Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores

Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019
METRO DE LISBOA ASSINALA ANO INTERNACIONAL DA TABELA PERIÓDICA

Metropolitano de Lisboa associa-se ao Ano Internacional da Tabela Periódica. Celebrações dos 150 anos da tabela periódica | 17 outubro 2019

No âmbito do Ano Internacional da Tabela Periódica, assim designado pela UNESCO, o Metropolitano de Lisboa, desde o passado mês de março, tem apoiado um ciclo de várias iniciativas, que se irão estender até ao final do ano, em parceria com o Departamento de Engenharia Química e do Núcleo de Estudantes de Engenharia Química, do Instituto Superior Técnico.

elemento nitrogenio.png

Estas dinâmicas visam promover a tabela periódica junto dos clientes do Metropolitano de Lisboa e do público em geral. Nesse âmbito, amanhã, dia 17 de outubro, realiza-se a oitava ação proposta pelo Departamento de Engenharia Química do IST, desta vez sob o tema “elemento Nitrogénio ”.

Quem passar pela estação Alameda da Linha Vermelha às 17 horas do dia 17 de outubro, poderá, através de várias atividades, conhecer melhor o elemento nitrogénio, onde o encontrar e as suas aplicações, nomeadamente na preparação de gelado.

Os clientes serão convidados a provar gelado preparado no momento. O nitrogénio líquido tem uma temperatura muito baixa, congelando rapidamente o iogurte e leite condensado usado na preparação do gelado.Com a subida da temperatura formam-se espontaneamente vapores de azoto que se evaporam completamente antes de ser servido.

Os clientes serão também convidados a “participar” num jogo de futebol e outras experiências com nitrogénio líquido. Podem ainda responder a um breve questionário que irá testar de uma forma leve e divertida os seus conhecimentos sobre os elementos da tabela periódica, ou escrever o seu nome utilizando os elementos químicos

Estará igualmente disponível na estação Alameda um Photobooth, para quem quiser tirar uma foto e partilhar nas redes sociais.

Serão distribuídos brindes e folhetos informativos relacionados com o tema.

Ainda no âmbito das comemorações dos 150 anos da Tabela Periódica, estão previstas mais atividades nas estações de metro, a ter lugar nos seguintes dias:

ü  31 de outubro “Os luminescentes” (estação Alameda)

ü  20 de novembro “O último elemento” (estação Cais do Sodré)

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável numa ótica de plena acessibilidade, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 15:57
link do post | favorito

Sexta-feira, 4 de Outubro de 2019
METRO CELEBRA DIA MUNDIAL DO ANIMAL COM VÁRIAS ATIVIDADES NA ESTAÇÃO JARDIM ZOOLÓGICO

Ação pretende sensibilizar os indivíduos para a importância dos animais no meio ambiente

O Metropolitano de Lisboa associa-se ao Pavilhão do Conhecimento para assinalar o Dia Mundial do Animal, que se assinala hoje, dia 4 de outubro, promovendo uma ação com o objetivo de sensibilizar as pessoas para a importância dos animais no meio ambiente.

Esta sexta-feira, entre as 16h30 e as 18h, o átrio sul da estação de metro Jardim Zoológico (acesso à estação dos comboios) estará repleta de atividades propostas pelo Pavilhão do Conhecimento.

As atividades, gratuitas, são dirigidas a todos os clientes que tenham curiosidade em saber mais sobre o mundo animal e a sua envolvência com o meio ambiente. Estarão presentes na estação três promotores a interagir com as pessoas presentes, convidando-as realizar pequenas experiências ou partilhando conhecimentos relacionados com os animais e o meio ambiente, de acordo com as seguintes rúbricas:

  • Quem se alimenta do quê? (Selecção do alimento)

As adaptações dos bicos dos tentilhões são dos temas mais abordados na evolução. Venha competir pelo seu alimento! Será que consegue sobreviver?

  • Estou bem escondido?

Na Natureza, presas e predadores estão sempre dependentes uns dos outros. Mas será que as pequenas variações de cor ou tamanho, por exemplo, causam diferenças na população a longo prazo? Será que ajudam a camuflar?

  • Pelucia Diversus

O Homem tem por hábito catalogar e classificar tudo o que o rodeia. Vamos descobrir a importância na Taxonomia no Reino Animal e ver como o podemos fazer com os nossos peluches e perceber a hierarquia que vem desde o tempo de Lineu.

  • Minhocas na cabeça

Minhoca ou lagarta, quem é quem? Chegou o momento de conhecer melhor as minhocas e o seu estilo de vida, curiosidades e importância no meio ambiente. Para tal, serão feitas diversas observações e experiências que permitirão identificá-las e descobrir como reagem à luz, se têm pernas, olhos ou até nariz!

Esta iniciativa de sensibilização insere-se no projeto “Dinamização das estações”, através do qual o Metropolitano de Lisboa tem vindo a desenvolver ações diversificadas de cariz cultural, ou de responsabilidade social, com a preocupação de estabelecer uma maior proximidade com os seus clientes, mas também ajudar a divulgar o património cultural e recreativo existente.



publicado por Carlos Gomes às 10:12
link do post | favorito

Quinta-feira, 3 de Outubro de 2019
O QUE DISSE ANDRÉ SILVA, DEPUTADO DO PAN, NO JANTAR DE CAMPANHA DESTA NOITE?

15781499_1800791300158807_6541270297211427159_n.jpg

Amanhã encerra-se um ciclo político que para o PAN foi o da afirmação. No domingo iniciaremos o período da consolidação.

Não querendo trazer para o PAN maiores virtudes do que aquelas que podemos efetivamente reclamar, posso hoje afirmar de consciência tranquila que cumprimos e superámos aquilo a que nos comprometemos com os portugueses e as portuguesas há 4 anos: dar voz aos que nunca eram ouvidos, trazer visibilidade a preocupações sociais que eram menosprezadas ou ridicularizadas, expor os interesses de algumas indústrias fortemente apoiadas pelos partidos incumbentes, colocar o ambiente no centro do debate político e social.

Mas acima de tudo a difícil entrada do PAN no parlamento veio confirmar que todos podemos fazer a diferença! Seja qual for a nossa condição à nascença, nacionalidade, religião, género, orientação sexual, condição económica ou orientação ideológica, todos podemos contribuir para a concretização de sonhos que nos dizem ser impossíveis!

Para o PAN não há aspirações impossíveis, estamos no sistema político-partidário para procurar soluções para os velhos problemas e para os desafios do século XXI. Não temos as respostas todas e ainda temos muito por onde crescer e evoluir, mas catapultámos para o centro do debate social, político e económico, o potencial de concretizarmos, enquanto sociedade, uma transição para um futuro sustentável e justo.

Com apenas um deputado e um minuto para falar, tivemos, nos últimos quatro anos, a nossa acção política profundamente limitada. Mas tal não nos impediu, muito pelo contrário, de honrar o compromisso que assumimos com as pessoas: o de trabalhar todos os dias com rigor e sempre na procura de consensos que se traduzissem em melhorias para o país. Foi, de resto, essa postura construtiva que permitiu colocar intérpretes de LGP nas urgências dos hospitais, regular a publicidade de alimentos para crianças, contratar mais nutricionistas e psicólogos para o SNS, a distribuição de fruta no pré-escolar público, o fim do uso de louça descartável de plástico, a implementação da tara recuperável para garrafas de plástico, a interdição do abate de animais de companhia como meio de controlo populacional ou o fim da utilização de animais selvagens nos circos.

Mas está quase tudo por fazer. Fizemos o que nos deixaram. Fizemos o que pudemos com a força que tínhamos.

O programa que apresentamos a estas eleições legislativas reflete, justamente, a magnitude do desafio que temos pela frente mas também a confiança necessária para o encarar. Mas, mais importante, aponta um caminho que, podendo não ser o mais popular nem o mais desejado, é o necessário.

É um documento que tem em vista o ano de 2030, data apontada pelos cientistas climáticos como o ponto de não retorno.

Um programa que não se esgota na emergência climática e que prioriza a dignidade do ser humano e as respostas que se exigem à sua realização e autodeterminação; um programa que faz uma aposta firme no empoderamento das pessoas através da Educação e da Cultura enquanto ferramentas centrais na construção de uma sociedade mais empática e consciente; que dignifica e protege todos, do indivíduo aos ecossistemas, com políticas responsáveis para a sustentabilidade, a acessibilidade e de justiça intergeracional em áreas tão importantes como a Saúde, a Habitação, o Emprego ou a Justiça.

Este é um programa realista, que rasga a indiferença e não cede ao imediatismo.

Os partidos incumbentes não têm sido capazes de ler o momento em que vivemos e mostram-se incapazes para oferecer as respostas aos desafios do nosso tempo.

O problema não se resume, como todos nos querem fazer acreditar, em ser-se de esquerda ou de direita, o problema é não ter soluções e respostas eficientes para os reais problemas da sociedade do século XXI.

Vejamos como a ideologia se traduz em políticas insuficientes, e castra a evolução por não permitir alcançar as melhores respostas para um determinado problema num dado momento. Aquilo que ontem se afigurava como uma solução, hoje pode deixar de sê-lo, porque a sociedade está em constante mutação e o grande desafio da política é acompanhar o seu ritmo. A ideologia desilude por não acompanhar uma sociedade em permanente movimento.

Portugal poderia estar mais à frente não fosse a força do travão do conservadorismo ideológico de PSD, CDS e PCP.

[CDS] Imagine-se, o CDS, um partido presidido por uma mulher que defende a condenação das mulheres que decidem interromper a gravidez por entenderem não ter condições de a suportar, no âmbito do direito que têm sobre o seu corpo e a direcção da sua vida. O CDS é um partido que assim ataca e humilha as mulheres do nosso país.

É o mesmo partido que nega ver reconhecidos direitos humanos fundamentais a pessoas com identidade de género ou orientação sexual que não encaixam nos seus critérios marialvas. Para quem tanto enfatiza a família, querem proibi-la, negando e violando direitos elementares. Isto sim, é um insidioso ataque às pessoas e aos valores de uma sociedade do século XXI. O CDS é um dos partidos mais perigosos e extremistas, ao representar a homofobia, a transfobia e o incitamento ao ódio, através de uma linguagem carregada de intolerância.

O CDS parou no tempo, naquele tempo em que infligir sofrimento era um exercício de afirmação e uma demostração de virilidade. Aliás, a líder do CDS compara a tourada a um bailado. A nossa sorte é o CDS não ter parado no tempo em que os homens eram atirados aos leões.

A violência das políticas do CDS entrou inclusivamente dentro da casa das pessoas. A lei das rendas, em bom rigor a liberalização dos despejos, ainda hoje continua a afectar muitas pessoas em especial as mais idosas e as menos favorecidas. A Drª Assunção Cristas diz que põe as pessoas no centro das preocupações, mas acaba por metê-las no meio da rua. E é o PAN que não defende as pessoas…

[PSD] Lei das rendas que, recorde-se, foi aprovada num governo do PSD.

Um partido conhecido por ter no seu hino a palavra liberdade é o mesmo partido que hoje em dia quer criminalizar os jornalistas por exercerem a sua profissão.

O PAN, aquele partido que é frequentemente acusado de não saber do que fala, ao ver Rui Rio a querer matar o mensageiro, dá por si a pensar: será que vão dizer de Rui Rio o que dizem do PAN?

Isto é: ou não sabe do que fala ou não sabe o que é a democracia. É que não há democracia sem jornalismo. E o que defende Rui Rio é um feroz ataque a um dos pilares essenciais do jornalismo que é o direito a preservar o anonimato da fonte. Rui Rio prefere assim atirar no mensageiro em vez de resolver o problema que a mensagem traz: a corrupção sistémica.

Mas se a visão de liberdade do PSD é questionável, o seu conceito de seriedade é verdadeiramente fantasmagórico. E neste campeonato até consegue fazer a dobradinha: todos se lembram ainda das presenças fantasma atingindo inclusive o secretário geral do PSD, mais conhecido entre nós, ambientalistas, pelo vendedor do Tua, e agora, em plena campanha eleitoral, o país é contemplado com um caso que fere profundamente a credibilidade da casa da democracia, a Assembleia da República, o episódio da falsificação das assinaturas, conhecido por assinaturas fantasma.

Assistimos a mais um pontapé na democracia e é com este tipo de comportamentos que os cidadãos se afastam dos partidos e da política.

Se houvessem sondagens sobre a intenção dos partidos em enganar os portugueses, certamente que o PSD estaria numa melhor posição do que aquela em que se encontra. Vejamos mais um exemplo: um partido que apregoa frescura e juventude na política, tanto que, ineditamente, o seu candidato a primeiro ministro nem é cabeça de lista para priorizar um jovem, depois mostra pelo seu programa que não tem respostas para as principais preocupações dos mais jovens.

Basta constatar a total falta de visão do PSD em matéria de combate às alterações climáticas: um deserto. Alguém que diga ao Dr. Rui Rio que o principal desafio das nossas vidas não se resolve a mudar a caldeira.

[PCP] Mas se Rui Rio ainda muda caldeira, o PCP não muda nada. Em matéria ambiental é uma verdadeira desilusão. O PCP, tal como Trump, não reconhece valor ao Acordo de Paris.

Mas reconhece valor ao regime chinês, essa democracia de partido único, onde não existe liberdade de imprensa ou religiosa, que viola diariamente os direitos humanos fundamentais, sobejamente conhecido por caçar opositores políticos.

Felizmente o PCP não caça opositores políticos, mas apoia o baronato da caça, matilheiros, monteiros, criadeiros e demais agressores da vida animal.

E dou por mim a pensar que o PCP parece o irmão gémeo do CDS de quem foi separado à nascença…e o PAN é que tem problemas com a ideologia.

[BE] E por falar em ideologia, há quem diga, como Catarina Martins, que não se ser de esquerda nem de direita, isso não existe. E o PAN olha para o Bloco e conclui que o que existe é acumular ser-se de esquerda e de direita, não tivesse o Bloco suportado a política económica de Mário Centeno, o governante mais popular no eleitorado da direita e que até Rui Rio gostaria de ter como ministro. 

Assim, imagino que será fácil para o partido socialista levar o Bloco de Esquerda para o governo, um partido tão ideologicamente marcado à esquerda mas com ginástica suficiente para correr na pista da direita.

[PS] Já o PAN não precisa de se auto catalogar à esquerda ou à direita para saber o que quer e o que não quer. O nosso caminho é firme na rejeição das desigualdades e injustiças sociais, do esgotamento dos ecossistemas, e do utilitarismo das outras formas de vida.

O PAN nunca aceitará viabilizar um governo do partido socialista que quer explorar petróleo no nosso país, um governo que assine contratos para a construção de aeroportos antes de fazer avaliações de impacto ambiental; um governo que não compense aqueles que trabalham à noite ou por turnos; que continue a não apresentar medidas sérias de combate à corrupção; um partido que tem vergonha da agricultura biológica e que em matéria de Saúde continua a não ter políticas de prevenção da doença em detrimento das indústrias da saúde.

[Fecho. Agradecimentos]

Companheiras e companheiros, resta-nos pouco mais de 24 horas de uma campanha que se revelou intensa e desafiante mas também recompensadora. Uma campanha que quisemos fazer diferente, sem alimentar casos, pessoais ou judiciais, dando visibilidade a problemas ou a projectos que merecem ser divulgados.

É o culminar de uma legislatura e de meses de imenso trabalho que, à parte de nos convidar a melhorar no futuro, só nos pode orgulhar no presente. Mesmo sem os meios técnicos e humanos dos outros partidos, não deixámos de percorrer o país e o que vimos e sentimos foi de tal modo impactante que só podemos estar optimistas para o futuro.

Quero, a este tempo, manifestar o meu enorme agradecimento a todos os que se envolveram nesta campanha e que têm dedicado, quantas vezes com sacrifício pessoal, o seu tempo ao nosso movimento.

Muito, muito obrigado! E quero também agradecer aos nossos filiados e simpatizantes, cuja participação é cada vez mais reveladora da vitalidade do nosso partido. Todos e cada um de vocês, aqui e em todo o país, foram determinantes para que chegássemos aqui hoje com reais possibilidades de ver a nossa posição reforçada no sistema democrático português.

Quero, pois, apelar, para que não permitam, nem por uma vez, nem mesmo por um segundo, que as críticas que nos fazem vos façam desacreditar das vossas motivações e da nobreza da nossa luta.

Não contamos com a simpatia de tantos sectores influentes da sociedade, fomos o partido que mais sofreu campanhas de bullying e desinformação mediática sobre as nossas propostas, mas no domingo vamos mostrar que contamos com aquilo que realmente importa em política: a confiança das eleitoras e dos eleitores. Quando todos, da esquerda à direita, batem no PAN, é bom sinal, é sinal que estamos a fazer algo de positivo.

E no domingo queremos uma vez mais ser a surpresa das eleições e fazer história em Portugal, a história da transição e da mudança de paradigma na forma como nos relacionamos com os outros e com o planeta.

 “Ainda vamos a tempo!”. VIVA O PAN!



publicado por Carlos Gomes às 21:38
link do post | favorito

Segunda-feira, 30 de Setembro de 2019
METRO CELEBRA DIA MUNDIAL DA MÚSICA

Metro celebra Dia Mundial da Música com atuações musicais gratuitas na estação Cais do Sodré

As atuações surgem no âmbito do concurso “Uma mão cheia de bandas” para artistas amadores

No âmbito da celebração do Dia Mundial da Música, que se assinala manhã, dia 1 de outubro, o Metropolitano de Lisboa lançou o concurso “Uma mão cheia de bandas”, concurso este destinado apenas a bandas amadoras sem qualquer tipo de contrato discográfico ou agenciamento, cujos membros sejam maiores de 18 anos de idade.

Foram já divulgadas as cinco bandas vencedoras do concurso que tem como prémio a possibilidade de atuarem ao vivo, na cadência de uma banda por dia, na estação Cais do Sodré entre os dias 1 e 5 de outubro às 17h.

Programa:

01/out

​   ​3.ªf

Bali

02/out

   4.ªf

4th District 

03/out

   5.ªf

The Dust

04/out

   6.ªf

Jhon Douglas & JungleBoys

05/out

   sábado

Mistah Isaac

O Metro, através de um júri designado composto por três elementos, avaliou as várias atuações seguindo os critérios da originalidade, qualidade artística e adequação ao espaço de difusão. As inscrições estiveram abertas até dia 22 de setembro no site do Metropolitano de Lisboa.

Inserido no plano de dinamização das estações, este projeto visa incentivar a revelação de novos talentos da música portuguesa.


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:53
link do post | favorito

METRO DE LISBOA APOSTA NA SEGURANÇA

Metropolitano de Lisboa apresenta nova campanha de segurança em parceria com a PSP

O Metropolitano de Lisboa e o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (COMETLIS) lançaram dia 24 de setembro, a Campanha de Segurança “Esteja alerta”, com o objetivo de consciencializar os clientes do Metropolitano de Lisboa para a adoção de comportamentos preventivos, transmitindo condutas e atitudes adequadas na utilização deste transporte público.

Sendo a segurança uma questão que afeta, igualmente, os turistas, a campanha “Esteja alerta” será lançada em formato bilingue, com os seguintes quatro comportamentos:

  1. Não dê o seu telemóvel. Evite o seu uso durante a abertura e o fecho de portas.
  2. Não perca os seus bens de vista. Mantenha sempre os seus pertences junto a si.
  3. Não aceite ajuda de estranhos. Qualquer assunto relacionado com a compra de títulos de transporte, fale apenas com os funcionários do Metropolitano de Lisboa.
  4. Não ignore atitudes ou objetos estranhos. Esteja alerta para qualquer comportamento ou situação anómala.

Para Vítor Domingues dos Santos, Presidente do Conselho de Administração do Metropolitano de de Lisboa, “É fundamental que os clientes do Metropolitano de Lisboa de Lisboa se sintam em segurança na rede do Metropolitano de Lisboa e é, por isso, que esta ação é tão importante, pois, para além de promover o sentimento de segurança, contribui positivamente para a missão dos agentes nas estações e nos comboios.”

No mesmo sentido, o Comandante Metropolitano de Lisboa da PSP (COMETLIS), Superintendente Jorge Maurício, congratula-se com esta parceria, pois a PSP em geral e o COMETLIS em particular, através da Divisão de Segurança a Transportes Públicos (DSTP), unidade especializada e vocacionada para a segurança dos transportes ferroviários, entende que com o envolvimento de todos (instituições e cidadãos) podemos tornar ainda mais seguro o Metropolitano de Lisboa. Há procedimentos simples que são uma mais-valia em termos de segurança.

Esta campanha de segurança enquadra-se num vasto leque de outras iniciativas que o Metropolitano de Lisboa tem vindo a desenvolver com a preocupação constante de incrementar e melhorar a segurança no Metropolitano de Lisboa sensibilizando os seus clientes para comportamentos a evitar, para sua própria segurança e prevenção.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:32
link do post | favorito

Domingo, 29 de Setembro de 2019
METROPOLITANO DE LISBOA RETOMA OBRAS NA ESTAÇÃO DO AREEIRO

o   Conclusão dos trabalhos no segundo trimestre de 2020

o   Garantida Acessibilidade Plena para as áreas públicas da estação

o   Acesso da superfície/rua até ao átrio e átrio/cais de embarque por elevador

O Metropolitano de Lisboa (ML) informa que amanhã, dia 30 de setembro de 2019, vão ser retomadas as obras reabilitação do Átrio Norte da estação Areeiro, na linha Verde. Estas obras estão previstas no Plano de Desenvolvimento da Rede do Metro, sendo mais uma aposta na melhoria progressiva da qualidade de transporte público prestado diariamente pela empresa aos seus clientes.

Recorde-se que esta é uma estação com 45 anos de existência, com sinais de desgaste e de envelhecimento. O ML intervencionou as instalações desta estação, em 2013, tendo reaberto ao público a estação, com um átrio Sul totalmente renovado e um cais de embarque alargado à oferta de composições de seis carruagens.

O projeto respeitante às obras que amanhã se iniciam é da responsabilidade da Ferconsult e o empreiteiro responsável pela obra no interior da estação é o agrupamento Domingos da Silva Teixeira, S.A./ Efacec Engenharia e Sistemas, S.A. / Cari Construtores, S.A. / DTE Instalações Especiais, S.A., com um orçamento de 2,8 milhões de euros, estando a conclusão das obras previstas para o segundo trimestre de 2020.

Os acabamentos do átrio Norte da estação Areeiro prevêem a instalação de três novos elevadores, dando, assim, cumprimento aos objetivos de acessibilidade definidos para a rede do Metro, no tocante especialmente aos clientes de mobilidade condicionada.

Estas obras prevêem, ainda, a modernização de equipamentos, sistemas e instalações, adequando-os aos padrões de mobilidade atuais, bem como a beneficiação dos painéis de azulejo de Maria Keil e a continuidade da intervenção artística de Júlia Ventura e a realização de outras intervenções estéticas e decorativas que contribuirão para o embelezamento da estação.

Com a conclusão desta empreitada serão, também, reabertos ao público os acessos Norte, via Av. Padre Manuel da Nóbrega, que se encontram encerrados há anos.

O ML lamenta, desde já, os eventuais impactos negativos que os trabalhos possam causar junto dos seus clientes, residentes, automobilistas, lojistas das imediações, informando que vai garantir no terreno a informação necessária sobre a evolução dos trabalhos de remodelação previstos, em especial aos utilizadores da estação e da linha Verde e à população residente junto à praça do Areeiro, bem como os lojistas daquela zona.

O ML comunicará permanentemente a evolução destas obras nos seus meios habituais, com mensagens atualizadas e contextualizadas, para cada suporte, fase dos trabalhos e local de afixação: painéis nos tapumes, sítio na Internet e Facebook do ML, folhetos para distribuição local entre outros.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 12:27
link do post | favorito

Sexta-feira, 27 de Setembro de 2019
ESTUDO DA INTRUM REVELA QUE OS PORTUGUESES ESTÃO A POUPAR MAIS PARA VIAJAR

No dia em que se comemora o Dia Mundial do Turismo, a Intrum procurou perceber os principais motivos de poupança dos portugueses.

O European Payment Consumer Report, estudo da Intrum, revelou que viajar é o segundo maior motivo de poupança para os portugueses (42%), valor superior à média europeia que se situou nos 40%. O principal motivo, tanto para os portugueses (76%) como para os restantes inquiridos europeus (67%) é a poupança para despesas inesperadas.

Poupar para despesas inesperadas e para viajar são os dois principais motivos de poupança para os portugueses ao longo dos últimos quatro anos, revela o estudo da Intrum.

Apesar de 36% dos portugueses afirmar que a sua situação financeira melhorou, o estudo da Intrum demonstrou que, 59% dos portugueses consegue poupar dinheiro mensalmente, valor similar à média europeia. O estudo revela ainda que os portugueses inquiridos conseguem poupar em média 193 euros por mês, valor substancialmente superior ao do ano passado que foi de 80€. A poupança média mensal dos europeus inquiridos é de 255 euros.

Comprar uma viagem a crédito, com um plano de pagamentos ou pedindo dinheiro emprestado, não são opções do agrado da maioria dos portugueses.  O último European Payment Consumer revela que apenas 16% dos inquiridos concorda com este método e 66% diz que discorda, valores estes muito alinhados com a média europeia que é de 16% e 64% respetivamente.

Para Luís Salvaterra, Diretor-Geral da Intrum Portugal, “os portugueses, cada vez mais, poupam dinheiro para situações inesperadas do dia-a-dia, mas também se preocupam com o seu bem-estar físico e psicológico e por isso mesmo, viajar é um dos maiores motivos de poupança tanto para os portugueses como para os restantes países inquiridos neste estudo da Intrum. Neste dia Mundial do Turismo, é importante salientar que saber gerir as poupanças e criar prioridades de pagamento são medidas essenciais para evitar constrangimentos financeiros nos orçamentos familiares”.

Sobre a Intrum

A Intrum é a empresa líder na indústria de Serviços de Gestão de Crédito, com presença em 25 mercados na Europa. A Intrum oferece um vasto leque de serviços, incluindo a compra de créditos, tendo como missão melhorar o cash-flow e a rentabilidade a longo prazo dos clientes e garantir que pessoas e empresas recebem o apoio que necessitam para não terem dívidas. A Intrum tem mais de 8.000 profissionais experientes que atendem cerca de 80.000 empresas em toda a Europa. Em 2018, a empresa gerou receitas estimadas no valor de 1.258 milhões de euros. A Intrum tem a sua sede em Estocolmo, Suécia, e está cotada na bolsa Nasdaq de Estocolmo. Em Portugal desde 1997, a Intrum tem mais de 245 colaboradores.

Para mais informações, por favor visite www.intrum.com

Sobre o European Payment Consumer Report

O Relatório de Pagamentos Europeu do Consumidor nasceu em 2013. Como "catalisador de uma economia saudável", a Intrum percecionou a necessidade de consultar as opiniões de 24.000 consumidores europeus, a fim de compreender melhor a realidade da economia doméstica e a vida diária nas suas casas. As informações obtidas no European Payment Consumer Report, basearam-se num inquérito conduzido pela empresa de estudos de mercado United Minds.



publicado por Carlos Gomes às 10:45
link do post | favorito

Quarta-feira, 25 de Setembro de 2019
JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO 2019

27, 28 e 29 de setembro

Iniciativas culturais levam clientes a perspetivar os transportes públicos como transportadores de arte e difusores de cultura

A CP – Comboios de Portugal, a Infraestruturas de Portugal e o Metropolitano de Lisboa, associaram-se à Direção Geral do Património Cultural, com vista à promoção e desenvolvimento de um vasto programa de ações culturais integradas nas Jornadas Europeias do Património (JEP) 2019 dirigidas ao público e à comunidade em geral.

As JEP são uma iniciativa promovida pela Comissão Europeia a que vários países, incluindo Portugal, têm aderido em anos transatos. Subordinadas, no corrente ano, à temática nacional “Artes, Património e Lazer”, as JEP decorrerão nos dias 27, 28 e 29 de setembro.

Esta iniciativa permite aos participantes passarem a perspetivar os transportes públicos ferroviários não só como forma de deslocação entre locais de partida e destino mas também como meios de acesso às Estações Ferroviárias e do Metropolitano de Lisboa que, cada vez mais, se constituem como espaços artísticos e culturais acessíveis a qualquer público.

No dia 27 de setembro, o programa conta com várias iniciativas, nomeadamente a realização de visitas guiadas às Estações Ferroviárias da IP e do Metropolitano de Lisboa, ações culturais e de animação nessas estações e, ainda, a possibilidade de assistir a uma conferência subordinada ao tema “A Ferrovia e a Cultura”, que conta com a presença de vários oradores internacionais e em que irá abordar a temática da utilização das Estações Ferroviárias e os transportes públicos como espaços de promoção e divulgação artística.

No dia 28 de setembro, os inscritos poderão realizar um sonho antigo de viajar nas duas primeiras carruagens históricas do Metro de Lisboa (datadas de 1959), viajar nos comboios da CP até ao Entroncamento, e por fim, visitar o histórico Museu Nacional Ferroviário.

No último dia, 29 de setembro, é dada a oportunidade aos participantes de acompanhar uma visita guiada à Estação Ferroviária da IP Lisboa-Oriente assim como à linha Vermelha do Metro de Lisboa.

As inscrições para as iniciativas das Jornadas Europeias do Património tiveram início no dia 26 de agosto p.p., nos sites das empresas organizadoras, tendo esgotado em poucos dias.

O Metropolitano de Lisboa, a CP- Comboios de Portugal e a Infraestruturas de Portugal contribuem, assim, para a promoção efetiva da cultura e do património, bem como para o reconhecimento da sua importância e do seu caráter transversal, designadamente no setor dos transportes, da mobilidade e sustentabilidade urbana.

Programa

27 de setembro

15h00 | Visita guiada ao Interface dos Restauradores e Estação Ferroviária de Lisboa-Rossio

16:30  | Conferência “A Ferrovia e a Cultura” (Estação Ferroviária de Lisboa-Rossio, Sala do Rei)

18:30  | Lançamento do livro “O comboio do Papa - A última viagem do comboio pontificio-frosinone 1863” – Costantino  Jadecola

28 de setembro

10:00 | Viagem no comboio histórico ML7 do Metropolitano de Lisboa

11:00 | Visita guiada à estação Ferroviária e do Metropolitano de Lisboa de Santa Apolónia

13:00 | Viagem até ao Entroncamento e visita guiada ao Museu Nacional Ferroviário

18:30 | Animação na estação ferroviária do cais de Sodré – Tango na Rua

29 de setembro

10:30 | Visita guiada à estação Ferroviária e do Metropolitano de Lisboa do Oriente e à linha Vermelha do Metropolitano de Lisboa

12:00 | Animação na estação ferroviária de Lisboa-Oriente – Quorum Ballet



publicado por Carlos Gomes às 11:25
link do post | favorito

Terça-feira, 24 de Setembro de 2019
METRO DE LISBOA ADERE À DECLARAÇÃO DA UITP "UM PLANETA, UM PLANO"

O Metro de Lisboa assumiu compromisso para enfrentar os desafios da mobilidade urbana garantindo cidades verdes, saudáveis e sustentáveis

No passado dia 6 de setembro, teve lugar em Barcelona o Fórum de Líderes, promovido pela Associação Internacional de Transportes Públicos (UITP) da qual o Metropolitano de Lisboa é membro associado há 61 anos, ainda antes de iniciar o seu serviço público.

Este evento contou com a participação dos responsáveis de 40 organizações de transporte público de 23 países, para um debate sobre temas relacionados com a mobilidade urbana sustentável, do qual resultou uma declaração comum sobre o combate às alterações climáticas e o compromisso, por parte destes operadores de transporte, em fornecer soluções sustentáveis de mobilidade urbana a milhões de passageiros de todo o mundo, com o objetivo urgente de redução de gases de efeito estufa em 45% na próxima década e a compensação de emissões zero até 2050.

O Fórum de Líderes da UITP, no qual o Metropolitano de Lisboa teve uma participação ativa, apelou aos líderes políticos para a implementação de um plano configurado em quatro etapas distintas:

  1. Dar prioridade a ruas acessíveis, seguras, respiráveis e caminháveis, a partir do planeamento urbano;
  2. Fortalecer o papel do transporte público como a espinha dorsal de todos os serviços de mobilidade;
  3. Garantir apoios financeiros para mais investimento em veículos elétricos e outros veículos movidos a combustível limpo, de forma a reduzir as emissões de gases prejudiciais ao ambiente;
  4. Garantir que as fontes de energia renováveis estejam acessíveis e que são atribuídos apoios para a construção de instalações de energia renovável.

A participação do Metropolitano de Lisboa no Fórum de Líderes consubstancia, desta forma, um compromisso em fornecer soluções progressivamente mais sustentáveis de mobilidade urbana aos cerca de 600 mil clientes que diariamente transporta na sua rede.

A preocupação do Metropolitano de Lisboa pelas causas ambientais não é recente. A empresa tem implementado um Sistema de Gestão de Qualidade e Ambiente, que se rege por um conjunto de pressupostos, comprometendo-se, desde há vários anos, a identificar e avaliar os aspetos e impactos ambientais e a implementar medidas, com vista a minimizar os aspetos ambientais significativos negativos e maximizando os impactos ambientais positivos.

O Metropolitano de Lisboa é, também, certificado em Qualidade e Ambiente, pelas normas NP EN ISO 9001:2015 e NP EN ISO 14001:2015, adotando todas as práticas sustentáveis com que se comprometeu, implementando outras medidas que contribuem para a sua atuação sustentável.

O Metropolitano de Lisboa assume os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável como parte integrante da sua estratégia de sustentabilidade. Enquanto empresa socialmente responsável e vocacionada para a promoção da sustentabilidade assume publicamente o seu compromisso para com o Desenvolvimento Sustentável, integrando na sua estratégia três dos Objetivos (ODS) da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU - Igualdade de Género, Indústria, Inovação e Infraestruturas e Ação Climática - comprometendo-se, igualmente, com o cumprimento de metas para cada objetivo.

O Metropolitano de Lisboa contribui, assim, de forma efetiva, para a sustentabilidade da área metropolitana em que se insere, ao proporcionar níveis adequados e com qualidade do serviço de transporte público que diariamente presta aos seus clientes, com um reduzido impacto ambiental, otimizando, de forma adequada, os recursos disponíveis e contribuindo para a manutenção de um planeta mais verde.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 11:06
link do post | favorito

Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019
OUTLOOK DO RATING DO METROPOLITANO DE LISBOA SOBRE PARA POSITIVO

A agência de notação financeira Standard & Poor’s reviu a classificação do Outlook do rating do Metropolitano de Lisboa de estável para positivo, igualando-o ao de Portugal, alterado a 13 de setembro de 2019.

Esta alteração reflete a opinião da Standard & Poor´s de que o Metropolitano de Lisboa está integralmente vinculado com o Estado Português  e no qual desempenha um papel relevante.

O Metropolitano de Lisboa mantém a notação de ‘BBB’ mas com Outlook positivo.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 10:19
link do post | favorito

Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
TOMARENSES EM LISBOA CONFRATERNIZAM AO RITMO DO FLAMENCO

70437287_426849034856542_1307848375202217984_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 13:24
link do post | favorito

Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS FEZ DESFILAR O TRAJE TRADICIONAL EM VILA NOVA DE GAIA

XXIV Desfile Nacional do Traje Popular Português

Vila Nova de Gaia assistiu a uma grandiosa manifestação da etnografia popular portuguesa.

7E0A8815 (1).jpg

No passado dia 14 de setembro, o Cais de Gaia serviu de cenário natural a um magnifico desfile que, ultrapassando os 1400 participantes, representou os mais variados temas do trajar português.

De norte a sul do país, todas as regiões etnográficas, com exceção dos Açores, se fizeram representar resultando numa mostra de cores e expressões da mais profunda forma de ser português. 

Das comunidades portuguesas da diáspora, estiveram presentes algumas representações, destacando a Casa de Portugal em Andorra e o Rancho Folclórico e Etnográfico Alma Lusa, vindo do Brasil.

Valorizar o nosso trabalho é, também, valorizar os grupos de folclore e todo o seu esforço abnegado em torno da salvaguarda das nossas matrizes identitárias e da nossa memória coletiva.   

Esta edição contou com o alto patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Fundação Inatel e, pela primeira vez, com a presença de uma delegação do gabinete da Sra. Ministra da Cultura.

A direção da Federação do Folclore Português agradece o empenho e dedicação de todos os intervenientes. 

7E0A8817 (1).jpeg

7E0A8852 (1).jpeg

7E0A8884 (1).jpg

7E0A8902 (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 22:12
link do post | favorito

CASA DO CONCELHO DE TOMAR ORGANIZA PASSEIO TURÍSTICO TODO-O-TERRENO

70344694_2131163566987553_2833316103273316352_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 08:26
link do post | favorito

Sexta-feira, 13 de Setembro de 2019
ALFRAGIDE REALIZA FEIRA SALOIA

69975214_411757212810876_4648054985446129664_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 11:48
link do post | favorito

Quarta-feira, 11 de Setembro de 2019
ALDEIAS DE CRIANÇAS SOS CELEBRAM CONVENÇÃO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS

Aldeias de Crianças SOS celebram 30º aniversário da Convenção dos Direitos das Crianças - Lançamento da campanha “iseeyou”

Link para o vídeo: https://vimeo.com/350116960/1291ab686b

Para celebrar o 30º aniversário da Convenção dos Direitos das Crianças, as Aldeias de Crianças SOS lançam uma campanha com o objetivo de relembrar que todas as crianças precisam de atenção e não devem ser invisíveis.

A campanha foca ainda o facto de que é importante alertar a sociedade para que não feche os olhos a todas as crianças do mundo que são negligenciadas, abusadas, abandonadas ou em fuga. 

Designada #iseeyou, esta campanha digital, concebida pela agência Nemorin Film & Video, foi gravada em Londres e na Jordânia. Apresenta um conjunto de crianças amadas pelos pais, que às vezes gostavam de não ser aborrecidas, e, para contrastar, um conjunto de crianças negligenciadas, abusadas, abandonadas ou em fuga, que o que mais desejavam era sentirem-se amadas e protegidas.

A campanha, divulgada em mais de 80 países, pretende alertar e sensibilizar a população para este problema das crianças “invisíveis”, num mundo em que se estima que, uma em cada dez crianças, 220 milhões, viva sem os cuidados de uma Mãe ou de um Pai.

Para se juntar à campanha partilhe o vídeo nas redes sociais com o hashtag #iseeyou. Se quiser, poderá também fazer uma doação para as Aldeias de Crianças SOS.

As Aldeias de Crianças SOS não se conformam com esta realidade das crianças invisíveis e trabalham diariamente para que todas estas crianças contem novamente com amor e uma família.

Em Portugal, desde a sua fundação em 1964, as Aldeias de Crianças SOS já acompanharam mais de 1000 crianças e jovens através das suas três Aldeias SOS, em Cascais (Bicesse), na Guarda e em Vila Nova de Gaia (Gulpilhares), onde vivem, atualmente, cerca de 100 crianças e jovens.

SOBRE AS ALDEIAS DE CRIANÇAS SOS

A missão das Aldeias de Crianças SOS é cuidar, em família, de crianças desprotegidas, ajudando-as a moldar o seu futuro, desenvolvendo e inserindo-se de forma positiva na comunidade. A organização providencia cuidados a longo prazo a crianças que não podem estar com as suas famílias biológicas e fortalece as famílias de crianças em risco dando-lhes apoio especializado. Neste, através de uma intervenção integrada e colaborativa, são promovidas competências de cuidado parental e potenciadas dinâmicas de proteção que apoiem as famílias na missão de assegurar o bem-estar das suas crianças e jovens e evitar a retirada da criança do seu meio familiar de origem.

As Aldeias de Crianças SOS estão presentes em 136 países e apoiamos mais de 2 milhões de crianças, jovens e famílias que dão apoio a mais de 550.000 crianças e integram a ONU desde 1995, como ONG consultiva junto do Conselho Económico e Social das Nações Unidas. Foram já nomeadas para o Prémio Nobel da Paz 14 vezes.

Atualmente existem três Aldeias SOS em Portugal, situadas em Bicesse (Cascais), Gulpilhares (V.N.Gaia) e na Guarda e o Programa de Fortalecimento Familiar em Rio Maior, Guarda e Oeiras, acolhendo e acompanhando cerca de 400 crianças.

Mais informações em www.aldeias-sos.org.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 15:28
link do post | favorito

METRO REALIZA CONCURSO DE MÚSICA

Metro lança concurso de música “Uma mão cheia de bandas” para artistas amadores

Para celebração do Dia Mundial da Música, que se assinala a 1 de outubro, o Metropolitano de Lisboa lançou o concurso “Uma mão cheia de bandas”. Este concurso conta com o apoio da Popcorn - Brand Activity” e destina-se apenas a bandas amadoras, sem qualquer tipo de contrato discográfico ou agenciamento, cujos membros sejam maiores de 18 anos de idade.

O Metro, através de um júri designado composto por três elementos, vai avaliar as atuações seguindo os critérios da originalidade, qualidade artística e adequação ao espaço de difusão. Cinco bandas sairão vencedoras do concurso que tem como prémio a possibilidade de atuarem ao vivo, na cadência de uma banda por dia, na estação Cais do Sodré entre os dias 1 e 5 de outubro.

As inscrições estão disponíveis através de formulário eletrónico disponível na página do Metropolitano de Lisboa, em https://www.metrolisboa.pt/ e estarão abertas até às 23h59 de dia 22 de setembro de 2019.

Podem participar no presente concurso bandas amadoras, sem qualquer tipo de contrato discográfico ou agenciamento, cujos membros sejam maiores de 18 anos. Para efeitos de seleção, cada concorrente tem de apresentar obrigatoriamente dois temas originais, sem restrição de estilo musical. Está vedada, contudo, a participação de concorrentes que já detenham contratos discográficos ou álbuns publicados ou distribuídos por editoras discográficas, ou outras, excetuando álbuns publicados pelos próprios em edição de autor.

Inserido no plano de dinamização das estações, este projeto visa incentivar a revelação de novos talentos da música portuguesa.



publicado por Carlos Gomes às 15:25
link do post | favorito

Terça-feira, 10 de Setembro de 2019
FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS REALIZA DESFILE NACIONAL DO TRAJE EM VILA NOVA DE GAIA

A Federação do Folclore Português fará acontecer mais uma edição do Desfile Nacional do Traje Popular Português, no Cais de Gaia - Vila Nova de Gaia, no dia 14 de setembro de 2019.

70752504_1308015236046141_8769069246895357952_n.jpg

O Cais de Gaia servirá para um grandioso desfile a decorrer numa passerele com 30 metros, dando relevo e destaque a um dos elementos portugueses com maior significado.

Edição após edição, o número de participantes tem vindo a aumentar e este ano contamos com mais de 1400 folcloristas a desfilar, sendo que, serão incluindo novos quadros e algumas surpresas que até ao dia do Desfile irão sendo reveladas.

Estarão presentes todas as regiões etnográficas, com exceção dos Açores.

Das Comunidades Portuguesas da diáspora, estarão também presentes algumas representações, destacando a Casa de Portugal em Andorra e o Grupo Folclórico Alma Lusa, vindo do Brasil.

Esta edição conta com o alto patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e da Fundação Inatel e contará com a presença de uma delegação do gabinete da Sra. Ministra da Cultura.



publicado por Carlos Gomes às 16:44
link do post | favorito

METRO DE LISBOA REFORÇA POSTOS LISBOA VIVA URGENTES

Abertura de três novos postos

Procurando responder à elevada procura que se verifica por ocasião da reabertura do ano escolar e tendo em vista garantir ao cliente um serviço de qualidade no âmbito do novo tarifário, o Metropolitano de Lisboa (ML) iniciou o reforço, no dia 9 de setembro, dos postos de atendimento Lisboa Viva Urgentes.

Este reforço, visa reduzir os tempos de espera para aquisição e receção dos cartões Lisboa Viva Urgentes, melhorando o serviço prestado pelo ML aos seus clientes. Situados nas estações Entre Campos (linha amarela), São Sebastião II (linha vermelha) e Marquês de Pombal (linhas amarela e azul), estes postos manterão o mesmo horário de funcionamento que os anteriormente existentes, isto é, dias úteis das 07h45 às 19h45, não havendo limite ao número de pedidos no período da manhã.

Os pedidos efetuados a partir das 14h00 estarão, para já, limitados no período da tarde, a 200 cartões por estação, nas estações Campo Grande e Marques de Pombal, e 100 cartões por estação nas estações Entre Campos e São Sebastião, por forma a garantir o efetivo cumprimento dos prazos de entrega que é de um dia útil.

Devido à habitual grande afluência nas estações Marques de Pombal e Campo Grande, o Metro recomenda que os clientes se dirijam os postos Lisboa Viva Urgentes, situados nas estações Entre Campos e São Sebastião II.

Estes três postos temporários, em vigor até final de outubro, acrescem aos três Espaços Navegante, recentemente criados, para tratamento de assuntos relacionados com os novos passes Navegante, a funcionar entre as 07:45 às 19:30 nas estações Jardim Zoológico (linhas azul e verde), Entre Campos (linha amarela), Alameda (linhas vermelha e verde), indo assim ao encontro dos objetivos definidos pelo Metro de melhorar sustentadamente o serviço que presta aos seus clientes.

Nos habituais dez postos de venda em funcionamento, mantém-se a possibilidade de efetuar a requisição dos cartões Lisboa Viva que não sejam urgentes.

Em complemento, o Metro vai ainda simplificar a vida aos estudantes, disponibilizando na Universidade de Lisboa (cantina Velha), entre 17 e 25 de setembro, a possibilidade de realização no local, dos respetivos cartões Lisboa Viva.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 11:04
link do post | favorito

Quinta-feira, 5 de Setembro de 2019
MOVIMENTOS CÍVICOS CONTRA A EXPLORAÇÃO DO LÍTIO DESCEM À CAPITAL

69514680_10214370060596360_771992265190014976_n (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 21:01
link do post | favorito

METROPOLITANO DE LISBOA VAI PROCEDER À ADJUDICAÇÃO DA EMPREITADA PARA AMPLIAÇÃO E REMODELAÇÃO DA ESTAÇÃO DE ARROIOS

O Metropolitano de Lisboa aprovou hoje a adjudicação do concurso limitado por prévia qualificação para a celebração do contrato de execução da empreitada de Ampliação e Reformulação da Estação Arroios, da Linha Verde do Metropolitano de Lisboa, E.P.E.. A assinatura deste contrato ocorrerá, decorridos os prazos legais e tramitação subsequente, previsivelmente na semana de 09 a 13 de setembro.

A presente empreitada foi adjudicada ao Concorrente DOMINGOS DA SILVA TEIXEIRA, S.A. / EFACEC ENGENHARIA E SISTEMAS, S.A. / DTE INSTALAÇÕES ESPECIAIS S.A. / CARI CONSTRUTORES S.A. (DST-EFACEC-DTE-CARI, ACE), pelo preço contratual de € 6.670.796,97 (seis milhões seiscentos e setenta mil setecentos e noventa e seis euros e noventa e sete cêntimos), acrescido de IVA à taxa legal em vigor.

Assim que concluída esta fase de concurso, o procedimento será remetido para visto prévio do Tribunal de Contas, prevendo-se que a consignação da empreitada ocorra até final do corrente ano e que as obras tenham uma duração de 18 meses, após a data da consignação.

Os trabalhos de reabilitação da estação Arroios visam ampliar o cais da estação de 70 para 105 metros de forma a receber composições de seis carruagens, à reformulação dos átrios, incluindo a reorganização dos espaços de apoio à exploração e a introdução de elevadores para acesso a pessoas de mobilidade condicionada, garantindo assim a prestação do serviço público de transporte, nas condições de exploração e segurança para, assim, melhorar a qualidade e a velocidade de serviço na sua rede, para benefício dos mais de 600 mil clientes que diariamente utilizam o Metro de Lisboa.

Recorde-se que a obra de remodelação e ampliação da estação Arroios da linha Verde do Metropolitano de Lisboa teve início em julho de 2017, com conclusão prevista para o primeiro semestre de 2019.

Por motivos de incumprimentos contratuais do Empreiteiro e tendo em conta, igualmente, o interesse público subjacente à execução dessa empreitada, o Metropolitano de Lisboa viu-se obrigado, em janeiro do corrente ano, a rescindir o contrato respetivo, tendo o novo concurso que agora se vai adjudicar sido lançado no passado mês de fevereiro.

O Metropolitano de Lisboa continuará a desenvolver todos os esforços no sentido de garantir a conclusão das obras de ampliação e remodelação da estação de Arroios no prazo previsto.

O Metropolitano de Lisboa lamenta os incómodos que esta situação acarreta aos seus clientes e reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável como meio de transporte estruturante na cidade de Lisboa, seguindo os melhores padrões de qualidade e segurança. 


tags:

publicado por Carlos Gomes às 17:29
link do post | favorito

METRO DE LISBOA ASSINALA 37 ANOS DE VENDA AUTOMÁTICA DE BILHETES

Mais de 91% dos títulos no primeiro semestre de 2019 foram vendidos em máquinas automáticas

As primeiras máquinas de venda automática de títulos no Metropolitano de Lisboa datam de 6 de setembro de 1982, ano em que o cliente passou a dispor, em todas as estações, desses equipamentos. Eram as famosas máquinas cor de laranja que apresentavam, pela primeira vez há 37 anos, funcionalidades diversas para além da venda tradicional efetuada nas bilheteiras e que tanta curiosidade suscitaram nos clientes.

O Metropolitano continuava a crescer com o consequente aumento de passageiros e as bilheteiras, apesar de funcionarem em diversas estações, começavam a ser insuficientes face ao elevado número de passageiros e à celeridade do atendimento que se pretendia prestar.

Esta geração de máquinas só aceitava moedas e vendia os títulos metro existentes na altura: bilhetes unitários e cadernetas de 10 bilhetes. Os títulos adquiridos nestes equipamentos eram mais baratos do que os vendidos nas bilheteiras, medida que tinha como principal objetivo incentivar à utilização das novas máquinas. Estes equipamentos estiveram ao serviço até 2002, mas em 1995 outra geração de máquinas veio substituir, faseadamente, a anterior.

No final de 2001, o Metro procede à apresentação pública do novo cartão Lisboa Viva, inserido no novo sistema de bilhética e de controlo de títulos de transporte, dando início a uma gigantesca campanha de substituição dos cartões de passe tradicionais por estes novos cartões com tecnologia sem contacto. Face à entrada da nova moeda Euro em 2002, o Metropolitano inicia o processo de preparação das máquinas automáticas de venda de bilhetes para essa nova moeda.

Em 2002, e em simultâneo com a introdução do Euro, o Metro implementa um novo sistema de bilhética composto por novos canais de acesso às estações e novas máquinas de venda, que se mantêm até hoje. Este novo sistema de bilhética passa a ter por base bilhetes magnéticos para os passageiros ocasionais, e os cartões sem contacto Lisboa Viva, para os clientes frequentes, nos quais passam, gradualmente, a ser carregados eletronicamente os passes mensais. Em 2005, a vinheta do tradicional passe L (colada no cartão de suporte) é totalmente abolida e os carregamentos eletrónicos passam a ser efetuados em todas as máquinas automáticas e rede multibanco.

Refira-se que o Metropolitano de Lisboa foi pioneiro na Europa na implementação de um sistema de bilhética sem contacto.

O Metropolitano de Lisboa disponibiliza, à data de hoje, 280 máquinas de venda automática de títulos (MAVTs). Tratam-se de equipamentos mais sofisticados que dispõem, de inúmeras funcionalidades no sentido de facilitar aos clientes a aquisição de títulos de transporte. Nas MAVTs podem ser adquiridos e carregados todos os títulos válidos no Metro e noutros operadores de transporte, incluindo os passes nas diversas variantes, combinados e intermodais.

Ao contrário dos equipamentos das gerações anteriores, as MAVTs atuais dispõem de ecrã tátil e aceitam pagamentos com moedas, notas e cartões bancários. Estão adaptadas para cegos e ambliopes, nomeadamente com linguagem em braille e botão de voz para ajuda com ligação direta a funcionários do metro que se encontram habilitados a ajudar nas transações pretendidas.

Sempre com o objetivo de melhor servir o cliente através da facilitação da mobilidade e acessibilidades, o Metropolitano de Lisboa encontra-se envolvido em diversos projetos para a desmaterialização da bilhética.

Relativamente às Máquinas de Venda Automática de Títulos, prevê-se a criação de modelos simples e abrangentes ao conjunto dos utilizadores com recurso a novas facilidades como seja pagamentos via cartões com contactless MB, a implementação de faturas eletrónicas, a emissão de faturas certificadas nos equipamentos de venda e a consequente integração com a Autoridade Tributária.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:02
link do post | favorito

Sexta-feira, 30 de Agosto de 2019
PAN APRESENTA PROGRAMA ELEITORAL PARA LEGISLATIVAS 2019
  • Mais de mil propostas sob o mote “Da Indiferença à Emergência - Ainda Vamos a Tempo”
  • Documento tem em vista o ano de 2030, apontado pelos cientistas climáticos como o ponto de não retorno
  • Prioriza a dignidade da pessoa humana e as respostas que se exigem à sua realização e autodeterminação
  • Aposta firme na Educação e na Cultura enquanto ferramentas centrais na construção de uma sociedade mais empática e consciente
  • Sustentabilidade, acessibilidade e justiça intergeracional em áreas como a Saúde, a Habitação, o Emprego ou a Justiça
  • Campanha de baixo carbono

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza apresentou hoje o seu Programa Eleitoral às Eleições Legislativas de 2019. O documento está organizado em treze  capítulos: 1) Crise Climática, Justiça Ecológica, Transição Económica; 2) Educação, Ensino Superior e Investigação; 3) Cultura, Artes e Património; 4) Igualdade, Inclusão, Respostas Sociais; 5) Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal; 6) Preparar o futuro das novas gerações; 7) Prevenção da Doença e Promoção da Saúde; 8) Habitação Digna e Acessível; 9) Direitos Laborais e Mais Tempo para Viver; 10) Justiça, Transparência e Combate à Corrupção; 11) Democracia, Cidadania e Organização do Estado; 12) Direitos Digitais; 13) Portugal e o Mundo.

O programa apresentado reflete a magnitude do desafio que a humanidade tem pela frente, mas também a confiança necessária para o encarar. Mas, mais importante, aponta um caminho que, podendo não ser o mais popular, é o necessário. É um documento que tem em vista o ano de 2030, data apontada pelos cientistas climáticos como o ponto de não retorno. Um programa que não se esgota na emergência climática e que prioriza a dignidade da pessoa humana e as respostas que se exigem à sua realização e autodeterminação; que faz uma aposta firme no empoderamento das pessoas através da Educação e da Cultura enquanto ferramentas centrais na construção de uma sociedade mais empática e consciente; que dignifica e protege todos, do indivíduo aos ecossistemas, com políticas responsáveis para a sustentabilidade, a acessibilidade e de justiça intergeracional em áreas tão importantes como a Saúde, a Habitação, o Emprego ou a Justiça.

Do documento que pode ser consultado AQUI o PAN destaca as seguintes medidas:

 Crise Climática, Justiça Ecológica, Transição Económica

  • Aprovar a Lei do Clima
  • Dignificar a relevância do Ministro do Ambiente na hierarquia do Estado (atualmente antepenúltimo na Lei Orgânica do Governo)
  • Pugnar pela introdução do crime de Ecocídio no elenco dos crimes para os quais o Tribunal Penal Internacional tem competência de intervenção
  • Excluir considerações de cariz económico das Avaliações de Impacto Ambiental
  • Não autorizar a exploração de petróleo e encerrar as centrais de carvão até 2023
  • Democratizar a energia, descentralizando a sua produção, baseada no autoconsumo partilhado
  • Criar o Plano Ferroviário 2035 que ligue todas as capitais de distrito
  • Suspender a construção do aeroporto do Montijo até que seja assegurada a elaboração da Avaliação Ambiental Estratégica
  • Criar polo para as tecnologias de hidrogénio
  • Aumentar as Taxas de Gestão de Resíduos encaminhados para aterro ou incineração
  • Apostar no ecodesigndas embalagens
  • Benefícios fiscais para empresas que previnam o desperdício alimentar
  • Incentivos financeiros, fiscais e sociais a quem pretenda instalar-se como agricultor biológico
  • Deduções em sede de IRS para quem compra biológico
  • Estender a Taxa de Carbono à produção de carne
  • “Deseucaliptar” Portugal

Educação, Ensino Superior e Investigação

  • Apoiar a inovação educacional: filosofia para crianças, educação emocional, mindfulness e aprendizagem a partir da natureza
  • Criar equipa multidisciplinar para a revisão dos programas escolares com vista à redução de conteúdos
  • Acesso ao ensino superior não ser apenas aferido pelos exames nacionais
  • Reconhecer o estatuto de profissão de desgaste rápido para os docentes

Cultura, Artes e Património

  • Reforço do orçamento da Cultura em 235M€ através do adicional da receita proveniente da alteração do IVA aplicável ao setor hoteleiro (6% para 13%)
  • Devolver património cultural das ex-colónias existente em Portugal, após levantamento por uma comissão técnica, assegurando-se assim a reposição de justiça histórica e que está já a ser levada a cabo em alguns países europeus, onde estão a ser restituídas algumas peças do património cultural das ex-colónias que integravam as coleções públicas desses países

Igualdade, Inclusão, Respostas Sociais

  • Criar a Secretaria de Estado para a Terceira Idade
  • Lei-quadro para a Inclusão (combate ao conjunto das discriminações)
  • Estatuto de vítima para crianças que testemunhem situações de violência doméstica
  • Licença de 10 dias pagos para vítimas de violência doméstica ou abuso sexual para procura de soluções de alojamento seguro ou desenvolver estratégias para lidar com o sucedido
  • Criar a Carreira de Mediador Comunitário e Intercultural
  • Assegurar que os noticiários dos canais generalistas são acessíveis a surdos com intérprete LGP
  • Alojamento de emergência para pessoas em situação de sem-abrigo em todos os distritos
  • Combate ao Tráfico de Seres Humanos através do reforço do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF)

Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal

  • Rede médico-veterinária de apoio às famílias carenciadas e às associações que tenham a seu cargo animais acolhidos
  • IVA reduzido na alimentação dos animais de companhia
  • Criar a Secretaria de Estado para a Proteção e Bem-Estar Animal
  • Equipas de resgate animal na Proteção Civil
  • Abolição da tauromaquia

Preparar o futuro das novas gerações - Justiça Intergeracional

  • Rever as regras de atualização das pensões em pagamento através da criação de um novo escalão (entre 2 e 3 IAS) onde seja garantida a não diminuição do valor real da pensão em conjunturas de menor crescimento económico protegendo assim as pensões mais baixas de um escalão mais baixo
  • Atrair migrantes qualificados e qualificar migrantes
  • Reforçar os benefícios fiscais em sede de IRS a pequenos aforradores

Prevenção da Doença e Promoção da Saúde

  • Regime de exclusividade dos médicos no SNS
  • Atribuir nutricionistas no SNS a crianças com excesso de peso
  • Apoio psicológico para os profissionais das forças de segurança
  • Possibilidade de licença para as mulheres grávidas a partir da 32.ª semana (para preparar o parto e as novas dinâmicas familiares)
  • Interditar os açucares adicionados em todos os alimentos para bebés
  • Incentivos fiscais à indústria alimentar para estimular o desenvolvimento de alternativas proteicas de base vegetal
  • Despenalização da Morte Medicamente Assistida

Habitação

  • Reforçar o investimento na construção de habitação pública para arrendamento acessível
  • Aumentar a verba do OE para arrendamento jovem

Direitos Laborais e Mais Tempo para Viver

  • Uniformizar 35 horas semanais e 25 de férias para os trabalhadores da administração pública e do setor privado
  • Reforçar os direitos de quem trabalha por turnos e desenvolve trabalho noturno (mais tempo de descanso e maior compensação salarial)
  • Campanhas de prevenção do burnout
  • Igualar a licença parental para ambos os progenitores

Justiça, Transparência e Combate à Corrupção

  • Implementar um modelo progressivo para as taxas de Justiça
  • Rever todas as cláusulas potencialmente abusivas das atuais parcerias público-privadas (PPP)
  • Tribunais especializados em crimes de corrupção e de violência doméstica

Democracia, Cidadania e Organização do Estado

  • Regime de exclusividade para os deputados
  • Direito de voto aos 16 anos
  • Nomeação do Procurador-Geral da República por proposta da AR (em vez do Governo)
  • Reduzir o número mínimo de subscritores das Iniciativas Legislativas de Cidadãos
  • Reforçar a independência da CReSAP

Direitos Digitais

  • Criar um portal que permita a consulta de dados pessoais recolhidos a fim de garantir maior proteção
  • Promover a neutralidade da internet proibindo as ofertas de zero-rating

Portugal e o Mundo

  • Defender a saída da Guiné Equatorial da CPLP caso não seja efetivado o fim da pena de morte naquele país
  • Garantir que a Presidência Portuguesa do Conselho priorize, através do seu programa provisório, a transição ecológica na Europa
  •     Garantir um papel preponderante de Portugal no Conselho Europeu e reforçar a influência da União Europeia na concretização de metas comuns mais ambiciosas para uma transição social e económica que priorize o combate às alterações climáticas, a preservação da biodiversidade, a defesa do Estado de Direito e dos Direitos Humanos.

Na rua, o PAN fará uma Campanha Eleitoral de Baixo Carbono elegendo como primeiro recurso de mobilidade das equipas os transportes públicos, nomeadamente a ferrovia, ou os transportes de emissões reduzidas, sempre que não for possível a primeira opção. Uma campanha que se pretende sóbria, sem excessos e com reduzida pegada carbónica, o partido não distribuirá quaisquer brindes, os folhetos serão impressos em papel reciclado com recurso a tintas ecológicas e as refeições serão isentas de produtos de origem animal.  Serão realizadas ações de limpeza e de compensação da pegada ecológica durante a campanha.

O PAN aposta numa campanha eleitoral construtiva, informativa e de muita proximidade, com forte empenho no esclarecimento dos eleitores, através do digital e com espaços de Perguntas e Respostas protagonizadas por André Silva em todos os distritos.



publicado por Carlos Gomes às 13:23
link do post | favorito

Quarta-feira, 28 de Agosto de 2019
METRO DE LISBOA COMEMORA DEZ ANOS DO TROÇO ALAMEDA / S. SEBASTIÃO

117 Milhões de passageiros utilizaram essas estações

O Metropolitano de Lisboa assinala amanhã, dia 29 de agosto, o décimo aniversário da entrada em exploração do troço da linha Vermelha que liga Alameda a S. Sebastião, que permitiu a remodelação das estações Saldanha (Linha Amarela) e S. Sebastião (Linha Azul) e a inauguração das novas estações, Saldanha II e S. Sebastião II.

Este prolongamento permitiu, pela primeira vez, interligar a linha Vermelha às restantes 3 linhas - Verde, Azul e Amarela através de uma conexão transversal a meio da sua extensão - criando uma rede de metro estruturante.

Ao ter proporcionado uma ligação direta entre a estação Oriente/S. Sebastião (à data de 2009) alargou a sua área de influência e reforçou a mobilidade urbana.

Apostando numa política de mobilidade sustentável, a criação deste prolongamento proporcionou ganhos de comodidade para os passageiros, expressos na redução do número de transbordos e na redução dos tempos de viagem. Nos trajetos S. Sebastião/Saldanha/Alameda os tempos de viagem foram reduzidos para cerca de 1 minuto entre estações e sem necessidade de transbordo entre linhas, face aos anteriores 10 a 20 minutos, incluindo o tempo de transbordo nas estações Marquês de Pombal ou Baixa-Chiado.

Este prolongamento tem vindo a ter uma importância crescente para a diminuição da utilização do transporte individual e a consequente diminuição de gases poluentes emitidos para a atmosfera no eixo central da cidade de Lisboa, como demonstram os 4,9 milhões de clientes que utilizaram as duas novas estações deste prolongamento (Saldanha 2 e São Sebastião 2), no primeiro semestre de 2019.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:53
link do post | favorito

Domingo, 25 de Agosto de 2019
ARGANILENSES EM LISBOA REALIZAM FESTIVAL DE FOLCLORE

Mais um ano a história repete-se: o Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa associa-se à Junta de Freguesia de S. Vicente para organizar a 20ª edição do seu Festival de Folclore, que se irá realizar no recém-reordenado Largo da Graça.

Cartazribcelav.png

O “Usos e Costumes em Lisboa” será realizado no dia 15 de Setembro e promete ser mais uma jornada etnográfica de excelência, com a participação de grupos de folclore cuja representação dos tempos idos é da mais digna supremacia.

O evento terá o seguinte horário:

. 11h30m - Arruada pelo Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa, nos principais pontos turísticos da freguesia

. 15h00m - Desfile dos grupos pelas ruas da freguesia

. 15h30m - Chegada dos ranchos ao Largo da Graça

. 16h00m - Atuação dos grupos de folclore:
                    1. Rancho Folclórico da Trofa
                        Douro Litoral Norte
                    2. Rancho Folclórico e Etnográfico de Cernache do Bonjardim
                        Beira Baixa
                    3. Grupo Folclórico de Crastovães
                        Beira Litoral Vouga
                    4. Rancho Folclórico de Alcanhões
                        Ribatejo Bairro
                    5. Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa
                        Beira Litoral Serra

Acrescentamos ainda que haverá bar aberto, venda de enchidos e outros produtos regionais, artesanato, doçaria típica (como coscorões) e ainda PORCO NO ESPETO!

Deste modo singelo convidamos todos os sócios, amigos, conterrâneos e conhecidos a estarem presentes nesta festividade para deste modo engrandecê-la e fazer parte dela; só com a união e colaboração de todos é que o movimento folclórico ganha força para continuar vivo! Venha conviver, divertir-se a conhecer um pouco mais das tradições deste belo país "à beira-mar plantado".



publicado por Carlos Gomes às 10:59
link do post | favorito

Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
PAN INSTA GOVERNO A INTERVIR NA CALAMIDADE QUE AFECTA A AMAZÓNIA

Carta aberta do PAN insta Marcelo e Costa a intervir na calamidade que afeta a Amazónia

Garantir a rápida e urgente elaboração de um roteiro internacional para a regeneração da floresta Amazónica

Garantir que na próxima reunião do Conselho Europeu, se inclua na ordem de trabalhos o congelamento da implementação do Acordo Transnacional da União Europeia com o Mercosul

Apresentar uma queixa no Tribunal Internacional de Justiça caso não se verifique nenhum compromisso tangível por parte do Brasil, do Paraguai e da Bolívia

Embaixadores do Brasil, do Paraguai e da Bolívia em Portugal devem ser convocados com carácter de urgência

Destruição da Amazónia, perseguição de ativistas e desrespeito pelos povos indígenas devem ser temas prioritários na agenda da visita oficial de Jair Bolsonaro a Portugal, agendada para o início de 2020

O PAN, Pessoas – Animais – Natureza, enviou hoje duas cartas abertas, uma ao Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e outra ao Primeiro-Ministro António Costa, que defendem a intervenção e posicionamento inequívocos de Portugal na calamidade que afeta a floresta Amazónica e as comunidades indígenas, comprometendo as metas climáticas do acordo de Paris.

“Como cidadãos e como nação, não podemos ficar indiferentes à destruição acelerada da floresta Amazónica, à perseguição das comunidades indígenas, à usurpação de terras ancestrais e à morte de milhares de espécies vegetais e animais nesta região equatorial, pelo que o Governo português deve utilizar todas as ferramentas e mecanismos disponíveis a nível diplomático, económico, financeiro e mesmo legais para travar as causas da expansão de buracos no ozono e intervir na proteção e regeneração da floresta Amazónica”, pode ler-se nos documentos assinados pelo Eurodeputado do PAN, Francisco Guerreiro.

https://pan.com.pt/carta-aberta-ao-presidente-da-republica-solicitando-a-intervencao-de-portugal-na-defesa-da-floresta-amazonia/

https://pan.com.pt/carta-aberta-ao-primeiro-ministro-solicitando-a-intervencao-de-portugal-na-defesa-da-floresta-amazonia/

Os documentos instam por um lado o Presidente da República a:

a) Esclarecer, junto dos representantes diplomáticos, qual a posição oficial da República Federal Brasileira relativamente ao cumprimento do Acordo de Paris e ao princípio do desmatamento zero;

b) Garantir que na próxima visita oficial do Presidente Brasileiro Jair Bolsonaro a Portugal, agendada para o início de 2020, os tópicos do desmatamento, da destruição da biodiversidade e da selva amazónica, da perseguição a ativistas ambientais, tal como a tentativa de usurpação de terras demarcadas indígenas, sejam prioritários na agenda bilateral;

c) Solicitar junto do Secretário-Geral da ONU, António Guterres, os meios científicos, diplomáticos e financeiros que garantam a rápida e urgente elaboração de um roteiro internacional para a regeneração da floresta Amazónica e que proactivamente incluam o Brasil, o Peru, a Colômbia, a Venezuela, o Equador, a Bolívia, a Guiana, o Suriname e a Guiana Francesa no centro deste roteiro;

d) Garantir junto das instituições Europeias e dos países da CPLP o apoio a este roteiro internacional.

E, por outro lado, o Primeiro-Ministro a:

a) Convocar, com carácter de urgência, os embaixadores do Brasil, do Paraguai e da Bolívia em Portugal para tomar conhecimento e discutir as ações que estão a ser tomadas pelos seus governos em relação aos atuais incêndios, ao desmatamento decorrente e à destruição generalizada da floresta Amazónica;

b) Garantir que na próxima reunião do Conselho Europeu, a 10 e 11 de Outubro, se inclua na ordem de trabalhos o congelamento, por tempo indeterminado, da implementação do Acordo Transnacional da União Europeia com o Mercosul;

c) Reforçar os esforços diplomáticos bilaterais entre o Brasil, o Peru, a Colômbia, a Venezuela, o Equador, a Bolívia, a Guiana, o Suriname e a Guiana Francesa para garantir os compromissos climáticos vinculados pelo Acordo de Paris e o princípio do desmatamento zero na Amazónia;

d) Propor a possibilidade de alargar a intervenção do Fundo Mundial do Ambiente (Global Environment Facility) à proteção de áreas de especial interesse ambiental, como a floresta Amazónia, como meio de compensação dos países pela sua não desmatação;

e) Apresentar uma queixa no Tribunal Internacional de Justiça caso não se verifique nenhum compromisso tangível e substancial pela República Federal do Brasil, pela República do Paraguai e pelo Estado Plurinacional da Bolívia para travar o desmatamento na floresta Amazónica, para combater os incêndios florestais e para assegurar a demarcação de terras indígenas;

f) Priorizar a proteção, conservação e regeneração da floresta Amazónica nas próximas reuniões da CPLP.

“Temos de agir como nação para proteger um dos pulmões mais importantes do planeta. A nossa própria sobrevivência está em jogo. Haja coragem e ação política e ainda vamos a tempo de regenerar a floresta da Amazónia”, reforça o Eurodeputado, Francisco Guerreiro.  



publicado por Carlos Gomes às 14:41
link do post | favorito

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2019
PAN CONTESTA ENCONTRO EM LISBOA DE ORGANIZAÇÕES DA EXTREMA-DIREITA

PAN repudia conferência de organizações de extrema-direita em Lisboa

No seguimento do anúncio de que Lisboa receberá, este sábado, uma conferência de organizações de extrema-direita da Europa, o PAN vem por este meio mostrar o seu repúdio pelo evento e reafirmar a rejeição de todo e qualquer tipo de discriminação e intolerância.

Nos estatutos do PAN é evidenciado o objetivo de "erradicar todas as formas de discriminação humana" e a História, que recusamos esquecer, mostrou-nos as graves consequências de enormes proporções que a apatia ou a indiferença relativamente a esse tipo de ameaças e posicionamentos ideológicos podem ter.

Mais informamos que continuaremos a trabalhar por uma sociedade que pugne pela garantia e proteção dos direitos humanos de todas as pessoas, independentemente da "ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual", como estabelece o 13.º artigo da Constituição da República Portuguesa, e que reforçaremos o nosso diálogo com as associações e coletivos da sociedade civil que, diariamente, trabalham neste sentido.



publicado por Carlos Gomes às 16:19
link do post | favorito

PAN ENTREGA LISTA DE CANDIDATURA DO CÍRCULO DE LISBOA ÀS LEGISLATIVAS 2019 NO PALÁCIO DA JUSTIÇA

Entrega da Lista do Círculo de Lisboa - Quarta-Feira, 14 de agosto, 09h30

O cabeça de lista do PAN – Pessoas-Animais-Natureza – às Eleições Legislativas 2019 pelo círculo de Lisboa, André Silva, e Inês de Sousa Real, deputada municipal em Lisboa e número 2 da lista, entregam na próxima quarta-feira, dia 14 de agosto, pelas 09h30, a sua Lista de Candidatura no Palácio da Justiça (Rua Marquês de Fronteira, Lisboa), acompanhados dos restantes elementos da lista.

Nesta legislatura, o PAN conseguiu afirmar-se pelos valores que defende e por ter contribuído significativamente para avanços legislativos em áreas que até agora pouco ou nada tinham sito trazidas a debate. O nosso objetivo é garantir a eleição de um grupo parlamentar e reforçar, assim, o trabalho que desenvolvemos nestes 4 anos", reforça André Silva, deputado do PAN na Assembleia da República e cabeça de lista pelo círculo de Lisboa às Eleições Legislativas de 6 de outubro.

O programa eleitoral, o calendário e ações de campanha do PAN serão divulgados no final do mês de agosto. Depois de ter estado aberto à participação pública, o programa do partido focará áreas determinantes no contexto político e social nacional, como o combate à corrupção, o ambiente, a agricultura, a saúde ou a proteção animal.

  • O PAN propõe, no quadro de uma proposta de revisão constitucional, a criação de um tribunal com competência exclusiva para o julgamento de crimes de corrupção, a par do significativo reforço dos meios técnicos e humanos na área da justiça;
  • A área ambiental será uma das prioridades do PAN. O partido pretende criar um Seguro Público afeto a um superfundo ambiental para efeitos de remediação dos danos ambientais e proteção social dos trabalhadores (em caso de necessidade de suspensão de atividade de uma empresa reiteradamente poluidora, assegura-se assim a proteção dos direitos destes trabalhadores);
  • O modo atual de produção de alimentos é insustentável, para além de introduzir agrotóxicos na cadeia alimentar. A Agricultura Biológica tem um papel fundamental no abastecimento alimentar seguro e sustentável, inclusivamente como mitigadora das alterações climáticas, promovendo a biodiversidade, utilizando de forma mais responsável recursos escassos como o solo, água ou energia, pelo que o programa do PAN apostará em corrigir as distorções de mercado que se verificam, nomeadamente o preço final ao consumidor, através de políticas fiscais que beneficiem modos de produção de alimentos mais sustentáveis e saudáveis como é o caso da Agricultura Biológica;
  • O envelhecimento da população e o aumento das doenças crónicas não transmissíveis estão a exercer uma forte pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS), com enormes dificuldades de resposta pela escassez de recursos. O PAN acredita que a sustentabilidade do SNS passa, também e obrigatoriamente, pela implementação de políticas de prevenção da doença e de promoção da saúde e vida saudável. Estas têm assumido um caráter preocupantemente secundário, consequência da concentração quase exclusiva de todos os meios e recursos no tratamento da doença. A prevenção representa apenas 1% do Orçamento para a Saúde, o que é manifestamente insuficiente. O PAN quer ainda reconhecer e regulamentar as carreiras de nutricionista e de psicólogo e garantir a presença destes profissionais nas escolas, hospitais e centros de saúde;
  • Implementação de um sistema público médico-veterinário de apoio às famílias carenciadas e aos movimentos associativos que tenham a seu cargo animais errantes ou abandonados.

Lista das primeiras candidatas e candidatos pelo círculo de Lisboa

  1. André Silva, 43 anos, Deputado do PAN na Assembleia da República eleito em 2015
  2. Inês de Sousa Real, 38 anos, jurista e deputada na Assembleia Municipal de Lisboa
  3. Nelson Silva, 34 anos, programador informático e deputado na Assembleia Municipal de Odivelas
  4. Sandra Marques, 35 anos, Mestre em Arqueologia
  5. Pedro Silva, 51 anos, assistente de design gráfico. Se for eleito, será o primeiro deputado surdo da Assembleia da República


publicado por Carlos Gomes às 10:43
link do post | favorito

Quarta-feira, 7 de Agosto de 2019
ESTAÇÃO BAIXA-CHIADO CELEBRA 21 ANOS

Dia 8 de agosto

A estação Baixa-Chiado é uma estação dupla, tendo aberto a exploração da linha Verde em abril de 1998. A linha Azul na referida estação tem a sua abertura à exploração no dia 8 de agosto de 1998, permitindo, deste modo, a interligação naquela estação das linhas Azul e Verde.

BC_063.jpg

Com a inauguração da linha Azul na estação Baixa-Chiado, que se veio juntar à linha Verde na mesma estação, o Metropolitano de Lisboa reforçou o seu papel enquanto modo de transporte estruturante e garante da mobilidade e da intermodalidade urbana, suburbana, nacional e internacional, consolidando e reforçando a sua configuração de rede, em detrimento de uma estrutura baseada em simples ligações radiais.

A estação Baixa-Chiado movimentou, nos últimos dois anos, uma média anual de cerca de 13,6 milhões passageiros (entradas + saídas), tendo-se verificado, no primeiro semestre de 2019, um movimento de 6.749.830 passageiros.

Localizada a cerca de 45 metros da superfície, com obra arquitetónica da responsabilidade do arquiteto Álvaro Siza Vieira, conta com intervenções plásticas do pintor Ângelo de Sousa.

Para quem gosta de arquitetura, propomos uma ida à Baixa-Chiado para conhecer outra obra da autoria de Siza Vieira. Até ao dia 31 de agosto está patente nesta estação a exposição dedicada ao “Prémio de Arquitetura do Douro”, da responsabilidade da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), e que destaca os prémios atribuídos nos últimos 10 anos.

Sobre o referido prémio: Concurso bienal, lançado por ocasião das comemorações dos 250 anos da Região Demarcada do Douro (RDD) que procura distinguir e promover boas práticas do exercício da arquitetura realizadas na região após a inscrição do Alto Douro Vinhateiro na Lista do Património Mundial da UNESCO (14 de Dezembro de 2001). O galardão é atribuído por um júri composto por representantes da Direção Regional da Cultura do Norte (DRC-N), da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte e da Ordem dos Arquitetos – Secção, bem como do vencedor da edição anterior Regional do Norte (OA-SRN).

Expo_Premio_Arq_Douro_004.jpg


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:43
link do post | favorito

Quinta-feira, 25 de Julho de 2019
COMUNIDADE ROMENA DA REGIÃO DE LISBOA ESTÁ EM FESTA!

67267534_326082641603822_6073816039878033408_n.jpg



publicado por Carlos Gomes às 16:32
link do post | favorito

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO E DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO CONTRARIA TESTES DE PRECISÃO DA TEORIA DE EINSTEIN

A recente imagem de um buraco negro confirma, com precisão, a teoria de Einstein? Estudo diz que não

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) e do Instituto Superior Técnico diz que a primeira imagem de um buraco negro, contrariamente ao que foi publicitado, não é suficiente para confirmar, com precisão, a teoria da relatividade de Einstein.

Os autores do estudo Eugen Radu, Pedro Cunha e Carlos Herdeiro (1).jpg

Em abril de 2019 foi anunciada a primeira imagem de um buraco negro. A sua fronteira virtual, chamada horizonte de eventos, não se vê, pois aprisiona a luz. Pode apenas visualizar-se a silhueta da zona de atracão fatal para a luz, chamada de "sombra" do buraco negro.

A equipa internacional que obteve este resultado, chamada Event Horizon Telescope (EHT), anunciou-o como confirmando a teoria da relatividade geral de Einstein. Esta teoria prevê a existência de buracos negros e, de acordo com o EHT, a sombra do buraco negro observado na longínqua galáxia M87 está de acordo com o previsto pela teoria de Einstein, dentro do erro observacional.

O recente trabalho dos investigadores Pedro Cunha e Eugen Radu, do Centro de Investigação e Desenvolvimento em Matemática e Aplicações (CIDMA) e do Departamento de Física da UA, e Carlos Herdeiro do Centro Multidisciplinar de Astrofísica (CENTRA) e Departamento de Física do Instituto Superior Técnico, publicado este mês de julho na prestigiada Physical Review Letters e com honras de aparecer na capa, mostra, no entanto, que a interpretação do EHT tem de ser feita com cuidado.

Ao estudar buracos negros diferentes daqueles que surgem na teoria de Einstein, os investigadores mostraram que a sombra destes é muito sensível à maneira como o buraco negro roda.

Se o buraco negro rodar lentamente, a sombra poderá ser muito diferente. Mas se o buraco negro rodar rapidamente será praticamente idêntica ao que acontece na teoria de Einstein. Neste caso, as observações do EHT não conseguem eliminar o modelo alternativo.

Este resultado mostra como a primeira imagem de um buraco negro, apesar de ser um fantástico sucesso científico, ainda está longe de poder ser usada para testes de precisão da teoria de Einstein.

buracos negros (1).jpg



publicado por Carlos Gomes às 15:31
link do post | favorito

ALFRAGIDE REALIZA FESTIVAL DE FOLCLORE

Cartaz-XXI-Festival-de-Alfragide-2019.png (1).png



publicado por Carlos Gomes às 11:01
link do post | favorito

Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
PAN ANUNCIA CABEÇAS DE LISTA PARA AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS

O PAN, Pessoas – Animais – Natureza, anunciou hoje em conferência de imprensa os seus cabeças de lista para as Eleições Legislativas do próximo dia 6 de outubro. O principal objetivo eleitoral passa por garantir a eleição de um grupo parlamentar para reforçar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na defesa das causas que o partido defende.

As listas do PAN são constituídas por 129 homens e 164 mulheres, entre os 20 e os 67 anos, integrando profissionais das mais diversas áreas, nomeadamente justiça, ambiente, ensino, economia e gestão, saúde ou proteção animal.

André Silva, atual deputado do PAN, será o cabeça de lista por Lisboa, seguido de Inês de Sousa Real, jurista, com 38 anos, e Nelson Silva, programador informático, com 34 anos, eleitos municipais em Lisboa e Odivelas respetivamente. Fecham a lista de Lisboa os seguintes candidatos: Sandra Cóias, atriz, João Paulo Oliveira e Costa, Professor Catedrático e Diretor do Centro de História d'Aquém e d'Além-Mar (CHAM) e Manuela Gonzaga, escritora. Bebiana Cunha, psicóloga, com 33 anos, eleita municipal no concelho do Porto é cabeça de lista pelo distrito, seguida de Jorge Ribeiro, Engenheiro Eletrotécnico, com 39 anos e de Anabela Castro, psicóloga, com 49 anos. Cristina Rodrigues, advogada, com 33 anos, será cabeça de lista por Setúbal seguida de Artur Alfama, consultor financeiro com 42 anos e de Suzel Costa, especialista superior de Medicina Legal, com 52 anos.

Os perfis biográficos de todos os cabeças de lista, de todos os distritos, e respetivas fotos podem ser consultados aqui:

 https://app.box.com/s/9dd4hg9qpafbglqsfjn3i82vtng89z7k

O programa eleitoral, o calendário e ações de campanha serão divulgados no final do mês de agosto. Depois de ter estado aberto à participação pública o programa focará áreas determinantes no contexto político e social nacional, como serão as áreas do combate à corrupção, ambiente, agricultura, saúde ou proteção animal. A título de exemplo:

- O PAN propõe, no quadro de uma proposta de revisão constitucional, a criação de um tribunal com competência exclusiva para o julgamento de crimes de corrupção, a par do significativo reforço dos meios técnicos e humanos na área da justiça;

- A área ambiental será uma das prioridades do PAN pretendendo-se a concretização de uma efetiva justiça ambiental, com a aplicação de várias medidas como a criação de secções especializadas em matéria ambiental nos DIAP (Divisões de Investigação e Ação Penal) e a introdução dos crimes contra a natureza no elenco do DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação Penal). O PAN pretende ainda criar um Seguro Público afeto a um superfundo ambiental para efeitos de remediação dos danos ambientais e proteção social dos trabalhadores (em caso de necessidade de suspensão de atividade de uma empresa reiteradamente poluidora, assegurar a proteção dos direitos destes trabalhadores);

- O modo atual de produção de alimentos é insustentável, para além de introduzir agrotóxicos na cadeira alimentar. A Agricultura Biológica tem um papel fundamental no abastecimento alimentar seguro e sustentável, inclusivamente como mitigadora das alterações climáticas, promovendo a biodiversidade, utilizando de forma mais responsável recursos escassos como o solo, água ou energia, pelo que o programa do PAN apostará em corrigir as distorções de mercado que se verificam, nomeadamente o preço final ao consumidor, através de políticas fiscais que beneficiem modos de produção de alimentos mais sustentáveis e saudáveis como é o caso da Agricultura Biológica;

- O envelhecimento da população e o aumento das doenças crónicas  não transmissíveis estão a exercer uma forte pressão sobre o SNS com enormes dificuldades de resposta pela escassez de recursos. O PAN acredita que a sustentabilidade do SNS passa, também e obrigatoriamente, pela implementação de políticas de prevenção da doença e de promoção da saúde e vida saudável. Estas têm assumido um caráter preocupantemente secundário, consequência da concentração quase exclusiva de todos os meios e recursos no tratamento da doença. A prevenção representa apenas 1% do Orçamento para a Saúde, o que é manifestamente insuficiente. O PAN quer ainda reconhecer e regulamentar as carreiras de nutricionista e de psicólogo e garantir a presença destes profissionais nas escolas, hospitais e centros de saúde;

- Implementação de um sistema público médico-veterinário de apoio às famílias carenciadas e aos movimentos associativos que tenham a seu cargo animais errantes ou abandonados. Este sistema vai concretizar-se através da criação de hospitais públicos nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e nas comunidades intermunicipais, depois de ser feito o levantamento das necessidades em cada área, para adaptar as infraestruturas em função da densidade populacional e das necessidades reais da população.



publicado por Carlos Gomes às 13:56
link do post | favorito

METRO DE LISBOA PROMOVE CAMPANHA PARA ABOLIÇÃO DE PLÁSTICOS

Distribuição aos trabalhadores de garrafas de água reutilizáveis e recicláveis

O Metropolitano de Lisboa promove uma campanha com vista a abolir o uso de plásticos, distribuindo aos seus trabalhadores garrafas de água reutilizáveis e recicláveis, dando, assim, a conhecer, alternativas que permitam melhorar o meio ambiente.

Trata-se de uma medida assumida em conformidade com todo o setor empresarial do estado que visa o compromisso da eliminação do uso de plástico descartável, onde se inserem as garrafas de água.

Neste contexto, e após a substituição, em fevereiro do corrente ano do uso de plástico descartável no refeitório e bares da empresa por garrafas de vidro reutilizáveis e copos de papel recicláveis para o café, o que permitiu ao Metropolitano de Lisboa, desde então, o envio para o lixo de menos 30.000 garrafas de plástico.

Em junho, foram, ainda, instalados bebedouros em vários locais da empresa, por forma a dar aos colaboradores uma alternativa de qualidade ao consumo de água engarrafada.

Esta campanha prevê, ainda, a distribuição a cada colaborador, no decurso da corrente semana, de uma garrafa produzida em PET que não contém Ftalatos nem Bisfenol-A,  rigorosamente testada de acordo com as normas europeias e com um consumo otimizado de material e energia.

O uso destas garrafas que poderão ser enchidas vezes sem conta, simbolizam o compromisso de cada colaborador para com um comportamento mais sustentável.

O Metropolitano de Lisboa prossegue com a sua política de sustentabilidade ambiental, contribuindo, de uma forma positiva, para um planeta mais verde e, consequentemente, para o bem-estar da comunidade diretamente envolvente, melhorando a mobilidade e promovendo estilos de vida saudáveis.



publicado por Carlos Gomes às 10:13
link do post | favorito

Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
PAN FAZ BALANÇO DA LEGISLATURA

Balanço da legislatura PAN em números

  • 343 Iniciativas legislativas apresentadas
  • Um quarto dos projetos de lei aprovados
  • Metade dos projetos de resolução aprovados
  • 233 Propostas de alteração aos Orçamentos do Estado
  • Uma em cada dez propostas de alteração ao(s) OE(s) aprovada
  • Metade das propostas de alteração ao(s) OE(s) aprovadas nas áreas da Saúde, Alimentação, Ambiente, Agricultura/Florestas e Proteção Animal
  • 43% das 1281 perguntas/requerimentos ao Governo por responder
  • 66 questões colocadas nos debates com o Primeiro-Ministro, 60% das quais sobre temas de ambiente, agricultura ou floresta
  • PAN absteve-se em 13% das votações

No final da XIII Legislatura, a primeira do PAN, Pessoas – Animais – Natureza, é o momento de sistematizar os aspetos mais relevantes da atividade legislativa do partido dos últimos quatro anos.

O PAN apresentou 343 iniciativas legislativas, 174 projetos de lei e 169 projetos de resolução. Conseguiu aprovar um quarto dos projetos de lei e metade dos projetos de resolução. Das 233 propostas de alteração aos Orçamentos do Estado, foi possível aprovar uma em cada dez, principalmente nas áreas da Saúde, Alimentação, Ambiente e Agricultura/Florestas e Proteção Animal. O partido efetuou 1281 perguntas e requerimentos ao Governo, sendo que 735 tiveram resposta e 546  (43%) continuam por responder. Ao longo de quatro anos de debates com o Primeiro-Ministro, André Silva colocou-lhe 66 questões, 60% das quais sobre temas de ambiente, agricultura ou floresta. Do total de vezes que os partidos se abstiveram em votações de projetos de lei e projetos de resolução, em votação na generalidade e em votação final global, o PAN absteve-se em 13% das vezes. (Consulta de dados detalhados no link: https://pan.com.pt/pan-em-numeros-xiii-legislatura/ ).

Foi uma legislatura que demonstrou a importância do PAN no panorama político português e que ficou marcada por avanços no debate político e social em áreas que, até então, tendiam a ser menosprezadas ou mesmo esquecidas, como os direitos dos animais, proteção ambiental, justiça climática, alimentação ou o reforço dos direitos de algumas comunidades.

Em termos de medidas foram muitas as áreas em que se alcançaram avanços, nomeadamente com a inclusão de intérpretes de língua gestual nas urgências; a contratação de nutricionistas e psicólogos para o SNS; mais salas de apoio à vítima em esquadras de polícia; possibilidade de adoção por casais do mesmo sexo; alargamento das técnicas de procriação medicamente assistida a todas as mulheres; autodeterminação das pessoas trans no reconhecimento legal da sua identidade; fim do prazo internupcial; criação de um mecanismo de regularização de dívidas referentes às propinas dos estudantes do Ensino Superior; adequação do código penal à convenção de Istambul (pondo o foco da incriminação na existência ou não de consentimento) e aplicação da proibição de contacto às vítimas do crime de perseguição; a realização do diagnóstico de hiperatividade e défice de atenção por médicos competentes para o efeito, a par da primeira prescrição de medicamentos; inclusão de opção vegetariana nas cantinas públicas; distribuição de fruta no pré-escolar público; a consideração dos transportes públicos como serviço essencial; implementação do sistema de tara recuperável para garrafas de plástico, vidro ou metal; o fim da loiça descartável de plástico na restauração; a regulamentação sobre o destino das pontas de cigarros; o fim do abate de animais de companhia como forma de controlo populacional; alteração do estatuto jurídico do animal; o fim do uso de animais selvagens no circo.

As várias restrições regimentais a que está sujeito um partido com apenas um deputado, o limite de agendamento de apenas três iniciativas por sessão legislativa e o escasso tempo para falar em plenário, não inibiram o PAN de cumprir o seu mandato.



publicado por Carlos Gomes às 17:27
link do post | favorito

FAMÍLIAS NAVEGAM NO METROPOLITANO DE LISBOA

Novos passes Navegante Família à venda no Metro. Carregamentos eletrónicos disponíveis a partir de 26 de julho

O Metropolitano de Lisboa informa que a partir de hoje, 22 de julho, será iniciado o processo de adesão ao passe Navegante Família, sendo que a sua venda, à semelhança dos restantes passes, será efetuada a partir do dia 26 do corrente mês.

Todo o processo relacionado com o passe Navegante Família - desde a recolha dos impressos necessários, à entrega dos mesmos, devidamente preenchidos e com toda a documentação necessária poderá ser tratado nos Postos Navegante existentes no Metropolitano de Lisboa, nomeadamente nas estações Alameda, Entre Campos e Jardim Zoológico, abertos nos dias úteis, entre as 7h45 e as 19h45. É também nestes postos, que a partir de dia 26 de julho, será possível comprar e carregar os Passes Família.

Para usufruir do Navegante Família é necessário que todos os membros do agregado familiar (requerente responsável e os outros beneficiários) sejam titulares do cartão Lisboa VIVA (cartão rígido, personalizado e com foto) e tenham a mesma morada fiscal.

O Requerimento de acesso, renovação e atualização do passe Navegante Família além de estar disponível nos Postos Navegante, também poderá em breve ser obtido em www.aml.pt, em www.portalviva.pt ou em www.metrolisboa.pt.

Após a entrega do requerimento para adesão ao novo passe NAVEGANTE Família, a ativação desse novo passe poderá demorar até 10 dias úteis.

O passe Navegante Família tem as mesmas características que os passes NAVEGANTE (Metropolitano ou Municipal) e permite que cada família pague no máximo o valor equivalente a 2 passes NAVEGANTE.  Para além disso, é exclusivo para agregados com domicílio fiscal num dos 18 municípios da área metropolitana de Lisboa e tem validade mensal, isto é, do primeiro ao último dia do mês para o qual foi adquirido.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 16:04
link do post | favorito

Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
PORTO DE LISBOA APRESENTA ALMADA NEGREIROS

Porto de Lisboa inicia visitas gratuitas às Gares Marítimas de Alcântara e Rocha Conde D’Óbidos

A Administração do Porto de Lisboa (APL) vai passar a abrir a Gare Marítima de Alcântara e a Gare Marítima da Rocha Conde D’Óbidos, para visitas gratuitas no último final de semana de cada mês.

2651800667_c9f00c215b (1).jpg

Esta iniciativa do Porto de Lisboa, que tem início no fim de semana de 27 (das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00) e 28 (das 10h00 às 13h00) de julho, vai permitir à população de Lisboa, bem como aos seus visitantes e turistas, redescobrir e apreciar os murais de Almada Negreiros, que decoram o interior das duas gares marítimas e raras vezes têm estado disponíveis ao público, nos últimos anos.

Lídia Sequeira, presidente da APL, destaca que «é um grande motivo de orgulho possibilitar à cidade de Lisboa a fruição destes fantásticos exemplares da arte portuguesa contemporânea, as famosas pinturas de José de Almada Negreiros». Lídia Sequeira sublinha ainda que «a Administração do Porto de Lisboa dá assim mais um passo no esforço de envolver os lisboetas com os espaços do porto e com a sua frente ribeirinha».

Os magníficos painéis da Gare Marítima de Alcântara, com dois trípticos e duas composições isoladas (inauguradas em 1943) e da Gare Marítima da Rocha Conde D’Óbidos, com seis painéis (em 1949), constituem o expoente máximo da pintura mural de Almada Negreiros e refletem a sua originalidade, com evocações de cenas marítimas, fluviais e ribeirinhas.

2651800667_c9f00c215b.jpg


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 15:48
link do post | favorito

Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
PROLONGAMENTO ORIENTE / AEROPORTO COMEMORA 7 ANOS

Estação Aeroporto já recebeu 29,8 milhões de passageiros

As estações de Moscavide, da Encarnação e do Aeroporto, integradas no prolongamento da linha Vermelha do Metropolitano de Lisboa, entraram em funcionamento no dia 17 de julho de 2012.

Com este prolongamento da linha Vermelha Oriente / Aeroporto o Metropolitano de Lisboa reforçou o seu papel enquanto modo de transporte estruturante e garante da mobilidade e da intermodalidade urbana, suburbana, nacional e internacional, consolidando e reforçando a sua configuração de rede, em detrimento de uma estrutura baseada em simples ligações radiais.

Este prolongamento contou com 3.326 metros de extensão e três novas estações. Decorridos sete anos, foram transportados nesse troço cerca de 64,2 milhões de passageiros. Só a estação Aeroporto movimentou cerca de 29,8 milhões de clientes.

Este prolongamento teve um impacto significativo nas acessibilidades ao Aeroporto de Lisboa e constituiu um importante interface para os passageiros do transporte aéreo e para a generalidade das pessoas que trabalham naquela zona. Serve, igualmente, as áreas residenciais de Moscavide, Encarnação e Olivais.

A rede de Metro, através desta ligação do centro da cidade ao Aeroporto Humberto Delgado permitiu a criação de um novo interface multimodal de ligação entre o sistema de transportes da Área Metropolitana de Lisboa, os transportes nacionais e as ligações transeuropeias. Através desta ligação passou a ser possível viajar entre o Saldanha e o Aeroporto em cerca de 16 minutos.

Estas três estações permitem, anualmente, uma redução de 3,8 mil toneladas de emissões de CO2 e demonstram a constante preocupação da empresa em reforçar a estratégia de promoção da sustentabilidade ambiental, no âmbito do serviço público de transporte que a empresa presta diariamente aos seus clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 20:44
link do post | favorito

PAN CONSEGUE MAIS DIREITOS PARA AS MULHERES NA GRAVIDEZ E NO PARTO
  • Mulher grávida pode escolher até 3 pessoas para a acompanharem na gravidez e parto e tem direito a acompanhamento em todas as fases do trabalho de parto
  • Após o parto deve ser disponibilizado questionário de satisfação serviços de saúde materna e obstetrícia
  • São assegurados cursos de preparação para o parto e reforçada a relevância do plano de parto
  • Hospitais devem disponibilizar também métodos não farmacológicos de alívio de dor, permitindo um parto mais humanizado

 

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, viu hoje aprovadas na comissão de Saúde várias medidas propostas nos Projetos Lei quereforçam os direitos das mulheres na gravidez e no parto e que garante a assistência parental ao parto, apresentados durante a legislatura.

O texto final aprovado (em anexo) não corresponde integralmente ao que o PAN pretendia, mas garante avanços significativos no que respeita aos direitos das mulheres na gravidez e no parto. No caso da mulher grávida, é garantido o acompanhamento até três pessoas por si indicadas, em sistema de alternância, não podendo permanecer em simultâneo mais do que uma pessoa junto da utente. O PAN propunha que o pai/ 2ª mãe não fosse considerado acompanhante, por forma a que a mulher pudesse identificar uma terceira pessoa como acompanhante. O compromisso que se conseguiu foi a mulher poder identificar 3 pessoas em regime de alternância para que a sala de partos não fique demasiado cheia.

A mulher grávida internada em serviço de saúde passa a ter direito ao acompanhamento, durante todas as fases do trabalho de parto, incluindo partos por fórceps, ventosas e cesarianas, por qualquer pessoa por si escolhida, exceto se razões clínicas ou a segurança da parturiente e da criança o desaconselharem. Pode ainda, a qualquer momento, prescindir do direito ao acompanhamento durante todas ou alguma das fases do trabalho de parto, bem como a prescindir de visitas. Por determinação do/a médico/a obstetra, cessa a presença do/a acompanhante sempre que, no decurso do parto incluindo em cesarianas, surjam complicações inesperadas que justifiquem intervenções tendentes a preservar a segurança da mãe e ou da criança.

Após a alta hospitalar e durante a primeira semana de período pós parto, o estabelecimento de saúde em que ocorreu o parto deve garantir um contacto, designadamente telefónico, com disponibilidade permanente, para que a mulher recém mãe, o pai ou outras pessoas de referência, depois de terminado o internamento em serviço de saúde, possam esclarecer dúvidas, designadamente, sobre cuidados a ter com o recém-nascido, aleitamento materno ou sobre a condição de saúde física ou emocional da mulher puérpera.

Para efeitos de avaliação e monitorização da satisfação da mulher grávida relativamente aos cuidados de saúde durante a assistência na gravidez e no parto, a Direção-Geral da Saúde deve disponibilizar um questionário de satisfação a ser preenchido por via eletrónica e proceder à divulgação anual dos seus resultados acompanhados de recomendações.

No que respeita á Prestação de Cuidados nos Cursos de Preparação para o Parto e Parentalidade foram aprovadas as propostas do PAN que previam o envolvimento de uma equipa multidisciplinar, com uma componente teórica e outra prática e devem ocorrer, preferencialmente nos cuidados de saúde primários, em horário pós-laboral, de modo a que a grávida, o futuro pai, outros responsáveis parentais ou pessoa de referência, que trabalhem, possam neles participar.

A par do desenvolvimento de competências para o desempenho da maternidade, deve merecer destaque durante os Cursos, semelhante a preparação para o exercício da paternidade cuidadora. Sendo que, os conteúdos dos Cursos de Preparação para o Parto e Parentalidade são definidos pela Direção-Geral da Saúde através de orientações e normas técnicas.

A preparação e apoio da grávida ou do casal inclui ainda a elaboração do Plano de Nascimento, preferencialmente até às 32 semanas de gestação. Este plano deve ser apresentado e discutido com a equipa da unidade de saúde onde se prevê que o parto venha a ocorrer, envolvendo os profissionais de saúde, a grávida ou o casal. Os Cursos devem, ainda, contemplar a realização de uma visita ao local onde se prevê que o parto venha a ocorrer em articulação com a equipa dessa unidade de saúde.

Durante o trabalho de parto, os serviços de saúde devem assegurar métodos não farmacológicos de alívio da dor, de acordo com as preferências da mulher grávida e a sua situação clínica e outros métodos farmacológicos de alívio da dor, como a analgesia epidural, de acordo com as condições clínicas da parturiente e mediante seu pedido expresso, conhecedora das vantagens e desvantagens do respetivo uso.



publicado por Carlos Gomes às 19:47
link do post | favorito

PAN INTEGRA DELEGAÇÕES DO JAPÃO E DA COREIA DO SUL NO PARLAMENTO EUROPEU

O eurodeputado eleito pelo PAN – Pessoas-Animais-Natureza foi hoje nomeado para as delegações do Japão e da Coreia do Sul no Parlamento Europeu. Francisco Guerreiro integra a delegação do Japão como membro efetivo e a da Coreia do Sul como membro suplente.

1

Estas delegações surgem numa lógica de relações internacionais e é através delas que a União Europeia (UE) estabelece relações bilaterais com outros países fora da UE, através do Parlamento Europeu.

A nomeação dos membros das delegações é feita pelos grupos políticos; neste caso, Francisco Guerreiro foi nomeado pelos Verdes Europeus, família política que integra.

Seguindo os valores do PAN, alinhados com os dos Verdes Europeus, o eurodeputado Francisco Guerreiro quer “pressionar e desenvolver estratégias com enfoque especial no ambiente e na sustentabilidade”.

Por isso, relativamente ao Japão, importa continuar o combate ao nuclear, avaliando ao mesmo tempo a contenção a fugas na Central Nuclear de Fukushima – protagonista de um grave acidente nuclear em 2011 –, mas é preciso igualmente travar a reintrodução da caça comercial às baleias, bem como a crescente tensão no Mar Amarelo com a China e outros países do sudeste asiático.

Quanto à delegação da Coreia do Sul, destaca-se como imperativo principal o acompanhamento do processo de tensão nuclear entre as duas Coreias e a relevância que esta assume na estabilidade da região.



publicado por Carlos Gomes às 12:16
link do post | favorito

CASA DO CONCELHO DE TOMAR DÁ A CONHECER "VIVÊNCIAS QUOTIDIANAS DO CONVENTO DE CRISTO"

67502081_484595855638345_3570266447554805760_n.png



publicado por Carlos Gomes às 11:08
link do post | favorito

PAN ACUSA PSD, CDS E PCP DE INSENSIBILIDADE POR IMPEDIREM A ALIMENTAÇÃO DE COLÓNIAS DE GATOS NA VIA PÚBLICA

Insensibilidade de PSD, CDS e PCP impedem a alimentação de colónias de gatos

  • Enorme insensibilidade e falta de humanismo de PSD, CDS e PCP
  • Lei n.º 27/2016 definiu o programa CED* como metodologia preferencial para controlo das populações de colónias de gatos, em defesa da saúde pública
  • Um dos passos integrantes do programa CED* é a correta alimentação dos animais
  • É moralmente indefensável obrigar a sociedade, que se quer mais sensível e compassiva, a abster-se de alimentar um animal
  • Os cuidadores que alimentam dezenas de animais, cujo sofrimento não conseguem ignorar, ainda são apontados como criminosos

Ontem à tarde na Comissão de Agricultura e Mar, PSD, CDS e PCP chumbaram a proposta de texto final do PAN que visava determinar a admissibilidade de alimentação de colónias de gatos na via pública, sem colocar em causa a saúde e salubridade públicas e de acordo com regulamentação municipal no que concerne à localização e forma de alimentação.

A Lei n.º 27/2016, de 23 de agosto, definiu o programa CED (Captura, Esterilização, Devolução) como metodologia preferencial para controlo das populações de colónias de gatos, em defesa da saúde pública. Manifestamente contrário ao espírito da Lei, existem regulamentos municipais a proibir tout court a alimentação dos animais submetidos ao programa. É totalmente desprovido de sentido o Estado investir na esterilização e tratamento dos animais, estatuindo simultaneamente que os mesmos devem ser deixados morrer à fome, como defendem PSD, CDS e PCP. Para além de toda a insensibilidade e falta de humanismo demonstrados por estes três partidos, importa referir que remover a alimentação das colónias de gatos significa amputar o programa CED de um dos seus componentes essenciais, é retirar-lhe o sentido e o efeito prático.

Ditam as boas práticas internacionais, um dos passos integrantes do programa CED é a correta alimentação dos animais, em locais designados para o efeito e em respeito pela salubridade pública.

A motivação para os referidos regulamentos é a de evitar o crescimento populacional dos animais na via pública, impedir a conspurcação do espaço público e proteger a saúde pública. Todos estes objetivos são válidos e fundamentais. O PAN lamenta uma vez mais o que foi uma constante ao longo desta legislatura: a coligação destes três partidos que obstaculizam sempre o avanço da proteção e bem-estar animal no nosso país. 



publicado por Carlos Gomes às 10:24
link do post | favorito

Terça-feira, 16 de Julho de 2019
PAN CONSEGUE QUE OS ESTUDANTES DO SUPERIOR POSSAM NEGOCIAR AS DÍVIDAS POR NÃO PAGAMENTO DE PROPINAS
  • Medida pretende combater o abandono escolar e facilitar a formação e o futuro profissional dos estudantes
  • Aplicável a estudantes e antigos estudantes com propinas em atraso entre 1 de Janeiro de 2011 e 31 de Agosto de 2018
  • Os estudantes com insuficiência económica comprovada têm direito a um período de carência de dois anos para pagamento das dívidas
  • Garante que os estudantes não sejam forçados a desistir do ensino superior por incapacidade financeira
  • Mecanismo permite colmatar falhas do sistema de atribuição de bolsas de estudos

Acaba de ser aprovado em Comissão o texto final do PJL 1121/XIII do PAN, Pessoas-Animais-Natureza, sobre o mecanismo de regularização de propinas em atraso. A votação final global será na próxima, sexta-feira, 19 de julho.

O texto aprovado prevê a criação de um mecanismo de regularização de dívidas por não pagamento de propinas em instituições de ensino superior públicas, que se aplica aos valores cuja liquidação ou notificação da liquidação tenha ocorrido entre 1 de janeiro de 2011 e 31 de agosto de 2018. É aplicável a estudantes e antigos estudantes, matriculados e inscritos em ciclo de estudos conferente de grau ou em curso técnico superior profissional (inclui licenciatura, mestrado e doutoramento). Os alunos poderão fazer um plano de pagamentos com a instituição de ensino superior para ir pagando em prestações os valores em dívida. A adesão ao plano é voluntária e a pedido do estudante. Os estudantes com carência económica comprovada têm direito a um período de carência de dois anos.

O texto final aprovado (em anexo) não corresponde integralmente ao que o PAN pretendia, ou seja, que as Instituições de ensino superior tivessem, de forma permanente, planos de regularização de propinas em atraso. Assim, estariam abrangidos os estudantes que têm neste momento propinas em atraso, mas também serviria para situações futuras. Desta forma, sempre que um aluno não conseguisse proceder ao pagamento pontual das propinas poderia fazer um plano de pagamentos com a instituição. Acontece que isto não foi possível e a solução que ficou foi a existência desta possibilidade, mas apenas para o passado, isto é, para as propinas que deveriam ter sido liquidadas entre 1 de Janeiro de 2011 e 31 de Agosto de 2018. O PAN compromete-se a voltar a este tema na próxima legislatura.

Apesar disso, este é um passo importante porque resolve os problemas dos alunos que têm propinas em atraso até aquela data, permitindo que os mesmos possam prosseguir os seus estudos. Cumpriu-se o principal objetivo do PAN encontrando alternativas para uma situação que era altamente penalizadora para os estudantes, em especial para os que têm menos recursos económicos, sendo forçados a desistir por não conseguirem pagar as propinas não podendo matricular-se no ano seguinte.

Texto final

Projeto de Lei 1121| XIII| 4, PAN

Estabelece mecanismos de regularização de dívidas por não pagamento de propinas em instituições de ensino superior públicas, procedendo à quarta alteração à Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, que estabelece as bases do financiamento do ensino superior

Artigo 1.º

Objeto

A presente lei estabelece mecanismos de regularização de dívidas por não pagamento de propinas em instituições de ensino superior públicas, procedendo à 4.ª alteração à Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, alterada pelas Leis n.º 49/2005, de 30 de agosto, n.º 62/2007, de 10 de setembro, e n.º 68/2017, de 9 de agosto, que estabelece as bases do financiamento do ensino superior.

Artigo 2.º

Aditamento à Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto

É aditado à Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, o artigo 29.º-A, com a seguinte redação:

“Artigo 29.º-A

Plano de regularização de dívidas de propinas em atraso

1 – As instituições de ensino superior públicas devem ter planos de regularização destinados a alunos com propinas em atraso, matriculados e inscritos em ciclo de estudos conferente de grau ou em curso técnico superior profissional.

2 - Os alunos abrangidos pelo número anterior devem declarar junto da instituição de ensino superior o interesse em aderir ao plano de regularização de dívidas.

3 – A adesão ao plano depende de acordo livre e esclarecido celebrado entre o aluno e a Instituição de Ensino Superior, no qual se determine o plano de pagamentos definido, e implica consequentemente a suspensão dos juros de mora que se vençam após a apresentação do pedido, bem como permite o acesso do aluno a todos os serviços da Instituição de Ensino Superior, nomeadamente emissão de diploma ou certidão de conclusão ou qualquer documento informativo do seu percurso académico.

Artigo 3.º

Norma transitória

  • É estabelecido um mecanismo extraordinário de regularização de dívidas por não pagamento de propinas e outras taxas e emolumentos nas instituições de ensino superior públicas, que se aplica aos valores cuja liquidação ou notificação da liquidação tenha ocorrido entre 1 de janeiro de 2011 e 31 de agosto de 2018.
  • Consideram-se incluídos nos valores referidos no número anterior as custas, os juros e outras penalizações referentes à sua cobrança.
  • Este regime aplica-se aos estudantes e antigos estudantes, que estejam ou tenham estado matriculados e inscritos em ciclo de estudos conferente de grau ou em curso técnico superior profissional.
  • Os estudantes e antigos estudantes podem aceder a um plano de pagamentos dos valores em dívida, de adesão voluntária, mediante requerimento ao dirigente máximo da instituição de ensino superior.
  • A existência de um plano de pagamentos entre o estudante ou antigo estudante e a instituição de ensino superior respetiva determina o arquivamento dos processos de execução fiscal e cobrança coerciva que existam, incluindo nos casos em que haja penhora, e interrompe o prazo de prescrição dos valores em dívida.
  • O plano de pagamentos é feito sobre o montante total em dívida a título de propina e outras taxas e emolumentos, não se considerando os valores referentes a custas, juros ou outras penalizações.
  • O cumprimento integral do plano de pagamentos determina a extinção da obrigação de pagamento dos valores devidos a título de custas, juros e outras penalizações.
  • Desde o pedido de adesão ao mecanismo extraordinário de regularização e enquanto o plano de pagamentos estiver a ser cumprido, não é aplicável o disposto no artigo 29.º da Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, na redação em vigor, sendo inclusivamente permitido o reingresso, no caso dos antigos estudantes.
  • As prestações do plano de pagamentos são mensais, não devendo cada uma ser inferior a 10% do indexante de apoios sociais em vigor à data do pedido de adesão ao mecanismo extraordinário de regularização.
  • Ao plano de pagamentos referido nos números anteriores aplica-se, com as necessárias alterações, o disposto no n.º 1 do artigo 200.º do Código de Procedimento e de Processo Tributário, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 433/99, de 26 de outubro, na redação em vigor.
  • O pedido de adesão ao mecanismo extraordinário de regularização pode ser apresentado até 31 de dezembro de 2019, dele devendo constar uma proposta de plano de pagamentos.
  • Os estudantes com carência económica comprovada têm direito a um período de carência de dois anos, desse facto se fazendo menção no pedido de adesão ao mecanismo extraordinário de regularização.

Artigo 4.º

Regulamentação

O Governo, ouvidas as associações de estudantes e as instituições de ensino superior, define por portaria as condições de acesso ao plano de regularização previsto no artigo 29-A.º da Lei n.º 37/2003, de 22 de agosto, na redação introduzida pela presente lei.

Artigo 5.º

Entrada em vigor

A presente lei entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.



publicado por Carlos Gomes às 17:01
link do post | favorito

Domingo, 14 de Julho de 2019
SINTRA: TERRUGEM RECEBEU COM SUCESSO 1º ENCONTRO DE TOCADORES DE CONCERTINA ORGANIZADO PELA ESCOLA DE CONCERTINAS FILIPE OLIVEIRA

A festa ainda não acabou e os acordes das concertinas continuam a ouvir-se lá para os lados da Terrugem, no concelho de Sintra. São mais de duas centenas de tocadores que ao longo da tarde deste domingo animam o Largo da Feira naquela localidade, perante uma larga assistência. E o local escolhido não podia ser melhor, com estacionamento adequado, asseio público e instalações sanitárias condignas, excelente disposição da plateia, das tendas e das tasquinhas.

DSCF5349 (2).JPG

Foram cerca de duas dezenas os grupos de tocadores que se inscreveram para participar neste encontro e não faltou sequer um grupo oriundo da Galiza, mais concretamente da Comarca de Pontevedra – Lumes na Leira.

Ao longo de vários anos, Filipe Oliveira tem sabido semear amizades um pouco por toda a parte e este encontro constituiu a colheita bem merecida daquilo que semeou! As opiniões e os gestos de apreço são unânimes e todos reconhecem ainda o enorme talento do nosso conterrâneo. Fazemos votos para que siga em frente e o BLOGUE DE LISBOA cá estará!

DSCF5348.JPG

DSCF5350.JPG

DSCF5360.JPG

DSCF5361.JPG

DSCF5369.JPG

DSCF5378.JPG

DSCF5391.JPG

DSCF5354.JPG

DSCF5413.JPG

DSCF5424.JPG

DSCF5428.JPG



publicado por Carlos Gomes às 17:22
link do post | favorito

Sexta-feira, 12 de Julho de 2019
ACABOU O PRAZO INTERNUPCIAL

Aprovada proposta do PAN pelo fim do prazo internupcial

  • Votos favoráveis na especialidade apontam para aprovação em Plenário
  • Atualmente a lei limita o direito que cada cidadão tem a casar no período que lhe parecer mais conveniente, discriminando as mulheres com um prazo superior ao dos homens
  • Proposta do PAN atualiza a legislação adequando-a à evolução civilizacional conforme já acontece em vários países

A proposta do PAN – Pessoas-Animais-Natureza de eliminação do prazo internupcial foi ontem aprovada em sede de especialidade com os votos favoráveis do PS, PSD e BE e o voto contra do CDS, o que indica que será aprovada em votação final global no último plenário da sessão legislativa, no dia 19 de julho.

A legislação até agora em vigor indica que após um divórcio não poderá haver imediatamente um novo casamento, devendo os homens aguardar um período de 180 dias e as mulheres 300 dias para casar novamente, norma existente no Código Civil desde 1966 e na qual residem considerações morais sobre papéis de género que não fazem sentido à luz da atualidade.

A exigência deste prazo internupcial “funda-se na exigência social de se ter um mínimo de decoro, e na necessidade de se evitarem conflitos de paternidade a respeito dos filhos nascidos do segundo casamento”, conforme explica o advogado Mendonça Correia.

A proposta do PAN de eliminação deste prazo foi a que prevaleceu no texto final consensualizado em comissão.

"Na proposta apresentada em 2017, o PAN foi mais à frente em relação às propostas dos outros partidos. Para nós, não fazia sequer sentido igualar este prazo, mas sim removê-lo por completo", explica André Silva, Deputado do PAN.

Nos dias de hoje e considerando que a própria lei civil determina que “casamento é o contrato celebrado entre duas pessoas”, o divórcio mais não é que o fim desse contrato, devendo estar isento de considerações morais. Com esta aprovação, Portugal dá mais um passo civilizacional e vai ao encontro da opção que outros países já tomaram, como é o caso de França, Inglaterra, Suíça, Austrália (entre outros) de eliminar a imposição de um prazo internupcial, só assim se assegurando as liberdades individuais.

No seu parecer sobre esta proposta, a Procuradoria Geral da República corrobora este posicionamento: "...pensamentos associados ao decoro social e luto oficial já não constituem a razão de ser da existência normativa da regra vigente na lei”, pode ler-se no documento.



publicado por Carlos Gomes às 15:36
link do post | favorito

Quarta-feira, 10 de Julho de 2019
PAN GARANTE 1ª VICE-PRESIDÊNCIA DA COMISSÃO DE AGRICULTURA NO PARLAMENTO EUROPEU

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza assegurou a vice-presidência da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural no Parlamento Europeu. Francisco Guerreiro foi hoje eleito primeiro vice-presidente da comissão, depois de uma negociação com os Verdes Europeus, bancada que o partido integra.

Cada comissão tem, além de um presidente, quatro vice-presidentes. No caso da Comissão de Agricultura e de Desenvolvimento Rural, coube à bancada dos Verdes a primeira das quatro vice-presidências, cujo lugar Francisco Guerreiro negociou com os restantes eurodeputados da bancada, acabando por ganhá-lo aos 48 membros efetivos e 48 membros suplentes.

A eleição do eurodeputado decorreu esta tarde durante a primeira sessão da comissão e evidencia uma aposta clara no partido da parte da família europeia.

"Com esta eleição reforçamos a influência do PAN na bancada dos Verdes, dando a Portugal um lugar de destaque em relação aos restantes Estados-Membros. Estamos preparados para assumir cargos de responsabilidade e deixar contributos politicamente relevantes, principalmente num contexto europeu no qual importa priorizar a mitigação das Alterações Climáticas", refere Francisco Guerreiro, eurodeputado do PAN.

Além de assumir a substituição do presidente da comissão em situações de ausência, o cargo confere várias responsabilidades a Francisco Guerreiro, como a representação da comissão em diversos contextos e ocasiões.

A par disso, caberá também ao eurodeputado negociar leis com os Ministros da Agricultura dos vários Estados-Membros, fazendo valer os princípios do PAN em contexto europeu. No âmbito do trabalho como vice-presidente da comissão, esses princípios assumirão especial relevância em alguns contextos: Francisco Guerreiro terá oportunidade, por exemplo, de visitar locais como explorações agropecuárias intensivas e sensibilizar os restantes eurodeputados para a problemática das indústrias altamente poluentes e a sua implicação na deterioração do clima.



publicado por Carlos Gomes às 15:57
link do post | favorito

METROPOLITANO DE LISBOA ASSOCIA-SE AO ANO INTERNACIONAL DA TABELA PERIÓDICA

Metropolitano de Lisboa associa-se ao Ano Internacional da Tabela Periódica

11 julho: “Os radioativos (a instabilidade dos elementos)”

No âmbito do Ano Internacional da Tabela Periódica, assim designado pela UNESCO, e das Celebrações dos 150 anos da tabela periódica, o Metropolitano de Lisboa iniciou, no mês de março, um ciclo de várias iniciativas, que se irão estender ao longo do ano de 2019, em parceria com o Departamento de Engenharia Química e do Núcleo de Estudantes de Engenharia Química, do Instituto Superior Técnico. Estas dinâmicas visam promover a tabela periódica junto dos clientes do Metropolitano de Lisboa e do público em geral.

Neste contexto, o Metropolitano de Lisboa associa-se à iniciativa acima descrita desenvolvendo mais uma iniciativa intitulada Os radioativos (a instabilidade dos elementos) ”.

Quem passar pela estação Alameda da linha Vermelha, pelas 17 horas, de dia 11 de julho poderá, através de várias atividades, apreender o que são os radioativos bem como as suas aplicações, compreender o que é a radioatividade e as suas vantagens e desvantagens. Outra curiosidade a não descurar, e que também será explicada, é que a maioria dos elementos radioativos têm nome de planetas (Urânio Neptúnio e Plutónio) ou de cientistas famosos (Einstein, Curie,…)

Estará, igualmente, disponível, na estação Alameda, um Photobooth, para quem quiser tirar uma foto e partilhar nas redes sociais.

Os clientes serão, ainda, incentivados a participar noutras “atividades surpresa” interativas”, estando previstas ofertas aos clientes que participarem nestas atividades desenvolvidas no Metropolitano de Lisboa.

No âmbito das comemorações dos 150 anos da Tabela Periódica, estão previstas outras atividades nas estações de metro, a ter lugar nos seguintes dias:

ü  16 de setembro “Dia dos novos elementos”

ü  3 de outubro “Dia dos “metais” (bloco d)”

ü  17 de outubro “O dia do nitrogénio”

ü  31 de outubro “Os luminescentes”

ü  20 de novembro “O último elemento”

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável numa ótica de plena acessibilidade, seguindo os melhores padrões de qualidade, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de clientes.

Curiosidade:

Marie Curie, cientista nascida na Polónia, 1867-1934, descobriu a radioatividade, e dois novos elementos radioativos, o Rádio e o Polónio ganhando os prémios Nobel da Física e da Química por estas descobertas. É a única pessoa a ter dois prémios Nobel em áreas científicas diferentes.

CapturarMETROLX.PNG


tags:

publicado por Carlos Gomes às 10:32
link do post | favorito

Terça-feira, 9 de Julho de 2019
PAN QUESTIONA MINISTRO SOBRE MORTE DE CAVALO EM TOURADA

O PAN – Pessoas Animais Natureza pediu hoje esclarecimentos ao Sr. Ministro da Agricultura, depois de no último sábado, dia 6 de julho, quatro pessoas terem sofrido ferimentos e um cavalo ter morrido durante uma tourada em Coruche.

Ao responsável pelo bem-estar animal, através da tutela da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), o PAN questionou:

- Se estava presente um veterinário na praça de touros (imperativo legal);

- Porque motivo o cavalo não foi imediatamente socorrido;

- Se o abate do animal era forçoso e se não seria possível a sua recuperação, ainda que

não pudesse vir a participar em nenhuma outra atividade tauromáquica.

O partido considera que o episódio de violência ocorrido este sábado deixa claro que os touros não são as únicas vítimas do alegado espetáculo tauromáquico. Esta é evidentemente uma atividade que também coloca em risco as pessoas e outros animais, como é o caso dos cavalos.

O PAN aproveita a ocasião para expressar a sua condenação a todos os espectáculos que promovam ou inflijam violência sobre animais e, lamentando a oportunidade perdida na presente legislatura para terminar com os eventos violentos e de morte que são as corridas de touros, reassume o compromisso de, já na próxima legislatura, voltar a pugnar pelo fim dos espetáculos tauromáquicos, na esperança de que os partidos tradicionais estejam finalmente à altura dos anseios da população portuguesa.



publicado por Carlos Gomes às 21:48
link do post | favorito

Domingo, 7 de Julho de 2019
CASA DO CONCELHO DE ARCOS DE VALDEVEZ JUNTA MINHOTOS EM MARVILA

Terminou há instantes em Lisboa a Festa da Amizade organizada pela Casa do Concelho de Arcos de Valdevez com o apoio da Junta de Freguesia de Marvila. A iniciativa teve lugar no Parque do Vale Fundão e, para além da entidade organizadora, contou ainda com a participação do Rancho Folclórico da Casa do Minho e do Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Cinfães.

DSCF5338.JPG

Por parte da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez – decano do regionalismo concelhio minhoto em Lisboa – participaram o Grupo de Cavaquinhos e o Rancho Folclórico, um dos mais representativos grupos minhotos sediados na região de Lisboa.

Para além da actuação em palco, a “Festa da Amizade” incluiu ainda a realização de jogos tradicionais, a entrega de insígnias aos desportistas arcuenses e, como não podia deixar de suceder, a abertura das merendas sob a copa frondosa dos pinheiros onde as nossas gentes aproveitaram para merendar.

O folclore é a verdadeira Festa da Amizade porque contribui para a fraternidade entre os povos, sem precupações de competição, porque respeita a diversidade de culturas.

E, acabada a romaria, eis que os festeiros regressam a suas casas já com saudade, aguardando com ansiedade a edição do próxima ano. E que viva a amizade entre os povos e as suas tradições!

DSCF5340 (2).JPG

DSCF5337.JPG

DSCF5345.JPG

DSCF5307.JPG

DSCF5309.JPG

DSCF5318.JPG



publicado por Carlos Gomes às 22:34
link do post | favorito

Quarta-feira, 3 de Julho de 2019
METRO DE LISBOA ASSINALA DIA INTERNACIONAL SEM SACOS DE PLÁSTICO

Hoje, 3 de julho|14h30 – 17h30 | Estação Cais do Sodré

O Metropolitano de Lisboa assinala hoje o Dia internacional sem sacos de plástico, em parceria com o Pavilhão do Conhecimento, desenvolvendo ações de conhecimento e de sensibilização na produção e no consumo excessivo de sacos plásticos a nível mundial, dando a conhecer alternativas que permitam melhorar o meio ambiente.

Hoje, na estação Cais do Sodré, entre as 14h30 e as 17h30, os clientes do Metropolitano de Lisboa poderão participar em diversas atividades demonstrativas do impacto ambiental do uso do plástico, a desenvolver pelo Pavilhão do Conhecimento.

Serão efetuadas experiências e dadas explicações sobre o que são os polímeros, o que são os microplásticos e onde estão presentes, como poderemos substituir o plástico pelo bioplástico, quais os plásticos que flutuam e afundam e as consequências para o planeta da contaminação das águas e seres vivos pelo uso excessivo do plástico.

Em 2019, o Metropolitano de Lisboa substituiu o uso de plástico descartável no refeitório e bares da empresa por garrafas de vidro reutilizáveis e copos de papel recicláveis para o café.

O Metropolitano de Lisboa prossegue com a sua política de sustentabilidade ambiental, contribuindo, de uma forma positiva, para um planeta mais verde e, consequentemente, para o bem-estar da comunidade diretamente envolvente, melhorando a mobilidade e promovendo estilos de vida saudáveis.

Sobre a utilização dos sacos de plástico:

Os sacos de plástico são os responsáveis por vários problemas ambientais. Estima-se que um cidadão na Europa consome cerca de 500 sacos plástico por ano, que acabam no lixo ao fim de meia hora de utilização, ou então no meio-ambiente, criando-se vastas ilhas de lixo plástico nos oceanos (80% da poluição marinha). Como os animais confundem o plástico com alimentos, eles acabam por morrer pela ingestão de plástico.

Os sacos de plástico são constituídos por resinas tóxicas oriundas do petróleo e levam cerca de 500 anos a decompor-se. Apesar da gravidade da situação, apenas 2% da população recicla sacos plásticos.



publicado por Carlos Gomes às 15:19
link do post | favorito

PAN QUESTIONA COBRANÇA DE TAXA AO CONSUMIDOR

PAN pede parecer à ERSE sobre cobrança de taxa ao consumidor final que devia estar a ser paga por empresas

Clientes continuam a pagar a taxa de ocupação do subsolo que devia ser suportada pelas empresas operadoras de infraestruturas de gás natural

Medida que estava prevista na Lei do Orçamento do Estado para 2017 ainda não foi ainda implementada

Governo não procedeu à revisão do quadro legal enquadrador da taxa de ocupação do subsolo no período previsto

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza acaba de pedir parecer à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) sobre o pagamento indevido da Taxa Municipal de Ocupação do Subsolo pelos consumidores finais de alguns municípios. O partido questionou ainda o Ministério do Ambiente e da Transição Energética acerca do motivo pelo qual não procedeu à revisão do quadro legal enquadrador da taxa de ocupação do subsolo até ao final do 1.º semestre de 2019 conforme previsto no Orçamento do Estado para 2018 (Art. 246.º).

O artigo 85.º do Orçamento do Estado para 2017 determinava que “A taxa municipal de direitos de passagem e a taxa municipal de ocupação do subsolo são pagas pelas empresas operadoras de infraestruturas, não podendo ser refletidas na fatura dos consumidores.” Desta forma, até à entrada em vigor do Orçamento do Estado de 2017, os custos com a TOS eram suportados pelos consumidores de gás natural de cada município, que fixam e cobram a referida taxa, sendo a sua cobrança feita através das faturas do fornecimento do gás natural. Mas, a 1 de janeiro de 2017, a taxa municipal de direitos de passagem e a taxa municipal de ocupação do subsolo passariam a ser pagas pelas empresas operadoras de infraestruturas, não podendo ser refletidas na fatura dos consumidores.

No entanto, esta medida não foi ainda implementada, existindo muitos clientes, no sector do gás natural, que continuam a pagar a taxa de ocupação do subsolo, que deveria estar a ser suportada pelas empresas que operam no sector.



publicado por Carlos Gomes às 14:46
link do post | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

METRO DE LISBOA ASSINALA ...

METRO CELEBRA DIA MUNDIAL...

O QUE DISSE ANDRÉ SILVA, ...

METRO CELEBRA DIA MUNDIAL...

METRO DE LISBOA APOSTA NA...

METROPOLITANO DE LISBOA R...

ESTUDO DA INTRUM REVELA Q...

JORNADAS EUROPEIAS DO PAT...

METRO DE LISBOA ADERE À D...

OUTLOOK DO RATING DO METR...

TOMARENSES EM LISBOA CONF...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

ALFRAGIDE REALIZA FEIRA S...

ALDEIAS DE CRIANÇAS SOS C...

METRO REALIZA CONCURSO DE...

FEDERAÇÃO DO FOLCLORE POR...

METRO DE LISBOA REFORÇA P...

MOVIMENTOS CÍVICOS CONTRA...

METROPOLITANO DE LISBOA V...

METRO DE LISBOA ASSINALA ...

PAN APRESENTA PROGRAMA EL...

METRO DE LISBOA COMEMORA ...

ARGANILENSES EM LISBOA RE...

PAN INSTA GOVERNO A INTER...

PAN CONTESTA ENCONTRO EM ...

PAN ENTREGA LISTA DE CAND...

ESTAÇÃO BAIXA-CHIADO CELE...

COMUNIDADE ROMENA DA REGI...

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSID...

ALFRAGIDE REALIZA FESTIVA...

PAN ANUNCIA CABEÇAS DE LI...

METRO DE LISBOA PROMOVE C...

PAN FAZ BALANÇO DA LEGISL...

FAMÍLIAS NAVEGAM NO METRO...

PORTO DE LISBOA APRESENTA...

PROLONGAMENTO ORIENTE / A...

PAN CONSEGUE MAIS DIREITO...

PAN INTEGRA DELEGAÇÕES DO...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PAN ACUSA PSD, CDS E PCP ...

PAN CONSEGUE QUE OS ESTUD...

SINTRA: TERRUGEM RECEBEU ...

ACABOU O PRAZO INTERNUPCI...

PAN GARANTE 1ª VICE-PRESI...

METROPOLITANO DE LISBOA A...

PAN QUESTIONA MINISTRO SO...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

METRO DE LISBOA ASSINALA ...

PAN QUESTIONA COBRANÇA DE...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds