Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores

Sexta-feira, 23 de Março de 2018
METRO DE LISBOA TEM MAIS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

Abertura de novas instalações sanitárias nas estacoes Aeroporto e Marquês de Pombal

Com o objetivo de reforçar a ligação com os clientes, melhorar a qualidade do serviço prestado e suprir uma necessidade sentida pelos seus clientes, o Metropolitano de Lisboa dá seguimento ao propósito de dotar as principais estações de Metro com instalações sanitárias abertas ao público.

Após a abertura das instalações sanitárias na estação Campo Grande no passado mês de Dezembro, segue-se a inauguração de novas instalações nas estações Aeroporto e Marquês de Pombal, já nos próximos dias 23 e 26 de Março respetivamente.

Os espaços estarão abertos ao público entre as 6h30 e as 01h00, permitindo aos clientes do Metro a sua utilização todos os dias (dias úteis, fins de semana e feriados) com um custo por utilização ao cliente correspondente a 0,30€. O modelo adotado pelo Metropolitano de Lisboa na implementação deste projeto permite a eliminação pela empresa de custos inerentes a esta atividade, garantindo o seu funcionamento sustentável.

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 18:03
link do post | favorito

TENOR PEDRO TAVARES APRESENTA “POETA E SONHADOR”

Pedro Tavares é portador de uma voz com a qual a maioria dos seres humanos apenas pode sonhar. Isso levou-o a integrar, com apenas 16 anos, o Coro de Santo António dos Cavaleiros como Tenor. Desde então, a sua carreira tem sido um exemplo na música clássica. Teve o privilégio de trabalhar com alguns dos maiores profissionais da área, pisando os maiores palcos nacionais, e não só, a solo ou com a Banda Sinfónica da P.S.P da qual é solista.

Pedro Tavares039

Atualmente, revela o tema original “Poeta e Sonhador”, primeira amostra do álbum “Em Cantos”, que está a ser finalizado e que sucede a “Un Dia Llegará”, registo cantado integralmente em espanhol. Este novo álbum será maioritariamente cantado em português e é editado pela Music For All.

No dia 14 de Abril, Pedro Tavares estará em concerto único no Auditório de Moscavide, apresentando este novo registo em primeira mão.

14.04 | Auditório de Moscavide, 21h00, Adultos: 10,00€, Crianças dos 6 aos 12 anos: 8,00€

Pedro Tavares nasceu em Lamego, corria o ano de 1966. A entrada no mundo da música acontece aos 15 anos na ordem de São Francisco Xavier, continuando posteriormente no Conservatório Regional de Loures em solfejo e piano. Apenas com 16 anos integra o Coro de Santo António dos Cavaleiros como Tenor.

Aos 19 anos entra para o Teatro Nacional de São Carlos nas aulas de educação vocal, tendo trabalhado durante nove anos com o maestro Cortes Medina. Em 2001, frequenta um Master Class de Canto realizado pela Escola Profissional de Música de Almada com o professor e maestro Helmut Lips. Um ano depois, participa num Workshop de Canto Gregoriano, em Évora, organizado pela Escola de Música da Sé de Évora. Posteriormente, teve ainda aulas de aperfeiçoamento do canto lírico. Em 2003, viria a integrar a Banda Sinfónica da P.S.P a convite do Subintendente Ernesto Esteves, maestro à data.

A solo ou enquanto solista da Banda Sinfónica da P.S.P, já atuou em palcos como o Teatro Maria Matos, o Teatro S. Luís, o Teatro da Trindade, a Casa da Música, o Centro Cultural de Belém, a Fundação Calouste Gulbenkian ou o Auditório Municipal de Gijón (Astúrias, Espanha). Nota ainda para a participação em alguns eventos especiais como a 9ª Sinfonia de Beethoven com o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, no Mosteiro dos Jerónimos, na cerimónia dos 500 anos das Relações Luso-Nipónicas.

Atualmente, Pedro Tavares prepara-se para editar o álbum “Em Cantos”. Cantado maioritariamente em português, este registo é apresentado pelo tema original “Poeta e Sonhador”, estando prevista a edição para breve através da Music For All. Este registo sucede a “Un Dia Llegará”, grande sucesso onde Pedro surpreendeu cantando na língua espanhola.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:43
link do post | favorito

POR INICIATIVA DE OS VERDES - RECONHECIMENTO DAS PASTAGENS DE MONTANHA PARA ELEGIBILIDADE PELA PAC

O Partido Ecologista Os Verdes congratula-se com a aprovação do seu Projeto de Resolução pelo reconhecimento da elegibilidade, para efeito das ajudas da PAC, das áreas de pastoreio nas quais a erva e outras forrageiras herbáceas não são dominantes, designadas de «pastagens arbustivas» ou «pastagens pobres», nas regiões de montanha.

O PEV considera que este reconhecimento vem confirmar que as áreas de pasto, em zonas de montanha, apesar de terem uma percentagem minoritária de espécies herbáceas, são essenciais na alimentação do gado (a atividade económica mais importante em grande parte destas regiões), porque nestas zonas a terra arável é escassa e também porque estas espécies arbustivas, sendo mais resistentes aos períodos de seca, são vitais para a alimentação animal quando as espécies herbáceas começam a escassear devido à falta de água.

Para o PEV, depois da tragédia que ocorreu em 2017 com os incêndios florestais (que colocou ainda mais a descoberto o abandono em que foi deixado o mundo rural) e quando em Portugal enfrentamos um problema de seca dos mais graves dos últimos anos, esta aprovação significa mais um pequeno contributo para a prevenção dos incêndios florestais mantendo-se a atividade pastorícia nestes territórios e o que ela significa para a alimentação animal num contexto de alterações climáticas e de períodos cada vez mais constantes de seca prolongada.

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 1382/XIII/3ª

RECONHECIMENTO DA ELEGIBILIDADE DAS PASTAGENS ARBUSTIVAS NAS REGIÕES DE MONTANHA, PARA EFEITOS DE AJUDAS DA PAC

Nas áreas de montanha, é uma prática comum os agricultores utilizarem as áreas de matos rasteiros e pastagens arbustivas para alimentação do gado caprino, ovino, bovino e equídeo.

Estas áreas de pasto, apesar de terem uma percentagem minoritária de espécies herbáceas, são essenciais na alimentação do gado (a atividade económica mais importante em grande parte destas regiões), porque nestas zonas a terra arável é escassa e também porque estas espécies arbustivas, sendo mais resistentes aos períodos de seca, são vitais para a alimentação animal quando as espécies herbáceas começam a escassear devido à falta de água.

Esta prática, para além de proporcionar um sabor especial aos produtos destas regiões, possui vantagens ao nível da captura de carbono, preservação da biodiversidade, resiliência às alterações climáticas, mas essencialmente ao nível da prevenção contra incêndios por via da diminuição da carga combustível.

Estas superfícies são, assim, essenciais na manutenção da actividade pastorícia nestes territórios.

Não obstante essa importância, a última reforma da Política Agrícola Comum (PAC), de 2013, veio alterar a possibilidade de os Estados-Membro considerarem a elegibilidade destas áreas, nas quais a erva e outras forrageiras herbáceas não são dominantes, para efeito das ajudas comunitárias, ao condicionar a sua elegibilidade apenas quando associadas a «práticas locais estabelecidas».

A verdade é que esta derrogação não foi aproveitada pelo anterior Governo do PSD/CDS e estas áreas deixaram de ser elegíveis para as ajudas, quer ao nível das ajudas directas, quer ao nível das medidas do segundo Pilar da PAC - exceção feita para as zonas de Baldio, onde estas áreas passaram a ser consideradas elegíveis a 50%, quando anteriormente o eram a 100%.

Entretanto, a 12 de dezembro, foi aprovado o Regulamento Omnibus que veio introduzir alterações à Reforma da PAC de 2013, voltando a dar aos Estados-Membro a possibilidade de considerar a elegibilidade destas áreas sem que seja necessário associar a «práticas locais estabelecidas», ou seja, considerar como prados permanentes «terras suscetíveis de servir de pasto quando a erva e outras forrageiras herbáceas não predominarem ou não existirem nas zonas de pastagem».

O regulamento Omnibus entrou em vigor em 1 de janeiro de 2018, tendo os Estados-Membro, que assim o desejem, de notificar a Comissão, até 31 de março deste ano, as mudanças regulatórias que entendam fazer.

Trata-se, pois, de uma oportunidade para repor o reconhecimento da importância destas áreas, até porque, caso não haja muitos países a aproveitar esta oportunidade aberta pelo Regulamento Omnibus, poderá a Comissão Europeia entender que a mesma não é necessária e propor que se retire esta possibilidade no âmbito da reforma da PAC para o pós-2020.

Entretanto, o Governo comunicou que vai avançar este ano com projetos-piloto de «cabras sapadoras» com rebanhos dedicados à gestão de combustível florestal na rede primária, o que, em coerência e no intuito de estimular o pastoreio destas áreas, deveria levar também ao reconhecimento da elegibilidade destas áreas para efeito de ajudas públicas.

Depois da tragédia que ocorreu em 2017 com os incêndios florestais (que colocou ainda mais a descoberto o abandono em que foi deixado o mundo rural) e quando em Portugal enfrentamos um problema de seca dos mais graves dos últimos anos, não seria, de facto, compreensível que não se reconhecesse a importância destas pastagens arbustivas e a elegibilidade das mesmas, tendo em conta a sua importância na prevenção dos incêndios florestais, a sua importância na manutenção da actividade pastorícia nestes territórios já por si desertificados e a sua importância para alimentação animal num contexto de alterações climáticas e de períodos cada vez mais constantes de seca prolongada.

Assim, o Grupo Parlamentar Os Verdes, apresenta o seguinte Projeto de Resolução:

Ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, a Assembleia da República delibera recomendar ao Governo:

1 – O reconhecimento da elegibilidade, para efeito das ajudas da PAC, das áreas de pastoreio nas quais a erva e outras forrageiras herbáceas não são dominantes, designadas de «pastagens arbustivas» ou «pastagens pobres», nas regiões de montanha, e desde que seja assegurado um encabeçamento mínimo;

2 – A notificação da Comissão Europeia, até 31 de março de 2018, das inerentes mudanças regulatórias.

Assembleia da República, Palácio de S. Bento, 5 de março de 2018

Os Deputados

Heloísa Apolónia                                                                  José Luís Ferreira



publicado por Carlos Gomes às 14:54
link do post | favorito

METROPOLITANO DE LISBOA LANÇA NOVO SITE

Um novo site desenhado a pensar no cliente, mais simples e intuitivo

Mais completo e mais claro. Mais fácil de utilizar, com um acesso rápido a tudo o que precisa de saber sobre o serviço prestado pelo Metropolitano de Lisboa e a sua Rede. O Metropolitano de Lisboa tem uma cara nova na web disponibilizando, no âmbito das iniciativas integradas nas comemorações do 70.º aniversário da empresa, um site renovado, com novas funcionalidades, com uma apresentação mais moderna e com uma navegação mais intuitiva.

O trabalho efetuado consistiu, não só na alteração do layout do site, agora mais user friendly e em consonância com as atuais necessidades dos clientes e com a atual imagem da empresa, mas, também, na agilização e no destaque de conteúdos, sobretudo na área de clientes, com maior procura no site.

O novo site pretende ser mais um passo na melhoria progressiva da comunicação com os clientes, fornecedores e parceiros da empresa.

Para além de um novo design, o novo site do Metropolitano de Lisboa apresenta, entre outras, as seguintes funcionalidades:

  • Acesso rápido e intuitivo à informaçãorelacionada com horários, frequência média de comboios em circulação na rede, pontos de acesso às estações da rede
  • Uma das diferenças mais notórias face ao anterior website do Metro é a existência de uma ferramenta de planeamento de viagens com base na tecnologia Google Maps, agora acessível de forma mais imediata na homepage e com resultados de pesquisa que recomendam a tarifa ocasional e frequente mais adequada ao tipo de percurso que o Cliente quer fazer no Metro.

A par destas funcionalidades, foram, também, implementados os seguintes desenvolvimentos:

  • Plataforma multisites. A atual plataforma subdivide-se em comunicação comercial e institucional permitindo, desta forma, ao Metro comunicar de forma mais segmentada e eficaz
  • Agenda Metro, um separador novo que permite obter informação de todos os eventos previstos decorrer na rede Metro (concertos, exposições, ações comerciais da MOP, entre outros eventos de dinamização da rede)
  • Diretório de lojas Metrocom existentes na rede
  • Diretório de perguntas frequentes acessível na homepage do site
  • Formulários melhorados e com um design mais atrativo

O sítio agora disponibilizado terá no futuro outros desenvolvimentos que permitirão ao Metro melhorar continuamente a sua presença na web, designadamente a integração com outras plataformas digitais.

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:48
link do post | favorito

PORTUGUESES ESTÃO MAIS PREOCUPADOS COM O AMBIENTE MAS NÃO MUDAM COMPORTAMENTOS

Primeira Conferência Green Project Awards (GPA) 2018, realizada em parceria com a DECO e o Fórum do Consumo, apresenta conclusões do 3º Estudo do Observatório do Consumo Consciente que mostra, entre outras conclusões, que os portugueses estão mais conscientes para a problemática ambiental, mas com pouca predisposição para pagar taxas ambientais ou para participarem socialmente numa mudança.

De acordo com o 3º Estudo do Observatório do Consumo Consciente e com o Índice Nacional do Consumo Consciente (INCC), os portugueses estão mais preocupados com o ambiente, mas sem mostrarem muitas mudanças ao nível comportamental. A conferência debateu ainda que o preço será um dos fatores principais no momento de decisão. Levantando assim, a questão de se devemos rever o que está incluído no preço de um produto.

Estas e outras conclusões foram apresentadas na primeira conferência do Ciclo de Conferências Green Project Awards (GPA) 2018, realizada em parceria com a DECO e em conjunto com o Fórum do Consumo, a Universidade Lusófona, o IADE-Universidade Europeia e a GfK, que decorreu esta manhã no Auditório Agostinho da Silva da Universidade Lusófona, em Lisboa.

Os resultados do 3º Estudo do Observatório do Consumo Consciente e do Índice Nacional do Consumo Consciente (2015 – 2017), apresentado pela primeira vez, mostram que os portugueses estão mais preocupados com o ambiente (69% relativamente aos 66% dos dois anos anteriores), mas pouco dispostos a pagar taxas ambientais e com pouca participação social. Ainda, usam pouco os transportes públicos nas deslocações diárias, aumentou a compra de automóveis, mas aumentaram também as boleias. 29% dos portugueses compram alimentos biológicos e 74% compram alimentos produzidos em Portugal. Quanto aos equipamentos eletrónicos, preferem repará-los em vez de comprar novos. Em 2017, 64% dos portugueses compram equipamentos eficientes, comparativamente aos 59% no ano anterior. O consumo de água engarrafada diminuiu, passando de 37% em 2015 para 32% em 2017, e os comportamentos de reciclagem mantêm-se inalterados.

Durante a sessão, vários foram os temas debatidos como o Preço vs Ambiente por Jorge Cancela da DECO, “fator essencial de consumo ainda é o preço e a qualidade. O consumidor nunca associa o produto às emissões de CO2. As associações de consumidores têm um papel fundamental na consciencialização do consumidor, mas este tema não pode recair apenas sobre os consumidores sendo que as empresas devem ser responsabilizadas. É preciso consciencializar o consumidor que o preço não é só moeda... são as consequências que determinados produtos acarretam e discutir realmente o que é um produto português. Com exceção dos BIO, o que devem os outros produtos ter para ser produto português?”.

José António Rousseau, moderador e Presidente do Fórum do Consumo, acrescentou ainda que é “pela evolução do consumo que estamos aqui, que vivemos com abundância de escolhas. No entanto, o consumo tem sido diabolizado por não ser feito de forma correta. Uma vez que não temos recursos infinitos, sabemos que precisamos de consumir de forma consciente. O consumo consciente devia ser um mantra no dia a dia, em casa, nas escolas e nas empresas”.

Manuela Botelho, Secretária-Geral da APAN – Associação Portuguesa de Anunciantes, realçou ainda que não é possível exigir à população a resolução de problemas que não estão na sua escala de prioridades. “Em 2007, de uma forma abrangente, os portugueses foram questionados quais eram as maiores preocupações que assombravam o mundo: Empregos, Pobreza e Sustentabilidade Económica, foram os tópicos mais referidos. É importante compreender que os esforços vão estar sempre virados para as prioridades da sociedade - O dinheiro, não o ambiente! Os portugueses já deram provas que estão conscientes para as causas ambientes e preparados para agir, no entanto, é importante que as empresas saibam comunicar o que estão a fazer e qual o impacto positivo que irão proporcionar”. 

O estudo revelou ainda que existe um baixo índice de sensibilização também nas camadas mais jovens, entre os 15 e os 24 anos, apesar do trabalho realizado para os sensibilizar. Sendo que estes são continuamente ‘bombardeados’ com incentivos ao consumismo e informação pouco explicita sobre o consumo consciente. Sendo claro no estudo que em todos os indicadores os valores mais baixos são apresentados nesta faixa etária.

Em suma, o INCC mostra uma ligeira recuperação do consumo consciente dos portugueses em 2017, que reconhecem a necessidade de redução e de mudança de comportamentos e de estilo de consumo, mas que ainda não adotaram um estilo de vida sustentável de forma generalizada. O Índice foi efetuado com base em indicadores obtidos por um inquérito realizado a uma amostra representativa da população portuguesa continental (1257 indivíduos), sendo possível avaliar o nível de atitudes ambientais e o nível de comportamento sustentável dos portugueses.

A Deco e o Fórum do Consumo, ambos parceiros Green Project Awards nesta conferência, juntam-se ao GPA com o objetivo de promover o debate e aproximar os diferentes agentes económicos que atuam e estabelecem relações comerciais na área do consumo.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 10:35
link do post | favorito

PAN CONTRA GARRAIADA NA QUEIMA DAS FITAS

PAN apela à ´desobediência civil´ dos estudantes de Coimbra após conselho de veteranos ignorar referendo sobre garraiadas na queima das fitas

  •         - Decisão reflete uma posição autoritária, conservadora e anti democrática
  •      - Descredibiliza as instituições que acreditam no valor da promoção de um debate público esclarecedor e que envolva os cidadãos
  •         - A ausência de comunicação de argumentos coerentes que sustentem esta decisão não dignifica o papel social da academia

Perante a decisão do Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra de manter a garraiada na Queima das Fitas apesar de mais de 70% dos estudantes terem votado contra a tradição, o PAN, Pessoas- Animais-Natureza, apela aos estudantes que se manifestem e se organizem pacífica e assertivamente contra uma decisão que reflete uma posição autoritária e conservadora por parte de apenas 14 elementos que deviam representar uma instituição que respeita e protege os valores basilares da democracia.

Muito se fala na crise global da democracia representativa um pouco por todo o mundo e Portugal não é exceção. Os cidadãos não se reveem nos seus representantes nem confiam nos instrumentos de participação cívica para fazer ouvir a sua voz nos círculos de poder dominantes. Esta situação traz graves consequências para a vida em sociedade que temos conhecido nas últimas décadas, e situações de desrespeito das ferramentas de participação cívica como esta só contribuem para descredibilizar as instituições que acreditam no valor da promoção de um debate público esclarecedor e que envolva os cidadãos nas rotinas de uma democracia de qualidade.

“Se os resultados dos fóruns cívicos são ignorados de forma arrogante, então estamos a perder a nobreza que lhes atribuiu legitimidade no passado e que nos permite experienciar hoje a tão proclamada liberdade de expressão. E é por isso que o PAN se junta aos estudantes de Coimbra num apelo subversivo contra esta decisão que não foi tão pouco comunicada com uma argumentação coerente que a justifique remetendo-se os porta-vozes para comentários posteriores”, explica André Silva, Deputado do PAN.

Para o PAN esta posição, por si só, revela um total desrespeito pelos estudantes e pela larga parcela da população portuguesa que aguarda expectante por um sinal claro de uma academia preparada para acompanhar as mudanças sociais que já estão em curso e para cumprir um dos seus papéis sociais fundamentais promover a reflexão crítica alicerçada na consciência e na razão, e não na tradição, nem nos interesses de uns em detrimento da vontade expressa pela maioria. O PAN junta-se ao movimento A Garraiada mantém-se? Acorda U.C. criado pela Queima das Farpas. Esta iniciativa defende que “Que seja Coimbra, a primeira capital nacional da cultura, em 2003, também a primeira a abolir práticas que obscurecem a aura de uma cidade com nove séculos de história e uma universidade que se orgulha de ser das mais antigas e prestigiadas da Europa”.

“Um regime democrático que preserva os seus valores compreende a perspetiva da desobediência civil, que leva os cidadãos à ação perante situações de injustiça intencional em que os canais convencionais para mudanças já não estão a funcionar. E este pode ser o caminho para a estabilização de uma sociedade que não está apática mas sim atenta e pronta a interferir quando é necessário”, conclui André Silva.



publicado por Carlos Gomes às 02:28
link do post | favorito

Quinta-feira, 22 de Março de 2018
PAN QUESTIONA GOVERNO SOBRE PLANO PARA DEPOSITAR SEDIMENTOS CONTAMINADOS DO TEJO JUNTO ÀS PORTAS DE RÓDÃO
  •        - Em causa está a Operação Tejo 2018 e o plano da APA para depositar os sedimentos numa área protegida
  •     - O partido acompanha os posicionamentos da Quercus e da ZERO e entende que deve também aqui vigorar o princípio da precaução
  •       - Ministério do Ambiente deve ser transparente e desenvolver um plano alternativo que salvaguarde a região

No seguimento dos vários posicionamentos de associações ambientalistas e de uma denúncia recebida pelo partido, o PAN –  Pessoas-Animais-Natureza questionou ontem Governo sobre o plano de depositar 17 mil metros cúbicos de lamas contaminadas provenientes do fundo do rio Tejo nos concelhos de Vila Velha de Ródão e Nisa.

Em causa está a Operação Tejo 2018 e as negociações da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) no sentido de remover estes sedimentos do fundo do Tejo e colocá-los junto ao Monumento Natural das Portas de Ródão para posterior secagem e tratamento, numa operação que custará ao Estado 1,5 milhões de euros, financiados pelo Fundo Ambiental.

Por se tratar de uma área protegida, o partido acompanha os posicionamentos da Quercus e da ZERO e entende que deve também aqui vigorar o princípio da precaução, uma vez que a operação de deposição temporária dos resíduos na Área Protegida não é recomendável e pode ser de facto ilegal.

“Os esclarecimentos do Ministro do Ambiente são imprecisos uma vez que não respondem à alegada ilegalidade deste ato. Para além disso, afirma que o terreno onde serão colocados os sedimentos é desprovido de árvores, mas o PAN tem conhecimento de que contém azinheiras, um olival biológico, salgueiros, entre outra vegetação autóctone ribeirinha.”, explica André Silva, Deputado do PAN.

Reforçando as várias intervenções e iniciativas que tem desenvolvido desde há mais de um ano para no sentido de mitigar o problema alargado de poluição do rio Tejo – provocado não só pela indústria da celulose como por outros agentes, como a produção pecuária intensiva – o PAN pretende que o Ministério do Ambiente seja transparente nesta ação e pede um plano alternativo que salvaguarde esta região já profundamente afetada pela poluição.

“Não podemos resolver o problema causado pelas indústrias da celulose nesta região provocando potenciais danos e empurrando a poluição para outros terrenos, principalmente quando estamos a falar de uma área classificada”, conclui André Silva.



publicado por Carlos Gomes às 14:31
link do post | favorito

METROPOLITANO DE LISBOA ASSINALA DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Por ocasião do Dia Mundial da Água, este ano sob a temática "Soluções naturais para a água" o Metropolitano de Lisboa vai sensibilizar os seus clientes e trabalhadores para a urgente necessidade de preservação e de poupança deste valioso recurso natural.

O Metropolitano de Lisboa apostou na promoção de boas práticas e de sugestões, relacionadas com o tema do consumo racional da água, sensibilizando, para o efeito, os seus trabalhadores, através da intranet da empresa e divulgando aos seus clientes mensagens nas estações relativas à poupança deste recurso, promovendo a sua utilização sustentável.

Sendo que a gestão dos recursos de água tem impacto em vários setores, nomeadamente nos operadores de transporte, o Metropolitano de Lisboa tem vindo a aplicar medidas de poupança deste recurso, o que possibilitou à empresa poupar, nos últimos 5 anos, cerca de 136 mil m3 de água, o que é suficiente para abastecer a totalidade do Metropolitano de Lisboa durante mais de um ano e meio. Esta poupança corresponde à água necessária para satisfazer as necessidades básicas de 3.400 pessoas durante um ano.

No âmbito desta iniciativa, o Metropolitano de Lisboa desenvolve, no dia 22 de março, numa parceria com o Pavilhão do Conhecimento, uma ação de sensibilização, que decorrerá na estação Cais do Sodré, entre as 16:00 e as 19:00 horas.

Esta ação será conduzida por dois monitores que, com a ajuda de uma familiar bicicleta de gelados, vão abordar temas relacionados com a qualidade e disponibilidade de água e com aa valorização dos oceanos, transmitindo, deste modo, que a ciência está acessível a todos e pode ser tão apetecível como uma bola de gelado num dia quente de Verão.

Recorde-se que a comemoração do Dia Mundial da Água surgiu, no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente, que decorreu no Brasil em 1992, em que os países foram convidados a celebrar o Dia Mundial da Água a 22 de março e a implementar medidas de consumo racional e sustentável.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 11:08
link do post | favorito

“YOU”, O ABRAÇO SONORO DE VALERIE

Valerie é o protótipo da artista europeia: nasceu na Rússia, cresceu no Chipre e reside atualmente em Portugal, país onde produziu o seu álbum de estreia, nos Rhodes Studios, em Lisboa. A música surgiu na sua vida por intermédio da igreja e do coro, tendo cedo descoberto uma paixão intensa pela música bizantina.

DSC_0188-33

A cantora e compositora apresenta-se agora ao público nacional com “You”, poderosa composição Indie Folk, com laivos de Pop, onde a emoção está à flor da pele e os sentimentos são dedilhados. A estreia acontece sob o selo da Music For All, estando a edição do álbum prevista para muito em breve.

Valerie nasceu na Rússia mas foi na pequena ilha do Chipre que cresceu e passou toda a vida. A música surge na igreja, tendo inclusivamente frequentado o coro. É aí que descobre aquela que se tornaria numa das suas paixões: a música bizantina. A sua mãe, Ludmila, pianista de formação, compra-lhe então um piano estimulando uma veia que até aí desconhecia.

É já com 16 anos que Valerie começa a compor as próprias músicas e letras. Essa foi também a idade em que percebeu que o seu verdadeiro objetivo na música era transmitir emoções, trazendo à superfície sentimentos e pensamentos que julgávamos adormecidos ou que não sabíamos como expressar. Valerie poderia, assim, confortar-nos, como que dando força através do que canta.

Nos anos de escola tornou-se líder e vocalista da banda Slime Rock, recriando em palco grandes sucessos do Rock das décadas de 80 e 90. Contudo, seria apenas em 2016 que apostaria num projeto a solo, algo que fosse seu e apenas seu e onde conseguisse exprimir-se artisticamente na totalidade. Assim nasceu “Beyond The Heavens Light”, projeto onde recria versões acústicas de artistas do calibre de Placebo, Madrugada ou White Buffalo, entre outros.

Em 2018, Valerie prepara-se para mais um importante passo na carreira: o lançamento do álbum de estreia! As letras são da sua autoria, tendo as músicas sido compostas no Chipre e produzidas em Portugal, nos Rhodes Studios, bem no centro de Lisboa. A primeira amostra do seu talento tem como título “You” e chega sob o selo da Music For All.



publicado por Carlos Gomes às 10:33
link do post | favorito

Quarta-feira, 21 de Março de 2018
MUSEU BORDALO PINHEIRO FESTEJA HOJE O ANIVERSÁRIO DO SEU PATRONO

Hoje, 21 de Março, Rafael Bordalo Pinheiro celebraria o seu 172º aniversário.

Para comemorar o dia, convidámos Augusto Cid para expor na Sala da Paródia os cartoons Animais à Solta com que decorou o parque de estacionamento do Jardim Zoológico/ Sete Rios.

A inauguração é às 7 da tarde, mas antes vamos ter visitas guiadas à exposição Formas do desejo, A Cerâmica de Rafael na colecção do Museu Bordalo Pinheiro e a apresentação de um conjunto de filmes 360º  um olhar diferente sobre a obra de Bordalo, um trabalho dos alunos da Universidade Lusófona.

unnamed



publicado por Carlos Gomes às 09:52
link do post | favorito

Terça-feira, 20 de Março de 2018
SERVILUSA PROMOVE FLORESTAÇÃO

Servilusa promove ação de florestação no Dia Mundial da Árvore

No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Árvore, que se assinala a 21 de março, a Servilusa promove, em parceria com a Junta de Freguesia das Águas Livres, uma iniciativa que visa a plantação de árvores no Jardim dos Aromas, na Buraca, às 10:30h.

unnamed

Esta ação tem como objetivo sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, tanto a nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos.

A Servilusa pretende transmitir a mensagem de que “é essencial plantar uma árvore. Deste modo estamos a semear vida no planeta e a mitigar a nossa pegada ecológica”, afirma o seu Diretor Geral de Negócio, Paulo Carreira.

Esta é mais uma entre muitas iniciativas em que a Servilusa colabora, no âmbito das suas práticas de sustentabilidade, e neste caso em particular, para ajudar a promover o Dia Mundial da Árvore.

Neste âmbito a empresa desafiou os seus colaboradores a participarem nesta iniciativa contribuindo para o bem-estar do meio ambiente.

A informação sobre a ação encontra-se disponível no site da Servilusa.

A Servilusa é a maior e mais moderna empresa funerária do país, detida a 100% pela empresa de serviços funerários Mémora, cujo capital é detido maioritariamente pelo Ontário Teachers´Pension Plan

A Servilusa, que detém 60 agências em todo o país, alcançou em 2018 uma faturação na ordem dos 23 milhões de euros, conta com cerca de 300 colaboradores nos seus quadros.



publicado por Carlos Gomes às 20:12
link do post | favorito

Segunda-feira, 19 de Março de 2018
FRANCISCO MURTA EM SHOWCASE NO METRO CAIS DO SODRÉ

Depois de surpreender tudo e todos com um novo tema original, “Sentido”, chegou a vez de Francisco Murta o mostrar ao vivo. Onde? Num local muito familiar para os lisboetas: a estação de Metro do Cais do Sodré! É exatamente esse o local que no dia 23 de março, pelas 18h, receberá Francisco Murta e a sua banda num showcase aberto ao público e que terá tanto de original quanto de surpreendente, numa iniciativa apoiada pelo Metropolitano de Lisboa.

Francisco Murta_Sentido_ShowcaseMetro

Aos 19 anos o cantor, compositor e músico já encantou Portugal aquando da participação no programa “The Voice Portugal”, onde conquistou o 2º lugar, preparando-se agora para repetir a façanha com o quente e ousado single “Sentido”. O tema já está disponível nas principais plataformas digitais e chega com o selo da Music In My Soul.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:54
link do post | favorito

PAN PARTICIPA NO FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA

PAN marca presença na 8ª edição do Fórum Mundial da Água

O Deputado do PAN, André Silva, está a acompanhar os trabalhos da 8ª edição do Fórum Mundial da Água inserido numa comitiva da Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, que decorre em Brasília desde ontem, dia 18 de março, até ao próximo dia 23, coincidindo com o Dia Mundial da Água.

Este evento é organizado pelo Conselho Mundial da Água numa união global de esforços para evitar grandes crises hídricas e para melhorar o acesso a água potável e saneamento a nível mundial. O Fórum Mundial da Água é também uma oportunidade para que as autoridades globais partilhem conhecimento e desenvolvam estratégias para várias questões, como o combate à variabilidade climática e à escassez de água. Em 2025, metade da população mundial estará a viver em áreas de forte pressão hídrica como secas, inundações e outras crises hídricas que já estão a ocorrer em muitas partes do mundo, como a Cidade do Cabo, na África do Sul, ou a própria cidade de São Paulo.

O trabalho do PAN no âmbito da proteção e preservação dos recursos hídricos tem estado alinhado com o agravamento da situação da poluição no Rio Tejo, tendo avançado com uma queixa-crime junto do Ministério Público contra as empresas poluidoras que operam nas margens do rio.

De acordo com as declarações do presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, “A água é, essencialmente, uma questão política e deve ser tratada nos mais altos níveis de tomada de decisão. Temos uma enorme quantidade de conhecimento científico e temos uma grande quantidade de soluções para escolher, mas os legisladores devem ser fazer disso uma prioridade para que essas propostas possam ser colocadas em prática”.

“O PAN pretende conhecer e acompanhar estes trabalhos de perto para fazer parte de soluções que nos permitam assegurar a vida na terra, humana e não humana, com dignidade para todos e não apenas para alguns”, explica Francisco Guerreiro, da Comissão Política Nacional do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 16:33
link do post | favorito

“SINGING KING”, A HOMENAGEM EM FORMA DE CANÇÃO DE DAN RIVERMAN

No Dia do Pai, Dan Riverman apresenta um novo single. “Singing King” é uma homenagem pungente a um ente querido, o seu próprio pai. É também um dos temas de avanço do próximo registo de originais, a ser editado em breve.

dav

Possuidor de uma voz cativante, Dan Riverman tem uma sonoridade profunda, madura e envolvente que vai do Folk ao Indie Pop, nunca esquecendo a alma do bom e velho Rock.

Depois de participar com alguns temas em grandes produções nacionais, como novelas da TVI, e de colaborar com Saul Davies (James) e Davey Ray Moor (Cousteau) na produção dos temas do seu primeiro EP, “Hers”, em 2016, colabora também no trabalho da histórica banda portuense Blind Zero. Agora dá um salto rumo ao futuro com a edição do novo álbum completo de originais em 2018.

Dan Riverman é o projeto de Dan Alves, músico, cantor e compositor de Santo Tirso, cidade do distrito do Porto. Em palco é acompanhado por Rui Materazzi (baixo), Mike Peixoto (bateria), Bruno Macedo (guitarra elétrica) e Jonas Araújo (teclados).

O início de tudo foi no ano de 2011 com um convite especial por parte da Plural que levaria Dan Riverman a gravar dois temas para a novela “Anjo Meu”, da TVI, e para o telefilme “Órfã do Passado”. O passo seguinte seria dado em Londres, cidade onde trabalhou com o produtor Saul Davies, conhecido e reconhecido por ser guitarrista da banda britânica James, e com Davey Ray Moor, membro fundador da banda Cousteau. Mais tarde é ainda convidado a participar no disco de duetos da banda portuguesa Blind Zero, integrando o tema “Stormy Weather” do disco “Kill Drama II”.

A sua ligação às grandes produções nacionais voltaria em 2015, ano em que o single “Fragile Hands” integra a banda sonora de “Mulheres”, novela da TVI. No ano seguinte edita “Hers”, EP que marca a sua estreia e onde constam os temas “Fragile Hands”, “Dark Haired Girl” e “Sea and the Breeze”. Nota ainda para o videoclipe do último tema, do realizador Joel Brandão e do diretor de fotografia Manuel Pinto Barros, onde encontramos os atores Pedro Barroso e Joana Martins.

Ao longo destes anos, Dan Riverman pisou grandes palcos, tendo o privilégio de os partilhar com artistas nacionais e internacionais de renome. E assim chegamos a 2018, ano em que mostra finalmente “Singing King”, tema que chega acompanhado de um videoclipe realizado por Piedade Bouza e com co-produção do próprio, sendo o primeiro excerto do próximo álbum de originais que a banda editará na segunda metade de 2018.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 16:10
link do post | favorito

PARTILHE FELICIDADE COM O METROPOLITANO DE LISBOA

20 de março - Dia Internacional da Felicidade

No âmbito do Dia Internacional da Felicidade, que se celebra amanhã, dia 20 de março, o Metro de Lisboa vai realizar uma ação inédita de sensibilização para o uso do transporte público, utilizando os benefícios do riso, aliando, deste modo, a utilização do metro à qualidade de vida e à felicidade.

A iniciativa será levada a cabo em parceria com a embaixadora do Riso, Sabrina Tacconi, acompanhada por três “líderes de riso” devidamente certificadas, que, amanhã, vão viajar nos comboios, nas linhas amarelas e verde, entre as 09:00 h e as 11:00 h, com o objetivo de contagiar espontaneamente os clientes que viajam no metro com o riso.

Sabrina Tacconi refere que os benefícios do riso para a saúde, tanto a nível físico, como mental, como emocional são imensos. Para além de fortalecer o sistema imunitário, oxigenar o cérebro e melhorar a circulação sanguínea, o riso é, ainda, responsável pela libertação química no cérebro de serotonina, um antidepressivo natural, e de endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar.

Segundo o Relatório Mundial da Felicidade de 2018 divulgado pelas Nações Unidas, que analisa o bem-estar dos habitantes de 156 países, Portugal subiu no ranking, estando, atualmente, a meio da tabela, surgindo no 77.º lugar e 12 pontos acima do verificado no ano anterior.

Para assinalar o Dia Internacional da Felicidade o Metro de Lisboa deixa-lhe um desafio: procure um sorriso ou riso no metro e partilhe o hashtag#felicidadenometro nas suas redes sociais.

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável numa ótica de plena acessibilidade, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:08
link do post | favorito

PAN OPÕE-SE À COMERCIALIZAÇÃO DE MEDICAMENTO VETERINÁRIO RESPONSÁVEL PELA EXTINÇÃO DE ESPÉCIES PROTEGIDAS
  •        - Aves necrófagas e espécies de águias em vias de extinção
  •        - Envenenamento por ingestão de carne de bovino contaminada pelo medicamento veterinário diclofenac
  •       -  Em 2014 Portugal votou favoravelmente uma resolução pela proibição do seu uso
  •       -  Ministério da Agricultura desvaloriza o impacto desta situação em Portugal
  •  -- Comité responsável pelos medicamentos veterinários da Agência Europeia dos Medicamentos recomenda a retirada de produtos dicloflenac

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza, apresentou hoje uma iniciativa legislativa que recomenda ao governo que não autorize a comercialização do medicamento veterinário diclofenac. Cientistas e organizações não governamentais (ONG) têm feito apelos à opinião pública portuguesa dos perigos que estão a levar ao declínio das aves necrófagas e também algumas espécies de águias que têm morrido envenenadas por ingerirem carne de bovino contaminada pelo diclofenac, um anti-inflamatório usado em veterinária.

A utilização deste medicamento no tratamento de bovinos como anti-inflamatório é fortemente tóxica e já provocou a morte por falência renal de 99% dos abutres no sul da Ásia. Em 2014, Portugal votou favoravelmente a resolução 11.5 da COP11 da Convenção das Espécies Migratórias da Fauna Selvagem (CMS ou Convenção de Bona), que incluí a recomendação legislativa de “proibir o uso do diclofenac veterinário para o tratamento pecuário e substituí-lo por alternativas seguras e já disponíveis, tais como o meloxicam”.

Para a apurar a posição do governo sobre esta questão, o PAN efetuou uma Pergunta Parlamentar em março de 2017, à qual o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (MAFDR) respondeu que segundo avaliações realizadas pela Agência Europeia de Medicamentos, o “problema observado na Índia e noutros estados da Ásia não têm qualquer paralelismo com a situação da Europa” e que “caso seja autorizada a comercialização do medicamento em causa, seja mitigado o risco conhecido.”

Contudo, de acordo com o relatório EMA/CVMP/761582/2014, a CVMP (Comité responsável pelos medicamentos veterinários da Agência Europeia dos Medicamentos) os abutres e outras aves necrófagas na União Europeia podem estar em risco se expostos a resíduos de diclofenac, se se alimentarem com carcaças provenientes de animais a quem tenham sido administrados este medicamento. Baseando-se em estudos de modelação publicados em vários artigos científicos, a CVMP reconhece que foram necessários apenas 1% de caraças contaminadas para desencadear o colapso da população de abutres na Índia. Ainda, refere que apesar deste valor não ser referente a populações Europeias, esta estimativa é feita considerando espécies de abutres Europeias e Indianas, pelo que recomendam como medida de gestão do risco, a retirada de produtos dicloflenac na utilização veterinária no mercado europeu, devido ao risco intrínseco à sua utilização, visto que ainda não estão estimados os seus efeitos negativos e que existem alternativas a este medicamento, já estudadas, sem impacto  nas aves necrófagas (exemplo: meloxicam).

Este parecer da Agência Europeia de Medicamentos não salienta que o problema observado na Índia e noutros estados Asiáticos não têm qualquer paralelismo com a situação Europeia, e ultimamente não pode assumir que por não haver dados relativos ao efeito deste medicamento nas aves necrófagas que pode autorizar a introdução deste medicamento no país sem ter em conta as recomendações do Comité responsável pelos medicamentos veterinários da Agência Europeia dos Medicamentos.

Apesar do anti-inflamatório diclofenac já estar autorizado em alguns Estados Membros da UE, não torna aceitável a introdução do mesmo no mercado português quando existem várias recomendações, de várias entidades, a alertar para o risco de extermínio de espécies protegidas em Portugal. Perante este elevado risco identificado, a autorização da comercialização deste medicamento, constitui uma negação do compromisso e esforço nacional de conservação de espécies necrófagas, e da prossecução dos objetivos de conservação da natureza e sustentabilidade ambiental tanto a nível nacional como europeu.



publicado por Carlos Gomes às 11:34
link do post | favorito

Domingo, 18 de Março de 2018
CARNAXIDE RECEBE MOSTRA DE FOLCLORE – GRUPO DE FOLCLORE DAS TERRAS DA NÓBREGA TROUXE ALGUNS DOS MELHORES GRUPOS DE FOLCLORE DO PAÍS

Sua Eminência, D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa, compareceu no espectáculo, aplaudiu os ranchos folclóricos e saudou o público.

O salão do Centro Social e Paroquial de São Romão de Carnaxide encheu hoje para assistir a uma mostra de folclore no qual participaram alguns grupos folclóricos que se encontram entre aqueles que são justamente considerados a nata do folclore ou seja, os que mais se preocupam com o rigor da sua apresentação, desde o trajar aos instrumentos musicais, das coreografias das danças às representações de quadros etnográficos.

DSCF8593

Foram eles o Grupo Regional de Moreira da Maia (Douro Litoral Norte); o Rancho Folclórico de Geraldes (Peniche - Alta Estremadura); o Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira (Santa Maria da Feira - Douro Litoral Sul); o Rancho Folclórico Os Camponeses de Santana do Mato (Coruche - Ribatejo) e o Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega a quem se deve esta brilhante organização e a rigorosa selecção dos grupos participantes.

DSCF8400

A Câmara Municipal de Oeiras fez-se representar pela Drª Celeste Gil, da Divisão de Património Histórico, Cultura e Turismo. Pela União de Freguesias de Queijas e Carnaxide esteve presente o seu Presidente, Dr. Inigo Pereira. A Federação do Folclore Português foi representada pela Vice-presidente Lucília Santos, e ainda os directores João Carriço e Fábio Pinto, ambos directores. A apresentação dos espectáculo não podia estar em melhores mãos: o Dr. Sérgio da Fonseca, da Rádio do Folclore Português, foi quem abrilhantou o mesmo com aquele talento de comunicação com que já nos habituou nas suas emissões radiofónicas.

DSCF8434

Ainda antes do espectáculo terminar, Sua Eminência, D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa deu a honra da sua presença, aplaudindo a actuação do grupo em palco e saudando o público que se encontrava a assistir.

A IV Mostra de Folclore que hoje teve lugar inseriu-se na Feira Social do Centro Social e Paroquial de São Romão de Carnaxide.

DSCF8490

Fundado a 19 de Abril de 2013, o Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega é um agrupamento de folclore e etnografia Minhotos sediado na União de Freguesia de Carnaxide e Queijas e, pelo quarto ano consecutivo, levou à Freguesia de Carnaxide – actualmente União das Freguesias de Queijas e Carnaxide – e ao Concelho de Oeiras, as tradições, os usos, os costumes, as danças e os cantares, o Folclore e a Etnografia de Norte a Sul do País, prestigiando sempre a comunidade minhota radicada na região de Lisboa.

Capturartnob

DSCF8393

DSCF8396

DSCF8406

DSCF8407

DSCF8418

DSCF8421

Capturarz

DSCF8392

DSCF8432

DSCF8467

Capturarz

DSCF8475

DSCF8481

DSCF8488

DSCF8489

DSCF8496

DSCF8504

DSCF8511

DSCF8515

DSCF8517

DSCF8518

DSCF8536

DSCF8538

DSCF8570

Capturarrib

DSCF8571

DSCF8583



publicado por Carlos Gomes às 22:17
link do post | favorito

Sábado, 17 de Março de 2018
CARNAXIDE RECEBE AMANHÃ MOSTRA DE FOLCLORE

28168735_986730701479280_5734502622049637319_n



publicado por Carlos Gomes às 22:27
link do post | favorito

REGIÃO DE LISBOA COMEMORA DIA NACIONAL DOS MOINHOS

29313220_10155438574462666_5766126506937942016_n



publicado por Carlos Gomes às 22:12
link do post | favorito

PORTUGAL COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MONMENTOS E SÍTIOS

29177467_1816493308401179_4708142181970970421_n



publicado por Carlos Gomes às 17:07
link do post | favorito

Sexta-feira, 16 de Março de 2018
PAN MANIFESTA-SE EM CARCAVELOS CONTRA A CONSTRUÇÃO NA QUINTA DOS INGLESES

PAN marca presença na manifestação contra a construção na Quinta dos Ingleses em Carcavelos

  • Privatização do litoral é tornado uma realidade
  • Deputadas municipais do PAN juntam-se à manifestação cívica
  • Projecto de reurbanização foi aprovado em maio de 2014 numa polémica Assembleia Municipal
  • Em 2014, a presidente da junta de freguesia de Carcavelos e Parede votou contra as deliberações das populações do município e validou o plano urbanístico
  • Associações ambientais e de surf juntam-se ao protesto

O PAN Cascais, através da sua estrutura local e deputadas municipais, junta-se amanhã, 17/03, às 14h30, em Carcavelos, à manifestação promovida pelo grupo de Cidadãos Independentes de Carcavelos e Parede que pretende travar a construção na Quinta dos Ingleses.

MARCHA ANIMAL 051

A 27 de Maio de 2014, a Assembleia Municipal de Cascais aprovou o Plano de Pormenor do Espaço de Reestruturação Urbanística de Carcavelos-Sul (PPERUCS) que possibilitou, designadamente, a construção maciça de toda a Quinta dos Ingleses, numa área de 54 hectares. Contrariando a vontade dos eleitos a antiga presidente da junta de freguesia de Carcavelos e Parede, Zilda Costa da Silva, desempatou a favor do PPERUCS.

A massificação urbanística de Cascais, mais precisamente Carcavelos e Parede, já toma forma com a mais recente edificação na costa da praia de Carcavelos com a Nova School of Business and Economics, que ocupa 10.000 metros quadrados. Estes empreendimentos consubstanciam uma privatização directa da costa e reforçam a gentrificação no município tal como a apoiam a especulação imobiliária na freguesia.

Associações ambientalista, nomeadamente a Quercus, e de Surf, juntam-se á manifestação cívica para proteger a costa e a praia de Carcavelos. Em paralelo, já corre uma petição para travar esta edificação que já recolheu 500 assinaturas.

Destruímos de vez a praia de Carcavelos e perdemos a oportunidade de criar um espaço público para todos os Cascalenses” afirma Sandra Marques, deputada municipal do PAN. “O urbanismo em Cascais toma proporções dantescas e o ambiente é transformado em meras colunas de betão” alerta a deputada municipal.

A manifestação está agendada para a Avenida Tenente Coronel Meio Antunes, no parque de estacionamento de apoio à antiga feira de Carcavelos, e terá início às 14h30.



publicado por Carlos Gomes às 14:44
link do post | favorito

Quinta-feira, 15 de Março de 2018
FOLCLORE ANIMA MERCADO SALOIO DA AMADORA

29261936_10211692734140032_849199756944080896_n



publicado por Carlos Gomes às 23:12
link do post | favorito

METRO DE LISBOA PROMOVE SEGURANÇA EM PARCERIA COM A PSP

O Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública - COMETLIS e o Metropolitano de Lisboa lançam a partir de amanhã, 16 de março, uma Campanha de Segurança que tem como objetivo a sensibilização e consciencialização para a segurança nos transportes públicos.

image009

Com o lema “Jogue connosco e não com a sua segurança”, esta campanha irá decorrer durante o presente ano de 2018, alertando para os comportamentos de risco na utilização dos transportes.

De acordo com o Presidente do Conselho de Administração do Metro de Lisboa, Vitor Domingues dos Santos, “É fundamental valorizar o sentimento de segurança na rede do Metro e esta ação vai ajudar a promover a transmissão desse sentimento, ao mesmo tempo que contribui positivamente para a missão dos agentes nas estações e nos comboios.”

No mesmo sentido, o Comandante Metropolitano de Lisboa da PSP (COMETLIS), Superintendente Jorge Maurício, congratula-se com esta parceria, pois a PSP em geral e o COMETLIS em particular, através da Divisão de Segurança a Transportes Públicos (DSTP), unidade especializada e vocacionada para a segurança dos transportes ferroviários, entende que com o envolvimento de todos (instituições e cidadãos) podemos tornar ainda mais seguro o Metro de Lisboa. Há procedimentos simples que são uma mais-valia em termos de segurança.

Os nove comportamentos recomendados serão lançados de forma faseada com a assinatura “A Polícia recomenda…”:

  1. Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel.  Pode ser vítima de roubo.
  2. Para sua segurança, evite mostrar objetos de valor ou quantias elevadas de dinheiro.
  3. Para sua segurança, em períodos de menor movimento evite locais isolados.
  4. Mantenha os seus pertences junto a si e nunca os abandone.
  5. Cuidado com os carteiristas. Guarde a carteira e o telemóvel num local seguro, junto ao corpo.
  6. Se for vítima de assalto não reaja. Capte o máximo de características do assaltante e comunique de imediato a um colaborador do Metro ou à Polícia.
  7. Se encontrar um objeto abandonado não lhe toque. Comunique de imediato a um colaborador do Metro ou à Polícia.
  8. Se observar algo que considere suspeito, comunique de imediato a um colaborador do Metro ou à Polícia.
  9. Se for vítima de furto ou roubo apresente sempre queixa na Polícia. Só assim é possível melhorar a prevenção.

A Campanha Segurança Metro-a-Metro pretende relembrar o cidadão que deve maximizar a sua segurança, minimizando a exposição ao perigo.

Neste sentido, a PSP e o Metro de Lisboa criaram uma iniciativa para envolver os passageiros e incentivar os utilizadores dos transportes a participar num jogo, com resposta através de um QRCODE, que remete para vídeos disponibilizados no youtube. https://www.youtube.com/watch?v=dg62Vt3b2Ek&pbjreload=10

O QRCODE estará em todos os cartazes no interior dos comboios, nas redes digitais do Metro, na rede de Tomis e Canal Lx.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 22:14
link do post | favorito

ANDRÉ CORUJA E A FORÇA DE “THE LINE”

É, literalmente, da Linha do Equador (ou “Meio do Mundo” como também é conhecido o estado do Amapá) que nos chega o mais recente artista da Music For All: André Coruja. O músico, cantor e compositor brasileiro tem o condão de criar uma atmosfera sonora própria onde consegue juntar as influências amazónicas que lhe são inerentes à linguagem Pop que grassa pela Europa.

andre4-_4

André tem uma formação musical invejável: entre o Brasil e a Europa o seu percurso é em tudo admirável. Ao longo dos anos integrou diversos projetos, tendo percorrido os palcos da América do Sul, da América do Norte e da Europa. Atualmente encontra-se a promover “Two Trees”, o seu primeiro álbum a solo, que inclui temas em inglês e português, e do qual “The Line” é a primeira amostra, antecipando assim uma série de concertos do músico brasileiro em Portugal.

André Coruja é um músico, cantor e compositor nascido em Macapá, estado do Amapá, sobre a Linha do Equador, corria o ano de 1984. Musicalmente falando, as suas criações transportam-nos para um universo onde as influências amazónicas se misturam com a linguagem Pop inerente ao continente europeu. Formado sob a égide da World Music da Amazónia, lançou-se ao mundo e dá passos firmes rumo a um futuro promissor.

André estudou guitarra clássica no Conservatório Carlos Gomes, trombone na Escola de Música da Universidade Federal do Pará (UFPA), participou na Oficina de Canto Popular da Escola de Música da UFPA e é aluno de Canto do Professor Pablo Rós. É também licenciado em Educação Artística com habilitação em Música pela Universidade do Estado do Pará. Frequentou o módulo “Melodia” do curso de Songwriting, da Berklee College of Music. Iniciou, mas não concluiu, os estudos no Mestrado de Jazz (baixo elétrico) na Universidade de Évora, em Portugal, sendo já Mestre em Linguística pela Universidade do Estado do Mato Grosso.

Embora a vontade maior tenha sido sempre a de compor, foi enquanto baixista que surgiu a primeira grande aventura no mundo da música ao leme dos La Pupuña. O ano de 2004 foi também aquele em que foi finalista do Festival da Canção de Ourém, tendo posteriormente sido selecionado para a Mostra da Bienal de Arte e Cultura da UNE, em São Paulo. Ao longo da carreira integrou diversos projetos como cantor, baixista e/ou guitarrista. Além de La Pupuña, fez ainda parte das bandas Alvenar, O Meio do Mundo e Too Cold For July, integrou a digressão da banda Lucas Cesar Expedition e, ao lado de Lucas Imbiriba, formou a dupla Loveless Couchsurfers.

Entretanto chega 2016, o ano em que André apostaria tudo no primeiro disco a solo. Estávamos assim em setembro quando é editado o disco “Two Trees”, registo com canções em português e inglês. Com produção de Félix Robatto e participações de músicos brasileiros, alemães e italianos, este foi um marco muito importante na carreira de André Coruja.

E agora? Agora é tempo de pegar na mala de viagem e partir rumo a Portugal. Ao público português André Coruja mostra-se com o single “The Line”, a primeira de três amostras do álbum “Two Trees” que antecipa uma série de concertos do músico brasileiro em Portugal sob o selo da Music For All.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 18:52
link do post | favorito

PAN PRETENDE QUE PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE CASCAIS INCLUA OS ANIMAIS

PAN quer inclusão de animais no Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Cascais

  • Não existe em Portugal nenhum Plano Municipal de Emergência que inclua animais de companhia, de pecuária e selvagens/silvestres
  • Actual Plano data de 2013
  • Cria um Centro de Recuperação de Animais Selvagens
  • Centro de Recolha Oficial de Animais, no Parque Natural Sintra/Cascais, exige medidas preventivas em caso de calamidades naturais

O grupo municipal do PAN Cascais agendou, para dia 26 de março, a recomendação para que a Câmara Municipal reveja o Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Cascais (PMEPCC) estendendo-o a animais de companhia, de pecuária e selvagens/silvestres e que, no seguimento, crie um Centro de Recuperação de Animais Selvagens.

O PMEPCC, que data de 2013, tendo em conta a lei, poderá ser revisto bianualmente ou sempre que se considerar necessário, e pelos exemplos dos últimos incêndios no país, os efeitos das alterações climáticas, o risco de sismos ou mesmo tsunami, fazem com que o município de Cascais, situado entre a serra e o mar, esteja particularmente vulnerável a fenómenos extremos naturais.

Assim, e o grupo municipal do PAN Cascais, propõe que o executivo camarário reveja, com urgência, o PMEPCC estendendo-o a todos os animais do concelho, nomeadamente aos presentes do Centro de Recolha Oficial, sito no Parque Natural de Sintra/Cascais, tal como sugere que sejam equacionados, com o município de Sintra e o ICNF, locais de abeberamento para animais selvagens no parque. A revisão do plano municipal deverá incluir locais de extracção e acondicionamento de animais não só domésticos, como de pecuária e silvestres/selvagens.

Tendo em conta o Parque Natural Sintra/Cascais o PAN Cascais sugere também que seja criado um Centro de Recuperação de Animais Selvagens não só para garantir que em caso de calamidade natural os animais afectados possam receber tratamento e tenham acondicionamento próprio, como para dar seguimento à necessidade diária de proteger os animais já presentes no Parque Natural. Actualmente que o Centro de Recuperação mais próximo, situa-se em Lisboa, em Monsanto.

Num quadro de descentralização de competências cabe aos municípios adaptarem-se, desde já, e segundo a lei, a eventuais situações de calamidade pública gerindo assim, de modo interligado mas autónomo a prevenção de situações extremas, nomeadamente incêndios florestais, cheias, sismos, tsunamis, entre outros, protegendo não só Humanos, como o meio-ambiente e os restantes animais.

Precisamos de rever com urgência o Plano Municipal de Emergência para prevenirmos calamidades públicas como as que verificamos, infelizmente, no verão passado com os incêndios” afirma Sandra Marques deputada municipal do PAN. “A implementação desta medida tornará Cascais pioneira na prevenção e protecção do bem-estar animal no país” sendo que “a criação de um Centro de Recuperação de Animais Selvagens é fundamental para proteger as espécies selvagens do parque Natural Sintra/Cascais” alerta a autarca. “Estamos certos que a medida será bem acolhida pelo executivo municipal” conclui Sandra Marques.



publicado por Carlos Gomes às 16:16
link do post | favorito

CASA DO MINHO REALIZA ALMOÇO DA LAMPREIA

II Almoço da Lampreia 2018

 



publicado por Carlos Gomes às 03:53
link do post | favorito

Quarta-feira, 14 de Março de 2018
PRÉMIO NOBEL DEBATE EM CASCAIS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Rajendra Pachauri está em Portugal a convite das Conferências do Estoril

“Alterações Climáticas: Preparar o Futuro”, é o mote para o debate sobre as transformações ambientais que estão a afetar o Planeta, em particular o sul da Europa. Este encontro é organizado pelas Conferências do Estoril e conta com a presença de Rajendra Pachauri, prémio nobel da Paz, líder do Movimento Protect Our Planet (POP) e Presidente do World Sustainable Development Forum (WSDF). Realiza-se no próximo dia 19 de março, às 10h00, na Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais.

Na próxima segunda-feira, a Casa das Histórias Paula Rego acolhe a Conferência “Alterações Climáticas: Preparar o Futuro”, que visa debater temas relacionados com a constante mutação e evolução das alterações climáticas, tanto a nível local, como global. Esta iniciativa, que irá decorrer entre as 10h00 e as 13h00, é promovida pelas Conferências do Estoril e será dividida em dois painéis.

O primeiro terá como mote “O papel dos governos locais e as estratégias a implementar no âmbito das alterações climáticas” e como oradores a Vereadora da Câmara Municipal de Cascais, Joana Pinto Balsemão, o Professor e Especialista em alterações climáticas, Filipe Duarte Santos, e o Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta.

O segundo, cujo tema será “Sul da Europa: Um hotspot para as alterações climáticas”, contará com a participação do investigador indiano Rajendra Pachauri, Prémio Nobel da Paz em 2007 e líder do Movimento Protect Our Planet (POP), e do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes. Este painel será moderado pelo jornalista José Rodrigues dos Santos.

A abertura do evento estará a cargo de Teresa Violante, Diretora das Conferências do Estoril e do Vice-Presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz. Carlos Carreiras, Presidente do município de Cascais será o responsável pelo encerramento do debate.



publicado por Carlos Gomes às 17:20
link do post | favorito

BÚSSOLA DO "FAMALICÃO MADE INTERNACIONAL" APONTA PARA CUBA

Iniciativa regressa a 22 de março com conferência sobre oportunidades de negócio no mercado cubano

A próxima conferência ‘Famalicão Made INternational’ vai dar a conhecer aos empresários do concelho famalicense oportunidades de negócio no mercado cubano.

Conferência realiza-se a 22 de março

A Embaixadora de Cuba em Portugal, Mercedes Martínez Valdés, protagoniza a sétima sessão da iniciativa, cujo regresso está marcado para a próxima quinta-feira, 22 de março, a partir das 14h30, na Casa do Território, no Parque da Devesa.

A diplomata partilhará a abertura do evento, agendada para as 15h00, com o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

A apresentação dos ‘Embaixadores Famalicenses em Cuba’, ou seja, os empresários que conhecem bem aquele mercado e que se disponibilizarão para uma troca de experiências e de informação com as empresas famalicenses que desejem explorar comercialmente as suas potencialidades, será um dos momentos altos da sessão, previsto para as 15h20.

Nota ainda para o debate sobre as oportunidades do mercado cubano, com o contributo do Presidente da Câmara de Comércio, Indústria, Serviços e Turismo Portugal-Cuba, Américo Castro Ferreira.

As inscrições para a iniciativa decorrem online, em www.famalicaomadein.pt. São gratuitas, mas limitadas à lotação da sala.

Capacitar as empresas no sentido do reforço da sua competitividade e potenciar a vocação exportadora junto das Startups e das PME, tendo em vista o alargamento da base exportadora do concelho é o principal objetivo deste ciclo de conferências, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, através do Famalicão Made IN, e que contou já com sessões dedicadas ao mercado alemão, norte-americano, japonês, francês, angolano e brasileiro.

 



publicado por Carlos Gomes às 15:27
link do post | favorito

KIKO MARIA EXPÕE NA ÁREA DE SERVIÇO DA GALP NA A5

Kiko Maria 2018: Exposição e autógrafos na A5

A poucos dias do arranque oficial da sua temporada 2018 no Circuito do Estoril, onde estará a participar na ronda inaugural do FIM CEV nos dias 24 e 25 de Março, Kiko Maria tem em exposição na área de serviço da GALP na A5 (direcção Lisboa-Cascais) a moto de competição que irá utilizar em 2018 no campeonato nacional da especialidade.

unnamed

O jovem piloto lisboeta irá competir no arranque da temporada internacional na concorrida e competitiva European Talent Cup, categoria reservada a pilotos com idade compreendida entre os 14 e os 17 anos, e na próxima sexta-feira dia 16 irá mesmo realizar uma sessão de autógrafos entre as 17h30m e as 19h30m junto à sua moto, que continuará exposta até dia 17 no interior da área de serviço.

Actualmente a treinar em Valência junto da sua equipa Kiko Maria irá igualmente estar na apresentação oficial do FIM CEV na próxima sexta-feira ás 11 horas nos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Cascais, estando igualmente agendada uma sessão de autógrafos para as 18 horas de dia 24 de Março no Cascaishopping, bem junto ao Circuito do Estoril. Duas semanas de intensa actividade promocional e técnica, habituais no arranque de um novo ano desportivo



publicado por Carlos Gomes às 15:24
link do post | favorito

PAN APLAUDE DECISÃO DOS ESTUDANTES DE COIMBRA DE ACABAR COM A GARRAIADA

PAN reage à decisão dos estudantes de Coimbra de acabar com a garraiada na Queima das Fitas

  • Resultados revelam nova geração que está desperta para mudanças sociais e rejeita a violência gratuita
  • Dos 5638 eleitores, 70.71% votaram contra a continuidade das garraiadas
  • É inequívoco que quem representa o futuro não se revê nesta prática e pede a abolição da tauromaquia
  • Espera-se que a decisão do Conselho de Veteranos vá ao encontro desta maioria

Foi ontem a referendo a decisão sobre a continuidade da garraiada na Queima das Fitas de Coimbra com a maioria da comunidade estudantil a manifestar a sua inequívoca vontade de abolir este evento. A afluência às urnas para este referendo foi bastante significativa: num universo de 5638 eleitores, 70.71% votou contra a continuidade e apenas 26.69% a favor.

A Queima das Fitas do Porto já tinha optado em 2016 por suspender a garraiada académica, pela falta de adesão dos estudantes e pela queda da tradição tauromáquica. Mesmo que a garraiada não inclua, ao contrário das touradas, a parte mais sanguinária do espetáculo, esta prática já não é representativa dos estudantes. Para o PAN este é mais um indício de que o cerco às touradas em Portugal e na Europa está a aumentar, com cada vez mais referendos e manifestações públicas que defendem a abolição da tauromaquia, sendo que aqueles que representam o futuro assumiram claramente que não se revêm nesta tradição bárbara.

Pese embora o referendo, segundo os estatutos da Academia, não seja vinculativo, espera-se que o Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra dê seguimento à expressa maioria dos estudantes da instituição e termine com a garraiada nas Festas Académicas Conimbricenses.

Em 2015, o Parlamento Europeu votou pela primeira vez contra a atribuição de subsídios para a criação de touros que venham a ser utilizados em todas as atividades tauromáquicas onde os animais são mortos. Em Portugal, no mesmo ano, registaram-se 8280 queixas de telespectadores da RTP a propósito das touradas, mais de metade do total. E as poucas corridas transmitidas revelam quebras de audiência permanentes. As touradas só já são legais em oito países no mundo e as consciências estão a mudar naqueles, como Portugal, onde ainda são permitidas.

“Vemos entrar todos os dias nas nossas vidas relatos de violência atroz, com a situação dramática na Síria a escalar e as organizações humanitárias a pedirem à comunidade internacional menos apatia e indiferença. Se em alguns casos podemos sentir-nos impotentes para uma ação direta mais imediata, naqueles que podemos escolher, estamos a decidir, como comunidade, não contribuir para situações de violência gratuita de qualquer espécie”, refere André Silva, Deputado do PAN.

“A adesão dos estudantes a este referendo e os resultados são reveladores de uma nova geração que está desperta para as mudanças sociais de uma nova época e de uma nova consciência. O resultado inquestionável deste referendo vem reconfirmar que a esmagadora maioria dos portugueses rejeita a tortura de animais para divertimento e pede o fim da tauromaquia”, reforça André Silva.



publicado por Carlos Gomes às 15:13
link do post | favorito

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS AMEAÇAM SOBREVIVÊNCIA DAS ESPÉCIES

50% das espécies em risco de desaparecer devido às mudanças climáticas

  • Estudo lançado hoje pela WWF reforça mensagem do evento Hora do Planeta a decorrer no dia 24 de março às 20h30, hora local, que apela à mudança para travar as alterações climáticas.
  • A floresta da Amazónia, a Floresta do Miombo na África Austral e o Sudoeste australiano estão entre os lugares mais afetados do mundo, de acordo com um relatório lançado hoje pela WWF.

Até metade das espécies de plantas e animais existentes nas áreas naturais mais ricas no mundo, como a Amazónia e as Galápagos, enfrentam a extinção até ao fim do século, devido às mudanças climáticas, se as emissões de carbono continuarem a subir sem controle.

Sifaka lemur, Tsingy de Bemaraha, madagascar

Mesmo que o objetivo de 2°C estabelecido no Acordo de Clima de Paris seja atingido, esses lugares podem perder 25% das suas espécies, de acordo com um novo estudo histórico feito pela Universidade de East Anglia, a Universidade James Cook e a WWF.

Publicado hoje na revista Climatic Change e antecedendo a Hora do Planeta, o maior evento mundial pelo meio ambiente, os investigadores examinaram o impacto das alterações climáticas em quase 80 mil espécies de plantas e animais em 35 das áreas mais diversas e naturalmente ricas em vida selvagem do mundo. O estudo explora uma série de cenários futuros com diferentes variáveis climáticas – como um cenário de não-emissões em que a temperatura média global aumenta em 4,5°C, ou um simples aumento de 2°C, o limite superior de temperatura no Acordo de Paris. Cada área foi escolhida pela sua singularidade e a variedade de plantas e animais encontrados.

O relatório conclui que as florestas do Miombo, que abriga os cachorros selvagens africanos, o sudoeste da Austrália e as Guianas da Amazónia seriam as áreas mais afetadas. Se houvesse um aumento médio global da temperatura de 4,5°C, os climas nessas áreas irão tornar-se inadequados para a maioria das plantas e animais que atualmente lá vivem, o que significa:

  • Até 90% dos anfíbios, 86% das aves e 80% dos mamíferos nas florestas de Miombo, África do Sul potencialmente extinguir-se-iam;
  • A Amazónia poderia perder 69% das suas espécies de plantas;
  • No sudoeste da Austrália, 89% dos anfíbios podem desaparecer;
  • 60% de todas as espécies localizadas em Madagáscar enfrentam risco de extinção;
  • O Fynbos, na Região do Cabo Ocidental da África do Sul, que sofre uma seca que levou à escassez de água na Cidade do Cabo, pode enfrentar extinções localizadas de um terço de suas espécies, muitas das quais são exclusivas dessa região;

·    Além disso, o aumento das temperaturas médias e a precipitação mais errática podem tornar- se no "novo normal" de acordo com o relatório - com chuvas significativamente menores no Mediterrâneo, Madagáscar e no Cerrado-Pantanal na Argentina. Os efeitos potenciais incluem:-     Pressão sobre o abastecimento de água dos elefantes africanos - que precisam de beber 150-300 litros de água por dia-     96% das áreas de reprodução dos tigres de Sundarbans podem ficar submersas pelo aumento do nível do mar-     Comparativamente menos tartarugas marinhas masculinas devido à atribuição de sexo induzida pela temperatura de ovos.Caso as espécies se possam mover livremente para novos locais, o risco de extinção local diminui de cerca de 25% para 20% com o aumento de temperatura média global de 2°C. Se isto não for possível, as espécies podem não poder sobreviver. A maioria das plantas, anfíbios e répteis, como orquídeas, sapos e lagartos não podem se mover rapidamente o suficiente para acompanhar estas mudanças climáticas.O investigador principal, o Prof. Rachel Warren, do Centro Tyndall de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas da UEA, indicou:"A nossa pesquisa quantifica os benefícios de limitar o aquecimento global a 2°C para espécies em 35 das áreas mais ricas em vida selvagem do mundo. Estudámos 80 mil espécies de plantas, mamíferos, aves, répteis e anfíbios e descobrimos que 50% das espécies poderiam ser perdidas nessas áreas sem política climática. No entanto, se o aquecimento global for limitado a 2°C acima dos níveis pré-industriais, isso poderá ser reduzido para 25%. Limitar o aquecimento até 1,5°C não foi explorado, mas seria esperado proteger ainda mais animais selvagens".Em geral, a pesquisa mostra que a melhor maneira de proteger contra a perda de espécies é manter o aumento da temperatura global o mais baixo possível. É por isso que, no dia 24 de março, milhões de pessoas em todo o mundo se reunirão para a Hora do Planeta, para demonstrar o seu compromisso de proteger a biodiversidade e ser parte das conversas e soluções necessárias para construir um futuro saudável e sustentável - e para todos. A mobilização global provocada pela Hora do Planeta também envia uma mensagem clara às empresas e ao governo de que existe uma vontade global de mudar essa trajetória.

Angela Morgado, Diretora Executiva da ANP|WWF, recorda que “os nossos filhos poderão não vir a conhecer sítios como a Amazónia ou as ilhas Galápagos, que poderão ver metade das espécies que lá vivem dizimadas por mudanças climáticas criadas pelo homem. A base da vida na terra como a conhecemos, a biodiversidade que nos sustenta a todos, está a desaparecer. É importante que todos assumamos um compromisso com o nosso Planeta e façamos mudanças no nosso dia-a-dia que ajudarão a assegurar um futuro para todos - esta é a mensagem principal da Hora do Planeta em 2018”.

Loggerhead turtle, Mediterranean Sea

Cirali, Antalya Province, Turkey

Forest, Alonissos island, Greece

Giant panda in tree, Wolong Nature Reserve, China.



publicado por Carlos Gomes às 14:56
link do post | favorito

Terça-feira, 13 de Março de 2018
ARRABIDINE® TINTO – UM PRESENTE 100% SABOR PARA O DIA DO PAI – O LICOR DE EXCELÊNCIA PRODUZIDO PELOS MONGES DA SERRA DA ARRÁBIDA

Um Segredo Secular Reconhecido Pelo Seu Sabor de Excelência

Se o seu pai aprecia bebidas ímpares, Arrabidine® Tinto é o presente ideal para dia 19 de Março. Um licor centenário produzido com bagas silvestres da Serra da Arrábida e que, este ano, foi reconhecido pelos consumidores como o melhor licor artesanal de bagas silvestres de Portugal, merecendo assim a distinção do selo 100% Sabor.

100%Sabor5_preview

O licor foi produzido pelos monges da Serra da Arrábida com as bagas silvestres da flora local até ao séc. XIX. Após o fim das ordens religiosas, em 1834, a fórmula é guardada pela família que acolhe os frades arrábidos e, em 1950, é comprada – assim como todo o espólio do Arrabidine – por Emídio Fortuna. A Lima Fortuna é a atual detentora deste “segredo dos monges” e continua a sua produção artesanal da mesma forma, com as bagas selvagens da Arrábida, sem corantes, nem aromas adicionados.

Com um estágio mínimo de cinco anos, Arrabidine é um licor de sabor forte e com propriedades medicinais – antináusea e digestivo. Em cada copo de Arrabidine vai poder partilhar o melhor segredo dos frades arrábidos com o seu pai, enquanto desfrutam de um digestivo especial, que traz em si a essência da Serra da Arrábida.

Arrabidine® Tinto é um presente de design marcante, carácter forte e sabor de excelência, reconhecido com o selo 100% Sabor, na categoria de Licores Artesanais. Este ano surpreenda o seu pai com um tesouro 100% nacional, um licor 100% Sabor.

Arrabidine_garrafa-etiqueta-logo_preview

Arrabidine_R_white_preview



publicado por Carlos Gomes às 13:32
link do post | favorito

FESTIVAL DA CANÇÃO TRADICIONAL REALIZA-SE NA BATALHA

29133565_1705032002891229_5374295373508509696_n



publicado por Carlos Gomes às 11:32
link do post | favorito

GREEN PROJECT AWARDS 2018: CANDIDATURAS PARA O GPA’18 ARRANCAM HOJE

Encontram-se abertas a partir de hoje as candidaturas à 11ª edição dos Green Project Awards (GPA). Plataforma multissetorial dedicada ao reconhecimento das boas práticas e projetos que promovam o desenvolvimento sustentável, o GPA é uma iniciativa promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente, Quercus ANCN e GCI.

Eventbrite_2160x1080px

Referência nacional da promoção do desenvolvimento sustentável em Portugal, o GPA conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República Portuguesa e dos Ministérios da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, do Ambiente, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, da Economia, da Educação, do Mar, das Finanças e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. 

Ao fim de dez anos a premiar a sustentabilidade em Portugal, o GPA apresenta este ano categorias renovadas, prémios especiais e um novo ciclo de conferências de âmbito nacional.

Agricultura e Floresta, Iniciativa Jovem, Inovação e Economia Circular, Inovação Social e Mobilização, Mar, Turismo e Urbes são as categorias a concurso nesta edição do GPA. Serão também atribuídos na edição de 2018 quatro prémios especiais, nomeadamente, o Prémio GPA-EGF Inovação e Economia Circular a atribuir ao vencedor desta categoria,  o Prémio GPA-REN Florestas e Biodiversidade entregue entre todos os candidatos da categoria Agricultura e Floresta, o Prémio GPA-COTEC Indústria 4.0 e o Prémio GPA-ANI Born From Knowledge (BfK Award) que será atribuído a um dos finalistas de todas as categorias do GPA. No caso do BfK Award o projeto distinguido terá de ser “nascido do conhecimento” e resultar de atividades de investigação e desenvolvimento.

As candidaturas serão avaliadas pelo impacto do projeto, produto, iniciativa, aplicação ou serviço nos três pilares da sustentabilidade: ambiental, económica e social. Podem concorrer ao GPA empresas, Organizações Não Governamentais, associações, cooperativas, estabelecimentos de ensino e investigação, Administração Pública, Administração Local e cidadãos a título individual que apresentem projetos, produtos, serviços ou campanhas que visem o desenvolvimento sustentável e que tenham sido implementados ou disponibilizados em Portugal nos últimos três anos. O prazo limite de candidaturas é 31 de maio.

Desde 2008, a iniciativa já recebeu mais de 1200 candidaturas e distinguiu mais de 120 projetos, criando um movimento de desenvolvimento sustentável, mobilizando a sociedade civil, incluindo os jovens, e as empresas em torno da agenda da sustentabilidade.



publicado por Carlos Gomes às 09:56
link do post | favorito

“ROSINHA DOS LIMÕES” - O FADO ALTERNATIVO DOS MARAFADOS

“Marafado – Estar zangado ou irritado; quem é maroto ou travesso”. Este é, muito provavelmente, o pensamento mais imediato ao ver o nome da nova aposta nacional da Music For All. O raciocínio é lógico, e correto do ponto de vista gramatical, contudo não podia estar mais longe da verdade: Marafados significa na verdade…marar (“galar”) os fados.

13324011_1019319171436699_1826419557_o

Composto por Lúcia Silva, Francisco Ferreira e Rui Queimado, três espíritos inquietos e apaixonados pela música, os Marafados são um convite a olhar, e ouvir, a música tradicional portuguesa de forma absolutamente original. Estreiam-se com “Rosinha dos Limões”, tema icónico do cancioneiro popular a que emprestam a sua singularidade e que serve de primeira amostra para o álbum que editarão ainda em 2018.

Os Marafados é o projeto de Lúcia Silva, Francisco Ferreira e Rui Queimado, trio que vem dar uma nova vida à música tradicional portuguesa. Tudo começou em 2016, quando Francisco é desafiado por Lúcia, professora de música de profissão, para um iniciar um projeto… diferente. Ao saber que o objetivo era apostar no Fado, Francisco ficou sem saber o que dizer: homem do Reggae, do Ska e do Punk, o Fado era-lhe completamente estranho.

Perante a insistência de Lúcia não houve alternativa senão arriscar por um caminho nunca antes navegado. Francisco pegou então na viola e… fez-se história: “Toda a roupagem instrumental e melódica emocionou-me, tocou-me, e ali viajei, bem alto, bem longe! Não sei se naquele dia fizemos Fado… mas o ponto de partida foi esse”.

Com a luz verde do Francisco Ferreira, foi a vez de Lúcia desafiar uma outra pessoa a integrar o projeto – Rui Queimado. Oriundo de outros universos musicais, Rui aceitou prontamente o convite, completando assim o trio que hoje conhecemos como Marafados.

Quanto ao nome do projeto…a explicação pode ser surpreendente. A palavra remete-nos, naturalmente para o Algarve, estando o seu significado ligado a “estar zangado ou irritado” ou ainda “a quem é maroto ou travesso”, contudo a verdadeiramente explicação é… ligeiramente diferente: é que Marafados significamarar (“galar”) os fados.

O primeiro concerto surge no final de 2016 e, daí em diante, o trio nunca mais parou. Embebidos pelo entusiasmo que só a descoberta de território desconhecido proporciona, avançam dia após dia rumo ao futuro. Recheados de emoção e talento, os Marafados estreiam-se agora, sob o selo da Music For All, com “Rosinha dos Limões”, clássico intemporal que recriaram de forma improvável e surpreendente.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 09:33
link do post | favorito

Segunda-feira, 12 de Março de 2018
PORTUGAL COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

29177467_1816493308401179_4708142181970970421_n



publicado por Carlos Gomes às 15:47
link do post | favorito

CONVENTO DOS CARDAES RECEBE CONCERTO DE QUARESMA PELO CORO CHRISTUS ENSEMBLE

unnamed



publicado por Carlos Gomes às 15:09
link do post | favorito

MOITA LARGA TOIROS NA PRAIA DO ROSÁRIO

29104200_1748016068598333_2755380464238723072_n



publicado por Carlos Gomes às 14:04
link do post | favorito

Domingo, 11 de Março de 2018
LINEAR B – BANDA LUSO-BRASILEIRA ESTREIA-SE COM “QUE SOLIDÃO”

Este projeto nasceu no Brasil mas atualmente encontra-se em Portugal. Um dos seus membros é luso-brasileiro e 2018 promete ser o seu ano. Ainda não perceberam de quem falamos? A resposta é fácil: são os Linear B.

For All-0017

Nasceram em 2017, são formados por um trio de músicos de excelência e complementados por uma voz que tem tanto de doce quanto de garra, e deles podemos esperar uma miríade de estilos e sonoridades.

Ao público português apresentam-se com “Que Solidão”, primeiro single do respetivo álbum de estreia, a editar pela Music For All no primeiro trimestre de 2018

Os Linear B são uma banda de Pop/Rock, com fortes influências de Bossa Nova, Música Popular Brasileira (MPB), Reggae e Jazz, formada em 2017 pelo guitarrista Marcos Sá. A seu lado, o músico luso-brasileiro tem Edu Dias (bateria), Sidney Klautau (baixo) e Paula Mel (voz).

Tudo começou na cabeça de Marcos Sá. Com várias ideias em mente, Marcos entra em contacto com Sidney desafiando-o para um novo projeto musical. De seguida, estende o convite a Edu Dias, outro músico de excelência e também ele amigo de longa data.

Formado o trio de músicos, faltava apenas…a voz. E essa Marcos encontrou-a ao seu lado, na companheira com quem partilha a vida: Paula Mel. Apesar de não ter experiência na música, Paula encontra aqui o desafio certo na hora certa e abraça-o com toda a força.

Mas conheçamos melhor os membros dos Linear B. Marcos Sá é guitarrista, compositor, arranjador e produtor, já tendo atuado um pouco por toda a Europa em festivais internacionais. Enquanto produtor, trabalhou em estúdios na Suíça, Holanda, França e Brasil, tocando diversos instrumentos (guitarra, baixo, percussão, teclados, entre outros). Depois de uma pausa na carreira para estudos universitários, regressa em 2006 com “The First Way”, álbum da banda brasileira The Ways (esse mesmo disco seria considerado um dos três melhores do ano pela imprensa especializada). Por motivos pessoais e profissionais, fez então uma nova pausa na carreira, voltando apenas em 2017 ao criar os Linear B.

Já Sidney Klautau tem um percurso diferente. Baixista e compositor brasileiro, dedicou boa parte da carreira ao Rock e a grandes projetos Rock brasileiros, nomeadamente DNA, Jolly Joker, Alibi de Orfeu, The Ways (com Marcos Sá) e ainda à Orquestra de Violoncelistas da Amazónia, com quem realizou uma extensa digressão na China, e ao trio de contrabaixos elétricos 4 Groove, com quem atuou por duas vezes no Festival de Contrabaixo da Amazónia.

Edu Dias é baterista e percussionista, versado em ritmos tão díspares quanto Reggae, Forró, Baião, Rock, Jazz, Pop, Samba, Blues, entre tantos outros. Ao longo da sua carreira tocou com artistas como Eloi Iglesias e Markinho Duran, tendo integrado a banda The Ways, com Marcos Sá, com quem se volta a cruzar para formar os Linear B.

E quanto a Paula Mel? Bom, aí o caso é diferente. Paula tem uma paixão profunda pela música. Daquelas que marcam. Das que nunca se esquecem. Das que nos acompanham desde sempre. Em casa teve excelentes referências musicais e cresceu ouvindo Pink Floyd, Led Zeppelin, U2 ou mestres brasileiros como Gilberto Gil e Caetano Veloso. Sempre gostou de cantar mas nunca o fez profissionalmente. Nunca…até agora, que integra os Linear B.

Juntos os quatro músicos criaram dez faixas que, sabemos agora, vão integrar o primeiro álbum da banda. Com vários ritmos e sonoridades, este é um registo que espelha os tempos multiculturais que vivemos. Depois de se terem mudado para Portugal em meados de 2017, os Linear B enfrentam mais um desafio: editar o primeiro disco. Para concretizar todos os seus sonhos e ambições assinam com a Music For All e revelam o primeiro single, “Que Solidão”.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 15:57
link do post | favorito

GRUPOS FOLCLÓRICOS PEREGRINAM A FÁTIMA

Mais de uma centena de grupos folclóricos de todo o país rumaram hoje em peregrinação ao Santuário de Fátima. Tratou-se da XVI Peregrinação do Folclore Português, iniciativa organizada pela Federação do Folclore Português.

29101629_1844495252236720_5440531446909505937_n

Do Minho ao Algarve, incluindo grupos provenientes de algumas comunidades portuguesas no estrangeiro, foram milhares as pessoas que envergaram os seus trajes tradicionais domingueiros e se juntaram em Fátima numa demonstração de fé e tradição, dois traços caraterísticos que marcam a identidade cultural do povo português.

Em virtude das condições atmosféricas que colcoaram constrangimentos ao programa inicialmente estebelecido, os grupos folclóricos foram convidados a dirigirem-se diretamente para a Basílica da Santíssima Trindade, local onde teve lugar a celebração da Eucaristia, presidida pelo Reitor do Santuário de Fátima, Padre Carlos Cabecinhas, a qual foi transmitida em directo através da TVI.

Sem estandartes, placas e outros elementos identificativos para além dos trajes domingueiros, os componentes dos grupos folclóricos assumiram uma atitude de respeito digna de registo numa manifestação de fé religiosa que constitui parte integrante da cultura do nosso povo.

De acordo com o Santuário de Fátima, a iniciativa contou com a participação de 3000 participantes, que integraram 146 grupos inscritos de todas as regiões etnográficas do país à exceção das ilhas. Dois grupos de Andorra e Suiça representam Diáspora.

Fotos: Santuário de Fátima

29135956_1844494722236773_8220029948754348740_n

29027424_1844494642236781_3641715335318248531_n

29027584_1844494588903453_3693244173908354301_n

29062619_1844495265570052_2705567606625968962_n

29062669_1844494462236799_4287680673074622946_n

29066763_1844495262236719_86221546937417389_n



publicado por Carlos Gomes às 13:50
link do post | favorito

Sábado, 10 de Março de 2018
ALFRAGIDE VAI AOS FADOS

29101453_569455153438456_576407636900693792_n



publicado por Carlos Gomes às 19:53
link do post | favorito

Sexta-feira, 9 de Março de 2018
OPERADORES DE GESTÃO DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS UNEM-SE À CONTESTAÇÃO E DENÚNCIA DO CONTROLO DO MERCADO DOS PRIVADOS, PELOS MUNICÍPIOS

A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA – eGAR – PODE CONSTITUIR UM MEIO DE CONDICIONAMENTO DO MERCADO DOS RESÍDUOS

A APOGER continua com um crescimento vertiginoso, com a adesão permanente de operadores de gestão de resíduos de todas as fileiras identificadas no mercado. A constituição da fileira dos Óleos Alimentares Usados foi concretizada no passado dia 2 de março, com a presença de gestores deste tipo de resíduos, de vários pontos do País, tendo a Associação assumido a defesa dos mesmos na contestação à obrigatoriedade de fazerem contratos com os municípios, a partir de dia 1 de abril de 2018, para poderem continuar a trabalhar nas suas empresas.

Juntam-se, assim, aos restantes operadores de gestão de resíduos, os Operadores de Gestão de Óleos Alimentares Usados, na contestação e denúncia do controlo do mercado dos privados, pelos municípios.

Apesar de atualmente existir a possibilidade de execução de uma eGAR, a eGAR 2, para os gestores e recolhedores de óleos alimentares usados – que permite que os operadores licenciados para a gestão deste tipo de resíduo, que sempre funcionaram de forma eficaz na recolha e tratamento desta fileira, funcionarem normalmente na sua vida quotidiana – , é pretensão do Estado português que esta situação passe a ser controlada pelos municípios. Uma vez mais à sombra de uma política de divisão estratégica territorial, que nunca foi aplicada por falta de capacidade de resposta dos municípios e que levou ao aparecimento de empresas privadas que fizeram um esforço de investimento na legalização das suas atividades neste setor, gerando emprego e impostos para o País.

A Presidente da APOGER, Quitéria Antão, destaca: ‘de repente, a eGAR transforma-se no motivo de ordem para condicionar e controlar o mercado, em atentado à livre concorrência, tal como o que se passa com as restantes fileiras. O Estado, financiado por todos nós, entra em força no setor privado. Qual o critério a utilizar pelos municípios na contratualização das empresas licenciadas, para a recolha de óleos alimentares usados de produtores cuja produção diária é inferior a 1.100 litros?’.

Quitéria Antão questiona: ‘De facto a produção doméstica contribui com 25% para o total dos OAU produzidos em Portugal. O que irá acontecer, com esta condicionante que o Estado pretende impor a partir do próximo dia 1 de abril, às redes de recolha privadas atuais, já calibradas e a funcionar? O óleo alimentar usado irá pelo cano abaixo, juntamente com a maioria das pequenas e médias empresas do setor e quem paga é a economia, o ambiente e a saúde pública.

Seguirá ainda hoje, para a Secretaria de Estado do Ambiente, a nossa proposta para a anulação da obrigatoriedade de os operadores licenciados, e a funcionar bem, contratualizarem com os municípios os serviços de recolha de OAU. Mantenha-se a eGAR2, que funciona bem e deixa respirar o mercado.

Incentivos ao investimento privado? Onde?’

A APOGER aguarda ainda resposta para as datas propostas ao Senhor Secretário de Estado do Ambiente, para uma reunião conjunta com a APA, de forma a verificar quais as possibilidades de negociação acerca da aplicação da eGAR, na compra a particulares, para proteger os operadores de gestão de resíduos na receção dos resíduos urbanos para os quais estão licenciados.

Segundo Quitéria Antão: ‘As empresas não aguentarão por muito mais tempo este “lobby” do Estado. O assunto é sério e será seriamente tratado pela APOGER.’



publicado por Carlos Gomes às 19:08
link do post | favorito

VÁ DE METRO À EDP MEIA MARATONA DE LISBOA

Metro de Lisboa apoia EDP Meia Maratona de Lisboa

O Metropolitano de Lisboa, com o objetivo de fomentar a atividade desportiva como fator de coesão e desenvolvimento social, associa-se ao Maratona Clube de Portugal (entidade promotora dos eventos) prestando apoio à EDP Meia Maratona de Lisboa e às provas nela integradas, nomeadamente a "EDP Meia Maratona de Lisboa” (travessia da Ponte 25 de Abril) e das provas nela integradas, designadamente a “Mini Maratona Vodafone” e a “CTT Wheelchair Racing”, que decorrerão no dia 11 de março, em Lisboa.

O apoio do Metropolitano de Lisboa consolida-se através de um protocolo com o Maratona Clube de Portugal que prevê a cedência de transporte aos participantes das corridas que se fizerem apresentar nas estações de metro com o dorsal das provas, entre as 06h30 e as 19h00, no dia 11 de março.

Através do incentivo a este tipo de iniciativas, a empresa reforça a sua responsabilidade social garantindo a qualidade de vida dos que com ela interagem, melhora a mobilidade e, ao estimular a atividade desportiva, promove estilos de vida saudáveis.

O Metropolitano de Lisboa assume-se como meio de transporte não poluente e “amigo do ambiente”, promovendo a utilização do transporte público e a consequente descarbonização da cidade, prestando um contributo fundamental para a sustentabilidade da vida urbana e desempenhando um papel primordial na facilitação da Mobilidade Sustentável.

Vá de Metro à Maratona, o Ambiente agradece.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 13:40
link do post | favorito

COM O NOVO SINGLE “INES”, AGU É UM SOPRO DE AR FRESCO NA CENA MUSICAL INDIE

A cantautora de origem polaca que se mudou para a Irlanda há 2 anos, já tinha passado 12 anos a viver na República Checa, onde lançou o seu primeiro álbum "Ke Světlu" (Para a luz) em 2015.

IMG_1423 - 10x15

O álbum recebeu uma boa resposta por parte de críticos de música e do público também. Foi considerada "uma das novas cantautoras mais notáveis do país" pela revista UNI, "Uma descoberta significativa na cena de compositores" pela Headliner Magazine, e recebeu o prémio de música independente Tais Award 2015 pelo álbum.

Transcendendo as fronteiras de países, culturas e géneros, a sua música engloba uma variedade de linguagens e influências musicais. Oscila entre os sons da indie-folk, post-rock e o ambiente atmosférico.

Ines é uma "confessão" muito pessoal, tais como o são as outras canções do próximo álbum: "A canção reflete um período da minha vida em que tudo mudou. Trata-se de perceber que te estás a sufocar sem que seja necessário. Tudo o que precisas de fazer é estender as tuas asas e tentar voar. Deixar o ninho. Ficares no controlo. Trata-se de entender que ninguém a não ser eu própria pode definir o meu futuro. É o fechar de capítulos e a abertura de novos”, diz Agu.

O novo single é o anúncio de um novo álbum no qual tem estado a trabalhar com um produtor irlandês, Tony Higgins.

"Gostei de ouvir o álbum de Agu até antes de começar a trabalharmos juntos, assim estou feliz por estar a colaborar com ela neste novo lançamento. Estou expectante de quando o público poderá ouvi-lo".


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 02:53
link do post | favorito

VERDES QUEREM VER A PASTAGEM DE MONTANHA RECONHECIDA PELA PAC

As áreas de pasto, em zonas de montanha, apesar de terem uma percentagem minoritária de espécies herbáceas, são essenciais na alimentação do gado (a atividade económica mais importante em grande parte destas regiões), porque nestas zonas a terra arável é escassa e também porque estas espécies arbustivas, sendo mais resistentes aos períodos de seca, são vitais para a alimentação animal quando as espécies herbáceas começam a escassear devido à falta de água.

logo

No entanto, a última reforma da Política Agrícola Comum (PAC), de 2013, veio alterar a possibilidade de os Estados-Membro considerarem a elegibilidade destas áreas, nas quais a erva e outras forrageiras herbáceas não são dominantes, para efeito das ajudas comunitárias, ao condicionar a sua elegibilidade apenas quando associadas a «práticas locais estabelecidas».

Para O PEV, depois da tragédia que ocorreu em 2017 com os incêndios florestais (que colocou ainda mais a descoberto o abandono em que foi deixado o mundo rural) e quando em Portugal enfrentamos um problema de seca dos mais graves dos últimos anos, não seria, de facto, compreensível que não se reconhecesse a importância destas pastagens arbustivas e a elegibilidade das mesmas, tendo em conta a sua importância na prevenção dos incêndios florestais, a sua importância na manutenção da atividade pastorícia nestes territórios e a sua importância para alimentação animal num contexto de alterações climáticas e de períodos cada vez mais constantes de seca prolongada.

Perante o atrás exposto, Os Verdes entregaram na Assembleia da República o Projeto de Resolução que recomenda ao Governo o reconhecimento da elegibilidade, para efeito das ajudas da PAC, das áreas de pastoreio nas quais a erva e outras forrageiras herbáceas não são dominantes, designadas de «pastagens arbustivas» ou «pastagens pobres», nas regiões de montanha, e desde que seja assegurado um encabeçamento mínimo, assim como a notificação da Comissão Europeia, até 31 de março de 2018, das inerentes mudanças regulatórias.



publicado por Carlos Gomes às 02:52
link do post | favorito

COMÉRCIO DE ANIMAIS REGULADO POR LEI

Entrou em vigor a iniciativa legislativa do PAN sobre o comércio de animais na Internet

  • Os criadores têm um período de 90 dias para procederem ao registo obrigatório
  • Anúncios de venda de animais de companhia passam a estar sujeitos a determinados requisitos
  • A venda de animais selvagens na internet passa a ser proibida
  • Cães e gatos só podem ser considerados de raça se tiverem inscritos no livro de origens português
  • Deixa de ser permitida a exibição - permanência de animais de companhia nas montras ou vitrinas das lojas

Acaba de entrar em vigor a portaria que regula o comércio de animais de companhia em estabelecimentos comerciais e através da internet e proíbe a venda online de animais selvagens. O projeto de lei do PAN, que foi aprovada em julho de 2017, estabelece um registo de criadores que devem comunicar a sua atividade à Direcção-Geral de Veterinária (DGAV) que, por sua vez, irá gerar um número de identificação, pessoal e intransmissível e que irá disponibilizar, no seu site, os nomes dos criadores comerciais de animais de companhia e respetivo município de atividade e número de identificação. A partir de agora os criadores têm um período de 90 dias para procederem a este registo, ou seja, a partir de dia 6 de junho aplicam-se as regras subjacentes à lei, sendo que quem incumprir fica sujeito a coimas.

Os anúncios de venda de animais de companhia passam a estar sujeitos a determinados requisitos de validade, tendo que indicar a idade dos animais; tratando-se de cão ou gato, a indicação se é animal de raça pura ou indeterminada, sendo que, tratando-se de animal de raça pura deve obrigatoriamente ser referido o número de registo no livro de origens português; o número de identificação eletrónica da cria e da fêmea reprodutora; o número de inscrição de criador e o número de animais da ninhada. Os cães e gatos só podem ser considerados de raça pura se tiverem inscritos no livro de origens português, caso contrário são identificados como cão ou gato de raça indeterminada e no caso de anúncios de animais de raça indeterminada é proibida qualquer referência a raças no texto do anúncio.

transmissão de propriedade de animal de companhia passa também a ter que cumprir uma série de requisitos como a declaração de cedência ou contrato de compra e venda do animal e respetiva fatura, ou documento comprovativo da doação; comprovativo de identificação eletrónica do animal, desde que se trate de cão ou gato; declaração médico-veterinária que ateste que o animal se encontra de boa saúde e apto a ser vendido e informação de vacinas e historial clínico do animal.

Os animais selvagens deixam de poder ser vendidos através da Internet. A compra e venda de animais selvagens apenas pode ser realizada junto dos criadores ou em estabelecimentos comerciais devidamente licenciados para o efeito, não podendo estes, em qualquer caso, ser expostos em montras ou vitrinas que confrontem com espaços exteriores à loja, permitindo que sejam visíveis fora desta.

legislação muda também no que respeita ao local de venda. Os animais de companhia podem ser publicitados na internet mas a compra e venda dos mesmos apenas é admitida no local de criação ou em estabelecimentos devidamente licenciados para o efeito, sendo expressamente proibida a venda de animais por entidade transportadora. O transporte de animais de companhia na sequência de transmissão onerosa ou gratuita só pode ser realizado por entidade transportadora desde que esta se faça acompanhar dos documentos. A partir de hoje também os estabelecimentos devidamente licenciados passam a estar impedidos de exibir animais de companhia nas montras ou vitrinas. As contraordenações puníveis pelo diretor-geral de Alimentação e Veterinária, que antes eram de 25 euros, passam a agora a ser de um montante mínimo é de 200 euros e máximo de 3740 euros.

“Este é um sinal evidente de que conseguimos trazer mudanças efetivas à sociedade e tornar consequentes as conquistas alcançadas no ordenamento jurídico português: os animais já não são coisas com a aprovação do Novo Estatuto Jurídico dos Animais. Que deixem de o ser nas nossas consciências e que sejam tratados com a responsabilidade e dignidade que merecem. Com esta lei pretende-se também diminuir as compras de animais por impulso e reduzir o número de animais abandonados”, recorda André Silva, Deputado do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 02:03
link do post | favorito

Quinta-feira, 8 de Março de 2018
DIA INTERNACIONAL DA MULHER

61% das mulheres portuguesas gostava de ter aprendido mais sobre economia doméstica

Intrum analisa comportamentos das mulheres portuguesas

No Dia Internacional da Mulher a Intrum aborda algumas questões colocadas e respondidas pelas mulheres portuguesas no último Relatório Europeu do Consumidor 2017, que analisa comportamentos de pagamento com o objetivo de conhecer melhor a vida quotidiana e conduta dos consumidores.

Em Portugal, de todos os inquiridos 44% são mulheres, das quais 51% completou a universidade. As mulheres portuguesas preocupam-se com as questões económicas, nomeadamente a economia doméstica, 61% refere que gostava de ter aprendido mais sobre economia doméstica na escola e 92% das mulheres portuguesas tentam ensinar aos seus filhos como lidar com dinheiro.

A vida ativa das mulheres portuguesas mostra alguns dados preocupantes no que se refere à gestão da economia e até mesmo no cumprimento para pagar as contas mensais. No inquérito, 46% das mulheres inquiridas refere que não consegue poupar dinheiro mensalmente e as mulheres que conseguem a média de poupança mensal não chega a 200 euros, situando-se nos 177 euros.

Nos últimos 12 meses, 47% das mulheres portuguesas tiveram pelo menos uma conta que não pagaram nos prazos e, neste âmbito, as duas situações mais preocupantes referem-se a empréstimo hipotecário e compras efetuadas online, em que 89% das inquiridas não pagou porque não tinha dinheiro.

Sobre a Intrum

A Intrum é a empresa líder na indústria de Serviços de Gestão de Crédito, com presença em 24 mercados na Europa. A Intrum oferece um vasto leque de serviços, incluindo a compra de créditos, tendo como missão melhorar o cash flow e a rentabilidade a longo prazo dos clientes e garantir que pessoas e empresas recebem o apoio que precisam para não terem dívidas. A Intrum tem mais de 8.000 profissionais dedicados e experientes que servem cerca de 80.000 empresas em toda a Europa. Em 2017, a empresa gerou receitas estimadas no valor de 1.269 milhões de euros. A Intrum tem a sua sede em Estocolmo, Suécia, e está cotada na bolsa Nasdaq de Estocolmo. Em Portugal desde 1997, a Intrum tem mais de 220 colaboradores. Para mais informações, por favor visite www.intrum.com.

Sobre o European Consumer Payment Report 2017

Foram recolhidas respostas de 24 401 entrevistados em 24 países europeus, com idades entre os 18 e os 65 anos. O Inquérito colocou questões relativas à economia doméstica e foi realizado em setembro de 2017.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 22:00
link do post | favorito

ASSOCIAÇÃO DE PROTECÇÃO E SOCORRO DIRIGE CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

unnamed

Carta Aberta a

Sua Excelência Sr. Presidente, da Republica Portuguesa – Professor – Marcelo Rebelo de Sousa

Nada de efectivo se nota na política de resolução dos problemas das pessoas em condição de sem-abrigo.

Uma vez mais o dinheiro chega às instituições, mas isso não reflecte soluções efectivas para a maioria das pessoas sem-abrigo.

Há grávidas a dormir na rua, há doentes mentais cuja sua doença não se cura na rua, mas é na rua que eles estão porque se desinvestiu muito na saúde mental nas últimas três décadas.

O dinheiro dos nossos impostos serve para alimentar um sem número de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), e outras Associações, geralmente inseridas e mantidas no sistema por cunha, não chegando efectivamente aqueles a quem era suposto chegar sob a forma de solução para a dignidade de vida, ou de uma vida com dignidade.

Muitos, não eram casos de saúde mental, mas passaram a sê-lo, porque viver na rua é um factor desencadeante de alterações psíquicas de ordem diversa.

O Estado divorciou-se das suas responsabilidades constitucionais, e dos direitos humanos, e continua a alimentar instituições que vivem às custas destes seres humanos, que um dia foram os bebés de alguém, e são hoje os filhos de ninguém.

Não têm estas pessoas sem-abrigo a sorte de ser refugiados, pois se o fossem dar-lhes íamos outras condições de permanência no nosso país. Praticamos políticas ditas sociais que nos devem envergonhar a todos.

Como nos permitimos que uma jovem de 30 anos, grávida de 6 meses, educada, com um aspecto cuidado, viva na rua, numa caixa de cartão, que crianças estamos nós sociedade portuguesa a gerar?! Porque não se apoia incondicionalmente a maternidade num país onde a taxa de natalidade cai vertiginosamente e corre o risco da sua população se extinguir?!

Com os melhores cumprimentos, e elevada estima e consideração,

A Associação de Protecção e Socorro


tags:

publicado por Carlos Gomes às 10:35
link do post | favorito

Quarta-feira, 7 de Março de 2018
FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES DE RAÇAS AUTÓCTONES PROMOVE AS RAÇAS AUTÓCTONES PORTUGUESAS DE VÁRIAS

A FERA – Federação Nacional das Associações de Raças Autóctones, com sede em Guimarães, representa 17 (dezassete) associações de criadores dando visibilidade a 22 (vinte e duas) das 47 (quarenta e sete) raças autóctones portuguesas: raças ovinas, caprinas, suínas, equídeas, avícolas e bovinas.

28576190_174400996673643_8217178738572690571_n

Atualmente, esta federação encontra-se a desenvolver um projeto de internacionalização designado por Portuguese Beef.

Este projeto, cofinanciado pelo Compete 2020 visa a promoção e a divulgação nos mercados internacionais, nomeadamente Canadá, Reino Unido, França, Luxemburgo e Alemanha, da carne bovina das raças autóctones portuguesas, considerando as raças Arouquesa, Barrosã, Cachena da Peneda, Marinhoa, Maronesa, Mirandesa e Minhota.

Os territórios onde os animais são criados (solar e áreas de dispersão) e as características que os definem, naturais e culturais, adquirem uma importância relevante para a boa prossecução do Portuguese Beef, cujos produtos são sinónimo de qualidade e de referência, representando grandes atributos do nosso país – a natureza, diversidade, singularidade dos produtos, tradição e autenticidade. Posto isto, o presente projeto permitirá, paralelamente, a promoção internacional das regiões, das suas gentes e tradições.



publicado por Carlos Gomes às 20:05
link do post | favorito

METROPOLITANO DE LISBOA HOMENAGEIA AS SUAS TRABALHADORAS NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O Metropolitano de Lisboa assinala esta quinta-feira, o Dia Internacional da Mulher, junto das suas trabalhadoras.

A iniciativa com o mote “As Mulheres no Metropolitano de Lisboa pela Igualdade” tem como finalidade homenagear as Mulheres que trabalham na empresa.

De forma a demonstrar o respeito e agradecimento para com as mulheres será tirada uma fotografia de grupo no interior da composição ML7 (Comboio histórico do

Metro), no Complexo de Carnide, Oficina de Assistência e Inspeção, às 14h, com todas as colaboradoras do Metro que queiram participar.

A ação pretende valorizar as mulheres trabalhadoras e, ao mesmo tempo, apelar à igualdade mostrando as mulheres, que todos os dias contribuem para o bom funcionamento do Metropolitano de Lisboa.

Esta iniciativa integra-se no âmbito da política de Responsabilidade Social da empresa e nas ações de celebração que decorrem a nível Nacional e Internacional dedicados ao

Dia Internacional da Mulher, que se assinala no dia 8 de março.

O Metropolitano de Lisboa tem ao seu serviço cerca de 332 mulheres das mais diferentes áreas e instalações da empresa, 3 das quais com as funções de Maquinista.

A fotografia de grupo obtida no Comboio ML7 será disponibilizada tanto no site do Metropolitano de Lisboa como no seu Facebook.

O Metropolitano de Lisboa considera que criar as condições para a existência de uma prática de promoção da igualdade de género, constitui um direito e um dever fundamental do setor empresarial, pelo que importa dinamizar ações que promovam uma atitude diária e natural de igualdade entre homens e mulheres que seja efetivamente exercida em todos os domínios da vida individual e coletiva.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 19:50
link do post | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

“LIST OF WHYS”, O PONTO D...

FOLCLORE JUNTA AMIGOS EM ...

DEPUTADO DO PAN, ANDRÉ SI...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

RICARDO BACELAR APRESENTA...

PAN QUESTIONA GOVERNO ACE...

CONVENTO DOS CARDAES RECE...

JÁ SOAM OS TAMBORES - NÓS...

LOURES: RANCHO FOLCLÓRICO...

“A CHAVE” QUE FALTAVA AOS...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

PARTIDO "OS VERDES" EXIGE...

MÁRIO MATA CONCRETIZA “RE...

ENCONTRO DE CONCERTINAS J...

MUSEU DE MARINHA EXPÕE SO...

PEDRO TAVARES AO VIVO, NO...

ESTUDANTES DE ÉVORA TAMBÉ...

“LATE NIGHT”, QUANDO O SO...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

KIKO MARIA ARRANCA COM DU...

A MÁSCARA VAI VOLTAR A EN...

PAN JUNTA-SE À MARCHA GLO...

VIAGEM DE UM ANO PELO MUN...

KONTRA RELÓGIO ESTREIAM-S...

SECRETÁRIA DE ESTADO PARA...

ALCOCHETE LEVA À CENA A P...

PARTIDO “OS VERDES” EXIGE...

CASA DO MINHO TRAZ A LISB...

OEIRAS RECEBE EMBARCAÇÕES...

CASA DO MINHO EM LISBOA C...

EDGAR SANTOS E OS CLÁSSIC...

THE DOPPLER EFFECT E A BE...

KAHLI REVELAM NOVO SINGLE...

ROCK IN RIO E NOS ALIVE L...

METRO DE LISBOA ACOLHE EX...

KIKO MARIA EM ALBACETE PA...

RICARDO BACELAR APRESENTA...

ANTIGO COMBATENTE JAIME F...

PAN ALERTA PARA SITUAÇÃO ...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

GOVERNO APLICA PROPOSTA D...

PAN QUER O REGRESSO DOS G...

OS CLÁSSICOS E AS INTERMI...

“MARÍTIMO”, A ODE SENTIME...

PAN QUESTIONA MUNICÍPIO L...

THIAGO RAMIL E AS IMPERFE...

PAN QUER AUMENTO DAS PENA...

LAMPREIA “DESOVA” NA CASA...

RIBEIRA DA LAGE RECEBE “E...

PROF. DOUTOR MANUEL ANTUN...

arquivos

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds