Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores
Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
TOMARENSES REÚNEM-SE EM LISBOA

No próximo dia 9 de Maio (Quinta-feira), a Casa do Concelho de Tomar, vai realizar o seu Tradicional Jantar de Mensal de Confraternização entre os Associados, Tomarenses e Amigos, nas sua Sede em Lisboa.

CCT-MAIO-2019 (1).png

Com início às 20H00m, para além deste momento de Confraternização entre a família Tomarense e amigos, iremos ter uma verdadeira Noite Tomarense na nossa Sede em Lisboa, que poderá desfrutar.

Assim vamos contar com

- Lançamento do Livro “Alma em Pontas” da escritora Tomarense Graça Costa;

- Mostra de Pintura e Desenho do pintor Tomarense João Costa Rosa;

- Participação do “Quinteto de Metais da Escola de Música da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais”

Tome nota na sua agenda e venha Confraternizar connosco.

De forma a facilitar a Logística deste Evento, agradecemos que efetue a sua reserva antecipadamente acedendo à nossa página Institucionalwww.cctomar.pt.

Cordialmente

Casa do Concelho de Tomar

O Presidente da Direção

Carlos Galinha

e-mail: geral@cctomar.pt

CCT-MAIO-2019.png



publicado por Carlos Gomes às 14:40
link do post | favorito

25 DE ABRIL NÃO FOI SÓ CRAVOS! – A CRÓNICA QUE NUNCA FOI PUBLICADA

O distanciamento temporal em relação aos acontecimentos nem sempre nos permitem preservar a memória histórica, levando-nos por vezes a esquecer uns factos, e a deturpar e até fantasiar sobre outros, não raras as vezes por conveniência política. De resto, o exercício da memória também pressupõe o esquecimento com vista à preservação da memória colectiva ou seja, a comemoração.

Como acontecimento histórico, também a revolução de 25 de Abril de 1974 foi sujeita a alguns apagões como aqueles que a seguir se relatam e que convém lembrar apenas com interesse histórico.

Nesse dia, o Largo do Carmo encontrava-se apinhado de gente. Por volta das 18 horas, o General António de Spínola chega ao Quartel da Guarda Nacional Republicana para receber de Marcello Caetano a transmissão do poder a fim de que este não caia na rua. Empoleirado na guarita do sentinela e de megafone em punho, Francisco Sousa Tavares apelava à multidão para que se retirásse, garantindo que o General Spínola iria fazer uma comunicação ao povo no Terreiro do Paço… na realidade, destinado a garantir a saída em segurança de Marcello Caetano!

Com alguma insistência, consegue convencer grande parte do povo a retirar-se. Mas, o que se seguiu constituiu um verdadeiro vendaval que jamais ficou registado em qualquer crónica. Por todas as ruas da baixa lisboeta foram apedrejadas e partidas as fachadas em vidro das instituições bancárias, foram invadidos e saqueados os supermecados. No Largo Rafael Bordallo Pinheiro, a loja “Meia Hora” foi pilhada após ser partida a montra em vidro. O memso sucedeu à loja do Diário de Notícias, no Largo do Chiado.

Um pouco mais abaixo, a Polícia de Choque da PSP efectuava a sua primeira carga após o 25 de Abril, sobre as pessoas que destruíam e assaltavam. Por detrás destas acções, estariam grupos políticos radicais que nunca assumiram publicamente o seu envolvimento.

- No 25 de Abril não houve só cravos!

Carlos Gomes



publicado por Carlos Gomes às 13:31
link do post | favorito

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO ANDRÉ SILVA (PAN) NA SESSÃO COMEMORATIVA DO 45º ANIVERSÁRIO DO 25 DE ABRIL

Sessão Comemorativa do 45º Aniversário do 25 de Abril

image_2019-04-25_09-03-36.jpg

Sr. Presidente da República, Sr. Presidente da Assembleia da República, Sr. Primeiro Ministro, ilustres entidades, altas autoridades, distintas e distintos convidados, Sras. e Srs. Deputados

Hoje, com imensa gratidão, prestamos homenagem a todos aqueles que lutaram e resistiram a um regime autoritário de partido único, que há 45 anos libertaram o povo e ao povo devolveram a liberdade e a condução dos destinos de Portugal. Evocar o 25 de Abril constitui também um momento de lembrar e pedir desculpa por todos os que morreram e foram atingidos pela violência da guerra colonial e agradecer aos que lhe puseram fim.

É inegável que vivemos melhor que há 45 anos. Nesses tempos, falar de igualdade de género era inconcebível, com diferenças e desigualdades que iam desde a permissão para casar até aos salários – ou falta deles. Não se podia ler todos os livros e autores, a miséria e a iliteracia da população eram enormes, a assistência médica não estava assegurada para todos, a mortalidade infantil era elevada, a esperança de vida reduzida, os níveis de desigualdade e de emigração forçada eram avassaladores.

Hoje, o desenvolvimento, aferido por uma série de indicadores sociais e económicos, é inquestionável.

E refiro-me a estes indicadores com um propósito. É que, enquanto sociedade, temos por hábito congratularmo-nos com os indicadores sociais e enfatizar os que versam sobre a avaliação e o desempenho económico. Mas nunca, nunca demos atenção, e continuamos a não dar, aos indicadores que alertam para os défices ambientais e que expõem uma antevisão clara dos graves problemas humanitários com que seremos confrontados num futuro próximo e que podem comprometer, inclusivamente, a nossa sobrevivência enquanto espécie. O Antropoceno, o período que vivemos, pode mesmo ser a última idade do Ser Humano.

O ar, a água, o solo e os recursos minerais são dádivas que enquanto Humanidade temos estado a desperdiçar e desrespeitar, na procura de obter ganhos económicos de curto prazo. Dos anos 70 aos dias de hoje, a extracção de recursos e a produção de matérias-primas mais que triplicou, a emissão de gases com efeito de estufa duplicou, e perdemos 60% dos mamíferos, aves, peixes e répteis. Em Portugal, necessitamos de 2 planetas para suportar o nosso actual modelo de produção e consumo. Cada um de nós, nesta sala, gasta em média 12 toneladas de recursos naturais para viver num ano, o que é manifestamente incomportável e excessivo para o peso de um ser humano.

Estamos a viver acima das capacidades do Planeta. Vivemos a crédito, a bancarrota ambiental está anunciada, e quem tem poderes de supervisão e de intervenção continua em modo negligente.

A elite política continua a decidir segundo as leis do modelo económico linear. Dominar, Explorar, Extrair, Transformar, Produzir, Vender, Comprar, Usar, Descartar e Extinguir: são os 10 mandamentos do crescimento ilimitado, sem o qual, dizem-nos, não pode existir desenvolvimento.

Mais do que a coragem e visão que têm faltado aos decisores políticos, falta-lhes o básico: a empatia. Empatia pelo nosso semelhante, pelas outras formas de vida, pelo planeta, a nossa casa comum. Da esquerda extrativista à direita produtivista, apenas podemos esperar guerrilha partidária, tecnocracia e discursos redondos e vagos.

A elite política está de costas voltadas para o futuro das pessoas. Os jovens, movidos pela urgência climática e pela desesperança na classe política que não os ouve, têm-se manifestado na rua e à rua vão voltar. As gerações que vão receber um planeta esgotado sentem-se cada vez mais ignoradas e abandonadas pelos partidos do regime que apenas pensam e agem em função de interesses económicos de curto prazo.  

É urgente reduzir e repensar os nossos padrões de consumo e fazer a transição para um modelo económico circular, que exige mudanças profundas no sector energético, na indústria, na mobilidade de pessoas e bens, na construção civil e no sector agro-alimentar. Sim, trata-se de transformar a forma como vivemos neste planeta. E trata-se – não tenhamos dúvidas – de uma questão de sobrevivência da nossa espécie que exige uma alteração consistente e consciente do comportamento individual e social, sempre acompanhada de medidas políticas eficientes.

O prazo para salvar a Terra tem uma data: 2030. E Hoje, a partir deste momento, faltam 10 anos, 8 meses, 5 dias e 13 horas para o ponto de não retorno. Se todos e todas quisermos, se todas e todos nos unirmos tal como fizemos há 45 anos, ainda vamos a tempo. Temos de ser corajosos e competentes para que em 2030 a temperatura média do planeta não suba 1 grau e meio, o limite a partir do qual os fenómenos meteorológicos extremos são imprevisíveis e a nossa vida neste planeta se tornará mais difícil de suportar.

Devemos também ao 25 de Abril o fim do ciclo de isolamento internacional. O sonho de cumprir Portugal e de cumprir o Planeta faz-se também na Europa. A União dos povos irmãos europeus faz-nos mais fortes e capazes de liderar o grande combate das nossas vidas: o das Alterações Climáticas. O Ambiente pede Revolução. Ao PAN, seja na rua, em São bento ou em Bruxelas, não nos faltará a voz, a determinação, ou a coragem para enfrentarmos a crise ambiental.

Obrigado Capitães e Viva o 25 de Abril!

Palácio de São Bento, 25 de Abril de 2019

Foto: DN



publicado por Carlos Gomes às 10:05
link do post | favorito

Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
RIO DE MOURO COMEMORA 25 DE ABRIL

58384602_2460554897340048_4981448372939390976_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 18:30
link do post | favorito

MOITA RECEBE BAILADO “NA SUBSTÂNCIA DO TEMPO”

A Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (CPBC) realiza, no próximo dia 27 de abril, às 21h30, o espetáculo "Na substância do Tempo", no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Moita, Distrito de Setúbal.

CPBC_Estreia_Na_Substância_do_Tempo (1).jpg

Coreografado por Vasco Wellenkamp e Miguel Ramalho, “Na Substância do Tempo” é uma homenagem a Sophia de Mello Breyner Andresen, a propósito do centenário do seu nascimento. O espetáculo divide-se em três partes – “Em Redor da Suspensão”, “Outono” e “Requiem” e inclui as obras “5.ª Sinfonia de Mahler” e “Sinfonia de Requiem”.

Com um repertório centrado no bailado contemporâneo, a companhia cofundada por Graça Barros e pelo bailarino e coreógrafo que agora a dirige, já estreou mais de 50 obras. “Na Substância do Tempo” irá ainda passar pelo Fórum Municipal Luísa Todi, também em Setúbal, a 31 de maio.

O regresso da CPBC aos palcos surge de uma parceria de três anos estabelecida com a seguradora Allianz, que permitirá à companhia continuar a apostar numa programação cultural regular.

A entrada para o espetáculo no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo é gratuita mediante o levantamento de bilhetes. Para informações sobre reservas contactar através do telefone 210 888 900.

Sobre a Allianz

A Allianz Portugal integra o Grupo Allianz, um dos maiores grupos financeiros do mundo, presente em mais de 70 países e com cerca de 145.000 colaboradores. Mais de 60 milhões de clientes, a nível mundial, confiam no seu know-how e sentido de responsabilidade. A Allianz Portugal tem, também, como acionista e principal parceiro estratégico, o Banco BPI. Posiciona-se no mercado nacional de forma inovadora, apostando no desenvolvimento de produtos de acordo com as necessidades de segurança dos seus Clientes, na expansão da sua rede de distribuição e na melhoria da prestação de Serviço. Conta atualmente com cerca de 600 colaboradores e mais de 6.000 mediadores em todo o país. Desde dezembro de 2004, a Allianz Portugal é uma seguradora com Certificação da Qualidade ISO 9001, que abrange a maior parte dos seus produtos e serviços.



publicado por Carlos Gomes às 16:50
link do post | favorito

MINHOTOS EM LISBOA CELEBRAM PASCOELA

57504410_1954404548003315_1809467922213502976_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 00:36
link do post | favorito

Terça-feira, 23 de Abril de 2019
VOLANTE DESENVOLVIDO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO ALERTA CONDUTORES FATIGADOS

Investigação do CICECO – Instituto de Materiais de Aveiro

Sabia que 20 por cento dos acidentes rodoviários têm origem no cansaço do condutor? Para diminuir as estatísticas, uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) desenvolveu uma capa para volantes que monitoriza os sinais vitais do condutor e o avisa, em caso de grande fadiga, que é altura de parar e descansar.

O têxtil eletrónico que envolve o volante mede a resposta galvânica da p... (1).jpg

Desenvolvida com uma técnica que permite integrar dispositivos eletrónicos à base de grafeno diretamente em fibras têxteis mantendo o especto, a flexibilidade e o toque do tecido, a capa do volante permite medir nas mãos dos condutores durante qualquer viagem – e, em especial, as viagens mais longas – a resposta galvânica da pele.

Por outras palavras, os sensores acoplados na capa registam a condutividade elétrica da pele, uma propriedade que funciona como um indicador do estado psicológico e fisiológico dos indivíduos, permitindo identificar o indivíduo, alterações na condutividade e relaciona-las com padrões de comportamento humano.

Captados pela capa desenvolvida no CICECO – Instituto de Materiais de Aveiro (uma das unidades de investigação das UA), os sinais são analisados em tempo real por um algoritmo desenvolvido no Instituto Superior Técnico e no Instituto de Telecomunicações, no polo de Lisboa, pela equipa da investigadora Ana Fred. Este, ao analisar os dados, reconhece ou não sinais associados à fadiga. Havendo cansaço, o sistema espoleta um alerta para o telemóvel ou para o smartwatch do condutor.

Atualmente, explica a investigadora Helena Alves, “o protótipo transmite os dados via bluetooth, o que permite a emissão de notificações, por exemplo, para um telemóvel ou smartwatch”. A coordenadora do projeto antevê que, num futuro próximo, “será possível convergir para cenários em que o sistema está ligado diretamente ao veículo e é o próprio computador de bordo a apresentar as notificações ou a alterar o comportamento do mesmo”.

“O stress é efetivamente um perigo potencial na estrada. No entanto, os principais riscos que se pretendem prevenir com este trabalho são as distrações e, em especial, a fadiga ao volante”, explica a investigadora.

Nesse sentido, “sistemas que contribuam para avaliar o estado dos condutores no que diz respeito a cansaço e outros parâmetros biomédicos poderão ter um grande valor acrescentado ao nível da segurança rodoviária”. A estes sistemas, desvenda Helena Alves, “podem ser acopladas outras medidas de segurança adicionais, tais como feedback sob a forma de áudio ou vibrações para recuperar a atenção do condutor ou até mesmo provocar a imobilização do veículo”.

A investigadora Helena Alves e o volante amigo dos condutores  (1).jpg


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 22:45
link do post | favorito

Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
OEIRAS... DE ABRIL A ABRIL!

Oeiras recebe espetáculo musical “De Abril a Abril”, nos dias 25 ou 27 de Abril, às 21h30, no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, ou em alternativa, no dia 1 de Maio às 21h30 no Palácio Flor da Murta, em Oeiras.

cartaz De Abril a Abril.png

A RevolutionArt e a Cenas & Quê juntam o encenador Carlos Paiva e a banda Baú para “De Abril a Abril” um espectáculo musical único, que funde teatro com os clássicos da música de intervenção em quadros cénicos que evocam Abril, de 74 e de hoje.

Um homem, demasiado jovem para assistido ao 25 de Abril, ensaia um solilóquio sobre o que a revolução significa para ele hoje, enquanto escuta músicas de tributo à liberdade, interpretadas por Piano e Voz (Tiago Barbosa), Percussão (Ricardo Daniel) e guitarras (Pedro Soares). Surge outra personagem a quem a música desperta emoções e perspectivas antagónicas e enceta o diálogo: Uma, vive apaixonadamente as conquistas de Abril; a outra, cínica e desencantada, não entende nem se interessa. Será preciso reinventar Abril?

O público selecciona então de um baú as últimas músicas, canções que nos fazem lembrar Abril… e antes do cair do pano, sozinho em cena, a personagem inicial recria um texto histórico: O genial F.M.I. de José Mário Branco, interpretado com a força, a urgência e a importância de quem acredita que Abril tem de ser hoje, amanhã e sempre!

Após a exibição no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, nos dias 25 e 27 às 21h30 e 28 de Abril às 16h00, o espectáculo segue para o Palácio Flor da Murta em Oeiras e estará em cena nos dias 1, 2 e 3 de Maio às 21h30.

Poderão ver imagens de ensaios neste link

De Abril a Abril

Datas:

25 e 27 de Abril às 21h30 e 28 de Abril às 16h00 no Auditório Carlos Paredes, Benfica

1, 2 e 3 de Maio às 21h30 no Palácio Flor da Murta, Oeiras.

Ideia Original: RevolutionArt

Texto Original: Liberto Luso

Actores: Helena Ávila, José Coelho

Direcção de Actores: Carlos Paiva

Banda Baú: Tiago Barbosa, Ricardo Daniel, Pedro Soares

Direcção Musical: Tiago Barbosa

Produção Executiva: Maria Ramires

Produção: Cenas&Quê / RevolutionArt

Informações e Reservas: cenaseque@gmail.com



publicado por Carlos Gomes às 19:47
link do post | favorito

PAN DEFENDE PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PARA A HIPERATIVIDADE APENAS POR ESPECIALISTAS

RITALINA - PAN defende que medicamentos para a Hiperatividade e Défice de Atenção das crianças sejam prescritos apenas por especialistas

  • A venda anual de embalagens de metilfenidato situava-se em cerca de 50 mil em 2006, subiu para as 133 mil em 2010 e atingiu as 276 mil em 2014 (Infarmed)
  • Vários médicos e psicólogos admitem possíveis diagnósticos errados, prescrições indevidas e medicalização excessiva
  • Assegurar um diagnóstico rigoroso garantindo que estes medicamentos chegam àqueles que dele verdadeiramente necessitam
  •    Apelo para que governo e comunidade médica e científica analisem a possibilidade destes medicamentos só serem prescritos por médico especialista

Após ter aberto o debate no Parlamento e na sociedade sobre o tema da prescrição precoce a crianças de medicamentos para a hiperatividade e défice de atenção como o “Concerta”, a “Ritalina” e o “Rubifen”, o PAN avança agora com uma iniciativa legislativa visando que o Governo e a comunidade médica e científica analisem a possibilidade de assegurar que o diagnóstico de Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção e a primeira prescrição de metilfenidato e atomoxetina a crianças são realizadas por médico especialista.

Vários médicos e psicólogos têm admitido publicamente possíveis diagnósticos errados e prescrições indevidas. Sendo que, em audições realizadas em grupo de trabalho na Assembleia da República para discussão deste tema, onde foram ouvidos o Colégio de Especialidade de Pediatria, o Colégio de Especialidade de Psiquiatria da Infância e da Adolescência e o Colégio de Sub Especialidade de Neuropediatria, todos da Ordem dos Médicos, foi manifestada a preocupação da utilização de estimulantes em crianças, tendo sido admitida também a possibilidade de existência de sobrediagnóstico de PHDA.

A perceção atual da sociedade sobre este tema é a de que existe excessiva medicalização das crianças, tendo sido já mencionado por especialistas, nomeadamente nas audições mencionadas, que aparentemente esta é provocada pela pressão exercida pela escola e pelos pais sobre os médicos. Existindo uma preocupação crescente dos alunos e dos pais na obtenção de melhores resultados escolares, tal tem como consequência o facto de, nos casos em que estes não conseguem ter um bom desempenho, pressionam os médicos para o alcançar, levando estes a prescrever metilfenidato, mesmo quando não possuem a especialidade adequada para efetuar um diagnóstico inequívoco.

“É inegável a importância de medicamentos que contêm metilfenidato e atomextina para crianças diagnosticadas com Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção, contribuindo significativamente para a melhoria da vida destas crianças. Contudo, tendo em conta o facto de estarmos a falar da prescrição de medicamentos psicotrópicos a crianças e de existir uma aparente excessiva medicação, devemos ser exigentes e assegurar um diagnóstico rigoroso, garantindo que este medicamento chega àqueles que dele verdadeiramente necessitam. Parece-nos, pois, sensato e recomendável que o governo e a comunidade médica e científica analisem a possibilidade de assegurar que o diagnóstico de Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção bem como a primeira prescrição de metilfenidato e atomoxetina a crianças são realizados por médico especialista, como Pediatra, Pedopsiquiatra ou Neuropsiquiatra.”, reforça, André Silva, Deputado do PAN.

Este quadro justifica uma intervenção Estadual nesta matéria. Recorde-se que esta situação não é inédita, tendo já existido situações em que o Governo restringiu a possibilidade de prescrever medicamentos a determinados especialistas, para efeitos de comparticipação dos mesmos.



publicado por Carlos Gomes às 13:50
link do post | favorito

Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
LISBOA TEM 509 EMPRESAS COM O ESTATUTO PME EXCELÊNCIA

Empresas são responsáveis por mais de 18 mil postos de trabalho

O distrito de Lisboa conta com 509 empresas distinguidas com o Estatuto PME Excelência 2018, num total de 2 378 empresas, sendo o distrito com o maior número de empresas distinguidas.

No seu conjunto, estas empresas são responsáveis por 18 168 postos de trabalho e por um volume de negócios superior a 2 096 milhões de euros, o que representou um crescimento médio de 20,7% em relação ao ano anterior.

No distrito de Lisboa as empresas destacaram-se pelos melhores desempenhos económico-financeiros e de gestão em todos os setores, mas com maior predominância no setor do Turismo (25,5%), Serviços (24,6%) e Comércio (23,2%).

As PME Excelência 2018 do distrito de Lisboa são maioritariamente empresas de pequena dimensão (362), correspondendo a 71% do total. Já as empresas de média dimensão (120) representam 24% e as microempresas (27) representam 5% deste universo.

Com um ativo líquido global de aproximadamente 1 669 milhões de euros (1 669 795 246€), as PME Excelência 2018 apresentaram uma autonomia financeira média de 59,5% e níveis de rendibilidade dos capitais próprios de 39%. Estas empresas registaram uma taxa de crescimento de 20,7% no volume de negócios.

Esta iniciativa do IAPMEI foi criada com o objetivo de premiar as PME nacionais, que se evidenciam pela qualidade dos seus desempenhos económico-financeiros e se mostram capazes de atingir altos padrões competitivos.

De acordo com Nuno Mangas, Presidente do IAPMEI, “as PME Excelência são empresas financeiramente robustas, que apresentam um elevado padrão competitivo, assente em estratégias de inovação e internacionalização, desempenhando um papel de grande relevância ao nível do emprego e do desenvolvimento local e regional. Para o IAPMEI e para o País, é um orgulho verificar o crescimento e notoriedade que este Estatuto tem vindo a conquistar entre as empresas portuguesas.” 

IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, I. P. é um organismo público de apoio às micro, pequenas e médias empresas, que tem por missão promover a competitividade e o crescimento empresarial, assegurar o apoio à conceção, execução e avaliação de políticas dirigidas à atividade industrial, visando o reforço da inovação, do empreendedorismo e do investimento empresarial nas empresas. O IAPMEI foi criado em 1975 través do Decreto-Lei n.º 51/75. https://www.iapmei.pt/


tags:

publicado por Carlos Gomes às 22:29
link do post | favorito

Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
EUROPEIAS 2019: PAN LANÇA PROGRAMA ELEITORAL
  • O programa do PAN contou com o contributo de várias Organizações Não Governamentais
  • Objetivo de eleger Francisco Guerreiro e garantir a presença de um eurodeputado que priorize a proteção e a preservação do ambiente
  • Programa tem forte componente ambiental, medidas para reforçar a democratização da União Europeia e combater a corrupção
  • Contém mais de 200 propostas para o reforço e melhoria do projeto Europeu

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza lança hoje o programa eleitoral às Eleições Europeias de 26 de maio, com 224 medidas nas áreas da Democracia e Transparência, Ciência e Tecnologias, Migrações, Igualdade e Direitos LGBTI, Juventude, Economia, Comércio e Finanças, Clima, Energia e Mobilidade, Ambiente, Mar e Biodiversidade, Bem-Estar e Proteção Animal, Política Externa Europeia, Defesa e Segurança, com foco também nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira. 

O PAN tem como objetivo eleger Francisco Guerreiro e garantir que a proteção e preservação do ambiente sejam uma prioridade e que haja, finalmente, um eurodeputado Português ambientalista em Bruxelas. O documento já disponível para consulta concretiza a visão europeísta e ecologista do partido e contou com o contributo de dezenas de pessoas e várias Organizações Não Governamentais, num trabalho conjunto que apresenta soluções para assegurar uma exequível transição social, cultural e económica para um modelo de desenvolvimento sustentável  e responsável, com a definição de soluções realistas e audazes, colaborativas e de longo prazo para a prossecução de uma vida melhor e acima dos standards atuais para todos os Europeus.

O programa integra uma forte componente ambiental com medidas estruturantes como:

  • Criar o cargo de vice-presidente da Comissão Europeia para a Ação Climática e Recursos Naturais que seja responsável pela transição sustentável da Europa;
  • Apresentar uma estratégia europeia para o combate à desertificação e à degradação dos solos;
  • Criar um imposto europeu para gases com efeito de estufa, que inclui: a indústria aeronáutica e náutica, direcionado à agropecuária intensiva, assim como apostar em políticas para a descarbonização do setor agrícola, com especial foco na indústria da agropecuária intensiva e na agricultura superintensiva;
  • Terminar com a política de financiamento do Banco Europeu de Investimentos a projetos ambientalmente catastróficos como sistemas de regadios, grandes barragens, unidades de prospeção e extração petrolíferas, entre outros;

Propostas para reforçar a democratização da União Europeia e combater a corrupção: 

  • Criar um registo obrigatório de lobby, visto que atualmente é meramente voluntário, para todos os que estejam envolvidos nas instituições europeias, melhorando assim a pegada legislativa;
  • Criar um órgão independente de supervisão ética que monitorize os conflitos de interesse;
  • Melhorar o regulamento das Iniciativas de Cidadãos Europeus para que, entre outros, sejam necessárias menos assinaturas para as formalizar;
  • Rejeitar a censura prévia em plataformas virtuais, com filtros a conteúdos criativos;

Medidas focadas em Migrações, na Igualdade de Género e nos Direitos LGBTI

  • Partilhar responsabilidades em e por toda a UE garantindo que os Estados-Membros que não consigam receber refugiados possam contribuir financeiramente e de um modo mais ativo para o Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI);
  • Trabalhar ativamente para que seja definida e adotada uma legislação abrangente contra todos os tipos de discriminação (lei anti-discriminação) e para que sejam criados programas de financiamento que permitam tornar a igualdade uma realidade na UE;
  • Desenvolver esforços no sentido de garantir que os casais constituídos por pessoas do mesmo sexo e suas famílias beneficiam de direitos plenos de livre circulação e de residência;
  • Incentivar medidas de licença parental obrigatória para ambos os progenitores e garantir pagamento igual para trabalho igual, combatendo assim as atuais disparidades salariais entre géneros.

No plano económico e financeiro o PAN prioriza: 

  • Garantir uma melhor uniformização das diretivas para que se construa um sistema europeu de banca ética, de finanças solidárias e de microcrédito que sirva de base para projetos estruturalmente inovadores com elevado impacto social e reduzida pegada carbónica;
  • Defender orçamentos comunitários direcionados para a inovação e para a educação;
  • Garantir que os crescentes processos de automatização sejam contribuintes líquidos devido ao aumento da sua produtividade, para os sistemas sociais, nomeadamente através de uma taxa social de reconversão laboral;
  • Criar dentro do Orçamento Comunitário um Orçamento Europeu Participativo que garanta o investimento nas áreas prioritárias para os europeus;

No que concerne medidas de proteção e bem-estar animal o PAN tem o programa mais audacioso e extensivo destas Europeias: 

  • Terminar com o transporte de longa distância de animais vivos, em particular para fora da Europa;
  • Criar e implementar uma nova Estratégia Europeia sobre o bem-estar dos animais;
  • Reforçar as dotações para a aplicação da Rede Natura 2000, que atualmente é menor que 1% do Orçamento Comunitário, e a criação de um fundo para a sua expansão;
  • Criar um sistema europeu de base de dados e/ou uniformizador de bases de dados de chips identificativos de animais de companhia nos Estados-Membros;

“Numa altura em que assistimos ao ressurgir de falsas e preocupantes posições políticas e ideológicas de extremos, nunca foi tão relevante votar nas Eleições Europeias. A lista do PAN concorre por uma Europa verdadeiramente promotora dos Direitos Humanos, baseada num novo modelo económico e social mais justo, equitativo, ecológico e com a garantia de mais direitos para todos os animais no espaço Europeu”, reforça Francisco Guerreiro, Cabeça de Lista do PAN às Eleições Europeias.



publicado por Carlos Gomes às 17:48
link do post | favorito

Terça-feira, 16 de Abril de 2019
PAN ESTREIA DOCUMENTÁRIO SOBRE DEFESA DOS ANIMAIS

Quinta-feira, 18 de Abril, às 20h45, PAN e líder do Partido Holandês pelos Animais organizam estreia portuguesa do documentário #Powerplant

  • Presença e debate com Marianne Thieme, líder do Partij voor de Dieren e Francisco Guerreiro, cabeça de lista do PAN às Europeias 2019
  • Documentário apresenta a forte ligação entre as Alterações Climáticas, a pecuária intensiva e o consumo de produtos animais
  • Dieta baseada em vegetais pode prevenir até 8 milhões de mortes por ano
  • Rede de partidos humanistas, ecologistas e de defesa dos direitos e proteção dos animais está a crescer na Europa

O Espaço PAN Porto recebe a estreia portuguesa do documentário #Powerplant na próxima quinta-feira, dia 18 de abril, pelas 20h45 na Rua do Barão de Forrester 783. A entrada é livre mediante inscrição (https://forms.gle/jVi3NZTXyT3SxkmV8). Lançado em 2019, o documentário #Powerplant transmite uma forte ligação entre as Alterações Climáticas, a pecuária intensiva e o consumo de produtos animais. Marianne Thieme, líder do Partido Holandês pelos Animais, foi a primeira figura política a abordar este tema no filme "Meat the Truth" em 2007, levantando questões que se tornaram ainda mais pertinentes desde então. Mais recentemente laçaram o documentário “Sea The Truth” (2011) e “One Single Planet” (2015).

Publicações da Universidade de Oxford indicam que a transição para uma dieta baseada em vegetais pode prevenir até 8 milhões de mortes por ano em 2050 e, à escala global, pode levar a poupanças milionárias para a sociedade. A adoção de uma alimentação à base de vegetais pode reduzir até 73% as emissões de gases de efeito estufa e devolver à natureza 76% do território utilizado atualmente para a produção de bens alimentares. Além de cientistas, o documentário também mostra artistas, chefs e empreendedores famosos, que comprovam que a nutrição à base de plantas é sustentável, saudável e uma opção viável para o futuro.

Na Europa, segundo a Greenpeace, o impacto financeiro da indústria da pecuária absorve entre 18% a 20% do orçamento comunitário. Isto equivale entre 28.5 e 32.6 mil milhões de euros. E no território, cerca de 71% da terra arável na Europa está direcionada direta ou indiretamente para a pecuária, sendo que apenas entre 10% a 30% do que o gado come é convertido em proteína animal consumida pelos cidadãos.

Os dados demonstram que a pecuária destrói o ambiente, é estruturalmente ineficiente na gestão de recursos naturais já escassos, mantém-se como um sorvedouro do dinheiro público e nunca fornecerá os alimentos necessários para esta sociedade. Por tal, é fundamental direcionar estes recursos, naturais e financeiros, para a expansão de culturas vegetais e frutícolas em modo biológico, ajudando assim os produtores na sua transição e garantindo que não só a saúde pública como o ambiente e os animais são protegidos. É precisamente este caminho de sustentabilidade que o PAN quer implementar com a eleição de um Eurodeputado, integrando a família dos Verdes Europeus.

Francisco Guerreiro, Cabeça de Lista do PAN às Eleições Europeias do próximo dia 26 de maio junta-se a Marianne Thieme, líder do Partij voor de Dieren// Party for the Animals que elegeu pela primeira vez uma representante europeia em 2014 para uma discussão aberta com o público. A União Europeia tem sido um dos blocos geopolíticos que mais tem avançado na proteção e na consagração dos direitos ou do bem-estar dos animais, tal como em legislação ambiental. Tal facto deve-se em grande parte à emergência e crescimento de partidos políticos com visões integradas sobre sustentabilidade e preservação dos ecossistemas. Em 2014, o PAN realizou a sua primeira candidatura ao Parlamento Europeu inserido no movimento Euro Animal 7, um conjunto de sete partidos ditos "animalistas" que advogava pela proteção e promoção dos direitos dos animais no seio do Projeto Europeu.

Esta rede de partidos humanistas, ecologistas e em defesa dos direitos e proteção dos animais tem estado em crescimento e reúne atualmente 11 partidos, vindos dos Países Baixos, Bélgica, França, Alemanha, Espanha, Portugal, Itália, Suécia, Finlândia, Chipre e Reino Unido. Têm sido estreitados laços e definidas estratégias para garantir o reforço da responsabilidade legal, social e cívica de todos e todas para com os animais.



publicado por Carlos Gomes às 15:16
link do post | favorito

Sexta-feira, 12 de Abril de 2019
PAN ASSINALA O 25 DE ABRIL

45º Aniversário do 25 de abril –P AN Lisboa propõe “revolução” na participação cidadã
O Grupo Municipal do PAN vai propor a realização de reuniões da Assembleia Municipal descentralizadas para uma maior participação dos cidadãos e cidadãs de Lisboa na vida política da cidade
Na Assembleia comemorativa do 45º aniversário do 25 de abril, Dia da Liberdade, o Grupo Municipal do PAN propõe arealização de assembleias municipais descentralizadas (mínimo de quatro ao longo do ano) com o objetivo de aumentar a participação cidadã nas decisões para o município. Esta proposta de deliberação será apresentada na sessão da Assembleia Municipal de dia 16 de abril.
“Há uma revolução necessária aos dias de hoje: aproximar a sociedade civil do poder político. Temos o direito, enquanto cidadãos e cidadãs, de participar nas decisões sobre o nosso bairro, a nossa freguesia, a nossa cidade, até sentirmos que participamos na construção do presente e do futuro, não só do nosso país mas também do nosso planeta”, afirma Inês de Sousa Real, deputada municipal do PAN em Lisboa.
O PAN Lisboa evoca a Revolução da Liberdade para mostrar a importância de reforçar a participação democrática de todos e todas na vida pública e política da cidade. “Grande foi a evolução nestes últimos 45 anos, mas muito há ainda por conquistar, nomeadamente ao nível dos direitos humanos - direitos das mulheres, das crianças, das pessoas em situação de sem-abrigo, das pessoas idosas, das pessoas em situação de vulnerabilidade económica ou social - da sustentabilidade e da proteção animal. Todos e todas devem ter uma palavra a dizer!”, reforça Inês de Sousa Real.
Esta proposta visa o empoderamento de todos os cidadãos e cidadãs e a possibilidade de participarem de forma plena, inclusiva e informada nas decisões do seu território, para que as políticas públicas sejam desenhadas de acordo com as reais necessidades das pessoas.



publicado por Carlos Gomes às 13:01
link do post | favorito

Quinta-feira, 11 de Abril de 2019
PAN DENUNCIA À ORDEM ADVOGADO QUE QUIS AFASTAR JUÍZA POR SER MULHER
  • Advogado de um homem condenado por violar a própria filha quis afastar a juíza por ser mulher
  • Denúncia à Ordem dos Advogados pretende abertura de procedimento disciplinar
  • Atuação do advogado, Pedro Proença, atenta contra as premissas deontológicas
  • Esta atitude revela uma total menorização e discriminação das mulheres na sociedade

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acaba de apresentar uma denúncia ao Conselho de Deontologia de Lisboa da Ordem dos Advogados na sequência da notícia sobre o advogado de um homem condenado por violar a própria filha, que quis afastar a juíza que analisou o recurso, apenas por ser mulher, alegando que que a magistrada, por ser mulher e mãe, não seria tão imparcial quanto um juiz homem.

O advogado em questão, Pedro Proença, que surge em contexto televisivo várias vezes enquanto comentador, terá seguramente responsabilidades éticas e deontológicas acrescidas. No entanto, face à confirmação da sentença condenatória da 1.ª Instância, decide recorrer para o Supremo Tribunal de Justiça, tentando por esta via uma vez mais o afastamento da Magistrada. O Supremo não deu sequência ao pedido por completa ausência de fundamento, qualificando esta pretensão como impensável, uma vez que abarcaria não somente o afastamento desta Magistrada, como de todas as Desembargadoras da Relação, sendo que, “pois, todas têm as características que, no seu modo de ver, fundamentariam a procedência da recusa. Todas pertencem ao género feminino”. Perseverantemente, Pedro Proença ainda tentou socorrer-se do Tribunal Constitucional, sendo que os juízes deste Tribunal, pura e simplesmente, não aceitaram apreciar este último recurso.

Para o PAN a atuação descrita por parte do advogado identificado, poderá atentar contra as premissas deontológicas referidas, pelo que, o partido pede ao Conselho de Deontologia de Lisboa que verifique e analise a exequibilidade e necessidade da abertura de procedimento disciplinar.

“Esta atitude revela uma total menorização e discriminação das mulheres na sociedade, que não pode ser aceitável por parte de um agente de justiça que tem especiais responsabilidades na transmissão de valores à sociedade. E tendo em consideração os recentes casos judiciais graves de desculpabilização dos agressores e culpabilização das vitimas, entendemos que esta situação deve ser analisada e consequente”, reforça Cristina Rodrigues, da Comissão Política Nacional do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 19:07
link do post | favorito

Quarta-feira, 10 de Abril de 2019
OEIRAS: RANCHO FOLCLÓRICO FLORES DA BEIRA COMEMORA 32 ANOS A DANÇAR

56757309_570235556791518_4470247183387459584_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:39
link do post | favorito

ARTESANATO E TRADIÇÕES JUNTAM MOLDOVOS E ROMENOS EM LISBOA

56325258_652142185208937_1687832434051121152_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 10:50
link do post | favorito

Terça-feira, 9 de Abril de 2019
PAN PARTICIPA NO SEMINÁRIO SOBRE ELEIÇÕES EUROPEIAS E O FUTURO DA EUROPA DA REDE EUROPEIA ANTI-POBREZA

Sexta-feira, 12 de Abril, às 14h00

PAN participa no Seminário sobre as Eleições Europeias e o Futuro da Europa da Rede Europeia Anti-Pobreza

Cristina Rodrigues, membro da lista do PAN - Pessoas-Animais-Natureza às Eleições Europeias de dia 26 de maio, participa na próxima sexta-feira, dia 12 de abril, pelas 14h30, no espaço Atmosfera m (R. Castilho 5) em Lisboa, no "Seminário sobre as Eleições Europeias e o Futuro da Europa" promovido pela Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN).

Conforme é possível ler na página de promoção do evento, este encontro pretende reunir à mesma mesa candidatos e representantes dos diferentes partidos políticos que se propõem às próximas eleições, no sentido de promover um debate e diálogo aberto com representantes de diferentes sectores da sociedade civil, parceiros sociais e cidadãos/ãs.

Neste seminário, o PAN irá analisar o trabalho que tem sido realizado a nível nacional e europeu nas áreas do combate à pobreza e à desigualdade, seguindo o apelo da EAPN por uma Europa Livre de Pobreza, assente em compromissos claros que visem fortes e eficazes sistemas de proteção social e políticas macroeconómicas que combatam a desigualdade, a pobreza laboral e garantam o bem-estar.

Nesse sentido, Francisco Guerreiro, cabeça de lista do PAN às Eleições Europeias 2019, assim como a restante lista, assina o compromisso lançado pela Rede Europeia Anti-Pobreza "Para uma Europa livre de Pobreza".



publicado por Carlos Gomes às 16:59
link do post | favorito

Segunda-feira, 8 de Abril de 2019
ATAQUE DE CORAÇÃO: RECUPERAÇÃO FEITA EM CASA TEM EXCELENTES RESULTADOS

Investigação com assinatura da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

Depois da alta hospitalar, o processo de reabilitação cardíaca, incluindo a componente de exercício físico, após um enfarte agudo do miocárdio pode ser feita em casa e com excelentes resultados. As conclusões de uma investigação com participação da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro (ESSUA) confirma isso mesmo e corrobora os resultados de vários estudos internacionais. O trabalho quer dar uma resposta domiciliária à maioria dos doentes que depois da alta se afastam dos programas de reabilitação dos centros hospitalares.

Os investigadores Mesquita Bastos e Fernando Ribeiro (2).jpg

A Sociedade Europeia de Cardiologia, a American Heart Association e o American College of Cardiology, classificam a reabilitação cardíaca (RC) como uma intervenção terapêutica com indicação de classe I (mandatória), fundamentada nos níveis de evidência científica mais elevados.

Mas em Portugal, a percentagem de doentes que participaram nos últimos anos em programas de reabilitação cardíaca de fase III foi de cerca de 4 por cento. A distância entre a residência e os centros hospitalares e a falta de horários e de transportes são algumas das causas apontadas pelos doentes para participarem nos programas.

Por outro lado, a falta de resposta adequada do Sistema Nacional de Saúde na reabilitação cardíaca, a falta de investimento em recursos humanos e materiais e a escassez de centros e a sua localização concentrada nas grandes cidades contribuem decisivamente para a baixa referenciação e adesão aos programas de reabilitação cardíaca.

“Contrariamente ao conceito generalizado de que a reabilitação cardíaca tem de ser feita sob vigilância direta há, nos casos de baixo risco cardiovascular, a possibilidade de efetuar reabilitação supervisionada à distância”, aponta Mesquita Bastos, professor na ESSUA e cardiologista no Centro Hospitalar do Baixo Vouga, em Aveiro.

“Esta é uma área de forte interesse na ESSUA, na qual temos vários projetos financiados e colaborações a decorrer com elevado impacto social,” refere Fernando Ribeiro, professor na ESSUA e investigador no Instituto de Biomedicina (iBiMED) da UA.

O estudo que envolveu a ESSUA no âmbito do Doutoramento em Ciências e Tecnologia da Saúde de Andreia Noites, onde participaram também o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho e a Escola Superior de Saúde do Porto, envolveu um grupo de pessoas em recuperação de um enfarte do miocárdio, que realizou um programa de exercícios, três vezes por semana, em casa, durante oito semanas.

Depois das informações e aconselhamentos ministrados presencialmente pelos investigadores, a atividade física e os sinais vitais dos doentes, com recurso a dispositivos eletrónicos, foram monitorizados continuamente à distância pela equipa de investigação.

Sem desculpas, doentes dizem presente

 Sem os entraves dos quilómetros até aos hospitais centrais ou centros clínicos e a restrição dos horários das sessões, os doentes não só aderiram ao programa de exercício físico e educação para hábitos de vida saudáveis proposto como obtiveram excelentes resultados na melhoria da saúde cardiovascular.

“O estudo permitiu demonstrar que na fase IV de reabilitação cardíaca, o exercício no domicílio melhora a capacidade cardiorrespiratória, a frequência cardíaca no pico de esforço e a de recuperação num grupo de doentes que já tinha parado a fase III de reabilitação cardíaca há 9 meses atrás”, assegura Mesquita Bastos.

Ou seja, aponta o cardiologista, “o estudo demonstrou que um programa de exercício efetuado em casa e supervisionado à distância foi capaz de aumentar a tolerância ao exercício ao fim de apenas 8 semanas”. Um ganho que está, naturalmente, associado a um menor risco de mortalidade e a um melhor prognóstico.

Com as fases III / IV da reabilitação cardíaca a serem realizadas em casa de cada um dos doentes, antevê Mesquita Bastos, “é possível abranger uma maior população, incluindo a que se encontra impedida de o fazer pela distância até aos locais dos programas (hospitais, clinicas) e, desta forma, criar uma rede de reabilitação com todo o suporte tecnológico que hoje existe”.

Por outro lado, os custos para o Sistema Nacional de Saúde, diz o cardiologista, serão proporcionalmente menores. De realçar, alerta o especialista, que este tipo de reabilitação “não substitui a reabilitação feita no internamento [fase I] nem na maioria dos doentes a feita logo após a alta [fase II]”.



publicado por Carlos Gomes às 14:27
link do post | favorito

PAN QUER QUE TODOS OS AGRESSORES SEXUAIS FREQUENTEM PROGRAMAS DE REABILITAÇÃO

• - Lei atual só prevê reabilitação nos casos em que se verificam condenações a prisão efetiva e para agressores sexuais de crianças e jovens
• - PAN pretende mudanças para que todos os agressores sexuais sejam integrados nos programas de reabilitação
• - Medida pretende combater a forte desvalorização destes crimes por parte dos Tribunais portugueses
• Em Portugal o crime de violação foi um dos únicos crimes que subiu comparativamente ao ano anterior
• - Apenas um terço dos 302 abusadores de menores condenados em 2017 foi sancionado com pena de prisão efetiva
O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acaba de apresentar um projeto lei que obriga todos os agressores sexuais à frequência de programas de reabilitação. A violência sexual é uma das formas de violência de género, maioritariamente, perpetrada por homens contra mulheres e crianças, como pode ser aferido por vários indicadores estatísticos, como é exemplo do Relatório Anual de Segurança Interna referente ao ano de 2017. Em todo o globo, 35,6% das mulheres foi vítima de algum tipo de violência sexual; na Europa, a prevalência de violência física e sexual nas relações de intimidade é de 25,4%.
Em Portugal a violência sexual é sujeita a criminalização, sendo enquadrada nos crimes contra as pessoas, mas, considerando os dados do Ministério da Justiça, relativos às decisões tomadas pelos Tribunais de primeira instância em 2016, a pena de prisão suspensa foi aplicada em 58% das 404 condenações por crimes sexuais em que são conhecidas as sanções decretadas. Neste universo, apenas 37% dos agressores foram condenados a penas de prisão efetiva e 5% a penas mais leves, como prisão substituída por multa ou trabalho comunitário.
A título de exemplo, nos casos de coação sexual, as condenações a prisão efetiva são tão residuais, que estão protegidas pelo segredo estatístico, existindo, porém, a certeza que das 32 condenações por este crime em 2016 (incluindo as tentativas e os casos agravados) 23 terminaram em penas de prisão suspensas. Já nos casos de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência, a percentagem de condenações a prisão efetiva fica nos 53% e a penas suspensas nos 47%.
Considerando o Relatório Anual de Segurança Interna referente ao ano de 2017, verifica-se que o crime de violação foi um dos únicos crimes que subiu comparativamente ao ano anterior e que apenas um terço dos 302 abusadores de menores condenados em 2017 foi sancionado com pena de prisão efetiva. De acordo com investigação científica recente sobre a história deste tipo de crimes na legislação portuguesa desde a Idade Média, a alta frequência de penas suspensas consubstancia tendências históricas e culturais que desvalorizam constantemente estes crimes por parte dos Tribunais.
A legislação atual só prevê a frequência de programas de reabilitação nos casos em que se verificam condenações a prisão efetiva e para agressores sexuais de crianças e jovens. Face a uma conjuntura onde grande parte dos crimes de cariz sexual não resulta na aplicação de penas de prisão efetiva, seria importante abarcar todos os agressores sexuais no que respeita ao acompanhamento técnico por via da ministração de programas de reabilitação, ainda para mais considerando que não existe qualquer registo estatístico fidedigno quanto ao fenómeno da reincidência neste tipo de crimes.
“São necessárias mais e mais eficazes medidas para proteger as vítimas e reduzir as práticas violentas que ainda persistem na nossa sociedade e esta proposta cumpre estes objetivos”, reforça André Silva, Deputado do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 14:16
link do post | favorito

Sábado, 6 de Abril de 2019
“MARCHA ANIMAL” JUNTA EM LISBOA MAIS DE DUAS MIL PESSOAS

Terminou há instantes a Marcha Animal que desfilou entre a Praça do Campo Pequeno e o Palácio de S. Bento. Mais de duas mil pessoas responderam ao apelo da entidade organizadora – a Associação ANIMAL – que contou com o apoio de diversas associações, colectivos e partidos políticos como o PAN e o Bloco de Esquerda, com vista a reclamar mais direitos para os animais.

DSCF4160.JPG

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, adquiriu notoriamente grande visibilidade, quer pela adesão crescente que tem registado como ainda pela atenção que lhe é dispensada pela comunicação social em geral, desfilando como um grupo coeso e claramente identificado.

“A Marcha Animal é um momento importante porque traz maior visibilidade às reivindicações de uma sociedade cada vez mais empática, à qual a classe política continua indiferente e de costas voltadas. Permite-nos interagir sobre alguns avanços, mas também nos recorda que a exploração ilimitada e irresponsável dos recursos naturais e dos animais, sem qualquer consideração pela sua natureza sensível, tem vindo a causar o esgotamento dos ecossistemas, as alterações climáticas, a extinção de espécies e um sofrimento enorme e desnecessário na vida de milhões de seres”, afirma André Silva, Deputado do PAN na Assembleia da República.

DSCF4166 (2).JPG

Segundo o PAN, “esta é uma ocasião para celebrar as vitórias políticas alcançadas neste âmbito, concretizações que honram os votos que os portugueses confiaram ao PAN para alcançar mudanças como o: o fim do abate de animais de companhia como forma de controlo da população; a dedução de despesas médico veterinárias em sede de IRS; a alteração do estatuto jurídico do animal; apoios aos municípios na construção de centros de recolha oficial de animais; a regulamentação do comércio de animais pela internet; a possibilidade da permissão de entrada de animais em estabelecimentos comerciais ou o fim da utilização de animais selvagens nos circos.

No entanto, este também é o momento de continuar a reivindicar mudanças que continuam a ser rejeitadas na Assembleia da República, mas que o PAN não tem deixado, e não pretende deixar, esquecer, como a abolição da tauromaquia, o fim do tiro ao voo e de métodos de caça particularmente cruéis como a caça com matilhas ou à paulada, a instalação de câmaras de vigilância em matadouros, a não atribuição de apoios financeiros do estado à experimentação científica com animais, a criminalização de maus tratos a animais de pecuária ou a adoção de normas que confiram maior proteção dos animais transportados vivos.”

DSCF4207 (2).JPG

DSCF4201 (2).JPG

DSCF4166 (2).JPG

DSCF4169.JPG

DSCF4194.JPG

DSCF4204 (2).JPG



publicado por Carlos Gomes às 18:11
link do post | favorito

Sexta-feira, 5 de Abril de 2019
METRO DE LISBOA COMEMORA DIA MUNDIAL DA ATIVIDADE FÍSICA

6 Abril sábado Estação Cais do Sodré

No âmbito do Dia Mundial da Atividade Física que se celebra amanhã, dia 6 de abril, o Metropolitano de Lisboa vai realizar uma aula aberta de Jisei Budô, salientando os benefícios da atividade física para a saúde e aumento da qualidade de vida.

Assim quem passar no próximo sábado, dia 6 de abril, às 11:00 horas, pela estação do Metro de Lisboa do Cais do Sodré poderá assistir e participar numa aula de Jisei Budô iniciativa levada a cabo em parceria com a instituição Jisei Dojo.

O Jisei é um conceito de origem japonesa, cujo trabalho se centra na mente, em que, para além da atividade física em si, se trabalha a saúde o bem-estar. "Filosofar com o corpo, golpear com a mente", o Jisei Dojo proporciona os meios para iniciar ou continuar, no século XXI, uma prática de saúde, bem-estar e eficácia, respeitando a tradição do BUDÔ — o conceito japonês para "arte marcial", que visa o melhoramento constante do Ser, do Estar e do Fazer." (http://www.jiseidojo.pt/).

A ação consiste na realização de uma aula aberta de Jisei Budô, em que os clientes são convidados a participar sendo ajudados pelos professores e praticantes que lhes vão ensinar os exercícios de saúde e bem-estar desta prática.

No final os cerca de 25 praticantes fazem uma apresentação de "kenjutsu", que envolve aplicações com a espada japonesa dos antigos samurais.

A participação nesta atividade apenas exige roupa e calçado práticos/ confortáveis e a mente aberta para deixar o espírito do Jisei Budô entrar no corpo. A aula terá uma duração de 60 minutos.

Através do incentivo a este tipo de iniciativas, o Metropolitano de Lisboa reforça a sua estratégia de responsabilidade social, garantindo a melhoria da qualidade de vida dos seus clientes, através da promoção da mobilidade associada a estilos de vida saudáveis.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:34
link do post | favorito

PAN ENTREGA LISTA DE CANDIDATOS AO PARLAMENTO EUROPEU

Entrega da Lista - Terça Feira, 9 de abril, 9h30

PAN entrega lista de candidatura às Europeias no Tribunal Constitucional

O cabeça de lista do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) às Eleições Europeias, Francisco Guerreiro, e o deputado André Silva, mandatário da campanha, entregam na próxima terça-feira dia 9 de abril, pelas 9h30, a sua Lista de Candidatura no Tribunal Constitucional (Rua de "O Século" nº 111, Lisboa). O candidato e restantes elementos farão o percurso de transportes públicos para marcar uma das principais bandeiras da campanha do PAN: a importância de se investir na mobilidade pública e responsável.

candidatura do PAN assenta em temáticas prioritárias relacionadas com o apoio humanitário, o desenvolvimento económico e social responsável, o combate às alterações climáticas e a promoção de uma transição energética para fontes 100% limpas e renováveis.

A lista avança com medidas específicas relacionadas com novos empregos, com a criação de um plano económico que fomente empregos 100% verdes e de longa duração; o combate à poluição, com o fim do uso de microplásticos em cosméticos, produtos de limpeza e de higiene; a melhoria dos Direitos Humanos com o reforço do apoio humanitário aos refugiados, o combate à pobreza e a promoção de uma vida com dignidade no Espaço Europeu; melhor uso dos fundos comunitários pelo direcionamento para a Agricultura Biológica dos fundos atualmente atribuídos à pecuária intensiva e à pesca industrial; medidas de proteção animal com o fim do transporte de animais vivos para fora da União Europeia e o fim do tráfico de marfim, de animais selvagens e de companhia; uma real transição energética, com o reforço da independência energética das pessoas e comunidades através da criação de incentivos à produção, distribuição e consumo de energias 100% limpas e renováveis; promover a descarbonização garantindo o fim da exploração de petróleo e gás na costa portuguesa; ainda em matéria de energia, acabar com a energia nuclear e acelerar o desmantelamento das respetivas centrais; na área da mobilidade responsável, o partido propõe que transitemos do automóvel para o uso da bicicleta e dos transportes públicos movidos a energias limpas e renováveis, financiando a construção de vias de circulação amigáveis.

“Este é mais um importante passo para a implementação do partido no país e no contexto Internacional. Estamos confiantes que iremos garantir a eleição de um eurodeputado e entrar na família dos Verdes Europeus", conclui Francisco Guerreiro, cabeça de lista do PAN às Eleições Europeias de 26 de maio.

Lista de todos os candidatos:

 

Nome

Distrito

1

Francisco Guerreiro

Lisboa

2

Bebiana Cunha

Porto

3

Pedro Neves

Açores

4

Cristina Rodrigues

Setúbal

5

João Freitas

Madeira

6

Inês Real

Lisboa

7

Rui Prudêncio

Lisboa

8

Daniela Duarte

Faro

9

André Nunes

Setúbal

10

Inês Campos

Lisboa

11

Jorge Ribeiro

Porto

12

Carolina Almeida

Viseu

13

Daniela de Sousa

Leiria

14

Rui Alvarenga

Aveiro

15

Patrícia Gomes

Braga

16

Helder Capelo

Lisboa

17

Sónia Domingos

Açores

18

Vera Belchior

Faro

19

Artur Alfama

Setúbal

20

Sara Fernandes

Braga

21

José Castro

Porto



publicado por Carlos Gomes às 15:14
link do post | favorito

Quinta-feira, 4 de Abril de 2019
PAN PARTICIPA NA MARCHA ANIMAL QUE SE REALIZA EM LISBOA

PAN participa na Marcha Animal para celebrar o caminho feito e reivindicar mais direitos para os animais. 6 de abril às 15h00

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, volta a juntar-se à Marcha Animal no próximo dia 6 de abril, com concentração pelas 15h00, no Campo Pequeno. A marcha, que tem como finalidade atrair maior visibilidade aos Direitos dos Animais, inicia-se pelas 16h00 em direção ao Parlamento (Trajeto: Campo Pequeno - Av. da República - Saldanha - Marquês - Rato - São Bento).

MARCHA ANIMAL 051

Esta é uma ocasião para celebrar as vitórias políticas alcançadas neste âmbito, concretizações que honram os votos que os portugueses confiaram ao PAN para alcançar mudanças como o: o fim do abate de animais de companhia como forma de controlo da população; a dedução de despesas médico veterinárias em sede de IRS; a alteração do estatuto jurídico do animal; apoios aos municípios na construção de centros de recolha oficial de animais; a regulamentação do comércio de animais pela internet; a possibilidade da permissão de entrada de animais em estabelecimentos comerciais ou o fim da utilização de animais selvagens nos circos.

No entanto, este também é o momento de continuar a reivindicar mudanças que continuam a ser rejeitadas na Assembleia da República, mas que o PAN não tem deixado, e não pretende deixar, esquecer, como a abolição da tauromaquia, o fim do tiro ao voo e de métodos de caça particularmente cruéis como a caça com matilhas ou à paulada, a instalação de câmaras de vigilância em matadouros, a não atribuição de apoios financeiros do estado à experimentação científica com animais, a criminalização de maus tratos a animais de pecuária ou a adoção de normas que confiram maior proteção dos animais transportados vivos.

“A Marcha Animal é um momento importante porque traz maior visibilidade às reivindicações de uma sociedade cada vez mais empática, à qual a classe política continua indiferente e de costas voltadas. Permite-nos interagir sobre alguns avanços, mas também nos recorda que a exploração ilimitada e irresponsável dos recursos naturais e dos animais, sem qualquer consideração pela sua natureza sensível, tem vindo a causar o esgotamento dos ecossistemas, as alterações climáticas, a extinção de espécies e um sofrimento enorme e desnecessário na vida de milhões de seres”, afirma André Silva, Deputado do PAN na Assembleia da República.



publicado por Carlos Gomes às 11:22
link do post | favorito

Quarta-feira, 3 de Abril de 2019
ARGANILENSES ORGANIZAM EM LISBOA FESTA REGIONALISTA

Programa Festa Regionalista 2019 (2).png



publicado por Carlos Gomes às 22:05
link do post | favorito

Terça-feira, 2 de Abril de 2019
PAN ELEGE NOVA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL NO VII CONGRESSO
  • VII Congresso do PAN teve lugar a 30 de março, sob o lema "Mais PAN, Causas Sem Fronteiras",
  • Partido reforça o seu papel diferenciador no panorama político português
  • Coube ao cabeça de lista do PAN às Eleições Europeias 2019, Francisco Guerreiro, o encerramento do Congresso

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza elegeu no passado sábado uma nova Comissão Política Nacional (CPN), que estará em funções nos próximos dois anos dando cumprimento às moções aprovadas no VII Congresso do Partido. A lista paritária composta por 27 pessoas, entre as quais André Silva, Bebiana Cunha e Francisco Guerreiro, integra elementos de todas as regiões do país, incluindo Açores e Madeira.

FranciscoGuerreiro2_VIICongresso.jpg

No Congresso que teve lugar a 30 de março no auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Lisboa, o PAN traçou o seu caminho de crescimento e afirmação no panorama político português. Foram aprovadas várias moções que vinculam o partido à apresentação de medidas na área da igualdade e não discriminação, reforço da participação das mulheres na política, mobilidade sustentável, biodiversidade, literacia ambiental e promoção do bem-estar animal, respondendo à ausência de soluções políticas dos partidos convencionais da esquerda à direita.

"A esquerda e a direita mostram-se incapazes de dar respostas aos principais problemas do nosso tempo. É incontornável o papel diferenciador que o PAN tem na sociedade portuguesa e no espectro político-partidário cada vez mais esgotado", reforçou André Silva, porta-voz do PAN e deputado à Assembleia da República, no discurso de abertura.

Como o Lema "Mais PAN, Causas Sem Fronteiras", o VII Congresso do PAN viu também ser aprovado por unanimidade um voto de congratulação a Arlindo Marques, o ativista em defesa do rio Tejo que denunciou os atentados ambientais associados à indústria da celulose.

Coube ao cabeça de lista do PAN às Eleições Europeias 2019 o encerramento do Congresso. Na presença de representantes da Presidência da República, Governo, PSD, PS, BE, PCP, PEV e dos European Greens, Francisco Guerreiro foi contundente no que toca ao papel e objetivos políticos do Partido:

"Este ano vamos concretizar três grandes objetivos eleitorais: Queremos eleger um Eurodeputado no próximo dia 26 de maio e sentar o Planeta em Bruxelas. Queremos regressar ao parlamento regional da Madeira em setembro E em outubro vamos pedir ao país um reforço da confiança e da responsabilidade para elegermos um Grupo Parlamentar à Assembleia da República. Chegamos ao fim deste Congresso com uma certeza: Em 2019 queremos Afirmação. Afirmação porque temos respostas capazes para problemas concretos. Afirmação porque somos a voz de tantas pessoas que finalmente se sentem representadas. Afirmação porque somos cada vez mais a pensar assim", concluiu Francisco Guerreiro.

FranciscoGuerreiro1_VIICongresso.jpg



publicado por Carlos Gomes às 20:06
link do post | favorito

EM TEMPO DE QUARESMA AS JORNADAS CULTURAIS | “PORQUE SE FAZEM AS FESTAS?” DEBATEM A IMPORTÂNCIA DOS RITUAIS RELIGIOSOS

A 3ª SESSÃO DE DEBATES TERÁ LUGAR EM CASTELO DE VIDE

a3_jornadasculturais_pascoa (3).jpg

Aproveitando o período de reflexão da Quaresma e a celebração da Páscoa este mês, a 3ª sessão de debates das Jornadas Culturais | “Porque Se Fazem As Festas?”  convida-o/a para uma conversa sobre "Os Rituais Religiosos".

A região anfitriã desta iniciativa será Castelo de Vide, um município conhecido pelas suas tradicionais celebrações da Semana Santa. A sessão decorrerá dia 6 de Abril, às 15h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Tendo como principal objetivo a divulgação e valorização do património cultural de Portugal, estas Jornadas Culturais proporcionam um amplo debate e a reflexão sobre a importância cultural, identitária e socioeconómica de tradições portuguesas na comunidade de hoje, utilizando uma abordagem de carácter multidisciplinar.

A 3ª sessão de debates, organizada pela Progestur e Fundação Inatel, tem como parceira a Universidade Lusófona e conta também com o apoio da Câmara Municipal de Castelo de Vide.



publicado por Carlos Gomes às 12:37
link do post | favorito

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO: ANTICORPOS DA GEMA DO OVO EM PASTILHAS CONTRA A GRIPE

E se a vacina da gripe fosse substituída por pastilhas efervescentes? A ideia nasceu na Universidade de Aveiro (UA). À base de vitamina C e de uma mão cheia de minerais, o ingrediente secreto das super-pastilhas está nos anticorpos retirados das gemas dos ovos das galinhas. Sem as contraindicações das vacinas que todos os anos têm de ser reformuladas e sem a agulha invasiva, as pastilhas querem revolucionar o combate à gripe. Assim haja financiamento.

Os investigadores Marguerita Rosa, Emanuel Capela e Mariam Kholany  (1).jpg

Os anticorpos IgY – assim se chamam os ingredientes chave das pastilhas efervescentes - são produzidos exclusivamente por aves, estando concentrados nas gemas dos ovos. Proteínas que atuam no sistema imunológico como defensoras do organismo, apontam os investigadores do Departamento de Química (DQ) da UA, é possível manipulá-los de forma a torná-los armas eficazes no combate ao Influenza, o vírus causador da gripe.

A ideia de incorporar os anticorpos IgY em pastilhas efervescentes foi desenvolvida por Marguerita Rosa, Emanuel Capela e Mariam Kholany, estudantes do Doutoramento em Engenharia Química do DQ e do CICECO - Instituto de Materiais de Aveiro da UA.

“Espera-se que estes anticorpos não espoletem reações inflamatórias no sistema imunitário humano, diminuindo passivamente a carga viral da pessoa afetada”, explicam os investigadores que deixam uma garantia: “Uma pastilha por dia é o que desejamos alcançar para manter a proteção ao longo do tempo de maior incidência do vírus da gripe”.

Com a tecnologia e os conhecimentos científicos necessários para acabarem com o Influenza, os jovens investigadores querem criar um produto nutracêutico revolucionário e inovador para combater o vírus da gripe. “A nossa ideia passa por desenvolver pastilhas efervescentes contendo anticorpos da gema do ovo específicos para as proteínas membranares constantes do vírus, e suplementadas com vitamina C e outros minerais para reforçarem o sistema imunitário”, explicam.

“Trata-se de um método passível de ser utilizado por toda a população e não apenas por doentes de risco, tendo a vantagem de ser não-invasivo quando comparado com a vacinação tradicional”, garantem.

O projeto dos estudantes da UA foi mesmo um dos doze finalistas selecionados para apresentação de um pitch no decorrer da V IMFAHE's International Conference 2019 - Innovation Camp, que decorreu em março na Universidade de La Laguna em Tenerife (Ilhas Canárias). No final, venceram o segundo prémio no concurso, arrecadando 2 mil euros para trabalharem na proposta ao longo do próximo ano.



publicado por Carlos Gomes às 11:36
link do post | favorito

PAN LISBOA QUER TRANSPORTES PÚBLICOS ACESSÍVEIS A TODAS AS PESSOAS

Estações de Metro junto a unidades hospitalares em que o único acesso é por escadas? Uma hora e meia entre autocarros e percursos a pé para chegar ao destino? Pagar 6 Euros, ou mais, de parque de estacionamento no hospital quando vamos a uma urgência ou tratamento?

1inessousareal (1).png

 O Grupo Municipal do PAN volta a insistir numa cidade acessível a todas as pessoas e apresenta amanhã, em Assembleia Municipal, uma recomendação por um melhor acesso e circulação nos transportes públicos.

Uma boa rede de transportes públicos não se resume a passes sociais mais baratos. Fizemos vários percursos de transportes públicos em Lisboa e, infelizmente, ainda persistem barreiras arquitetónicas que não permitem que todos e todas possam deslocar-se sem problemas. É inadmissível que em plena capital do país, Capital Verde 2020 e destino turístico europeu de eleição, estejamos AINDA a insistir na questão das acessibilidades. Não nos esqueçamos que nem todas as pessoas têm possibilidade de se deslocar de carro ou táxi, e nem todas circulam de transportes públicos com a mesma facilidade, seja porque se deslocam em cadeira de rodas, com carrinhos de bebé ou por qualquer outra circunstância”, diz Inês de Sousa Real, deputada municipal do PAN em Lisboa.

Para que todas as pessoas consigam ter uma vida ativa na cidade, o Grupo Municipal do PAN apresenta amanhã uma recomendação que visa a articulação com o Metropolitano de Lisboa para que todas as estações, com prioridade àquelas que se situam junto de unidades hospitalares ou centros de saúde, tenham plataformas elevatórias ou elevador desde a superfície até à plataforma de embarque. Esta recomendação propõe também repensar com a Carris os trajetos na cidade para minimizar os percursos a pé e acelerar a implementação do Plano Pedonal de Lisboa para que os passeios tenham menos obstáculos, existam mais passadeiras e maior fiscalização das obras, assegurando a mobilidade de todas as pessoas.

O direito à mobilidade é um direito básico fundamental para o exercício de uma cidadania plena. Ser cidadão não é só ir votar, é poder participar em pleno na vida coletiva da cidade e ter acesso a uma rede de transportes pensada com base na não discriminação, na inclusão, na tolerância no respeito e na igualdade”, afirma Inês de Sousa Real.



publicado por Carlos Gomes às 10:50
link do post | favorito

Domingo, 31 de Março de 2019
OEIRAS: FOLCLORE DESFILA NA RIBEIRA DA LAGE EM PORTO SALVO

O Rancho Folclórico "Os Minhotos” da Ribeira da Lage, sediado na Freguesia de Porto Salvo, no concelho de Oeiras levou hoje a efeito com grande êxito mais uma edição do Encontro de Tradições que teve lugar no Centro Cultural da Ribeira da Lage. Uma iniciativa que, com sempre, contou com a presença simpática do Presidente da Junta de Freguesia de Porto Salvo, Dr Dinis Antunes.

DSCF4044 (1).JPG

A festa contou também com a participação do Rancho Folclórico Infantil e Juvenil Santa Clara-Nova e Gomes Aires – Almodôvar (Baixo Alentejo) e do Rancho Folclórico de Nossa Senhora das Neves – Manique de Baixo (Região Saloia) em substituição do Rancho Folclórico As Lavadeiras da Ribeira da Lage que não pode estar presente devido ao estado de luto do seu presidente.

DSCF4032.JPG

O espectáculo recriou o ambiente doméstico em casa do lavrador, em véspera de domingo com missa dominical seguida de festa na aldeia, uma representação que animou e divertiu o público. E, para leiloar, mantendo a tradição de anos anteriores, calhou este ano a sorte a dois preciosos láparos.

DSCF4104 (1).JPG

A Ribeira da Lage é uma localidade da freguesia de Porto Salvo, no concelho de Oeiras, a escassa distância de Lisboa, devendo o seu nome a um dos afluentes do rio Tejo que nasce na serra de Sintra.

Corria ano de 1978 quando um grupo de minhotos que aí residiam e trabalhavam decidiu juntar-se para confraternizar, preservar as suas raízes culturais e dar a conhecer o folclore da nossa região. Assim nasceu o Rancho Folclórico “Os Minhotos” da Ribeira da Lage.

A partir de então, não mais pararam de dançar os viras e as chulas, as rosinhas e as cana-verdes. Exibem trajes domingueiros e de trabalho, de mordoma e de dó, traje da Areosa e à vianesa. São perto de meia centena de componentes que se repartem ainda pela tocata onde não falta o bombo e a concertina, os ferrinhos e o reco-reco, a viola e o cavaquinho. E, como não podia deixar de ser, muita alegria que é apanágio das gentes do Minho!

O Rancho Folclórico "Os Minhotos” da Ribeira da Lage foi fundado no dia 8 de Março do ano de 1978 na localidade da Ribeira da Lage, por um grupo de pessoas oriundas do Minho e que nessa altura residiam e trabalhavam no Concelho de Oeiras.

O objetivo deste, é divulgar o tradicional folclore e as tradições minhotas pelo país. Ao longo do ano são vários os Eventos promovidos pelo grupo entre os quais o Encontro de Tradições, o Festival de Inverno, o Aniversário do Rancho e um Encontro de Consertinas.

Entre o repositório que apresentam destacamos as Chulas, as Cana Verdes, os Viras e outras músicas que fazem parte da tradição do Alto Minho e que este grupo divulga de norte a sul de Portugal.

Este grupo é formado por cerca de 45 elementos entre dançarinos e tocata. A tocata é composta por diversos instrumentos musicais oriundos do Minho, tais como a concertina, as castanholas, o bombo, os ferrinhos, o cavaquinho, a viola, o reco-reco e a pandeireta.

Os trajes representados são oriundos do Alto Minho e representam os mais variados concelhos e freguesias da região.

Quem são actualmente os seus dirigentes?

Assembleia Geral: Presidente: Carmindo Manuel Carvalho Sousa

Vice-presidente: Rui Manuel Carvalho Palhais

Secretário: Maria Isabel Lopes de Oliveira

Direção: Presidente: Susana Cristina de Jesus Teixeira

Secretário: Carlos Nobre Justo

Tesoureiro: Rosa Maria Miranda de Oliveira

1º Vogal: Teresa Guerra Cardoso Pintado

2º Vogal: Agostinho Miguel Pintado

Conselho Fiscal: Presidente: Maria Ernestina de Jesus Gonçalves

Secretária: Maria do Ceu da Silva Covas Justo

Relator: Isabel Maria Oliveira dos Santos

DSCF4067.JPG

DSCF4013.JPG

DSCF4016.JPG

DSCF4017.JPG

DSCF4018.JPG

DSCF4019.JPG

DSCF4020.JPG

DSCF4021.JPG

DSCF4024.JPG

DSCF4027.JPG

DSCF4028.JPG

DSCF4034.JPG

DSCF4035.JPG

DSCF4043.JPG

DSCF4049.JPG

DSCF4059.JPG

DSCF4075.JPG

DSCF4108.JPG

DSCF4124.JPG

DSCF4140 (2).JPG

DSCF4145 (2).JPG



publicado por Carlos Gomes às 21:51
link do post | favorito

Sábado, 30 de Março de 2019
RIO DE MOURO: EM CADA ESQUINA O PERIGO ESPREITA!

Por toda a freguesia de Rio de Mouro existem caixas de electricidade esventradas e postes de iluminação pública cujo quadro eléctrico, sem a menor protecção, encontra-se ao alcance da mão de qualquer criança.

DSCF4009.JPG

O perigo é de morte e a responsabilidade é de quem possui a incumbência de assegurar a manutenção dos equipamentos – e também de quem teria a obrigação de alertar os serviços responsáveis para a situação!

O BLOGUE DO MINHO tem insistentemente alertado para o perigo mas quem de direito faz de conta que nada sabe acerca do problema… mas as imagens falam por si!

DSCF4010.JPG

Capturar1

DSCF9008 (1)

36750457_1771173639629808_4813682406282231808_n

36781670_1772529842827521_3782289032835235840_n

DSCF3706

DSCF3702

DSCF3704

DSCF3705

DSCF3709

DSCF1374



publicado por Carlos Gomes às 16:08
link do post | favorito

LISBOA DESFILA PELA CONSCIENCIALIZAÇÃO DA ENDOMETRIOSE

Lisboa vai marchar pela consciencialização da Endometriose

Associação MulherEndo organiza 6ª edição da WorldWide EndoMarch em Portugal. Evento realiza-se dia 30 de março, em Lisboa. Figuras públicas e profissionais de saúde unem-se a esta causa.

primage_36801.png

Março é o mês de consciencialização mundial para a Endometriose - uma doença crónica de origem desconhecida e sem cura -, que se estima afetar uma em cada dez mulheres em idade fértil.

Em Portugal, no âmbito do mega movimento mundial WorldWide EndoMarch, a MulherEndo - Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose organiza, sexto ano consecutivo, uma marcha pela sensibilização e maior divulgação da doença. A EndoMarcha 2019 realiza-se, em Lisboa, no dia 30 de março.

À semelhança dos anos anteriores, o evento visa representar Portugal numa iniciativa que acontece, simultaneamente, em várias cidades do mundo, com o intuito de reforçar a mensagem para a importância de haver uma maior consciencialização sobre a Endometriose. Por cá, a EndoMarcha já conta com uma grande afluência de participantes –quase 700 inscritos - entre eles, algumas figuras públicas que se unem a esta causa. A marchar pela Endometriose estarão, também, profissionais de saúde do Centro Especializado em Endometriose do Hospital dos Lusíadas que têm desenvolvido um trabalho de parceria com a MulherEndo.

A Endometriose – que se caracteriza pelo aparecimento de tecido do endométrio fora do útero - é uma doença complexa que provoca dores pélvicas crónicas incapacitantes e infertilidade. Ainda se desconhece a sua origem, mas afeta sobretudo as mulheres em idade reprodutiva, entre 10 a 15%. Nas mulheres com infertilidade, essa prevalência aumenta para cerca de 25 a 45%. Apesar dos avanços no tratamento da Endometriose, ainda não existe cura e pouco se sabe sobre as causas. A doença costuma ser diagnosticada entre os 25 e os 35 anos, apesar dos primeiros sinais se manifestarem anos antes, com o início da menstruação.

A Endometriose é ainda pouco falada e conhecida. É uma doença com um diagnóstico, geralmente, demasiado tardio. A falta de informação e o facto de os sintomas serem idênticos às dores menstruais fazem com que muitas mulheres vivam anos sem saber que sofrem desta condição, inclusive, por verem as suas queixas desvalorizadas clinicamente. Mas a Endometriose existe, é real, leva órgãos, sonhos e vidas. Em Portugal, estima-se que, cerca de 240 mil mulheres em idade fértil sofram da doença. Por isso, a EndoMarcha vai ao encontro da necessidade de maior divulgação e desmistificação da doença no nosso país e, em todo o mundo, onde se estima que a Endometriose afete 176 milhões de mulheres.”, refere Susana Fonseca, presidente da MulherEndo.

As inscrições para a EndoMarcha 2019 são gratuitas. O início da marcha está marcado para às 15h00, na Praça do Comércio e dura sensivelmente 30 minutos em caminhada lenta (aproximadamente 4km). O programa contempla ainda discursos de profissionais de saúde, especialistas em Endometriose, bem como, a partilha de testemunhos.

Em Portugal, a WorldWide EndoMarch conta com o apoio e patrocínio da Adidas, da Clínica de Fertilidade Lisboa – IVI, do espaço VivaFit Benfica, do Hospital dos Lusíadas (Lisboa), da Emílio Azevedo Campos S.A, da Guerin – Car Rental Solutions e da Enterprise Rent-A-Car.  

Sobre a Endometriose:

O que é? A Endometriose é uma doença crónica, benigna, que se caracteriza pelo crescimento de tecido endometrial (glândulas e estroma) fora do seu local habitual que é a cavidade uterina.

Quais são as causas da Endometriose? A origem da Endometriose ainda não é plenamente conhecida e é, por isso, motivo de controvérsia.

Como se manifesta? De um modo geral, a Endometriose provoca o aparecimento de sintomas, sendo que em 80% dos casos a dor é a principal manifestação da doença. Em 20% dos casos, a Endometriose associa-se a infertilidade podendo também ser, embora mais raramente, assintomática.

Como se diagnostica? A história clínica e o exame médico são importantes no diagnóstico da Endometriose mas, na ausência de endometriomas (lesões localizadas de Endometriose), são poucos os métodos de diagnóstico não invasivos capazes de detetar a doença. Desses, a ecografia e a ressonância magnética são os mais eficazes.

Como se previne? Não é possível prevenir o desenvolvimento de Endometriose, mas essa possibilidade pode ser diminuída através de uma redução dos níveis de estrogénios no organismo.

Sobre a MulherEndo:

A MulherEndo – Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose, foi fundada em 2013, dando continuidade ao trabalho até então desenvolvido pelo Grupo de Apoio, com o mesmo nome, que durante três anos trabalhou no sentido de divulgar esta doença ainda muito desconhecida no nosso país. A MulherEndo tem por objetivo principal promover e fomentar o apoio, a reabilitação e/ou recuperação física e psicológica da mulher com Endometriose através da informação e cooperação direta.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 08:16
link do post | favorito

Sexta-feira, 29 de Março de 2019
LAMAS VERMELHAS PODEM, AFINAL, DESPOLUIR ÁGUAS TÓXICAS

Investigação da Universidade de Aveiro

Constituem um resíduo industrial altamente nocivo para o ambiente e, consequentemente, para a saúde humana. Chamam-se lamas vermelhas, resultam da produção de alumina, a matéria-prima principal na produção de alumínio, e, ao longo dos últimos anos, têm provocado inúmeros acidentes ambientais. Na Universidade de Aveiro (UA) uma equipa de investigadores conseguiu transformar as perigosas lamas em esferas porosas capazes de limpar metais tóxicos de águas poluídas.

Com 3 milímetros de diâmetro, as esferas podem ajudar a reutilizar as ce... (1).jpg

Capa deste mês da Materials Today, uma das mais importantes revistas científicas dedicadas à área dos Materiais, o trabalho é assinado por Rui Novais, João Carvalheiras, Maria Seabra, Robert Pullar e João Labrincha, todos investigadores da UA do Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica e da Unidade de Investigação CICECO - Instituto de Materiais de Aveiro.

Os investigadores João Labrincha, João Carvalheiras e Rui Novais (1).jpg

Nesta investigação, e pela primeira vez, explica Rui Novais, “as lamas vermelhas foram utilizadas como precursor para a produção de esferas geopoliméricas altamente porosas utilizando um método simples e sustentável o que pode permitir uma fácil transição para um contexto industrial”.

Estas esferas, com cerca de 3 milímetros de diâmetro, “poderão ser utilizadas em aplicações industriais de elevado valor acrescentado”. Tratamento de águas residuais e produção de biogás, devido à respetiva capacidade adsorvente de metais pesados ou corantes e regulação do pH da água, são algumas das aplicações ambientais em que as perigosas lamas poderão agora ter. “Esta estratégia inovadora poderá permitir a valorização de quantidades significativas de lamas vermelhas, mitigando assim o impacto ambiental associado à produção de alumínio”, congratula-se Rui Novais.

Geradas durante a produção de alumina, que é depois parcialmente transformada em alumínio, a reciclagem ou a reutilização das lamas vermelhas sempre foi uma tarefa problemática já que, por todo o mundo, a indústria já produziu cerca de 4000 milhões de toneladas de lamas vermelhas.

Neste momento, aponta Rui Novais, “apenas cerca de 2,7 por cento da produção anual de lamas vermelhas é reutilizada, o que considerando a sua produção anual, estimada em cerca de 150 milhões de toneladas, levará inevitavelmente a um aumento do total acumulado em cerca de 146 milhões de toneladas por ano”.

Imagem captada no microscópio electrónico onde se pode observar a estrut... (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 12:00
link do post | favorito

TRANSPORTES PÚBLICOS: OS ASSENTOS NÃO SÃO PARA COLOCAR OS PÉS!

Colocar os pés nos assentos dos transportes públicos, sujando o assento onde precisamente outros passageiros se vão sentar, constitui uma atitude de falta de asseio e respeito pelos outros, reflectindo a personalidade e educação de quem o faz.

Capturarpes.PNG

Longe de vir a erradicar-se, este género de comportamento tem vindo a agravar-se sobretudo nos transportes suburbanos e, com particular incidência, nos combóios que ligam Lisboa à periferia.

Acresce a isto a sujidade que o interior das carruagens e das próprias estações e apeadeiros apresentam junto à linha-férrea, em consequência dos “piqueniques” que alguns passageiros fazem durante a viagem…


tags:

publicado por Carlos Gomes às 08:10
link do post | favorito

Quinta-feira, 28 de Março de 2019
CASA DO CONCELHO DE TOMAR JUNTA TOMARENSES EM LISBOA

54729429_433957190745387_3178776768320372736_n (3).png



publicado por Carlos Gomes às 20:57
link do post | favorito

Terça-feira, 26 de Março de 2019
ALEXANDRE SOARES DOS SANTOS RECEBE DOUTORAMENTO HONORIS CAUSA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

Dia 27 de março, a partir das 14h30, no Auditório Renato Araújo (Reitoria)

É a cara da Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce. Tanto assim é que o empresário, um dos maiores que Portugal alguma vez viu nascer, acaba por vezes a ser referido como o Sr. Jerónimo Martins. Alexandre Soares dos Santos recebe a 27 de março o Doutoramento Honoris Causa da Universidade de Aveiro (UA), uma distinção que homenageia o trabalho que realizou na presidência do Conselho Geral e no Conselho de Curadores da Academia.

soares santos.jpg

Com intervenções do Reitor Paulo Jorge Ferreira, do economista José Pinto dos Santos, padrinho do homenageado, e do próprio Alexandre Soares dos Santos, a cerimónia tem início às 14h30, dia 27 de março, no Auditório da Reitoria.

 “O Sr. Alexandre Soares dos Santos presidiu ao primeiro Conselho Geral da UA [entre 2009 e 2014] e foi nesse contexto que o conheci. A UA tinha optado recentemente pelo estatuto fundacional, tema em que as incógnitas eram muitas e as oportunidades também”, lembra Paulo Jorge Ferreira. Nesses “tempos de grande incerteza”, aponta o Reitor da UA, “a visão e rigor do Sr. Soares dos Santos foram decisivos para inspirar e reunir todos em torno de objetivos comuns”. Por isso, o responsável maior da Academia de Aveiro não tem dúvidas: “Quanto mais agitadas estão as águas, mais importante é o papel do timoneiro. A UA deve-lhe muito”.

Um dos maiores empresários do país

Presidente do Conselho Geral da UA, entre 2009 e 2014, e membro do Conselho de Curadores da Academia, no período de 2016 a 2018, Alexandre Soares dos Santos nasceu no Porto em 1934. Na Cidade Invicta, concretamente no Colégio Almeida Garrett, concluiu os estudos liceais para rumar depois para o curso de Direito da Faculdade de Direito de Lisboa.

Mas quis o destino que o país perdesse um advogado para ganhar um empresário. Após um convite da multinacional Unilever, para iniciar a sua carreira profissional, abandonou o curso em 1957. Nesta empresa passou pelas delegações da Alemanha e Irlanda e depois foi nomeado diretor de marketing da filial no Brasil, função que desempenhou de 1964 a 1968.

Em 1968, regressou a Portugal, e assumiu a liderança da Jerónimo Martins. Alexandre Soares dos Santos passou a exercer diretamente funções no Conselho de Administração do Grupo Jerónimo Martins, como administrador-delegado. Seguiu-se a presidência da Comissão Executiva, missão que acumulou com o de presidente do Conselho de Administração, desde 1996 até 2013. Durante este período desenha uma estratégia de diversificação e inicia uma firme trajetória de crescimento e internacionalização do Grupo e, ao mesmo tempo, reforça e aprofunda a parceria com a Unilever.

Em 2009, criou a Fundação Francisco Manuel dos Santos que visa estudar os grandes temas nacionais e levá-los ao conhecimento da sociedade. Esta fundação gere o portal "Pordata", Base de Dados do Portugal Contemporâneo, e lançou uma coleção de livros de Ensaio, a preços reduzidos, acessíveis a todos, sobre temas da atualidade. Neste âmbito destacam-se temas como a economia, educação, justiça e política. Para além disso, esta Fundação dinamizou diversas conferências e seminários, com elevado impacto na sociedade.

Em 2017 a Fundação intervém na Fundação Oceano Azul, uma organização que tem como propósito a sustentabilidade dos oceanos, contribuindo para um oceano produtivo e saudável em benefício do planeta.

Uma enorme mais valia para a UA

“O Sr. Alexandre Soares dos Santos, como gosta que o tratem, é um empresário de grande relevo a nível nacional e internacional, mas também um humanista e uma pessoa com grande rigor pessoal”, aponta a Reitoria da UA.

Convidado por Helena Nazaré, em 2009, para integrar o primeiro Conselho Geral da Universidade, Alexandre Soares dos Santos haveria de o presidir até 2014. Olhando para trás, a atual Reitoria lembra de Soares dos Santos “o rigor de empresário e a convicção de que o motor de uma instituição é a força do trabalho e o rigor das contas” e a maneira como introduziu “uma forma distinta e rigorosa de análise do orçamento da Universidade e da elaboração de planos estratégicos e de ação”.

A iniciativa "Exit Talks – Conversas sobre Exportação", que em 2013 congregou na UA empresários, consultores, cientistas e investigadores, artistas e criadores e as jornadas do Caramulo sobre “UA2020 a Universidade que queremos”, onde os gestores da Universidade e um conjunto de individualidades, nacionais e internacionais, discutiram os desafios da Academia do futuro foram algumas das iniciativas que se destacam da passagem de Soares dos Santos pela UA e que o próprio promoveu.

Recorde-se ainda o importante protocolo de cooperação celebrado entre a UA e a Jerónimo Martins com vista a promover a formação de gestores que melhor se adequam ao setor do Retalho e Distribuição, uma parceria que envolve a atribuição de bolsas aos estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda que ingressem no Mestrado em Gestão Comercial com classificação e competências adequadas e a receção nas suas empresas dos alunos da Licenciatura em Comércio, em regime de estágio. Para a história fica também o financiamento pela Jerónimo Martins de uma Cátedra Internacional Convidada.

O papel interventivo de Soares dos Santos, de grande dinamismo e como um agente de mudança, foi mais uma vez notório quando assumiu, entre 2016 e 2018, as funções de Membro do Conselho de Curadores da UA.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:20
link do post | favorito

VIAGEM DE METRO ASSINALA ABERTURA DO FESTIVAL NEXT STOP

Viagem de Metro a três estações da linha Verde para assinalar a Abertura do I Festival NEXT STOP

Quarta-feira, 27 de março de 2019, 11h00 horas - Estação do Metro Alameda (átrio da linha Vermelha)

O Metropolitano de Lisboa, a Câmara Municipal de Lisboa, a Junta de Freguesia de Arroios, o GABIP Almirante Reis, a Fundação Aga Khan, a CRESCER e o Largo Residências procem à cerimónia de abertura do I Festival NEXT STOP do Metropolitano de Lisboa, no próximo dia 27 de março, às 11h00, na Estação de Metro Alameda (átrio da linha vermelha), que visa promover o acesso à cultura e levar a arte ao encontro das pessoas.

A sessão de abertura do Festival contará com as intervenções do Presidente do Metropolitano de Lisboa, do Vereador do Direito Social da CML, da Presidente da Junta de Freguesia de Arroios e dos restantes parceiros da iniciativa.

Segue-se uma visita às intervenções e trabalhos expostos na estação Alameda (teatro de sombras, concertos, danças) e uma viagem de Metro a duas estações da linha Verde, onde poderão ser visualizados mais trabalhos artísticos e de multimédia.

O Metropolitano de Lisboa associou-se ao I Festival NEXT STOP, festival artístico que tem por objetivo a inclusão das várias culturas que habitam o eixo da Avenida Almirante Reis, retratando a riqueza e a multiplicidade de origens destes cidadãos, questionando, simultaneamente, a acessibilidade da cidade e dos que nela habitam.

O Festival estará patente nas estações Martim Moniz, Intendente, Anjos e Alameda de 28 a 30 de março e terá continuidade noutros espaços da cidade até final de julho.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 11:41
link do post | favorito

Segunda-feira, 25 de Março de 2019
CASA DA COMARCA DE ARGANIL ORGANIZA EM LISBOA FESTA REGIONALISTA

Programa Festa Regionalista 2019.png



publicado por Carlos Gomes às 21:17
link do post | favorito

FOLKLOURES’19 ESTÁ EM MARCHA - LOURES VIRA CAPITAL DO FOLCLORE!

O Grupo Folclórico Verde Minho segue em frente com a organização de mais uma grandiosa edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, a ter lugar em Loures no próximo dia 6 de Julho. Todos os grupos e entidades participantes que já se haviam comprometido com a organização, asseguraram a sua participação no evento.

Cartaz-2019 (20).jpg

 



publicado por Carlos Gomes às 18:27
link do post | favorito

COLECTIVIDADES REÚNEM EM CONGRESSO NACIONAL

55492861_2795057170520758_3813770683553415168_n (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 14:06
link do post | favorito

PAN DEFENDE RESIDÊNCIA ALTERNADA DAS CRIANÇAS EM CASO DE DIVÓRCIO DOS PAIS

PAN avança com iniciativa para privilegiar o modelo de residência alternada em caso de divórcio

  •      -  Modelo de preferência pela residência alternada já adotada em vários países
  •     De acordo com as investigações dos últimos 30 anos este regime incrementa o bem-estar das crianças e garante o superior interesse da criança
  •          Assegura o envolvimento parental igualitário e, consequentemente, a redução do conflito parental
  • 20% dos pais e mães portugueses já têm os filhos/a em residência alternada

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza avança com um projeto lei que privilegia o modelo de residência alternada, como regime preferencial a adotar em caso de divórcio ou separação.

O modelo de residência alternada assenta numa divisão paritária dos períodos temporais em que efetivamente ambos os progenitores exercem a parentalidade. Este modelo repercute-se no incremento de bem-estar das crianças, facto que tem sido evidenciado pelas investigações dos últimos 30 anos.

Em Portugal, continuamos a assistir a uma conjuntura - diagnosticada pela investigação – de desigualdade parental, com reflexos negativos no bem-estar das crianças, por via da manutenção de um regime tradicional assente na residência da criança com um dos progenitores (em regra, a mãe) e de períodos de contacto quinzenais de curta duração com o outro (em regra, o pai) – predominantemente em 2 tardes ou em 2 a 4 pernoitas por mês. Tal desigualdade origina desequilíbrios na vida da criança obstando a um envolvimento parental equitativo e responsável por parte dos pais após dissolução conjugal, os quais fomentam conflitos parentais e lançam as crianças num quadro de disparidade afetiva, relacional e social.

No entanto, diversos estudos científicos efetuados nos últimos anos atestam que o modelo de residência alternada consubstancia a estrutura familiar que melhor preenche as necessidades (físicas, psicológicas, emocionais, sociais e materiais) das crianças, garantindo uma maior igualdade entre ambos os progenitores no envolvimento parental, promovendo uma melhor articulação entre o trabalho e família que será determinante no acréscimo de bem-estar emocional, familiar e social das crianças.

Num parecer sobre esta matéria, a Procuradoria Geral da República defende que uma eventual alteração legislativa no sentido da promoção da residência alternada como “regime preferencial” não deve ser “encarado como um regime excepcional, mas antes como normal e até desejável”. É ainda de salientar que 20% dos pais e mães portugueses já têm os filhos/a em residência alternada, pelo que, face à análise da jurisprudência dominante relativamente a esta temática, é notória a presença vincada de estereótipos de género.

A implementação da parentalidade partilhada como regime preferencial tem espoletado uma notória redução de conflitos conjugais - 35% a 40% na Suécia, mais de 16% na Austrália, 20% na Dinamarca e na Alemanha, 15% na Finlândia, 12,8% no Canadá, 30% na Bélgica, 17% na França, 12,9% no Brasil, 10,5% na Eslováquia, 25% na Noruega e 28,3% em Espanha.

Pelo que o PAN pretende a implementação da preferência de residência alternada, dadas as provas já mostradas sobre as vantagens desta modalidade, ao nível da promoção do envolvimento parental igualitário, redução do conflito parental desde que seja assegurado o superior interesse da criança, caso contrário outros modelos poderão ser adoptados pelos tribunais.



publicado por Carlos Gomes às 10:19
link do post | favorito

Domingo, 24 de Março de 2019
SOB A ÉGIDE DA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS – GRUPOS FOLCLÓRICOS PEREGRINAM A FÁTIMA

Reitor do Santuário apelou à “urgência da conversão para a comunhão com Deus”

Na homilia da Missa deste domingo, que integrou a 17.ª Peregrinação Nacional do Folclore Português, o reitor do Santuário exortou os peregrinos a um esforço urgente e constante de comunhão com Deus

55495944_2364504466902460_6687989452603654144_n (1).jpg

Na Missa deste III Domingo da Quaresma, que integrou a 17.ª Peregrinação Nacional a Fátima da Federação do Folclore Português, o reitor do Santuário, padre Carlos Cabecinhas, apresentou a Quaresma como tempo favorável para ”reorientar a vida para Deus”, assumindo a urgência da conversão, com vista à comunhão com Deus.

A partir do Evangelho, onde “Jesus convida à urgência da conversão de vida” e “rejeita a causalidade entre pecado e o castigo”, o sacerdote apresentou o desejo comunhão com Deus como o centro da preocupação da vida de um cristão.

O presidente da celebração apresentou, depois, a parábola da figueira, relatada na Palavra, como uma “ilustração das oportunidades que Deus concede para a conversão”, sublinhando a “abertura de esperança” apresenta no relato.

“Esta parábola, onde se sublinha a paciência e a bondade de Deus, apesar do seu tom ameaçador, tem uma nota de esperança: Jesus confia que a nossa resposta ao Seu apelo à conversão seja positiva e produza frutos”, fez notar o padre Carlos Cabecinhas, ao estabelecer um paralelo entre a figueira e o dia-a-dia.

“Pode acontecer que, durante tempo indeterminado, não demos fruto… Mas Deus espera por nós, confia em nós. Esta paciência não é passiva, porque Ele acredita em nós e oferece-nos os meios e o tempo para a nos aproximarmos Dele.”

Na conclusão, o sacerdote apresentou a Mensagem de Fátima como “reforço” deste apelo à conversão e exortou os peregrinos a um esforço urgente e constante de comunhão com Deus.

A celebração, que decorreu na Basílica da Santíssima Trindade, foi participada pelos milhares de peregrinos que integravam a 17.ª Peregrinação Nacional a Fátima da Federação do Folclore Português.

Numa das preces da Oração dos Fiéis, foi pedido por “todos os que defendem o património cultural e etnográfico”. Foi também apresentada uma prece pelas vítimas do ciclone Idai, que afetou milhares de pessoas em Moçambique.

A coleta feita na celebração destinou-se à Cáritas Portuguesa.

Enquanto decorria a Missa, no Recinto de Oração, os cerca de 4 mil participantes na 8.ª Caminhada da Paz percorriam o Recinto de Oração, em direção à Capelinha das Aparições, para cumprir um momento de oração pela paz no mundo, com consagração a Nossa Senhora dos Caminhantes.

Durante a manhã, o grupo fez um percurso de 5 quilómetros pelas avenidas de Fátima, em redor do Santuário, com a tocha da paz, que foi acesa logo pela manhã, na Capelinha das Aparições.

Fonte: https://www.fatima.pt/

55487978_2364246730261567_3848669500446605312_n (1).jpg

2019-03-24_Missa_Dominical_2 (2) (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 16:03
link do post | favorito

Sexta-feira, 22 de Março de 2019
CASA DO CONCELHO DE TOMAR ELEGE NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS - CARLOS GALINHA REELEITO PRESIDENTE DA DIRECÇÃO

54729429_433957190745387_3178776768320372736_n.png

Capturarcctomar.PNG



publicado por Carlos Gomes às 17:46
link do post | favorito

PAN CONTRA MANUTENÇÃO DA CENTRAL DE ALMARAZ

PAN critica acordo da indústria nuclear Espanhola para manter central de Almaraz

  • Fracasso da diplomacia portuguesa e submissão da União Europeia à indústria nuclear
  • A União Energética e a implementação de uma economia circular ficam prejudicadas com este prolongamento
  • Queixa do PAN à secretaria da convenção de Aarhus ainda sem conclusão
  • Partido quer o desmantelamento de todas as centrais nucleares na UE

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, considera um fracasso da diplomacia portuguesa o acordo assinado hoje pelas três companhias elétricas espanholas, Iberdrola, Endesa e Naturgy, que visa prolongar a vida útil da central nuclear de Almaraz. Para o partido, este avanço da indústria nuclear só se deve à abertura do Governo socialista espanhol e ao fracasso da diplomacia portuguesa.

O pedido de renovação de licença garantirá a manutenção dos dois reatores nucleares até 2027 e 2028 quando o processo de fecho e desmantelamento deveria começar este ano, com o término das licenças de exploração. "A pressão do Governo português através Ministério dos Negócios Estrangeiros tem sido nula”, afirma Francisco Guerreiro, cabeça de lista do PAN às Eleições Europeias.

"Infelizmente, não esperamos do Governo socialista espanhol e dos seus parceiros à Esquerda um bloqueio desta proposta", reforça Francisco Guerreiro. "Assim assistimos, na Europa, ao fracasso das políticas energéticas da Esquerda e da Direita, nomeadamente pela ação do Partido Popular Europeu e dos Socialistas e Democratas, que continuam a promover a indústria nuclear Espanhola", critica o candidato. Esta continuidade travará a implementação sustentável de uma União Energética co energias 100% renováveis e limpas, tal como condicionará uma economia circular dentro da UE visto que os resíduos industriais nucleares não têm solução técnica viável atualmente.

Em paralelo, a queixa formalizada pelo PAN em janeiro de 2017 junto da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE) pelo incumprimento das Convenções de Espoo e Aarhus, ainda não teve conclusão por parte da organização da ONU. "É mais rápido garantir uma renovação do contrato de exploração nuclear que travar legalmente a central de Almaraz", comenta Francisco Guerreiro.

Com a convicção de que irá eleger de um eurodeputado nestas Eleições Europeias de 26 de maio, o PAN tem como uma das medidas a apresentar no seu programa eleitoral o fim energia nuclear na União Europeia e o aceleramento do desmantelamento das respetivas centrais.



publicado por Carlos Gomes às 15:31
link do post | favorito

Quinta-feira, 21 de Março de 2019
METRO ASSOCIA-SE AO ANO INTERNACIONAL DA TABELA PERIÓDICA 2019

Metropolitano de Lisboa associa-se ao Ano Internacional da Tabela Periódica 2019. Alameda da Linha Vermelha | 17 horas

No âmbito do Ano Internacional da Tabela Periódica, assim designado pela UNESCO, o Metropolitano de Lisboa inicia hoje um ciclo de várias iniciativas que se irão estender ao longo de 2019, em parceria com o Departamento de Engenharia Química e do Núcleo de Estudantes de Engenharia Química, do Instituto Superior Técnico. Estas dinâmicas visam promover a tabela periódica junto dos clientes do Metropolitano de Lisboa e público em geral.

A primeira ação, sob a temática “Dia do Carbono”, celebra-se hoje às 17 horas, na estação Alameda da linha Vermelha, em simultâneo com o Dia da árvore e o Dia do elemento Carbono.

Esta iniciativa dará a conhecer a divulgação de outras formas de carbono e suas aplicações, tendo como instrumento de comunicação um cartaz da Royal Society of Chemistry com inúmeras figuras alusivas a esse elemento. Desta forma, será ainda possível perceber qual a relação do carbono com o Dia da árvore e a pegada de carbono (CO2). Assim, alguns temas como “Sabia que as árvores têm na sua constituição muito carbono que é retirado da atmosfera? E que o carbono é o elemento da Vida na Terra?”, serão abordados em informação a divulgar aos nossos clientes.

Quem passar pela estação Alameda terá também disponível um Photobooth, para quem quiser tirar uma foto e partilhar nas redes sociais. Os clientes podem, ainda, participar nas ações dinamizadas e que incluem distribuição de pequenas ofertas ecológicas e sustentáveis, alusivas à temática em questão.

A par deste arranque estão previstas mais atividades nas estações de metro, a ter lugar nos seguintes dias:

ü  30 de abril “Dia do fósforo”

ü  24 de maio “Mês dos elementos representativos (bloco p)”

ü  25 de junho “Adota um elemento”

ü  11 de julho “Os radioativos (a instabilidade dos elementos)”

ü  16 de setembro “Dia dos novos elementos”

ü  3 de outubro “Dia dos “metais” (bloco d)”

ü  17 de outubro “O dia do nitrogénio”

ü  31 de outubro “Os luminescentes”

ü  20 de novembro “O último elemento”

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável numa ótica de plena acessibilidade, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.



publicado por Carlos Gomes às 20:32
link do post | favorito

Quarta-feira, 20 de Março de 2019
DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2019

A Direção-Geral do Património Cultural convida todas as entidades a apresentar propostas de iniciativas a desenvolver no dia 18 de abril, ou em datas próximas, enquadradas no tema 'Património e Paisagem Rural', que dá o mote às comemorações em 2019.

Em colaboração com o ICOMOS Portugal, a DGPC impulsiona a divulgação deste tema com a finalidade de promover o entendimento das zonas rurais enquanto paisagem, e da paisagem enquanto património, estimulando a percepção de territórios em permanente mutação, que acumulam os saberes e as práticas decorrentes de uma vivência continuada, em constante adaptação aos imperativos ambientais, culturais, sociais, políticos e económicos.

Para aceder à página de carregamento das iniciativas e ao nome de utilizador e palavra passe, poderão contactar pelo email dims@dgpc.pt ou telefones 213 614 336/213 614 324 (DDCI/DGPC).

O carregamento de iniciativas pode ser feito até ao dia 17 de abril.

53783986_1790752437690845_8767148975607250944_n (2).jpg



publicado por Carlos Gomes às 20:25
link do post | favorito

METRO DE LISBOA REFORÇA EQUIPA DE AGENTES DE TRÁFEGO NAS ESTAÇÕES

Respondendo às atuais necessidades de reforço do efetivo na área de Clientes, o Metropolitano de Lisboa vai admitir vinte e três trabalhadores para desempenharem as funções inerentes à categoria profissional de Agente de Tráfego, mediante a sua contratação para o quadro permanente de efetivos.

A contratação ora em causa é efetuada com base no disposto sobre esta matéria no Plano de Atividades e Orçamento de 2018 do Metropolitano de Lisboa, a coberto da permissão da tutela financeira para o efeito.

A presente contratação será de especial importância para o Metropolitano de Lisboa, visto que permitirá reforçar o atendimento nas estações e os postos de venda de títulos, face ao impacto que a aplicação do novo modelo tarifário virá a ter na utilização dos transportes públicos, designadamente no Metropolitano de Lisboa.

O Agente de Tráfego assegura um conjunto de tarefas relacionadas com a assistência aos clientes e com o funcionamento das estações, tais como a prestação de informações e assistência na utilização do Metro e do sistema de transportes, a abertura e encerramento das estações, a vigilância e a supervisão das instalações e dos equipamentos, a venda de controlo local dos títulos de transporte, o apoio operacional à circulação dos comboios, de acordo com as instruções do Posto de Comendo Central, assegurando, ainda, toda a logística inerente ao funcionamento das estações.

As novas admissões reportam efeitos, para o 1.º Curso, a 18 de março de 2019 e, para o 2.º Curso, a 8 de abril de 2019, datas em que os novos trabalhadores iniciarão a sua formação, após o que serão integrados nas equipas, continuando a sua aprendizagem, até estarem aptos a realizar as suas tarefas, permitindo este reforço melhorar os níveis de apoio e de oferta de serviço aos nossos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 11:22
link do post | favorito

RANCHOS FOLCLÓRICOS PEREGRINAM A FÁTIMA

51818591_2013225008727112_5062335384650776576_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 07:56
link do post | favorito

Terça-feira, 19 de Março de 2019
CENTRO GALEGO EM LISBOA PROMOVE FESTA DA LAMPREIA

54391506_2077859912297966_4316453673057124352_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:15
link do post | favorito

CANTORA MOLDAVA ADRIANA OCHISANU ATUA NO BARREIRO

A popular cantora moldova Adriana Ochisanu vem a Portugal no próximo dia 28 abril para um espectáculo que tem programado no Barreiro, onde vive uma representativa comunidade da Moldávia, agrupada na MIORITA – Associatia Culturala a Imigrantilor Moldoveni.

54516708_639379669846720_6194720915448659968_n (1).jpg

Aproxima-se uma das mais belas celebrações da Cristandande – a Páscoa! – precisamente aquela em que assenta a nossa crença na Ressurreição de Jesus. Após o ritual da celebração da Ressurreição, eis que as crianças regressam aos seus lares e degustam juntamente com a sua família. Distante da sua Pátria, a comunidade moldova procura manter as sua tradições e raízes culturais, celebrando a Ressurreição do Senhor, conjuntamente a um dos mais famosos intérpretes de música folclórica do seu país: Adriana Ochisanu.

A cantora Adriana Ochisanu nasceu em Causeni, em 18 de Março de 1978, sendo a mais famosa intérprete de música popular da República Moldova e simultaneamente da Roménia, países que partilham uma identidade cultural comum.

A comunidade moldova radicada na região de Lisboa tem vindo a estabelecer laços de amizade com as gentes minhotas, tendo inclusivamente representado as nossas tradições e produtos portugueses na Moldávia.

24993561_1315301205241646_5460329606019972193_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:49
link do post | favorito

PAN DEBATE RELAÇÃO DE LISBOA COM OS ANIMAIS

No dia 21 de março, próxima quinta-feira, decorre por iniciativa do Grupo Municipal do PAN a segunda sessão do debate temático “Lisboa e os Animais: os desafios da sociedade atual”, pelas 17H30 na Assembleia Municipal de Lisboa (Avenida de Roma, 14P, Lisboa).

image001panpanpan.png

O tema desta sessão é “Políticas públicas de proteção, bem-estar e saúde animal” e vai contar com a participação de:

  • Dra. Marta Videira (Médica Veterinária da Casa dos Animais de Lisboa);
  • Dra. Marisa Quaresma dos Reis (Provedora Municipal dos Animais de Lisboa);
  • Vereador Carlos Castro (Casa dos Animais de Lisboa);
  • Dra. Vera Ramalho (Associação Nacional de Médicos Veterinários);
  • Dr. Francisco Naharro Pires (Presidente do ZOO de Lisboa);

Mais informações sobre o evento aqui: https://www.am-lisboa.pt/101000/1/011626,032019/index.htm

Neste debate vão também estar presentes os/as representantes dos restantes Grupos Municipais, associações e personalidades convidadas.



publicado por Carlos Gomes às 13:44
link do post | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11


20
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

CASA DO MINHO REALIZA EM ...

CASAS REGIONAIS EM LISBOA...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

BLOGUE DE LISBOA FAZ PARC...

FIA LISBOA – HÁ MAIS DE 3...

PAN REDUZ PEGADA ECOLÓGIC...

ARROZ DE CABIDELA JUNTA M...

DURIENSES EM CARNAXIDE RE...

MUSEU BORDALO PINHEIRO É ...

PAN NÃO VAI EM TOURADAS

LISBOA RECEBEU GALA DO CI...

PORTUGUESES NÃO CONFIAM N...

CONVENTO DOS CARDAES ASSI...

PAN VAI DAR UMA VASSOURAD...

EDP LISBOA A MULHER E A V...

PAN QUER PROTEGER CAVALOS...

CASA DO MINHO EM LISBOA L...

PAN FAZ CAMPANHA ELEITORA...

PAN ALCANÇA IMPORTANTE VI...

LISBOA É CAPITAL DO REGIO...

LISBOA É A CAPITAL DO ART...

SANTANA LOPES E PAULO SAN...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

GRUPO MUNICIPAL DO PAN IN...

PAN NÃO QUER BEATAS NA RU...

REGIONALISMO EM MOVIMENTO...

PAN APRESENTA DECLARAÇÃO ...

ASSOCIAÇÃO DAS CASAS REGI...

MINHOTOS LEVAM FOLCLORE À...

PAN QUER QUE O GOVERNO DE...

V FESTA DAS COLECTIVIDADE...

MINHOTOS LEVAM FOLCLORE A...

CASTRO DAIRE ABRAÇA LISBO...

NO MÊS DE MAIO A MAGIA DA...

TENOLOGIA FOTÓNICA DA UNI...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

METRO DE LISBOA E CÂMARA ...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

PAN QUER DIREITO DE VOTO ...

PAN QUER LÍNGUA GESTUAL P...

OEIRAS: RANCHO FOLCLÓRICO...

PAN REALIZA EM LISBOA CON...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

PAN PROMOVE MEGA AÇÃO DE ...

METRO DE LISBOA CELEBRA D...

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃ...

MINHOTOS EM LISBOA CELEBR...

MOITA VAI AOS TOIROS!

COMUNIDADE MOLDOVA RECEBE...

CANTORA MOLDOVA ADRIANA O...

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds