Blogue de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Lisboa e arredores

Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
GREVE PARCIAL PARALISA METRO

Dia 18 de outubro: Greve parcial no METRO

Exploração terá início às 10h00

Como é do conhecimento público, sindicatos representativos dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, E.P.E. (ML) apresentaram pré-avisos de greve para o próximo dia 18 de outubro (5ª feira) pelo que se prevê que o Metro inicie o serviço de transporte, nesse dia, a partir das 10:00 horas.

O Metropolitano de Lisboa agradece a compreensão dos seus clientes e lamenta os eventuais inconvenientes que a presente paralisação possa causar.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 18:46
link do post | favorito

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE LISBOA APROVA POR UNANIMIDADE RECOMENDAÇÃO DO PAN PARA ESTERELIZAÇÃO DE ANIMAIS DE COMPANHIA

PAN Lisboa recomenda campanha de esterilização de animais de companhia

Foi ontem aprovada por unanimidade, na Assembleia Municipal, a recomendação do PAN que visa a criação de uma campanha de esterilização de animais de companhia bem como ações de sensibilização da população para esta e outras temáticas.

Esta recomendação visa a realização anual de campanhas de esterilização de cães e de gatos, nomeadamente de famílias em situação de carência económica ou que comprovadamente aufiram baixos rendimentos, e ainda para as associações de proteção animal com sede em Lisboa que não tenham capacidade para prestar cuidados médico-veterinários. Está ainda contemplado na Recomendação o reforço das campanhas de sensibilização e educação levadas a cabo pelo município, incentivando não apenas a adoção e esterilização, mas também a identificação eletrónica, o registo e os cuidados de saúde e bem-estar animal.

Para Inês de Sousa Real, Deputada Municipal do PAN, “Congratulamo-nos por esta decisão unanime da Assembleia Municipal que vem contribuir para uma sociedade mais consciente, que não abandone os seus animais, que promova a sua esterilização, a adoção responsável e a prestação dos cuidados que lhes são devidos. Um sinal positivo de que estamos no caminho para uma Lisboa mais amiga dos animais”.

Com a entrada em vigor da Lei que proíbe o abate nos canis municipais, torna-se ainda mais relevante controlar a população dos animais errantes incentivando programas de esterilização e promovendo a adoção responsável de animais abandonados com o objetivo de, a prazo, assegurar a eliminação do recurso à eutanásia para este efeito.



publicado por Carlos Gomes às 13:54
link do post | favorito

Terça-feira, 16 de Outubro de 2018
QUEIXA CRIME DO PAN PELO CRIME DE POLUIÇÃO LEVA À SUSPENSÃO DA ACTIVIDADE DA CENTROLIVA NO RIO TEJO
  • PAN apresentou uma queixa crime ao Ministério Público (MP) o ano passado pelo crime de poluição ambiental
  • Em resposta o Ministério Público deduz acusação e suspende a atividade da empresa
  • Populações lesadas direta e indiretamente devido à inoperância do Ministério do Ambiente

Em novembro de 2017 e no seguimento do drástico agravamento da situação da poluição no Rio Tejo que originou denúncias e pedidos de intervenção da tutela por parte de Presidentes de Câmaras de vários municípios e de cidadãos, com a criação do Movimento Cívico para Defesa do Rio Tejo, “ProTejo”, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza, apresentou uma queixa crime contra as empresas poluidoras do Tejo pelo crime de poluição.

O Ministério Público, através do Departamento de Investigação e Ação Penal de Castelo Branco acaba de notificar o PAN, da dedução da acusação contra a Centroliva e os seus administradores, por crime de poluição e outras contraordenações ambientais. Como sanções preventivas, o MP determinou a suspensão da atividade da empresa por entender que “é a única adequada, proporcional e suficiente às exigências cautelares que o caso requer”.

Para o PAN estas notícias podem indicar uma mudança positiva num cenário em que reiterada e impunemente se colocam em causa os valores ambientais e a saúde pública. São várias as normas na legislação portuguesa que preveem que as medidas destinadas a evitar o impacte negativo de uma ação sobre o ambiente devem ser adotadas, mesmo na ausência de certeza científica da existência de uma relação causa/efeito entre eles, já que em Portugal vigora o princípio da precaução. 

Os mais recentes acontecimentos com evidências das elevadas cargas de poluição, já veem sido denunciados há vários anos e revelam uma total desconsideração destas indústrias pelo ambiente e pelos recursos naturais. É também preocupante a falta de intervenção por parte do ministério do ambiente que é quem deve zelar pela preservação do ambiente e conservação da natureza. As populações são lesadas direta e indiretamente de diversas formas, desde o grave risco para a saúde pública, aos impactos, imediatos e futuros, em várias atividades económicas: agricultura, gastronomia, turismo.

Capturar1

Capturar2

Capturar3

Capturar4

Capturar5

Capturar6

Capturar7

Capturar8

Capturar9

Capturar10

Capturar11

Capturar12

Capturar13



publicado por Carlos Gomes às 17:47
link do post | favorito

JOVENS FOLCLORISTAS REÚNEM-SE EM VISEU

40561804_1788833471166268_6199167271751909376_n

Atendendo a que 2018 será o Ano Europeu do Património Cultural, com o objetivo de celebrar a diversidade e a riqueza do património cultural europeu e de sensibilizar os cidadãos para a História e valores europeus, de modo a promover o diálogo intercultural e a coesão social; pretendendo demonstrar as diferentes oportunidades oferecidas pelo património cultural, bem como os desafios que este enfrenta, sugere-se que o tema do Congresso da FFP para jovens folcloristas 2018 seja em torno deste assunto, enquadrado pelos grandes objetivos da promoção da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social, visando chamar a atenção para o papel do património no desenvolvimento social e económico.

Será um momento importante para chamar a atenção não só para as oportunidades que o património cultural, tradicional e popular nos oferece, mas também para os imensos desafios que hoje se nos colocam.

Chegou a hora de te deixar algumas novidades sobre o teu próximo Congresso de Jovens Folcloristas!

O Programa já foi divulgado e tens aqui o lembrete.

Outra das novidades é a forma como te podes inscrever, on-line,

através do link https://goo.gl/forms/bAVbqgmPWCk327XC3

Por isso, não percas tempo, inscreve-te!

44065415_1839061389476809_3422884193820999680_n

44077005_1839061382810143_7495138009386319872_n



publicado por Carlos Gomes às 13:57
link do post | favorito

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018
PAN QUER IMPEDIR CONFINAMENTO EXCESSIVO DE ANIMAIS DE COMPANHIA
  • Lei sobre crime de maus tratos a animais tem gerado milhares de denúncias
  • Crime de maus tratos a animais deve passar a incluir os maus tratos psicológicos e o confinamento excessivo dos animais
  • Deve considerar-se crime de abandono do animal sempre que não seja assegurada a sua transmissão para a responsabilidade de outra pessoa

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acaba de apresentar um projeto de lei que será debatido, na próxima quarta feira dia 18 de outubro juntamente com uma petição de cidadãos, que pretende alterar o código penal impedindo o confinamento excessivo de animais de companhia.

A dignidade dos animais não humanos, designadamente do seu direito à vida e à integridade física, psicológica e mental, constitui um facto incontestável e tem vindo a ser reconhecida de forma transversal na sociedade, sendo que atualmente os animais já não são considerados coisas. A aprovação da Lei n.º 69/2014, de 29 de agosto, - crime de maus tratos a animais - representou uma evolução civilizacional neste âmbito. No entanto, desde a aprovação da lei decorreram milhares de denúncias sobre falhas graves na sua aplicação.

Por esse motivo, o PAN propõe agora que o crime de maus tratos a animais passe a incluir os maus tratos psicológicos e o confinamento excessivo dos animais. Por exemplo, um cão que viva permanentemente preso a uma corrente de um metro, dificilmente terá possibilidade de expressar o seu comportamento natural bem como de se exercitar convenientemente.

Para além disso, o PAN propõe que o artigo 387.º da Lei dos Maus Tratos passe a contemplar também a negligência, ou seja, a falta de prestação de cuidados a que o detentor está obrigado. Por fim, propõem-se também, alterações ao regime do abandono uma vez que atualmente para a verificação da prática do crime é necessário que do abandono decorra perigo para a vida do animal. Uma vez que o abandono de animais em associações e centros de recolha oficial é prática comum e que na sua maioria nestes casos apesar do abandono a vida do animal não é colocada em perigo, estes criminosos acabam por sair impunes. Por este motivo, o crime de abandono deve ocorrer a partir do momento em que o detentor do animal se “desfaz” deste sem assegurar a sua transmissão para a responsabilidade de outra pessoa.



publicado por Carlos Gomes às 16:05
link do post | favorito

Domingo, 14 de Outubro de 2018
CASA CERVEIRENSE COMEMORA 9 ANOS AO SERVIÇO DO REGIONALISMO

FB_IMG_15394484581416630



publicado por Carlos Gomes às 05:43
link do post | favorito

MINHOTOS LEVARAM A LOURES O MELHOR DAS NOSSAS TRADIÇÕES

Grupo Folclórico Verde Minho organizou um grandioso espectáculo das nossas tradições

A festa começou com a arruda dos bombos do Grupo Arrufarte pelas ruas da localidade a anunciar a grande festa. Este ano foram duas as recriações – a desfolhada tradicional do milho e a malhada do centeio. Não faltaram os petiscos e o vinho verde, bem à maneira do Minho. E até, contrariando todas as previsões atmosféricas, São Pedro contribuiu para o seu êxito com o tempo ameno e soalheiro que proporcionou.

DSCF2449

E, cumpridos os rituais das nossas tradições, os tocadores de concertina subiram ao palco para exibirem os seus dotes musicais. E houve cantares ao desafio. E, até na rua e na taberna se cantou bem ao jeito das Feiras Novas de Ponte de Lima, com o impagável Zé Cachadina a animar.

Pelo palco passou também Michel de Roubaix – vulgarmente conhecido como “Michel Sapateado” – com o seu acórdeão a soltar deliciosas rapsódias da música tradicional francesa ao ritmo do sapateado.

Tino Costa, já um veterano nestas andanças, encantou o público. A Escola de Cordas Daniel Oliveira e muitos foram os grupos de tocadores que fizeram a festa.

A sala foi pequena para acolher tanta gente. E a festa subiu ao rubro à chegada de Augusto Canário que em palco cantou com Daniel Sousa e Teotónio Gonçalves, coroando de êxito um grandioso festival organizado pelo Grupo Folclórico Verde Minho e que certamente vai tornar-se memorável.

DSCF2430 (2)

Perde-se nos tempos a origem dos instrumentos musicais que precederam a concertina: remonta a 2.700 anos Antes de Cristo a origem na China doCheng, porventura o seu mais antigo antecessor, cujo som era produzido por palhetas que vibravam por meio de pressão de ar. Inspirado no ancestral Cheng, em 1780, o musicólogo russo Kirschnik introduziu o sistema no instrumento o sistema de lâmina de metal aos tubos dos órgãos que fabricava.

Porém, é a chamada “concertina inglesa” – entre nós frequentemente designada por harmónio em virtude do seu fole e formato ortogonal – a que mais se aproxima do modelo que atualmente conhecemos e empregamos no nosso folclore. Coube ao inventor inglês Charles Wheatstone a invenção, em 1829, da moderna concertina.

Trata-se já de um instrumento com escala cromática ou seja, com uma escala musical abrangendo todos os 12 tons disponíveis. A sua denominação refere-se a um conjunto de instrumentos musicais dispondo de lingueta livre e funcionamento por fole, construídos de acordo com vários sistemas.

A partir sobretudo da segunda metade do século XIX, a concertina atravessou o oceano Atlântico e difundiu-se rapidamente por toda a Europa, tendo-se popularizado em ambos os continentes como um dos instrumentos da chamada música folclórica, relegando alguns mais rústicos para o esquecimento.

A concertina veio para ficar! A sua sonoridade alegre encantou sobretudo o minhoto que agora, em circunstância alguma, dispensam a sua companhia. E, para onde quer que vá, o minhoto leva-a consigo… e eis que a festa está montada, com os seus cantares ao desafio, os seus bailaricos, mas sempre ao som da concertina!

DSCF2409

DSCF2410

DSCF2413

DSCF2415

DSCF2422

DSCF2440

DSCF2450

DSCF2455

DSCF2459

DSCF2470

DSCF2488

DSCF2507

DSCF2513

DSCF2516

DSCF2521

DSCF2615

DSCF2634 (2)

DSCF2640

DSCF2623 (2)

DSCF2362

DSCF2366

DSCF2405 (2)

DSCF2377 (2)



publicado por Carlos Gomes às 04:43
link do post | favorito

Sábado, 13 de Outubro de 2018
AQUÁRIO VASCO DA GAMA, SEM TARTARUGAS E LOBOS-MARINHOS, ATRAI CADA VEZ MENOS PÚBLICO

O Aquário Vasco da Gama, no concelho de Oeiras, não vai ter mais tartarugas-marinhas ou lobos-marinhos vivos. Estas eram as principais atrações das crianças e do público em geral que se deleitava com os momentos em que eram alimentados, em horário definido e anunciado como se de um espectáculo se tratasse.

CS076743

As salas do primeiro piso reservadas para o museu de malacologia e outras peças museológicas encontram-se encerradas para obras de remodelação.

O Aquário Vasco da Gama expõe ao público mais de 350 espécies de animais marinhos vivos, provenientes de várias regiões do globo, nomeadamente zonas tropicais, zonas temperadas, e também de água doce e salgada.

image10

Com mais de dezassete anos de idade, a tartaruga-bobo que se encontrava numa das salas centrais, foi há algum tempo libertada no mar. Media 80 centímetros e pesava 90 quilos. Quanto às tartarugas-marinhas, a última foi libertada em Novembro de 2017 ao largo de Aveiro. O tanque, agora vazio, vai ser preparado para receber tartarugas de água doce.

Por sua vez, o último leão-marinho da espécie Arctocephalus pusillus viveu no Aquário Vasco da Gama durante 30 anos e faleceu em 2016. Por último, a Olívia – uma otária recuperada na África do Sul – chegou a Portugal em 1990. Viveu no Aquário com o Vitinho, um macho da mesma espécie, que morreu no ano passado, com 27 anos, longevidade acima da média para estes animais.

O Aquário Vasco da Gama foi inaugurado a 20 de Maio de 1898, por ocasião da comemoração do 4º Centenário da Descoberta do Caminho Marítimo para a Índia. Entregue à Marinha de Guerra Portuguesa em 1901, tem vindo a desempenhar desde sempre um notável papel de divulgação da Vida Aquática em Portugal, através de um Museu e de um Aquário.

O Museu exibe uma grande variedade de animais marinhos conservados em meio líquido e naturalizados, bem como reproduções em fibra de vidro e resinas sintéticas. É no entanto a "Colecção Oceanográfica D. Carlos I” o seu espólio mais valioso.

No Aquário, a exposição de espécies vivas caracteriza-se pela diversidade mas concede particular destaque à fauna local, marinha e de água doce, de Portugal, que é exibida em aquários onde se recriaram os ambientes naturais das espécies. A fauna tropical de água doce constitui, desde o início do século, outro dos atrativos do Aquário Vasco da Gama, enquanto a fauna marinha tropical tem vindo a ser aumentada com aquários dedicados aos corais e outros invertebrados exóticos.

O Aquário Vasco da Gama tem por missão a exposição e a manutenção de exemplares vivos e aquários, aquaterrários e terrários e de colecção museológicas e oceanográficas, no âmbito da educação sobre a biologia e ecologia aquáticas, e ainda desenvolver e promover actividades de investigação e conservação no domínio da fauna e da flora aquáticas.

As novas regras relativas ao bem-estar animal impostas aos Parques zoológicos e Aquários estão a colocar importantes desafios ao Aquário Vasco da Gama, sem ter em linha de conta a sua importância histórica ou possibilidade de expansão para se adaptar a novas realidades. Entretanto, enquanto os novos projectos não avançam, o Aquário Vasco da Gama vê cada vez mais as crianças levarem as suas famílias para o Parque das Nações onde se encontra o Oceanário de Lisboa. Quanto ao Aquário receamos pelo seu futuro!

61



publicado por Carlos Gomes às 12:03
link do post | favorito

LOURES REALIZA HOJE DESFOLHADA DO MILHO E CANTARES AO DESAFIO À MODA DO MINHO

Layout 1



publicado por Carlos Gomes às 06:39
link do post | favorito

Sexta-feira, 12 de Outubro de 2018
GOVERNO ACOLHE PROPOSTAS DO PAN

OE2019: Governo acolhe propostas do PAN no Orçamento do Estado

  • Majoração da contribuição sobre os sacos de plástico
  • Promoção da autonomia de pessoas com necessidades especiais com a priorização de projetos que formam cães de assistência
  • Terminam os apoios e a atividade recreativa do tiro ao voo
  • Artistas tauromáquicos deixam de estar isentos do pagamento de IVA

Pela primeira vez nesta legislatura o Governo acolheu medidas do PAN, Pessoas-Animais-Natureza, na Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2019 que será entregue na Assembleia da República na próxima Segunda Feira dia 15 de outubro. Tratam-se de medidas de inclusão social, política fiscal ambiental, proteção animal e de justiça tributária.

Política Fiscal Ambiental

A contribuição sobre os sacos de plástico leves sofre uma majoração de 50%, de 8 cêntimos para 12 cêntimos, por cada saco de plástico.  Desde a implementação desta contribuição que o número de sacos utilizados sofreu uma redução. Contudo, neste momento cada português utiliza 90 sacos/ano, sendo que as metas da UE definem que o limite máximo seja de 50 sacos/ano. Neste contexto e num quadro em que os sacos de plástico são o segundo resíduo mais encontrado à superfície do mar e em que Portugal é um dos países onde são utlizados mais sacos apenas uma vez, esta medida constitui um forte desincentivo à utilização de sacos de plástico. Esta é mais uma das várias iniciativas do PAN que se insere no objetivo de “desplastificar Portugal” a par de outras como o processo legislativo que termina na próxima semana que visa implementar um sistema de depósito para embalagens de bebidas (tara) ou como a limitação de utilização de loiça de plástico descartável no setor da restauração, que se encontra em especialidade.

Inclusão Social

No âmbito dos acordos de cooperação da Segurança Social com entidades terceiras será dada prioridade a projetos de formação de cães guia e de cães de assistência, como resposta social a pessoas com dificuldades motoras, diabetes, epilepsia ou cegos e ainda a crianças com autismo. São várias centenas de pessoas que se encontram em fila de espera para adquirir um cão guia ou um cão de assistência cujo custo de formação ronda os 10.000€ a 20.000€. Trata-se de uma medida relevante de inclusão de muitas pessoas, na medida em que promove a sua autonomia.

Proteção Animal

Terminar a atividade recreativa do tiro ao voo. O Governo e o PAN sentiram a necessidade de alcançar dois objetivos, por um lado, o fim desta atividade totalmente desadequada dos valores éticos do século XXI e, por outro, o fim dos apoios financeiros que tem usufruído, e com isto reduzir o impacto orçamental.

Nota: O tiro ao voo, também conhecido como tiro ao pombo, é a prática recreativa (não cinegética) em que aves criadas em cativeiro são libertadas apenas com o propósito de servirem de alvo. Quem matar mais, ganha. Para o mesmo efeito de entretenimento competitivo existe a prática do tiro ao prato.

Justiça Tributária

Os artistas tauromáquicos deixam de estar isentos do pagamento da taxa de IVA na prestação dos seus serviços. Não é eticamente aceitável que estes sejam, por exemplo, equiparados a médicos e a enfermeiros, profissões fundamentais da nossa sociedade. Por outro lado, a justiça em Portugal paga uma taxa de IVA de 23%, é quanto pagamos a um advogado para poder assegurar a concretização dos nossos direitos. E podemos ainda constatar esta injustiça fiscal nos bens de consumo essenciais que também pagam IVA. Esta isenção de impostos à indústria tauromáquica constitui uma forma encapotada de financiar este sector, cria uma grosseira distorção ética e promove uma enorme injustiça tributária que urge ser corrigida. Enquanto não existir coragem política para abolir esta prática anacrónica, no mínimo, estas pessoas devem pagar impostos como todos aqueles que trabalham e não serem financiados com dinheiro público. 



publicado por Carlos Gomes às 16:14
link do post | favorito

METRO ORGANIZA VISITA GUIADA À ESTAÇÃO DO JARDIM ZOOLÓGICO

Metro de Lisboa comemora 30 anos do troço Jardim Zoológico - Colégio Militar/Luz. Visita guiada à estação Jardim Zoológico | 14 de outubro |10h00

No âmbito do seu 70.º aniversário, que se assinala ao longo deste ano de 2018, o Metropolitano de Lisboa prossegue com várias iniciativas de animação nas estações, entre as quais se inclui o programa de visitas às estações da sua rede.

Assim, o Metropolitano de Lisboa assinala no dia 14 de outubro, trinta anos de abertura do troço da linha Azul que liga as estações do Jardim Zoológico ao Colégio Militar/Luz, com a abertura, em 1988, de três novas estações, a saber, Laranjeiras, Alto dos Moinhos e Colégio Militar/Luz.

Para comemorar esta efeméride, o Metropolitano de Lisboa decidiu organizar uma nova visita guiada à estação do Jardim Zoológico no próximo domingo, dia 14 de outubro, às 10h00.

Esta visita vai terá início com um breve enquadramento arquitetónico e contextualização das escolhas que foram realizadas em termos de intervenções artísticas no Metropolitano de Lisboa. Alguns dos artistas a abordar são: Maria Keil, Júlio Resende, Rolando Sá Nogueira, Fernando Conduto, Júlio Pomar e Manuel Cargaleiro.

As visitas guiadas promovidas pelo Metropolitano de Lisboa dão a conhecer a história, a arte e a arquitetura de algumas das estações mais emblemáticas da sua rede. Será possível beneficiar desta experiência, mediante inscrição prévia no site do Metro, tendo cada visita um limite máximo de 25 inscrições.

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável, seguindo os melhores padrões de qualidade, segurança e eficácia económica, social e ambiental, através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 15:02
link do post | favorito

ALFRAGIDE RECEBE CANTARES AO MENINO

43662687_654300054964678_7278922354908987392_n



publicado por Carlos Gomes às 06:09
link do post | favorito

Quinta-feira, 11 de Outubro de 2018
RIO DE MOURO É TERRA SALOIA TAMBÉM NA OBRA DO GRAFITER STYER

Dois magníficos murais produzidos pelo consagrado grafiter Styler, retratam aspectos pitorescos nas paredes do Mercado Municipal de Rio de Mouro.

DSCF2350

Bastante expressivas, elas mostram a vida de trabalho das gentes locais, sem perder a referência às suas raízes saloias. Duas magníficas pinturas que certamente o grande pintor Leal da Câmara que aqui viveu e tão bem retratou os usos e costumes das suas gentes, não desdenharia em assinar.

Os murais constituem uma das formas de arte efémera pelo que as mesmas deveriam ser guardadas ao menos em suporte fotográfico e, porque não, acrescentadas ao espólio da Casa-Museu Leal da Câmara.

Styler a.k.a. João Cavalheiro nasceu em França. Iniciou a pintura mural em 2004. Com o graffiti adquiriu a sua experiência / técnica e hoje expressa maioritariamente a sua arte em spray sobre murais de grande e pequena escala.

Em 2007 concorreu pela 1ª vez a um concurso de Graffiti, organizado pela Eleven Yard, convidado pelos artistas Nark e Seis, obtendo a 1ª classificação do concurso.

Em 2008 participou no seu 2º concurso de Graffiti com o Ecky, organizado pela Escola Seomara da Amadora com o tema Multiculturalidades, obtendo a 1ª classificação.

Em 2015 concorreu ao concurso de graffiti organizado pela associação Acuparte em Odivelas adquirindo o 1º prémio.

DSCF2351



publicado por Carlos Gomes às 19:44
link do post | favorito

O QUE SE PASSA COM OS POSTOS DE ÁGUA NOS JARDINS PÚBLICOS DE RIO DE MOURO?

São vários os postos de água nos jardins públicos e junto ao mercado municipal da Serra das Minas que se apresentam em situação anómala e, quiçá mesmo ilegal. Ao contrário do que sucede com a maior parte, não possuem contadores, apresentam adaptadores a mangueiras que podem ser para rega ou outra finalidade qualquer e abundantes fugas de água.

DSCF2345

Deixamos aqui os exemplos do posto existente na Praceta José Régio, em Paiões; na rua Francisco Costa, no Monte da Parada e ainda junto ao Mercado Municipal da Serra das Minas.

Até ao momento ainda não confirmámos se o SMAS de Sintra tem conhecimento destas ocorrências como devia nem tão sequer se as autarquias locais – Câmara Municipal de Sintra e Junta de Freguesia de Rio de Mouro – têm alguma responsabilidade directa nesta situação. Mas, pelo que vamos ouvindo junto dos moradores em locais públicos, julgamos que devem estar com as orelhas a arder!...

DSCF2346

DSCF2347

DSCF2348

DSCF2349

43721052_175131006742601_8971809166603583488_n

Capturar1



publicado por Carlos Gomes às 17:28
link do post | favorito

PAN PROPÕE MEDIDAS CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

PAN propõe medidas para melhorar a cooperação das entidades empregadoras com vítimas de violência doméstica

  • Violência doméstica é um dos crimes com maior grau de incidência na sociedade portuguesa
  • Licença remunerada de 10 dias destinados ao afastamento do agressor e à procura de uma nova residência
  • Alteração do endereço de correio eletrónico e remoção dos contactos profissionais dos sítios da Internet
  • Proposta altera o regime jurídico aplicável à prevenção da violência doméstica, à proteção e à assistência das suas vítimas

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acaba de apresentar um projeto de lei que pretende reforçar os trâmites de cooperação das entidades empregadoras com os trabalhadores vítimas de violência doméstica.

O crime de violência doméstica é um dos fenómenos criminológicos com maior grau de incidência na sociedade portuguesa, correspondendo a uma realidade transversal a todos os grupos sociais e faixas etárias. De acordo com o Relatório Anual de Segurança Interna de 2017, registaram-se em todo o território nacional, 26713 ocorrências (preocupante média de 73 ocorrências/dia). O Observatório de Mulheres Assassinadas, indica que já foram assassinadas no presente ano 21 mulheres em contexto de violência doméstica, tendo sido atingido o número de mortes ocorridos no ano transato. Estamos perante um crime com profundas repercussões nos planos pessoal, familiar, profissional e social das vítimas em causa.

Por estes motivos, e seguindo a linha de iniciativas legislativas sobre esta matéria acolhidas pelo Parlamento neozelandês, o PAN propõe que que os que os trabalhadores e trabalhadoras que sejam vítimas de violência doméstica tenham direito a uma licença remunerada de 10 dias destinados ao afastamento do agressor e à procura de uma nova residência de forma garantir a sua segurança e a da sua família.

Para além disso, o projeto de lei do PAN prevê que estas pessoas possam solicitar à entidade empregadora que proceda à alteração do endereço de correio eletrónico e à remoção dos contactos profissionais dos sítios da Internet associados à empresa ou com eles relacionados.

Sempre que possível, e quando a dimensão e a natureza da entidade empregadora o permitam, devem ser tidos em consideração de forma prioritária: a) O pedido de mudança do trabalhador a tempo completo que seja vítima de violência doméstica para um trabalho a tempo parcial que se torne disponível no órgão ou serviço; b) O pedido de mudança do trabalhador a tempo parcial que seja vítima de violência doméstica para um trabalho a tempo completo ou de aumento do seu tempo de trabalho.

Para o PAN estas são alterações cruciais no diploma referente à prevenção da violência doméstica e à proteção e assistência das suas vítimas que veem reforçar a cooperação das entidades empregadoras com os trabalhadores vítimas de violência doméstica.

“Todos os esforços devem ser tomados pelo legislador para responder às urgentes necessidades das vítimas de violência doméstica sobretudo no contexto laboral” afirma Francisco Guerreiro, porta-voz do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 12:05
link do post | favorito

JOHN HOWARD EXPÕE FOTOGRAFIA EM LISBOA INSPIRADO EM FERNANDO PESSOA

“O Livro do Desassossego” inspira exposição fotográfica de John Howard Wolf em Lisboa

Apaixonado pela obra de Fernando Pessoa e pela fotografia, o norte-americano John Howard Wolf, a residir em Portugal desde 1977, expõe na Clínica GIGA Saúde as fotos do seu trabalho "Nirvana do Carteiro" e que resultam de uma interpretação pessoal de “O Livro do Desassossego”.

edf

Está patente desde o dia 1 de outubro, na Clínica GIGA Saúde, na Av. 5 de Outubro, 293 B/C, a exposição fotográfica de John Howard Wolf, “Nirvana do Carteiro", baseada em “O Livro do Desassossego” de Fernando Pessoa.

John Howard Wolf, Doutorado da Universidade de Pittsburgh, é um reconhecido especialista no Iluminismo Espanhol, com diversos trabalhos publicados no Reino Unido, França, Espanha Polónia, Hungria e Japão. Desde que reside em Portugal, é um apaixWolf é um dos associados do movimento fotográfico The SheMouse Event. As suas fotografias de actores, músicos de jazz, ou modelos, foram publicadas em livros, ou utilizadas como capas de diversas obras.

Nesta sua série, o Autor procura ir ao encontro do próprio Fernando Pessoa na medida em que a fotografia e a observação figuravam muito na mente daquele, nas suas visões e nos seus sonhos.

John Wolf estará no GIGA a apresentar o seu trabalho no próximo dia 22 de Outubro, pelas 18,30 h.

edf



publicado por Carlos Gomes às 11:02
link do post | favorito

VÃO OS MUNÍCIPES DE SINTRA DEIXAR DE TER CONTADORES DE ÁGUA?

Na localidade de Paiões, Freguesia de Rio de Mouro, mais precisamente na Praceta José Régio, deparámo-nos com um posto de água público, ao que tudo indica com “ligação directa” e sem contador… apenas com uma válvula para accionar o sistema automático de rega.

43721052_175131006742601_8971809166603583488_n

Desconhecemos quem foi o “engenhoso” e qual o “contrato” que o mesmo tem celebrado com o SMAS de Sintra. Mas, a acreditar na boa-fé de quem efectuou a ligação que a imagem demonstra e salvo explicação técnica mais avalizada, parece-nos que o obsoleto aparelho de contagem do consumo de água – uma relíquia dos começos do século passado digna de figurar num museu de curiosidades! – vai deixar de existir em casa das pessoas.

- Será que os munícipes do concelho de Sintra vão realmente beneficiar desse privilégio?

Capturar1



publicado por Carlos Gomes às 00:19
link do post | favorito

Quarta-feira, 10 de Outubro de 2018
METRO LANÇA CAMPANHA EMOCIONAL

Campanha “Somos a sua Companhia” sensibiliza clientes

No âmbito do seu 70.º aniversário que se assinala no decorrer de 2018, o Metropolitano de Lisboa prossegue com várias iniciativas lançando, agora, uma campanha emocional dirigida aos seus clientes.

A recente campanha, sob o mote “Somos a sua Companhia”, pretende assinalar os sinais de melhorias no serviço, após os últimos anos em que o Metropolitano de Lisboa enfrentou dificuldades operacionais de índole diversa que originaram constrangimentos no serviço.

A melhoria do aumento da qualidade do serviço prestado só tem sido possível graças ao esforço e empenho dos trabalhadores desta empresa. Nesse sentido, o Metropolitano de Lisboa entendeu indispensável o lançamento de uma campanha emocional que fortalecesse a ligação entre clientes e trabalhadores.

“Somos a sua Companhia” tem, assim, como principais objetivos prioritários:

  • Valorizar o colaborador Metro;
  • Criar empatia com o cliente;
  • Melhorar a imagem positiva do Metro junto dos nossos clientes e stakeholders;
  • Criar uma relação mais próxima entre a marca Metro e o cliente;
  • Fidelizar o cliente;
  • Mostrar os bastidores do Metro

Nada melhor, portanto, do que mostrar as caras dos verdadeiros atores que todos os dias dão o seu melhor contributo para a melhoria da qualidade do serviço público. Caras estas, muitas vezes desconhecidas e que passam despercebidas pelo utilizador do Metropolitano de Lisboa.

A campanha será divulgada suportes de comunicação desta empresa, designadamente em toda a rede de metro através de cartazes, mupis e TOMIs,  nos canais digitais nomeadamente site, facebook e youtube e no Canal Lisboa.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:24
link do post | favorito

PAN QUER MAIS INCENTIVOS A FAMÍLIAS DE ACOLHIMENTO INFANTIL E JUVENIL
  • Em Portugal mais de 90% do total das medidas de colocação aplicadas institucionalizam crianças
  • Acolhimento familiar tem um valor percentual muito reduzido e tem vindo a perder expressão
  • Para além das consequências negativas para o desenvolvimento das crianças, a institucionalização tem pesados custos para o Estado
  • Soluções para os problemas destas famílias a nível social, fiscal e laboral

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, acaba de apresentar um projeto de lei que procede à alteração do Regime de Execução do Acolhimento Familiar, reforçando o acolhimento familiar, promovendo uma política efetiva de desinstitucionalização de crianças e jovens.

A necessidade de cuidados alternativos ao acolhimento residencial, institucionalização, é um problema à escala global, tendo várias organizações internacionais alertado para este problema ao longo do tempo. De acordo com dados do projeto “Pensar o acolhimento residencial de crianças e Jovens” (junho de 2018) da Fundação Calouste Gulbenkian, esta situação é particularmente preocupante em Portugal onde o acolhimento residencial assume uma fortíssima expressão atingindo valores superiores a 90% do total das medidas de colocação aplicadas pelos Tribunais e Comissões de Proteção de Crianças e Jovens. Não só o acolhimento familiar tem um valor percentual muito reduzido, como se tem tornado menos expressivo, ficando pelos 3,5%, em 2015 e 3,2%, em 2016.

Os dados existentes demonstram que, em Portugal, pouco tem sido feito para aumentar os casos de acolhimento familiar. Para além das consequências negativas para o desenvolvimento das crianças, a institucionalização tem pesados custos para o Estado. Por este motivo o PAN pretende alterações que apresentem soluções para os problemas frequentes com os quais estas famílias são confrontadas a nível social, fiscal e laboral.

Tendo em conta que, em Espanha, as famílias de acolhimento só recebem um valor para a manutenção (ou apoio à criança), o PAN defende o mesmo modelo para Portugal, recebendo a família a quantia de 329€ como apoio à manutenção da criança, ou seja, sem quaisquer impostos adjacentes. Atualmente destes 329€/mês, 176€ são pagos como serviço prestado logo sujeitos a impostos e apenas os restantes 153€ são subsídio de manutenção da criança, valor não tributável. Tendo em conta o trabalho desenvolvido pelas famílias de acolhimento, que têm o desafio de cuidar de uma criança emocionalmente afetada por ter sido separada dos pais, este valor é bastante modesto, especialmente quando comparado com o valor pago noutros países, sendo por isso essencial que se considere o seu aumento. Numa primeira fase, e reconhecendo a inexistência de recursos, pelo menos deveria ser ajustada a forma de pagamento ao tipo de acolhimento que se pratica em Portugal que é de natureza humanitária (isto é não profissional).

O PAN defende também que as crianças que estão acolhidas numa família de acolhimento devem ter, em todos os casos, direito ao abono de família, à semelhança do que acontece com o pagamento do abono dessa mesma criança a uma instituição e a atribuição do 1.º escalão do abono de família a todas as crianças em acolhimento familiar para que possam beneficiar de ação social escolar.

Por outro lado, a Segurança Social deverá dar indicações para que os regulamentos internos que determinam os cálculos das mensalidades, nas IPSS e nas autarquias, passem a considerar as crianças que estão integradas numa família de acolhimento nas mesmas condições das crianças que vivem em instituições, para efeitos do cálculo das mensalidades pagas no equipamento social ou educativo, enquadramento este que será facilitado caso se considerem estas crianças no 1.º escalão do abono de família.

Aas famílias de acolhimento deverão ainda beneficiar de uma licença, idêntica à licença parental, particularmente importante no caso das crianças mais pequenas e como forma de permitir a criação de laços entre a criança e a família, devendo também poder beneficiar do regime de faltas ao trabalho, previstos na legislação laboral, para prestação de assistência à criança acolhida.

Por último, a criança acolhida não é atualmente considerada como fazendo parte do agregado familiar para efeitos fiscais. Por este motivo, as despesas que a família tem com a criança acolhida, como saúde e educação, não podem ser deduzidas à coleta, situação que o PAN considera profundamente injusta e que deve ser corrigida, devendo a criança acolhida ser considerada como dependente, permitindo-se a dedução destas despesas em IRS.



publicado por Carlos Gomes às 13:55
link do post | favorito

Terça-feira, 9 de Outubro de 2018
PAN QUER ACABAR COM A POBREZA EM LISBOA

PAN Lisboa quer combater a pobreza na cidade

O Grupo Municipal do PAN apresentou hoje uma moção e uma recomendação focadas numa estratégia de combate à pobreza, uma realidade que persiste em Lisboa e no resto do país

Por ocasião do Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, que se celebra no próximo dia 17 de Outubro, o PAN Lisboa dedicou hoje as suas Declarações Políticas ao combate à pobreza e apresentou na Assembleia Municipal uma moção e uma recomendação que visam criar uma estratégia integrada a nível nacional e municipal.

A moção foi aprovada por unanimidade, com exceção do primeiro ponto (Criação de grupo de trabalho transversal) que foi rejeitado com o voto contra do PS e a abstenção do PCP, PEV e sete deputados independentes. A recomendação foi aprovada por maioria, com as abstenções de 7 deputados independentes.

Estas propostas têm como base alertar o Executivo para a importância de reconhecer os casos de pobreza em Lisboa e de começar a debatê-los e a criar políticas integradas que permitam erradicar este flagelo. A moção e recomendação apresentadas hoje surgem também no seguimento do primeiro objetivo da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável: “Acabar com a pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares”, até 2030, não devendo “ninguém ser deixado para trás”.

A moção apresentada visa essencialmente formar um grupo de trabalho transversal aos diversos ministérios e organizações para estudo e conhecimento da pobreza, criar uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza tendo em conta os vários setores (habitação, educação, saúde, emprego, entre outros) e apresentar relatórios de monitorização das políticas adotadas.

A recomendação também votada hoje tem como objetivo assumir o combate à pobreza como um dos objetivos da autarquia, construir e implementar uma Estratégia Integrada de Combate à Pobreza em Lisboa que envolva todas as vereações e realizar campanhas de sensibilização para a temática da pobreza e da exclusão social.  

Para Inês de Sousa Real, Deputada Municipal do PAN, “Não podemos combater um fenómeno que não debatemos e do qual não falamos. A pobreza não é uma realidade distante de outro país ou continente, é uma realidade em Portugal e em Lisboa. Reconhecemos que se têm dado passos no sentido da construção de uma estratégia e, com estas propostas, pretendemos reforçar a necessidade da sua implementação, garantindo assim que o combate à pobreza seja efetivado”.



publicado por Carlos Gomes às 22:16
link do post | favorito

PAN QUESTIONA APOIO DO ISCTE-IUL À TAUROMAQUIA

PAN quer saber porque que é que uma instituição pública de ensino superior está a pagar para promover a tauromaquia

  • ISCTE-IUL adjudicou a realização de documentário que elogia a tauromaquia
  • Conhecer os motivos que levaram a instituição universitária a encomendar um documentário de propaganda tauromáquica
  • Iniciativa contraria o sentido humanista e a evolução mental e civilizacional das sociedades

Após ter tido conhecimento de que o ISCTE-IUL, uma instituição pública de ensino superior, financiada pelo Estado, adjudicou, por ajuste direto, a realização de um documentário sobre tauromaquia a uma produtora, o PAN acaba de questionar o Ministério da Educação sobre os motivos que levaram esta instituição a celebrar este contrato sobre um documentário que é um elogio à tauromaquia.

A cláusula primeira do contrato, a que o PAN teve acesso, deixa claro que o documentário não visa uma perspetiva isenta sobre o tema, onde se colocam duas visões distintas de uma mesma realidade, mas da encomenda de um trabalho que serve, com dinheiros públicos, para promover a tauromaquia.

Uma vez que não constam do contrato, nem são públicos, o PAN gostaria de conhecer os motivos que levam uma prestigiada instituição de ensino superior a pagar para promover o setor tauromáquico.

“No respeito pela autonomia das instituições entendemos, no entanto, que esta iniciativa contraria aquilo que a academia devia estimular, o abandono progressivo das tradições anacrónicas e contrárias àquele sentido humanista que vê a cultura como um contributo para nos tornar melhores seres humanos, que caracteriza a evolução mental e civilizacional das sociedades – e que melhor corresponde à sensibilidade contemporânea”, reforça André Silva, Deputado do PAN.



publicado por Carlos Gomes às 16:16
link do post | favorito

Segunda-feira, 8 de Outubro de 2018
METRO DE LISBOA PROMOVE VISITA GUIADA À ESTAÇÃO DE CHELAS PELO ARTISTA JORGE MARTINS

10 outubro |11:00 horas

No âmbito do seu 70.º aniversário, que se assinala ao longo de 2018, o Metropolitano de Lisboa prossegue com várias iniciativas de animação nas estações, entre as quais se inclui o programa de visitas a diversas estações da sua rede.

LDCH_07

Em parceria com a Az - Rede de Investigação em Azulejo, a próxima visita será à estação Chelas, no dia 10 de outubro, pelas 11 horas, com a presença de Jorge Martins, o artista plástico que intervencionou a estação.

Esta visita insere-se nas comemorações do Mês do Azulejo, um projeto piloto que envolve as entidades Museu Nacional do Azulejo, Laboratório Nacional de Engenharia Civil e a Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL), em parceria com o Metropolitano de Lisboa.

Para beneficiar desta experiência, é necessário a prévia inscrição dos interessados, no site da Az - Rede de Investigação em Azulejo,http://redeazulejo.fl.ul.pt/  tendo a visita um limite máximo de 25 participantes.

A estação Chelas na linha Vermelha inaugurou em 1998, por ocasião da abertura da Expo’98. A intervenção plástica de Jorge Martins constitui um trabalho de grande vulto já que implicou a conceção do revestimento em azulejo de toda a área da estação, inclusive das enormes colunas do cais. Esta estação dispõe de um duplo pé direito com grandes superfícies de alçados que proporcionaram ao artista o desenvolvimento do seu trabalho criando um efeito estético de volume nos painéis de azulejos, uma novidade reforçada por iluminação própria.

O Metropolitano de Lisboa continua, assim, a promover a transversalidade cultural junto dos cidadãos estabelecendo parcerias e protocolos de cooperação com diversas instituições com vista a fomentar o interesse e a motivação para os aspetos culturais que se revelem de especial qualidade e que se pretendem sejam amplamente difundidos, reafirmando, igualmente, a promoção da mobilidade sustentável, através da aposta em diversas formas de fidelização e de captação de novos clientes.



publicado por Carlos Gomes às 15:09
link do post | favorito

Domingo, 7 de Outubro de 2018
SUSANA TERESO ENSINA A PINTAR PLANTAS SUMI

Pintura de plantas Sumi

 Com Susana Tereso

Academia ORGANII / LxFactory / 10h30 às 13h00

A Pintura Sumi-e é uma forma de arte zen baseada na simplicidade, concentração e claridade, permitindo a meditação pela representação da alma das plantas. No workshop "Pintura Sumi-e de Plantas" osparticipantes aprendem a criar pinturas de aromáticas, orquídeas, citrinos, rosas e chá, cujas fragrâncias se incluem nos perfumes da Organii. O workshop inclui a disponibilização dos materiais necessários - tinta sumi, pedra para moer a tinta, pincéis orientais, individual de feltro, papel oriental e pedra para o segurar, e xemplos de pinturas das plantas.

(14 euros - inscrição para susanaisabeltereso@gmail.com)

cartaz


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 15:41
link do post | favorito

Segunda-feira, 1 de Outubro de 2018
METRO QUER CLIENTES SATISFEITOS

Metro realiza inquérito de Satisfação do Cliente

O Metropolitano de Lisboa irá realizar um estudo sobre a satisfação do Cliente que visa auscultar a opinião dos seus passageiros tendo em vista a melhoria da qualidade do serviço prestado.

Este estudo decorre entre 01 e 28 de outubro e compreende a realização de inquéritos aos clientes nas estações do Metro pela empresa A.C. Nielsen Portugal – Estudos de Mercado Unipessoal, Lda.

Os entrevistadores estão devidamente identificados e os questionários serão de resposta rápida.

Sendo que o Metropolitano de Lisboa desempenha um papel estruturante na cidade de Lisboa, este estudo afigura-se de especial importância para a mobilidade sustentável da capital. 

O Metropolitano de Lisboa apela, assim, à colaboração dos seus clientes nesta iniciativa que facilitará a identificação de situações que irão permitir à empresa sustentar estratégias de operação, comunicação, inovação, criação e adaptação de novos serviços e produtos ainda mais adequados às necessidades de mobilidade e às expectativas daqueles que, diária ou ocasionalmente, utilizam o Metro.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 17:54
link do post | favorito

METRO DÁ MÚSICA AOS LISBOETAS

01 de outubro, Dia Mundial da Música. Metro promove cultura na Estação Cais do Sodré

No dia 01 de outubro, dia Mundial da Música viaje de Metro até à estação Cais do Sodré e assista gratuitamente, pelas 21 horas, a dois concertos gratuitos.

O Metropolitano de Lisboa proporciona aos seus clientes a oportunidade de conhecer dois artistas de música da nova geração portuguesa: Éme e Primeira Dama.

Estes concertos inserem-se no âmbito do projeto de dinamização das estações que o Metropolitano de Lisboa está a desenvolver desde o início de 2018, com a oferta de uma programação cultural que inclui exposições fotográficas, visitas guiadas, performances artísticas, entre outras.

O Metropolitano de Lisboa é publicamente reconhecido como empresa que promove a transversalidade cultural junto dos cidadãos tendo, para o efeito, estabelecido parcerias e protocolos de cooperação com diversas instituições com vista a fomentar o interesse e a motivação para os aspetos culturais que se revelem de especial qualidade e que se pretendem sejam amplamente difundidos.

Não falte… esperamos por si!

Sobre os artistas:

Éme: João Marcelo, músico lisboeta de 25 anos, com produção de B Fachada, estará na companhia dos melhores e mais empenhados amigos, o seu mais recente álbum é um encontro de refrões épicos e mãos cheias de composições visualmente fortes que usa para cantar o que de específico encontra numa viagem pelo país, num álbum de retorno às suas raízes, composto por forças opostas e surpresas.

Primeira Dama, é Manuel Lourenço, uma das principais caras por detrás da Xita Records, editora de música baseada na cidade de Lisboa, e um dos principais nomes a ter em conta na nova geração da música portuguesa. Primeira Dama fascina pela forma como as suas canções crescem da simplicidade de alguns acordes no órgão, para uma complexidade melódica marcada pela voz e os poemas imensos que o Manuel desfila de rajada. E o que parece uma composição inocente e direta ao primeiro encontro, transforma-se num mar de sensações à medida que a canção vai crescendo. 


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:01
link do post | favorito

PARTIDO "OS VERDES" EXIGE 650 EUROS COMO SALÁRIO MÍNIMO NO PRÓXIMO ANO

Salário Mínimo Nacional: Os Verdes defendem aumento para 650€ em Janeiro do próximo ano e apresentam Projeto de Resolução

Os Verdes apresentaram na Assembleia da República um Projeto de Resolução que recomenda ao Governo que proceda a um aumento do Salário Mínimo Nacional para os 650 euros já a partir de janeiro de 2019, inclusive.

Para o Partido Ecologista Os Verdes, o aumento do Salário Mínimo Nacional é uma medida fundamental para valorizar os trabalhadores e o seu trabalho, mas também para promover a justiça social e repor o poder de compra que os trabalhadores têm vindo a perder.

Esta é uma reivindicação justa e uma necessidade premente que é possível concretizar, desde que haja vontade política e uma preocupação genuína com os trabalhadores e com as questões sociais e económicas do país e, por isso, Os Verdes apresentam no Parlamento a iniciativa legislativa em causa.



publicado por Carlos Gomes às 16:53
link do post | favorito

Domingo, 30 de Setembro de 2018
MINHOTOS EM LISBOA RECRIAM EM MARVILA TRADIÇÃO DA DESFOLHADA DO MILHO

Iniciativa da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez em Lisboa

As gentes de Arcos de Valdevez afluíram hoje a Marvila, em Lisboa, para recriar a tradição da desfolhada do milho à moda antiga e, dessa maneira, confraternizar ao som da concertina. E nem o Presidente da Junta de Freguesia de Marvila, Dr. José António Videira faltou à festa, o mesmo é dizer à labuta da desfolhada, procurando encontrar o milho-rei.

DSCF2236 (2)

A desfolhada é sempre um momento de grande animação. E a ela segue-se o bailarico ao som da concertina. E não falta a merenda e o vinhão servido em grandes malgas que até tingem os beiços… é o verdasco que, como ele não existe igual em parte alguma do mundo! E, as desfolhadas…

DSCF2240 (2)

As Desfolhadas

As desfolhadas na aldeia

São cheias de vida e cor,

Até à luz da candeia

Se aspiram versos de amor,

Até à luz da candeia

Se aspiram versos de amor

 

Ai desfolhadas, lindas desfolhadas

Onde as raparigas vão todas lavadas,

Saiem de casa preparam-se bem

Onde os seus amores lá irão também!

Saiem de casa preparam-se bem

Onde os seus amores lá irão também.

DSCF2230

Na preservação das nossas tradições, a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez não deixa os seus créditos por mãos alheias. E, dentro em breve vai brindar a comunidade arcuense com novas e agradáveis surpresas – e o BLOGUE DO MINHO cá estará para ajudar a divulgar!

DSCF2234

DSCF2243

DSCF2249

DSCF2257

DSCF2258

DSCF2259

DSCF2272

DSCF2271

DSCF2275

DSCF2279

DSCF2213 (2)

DSCF2197



publicado por Carlos Gomes às 20:30
link do post | favorito

Sábado, 29 de Setembro de 2018
MINHOTOS EM LISBOA DESFOLHAM O MILHO EM MARVILA

41761451_10209387902214996_5509292556468355072_n



publicado por Carlos Gomes às 19:25
link do post | favorito

CASA DO CONCELHO DE TOMAR PROMOVE CONFRATERNIZAÇÃO EM LISBOA

42867067_290412125111072_2298849299217252352_n



publicado por Carlos Gomes às 18:57
link do post | favorito

Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018
PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SANTA IRIA E FORTE DA CASA JUNTAM TOCADORES DE CONCERTINA

42104308_1955431507856500_4456578819335127040_n

É um evento que o Diogo Gonçalves e Carolina Gonçalves decidiram fazer a favor do grupo de acólitos das paróquias da Póvoa de Santa Iria e do Forte da Casa para angariação de fundos para projetos futuro desse mesmo grupo.

Já que o Diogo e a Carolina fazem parte desse grupo e tem raízes minhotas dissediram organizar na União de Freguesias onde moram um evento onde também a muita gente do minho para que eles se possam sentir na terra de onde vieram para ter uma vida melhor.

Este evento conta com a colaboração principal do chefe dos acólitos Gonçalo Gomes, de Bruno Gonçalves e Manuel Gomes, tendo em conta que todos os elementos do grupo e seus pais também estão e vão colaborar para que este evento tenha muito sucesso.

Grupos confirmados (14 Grupos)

Casa do Benfica Charneca da Caparica

Grupo Os Desafinados 

Grupo Verde Minho

Grupo Sons de Cascais

Escola de Concertinas Filipe oliveira

Escola de Concertinas Daniel Sousa

Grupo Pampilhosa da serra

João Tomás

Aderio e amigo

Somos do Norte

Grupo Casa ponte de lima 

Os Ribeirinhos da Concertina

Seca Adegas

Concertinas e cantares Beira Lima

Casa do Concelho de Arcos de Valdevez


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 21:35
link do post | favorito

PARTIDO "OS VERDES" QUER MAIOR SEGURANÇA NAS AUTOESTRADAS

Os Verdes entregaram no Parlamento um Projeto de Resolução que visa garantir maior segurança nas autoestradas

Os Verdes entregaram hoje na Assembleia da República um Projeto de Resolução que visa que nas autoestradas, os nós de ligação, as áreas de serviço e as áreas de repouso sejam iluminados, bem como as pontes de especial dimensão e os túneis, por forma a garantir mais segurança aos peões e condutores.

Em 2012, quando o Governo procedeu à renegociação de vários contratos de concessão e subconcessões referentes às PPP’s do setor rodoviário, incluindo ex-SCUT’s, foram reduzidos os serviços e as ações de conservação das vias da competência dos concessionários.

Esta renegociação levou ao fim da iluminação na maioria dos nós de ligação, o que tem levado à contestação da população pela insegurança e pelo aumento do risco de acidente que esta medida acarreta. É para contribuir para a resolução desta situação que Os Verdes entregaram no Parlamento o Projeto em causa.



publicado por Carlos Gomes às 11:41
link do post | favorito

PAN QUESTIONA EMISSÕES DE GASES POLUENTES

PAN questiona Governo sobre emissões de gases poluentes provenientes de barragens e de lagos

  • Barragens, lagos e reservatórios de água contribuem para o aumento das temperaturas médias globais
  • Saber o impacto real desta forma de produção de energia e qual o seu contributo em termos de emissões de gases com efeitos de estufa
  • Impactos não estão quantificados no Roteiro para a Neutralidade Carbónica
  • Se não forem conhecidos os reais impactos não é possível criar modelos de adaptação e mitigação científicos rigorosos

No seguimento das mais recentes evidências sobre o facto das barragens, lagos e reservatórios de água contribuírem substancialmente para o aumento das temperaturas médias globais devido à libertação de Dióxido de Carbono (CO2) e de Metano (CH4) através de bolhas criadas no fundo da água por ação da decomposição de matéria orgânica, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, avançou com uma série de questões ao Ministério do Ambiente.

Segundo um estudo que relacionou mais de 200 artigos sobre a matéria, publicado na revista científica BioScience, existem fortes indícios que se esteja a subvalorizar o impacto destas emissões nos cenários de mitigação e adaptação às alterações climáticas. O estudo concluiu ainda que as emissões de gases poluentes através das barragens e lagos são 25% mais elevadas do que aquilo que era estimado isto porque o Metano é sensivelmente 25 vezes mais poluente que o Dióxido de Carbono.

Tendo em consideração que existe um Roteiro para a Neutralidade Carbónica, que o Estado tem levado a cabo investimento nesta área, nomeadamente com o Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH), e que Portugal tem mais de 250 grandes barragens, com altura superior a 15 metros ou armazenamento superior a 1 hm3 (1 milhão de metros cúbicos), segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), impera saber o impacto real destas escolhas Governamentais tal como o seu contributo em termos de emissões de gases com efeitos de estufa para podermos, científica e rigorosamente, criar modelos de mitigação e adaptação.

Posto isto o PAN quer saber que estudos foram feitos no PNBEPH para quantificar estes gases e que medidas foram implementadas para neutralizar as emissões decorrentes deste plano nacional; Qual o impacto global destas emissões em território nacional tendo em conta todas as barragens, reservatórios e lagos registados; Qual a justificação para que estes impactos não estejam quantificados no Roteiro para a Neutralidade Carbónica e que medidas de adaptações e de mitigação têm sido tomadas para neutralizar os impactos das emissões destes gases com efeito de estufa em Portugal.

Para consultar o documento:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalhePerguntaRequerimento.aspx?BID=108370



publicado por Carlos Gomes às 10:35
link do post | favorito

Quinta-feira, 27 de Setembro de 2018
PARTIDO "OS VERDES" DEFENDE O SETOR DO TÁXI

Táxis - Os Verdes querem alterações à Lei e apresentam 3 diplomas no Parlamento

Considerando que a Lei 45/2018, aprovada pelo PSD, PS e PAN e com a abstenção do CDS/PP, impõe um quadro legal que promove reconhecidamente uma incompreensível concorrência desleal, com graves prejuízos para o sector do táxi;

Considerando que o setor do táxi vê, assim, ameaçada a sua sobrevivência, com todas as consequências que daí decorrem, não só ao nível do desemprego, mas também ao nível do futuro das Micro, Pequenas e Médias Empresas ligadas ao setor, cujas receitas, recorde-se, ficam integralmente no nosso país, o que também deverá fazer parte da equação, tendo em conta a importância ou o seu contributo para a economia nacional;

Os Verdes deram hoje entrada no Parlamento de três iniciativas legislativas com vista à proceder a alterações à Lei 45/2018, visando exatamente atenuar a visível concorrência desleal que essa Lei potencia. Em causa estão três matérias que, para Os Verdes, são essenciais para termos uma Lei mais equilibrada entre as TVDE (transporte em veículo descaracterizado a partir de plataforma electrónica) e o sector do táxi.

A primeira diz respeito à organização da oferta e da respetiva atividade, atribuindo, para o efeito, competências aos municípios para o licenciamento das viaturas pretendidas para desempenhar o serviço ou a atividade de transporte individual de passageiros em veículos descaraterizados a partir de plataformas eletrónicas.

A segunda refere-se à definição de preços e tarifas, com critérios pautados pela transparência e estabilidade, com um tarifário homologado, com o objetivo de evitar flutuações de preço movidas pelos algoritmos e que afaste qualquer tentativa de dumping ou vendas com prejuízo.

E, por fim, refere-se à necessidade de estabelecer regimes de formação de motoristas num quadro de igualdade de critérios e com as mesmíssimas aplicações em termos de exigência.



publicado por Carlos Gomes às 20:07
link do post | favorito

Terça-feira, 25 de Setembro de 2018
CASA DO CONCELHO DE ARCOS DE VALDEVEZ ORGANIZA DESFOLHADA EM LISBOA

41761451_10209387902214996_5509292556468355072_n



publicado por Carlos Gomes às 20:44
link do post | favorito

CASA DO CONCELHO DE TOMAR REALIZA JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO

42469400_1614024025368179_2924195158830350336_n



publicado por Carlos Gomes às 02:02
link do post | favorito

Domingo, 23 de Setembro de 2018
PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SANTA IRIA E FORTE DA CASA JUNTAM TOCADORES DE CONCERTINA

42104308_1955431507856500_4456578819335127040_n



publicado por Carlos Gomes às 22:13
link do post | favorito

Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018
PAN QUER RÓTULOS DE AZEITE COM INDICAÇÃO DO SISTEMA AGRÍCOLA NA ORIGEM DA SUA PRODUÇÃO

PAN quer que os rótulos de azeite informem sobre o sistema agrícola que esteve na origem da produção

  • Informação relativa ao sistema agrícola de onde provêm as azeitonas - tradicional, intensivo ou superintensivo
  • Cultivo de olival tradicional encontra-se em desvantagem económica face aos olivais intensivos e superintensivos
  • Pretende assegurar aos agricultores o direito a praticar uma agricultura convencional com menor impacto ambiental
  • Direito à informação dos consumidores relativamente aos impactes ambientais, territoriais e paisagísticos decorrentes do tipo de produção

O PAN, Pessoas – Animais – Natureza, acaba de apresentar uma iniciativa legislativa que pretende reforçar os direitos dos consumidores através da inclusão nos rótulos de azeite de informação relativa ao sistema agrícola de onde provêm as azeitonas, seja este tradicional, intensivo ou superintensivo.

Atualmente, o azeite que chega ao mercado é diferenciado no rótulo pelo tipo de processamento (virgem ou refinado), proveniência da azeitona (nacional, internacional ou de região cuja denominação se encontra protegida (DOP)) e modo de produção biológica. Contudo, não há qualquer referência ao tipo de sistema agrícola, se tradicional, intensivo ou superintensivo.

Nas últimas décadas tem-se verificado uma crescente reconversão do olival tradicional em plantações intensivas, resultando num aumento da disponibilidade de azeite no mercado nacional. Em 2016 a área total de olival era de 347 093 ha tendo crescido mais do dobro desde 2009 (159 915 ha) sendo que a maioria se reporta a olivais intensivos. O método de cultivo de olival tradicional encontra-se em desvantagem económica face aos olivais intensivos e superintensivos, uma vez que apresenta custos de produção elevados, com limitação na utilização de mecanização e produtividade inferior, visto estar associada à agricultura de sequeiro.  Contudo o olival tradicional, face ao intensivo, tem menor impacto ambiental no ecossistema onde está inserido, uma vez que pouco recorre a fertilizantes e produtos fitofarmacêuticos.

Assim sendo, para além de os sistemas agrícolas tradicionais de sequeiro seguirem práticas tradicionais de agricultura, que contribuem para a heterogeneidade de culturas agrícolas que ajudam a preservar a paisagem rural, a identidade do território, em comparação com os sistemas agrícolas intensivos e superintensivos têm uma contribuição significativamente inferior na contaminação dos solos e recursos hídricos do território português. É fundamental assegurar aos agricultores o direito a praticar uma agricultura convencional, não só para preservar a identidade cultural do nosso país, mas também o património genético que tem perdurado durante séculos.

A uniformização mundial da produção agrícola está a destruir o nosso património agrobiodiverso e nutricional, bem como as nossas tradições gastronómicas; é, por isso, de extrema importância preservar a biodiversidade local, a sustentabilidade dos ecossistemas bem como as nossas características paisagísticas.

Devido aos impactes ambientais, territoriais e paisagísticos o PAN defende a relevância de se diferenciar, junto do consumidor, o tipo de sistema de cultivo de onde o azeite provém, permitindo o direito à informação, que tem expressão constitucional desde 1982, e a possibilidade de uma escolha consciente e responsável.



publicado por Carlos Gomes às 11:31
link do post | favorito

Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
PAN EXIGE ESCLARECIMENTOS POR MORTE DE TOUROS E FALTA DE SEGURANÇA EM FESTA POPULAR DA MOITA
  • Dois touros morreram nas Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem
  • Aos episódios de maus tratos acresce alegado homicídio de uma jovem e tentativa de homicídio de outras cinco pessoas
  • Pedido de explicações enviado hoje ao Ministério da Administração Interna, Ministério da Cultura e Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza – questionou hoje o Governo exigindo explicações sobre o violento acontecimento da passada noite de 10 para 11 de setembro, na Moita, na qual um toiro foi morto à paulada e com farpas depois de ter rasgado a zona do períneo de um indivíduo no decurso de uma largada nas Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem.

Nas mesmas festas, um outro touro morreu também durante a largada, alegadamente por ter partido a coluna. O animal morreu em plena via pública, sob o olhar de adultos e crianças, sem que ninguém lhe tivesse prestado qualquer auxílio chamado um médico-veterinário para mitigar o seu sofrimento, como se pode ver num vídeo registado e partilhado por um membro da assistência.

A estes episódios de maus tratos injustificados a animais acresce um alegado homicídio de uma jovem e tentativa de homicídio de outras cinco pessoas, o que leva o Partido a entender que este evento festivo apresenta uma clara falta de segurança.

No seguimento destes acontecimentos, o PAN solicitou ao Ministério da Administração Interna esclarecimentos sobre várias questões, nomeadamente se o evento contava com a presença de órgãos de polícia criminal, quais os órgãos e quantos elementos de polícia criminal envolvidos na segurança do evento em crise,  quantos autos de contraordenação foram levantados durante estes eventos festivos em 2018 e se foi levantado algum sobre as duas situações apontadas que levaram à morte dos touros.

Junto do Ministério da Cultura, o PAN questionou se a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) tomou conhecimento destes factos, que providências equaciona o Ministério desenvolver no sentido de impedir este género de situações, querendo ainda saber se, face ao sucedido, o Ministério considera que estas festividades reúnem as condições necessárias de segurança para que possam ocorrer.

Ao Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, o PAN pergunta se este tipo de eventos – festas populares com ocorrência de largadas  –  conta com a presença de algum médico-veterinário e de que forma a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) fiscaliza este tipo de eventos que envolvem animais. O PAN quer ainda saber que tipo de diligências a DGAV pretende tomar para evitar situações deste tipo e, ainda, se foi levantado algum auto especificamente sobre as duas situações apontadas que levaram à morte dos touros.



publicado por Carlos Gomes às 20:38
link do post | favorito

Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018
RIO DE MOURO: ISTO NÃO É FALTA DE CIVISMO – É ROUBO E VANDALISMO!

Já não bastava o lixo propositadamente lançado para o chão, não raras as vezes por indivíduos ligados à construção civil que o transportam em viaturas de carga, encontrando aqui o sítio indicado para despejar os seus entulhos, surgem agora os carrinhos roubados aos supermercados.

DSCF2196

Se os moradores reclamam são insultados e, mesmo quando a Polícia Municipal é chamada a intervir, os prevaricadores nunca são admoestados nem sujeitos a aplicação de coima… podem continuar a conspurcar a via pública e a transformar a localidade numa pocilga!

Quem assim procede não conhece outra linguagem a não ser a repressão. Se a autarquia local não consegue resolver o problema pela persuasão, proceda então a outros meios de convencimento que sejam mais eficazes, recorrendo nomeadamente à Polícia Municipal uma vez que à mesma estão atribuídas funções de polícia do ambiente! A situação tal como se apresenta é que não pode continuar…

DSCF2195



publicado por Carlos Gomes às 19:11
link do post | favorito

MARVILA DÁ VOZ AO FADO

41106023_534368930320823_2187079591451951104_n


tags: ,

publicado por Carlos Gomes às 17:43
link do post | favorito

PAN AGENDA INICIATIVAS POR MAIOR SEGURANÇA RODOVIÁRIA E PROTEÇÃO ANIMAL

Quarta feira, 3 de outubro 2018

  • O fim da caça à raposa
  • Interdita a caça à paulada e recurso a matilhas
  • Regula a circulação de veículos de tração animal para maior segurança rodoviária e garante maior proteção dos animais
  • Cria a possibilidade de um cavalo ser registado como animal de companhia ou de assistência

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, agendou hoje quatro iniciativas legislativas que serão debatidas no dia 3 de outubro e que pretendem, por um lado, o fim da caça à raposa e a interdição da atividade cinegética com recurso à paulada e com matilhas e, por outro, salvaguardar a proteção de equídeos e regulamentar a circulação de veículos de tração animal.

Estas iniciativas do PAN acompanham petições de movimentos de cidadãos. Dois projetos de lei determinam o fim da caça à raposa e a interdição da utilização de métodos de caça com violência acrescida como são a caça à paulada e com recurso a matilhas. Segundo o Movimento destes peticionários esta é uma atividade bárbara e cruel uma vez que é permitido aos caçadores matar as raposas à paulada ou através do processo a corricão.

O processo de caça a corricão é aquele em que o caçador se desloca a pé ou a cavalo para capturar espécies exploradas para fins cinegéticas com o auxílio de cães de caça, com ou sem pau, no qual podem ser utilizados até 50 cães, a designada matilha.  Os cães, neste caso, funcionam como arma contra a raposa, isto porque se trata de luta entre os cães e a presa que resulta na morte ou quase morte desta. Esta situação consubstancia uma verdadeira incoerência legal já que o Decreto-Lei n.º 315/2009, de 29 de outubro, no seu artigo 31.º, vem já proibir a luta entre animais. Note-se, proíbe a luta entre animais e não somente a luta entre cães. No entanto, no seu nº 4, exceciona desta regra “qualquer evento de caracter cultural”, o que acaba por legitimar a possibilidade de luta entre cães e raposas, como neste caso.

Com o objetivo de salvaguardar a proteção de equídeos e regulamentar a circulação de veículos de tração animal o PAN recomenda ao governo a elaboração de levantamento sobre a utilização de equídeos em veículos de tração animal e consequente regulamentação, nomeadamente a obrigatoriedade de constituição de seguro, que os passageiros utilizem coletes refletores e os carros atrelados estejam assinalados com faixas refletoras. Prevendo também que seja determinada uma idade mínima para a sua condução e um limite máximo de passageiros. Por entender que a forma como se utilizam e são tratados estes animais não é compatível com uma sociedade evoluída, o PAN pede também a regulamentação das condições de bem-estar dos animais utilizados em veículos de tração animal, nomeadamente que seja definida uma carga máxima e que sejam atribuídos períodos de descanso aos animais. Prevê ainda que o governo proceda ao levantamento do número estimado de pessoas, singulares ou coletivas, que façam uso deste tipo de veículo para o seu transporte pessoal, fins turísticos, trabalho agrícola e transporte de cargas.

A quarta medida  propõe a melhoria do sistema de identificação do fim funcional de equídeos com vista à sua proteção. Ou seja, o PAN pretende criar a possibilidade de um cavalo ser registado como animal de companhia ou de assistência para que estes animais possam, em determinadas circunstâncias, ser protegidos pela lei de maus tratos a animais. Desta forma o animal passa a só poder ser utilizado para o fim para o qual está registado, podendo haver alteração do registo.



publicado por Carlos Gomes às 14:13
link do post | favorito

GOESES PEREGRINAM À ANTIGA ÍNDIA PORTUGUESA

41939055_1829860843757908_5295683070966366208_n



publicado por Carlos Gomes às 11:21
link do post | favorito

Terça-feira, 18 de Setembro de 2018
JÁ SE CIRCULA DE BICICLETA NA PONTE 25 DE ABRIL – PARA QUANDO O TRÂNSITO PEDONAL?

Tal como a imagem documento, já é possível circular de bicicleta na Ponte 25 de Abril e, naturalmente, isento do pagamento de portagem. Resta saber a partir de quando poderá de igual modo circular-se a pé, consequentemente com isenção de pagamento de taxa de portagem!...

21616027_1999816046920052_514549532669485908_n


tags:

publicado por Carlos Gomes às 22:57
link do post | favorito

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2018
METRO FAZ CAMPANHA JUNTO DE UNIVERSIDADES

Metro de Lisboa lança campanha sub 23 nas Universidades de 17 a 28 de setembro

Na Semana Europeia da Mobilidade o Metropolitano de Lisboa lança a segunda edição da campanha nas Universidades sob o mote “A tua mobilidade na universidade começa com o sub23”, com o objetivo de divulgar e incentivar à utilização do transporte público, promover a utilização do cartão Lisboa VIVA sub23 e facilitar o acesso aos estudantes na aquisição dos passes.

A campanha envolverá a presença do Metropolitano de Lisboa através de um stand na Cantina Velha da Cidade Universitária (17 a 21 de setembro), das 11h às 15h, e outro na Cantina do Instituto Superior Técnico (24 a 28 de setembro) das 12h00 às 15h00.

Trata-se de uma modalidade implementada pelo Metropolitano de Lisboa que permite aos estudantes solicitar a emissão do cartão Lisboa VIVA sub23 na modalidade de Urgente (recebem o cartão em apenas um dia útil) pelo preço de € 6,00, e sem necessitarem de sair do seu recinto escolar.

Para o efeito, o estudante terá que ser portador do documento de identificação (cartão do cidadão), da declaração sub23 autenticada pelo estabelecimento de ensino e uma foto tipo passe atualizada. Os stands estarão preparados para aceitar só pagamentos por multibanco (não são aceites pagamentos em numerário) e para esclarecer questões sobre o sistema de transporte metro e bilhética. No decorrer desta campanha serão, ainda, oferecidos brindes e folhetos informativos.

O “passe sub23@superior.tp” é um benefício para todos os estudantes do Ensino Superior com idade até 23 anos (inclusive) ou até aos 24 anos para os estudantes dos cursos de medicina e de arquitetura. Este benefício consiste na atribuição de um desconto de 25% na aquisição dos passes para portadores de cartão Lisboa VIVA com perfil sub23.

O Metropolitano de Lisboa reafirma o seu esforço no sentido de continuar a promover a mobilidade sustentável através da aposta em novas formas de fidelização e de captação de novos clientes.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 14:01
link do post | favorito

Domingo, 16 de Setembro de 2018
MINHOTOS FAZEM PROCISSÃO EM LISBOA EM HONRA DE S. TIAGO E NOSSA SENHORA DO MINHO

As gentes do Minho radicadas na região de Lisboa afluíram hoje ao Jardim Vasco da Gama, em Belém, para mais uma jornada de convívio e divulgação das nossas tradições.

DSCF2024

A festa começou com a celebração de missa campal em honra de S. Tiago e Nossa Senhora do Minho, presidida pelo Padre Alexandre Santos, a que se seguiu a procissão solene pelas ruas da zona monumental de Belém, repleta de turistas nacionais e estrangeiros.

E, quando os minhotos se juntam o folclore aparece, após participarem na procissão, transportanto consigo andores e pendões, subiram ao palco o Grupo Folclórico e Etnográfico de Palmeira – Braga e o Grupo de Danças e Cantares Genuínos da Serra d’Arga – Caminha, além naturalmente do anfitrião Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa.

DSCF2116

A festa que hoje se realizou vem na linha de continuidade da “Romaria de Santiago” que outrora por ocasião do dia 25 de Julho, juntava minhotos e galegos em redor da velha capelinha de Nossa Senhora da Boa Viagem, situada em Caxias e actualmente em ruínas – numa iniciativa da Casa do Minho e da Xuventud de Galícia – como elo de ligação entre as duas comunidades que possui a mesma matriz etnográfica e cultural e que remonta à vetusta Galaécia.

A esta romaria veio mais recentemente juntar-se a Nossa Senhora do Minho – bela no seu trajar domingueiro de lavradeira e trazendo consigo duas espigas de milho simbolizando o pão – cujo culto se venera no seu santuário, no cimo da serra d’Arga, de onde a nossa vista alcança o Minho quase por inteiro.

DSCF2085

DSCF2082 (2)

DSCF2028

DSCF2036

DSCF2040

DSCF2051

DSCF2063

DSCF2067

DSCF2084

DSCF2114

DSCF2118

DSCF2120

DSCF2121

DSCF2141

DSCF2171

DSCF2191

DSCF2194



publicado por Carlos Gomes às 22:07
link do post | favorito

PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SANTA IRIA E FORTE DA CASA JUNTAM TOCADORES DE CONCERTINA

42104308_1955431507856500_4456578819335127040_n



publicado por Carlos Gomes às 13:45
link do post | favorito

Sábado, 15 de Setembro de 2018
METRO PROMOVE SEMANA DA MOBILIDADE

Metropolitano de Lisboa promove Semana Europeia da Mobilidade com diversas iniciativas

Em linha com os anos anteriores, o Metropolitano de Lisboa aderiu a mais uma edição da Semana Europeia da Mobilidade 2018 e vai realizar várias ações sobre o tema da mobilidade sustentável, promovendo a interação com o público e a sensibilização para esta temática.

A edição da Semana Europeia da Mobilidade, este ano dedicada à Multimodalidade no setor dos transportes, tem como slogan “Combina e Move-te”. Para assinalar esta efeméride, o Metropolitano de Lisboa promove as seguintes iniciativas ao longo da próxima semana, com vista a incentivar a utilização do transporte público como meio estruturante na mobilidade na cidade de Lisboa:

Dia 17 de setembro

Exposição “Lembre-se o Metro é de todos” – Estação Marquês de Pombal

Inauguração da Exposição “Lembre-se o Metro é de todos” na Estação Marquês de Pombal (corredor de acesso entre as linhas amarela e azul), que irá estar patente até ao dia 25 de outubro. A exposição teve origem na campanha comportamental do Metro que durante um ano quis consciencializar os seus clientes para os comportamentos menos corretos na utilização do serviço, promovendo o civismo e sensibilizando-os para a importância da cortesia e do respeito pelos outros. Esta mostra reúne os 11 comportamentos já lançados, procurando apelar para as boas práticas de utilização correta deste meio de transporte.

Dia 19 de setembro

Combina e Move-te com o Metro – 17 h – Estação Alameda

Agarrando no mote da Multimodalidade e colocando-o em prática, o Metropolitano de Lisboa vai contribuir para a promoção de outro meio de transporte, neste caso, a utilização da bicicleta. Assim, neste dia, o Metro vai oferecer vouchers na estação Alameda pelas 17h00 para promoção deste meio de transporte em conjunto com vários parceiros.

Dia 22 de setembro

“Move-te com o Metrox” – 14h às 19h – Estação  Avenida – Passeio público da Avenida da Liberdade

Ação do Metropolitano de Lisboa através do Clube Metrox (clube infantil dedicado às crianças entre os 4 e 12 anos) que visa sensibilizar os mais pequenos para a mobilidade e transportes. Terá lugar no passeio público da avenida, integrada na programação de encerramento da Semana da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa. O Clube Metrox irá estar presente com jogos lúdico-pedagógicos sobre o Metro, dirigidos a crianças e famílias

Melhorar a mobilidade na cidade, na ótica do desenvolvimento sustentável, é um dos principais objetivos do Metro. Operando em Lisboa e concelhos limítrofes e dispondo de estações de correspondência com outros operadores de transporte coletivo, o Metro contribui para uma maior eficiência das ligações no sistema de transportes, reforçando a intermodalidade e contribuindo para uma maior sustentabilidade e qualidade da vida urbana.

O Metropolitano de Lisboa promove, assim, no âmbito do serviço de transporte prestado diariamente aos seus clientes, a descarbonização da cidade, com benefícios ambientais associados, com ganhos de tempo em deslocação, contribuindo para a diminuição da sinistralidade, para a redução da poluição atmosférica e, ainda, para a diminuição do consumo energético, apresentando-se como um dos modos de transporte de passageiros mais eficientes em termos energéticos.


tags:

publicado por Carlos Gomes às 17:39
link do post | favorito

Sexta-feira, 14 de Setembro de 2018
TRAJE POPULAR DESFILA EM GONDOMAR

O XXIII Desfile Nacional do Traje Popular Português, acontecerá amanhã pelas 21h30 na cidade de Gondomar.

Estarão presentes trajes de todas as regiões do país, com exceção dos Açores num total de 1220 participantes, registando um pequeno aumento face a 2017.

38159485_2054779771222486_31065743265103872_n

Dos 13 quadros que passarão pela bonita passerelle de Gondomar, que este ano terá bancadas para maior conforto do publico, será o quadro do trabalho aquele que mais expressão terá, numa dinâmica de representação de artes e oficios já extintos.

Também outra forma de ser e estar da mulher Portuguesa será abordada, o canto polifónico tradicional, assim como, a vertente do culto religioso, daquilo que o luto representava para a mulher portuguesa, a relação da criança com o trabalho doméstico, entre outras representações, todas elas narradas pela já habitual dupla de apresentadores, Dra. Emília Francisco e Dr. António Gabriel.

Para todos aqueles que ficam em casa devido à distância, o Desfile será transmitido em direto no Facebook pela Rádio do Folclore Português e pela FFP no Youtube, pelo que, deverão procurar os links na página da FFP.

A direção da FFP agradece de forma calorosa a disponibilidade de todos aqueles que irão passar pela passerelle e de todos que constituem a tocata, o apoio do Conselho Técnico Regional do Douro Litoral Norte, e a todo o staff que entre elementos da direção e voluntários alcança quase 50 pessoas, sinal da envergadura que Desfile está a assumir no panorama nacional.

O Desfile encontra-se inserido no Festival da Cultura Mediterrânica, organização da Fundação INATEL e conta com o alto patrocínio da Câmara Municipal de Gondomar que se mostrou incansável na organização do Desfile deste ano.



publicado por Carlos Gomes às 08:48
link do post | favorito

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2018
LOURES REALIZA FESTIVAL DAS SOPAS

27399918_1780094635354455_1967435340_n



publicado por Carlos Gomes às 13:24
link do post | favorito

CASA DO CONCELHO DE CASTRO DAIRE REALIZA GALA DE FADOS

41547316_754070151609962_6106692502700425216_n



publicado por Carlos Gomes às 13:08
link do post | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

GREVE PARCIAL PARALISA ME...

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE L...

QUEIXA CRIME DO PAN PELO ...

JOVENS FOLCLORISTAS REÚNE...

PAN QUER IMPEDIR CONFINAM...

CASA CERVEIRENSE COMEMORA...

MINHOTOS LEVARAM A LOURES...

AQUÁRIO VASCO DA GAMA, SE...

LOURES REALIZA HOJE DESFO...

GOVERNO ACOLHE PROPOSTAS ...

METRO ORGANIZA VISITA GUI...

ALFRAGIDE RECEBE CANTARES...

RIO DE MOURO É TERRA SALO...

O QUE SE PASSA COM OS POS...

PAN PROPÕE MEDIDAS CONTRA...

JOHN HOWARD EXPÕE FOTOGRA...

VÃO OS MUNÍCIPES DE SINTR...

METRO LANÇA CAMPANHA EMOC...

PAN QUER MAIS INCENTIVOS ...

PAN QUER ACABAR COM A POB...

PAN QUESTIONA APOIO DO IS...

METRO DE LISBOA PROMOVE V...

SUSANA TERESO ENSINA A PI...

METRO QUER CLIENTES SATIS...

METRO DÁ MÚSICA AOS LISBO...

PARTIDO "OS VERDES" EXIGE...

MINHOTOS EM LISBOA RECRIA...

MINHOTOS EM LISBOA DESFOL...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SAN...

PARTIDO "OS VERDES" QUER ...

PAN QUESTIONA EMISSÕES DE...

PARTIDO "OS VERDES" DEFEN...

CASA DO CONCELHO DE ARCOS...

CASA DO CONCELHO DE TOMAR...

PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SAN...

PAN QUER RÓTULOS DE AZEIT...

PAN EXIGE ESCLARECIMENTOS...

RIO DE MOURO: ISTO NÃO É ...

MARVILA DÁ VOZ AO FADO

PAN AGENDA INICIATIVAS PO...

GOESES PEREGRINAM À ANTIG...

JÁ SE CIRCULA DE BICICLET...

METRO FAZ CAMPANHA JUNTO ...

MINHOTOS FAZEM PROCISSÃO ...

PARÓQUIAS DA PÓVOA DE SAN...

METRO PROMOVE SEMANA DA M...

TRAJE POPULAR DESFILA EM ...

LOURES REALIZA FESTIVAL D...

CASA DO CONCELHO DE CASTR...

arquivos

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds