dos quais 85 milhões são turistas.

A divisão ibérica da CCEP comercializa em Portugal 11 marcas diferentes, 38 produtos e 107 referências. Conta com oito fábricas de refrigerantes e três nascentes de água mineral natural.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:16
link do post | favorito

Segunda-feira, 27 de Novembro de 2017
MOVIMENTO 1º DE DEZEMBRO LANÇA LIVRO SOBRE DESFILE NACIONAL DAS BANDAS FILARMÓNICAS DESDE 2016

O Movimento 1º de Dezembro procede ao lançamento no próximo dia 29 de Novembro do livro “O Novo 1º de Dezembro”, em cerimónia que vai ter lugar no Palácio da Independência, ao Largo de São Domingos, 11, em Lisboa. Trata-se de uma iniciativa do Movimento 1º de Dezembro que assinala cinco anos do Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas (2012-16), e visa enriquecer e valorizar o dia em que celebramos a independência nacional.

23379892_1520430041397445_2625663396626254591_n

Sob chancela da "Casa Sassetti", uma marca da Editora Princípia, trata-se de um livro-álbum elaborado sob coordenação de José Ribeiro e Castro, apresentando imagens de bandas filarmónicas e outros grupos que, nos últimos cinco anos, já vieram representar 71 concelhos neste "novo 1º de Dezembro", festivo e popular.

A obra tem como promotores o Movimento 1º de Dezembro, a Sociedade Histórica da Independência de Portugal e a Confederação Musical Portuguesa e como patrocinadores 16 Câmaras Municipais: Baião, Cabeceiras de Basto, Cantanhede, Carrazeda de Ansiães, Castelo Branco, Chaves, Leiria, Lisboa, Mafra, Mangualde, Montijo, Odemira, Pedrógão Grande, Ponte de Lima, Portimão, Seia, Viana do Alentejo e Viana do Castelo.

As fotografias usadas no livro-álbum são de Isabel Santiago Henriques, Manuel dos Santos, Carlos Gomes, José Ribeiro e Castro e Rui Ochoa.

O livro será apresentado por José Ribeiro e Castro, coordenador da obra e do Movimento 1º de Dezembro, e por José Alarcão Troni, presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal.

O preço de venda ao público é 25,00 €.



publicado por Carlos Gomes às 23:43
link do post | favorito

BANDAS FILARMÓNICAS DESFILAM EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA EM 1640

Bandas Filarmónicas de todos os distritos do país vão participar no desfile nacional que vai ter lugar no próximo dia 1 de Dezembro, no âmbito das comemorações do dia da Restauração da Independência Nacional em 1640.

A organização pertence ao Movimento 1º de Dezembroque lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios. É possível realizá-lo também graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro.

CapturarTBouro

Está também prevista a edição este ano de um livro em forma de álbum fotográfico que constitui um interessante registo das participações das bandas filarmónicas nas comemorações do 1º de Dezembro.

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas que este ano se realiza tem o seguinte programa:

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)

15h00 - Início do Desfile

16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.900 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 6ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:

Tocá Rufar (Seixal)

Mareantes do Rio Douro (Gaia)

BANDA NACIONAL:

Banda da Armada

BANDAS FILARMÓNICAS:

Banda Musical de Figueiredo (Arouca)

Sociedade Recreativa e Filarmónica 1º de Janeiro de Castro Verde (Castro Verde)

Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)

Banda de Música da Carvalheira (Terras de Bouro)

Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)

Associação Recreativa Musical Covilhanense | Banda da Covilhã (Covilhã)

Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)

Banda Filarmónica da União de Aldeia de João Pires (Sociedade Recreativa e Musical) (Penamacor)

Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense (Sertã)

Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense (Vila Velha de Ródão)

Sociedade Musical Recreativa de Alqueidão / Filarmónica do Alqueidão (Figueira da Foz)

Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira (Montemor-o-Velho)

Sociedade Filarmónica Sangianense (Oliveira do Hospital)

Sociedade Filarmónica Portimonense (Portimão)

Sociedade Recreativa e Musical Loriguense (Seia)

Sociedade Filarmónica Avelarense (Ansião)

Sociedade Artística Musical 20 de Julho de Santa Margarida do Arrabal (Leiria)

Sociedade Filarmónica Pedroguense (Pedrógão Grande)

Associação Musical e Artística Lourinhanense (Lourinhã)

Banda da Escola de Música da Juventude de Mafra (Mafra)

Banda Juvenil do Município de Gavião (Gavião)

Sociedade Musical Nisense (Nisa)

Sociedade Recreativa Musical Alegretense (Portalegre)

Banda Filarmónica de Crestuma (Gaia)

Sociedade Filarmónica Gualdim Pais (Tomar)

Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal)

Banda Musical do Barreiro (Barreiro)

Banda Nova de Barroselas (Associação Banda Escuteiros de Barroselas) (Viana do Castelo)

Banda Marcial de Tarouquela e Municipal de Cinfães (Cinfães)

Banda de Música de São Cipriano “A Nova” (Resende)

Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias (Santa Comba Dão)

Será um total de 32 entidades, integrando 1 grupo de persussão, 1 banda nacional militar e 30 bandas filarmónicas civis.

Serão cerca de 1900 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país que irão descer a Avenida da Liberdade, para celebrar Portugal, a Independência e a Restauração através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes sob a direcção do Maestro Capitão-Tenente Délio Gonçalves, da Banda da Armada.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas, bem como o Hino da Restauração. O alinhamento do momento colectivo conta também, além do Hino da Restauração, com a interpretação dos Hino da Maria da Fonte e Hino Nacional.

Banda Nova de Barroselas - 2015



publicado por Carlos Gomes às 23:38
link do post | favorito

Domingo, 26 de Novembro de 2017
PAN VOTA FAVORAVELMENTE ORÇAMENTO DE ESTADO

Orçamento do Estado 2018:  PAN muda o sentido de voto após aprovação de medidas em áreas estruturais

  • Aumento de 10% de nutricionistas e de 7% de psicólogos no SNS
  • Distribuição de fruta a 150 mil crianças do ensino pré-escolar e de bebidas vegetais no 1º ciclo e pré-escolar
  • Criação de 49 salas de atendimento à vítima e condições para partos na água
  • Fim da isenção do pagamento de ISP para empresas que produzem eletricidade a partir do carvão
  • Reforço do investimento em 2 milhões de euros em Centros de Recolha Oficial de Animais e apoio a escolas de formação de cães de assistência
  • Orçamento distante da visão do PAN mas com contributos importantes para uma visão ambiental e social de longo prazo

Pela terceira vez, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, alcança medidas importantes no Orçamento do Estado, que exigiram um forte empenho negocial para alcançar avanços em áreas estruturais e que ainda não são reconhecidas como prioritárias pelos decisores políticos nacionais.

Saúde e educação 

Para este Orçamento do Estado o PAN definiu como prioritário um compromisso mais sólido com as pessoas no eixo prevenção das áreas da Saúde e da Educação. Foi conseguido um aumento de 10% na contratação de nutricionistas para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) que passam a ser 440 já em 2018 com um reforço de 40 profissionais. Também a contratação de psicólogos para o SNS vai aumentar na ordem dos 7%,passando a 590 profissionais, atualmente existem 553.

Para que seja dada resposta adequada às efetivas necessidades alimentares das crianças que frequentam os estabelecimentos de educação pré-escolar e dos alunos do 1.º ciclo do ensino básico da rede pública, vai passar a ser oferecida bebida vegetal como alternativa ao leite, numa quota de 5%. Foi possível aprovar a proposta do PAN, para a distribuição de fruta no ensino pré-escolar. A partir de agora a oferta estende-se aos alunos do pré-escolar. Esta medida abrange cerca de 150 mil crianças inscritas no ensino público pré-escolar.

Direitos Humanos

Serão também criadas mais 49 salas de atendimento à vítima de violência (SAV) nas esquadras das forças de segurança (PSP e GNR) por proposta do PAN e foi aprovada a proposta que pretende criar condições para partos na água nos hospitais públicos. O parto na água só é acessível atualmente para alguns, não estando ainda disponível no Serviço Nacional de Saúde, mas somente em clínicas privadas e em partos domiciliários, o que implica custos acrescidos e pode sujeitar a mulher e a criança a maiores riscos pelo facto de o parto não ter lugar numa unidade hospitalar.

Ambiente

Foi finalmente possível inscrever no Orçamento do Estado uma medida de proteção ambiental profunda que faz com que quem mais polui mais pague. A partir do próximo ano as empresas que produzem eletricidade a partir da queima de carvão deixam de estar isentas do pagamento da taxa de ISP. Foi também aprovada a proposta do PAN que define que o incentivo de 2.250€ atribuídos através do Fundo Ambiental aos automóveis elétricos será estendido aos motociclos.

Proteção e bem-estar animal

Nos últimos três anos tem sido visível um maior envolvimento e empenhamento do Estado no que respeita à proteção e bem-estar animal. Foi integrada no Orçamento do Estado para 2018 a proposta do PAN que reforça o investimento em Centros de Recolha Oficial de Animais (CROA)num total de dois milhões de euros. Este valor vem concretizar a proposta do Orçamento do Estado para 2017 que determinava a ação do Governo para um levantamento sobre o estado e necessidades dos CROAs, seguido de um auxílio para os municípios na construção da desejada – e ainda incompleta – rede de centros de recolha oficial por todo o país. Depois de já ter garantido a nova medida junto do Governo, o PAN conseguiu agora que o Parlamento aprovasse um total de 2 milhões de euros para o mesmo objetivo. Ainda no âmbito da proteção e bem-estar animal foi aprovada a criação de uma linha de apoio a escolas de formação de cães de assistência.

Ficaram por aprovar propostas relevantes como o fim da taxa de mínima de IVA para os artistas tauromáquicos, a proposta de inclusão de intérpretes de Língua Gestual Portuguesa no SNS, o aumento da Taxa de Recursos Hídricos aos electroprodutores e aos produtores de carne e do leite; a atribuição de verba de 1 milhão de euros para campanha nacional de esterilização e o pacote de 13 medidas para a implementação da Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica. Um orçamento distante da visão estrutural do PAN mas com contributos importantes para a visão ecológica e social de longo prazo que o partido defende.

O PAN irá votar favoravelmente o Orçamento do Estado para 2018.



publicado por Carlos Gomes às 21:28
link do post | favorito

Sábado, 25 de Novembro de 2017
LOURES VIRA CAPITAL DO FOLCLORE

Capturarfolk



publicado por Carlos Gomes às 11:46
link do post | favorito

Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
MINHOTOS RUMAM A LOURES PARA CANTAR AO MENINO JESUS

22361199_10210513513020241_2044681315_n



publicado por Carlos Gomes às 21:02
link do post | favorito

PONTE DE LIMA LEVA A LOURES ALHEIRA DE GALO E ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA E O GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO ANIMA A FESTA

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes do Sarrabulho em Ponte de Lima

O arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo vão fazer as delícias dos melhores apreciadores da cozinha tradicional minhota. Trata-se de uma jornada gastronómica levada a cabo pelo Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os Restaurantes de Sarrabulho em Ponte de Lima e vai ter lugar no próximo dia 4 de Fevereiro, no refeitório da Câmara Municipal de Loures.

SarrabulhoLoures

O arroz de sarrabulho é uma das mais ricas especialidades da cozinha portuguesa em geral e minhota em particular. Um autêntico manjar próprio dos deuses!

Ao invés das papas de sarrabulho que são feitas à base de farinha de milho, aqui impera o arroz como a própria designação indica.

Desde a perna do porco às belouras, do chouriço verde às farinhotas e outros aromas e delícias de fazer crescer àgua na boca, o porco compromete-se na elaboração deste magnífico prato. As carnes são temperadas com louro, cravinho e noz-moscada, sal e pimenta e, no final, com os cominhos que lhe conferem um paladar muito peculiar e único. As carnes, depois de cozinhadas e desfiadas, juntam-se ao arroz e vão de imediato à mesa.

Por sua vez, a alheira de galo, especialidade produzida pela Minho Fumeiro, situada na Correlhã, no concelho de Ponte de Lima, e já galardoada com a medalha de ouro no concurso da Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, é justamente considerada a “melhor das melhores” alheiras do país.

Com baixo teor de sal e calorias, contendo apenas 13 gramas de gordura e 14 gramas de proteína, a sua confecção possui alguns segredos que vão do pão amolecido no caldo da cozedura das carnes de galo até aos temperos.

E porque onde há Minho há alegria e tradição, lá estará o Grupo Folclórico Verde Minho para animar o evento com as mais alegres rapsódias do folclore do Alto Minho.

Por sua vez, entendendo que o folclore ou seja, a sabedoria popular não se restringe ao canto e à dança mas abrange todos os aspectos da vida social, incluindo nela a própria gastronomia, o Grupo Folclórico Verde Minho juntou esforços com o melhor da restauração limiana para em Loures – às portas da capital do país! – dar a conhecer a Alheira de Galo e o Arroz de Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima.

- Venham, pois, provar o nosso património!

AlheiraLoures



publicado por Carlos Gomes às 20:56
link do post | favorito

RUI AGUILAR CERQUEIRA VAI A LOURES FALAR DO FOLCLORE E DO REGIONALISMO NA ÁFRICA AUSTRAL

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho com o apoio da Câmara Municipal de Loures

O Grupo Folclórico Verde Minho promove mais uma conferência dedicada ao folclore e ao regionalismo a ter lugar já no início do próximo ano. Rui Aguilar Cerqueira, antigo componenente da extinta Casa do Minho em Lourenço Marques e do seu rancho folclórico vai, no próximo dia 24 de Março, proferir uma palestra subordinada ao tema “Folclore e Regionalismo Minhoto na África Austral: A Casa do Minho em Lourenço Marques (Moçambique)”.

Rancho1

A conferência será acompanhada pela projecção de imagens da época vivida pelos nossos conterrâneos em Moçambique, incluindo a celebração do compasso pascal e a actuação do rancho folclórico.

A iniciativa tem lugar a partir das 15 horas, no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, espaço onde se reúne a Assembleia Municipal de Loures, junto ao Parque da Cidade. Existe excelente estacionamento no local.

Como é sabido, os antigos territórios ultramarinos portugueses foram também o destino de muitos minhotos que decidiram ali construir as suas vidas. Rumando diretamente a partir da metrópole ou fixando-se após o cumprimento do serviço militar naquelas paragens, Angola e Moçambique vieram a tornar-se a segunda terra para muitos dos nossos conterrâneos que assim trocavam a estreita courela pela desafogada machamba ou simplesmente empregavam-se na atividade comercial das progressivas cidades de Luanda e Lourenço Marques, atual Maputo.

Porém, a recordação do Minho distante não os abandonou e permaneceu sempre nos seus corações. E, a provar esse amor filial, criaram as suas próprias associações regionalistas a fim de manterem mais viva a sua portugalidade e as raízes minhotas. Em Lourenço Marques, fundaram a Casa do Minho em 1955.

Rancho2

Durante duas décadas consecutivas, aquele foi o ponto de encontro das nossas gentes em terras moçambicanas. Ali se construíram novas amizades e conservavam as suas tradições. A constituição de um Rancho Folclórico no seio daquela associação foi um dos melhores exemplos do seu apego às origens. Até que a descolonização veio alterar o rumo das suas vidas e determinar a extinção da Casa do Minho.

Não obstante, muitos dos minhotos e amigos da Casa do Minho, que dela fizeram parte ou de alguma forma por lá passaram, não esquecem esses tempos saudosos e, todos os anos continuam a reunir-se no Minho em alegre e amistosa confraternização, partilhando recordações e revivendo a terra que também amaram – Moçambique!

Rancho3

Rui Aguilar Cerqueira nasceu em 1955, no Hospital Miguel Bombarda, em Lourenço Marques, como então se designava a capital de Moçambique, actual cidade do Maputo. Descende pelo lado paterno de naturais de Arcos de Valdevez – o pai chamava-se Abel Cerqueira – e, por parte da mãe, Maria Adelaide Varela Aguilar Cerqueira, de lisboetas.

Viveu, estudou e trabalhou como até aos 22 anos Agente Técnico de Apuramentos Estatísticos no Ministério da Agricultura, em Lourenço Marques.

Após a independência de Moçambique ocorrida em 25 de Junho de 1975, regressou a Portugal na companhia de toda a família e fixou residência em Braga.

Recomeçando a vida, deu então inicio a uma nova vida profissional, passando a exercer funções nas empresas multinacionais alemãs “Grundig Electrónica Portuguesa”, “Blaupunkt Auto Rádio Portugal, Lda ” e “BOSCH BRG”, durante 38 anos, como Técnico de Electrónica-Oficial.

Praticou desporto e foi atleta federado em Hóquei em Patins e Voleibol.

Rancho 4

Durante a sua permanência em Moçambique, integrou a Casa do Minho de Lourenço Marques e o seu Rancho Folclórico composto por 80 elementos, representando a região minhota, com as suas danças e cantares tradicionais, com especial incidência no Alto Minho.

Sendo o seu falecido pai o ensaiador do grupo, era natural que os seus dois filhos ainda de tenra idade integrassem o Rancho juntamente com outras crianças, formando assim o respectivo Rancho Infantil cuja constituição ocorreu por volta de 1959. Tinha por essa altura apenas 4 anos de idade e o seu irmão, com apenas 2 anos, tornou-se a mascote do grupo folclórico.

Com o decorrer do tempo e atingida a idade indicada para passagem ao grupo dos adultos, tornou-se o par marcante e aquele que exercia a “voz de comando”.

Para além de grandes exibições em Moçambique, o Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lourenço Marques também se deslocou a África do Sul, Rodésia, Suazilândia entre outros países africanos, tendo recebido numerosas lembranças e até ganho diversos festivais folclóricos cujos troféus reuniu nas instalações da su sede social. À época era bastante comum a realização de concursos para avaliar o desempenho dos grupos folclóricos.

Rancho 5

Com a independência política, todas as casas regionais e demais associações portuguesas existentes em Moçambique foram nacionalizadas, ficando os minhotos privados da sua Casa do Minho.

Nas fotos que apresentamos pode ver-se o rancho infantil, encontrando-se em cima, à direita, em primeiro lugar, o seu irmão Fernando Cerqueira (já falecido) e, em seguida, o sr. Rui Cerqueira. Nas duas fotos seguintes surge o seu pai, na qualidade de ensaiador, na frente a dançar o malhão traçado e, na outrao seu pai de gravata no meio do grupo. Estas fotos datam de 1960. Nas duas seguintes aparece Rui Aguilar Cerqueira, de barbas, na frente como o par marcante.

484396_10200262053808057_30167815_n

Actualmente, todos os minhotos ainda vivos que viveram naquele ambiente minhoto em terras moçambicanas – à época território português! – desde sócios, dirigentes, antigos componentes do rancho seus familiares e amigos, reunidos por Rui Cerqueira, encontram-se anualmente num almoço de confraternização, por ocasião do aniversário da associação, sempre numa diferente cidade minhota. E este “toque a reunir” que junta invariavelmente cerca de duas centenas de convivas, ocorre ininterrupetamente desde há 21 anos, tal é a saudade que os anima e o amor ao rincão natal!

CapturarRuiAguilarCerqueira



publicado por Carlos Gomes às 19:35
link do post | favorito

SARGENTO APRESENTA-SE COM SINGLE "ONLY THE STARS KNOW"

Segredos, quem não os tem? Sejam bons ou maus, maiores ou menores, são inevitáveis e inerentes à condição humana. E este que agora revelamos é dos bons, um autêntico doce musical que nos conquista a cada dentada.

Falamos de “Only The Stars Know”, single de estreia de um projeto que promete arrebatar o coração dos portugueses: Sargento é um músico de origem misteriosa cujos temas remetem para um revivalismo do glamour e do cavalheirismo. A Music For All apresenta assim o primeiro trago de um álbum que poderá ser degustado no início de 2018.

Sargento Promo


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 18:26
link do post | favorito

PAN ESTÁ PREOCUPADO COM NOTÍCIAS REFERENTES ÀS MATILHAS DE CÃES NO CONCELHO DE SINTRA

PAN pede cautela nas alegadas declarações sobre as matilhas de Sintra

Hoje, dia 24 de Novembro de 2017, o Deputado Municipal do PAN, Bernardo Ramos Gonçalves, na sequência das notícias avançadas por diversos órgãos de comunicação social referente à questão das matilhas, solicitou esclarecimentos ao Vereador responsável pelo Gabinete Médico-Veterinário da Câmara Municipal de Sintra.

1179747

"Nós acompanharemos de perto e em permanência toda as situações referentes a esta matéria. É importante referir que não podemos negar a natureza destes animais. Caso se confirme que são silvestres é preciso ter consciência de que o encaminhamento para a adopção é inviável e a sua permanência no Centro de Recolha Oficial para Animais constitui uma verdadeira prisão perpétua para estes" - informa o Deputado Municipal do PAN.

O PAN avança ainda que se encontra em contacto com os cuidadores, os quais asseguram que os animais são absolutamente pacíficos, encontrando-se alguns já esterilizados às custas desses mesmos cuidadores.

"Deve-se avaliar a possibilidade, dos serviços do Gabinete Médico-Veterinário em conjunto com os cuidadores, de se esterilizar e castrar todos os animais da matilha, estabelecer regras para a sua alimentação e consequente localização, e deixá-los em liberdade com o acompanhamento e monitorização devida" - esclarece Bernardo Ramos Gonçalves, Deputado Municipal do PAN.

O PAN considera que é preciso tomar decisões e dar declarações de forma ponderada e não alarmista como tem vindo a acontecer.

Foto: Público



publicado por Carlos Gomes às 14:48
link do post | favorito

FESTIVAL DA MÁSCARA IBÉRICA ESTÁ DE VOLTA

23843402_1997196663850158_2268449181176910931_n



publicado por Carlos Gomes às 11:05
link do post | favorito

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
SINALIZAÇÃO DO TRÂNSITO NÃO É RESPEITADA NO HOSPITAL AMADORA-SINTRA

No Hospital Fernando da Fonseca, vulgo Hospital Amadora-Sintra, a sinalização do trânsito raramente é respeitada pelos visitantes daquele estabelecimento hospitalar.

urgencia

A área de urgências reservada às ambulâncias e outros veículos prioritários que se encontrem em marcha de urgência é frequentemente invadida por viaturas particulares que não se encontrando em situação de emergência, não obedecem à sinalização ali existente e perturbam a acção dos profissionais de emergência médica.

Também as áreas assinaladas de acesso prioritário para situações de grande emergência é muitas vezes ocupado apesar da necessidade de desimpedimento do local. Idêntica obstrução verifica-se na zona de acesso ao heliporto, com extensas filas de veículos a dificultar e mesmo impedir o acesso ao local.

As multas de estacionamento aplicadas pelos agentes da autoridade que patrulam o local incidem principalmente no mau estacionamento fora das áreas de parqueamento autorizado, sem qualquer intervenção na circulação junto à zona de emergências.

Foto: Jornal da Região



publicado por Carlos Gomes às 23:47
link do post | favorito

FOLCLORISTAS EM OEIRAS DEBATEM "O TRAJE DE ANTANHO"

22491669_1678079105549623_7925740411260252154_n



publicado por Carlos Gomes às 23:20
link do post | favorito

“NÃO QUERO FICAR ASSIM”, O INCENTIVO DE RAKEL BRONZE

Há temas que marcam uma carreira e uma vida. “Não Quero Ficar Assim” é exemplo disso. Nele, Rakel Bronze aborda o tema da violência doméstica, da submissão, mas também incentiva quem sofreu ou sofre destes abusos a libertar-se.

Rakel Bronze promo

Segundo a própria, “as mulheres têm potencialidades e forças admiráveis. Não devem ter medo de sentir nem de viver”. Rakel Bronze quer realçar a beleza e a força das mulheres, para que todas possam seguir o seu caminho. E este single pretende levar as mulheres e quem as ama a partilhar momentos e emoções. “Não Quero Ficar Assim”, amparada também pelo seu videoclip, é uma canção inspiradora, trazida pela Rakel Bronze e a Music For All.

Rakel Bronze nasceu em Almada, decorria o ano de 1977. Sentiu cedo o chamamento da Dança, estando ligada à área desde os cinco anos de idade. Quando atingiu a maioridade optou pela formação em Letras em detrimento do Conservatório, lançando assim as bases para aquilo que, anos mais tarde, viria a transformar-se na Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas que hoje possui.

Paralelamente, foi-se afirmando no fascinante mundo da poesia. Com apenas 19 anos de idade publicou as primeiras obras na Editora Minerva (participou em duas Antologias de Poesia Portuguesa Contemporânea), estimulando assim uma faceta que, anos mais tarde, viria a desempenhar um papel deveras importante na composição do seu disco de estreia.

Ao longo dos anos passou por diversas profissões, todas elas ligadas à Comunicação e à Arte. As aulas de Dança estiveram sempre presentes, sendo uma vertente fundamental da sua existência, tendo pisado palcos enquanto bailarina, modelo, figurante e apresentadora de diversos eventos um pouco por todo o país. Em 2013 tornou-se instrutora oficial de Zumba, tornando realidade um sonho antigo, e aumentando ainda mais as suas competências e conhecimentos numa área que lhe é tão querida como é a Dança.

Em 2015 dá início à maior aventura da sua vida: construir uma carreira no mundo da música! Depois de um período de intensa composição e gravação surgiu “Geração Histórica”, primeiro trabalho a solo de Rakel Bronze, constituído por treze viciantes temas. Todas as suas diferentes facetas confluíram nesta obra: a escrita, a musicalidade, a dança e a presença em palco unem numa perfeita demonstração de talento e perseverança.

Produzido por Miguel Camilo, este disco é uma autêntica viagem. Rakel Bronze demonstra toda a sua versatilidade e assume-se como uma artista ciente do mundo globalizado em que vivemos, e, simultaneamente, ligada de forma permanente às suas origens e raízes lusitanas.

A capacidade em transformar-se de música para música diferencia-a dos nomes que a rodeiam e colocam-na como uma das artistas mais camaleónicas da cena musical portuguesa. É que, do inglês ao português, do espanhol ao alemão, de poderosas baladas a temas frenéticos e enérgicos, ou mesmo do salero latino ao som industrializado do centro da Europa, tudo parece ter lugar neste autêntico mar de influências onde navega Rakel e “Geração Histórica”.

Foi em fevereiro de 2017 que o álbum de estreia de Rakel Bronze foi lançado oficialmente, revelando ao país uma das novas caras da Music For All. O tema “Não Quero Ficar Assim” é o mais recente excerto deste trabalho.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 22:31
link do post | favorito

CASCAIS REALIZA FEIRA DE NATAL

No próximo dia 26 de novembro no Grande Real Villa Itália em Cascais

AJU organiza 8ª edição da Feira de Natal

  • Muitas crianças ficariam sem comer até à noite, sem supervisão parental e na rua, até os pais chegarem do trabalho, se a AJU não existisse
  • A maioria das famílias acompanhadas pela AJU vive com cerca de 50€ per capita/mês
  • É com os múltiplos apoios que recebem na AJU: alimentos, farmácia, apoios pecuniários, acompanhamento e formação que estas famílias conseguem viver com dignidade

No próximo dia 26 de Novembro, Domingo, a AJU vai promover a 8ª edição da Feira de Natal no Grande Real Villa Itália Hotel em Cascais, entre as 10h e as 20h.

Feira de Natal AJU

Numa lógica de responsabilidade social, a AJU pretende viver este projecto de uma forma inovadora, criando laços e sentido de comunidade.

A Feira de Natal AJU 2017 já vai na sua 8ª edição e é um evento anual de angariação de fundos que procura sustentabilidade e divulgação, para que a Fundação AJU (www.ajusera.com) possa continuar a apoiar as famílias mais vulneráveis do concelho de Cascais.

A entrada é gratuita e a promessa é a de um dia bem passado com 35 expositores multimarcas como a Maria Mangerica, ToGetHer Porto, Vera Manzoni Jewelry & More, Gralhas, Run is a Gift, entre outras, animação para crianças e zona de restauração.

A AJU apoia 360 famílias fragilizadas, num total de 950 pessoas.

Através de um trabalho de proximidade centrado na pessoa humana e na família, a AJU desenvolve acções e projectos que dão respostas concretas aos desafios actuais.

A visita de cada um é mesmo muito importante.

Mais sobre a AJU:

A Fundação AJU - Jerónimo Usera é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), que tem como objetivo a promoção integral da pessoa humana e da família, atendendo em especial aos mais desfavorecidos e marginalizados através de um acompanhamento integrado e próximo ao longo do ciclo de vida.

Criada em 2001 e sedeada no Concelho de Cascais, a AJU presta apoio a 350 famílias, através de um trabalho de proximidade, dando-lhes novos modelos e oportunidades, prevenindo comportamentos de risco e actuando na crise. Através de uma equipa multidisciplinar, a AJU disponibiliza diversos serviços e atividades direcionadas às necessidades específicas dos vários grupos que acompanha – crianças, jovens, adultos e seniores. Seguindo as pégadas do Pe Usera, a AJU aposta fortemente em projetos que promovam a formação acreditando que é através da educação que se possibilita a mudança e o desenvolvimento da comunidade e da sociedade em geral.



publicado por Carlos Gomes às 20:40
link do post | favorito

PAN GARANTE EXTENSÃO DE INCENTIVO FINANCEIRO A MOTOCICLOS ELÉTRICOS

Orçamento do Estado 2018

  • O incentivo referente à compra de carros elétricos vai ser estendido aos motociclos elétricos
  • Incentivo à mobilidade elétrica e à diminuição da dependência do país de combustíveis fósseis
  • São necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática
  • Promove o incentivo à aquisição de motociclos elétricos

A proposta do PAN, Pessoas – Animais – Natureza, de alteração ao Orçamento do Estado para 2018 no sentido da extensão do incentivo concedido ao carro elétrico a motociclos de duas rodas e ciclomotores elétricos foi acolhida pelo governo.

O PAN considera que o incentivo referente à compra de carros elétricos (2.250€) deve ser estendido aos motociclos, através do Fundo Ambiental, uma vez que as dificuldades impostas pelo trânsito presente nos meios urbanos tem levado muitas pessoas a optarem pelo recurso a motociclos em detrimento dos carros. Existe em simultâneo uma crescente e diversificada oferta de motociclos elétricos bastante fiáveis, económicos e ambientalmente sustentáveis. Esta medida dá continuidade a um forte compromisso do PAN com o programa de incentivo à mobilidade elétrica. Em paralelo, o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, deixou em aberto a possibilidade de se negociar no futuro a inclusão de bicicletas elétricas que neste pacote não estão contempladas.

Por proposta do PAN no orçamento do ano passado o governo comprometeu-se a uma renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros do Estado, através da aquisição de veículos elétricos e com a meta de integrar 1200 veículos elétricos no Parque de Veículos do Estado até 2019.  

O veículo elétrico constitui uma crescente e viável opção de mobilidade que responde a relevantes questões que dominam a atualidade, designadamente, o aquecimento global, a diminuição da qualidade do ar e a desmesurada dependência energética dos combustíveis fósseis. Portugal consumiu combustíveis fósseis equivalentes a mais de 700 milhões de toneladas de petróleo para sustentar o seu desenvolvimento nos últimos 125 anos.

Atualmente estamos a queimar para mover os carros, produzir eletricidade, alimentar indústrias e abastecer habitações, cerca de 16 milhões de toneladas de petróleo, carvão e gás natural por ano, sendo assim essencial diminuir a dependência do país no que respeita aos combustíveis fósseis. Este cenário gera um observável crescimento do uso de veículos elétricos, podendo vislumbrar-se uma tendência de massificação do mesmo que deve ser estimulada e apoiada pelo Estado.

É necessário um compromisso nesta área que vá para além da legislatura, são necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática e é essencial diminuir drasticamente a dependência do país de combustíveis fósseis.

Se Portugal está efetivamente determinado em promover um sistema de mobilidade cada vez mais sustentável, combatendo as alterações climáticas e diminuindo a dependência dos combustíveis fósseis, cabe ao Estado também dar o exemplo e mostrar orientações claras nesse sentido.



publicado por Carlos Gomes às 19:44
link do post | favorito

O ROCK DOS STOLEN BYRDS CHEGOU A PORTUGAL

Os Stolen Byrds têm o Rock na alma e comprovaram-no com o single “In My Head”, primeiro excerto do mais recente álbum da banda, “2019”. Agora a banda vem finalmente a Portugal mostrar a sua identidade rockeira.

Stolen Byrds - JETPLANE TOUR

Oriundos do Brasil, os Stolen Byrds têm o seu espaço bem demarcado na cena independente brasileira. A sua identidade musical inspirada no Hard Rock da década de 70, no Rock e Stoner Rock mas também no Blues.

A banda do Paraná tem dividido palcos com nomes do calibre de Sepultura, Cachorro Grande ou Casa das Máquinas e, chegou a hora de tomarem de assalto os palcos portugueses. A Jetplane Tour conta já com quatro datas no nosso país, com o apoio da Music For All.

29.11| Tokyo, Lisboa, 23h30, 5€

30.11| Hard Rock Café, Porto, 22h30, Entrada livre

01.12| Fábrica dos Ofícios, Porto, 23h, Entrada livre

02.12| Estudantino Café, Viseu, 23h, Entrada livre

De 2012 para cá, ano da sua formação no estado do Paraná no Brasil, os Stolen Byrds têm sido fiéis ao Rock com R grande. Aliás, no seu estilo é fácil reconhecer os sons do Blues e do Hard Rock da década de 70.

Cedo marcaram o seu espaço na cena independente brasileira, reforçado pela edição do primeiro álbum, “Gipsy Solution”, corria o ano de 2014. A evolução natural levou-os a acrescentar elementos de Stoner Rock e Psicadélico, resultando num som mais enérgico e denso, destacado no segundo trabalho homónimo da banda, “Stolen Byrds”, lançado já em 2016.

Convidados a atuar em diversas salas e festivais do Brasil, chegam a partilhar o palco com nomes de relevo, encabeçados por Sepultura, ou ainda Casa das Máquinas, Macaco Bong, Nevilton, Wander Wildner, Criolo, Cachorro Grande, Muñoz, Autoramas, Motorocker, Corona Kings, Water Rats, Riviera Gaz, Camarones Orquestra Guitarrística…

Com o Rock à flor da pele, os seus concertos são vistos como uma viagem astral eletrizante, que leva o público ao rubro, pois a banda pretende que cada concerto seja um momento único e inesquecível.

Muito recentemente editaram o seu terceiro álbum, intitulado “2019”, um trabalho mais pesado e visceral, mas principalmente, mais maduro. Nele, a banda não se limita a seguir o caminho até então traçado, investindo na integração em novos elementos para reforçar uma sonoridade muito própria e identificativa.

Os Stolen Byrds têm o Rock na alma e é o que Edwardes Neto (voz), João Olivieri (guitarra solo), Guz Oliveira (guitarra base), A.J. Filho (baixo) e Bruno Abreu (bateria) vêm provar na tour que farão em Portugal com início em finais de novembro deste ano.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 05:12
link do post | favorito

"ROTERDÃO CLUB" ESTREIA SETLIST

Roterdão (Cais do Sodré, Lisboa), estreia a primeira setlist sugerida para esta semana, com o apoio do curso CREATIVE WORLD MUSIC!

23755431_1915728575343313_5949476456478381399_n

Para quem não sabe, a Jam Underground está aberta a qualquer estilo musical, incentivando jovens estudantes e/ou experientes a fazer cada noite uma festa.

O objectivo é enriquecer a cultura entre todos nós (E QUE TODOS PARTICIPEM), portanto se tiverem boas sugestões deixem aqui na página, vão ser apreciadas, e se tiverem alguma surpresa sejam bem-vindos(por ex.: colegas músicos que toquem um estilo tradicional do seu país que queiram partilhar em palco).

Antes de apresentar a lista de temas sugeridos, vai o aviso de que fomosobrigados a começar com temas mais óbvios, pois não sabemos bem quem vai participar nesta fase inicial, e escolhemos temas mais "batidos" entre a malta que conhecemos porque o objectivo é tocar (E nem quer dizer obviamente que se vão tocar todos, é uma lista de sugestão).

Temas funk:

Frágil - Jorge Palma

Não Dá - Pedro Abrunhosa

Não Posso Mais - Pedro Abrunhosa

I Wish - Stevie Wonder

Superstition - Stevie Wonder (tem que ser =D )

I Feel Good . James Brown

Cantaloupe Island - Herbie Hancock

The Chicken - Jaco Pastorius

Gimme the Night - George Benson

Sunny - Bobby Hebb

Play that funky Music - Wild Cherry

Temas Samba/Jazz/Afro/World Music/Etc...:

Mas Que Nada - Jorge Ben Jor

Canta Canta - Martinho Da Vila

Fita Amarela - Noel Rosa

Take Five - Dave Brubeck

Autumn Leaves (Standard)

So What - Miles Davis

On the Sunny Side of the Street (Standard)

Feeling Good - Nina Simone

Fever - Peggy Lee

Smooth Operator – Sade

Smooth – Santana

Riders on the storm - The Doors

Moon Over Bourbon Street – Sting

Solta-se o Beijo - Ala dos Namorados

Veinte Años - Maria Teresa Vera (tema cubano)

Corazon Loco - tema cubano, versão conhecida por Diego El Cigala & Bebo Valdés

Temas Hip-Hop/Soul/Rock:

13 Mulheres - Expensive Soul

Crazy - Gnarls Barkley

Feel Good Inc. – Gorillaz

DARE – Gorillaz

Sing it Back – Moloko

Ready or Not – Fuggees

Whole Lotta Love - Led Zeppelin

Break On Through - The Doors

Light My Fire - The Doors


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 05:05
link do post | favorito

Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
PAN QUER CONTRATAÇÃO DE PSICÓLOGOS PARA O SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE

 

PAN - Orçamento do Estado 2018: PAN acorda contratação de psicólogos para o Serviço Nacional de Saúde

  • Governo aceita integração de 40 psicólogos
  • Estado poderá poupar até 12 milhões em medicamentos comparticipados, internamentos hospitalares e baixas médicas
  • Portugal é o terceiro país do mundo com a taxa mais alta de pessoas com perturbação psicológica
  • Primeiro passo para enfrentar as graves insuficiências no acesso a cuidados de saúde mental

O PAN, partido Pessoas-Animais-Natureza, garantiu junto do Governo a contratação de 40 psicólogos para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) já 2018. A medida acordada custará ao Estado 700 mil euros mas possibilitará a redução de cerca de 12 milhões de euros em gastos com medicamentos comparticipados, internamentos hospitalares e baixas médicas.

O objetivo final do PAN, que o Governo ainda não acompanhou na totalidade, é ter pelo menos um psicólogo por cada agrupamento de centros de saúde e, em paralelo, capacitar com mais psicólogos o conjunto dos agrupamentos escolares, de forma a garantir um acompanhamento mais precoce da população com necessidades de acompanhamento na área da saúde mental. Segundo as contas da Ordem dos Psicólogos, a contratação de cerca de 400 psicólogos para o Serviço Nacional de Saúde custaria 24 milhões, mas pouparia ao Estado 123 milhões de euros em medicamentos comparticipados, internamentos hospitalares e baixas médicas.

Atualmente existem no Serviço Nacional de Saúde 553 psicólogos. Este número de psicólogos não é suficiente, representando 1 profissional para cada 16.638 habitantes, quando, através de um cálculo moderado, deveria haver pelo menos 1 psicólogo por cada 5.000 habitantes, existindo territórios, onde não existe sequer 1 psicólogo.

Das 10 doenças que mais contribuem para incapacidade de trabalho, cinco são de foro psiquiátrico, com destaque para a depressão, os problemas ligados ao álcool, as perturbações esquizofrénicas, as doenças bipolares e as demências, refere o documento "Saúde mental em números -2013", que compila dados sobre as principais perturbações mentais entre 2007 e 2011. Em Portugal, o consumo de antidepressivos é mais elevado do que a média da União Europeia, quer para tratar a depressão (55% em Portugal e 51% na UE), quer as perturbações de ansiedade (47% e 41%, respetivamente).

As mulheres portuguesas apresentam o valor mais alto de uso de ansiolíticos e antidepressivos na Europa, sendo que os homens ocupam o segundo lugar. A depressão é o terceiro problema de saúde mais frequente nas consultas dos Cuidados de Saúde Primários, correspondendo a 7,6% do total de doentes atendidos. Portugal é também um dos países onde a depressão assume maior gravidade e em que o intervalo de tempo entre o aparecimento dos sintomas e o início do tratamento é mais elevado: apenas 37% das pessoas com depressão teve uma consulta médica no primeiro ano da doença.

É inegável que o SNS sofre de insuficiências graves no que diz respeito à acessibilidade, equidade e qualidade dos cuidados de Saúde Mental. Apenas uma pequena parte das pessoas com problemas de Saúde Psicológica têm acesso a estes serviços. De acordo com os dados mais recentes, quase 65% das pessoas com uma perturbação mental não teve qualquer tratamento.



publicado por Carlos Gomes às 20:16
link do post | favorito

METRO DE LISBOA RECEBE EDP GRANDE PRÉMIO DE NATAL

Metro de Lisboa apoia 60ª edição da prova EDP Grande Prémio de Natal. Vá de Metro à corrida EDP Grande Prémio de Natal

O Metropolitano de Lisboa, com o objetivo de fomentar a atividade desportiva como fator de coesão e desenvolvimento social, associa-se ao Maratona Clube de Portugal (entidade promotora do evento) prestando apoio à 60ª edição da corrida “EDP Grande Prémio de Natal”, que decorrerá no dia próximo dia 10 de dezembro, em Lisboa.

O apoio do Metropolitano de Lisboa consolida-se através de um protocolo com o Maratona Clube de Portugal que prevê a cedência de transporte aos participantes das corridas que se fizerem apresentar nas estações de metro com o dorsal das provas, entre as 07h00 e as 17h00, no dia 10 de dezembro.

Esta prova desportiva celebra 60 anos, sendo uma das mais antigas e carismáticas competições de estrada realizadas em Portugal. Com início na Avenida Marechal Teixeira Rebelo, junto ao Hospital da Luz, e meta na Praça dos Restauradores, em Lisboa, conta, habitualmente, com milhares de espectadores a acolher a chegada dos cerca de 7.500 participantes.

O Metropolitano de Lisboa incentiva este tipo de iniciativas, reforçando a sua responsabilidade social e garantindo a qualidade de vida dos que com ela interagem, melhorando a mobilidade e, ao estimular a atividade desportiva, promove estilos de vida saudáveis.

O Metropolitano de Lisboa é publicamente reconhecido como meio de transporte não poluente e “amigo do ambiente”. Promove a utilização do transporte público e a consequente descarbonização da cidade, presta um contributo fundamental para a sustentabilidade da vida urbana e desempenha um papel primordial na facilitação da Mobilidade Sustentável.

Vá de Metro, o Ambiente agradece.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:10
link do post | favorito

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS REALIZA ENCONTRO NACIONAL DE CONSELHEIROS TÉCNICOS

Com organização da Federação do Folclore Português, realiza-se nos dias 1 e 2 de dezembro, no Cine Teatro João Verde, reunindo mais de uma centena de participantes. Previsto espetáculo "Tradições do Alto Minho" que decorrerá no dia 1 de dezembro, sexta-feira, pelas 17h00.

3

A Federação do Folclore Português, instituição formada em 1977 que pugna pela salvaguarda do património folclórico português, irá reunir a sua equipa de conselheiros técnicos em Monção, nos dias 1 e 2 de dezembro, sexta-feira e sábado, no Cine Teatro João Verde.

Este encontro tem como principal objetivo cimentar conhecimentos, trocar experiências e formar pedagogicamente aqueles que diariamente estão no terreno a aconselhar os grupos etnográficos de Portugal continental, Insular e das comunidades portuguesas.

Reunindo mais de uma centena de participantes, os temas a abordar neste encontro vão incidir sobre as questões da representatividade, do ciclo avaliativo a desenvolver ao longo do atual mandato e da análise do inquérito de satisfação aplicado aos associados.

Deste seminário, espera-se que saiam diretrizes precisas e renovadas sobre o futuro do movimento, relevando a vertente do estudo e da salvaguarda do património, de modo a que a sua aplicação no dia-a-dia dos grupos seja mais aprofundada e refletida.

Aproveitando o Encontro Nacional de Conselheiros Técnicos, os grupos do Alto Minho reúnem-se num trabalho de representação sobre as "Tradições do Alto Minho", criando um espetáculo que envolverá temáticas como as brincadeiras de criança, a apanha do sargaço, as feiras, as malhadas, os serões, as espadeladas e até um enterro.

O espetáculo realiza-se no dia 1 de dezembro, sexta-feira, pelas 17h00, no Cine Teatro João Verde, prometendo ser um final de tarde rico em tradição. A entrada tem o valor de 3,50 €, podendo ser adquirida na Loja Interativa de Turismo ou, uma hora antes, no local do espetáculo.

Participam os seguintes agrupamentos: Grupo Folclórico das Lavradeiras de São Pedro de Merufe; Grupo Folclórico Estrelas dos Vales; Grupo Folclórico de Santa Marta de Portuzelo; Grupo Folclórico de Castelo do Neiva; Rancho Folclórico da Correlhã; Grupo Folclórico das Lavradeiras da Meadela; e Grupo de Danças e Cantares de Carreço.

A Federação do Folclore Português agradece o empenho e colaboração de todas as instituições que apoiam a realização do espetáculo e do encontro.



publicado por Carlos Gomes às 19:29
link do post | favorito

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ALUNOS DA PRÉ-ESCOLA PASSAM A RECEBER FRUTA NA ALIMENTAÇÃO

Orçamento do Estado 2018: PAN consegue distribuição de fruta na pré-escola

  • Alarga o regime da fruta escolar aplicável aos alunos do 1.º ciclo aos do pré-escolar
  • Reforço da distribuição de fruta nos estabelecimentos de ensino como forma de promover hábitos alimentares saudáveis
  • Estimular o consumo de fruta e de hortícolas numa medida que abrange cerca de 150 mil crianças

O governo aceitou a proposta do PAN, Pessoas-Animais-Natureza, que pretende a introdução no Programa de Ação Escolar da distribuição de fruta na pré-escola. Atualmente a legislação que regula o regime da fruta escolar é aplicável aos alunos do 1.º ciclo dos estabelecimentos de ensino públicos. O objetivo do PAN é alargar esta oferta aos alunos do pré-escolar, opção prevista pela União Europeia mas que não tem sido uma prioridade em Portugal. Esta medida abrange cerca de 150 mil crianças (inscritas no ensino público pré escolar) e representa um investimento de cerca 800 mil euros.

No atual contexto de diminuição do consumo de fruta, sobretudo entre as crianças, e do aumento da incidência da obesidade infantil devido a hábitos de consumo que privilegiam alimentos altamente transformados que muitas vezes são ricos em açúcares adicionados, sal, matérias gordas ou aditivos, o PAN entende que é essencial o reforço da distribuição de fruta nos estabelecimentos de ensino como forma de promover hábitos alimentares saudáveis.  

A este propósito e à margem do primeiro congresso da Ordem dos Nutricionistas a Bastonária desta Ordem, Alexandra Bento, vem hoje alertar “ temos um cenário alimentar que é catastrófico e que está a perigar a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde”. E explicou que ainda que, apesar de nunca se ter ouvido tanto falar da importância da alimentação para a saúde, “crescem os mitos e os falsos conceitos à volta da alimentação saudável e equilibrada”. Por outro lado, apontou, estão acentuar-se as desigualdades sociais nesta matéria. “Quem tem mais escolaridade tem mais literacia alimentar e nutricional, alimenta-se melhor, logo tem melhor saúde”.

Dados sobre a oferta alimentar nas escolas indicam que não estão a ser cumpridas as orientações da Direção-Geral da Educação para as ementas e refeitórios escolares, para os bufetes escolares e para as máquinas de venda automática. Isto é particularmente preocupante visto que, segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física 2015-2016, 25% das crianças e 32,3% dos adolescentes tem excesso de peso ou obesidade. Além disso, 69% das crianças e 66% dos adolescentes não consome a quantidade de fruta e hortícolas recomendada pela Organização Mundial da Saúde.

De acordo com o Inquérito Nacional de Saúde realizado em 2014, mais de metade da população portuguesa (52,8%) com 18 ou mais anos tinha excesso de peso. Isto significa que, à data, existia um milhão de pessoas com obesidade e 31,6% das crianças tinha peso a mais. De acordo com o recente Relatório da Organização Mundial de Saúde intitulado Adolescent obesity and related behaviours: trends and inequalities in the WHO European Region, 2002-2014, a prevalência da obesidade em Portugal, nos adolescentes aos 11, aos 13 e aos 15 anos, é de 5%. Este número representa uma subida de 0,3 pontos percentuais desde 2002. Quanto aos vegetais, só 28% dos adolescentes portugueses comem estes produtos diariamente.



publicado por Carlos Gomes às 13:40
link do post | favorito

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
AULA DE YOGA COMUNITÁRIA CELEBRA REGRESSO DA CHUVA

Aula de Yoga Comunitária celebra regresso da chuva- Espaço Anjos 70

Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre, no Espaço Anjos 70.

_DSC2792

Esta celebração será já no próximo dia 26 de Novembro, das 10h 30mns às 12h.

Neste domingo, o Professor termina com o último ciclo dos oito Ashtangas de Patanjali que tem vindo a apresentar nos últimos meses:

- No dia 30.07 Samadhi

- No dia 01.10 Yamas e Nyamas

- No dia 29.10 Pratyhara, Dharana e Dhyana (com Rute Caldeira)

Neste domingo, homenageando o regresso da chuva, a aula será composta da seguinte forma:

- A estructura da aula compõe-se por: 60 minutos dde prática e 45 minutos de meditação A estructura da aula compõe-se por: 60 minutos dde prática e 45 minutos de meditação:

- Concentração com Pranayamas;

- Aquecimentos: Asanas suaves;

- Preparação a postura objectivo (postura mais complexa);

- Postura Pico (objectivo da prática). Consoante o nivel dos praticantes, poderão ser mais do que uma postura;

- Arrefecimento e preparação ao relaxamento;

- Relaxamento: Savasana.

- Prathyara A estructura da aula compõe-se por: 60 minutos dde prática e 45 minutos de meditação:

- Concentração com Pranayamas;

- Aquecimentos: Asanas suaves;

- Preparação a postura objectivo (postura mais complexa);

- Postura Pico (objectivo da prática). Consoante o nivel dos praticantes, poderão ser mais do que uma postura;

- Arrefecimento e preparação ao relaxamento;

- Relaxamento: Savasana.

- PrathyaraConcentração com Pranayamas;

- Aquecimentos: Asanas suaves;

- Preparação à postura objetivo (postura mais complexa);

- Postura Pico (objetivo da prática).

Consoante o nível dos praticantes, poderão ter mais do que uma postura:

- Arrefecimento e preparação ao relaxamento;

- Relaxamento: Savasana                             

- Prathyara A estructura da aula compõe-se por: 60 minutos dde prática e 45 minutos de meditação:
- Concentração com Pranayamas;

- Aquecimentos: Asanas suaves;

- Preparação a postura objectivo (postura mais complexa);

- Postura Pico (objectivo da prática). Consoante o nivel dos praticantes, poderão ser mais do que uma postura;

- Arrefecimento e preparação ao relaxamento;

- Relaxamento: Savasana.

- Prathyara

Sobre Jean-Pierre de Oliveira:

Com milhares de aulas dadas por ano, o professor e orientador da prática, tem vindo a apurar o seu próprio estilo. Muito informal a abordar a filosofia do Yoga, tem cativado um número crescente de interessados na matéria. 
Fundador do projeto Yoga Spirit, o professor tem mudado a visão do Yoga em Portugal, através das aulas e palestras sobre esta filosofia hindu. Para além disso, inova nas modalidades com forte adesão. Entre as quais destacamos o Hot Yoga, o Yoga Pure, o Yoga Tónico, e o Yorganic.

A sua paixão pelo estudo das ferramentas disponibilizadas pelo Yoga levou-o a ser ampla e continuamente divulgado nos Media a nível nacional.

Jean-Pierre de Oliveira lançou o seu primeiro livro a 20 de setembro 2017, Slow Living Yoga.

Embaixador do Evento Wanderlust 108 (realizado pela primeira vez em Portugal no passado dia 8 de Outubro).

Embaixador da Marca Adidas para Yoga.

Recordamos o seguinte:

As aulas públicas por donativo livro têm por objetivo a divulgação do Yoga como ferramenta de autodesenvolvimento de uma forma acessível.

. Nível de prática: moderado

. Horário: das 10h 30mns às 12h.

. Tempo aproximado da prática: 1h 30mns

. Confirme a sua presença via info@yoga-spirit.pt

A participação por donativo livre permite a repetição de eventos.
Participe e consulte as próximas datas no website da Yoga-Spirit – www.yoga-spirit.pt/eventos

A aula é de nível intermédio, sendo deste modo, acessível a dois tipos de pessoas (além dos praticantes regulares):

- Os que têm conhecimento de Yoga, mas com pouca capacidade física

- Os que não têm conhecimento de Yoga mas com condição física adequada (sem problemas físicos maiores e resistência)

- Não se recomenda a quem nunca fez yoga e com condição física debilitada

- Se o praticante tiver um tapete, deverá levá-lo. Em alternativa, poderá levar uma toalha de praia.

Fale connosco

www.yoga-spirit.pt

info@yoga-spirit

www.facebook.com/jpierre.oliveira

Marketing & Comunicação

Elisabete Domingues

mediacom@yoga-spirit.pt



publicado por Carlos Gomes às 18:54
link do post | favorito

PAN APRESENTA AMANHÃ NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE LISBOA DUAS RECOMENDAÇÕES RELATIVAS AO AMBIENTE E AO BEM-ESTAR ANIMAL

Grupo Municipal do PAN na Assembleia Municipal de Lisboa

PAN Lisboa quer Plano de Ação para as Alterações Climáticas e um Regulamento Municipal de Saúde, Proteção e Bem-Estar Animal

O Grupo Municipal do PAN na Assembleia Municipal de Lisboa (AML) apresenta esta terça-feira, dia 21 de novembro, duas recomendações, uma na área da mitigação das Alterações Climáticas e outra na área da Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal.

Embora o tema das Alterações Climáticas tenha ganho maior visibilidade no nosso país devido à referência cada vez mais usual nos discursos políticos e nos meios de comunicação, esta não tem sido uma temática consensual e são poucas as soluções apresentadas a nível nacional e municipal.

Em 2016, a AML aprovou a Estratégia Municipal para as Alterações Climáticas. O PAN defende agora que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) deve colocar em prática esta estratégia, implementando e aplicando a curto prazo um Plano de Ação para a Mitigação e Adaptação às Alterações Climáticas, o qual deverá passar a ser uma ferramenta transversal a todas as decisões do município.

O partido quer que a CML proceda à revisão e adaptação dos planos e outros instrumentos de gestão territorial vigentes, nomeadamente do Plano Diretor Municipal, dos planos de urbanização e dos planos de pormenor e regulamentos, a fim de permitir uma integração coerente das medidas de mitigação e adaptação e garantir a sua implementação de modo mais eficaz e eficiente, focando-se ainda em programas de capacitação das equipas técnicas da autarquia e em campanhas de sensibilização para os munícipes.

Na área da Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal, os Deputados Municipais Inês de Sousa Real e Miguel Santos irão defender amanhã a criação de um Grupo de Trabalho para a elaboração de um Regulamento Municipal de Saúde, Proteção e Bem-Estar Animal, de modo que o município possa assumir e concretizar o compromisso de possuir um Regulamento Municipal em vigor até ao final do ano de 2018.

Desde 2013 têm sido desenvolvidas diligências de colaboração entre o Grupo Municipal do PAN e a CML no sentido de trazer melhorias para o bem-estar dos animais no Concelho de Lisboa. Com a eleição de mais uma deputada municipal nestas Eleições Autárquicas 2017, o partido quer aprofundar este trabalho, seguindo a já conhecida lógica de trabalho do partido para a definição de políticas integradas nas várias áreas de trabalho municipal.



publicado por Carlos Gomes às 18:16
link do post | favorito

GUSTAVO CASAS E A NOVA ERA DA MÚSICA VENEZUELANA

Gustavo Casas é um dos mais ilustres representantes da nova geração de músicos que a Venezuela tem para oferecer ao mundo. Ligado à música desde os sete anos, integrou dois projetos singulares no seu país - Wahala e os Zaperoco Sound System. Há uma década que aposta ativamente na sua carreira a solo tendo vencido o Grammy Latino para “Melhor Videoclip Versão Curta” em 2016 com o tema “Verte Ya”.

Gustavo Casas

Depois de editar “EP Amarillo” em 2016 prepara-se agora para fazer chegar ao mundo o “EP Azul”, o segundo registo de uma já anunciada trilogia discográfica. Sob o selo da Music For All apresenta-se agora aos fãs portugueses com o single “El Mas Comum De Los Sentidos”.

Nascido em Caracas, Venezuela, Gustavo Casas deu os primeiros passos no mundo da música aos sete anos, idade com que começou a cantar no coro do colégio e a tocar “cuatro”, instrumento musical da família da guitarra utilizado em toda a América Latina. Entre os nove e os doze anos frequenta aulas de piano e estuda teoria musical e canto. Aos quinze apaixona-se pela guitarra, amor que dura até hoje, e muda-se com os pais para Londres. Aí nasceria a sua primeira banda, formada com colegas de países tão díspares quanto Nigéria, Japão e India.

Na sua carreira enquanto músico integrou bandas como Wahala e Zaperoco Sound System. “Wahala”, que significa “problema” numa língua tribal nigeriana, foi a banda que se tornaria conhecida não só pelo reggae e ska como também pela sonoridade onde despontavam diferentes ritmos latinos. Este projeto surgiu em 1997 e editou o primeiro disco em Março do ano seguinte. Esse ano ficaria ainda marcado pela vitória na reputada competição venezuelana “Festival de Nuevas Bandas”, tendo o prémio sido a gravação de um novo disco de originais. Ainda em 1998 têm o prazer de abrir o “Concierto de la Base”, realizado em benefício dos Direitos Humanos, transmitido pela MTV e onde partilharam o palco com bandas do calibre de King Chango (Nova York), Aterciopelados (Colômbia), Fabulosos Cadillacs (Argentina), Los Pericos (Argentina), Paralamas do Sucesso (Brasil) e Rubén Blades (Panamá).

Nota ainda para a participação em dois discos muito particulares. Primeiro “Puro Skañol”, a convite da Aztlan Records, tendo brilhado ao lado de diversos projetos da América do Sul. E em segundo num disco promocional da Pepsi onde foram reunidas bandas sul americanas tendo em vista a promoção da referida bebida naquele continente.

Quanto a Zaperoco Sound System sublinhamos o espírito pioneiro na cena musical venezuelana apostando numa mistura de géneros e sonoridades do Reggae ao Hip Hop ou do Progressivo ao Drum n’ Bass. Editaram o primeiro EP em Maio de 2000, ano que marcou o arranque da banda. Ao longo da sua existência partilharam o palco com diversos músicos e bandas sul-americanos, e não só, provando que não existem barreiras no mundo da música.

Ao longo da sua carreira apostou ainda na vertente de produtor tendo trabalhado com bandas emergentes como Los Mesoneros, Americania e Rawayana. Como manager e representante, para além dos nomes já citados, contribuiu para o caminho artístico de projetos como Tomates Fritos, Sunspash, Jhoabeat, Zion Zoo, Okills ou Tan Frio El Verano promovendo de forma ativa a nova geração de músicos venezuelanos.

Ao longo dos últimos dez anos deu-se a conhecer como “O iPod Humano” através de espetáculos de versões acústicas onde dá o seu toque pessoal, interpretando clássicos intemporais e atuais do Pop/Rock.

Em Novembro de 2016 recebe uma nomeação para os Grammy Latinos na categoria “Melhor Videoclip Versão Curta” pelo tema “Verte Ya”. A obra foi dirigida e realizada com a técnica stop-motion por Adolfo Bueno e produzida pelos Grilled Cheese Studio, em Barcelona. Esse tema foi extraído do “EP Amarillo”, de Gustavo Casas y Los Que Buscan, registo onde é notória a faceta mais folk do cantautor venezuelano.

Em 2017 assina com a Music For All e prepara-se para editar “EP Azul”, registo composto por seis novas canções de Indie Folk/Pop. Produzido por Ricardo Martínez, Rafael Pino e pelo próprio Gustavo Casas, este EP contará ainda com as participações de nomes como Diego “El Negro” Álvarez, Vladimir Peña, Ruben Gutierrez, Edward Ramirez e os já citados Rafael Pino e Ricardo Martínez.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:45
link do post | favorito

ALDEIAS DE CRIANÇAS SOS ASSINALAM DIA INTERNACIONAL DA CONVENÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA

Lançamento da campanha “Nenhuma criança deve crescer sozinha”

No Dia Internacional da Convenção dos Direitos da Criança, dia 20 de novembro, as Aldeias de Crianças SOS lançam uma campanha internacional de sensibilização sobre o abandono infantil.

A campanha, divulgada hoje em mais de 80 países, tem por base um vídeo traduzido em 14 línguas (Árabe, Búlgaro, Dinamarquês, Holandês, Inglês, Francês, Alemão, Húngaro (Magyar), Islandês, Italiano, Norueguês, Português, Espanhol e Sueco), que pretende alertar e sensibilizar a população para um problema real: dos cerca de dois mil milhões de crianças em todo o mundo, estima-se que uma em cada dez, 220 milhões, viva sem os cuidados de uma Mãe ou de um Pai.

O vídeo, produzido pela Agência Bonka Circus, apela a uma ação conjunta, que agrega as respostas de cerca de 300 crianças de vários países, ao pedido: “Mostra-nos como é que a tua Mãe ou o teu Pai se preocupam contigo?”.

Foram gravados mais de 400 vídeos, através da rede internacional de Aldeias de Crianças SOS, que captam momentos autênticos entre as crianças e os pais usando um smartphone. Tanto as crianças como os pais sabiam previamente que cada um destes momentos poderia eventualmente ser uma peça no vídeo da campanha internacional.

As crianças que aparecem no final do vídeo e nas fotografias não são atores, são crianças escolhidas por uma agência de castings belga, de diversas nacionalidades, que vivem na Bélgica e têm um pai com raízes noutro continente.

As crianças escolhidas também não pertencem a famílias SOS, um critério que presidiu à decisão consciente de não trabalhar com estas crianças, especialmente vulneráveis e que precisam de proteção para manter a sua estabilidade emocional.

Em Portugal, em 2016, foram retiradas 8 175 crianças às famílias, por motivos de rejeição dentro do seio familiar, abandono ou negligência, número que regista uma tendência de diminuição nos últimos 10 anos.

Apesar desta tendência, o número de crianças que iniciaram o processo de institucionalização aumentou 2,3% para 2 396 crianças, sendo que destas, 1 em 5 crianças exigiram procedimento de urgência.

As Aldeias de Crianças SOS, não se conformam com esta realidade e continuam a trabalhar diariamente para que todas as crianças tenham amor e uma família, que possam ser crianças e construir um futuro digno e feliz.

Ponto de partida para a criação da ação “1 hora pelas Crianças”. O conceito sugere que particulares ou empresas se juntem a esta causa e doem o valor simbólico equivalente a 1 hora de trabalho, valor mínimo de 10 euros.

Esta hora deverá ser de qualidade e vivida com os filhos, sobrinhos, netos ou amigos, materializando a importância do equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. As crianças que partilharem com as Aldeias SOS essa hora, através de um desenho ou de uma mensagem, recebem uma surpresa por parte das Aldeias SOS.

Esta ação pretende valorizar o tempo que se dedica às crianças e as Aldeias de Crianças SOS acreditam que “todas as crianças e jovens necessitam de um ambiente familiar acolhedor e protetor e de uma comunidade de apoio que valorize e potencie os seus talentos e competências, que as respeite enquanto pessoas e que as eduque visando a sua integração social positiva”.

“Cuidar, em família, de crianças desprotegidas, ajudando-as a moldar o seu futuro, desenvolvendo e inserindo-se positivamente em comunidade” é a missão das Aldeias de Crianças SOS que, neste dia especial, passa a importante mensagem de que “nenhuma criança deve crescer sozinha”.

Com presença em 134 países, as Aldeias de Crianças SOS promovem programas que ajudam mais de 500 mil crianças um pouco por todo o mundo. Em Portugal a primeira Aldeia de Crianças SOS foi criada em 1964. Atualmente existem três Aldeias SOS, em Cascais (Bicesse), na Guarda e em Gulpilhares, que já apoiaram mais de 500 crianças, hoje adultas.

image002


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:20
link do post | favorito

PAN CONQUISTA 3 MILHÕES DE EUROS NO ORÇAMENTO DE ESTADO PARA FINANCIAR CANIS E ESTERILIZAÇÃO DE ANIMAIS

Orçamento do Estado 2018: Garantidos dois milhões para canis e em negociação um milhão para esterilizações de animais

  • Reforço do investimento para a construção de canis municipais no valor de dois milhões de euros
  • Disponibilização de um milhão para campanha nacional de esterilização de animais
  • Medidas em negociação com o governo desde Junho de 2017
  • Apoios estatais não substituem o trabalho das autarquias e a responsabilidade dos autarcas

No seguimento do compromisso assumido pelo Governo em 2017 com a atribuição de verba para a construção dos designados Centros de Recolha Oficial de Animais e com o objetivo de dar continuidade ao trabalho que está já a ser desenvolvido neste âmbito, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acordou com o governo um reforço, para 2018, do investimento nesta área no valor total de dois milhões de euros.

Este valor vem reforçar a proposta do Orçamento do Estado para 2017 onde ficou determinado que o Governo faria um levantamento sobre o estado dos CROAs e quais as necessidades para depois se poder auxiliar os municípios na construção da desejada rede de centros de recolha oficial. No decorrer daquele que foi o compromisso obtido pelo PAN, o Governo fez o referido estudo e inclusivamente disponibilizou os primeiros 500,000.00 euros, com o objetivo de permitir aos municípios comprar os equipamentos necessários para proceder a esterilizações e fazer obras de melhoria nos CROAs. O PAN conseguiu agora que 2 milhões de euros fossem garantidos para o mesmo objetivo.

Sabendo a importância que a esterilização tem para um efetivo controlo da sobrepopulação de animais, o PAN vem propor a disponibilização do montante de um milhão de euros, distribuídos pelos municípios, no âmbito de uma campanha nacional de esterilização de animais, nos casos de detenção de animais por pessoas com comprovada carência económica.

A recente legislação sobre a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais estabelece a proibição do abate de animais errantes como forma de controlo da população e prevê a implementação no menor curto prazo possível de políticas de esterilização, de forma a mitigar a lastimável realidade em que nos encontramos no que concerne a esta problemática. Em Agosto de 2018 concretiza-se esta medida não sendo mais possível nenhum abate em Portugal pelo que as campanhas de esterilização assumem particular relevância. A presente conjuntura tem demonstrado a tremenda ineficácia do abate no controlo da sobrepopulação, revelando-se desmesuradamente dispendiosa, ineficiente e alvo de total repúdio por parte da sociedade portuguesa.

“É importante salientar que este apoio estatal não se deve substituir ao trabalho das autarquias e dos autarcas, que mesmo antes da lei para o fim dos abates nos canis municipais estes já deveriam ter acionado este tipo de campanhas e/ou estratégias para a redução de animais errantes,” acrescenta André Silva, Porta-voz do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 14:12
link do post | favorito

MOVIMENTO 1º DE DEZEMBRO LANÇA LIVRO SOBRE DESFILE NACIONAL DAS BANDAS FILARMÓNICAS DESDE 2016

O Movimento 1º de Dezembro procede ao lançamento no próximo dia 29 de Novembro do livro “O Novo 1º de Dezembro”, em cerimónia que vai ter lugar no Palácio da Independência, ao Largo de São Domingos, 11, em Lisboa. Trata-se de uma iniciativa do Movimento 1º de Dezembro que assinala cinco anos do Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas (2012-16), e visa enriquecer e valorizar o dia em que celebramos a independência nacional.

23379892_1520430041397445_2625663396626254591_n

Sob chancela da "Casa Sassetti", uma marca da Editora Princípia, trata-se de um livro-álbum elaborado sob coordenação de José Ribeiro e Castro, apresentando imagens de bandas filarmónicas e outros grupos que, nos últimos cinco anos, já vieram representar 71 concelhos neste "novo 1º de Dezembro", festivo e popular.

A obra tem como promotores o Movimento 1º de Dezembro, a Sociedade Histórica da Independência de Portugal e a Confederação Musical Portuguesa e como patrocinadores 16 Câmaras Municipais: Baião, Cabeceiras de Basto, Cantanhede, Carrazeda de Ansiães, Castelo Branco, Chaves, Leiria, Lisboa, Mafra, Mangualde, Montijo, Odemira, Pedrógão Grande, Ponte de Lima, Portimão, Seia, Viana do Alentejo e Viana do Castelo.

As fotografias usadas no livro-álbum são de Isabel Santiago Henriques, Manuel dos Santos, Carlos Gomes, José Ribeiro e Castro e Rui Ochoa.

O livro será apresentado por José Ribeiro e Castro, coordenador da obra e do Movimento 1º de Dezembro, e por José Alarcão Troni, presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal.

O preço de venda ao público é 25,00 €.



publicado por Carlos Gomes às 09:50
link do post | favorito

BANDAS FILARMÓNICAS DESFILAM EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO 1º DE DEZEMBRO

Terras de Bouro e Barroselas (Viana do Castelo) representam o Minho nas comemorações do 1º de Dezembro

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios. É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro. Agradecemos também o apoio facultado pelo Recheio e pelo Amanhecer.

22729170_1505350232905426_1189292665179749633_n

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas "1º de Dezembro" foi um êxito em 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016. Será êxito maior em 2017.

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)

15h00 - Início do Desfile

16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.900 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 6ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:

Tocá Rufar (Seixal)

BANDA NACIONAL:

Banda da Armada

BANDAS FILARMÓNICAS:

Banda Musical e Artística da Charneca (Lisboa)

Banda Musical de Figueiredo (Arouca)

Sociedade Recreativa e Filarmónica 1º de Janeiro de Castro Verde (Castro Verde)

Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)

Banda de Música da Carvalheira (Terras de Bouro)

Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)

Associação Recreativa Musical Covilhanense | Banda da Covilhã (Covilhã)

Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)

Banda Filarmónica da União de Aldeia de João Pires (Sociedade Recreativa e Musical) (Penamacor)

Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense (Sertã)

Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense (Vila Velha de Ródão)

Sociedade Musical Recreativa de Alqueidão / Filarmónica do Alqueidão (Figueira da Foz)

Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira (Montemor-o-Velho)

Sociedade Filarmónica Sangianense (Oliveira do Hospital)

SUA - Sociedade União Alcaçovense (Viana do Alentejo)

Sociedade Filarmónica Portimonense (Portimão)

Sociedade Filarmónica Avelarense (Ansião)

Sociedade Artística Musical 20 de Julho de Santa Margarida do Arrabal (Leiria)

Sociedade Filarmónica Pedroguense (Pedrógão Grande)

Associação Musical e Artística Lourinhanense (Lourinhã)

Banda da Escola de Música da Juventude de Mafra (Mafra)

Banda Juvenil do Município de Gavião (Gavião)

Sociedade Musical Nisense (Nisa)

Sociedade Recreativa Musical Alegretense (Portalegre)

Banda Filarmónica de Crestuma (Vila Nova de Gaia)

Sociedade Filarmónica Gualdim Pais (Tomar)

Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal)

Banda Musical do Barreiro (Barreiro)

Banda Nova de Barroselas (Associação Banda Escuteiros de Barroselas) (Viana do Castelo)

Banda Marcial de Tarouquela e Municipal de Cinfães (Cinfães)

Banda de Música de São Cipriano “A Nova” (Resende)

Será um total de 32 entidades, integrando 1 grupo de persussão, 1 banda nacional militar e 30 bandas filarmónicas civis.

Serão cerca de 1900 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país que irão descer a Avenida da Liberdade, para celebrar Portugal, a Independência e a Restauração através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes sob a direcção do Maestro Capitão-Tenente Délio Gonçalves, da Banda da Armada.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas, bem como o Hino da Restauração. O alinhamento do momento colectivo conta também, além do Hino da Restauração, com a interpretação dos Hino da Maria da Fonte e Hino Nacional.



publicado por Carlos Gomes às 09:46
link do post | favorito

Domingo, 19 de Novembro de 2017
IBÉRICO? SÓ CONHECEMOS O PORCO…

Senhora do Almortão

Ó minha Mãe Soberana

Virai costas a Castela

Não queirais ser castelhana

- Popular, Beira Baixa

Numa altura em que os povos de Espanha procuram libertar-se das grilhetas de Castela, eis que surgem solicitos os serventuários do iberismo a inventar “plataformas ibéricas de cultura popular” como se a identidade cultural do povo português e a sua matriz étnica tivesse algo a ver com a do país vizinho, apesar da proximidade geográfica. E, sintomaticamente, não referem uma plataforma luso-espanhola mas “ibérica” como se a Restauração da nossa Independência nem sequer tivesse ocorrido em 1640!

01

Claro que todos os laços de cooperação com quaisquer povos é salutar e deve contribuir para a fraternidade universal – jamais para a dominação cultural! Mas essa cooperação deve ser estabelecida prioritariamente com os países e povos que em todos os continentes partilham connosco a língua e com eles também partilhámos os nossos usos e costumes. E, no contexto da Península Ibérica, com o povo irmão da Galiza, a Catalunha com a qual possuímos afinidades desde os tempos medievais quando os peregrinos se dirigiam a Santiago de Compostela e levavam consigo tradições que influenciaram o nosso cancioneiro galaico-minhoto e ainda, sem esquecer naturalmente o território português de Olivença que parece não merecer o mesmo cuidado e atenção…

Mas, como se Portugal não constituísse uma realidade política, social e cultural própria, diversa e independente do país vizinho, eis que uma vez mais se desenterra o cadáver do iberismo e volta-se de novo a falar da Ibéria. Mas, verdadeiramente ibérico apenas nos apraz o porco, aquele que depois de ter sido alimentado a bolota na planície alentejana, é desgraçadamente levado para os matadouros de Espanha, porventura até em Badajoz onde ocorreu a dita reunião de ibéricos!

Mas, porventura nenhum português se exprimiu de forma tão eloquente como o nosso imortal Eça de Queirós quando afirmou:

“Sobre a Espanha sabem o meu pensamento [. ..I; detesto os encontros e abraços da panela de ferro com a panela de barro: detesto mais que se vá pedir esmola a um pobre e auxílio a um paralítico. Detesto também o sistema militar da Espanha, e aquela sinistra colaboração de generais e fidalgos. De resto, amo tudo, na Espanha. Somente gostava mais dela se ela estivesse na Rússia”

Eça de Queirós. “Distrito de Évora”, 11" 13, 21 Fev. 1867, p. 2.

Foto: https://www.porcopretoalentejano.com/



publicado por Carlos Gomes às 21:41
link do post | favorito

GRUPOS FOLCLÓRICOS DEBATEM EM OEIRAS O TRAJO DE ANTANHO

A troca de experiências e conhecimentos é atualmente fundamental para prosseguir o trabalho de melhoria progressiva dos grupos folclóricos.

Com este objetivo decorrerá, no próximo dia 25 de Novembro, o Colóquio “Memórias do Povo”, subordinado ao tema "Trajes de Antanho", organizado pelo Grupo Cultural de Vila Fria, na sua sede sita na Rua Carlos Paião, nº 23, em Vila Fria (Oeiras), no qual gostaríamos de contar com a vossa presença.

22491669_1678079105549623_7925740411260252154_n

Para tal, propomos o preenchimento da ficha de inscrição em: https://goo.gl/forms/BONxSpgfxRHwWFhd2

PROGRAMA

15:00h – Sessão de Abertura

15:30h – Iº Painel

Mediador: Joaquim Pinto (Presidente da Associação do Distrito de Lisboa para a Defesa da Cultura Tradicional Portuguesa)

Xaile - Memória dos afetos - Carlos Alves Cardoso

(Rancho Folclórico Os Rancheiros de Vila Fria)

O Campino no Concelho da Golegã - Carlos Santana

(Rancho Folclórico da Golegã)

Do trajar e do vestir do Alto Minho Interior - José Artur Brito

(Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega)

16:30h – Intervalo

16:45h – 2º Painel

Gentes do Mar - Ricardo Gomes

(Rancho Folclórico de Geraldes)

O Traje, a Recolha, os Erros - Virgílio Reis

(Grupo de Folclore As Lavadeiras da Ribeira da Lage)

17:30h – Debate

18:00h – Sessão de Encerramento



publicado por Carlos Gomes às 20:43
link do post | favorito

CASTANHAS E MINHO JUNTA MINHOTOS EM QUEIJAS

Minhotos em Oeiras festejam o São Martinho a dançar. A tarde soalheira era convidativa e o programa não podia ser melhor.

“Castanhas e Minho” é uma festa minhota que o Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega realiza anualmente às portas de Lisboa, mais precisamente no Salão de Festas dos Bombeiros Voluntários de Linda-a-Pastora, na localidade de Queijas, concelho de Oeiras.

Capturartnobrega

Parafraseando o poeta, “as castanhas estalavam cinzentas, na brasa” e, no palco, perante uma assistência animada que enchia por completo o salão de festas, os grupos folclóricos minhotos mostravam como se canta e dança na nossa região, quer no Alto como no Baixo Minho.

A abrir o espectáculo, actuou o anfitrião Grupo Folclórico das Terras da Nóbrega, a que se seguiu o Grupo Folclórico de São João Baptista de Nogueira, de Braga; e o Grupo Folclórico de Cuide de Vila Verde, de Ponte da Barca, que encerrou ao ritmo que é peculiar das gentes do interior serrano do Alto Minho.

Para o ano que vem regressará mais uma edição do “Castanhas e Vinho” – São Martinho compromete-se com a meteorologia e o Grupo Folclórico das Terras da Nóbrega em proporcionar aos minhotos mais uma agradável jornada de convívio bem ao gosto das nossas gentes!

Capturarcapa

CapturarCpotilha

CapturarPalmas

CapturarPalmas2

CapturartnVarela

CapturarArturBrito

CapturarBarc

Capturarbarquenses

Capturarbarquenses2

CapturarBarquenses3

CapturarBraga

CapturarBraga2

CapturarBragaChapeu

DSCF6806

DSCF6812

DSCF6813

DSCF6822

DSCF6833

DSCF6841

DSCF6843

DSCF6858

DSCF6886

DSCF6895

DSCF6898

DSCF6907

DSCF6912

DSCF6921

DSCF6928

DSCF6931

DSCF6934

DSCF6944

DSCF6949

DSCF6986

DSCF7040



publicado por Carlos Gomes às 19:29
link do post | favorito

Sábado, 18 de Novembro de 2017
MINHOTOS RUMAM A LOURES PARA CANTAR AO MENINO JESUS

22361199_10210513513020241_2044681315_n



publicado por Carlos Gomes às 18:43
link do post | favorito

Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
“SALÓN, LÁGRIMAS Y DESEO” VALEM QUINTO GRAMMY LATINO A LILA DOWNS

Lila Downs começa a ser sinónimo de…Grammy Latino! Depois de quatro vitórias em cinco nomeações, 2017 trouxe na bagagem mais um galardão, desta vez na categoria “Melhor Album Pop Vocal Tradicional”. Com o álbum “Salón, Lágrimas y Desejo”, a cantora mexicana ultrapassou Yordano, Ednita Nazario, Juan Gabriel e Franco De Vita, conquistando uma das mais reputadas distinções mundiais.

Lila Grammy

Recorde-se que Lila é ainda detentora de três nomeações, e uma vitória, nos Grammy Awards e que o seu mais recente disco foi editado pela Music In My Soul (editora do grupo Rhodes Music Entertainment).


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:59
link do post | favorito

“MOUTHFUL OF BREAD”, A ESTREIA DE AGU EM PORTUGAL

Com três letras apenas se escreve…AGU, o nome da cantora e compositora do leste da Europa que espalha as suas virtudes artísticas pelos terrenos da Indie Folk. Nasceu na Polónia, viveu e estudou em Praga e atualmente reside na Irlanda, país que escolheu para a inspirar na criação do seu próximo EP.

AGU promo

Ao público português apresenta-se com “Mouthful Of Bread”, tema cantado em inglês, retirado do EP de estreia - “Towards the Light” (ou “Ke Světlu” na sua língua natal). Por entre a sua doce voz, a melodia transporta-nos para um outro plano existencial. Para um local onde a futilidade não existe e o conteúdo e a mensagem persistem. AGU é tudo isto e muito mais. AGU é sinónimo de música.

AGU nasceu na Polónia, na costa do mar Báltico, mas viveu e estudou até recentemente em Praga. Depois de alguns anos no papel de vocalista de diversos projetos diferentes, assumiu de vez a composição das suas próprias músicas e letras, enveredando por uma carreira a solo.

Assim chegamos a “Ke Světlu” (ou, em inglês, “Towards the Light”), registo, que, embora tenha marcado a sua estreia, foi muito bem recebido pela crítica especializada.

AGU transcende fronteiras, culturas e géneros. A sua música comporta uma miríade de linguagens e influências musicais. Os loops da guitarra alada que carrega juntam-se aos efeitos sonoros imprevisíveis e às vozes e harmonias descontraídas e sonhadoras. A música que compõe, e canta, oscila entre diversas praias mas espraia-se frequentemente pelo extenso areal que é o Indie Folk.

De AGU podemos esperar muito. Podemos esperar energia e irreverência. E uma voz delicada e com pedaços de mundo que nos oferece composições em polaco, checo e inglês. AGU é o futuro. Mas é também o presente. É isso que agora provará aos portugueses.

E tudo graças à Music For All e ao novo EP que editará em breve. Atualmente vive na Irlanda, país onde termina as composições e gravações daquele que se tornará no seu próximo registo sonoro. Abram alas, AGU chegou.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 20:55
link do post | favorito

PAN APRESENTA PROPOSTAS PARA O ORÇAMENTO DE ESTADO DE 2018

PAN – Pessoas-Animais-Natureza

Lista medidas OE 2018

SAÚDE

  1. Reforço de Nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS);
  2. Reforço de Nutricionistas na Escola Pública;
  3. Reforço de 75 Psicólogos para Escolas (+ 200 psicólogos do POCH);
  4. Reforço de 40 Psicólogos no SNS;
  5. Reforço de 50 Psicólogos para os serviços prisionais;
  6. Criar condições para partos na água nos hospitais;
  7. Taxa intermédia de IVA na prática de atividades físicas, com ou sem instrutor (com exceção do golfe);
  8. Alargamento do pagamento do subsídio especial de educação, passando este a ser pago anualmente e não apenas durante o período escolar, por forma a permitir a continuidade da intervenção psicológica nos meses de férias escolares;
  9. Comparticipação da linha pediátrica de produtos para ostomizados;
  10. Reforço de Fisioterapeutas no SNS;
  11. IVA reduzido nos acessórios para as próteses auditivas;
  12. Reforço de Optometristas no SNS;
  13. Aplicar o IVA de 6% para os serviços de teleassistência a idosos e a doentes crónicos, sejam esses serviços prestados ao utente final, sejam eles prestados a outras entidades públicas ou privadas;

ALIMENTAÇÃO E BEM-ESTAR

  1. Distribuição de fruta às crianças do pré-escolar;
  2. Disponibilizar bebidas vegetais no 1º ciclo e pré-escolar;
  3. Alterar a taxa mínima do IVA para produtos como a banha e outras gorduras de porco;
  4. Aumento do IVA do leite com chocolate e do leite aromatizado;
  5. Aplicação do imposto especial de consumo sobre bebidas açucaradas a leites achocolatados e aromatizados;

JUSTIÇA SOCIAL

  1. Construção de 49 salas de atendimento às vítimas nas esquadras de forma faseada até 2021;
  2. Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa nos Hospitais;
  3. Gratuitidade no acesso aos museus e monumentos nacionais para estudantes do ensino profissional e superior nas áreas históricos-artísticas e de turismo, património e gestão cultural;
  4. Estímulo à alteração de hábitos de consumo, ao desperdício e à mentalidade do “descartável” (dedução à colecta de despesas com a reparação de computadores e de bens de uso pessoal e doméstico);
  5. Atualização das tabelas de honorários dos advogados oficiosos em 5%;
  6. Concessão de benefícios a empresas que combatam o desperdício alimentar;
  7. Entrada em vigor no primeiro trimestre de 2018 do Estatuto dos Registos e Notariado (que aguardam com uma portaria provisória desde 2001);
  8. Aumento do valor base da prestação social para a inclusão até ao montante estimado para o limiar da pobreza;

JUSTIÇA FISCAL 

  1. Fim da Isenção de IVA para artistas tauromáquicos;
  2. Revogação da taxa intermédia de IVA para entradas em espetáculos tauromáquicos;
  3. Redução do IVA na alimentação de animais de companhia;
  4. Redução do IVA nos tratamentos veterinários;
  5. Dedução em IRS das despesas com medicamentos destinadas a animais de companhia;
  6. Fim dos subsídios às eletroprodutoras para construção de novas barragens;
  7. Dedução em sede de IRS das despesas de sustentabilidade (as incorridas com a aquisição de bicicletas, de veículos elétricos capacitados para o trânsito em vias rodoviárias, janelas de vidro duplo eficientes, ou outros de classe de eficiência máxima, e de painéis solares ou dispositivos de produção elétrica pela captação de energia eólica);
  8. Taxa intermédia de IVA para aquisição de aparelhos, máquinas e equipamentos destinados à produção de energia renovável;
  9. Aumento da Taxa de Recursos Hídricos para produtores de energia elétrica e agropecuária;
  10. Taxa sobre munições de chumbo;
  11. Permitir a dedução em IRS das despesas com todas as áreas da psicologia (atualmente só é possível psicologia clínica);
  12. Isenção de IVA para todos os Psicólogos (não apenas Psicólogos clínicos que são os que agora estão isentos);
  13. Isenção de IVA para Optometristas;
  14. Maior acesso à justiça para todos: reduzir o IVA dos serviços de consultoria jurídica para todos os cidadãos e cidadãs (atualmente só beneficiam de IVA reduzido os desempregados e trabalhadores no âmbito de processos judiciais de natureza laboral e a pessoas que beneficiem de apoio de advogados judiciosos);

AGRICULTURA E BIODIVERSIDADE         

  1. Pacote de 13 medidas para a implementação da Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica;
  2. Aumento de IVA sobre os pesticidas e agrotóxicos - objetivo é aumentar os pesticidas e fertilizantes utilizados na agricultura convencional, mantendo à taxa mínima os utilizados na agricultura biológica
  3. Contratação de quatro técnicos superiores para o Banco Português de Germoplasma Vegetal;

FLORESTA E ECOSSISTEMAS

  1. Criação de programa específico de apoio à instalação e implementação de carvalhos, castanheiros e outras folhosas – Proposta: Reforço de 2 milhões de euros (50% do Fundo Florestal Permanente e 50% do Fundo Ambiental) para criação de programa de financiamento de apoio à instalação e implementação de carvalhos, castanheiros e outras folhosas num total de 1000/hectares, bem como apoio à manutenção no valor de 250€/ano/hectare, durante 21 anos;
  2. Dedução das despesas relativas à limpeza de terrenos florestais em sede de IRS;
  3. Reforço da Verba 8.1.1 do PDR2020 (promover a florestação de terras agrícolas e não agrícolas), aumentando o valor dos prémios de manutenção das folhosas e eliminando o atribuído as resinosas);
  4. Reforço de 5 milhões de euros do Fundo Florestal Permanente para contratar vigilantes para a floresta nos meses mais críticos, localizando as equipas nos territórios onde o risco de incêndio é elevado a máximo e onde a sua perigosidade seja alta a muita alta (projeto piloto de contratação de 1000 vigilantes durante 5 meses – 1000 pessoas x 1000€/mês x 5 meses = 5.000.000€);
  5. Mais Vigilantes da Natureza (205 durante 2018 e programação de contratação anual de forma a atingir 525 vigilantes até 2020);
  6. Alargamento aos motociclos dos incentivos fiscais na compra dos veículos elétricos;
  7. Alargar a contribuição fiscal de 0,08€ a todos os sacos de plástico;
  8. Alteração da Lei da Fiscalidade Verde: aumento da taxa de gestão de resíduos;
  9. Alteração da Lei da Fiscalidade Verde: terminar com o benefício concedido ao envio para inceneração que só paga 70% da taxa passando a pagar a totalidade;
  10. Redução do IVA do papel reciclado;
  11. Avaliação das necessidades de transportes públicos em termos de acessibilidade e realização de obras necessárias;

PROTEÇÃO ANIMAL

  1. Atribuição de verba de 2 milhões de euros para a construção de Centros de Recolha Oficial de Animais;
  2. Registo e taxa obrigatória para matilhas de caça;
  3. Criação de linha de apoio a escolas de formação de cães de assistência;
  4. Atribuição de verba de 1 milhão de euros para campanha nacional de esterilização;
  5. Alterar a taxa mínima do IVA para a criação de animais para experiências de laboratório;
  6. Criação de equipa de salvação e resgate animal na Proteção Civil;


publicado por Carlos Gomes às 20:30
link do post | favorito

PAN QUER ALARGAR AOS LEITES ACHOCOLATADOS A TAXA DAS BEBIDAS AÇUCARADAS

Orçamento do Estado 2018: PAN negoceia o aumento do IVA e o alargamento da taxa das bebidas açucaradas aos leites achocolatados

  • Com níveis de açúcar mais elevados do que a Coca-Cola e a Pepsi os leites achocolatados continuam sujeitos à taxa reduzida de IVA
  • Imposto especial de consumo aplicado sobre bebidas adicionadas de açúcar deverá também ser aplicado nos leites achocolatados
  • Medidas pressupõem coerência legislativa e justiça fiscal nas políticas de prevenção de saúde
  • Produtos consumidos essencialmente pelas crianças, grupo etário com níveis preocupantes de excesso de peso em Portugal

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, quer alargar aos leites achocolatados e aromatizados a medida do governo que entrou em vigor em Fevereiro deste ano e que prevê uma nova taxa sobre as bebidas com açúcares e adoçantes.

Apesar de apresentarem níveis de açúcar mais elevados do que a Coca-Cola e a Pepsi, em média entre 90 e 134 gramas de açúcar por litro (dados anexos), os leites achocolatados continuam sujeitos à taxa reduzida de IVA.

Os malefícios do açúcar para a saúde estão amplamente estudados e são conhecidos, consumidos em excesso, provocam diabetes e obesidade. Reconhecendo este problema, o Governo, por via do Orçamento do Estado para 2017, criou uma tributação especial do consumo às bebidas açucaradas (incluindo as bebidas com outros edulcorantes), seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde, que sustentam a eficácia da medida na redução do consumo de açúcar, especialmente nas crianças e a poupança de custos para os sistemas de saúde.

Segundo o estudo da Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) de 2013-2014 que contou com 18.374 crianças (uma das maiores amostras neste tipo de investigação): 33,3% das crianças entre os 2 e os 12 anos têm excesso de peso, i.e., uma em cada três crianças, das quais 16,8% são obesas. Os leites achocolatados são consumidos essencialmente pelas crianças, as quais registam, em Portugal, níveis preocupantes de excesso de peso. Segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física 2015-2016, 25% das crianças e 32,3% dos adolescentes tem excesso de peso ou obesidade.

Ao tributar à taxa mínima de IVA os leites achocolatados e aromatizados, transmitimos a mensagem de que se tratam de alimentos saudáveis, incentivando o seu consumo pelo que estes produtos devem deixar de ser beneficiados com a taxa de IVA reduzida e passar a estar sujeitos à taxa normal.

Para além disso e por questões de coerência legislativa e de políticas de prevenção de saúde pública, o imposto especial de consumo que foi aplicado o ano passado sobre bebidas adicionadas de açúcar ou outros edulcorantes deverá também ser aplicado, exatamente da mesma forma, aos leites achocolatados e aromatizados. Ou seja, sempre que o teor de açúcar destas bebidas for inferior a 80 gramas por litro, o imposto será de 8,22 euros por hectolitro e quando a quantidade de açúcar é igual ou superior a 80 gramas por litro, o valor aumenta para 16,46 euros por hectolitro.

De acordo com os dados do Ministério da Educação no ano letivo de 2015/2016, foram distribuídos aos alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico público 48 094 641 pacotes de leite, quase 10 milhões de litros (9 907 496), que não especifica qual a percentagem de leite com chocolate e de leite simples. No Despacho n.º 7516-A/2016, de 2 de junho de 2016, o Ministério da Saúde definia que se deviam “disponibilizar preferencialmente” o “leite simples meio-gordo/magro, iogurtes meio-gordos/magro, preferencialmente sem adição de açúcar”.



publicado por Carlos Gomes às 20:06
link do post | favorito

MUSEU DO ORIENTE LEVA PROPAGANDA CHINESA A LEIRIA

Exposição na Casa-Museu João Soares inaugura esta sexta-feira

Depois de ter estado em exposição no Museu do Oriente, “Cartazes de Propaganda Chinesa – A Arte ao serviço da Política” mostra-se, a partir de 17 de Novembro, na Casa-Museu João Soares, em Cortes, Leiria.

poster 03

Organizada em torno de seis núcleos – Mao Zedong e os Heróis da Revolução Comunista; a Luta de Classes; as Políticas do Partido Comunista Chinês; as Pinturas de Ano Novo; Cultura Popular e Diversidade Étnica da China; e as Lutas Revolucionárias Internacionais – esta exposição é uma organização conjunta da Fundação Oriente, a Fundação Mário

Soares e a Câmara Municipal de Leiria, que dá a conhecer um conjunto cartazes de propaganda chinesa produzidos entre 1959 e 1981.

Estes documentos históricos acompanham o período que vai da campanha política de Mao Tse Tung, designada o Grande Salto em Frente, à criação das Comunas Populares e o fim da Revolução Cultural. Nos cartazes estão ilustrados os temas mais correntemente abordados à época, como a glorificação do presidente Mao e dos heróis comunistas, a prosperidade da economia, a luta contra o imperialismo, a felicidade do povo e o poder do exército.

Com o objectivo de mostrar ao povo o caminho a seguir, os cartazes tinham tiragens de dezenas de milhares de exemplares, fazendo parte do quotidiano do povo chinês. Na sua maioria, anteviam o futuro radioso da China comunista, com o Presidente Mao a conduzir o país à felicidade e glória.

poster 08

 



publicado por Carlos Gomes às 20:01
link do post | favorito

Quinta-feira, 16 de Novembro de 2017
PAN DENUNCIA CRIME AMBIENTAL NO RIO TEJO

PAN denuncia ao Ministério Público crime de poluição provocada por indústrias no Tejo e pede suspensão da atividade

  • Suspensão da atividade das indústrias pela prática de crime ambiental
  • Existe o perigo de se dar continuidade à atividade criminosa
  • A legislação portuguesa prevê que as medidas destinadas a evitar o impacte negativo de uma ação sobre o ambiente devem ser adotadas
  • Populações lesadas direta e indiretamente perante a indiferença do Ministério do Ambiente

No seguimento do drástico agravamento da situação da poluição no Rio Tejo que tem dado origem a denúncias e pedidos de intervenção da tutela por parte de Presidentes de Câmaras de vários municípios como Gavião, Nisa, Abrantes e Mação, tal como por parte de cidadãos com a criação do Movimento Cívico para Defesa do Rio Tejo, “ProTejo”, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza, denuncia hoje ao Ministério Público o crime de poluição praticado impunemente pelas indústrias no Tejo.

O PAN pede a suspensão da atividade destas indústrias porque estão reiteradamente a colocar em causa os valores ambientais e a saúde pública. E existe o perigo de se dar continuidade à atividade criminosa. São várias as normas na legislação portuguesa que preveem que as medidas destinadas a evitar o impacte negativo de uma ação sobre o ambiente devem ser adotadas, mesmo na ausência de certeza científica da existência de uma relação causa/efeito entre eles.

Os mais recentes acontecimentos com evidências das elevadas cargas de poluição, já veem sido denunciados há vários anos e revelam uma total desconsideração destas indústrias e de quem lhes permite e facilita a atividade de um relevante recurso hídrico fundamental para o desenvolvimento sustentável destas regiões e do país.

As populações são lesadas direta e indiretamente de diversas formas, desde o grave risco para a saúde pública, aos impactos, imediatos e futuros, em várias atividades económicas: pesca, agricultura, pecuária, gastronomia, turismo.

“O PAN entende que está a fazer aquilo que o Ministério do Ambiente já deveria ter feito há muito tempo: solicitar a suspensão das atividades poluidoras. Estamos perante um crime ambiental grave que está a levar à ruína do Rio Tejo”, reforça André Silva, Deputado do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 18:49
link do post | favorito

Quarta-feira, 15 de Novembro de 2017
UBER E AIRBNB MUDAM REGRAS DO JOGO

Como a Uber e a Airbnb mudaram as regras do jogo: As Upstarts, de Brad Stone, autor bestseller do New York Times, chega a Portugal

Uma visão profunda sobre a realidade de Silicon Valley e os maiores unicórnios dos últimos anos chega-nos por Brad Stone, colaborador do New York Times e autor do bestseller A Maior Loja do MundoAs Upstarts, o seu novo livro editado em Portugal pela Actual Editora, explica como a Uber e a Airbnb estão a mudar o mundo, uma história vista de dentro, que observa, a cada passo, a força disruptiva destas duas empresas e o seu impacto a nível global.

Upstarts2_frente

Há dez anos era impensável entrar no carro de desconhecidos ou dormir em casa de alguém que não conhecêssemos. Hoje isso é tão natural como encomendar um livro online. A Uber e a Airbnb vingaram nesta nova era, redefinindo bairros, desafiando as formas como os governos controlam os negócios e alterando a nossa forma de viajar.

Em As Upstarts, a mais recente obra de Brad Stone, que acaba de ser lançada em Portugal, o autor conta-nos a história destes dois titãs que estão a vingar nesta nova era de tenacidade, conflito e riqueza. As dificuldades e polémicas que ambas as empresas tiveram de ultrapassar até se estabelecerem também são abordadas pelo editor executivo da Bloomberg News.

Partindo do princípio que uma nova geração de empresários, inspirada pelo espírito dos conhecidos renegados de Silicon Valley, como Steve Jobs e Bill Gates, está a usar a tecnologia para revolucionar as convenções nos mais diversos sectores, Brad Stone explica-nos, em As Upstarts, como Travis Kalanick, da Uber, e Brian Chesky, da Airbnb, estão a redesenhar as regras dos negócios e chegam mesmo a ultrapassar obstáculos éticos e legais. Para isso, partilha com o leitor histórias das empresas mais radicais de Silicon Valley.

De realçar que o livro As Upstarts, da Actual Editora, já pode ser adquirido em Portugal pelo PVP de 19.90€.

Brad Stone é editor executivo na Bloomberg News, onde se dedica à temática da tecnologia global e Silicon Valley. É autor do bestseller A Maior Loja do Mundo, o livro sobre a Amazon que foi aclamado como o Melhor Livro do Ano 2013 pela Financial Times. Colabora com publicações como a Newsweek e o New York Times.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 08:47
link do post | favorito

Terça-feira, 14 de Novembro de 2017
LISBOA RENOVA ELEVADOR DE SANTA JUSTA

Elevador de Santa Justa renova-se aos 115 anos
No ano em que celebra 115 anos renova-se a identidade deste ex-líbris de Lisboa, melhorando a sua imagem, recuperando as infraestruturas e a funcionalidade dos espaços existentes, e dando assim melhores condições de utilização aos milhares de visitantes que dele usufruem. Atualmente soma cerca de um milhão de visitantes por ano.


Estão concluídas as intervenções no processo de restauro e melhoramento dos acessos ao nível do piso térreo do Elevador de Santa Justa. O projeto esteve a cargo do arquiteto Miguel Arruda.
Foi feito um conjunto de ações na estrutura, com o objetivo que esta obra de arte readquirisse a sua forma e desenho original. As intervenções realizaram-se ao nível dos tetos, dos revestimentos, da reparação dos elementos metálicos, da recuperação e/ou substituição das peças ornamentais deterioradas, entre outras. O espaço manteve a sua singularidade e ganhou maior luminosidade e profundidade. Estas alterações permitiram ainda a criação de um espaço comercial.
O Elevador de Santa Justa já tinha sido alvo de obras de reabilitação da estrutura, que decorreram entre 2009 e 2016, por várias fases, e que tiveram como finalidade a preservação e melhoria das condições de segurança do monumento.
Classificado em 2002 como Monumento Nacional, trata-se de uma obra arquitetónica de ferro única, com uma ornamentação rica e exuberante que define a sua estrutura metálica, repleta de arcos de gosto neogótico, um dos monumentos mais visitados e fotografados da cidade, que oferece uma vista de 360 graus no topo.
Esta terça-feira, dia 14 de novembro, realizou-se uma sessão pública de apresentação das obras de remodelação do piso térreo do Elevador, bem como dos projetos futuros de melhoria de acessibilidade e das estruturas, no espaço Topo Chiado.
O Elevador de Santa Justa, ou Elevador do Carmo como também é conhecido foi inaugurado no dia 10 de Julho de 1902, inicialmente utilizava o vapor como força de tração, o seu sistema foi eletrificado em 1907. É um monumento admirável projetado pelo engenheiro Raul Mesnier de Ponsard
Um dos principais acontecimentos da história da sua construção encontra-se no dia 31 de agosto de 1901, dia em que foi feito, em poucas horas e por sistema de alavanca, o lançamento do passadiço sobre a Rua do Carmo, destinado a estabelecer ligação entre o topo do Elevador e o Largo do Carmo.



publicado por Carlos Gomes às 14:52
link do post | favorito

Segunda-feira, 13 de Novembro de 2017
CARRIS REMODELA ELEVADOR DE SANTA JUSTA

image002



publicado por Carlos Gomes às 14:03
link do post | favorito

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS REÚNE EM MONÇÃO ENCONTRO NACIONAL DE CONSELHEIROS TÉCNICOS

conselheiros_capa_eventofacebook

Capturarffp

Cartaz A4



publicado por Carlos Gomes às 14:00
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
15
17
20

21
26
27

28
29
30


posts recentes

TOMARENSES REÚNEM-SE EM L...

25 DE ABRIL NÃO FOI SÓ CR...

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO A...

RIO DE MOURO COMEMORA 25 ...

MOITA RECEBE BAILADO “NA ...

MINHOTOS EM LISBOA CELEBR...

VOLANTE DESENVOLVIDO NA U...

OEIRAS... DE ABRIL A ABRI...

PAN DEFENDE PRESCRIÇÃO DE...

LISBOA TEM 509 EMPRESAS C...

EUROPEIAS 2019: PAN LANÇA...

PAN ESTREIA DOCUMENTÁRIO ...

PAN ASSINALA O 25 DE ABRI...

PAN DENUNCIA À ORDEM ADVO...

OEIRAS: RANCHO FOLCLÓRICO...

ARTESANATO E TRADIÇÕES JU...

PAN PARTICIPA NO SEMINÁRI...

ATAQUE DE CORAÇÃO: RECUPE...

PAN QUER QUE TODOS OS AGR...

“MARCHA ANIMAL” JUNTA EM ...

METRO DE LISBOA COMEMORA ...

PAN ENTREGA LISTA DE CAND...

PAN PARTICIPA NA MARCHA A...

ARGANILENSES ORGANIZAM EM...

PAN ELEGE NOVA COMISSÃO P...

EM TEMPO DE QUARESMA AS J...

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSID...

PAN LISBOA QUER TRANSPORT...

OEIRAS: FOLCLORE DESFILA ...

RIO DE MOURO: EM CADA ESQ...

LISBOA DESFILA PELA CONSC...

LAMAS VERMELHAS PODEM, AF...

TRANSPORTES PÚBLICOS: OS ...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

ALEXANDRE SOARES DOS SANT...

VIAGEM DE METRO ASSINALA ...

CASA DA COMARCA DE ARGANI...

FOLKLOURES’19 ESTÁ EM MAR...

COLECTIVIDADES REÚNEM EM ...

PAN DEFENDE RESIDÊNCIA AL...

SOB A ÉGIDE DA FEDERAÇÃO ...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PAN CONTRA MANUTENÇÃO DA ...

METRO ASSOCIA-SE AO ANO I...

DIA INTERNACIONAL DOS MON...

METRO DE LISBOA REFORÇA E...

RANCHOS FOLCLÓRICOS PEREG...

CENTRO GALEGO EM LISBOA P...

CANTORA MOLDAVA ADRIANA O...

PAN DEBATE RELAÇÃO DE LIS...

arquivos

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds